Author admin

Abstartups anuncia vencedores do Batch#3 Impact

Foi anunciado dia 16 de setembro, pela Associação Brasileira de Startups , (Abstartups), os novos associados Impact que terão benefícios exclusivos ao longo de um ano.

Os participantes passaram por uma criteriosa seleção que levou em consideração o faturamento, equipe, investimentos, impacto no ecossistema e o produto para garantir que as startups mais promissoras fossem escolhidas para este seleto grupo que terá como objetivo fomentar o empreendedorismo no Brasil.

A vantagens de se tornar um Associado Impact é a possibilidade de participar de programas de mentoria, treinamentos de pitch, conversas com investidores, colaborar para o blog da Abstartups e realizar networking em diversas oportunidades exclusivas, como o Jantar Impact.

Entre os vencedores, destaca-se startups das mais diversas categorias, representando a pluralidade do setor. Abaixo, a lista completa dos escolhidos:

• Idéia no Ar

• Match Box

• Engaged

• Pixcred

• IGO Log

• Click Compliance

• Super Frete

Tags

CapacitaEl@: iniciativa da Softex promove integração e aperfeiçoamento profissional entre as mulheres

Como parte das comemorações de seus 25 anos, a Softex anuncia o lançamento do CapacitaEl@, iniciativa que tem como propósito inspirar e levar o conhecimento das colaboradoras da entidade para outras mulheres por meio de miniaulas virtuais.

Os conteúdos, que são gratuitos e com duração máxima de uma hora,  trazem dicas valiosas sobre carreira, negócios, além do aperfeiçoamento e troca de experiências  profissional entre as participantes. Os módulos serão disponibilizados gradualmente – a cada duas semanas – na plataforma EAD da Hands ON, a aceleradora da Softex. Um certificado será emitido ao final de cada curso.

“O objetivo não é só passar o conteúdo, mas compartilhar a vivência profissional de cada uma das mulheres que fazem parte da nossa organização. Em breve, expandiremos esse convite a outras mulheres também para aumentarmos ainda mais a oferta de cursos”, explica  Rayanny Nunes, gerente de inovação da Softex.

O primeiro, Jornada Empreendedora, já está disponível. Nele, é possível compreender melhor como é possível tirar uma ideia do papel e os desafios e as oportunidades desse processo. São 4 módulos: Introdução à Jornada Empreendedora, Empreendedorismo e o Cenário Brasileiro, O que define uma Empreendedora e Desafios da Jornada Empreendedora. A mentora é justamente Rayanny Nunes.

Dados da última Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNADC), realizada pelo IBGE, mostram que cerca de 9,3 milhões de mulheres estão à frente de negócios no Brasil. O GEM (Global Entrepreneurship Monitor), que é a principal pesquisa sobre empreendedorismo no mundo e reúne dados de 49 países, relacionou em sua última edição (2018), que o Brasil está em sétimo lugar no ranking de proporção de mulheres à frente de empreendimentos iniciais.

Confira os temas dos oito cursos que  serão oferecidos ao longo das próximas semanas: Planejamento de Carreira, Transformação Digital, Carreira em Gestão de Projetos Branding e Comunicação, Produtividade e Priorização, Organização Financeira e Pessoal, Síndrome da Impostora e Gestão de projetos.

Para acessar os conteúdos do CapacitaEl@, acesse https://ead.handson.org.br/course/capacitaela-jornada-empreendedora 

Logtech Motorista PX recebe aporte de R$ 2 milhões e mira mercado das grandes transportadoras

A Motorista PX, que conecta caminhoneiros autônomos a transportadoras de cargas para serviços pontuais, acaba de receber um investimento de R$ 2 milhões das redes ACE Startups e BR Angels, e das gestoras GR8 Ventures e Randon Ventures. Com o aporte, a empresa pretende aprimorar a tecnologia e investir na qualificação dos motoristas para atender a grandes transportadoras, além de incluir veículos de carga menores, como vans e utilitários.

Com o time de fundadores composto pelo ex-caminhoneiro, e atual advogado, Djefrei Pasch e pelo empreendedor André Oliveira, a plataforma entende que os dois lados da operação precisam ser beneficiados. Para isso, promove a contratação de mão de obra de acordo com a demanda das transportadoras, com menos burocracia e de maneira confiável, já que os motoristas possuem CRM de cadastro com todos os documentos anexados, referências das três últimas empresas trabalhadas, além de consulta a 400 fontes de pesquisa. 

Para os motoristas, a startup elimina os custos de ter um caminhão próprio, pois utiliza a frota da empresa, trazendo mais segurança com o mapeamento de riscos das regiões via satélite, além de proporcionar flexibilidade para escolher o período, destino e até o tipo de carga que o profissional deseja atender. Os usuários cadastrados na plataforma ainda contam com um processo de qualificação especializado, que vai desde a abertura do MEI até o treinamento EAD. 

Fundada em 2019, a Motorista PX está presente em todos os estados brasileiros e já lançou mais de 1.700 viagens, principalmente para transportadoras de pequeno e médio porte. Até o momento, são mais de 10 mil motoristas cadastrados na plataforma.

“Ter o custo quando você tem a demanda é o futuro da economia e o sonho das empresas. Por outro lado, o transporte rodoviário de cargas só é possível graças a quem está por trás do volante. Nos últimos anos, cerca de 150 mil motoristas deixaram a profissão, ao mesmo tempo em que a demanda de entregas só cresce. O motivo desse esvaziamento é a migração da nova geração para os aplicativos de carona, que oferecem maior autonomia e flexibilidade. Só que a Motorista PX oferece isso e muito mais pois não cobra taxas. O trabalhador recebe em 48 horas e pode ter até o dobro do lucro. Toda a cadeia e a economia são beneficiadas. Por isso, acreditamos que esse é o modelo do motorista de cargas do futuro”, conta o Fundador e CEO André Oliveira.

Segundo Pedro Carneiro, Head de Investimentos da ACE Startups, a Motorista PX supre a contratação em um setor que apresenta cada vez mais dificuldades para encontrar mão-de-obra qualificada. “O que a startup entrega é um grande salto de eficiência para as transportadoras, além de mais oportunidades de trabalho para os caminhoneiros. Trazendo benefícios para ambos os lados, a inserção da tecnologia é o toque que faltava para criar um ganho geral para a cadeia. Pensando no futuro da empresa, a ideia é que ela ofereça cada vez mais valor e serviços para os caminhoneiros, para que eles atendam com excelência a demanda que vem das transportadoras”, afirma.

Já Orlando Cintra, Fundador e CEO da associação nacional de investimento-anjo BR Angels, reforça o caráter essencialmente colaborativo do ecossistema empreendedor, que possibilita a rodada conjunta em negócios de alto potencial. “O modelo da Motorista PX se mostrou essencial para evoluir um dos setores que o Brasil mais depende, que é o de transporte rodoviário de cargas. Agora, com os recursos e a expertise de grandes investidores do mercado, a startup vai poder dar o próximo passo para ter grande impacto na realidade do país. Para o BR Angels, é uma grande oportunidade de colaborar com mentoria”, comenta.

De acordo com Fernanda Gottardi, Sócia da gestora GR8 Ventures, o modelo de negócios da Motorista PX vai ao encontro de uma tendência no país e no mundo, que é a mudança radical das relações de trabalho. “Isso inclui a busca do trabalhador por maior controle sobre sua vida e seu tempo. Já do lado do empregador, o objetivo é lidar com menos formalidades, taxas e impostos, assim como menores custos fixos e mais variáveis, no modelo pay-per-use. Este processo, atrelado a empreendedores que se provaram durante nosso período de ‘namoro’ e a um sindicato de quatro investidores institucionais com vasta experiência, nos deu a certeza de que o investimento na Motorista PX tem tudo para ser um grande sucesso”, declara.

“Estarmos conectados à Motorista PX é um movimento importante e estratégico para a Randon Ventures. Ficamos muito satisfeitos quando encontramos parceiros que agregam ao nosso negócio e, ao mesmo tempo, apresentam modelos inovadores para o ecossistema de logística e transporte, contribuindo para a jornada do motorista”, completa Mateus de Abreu, Diretor de Negócios e Estratégias Digitais das Empresas Randon e Head da Randon Ventures.

Tags,

Aliare oferece 78 vagas de emprego, a maioria em home office

As oportunidades são para as áreas administrativa e de TI e as inscrições devem ser feitas pelo site da Aliare, referência em desenvolvimento de softwares para o agro

A Aliare, fusão das empresas Siagri e Datacoper, está disponibilizando 78 vagas de emprego. A maior parte das funções está ligada ao setor de TI, como software engineer, front end e back end developer, product owner, entre outras. Nestes casos, a contratação é como CLT e em formato home office. 

Também há vagas para trabalho presencial nas cidades de Goiânia (GO) – na posição de Consultor de Implantação e Assistente de Suporte; e Rio Verde (GO) como Analista de Suporte ERP e Assistente de Suporte.

A Aliare oferece o portfólio mais completo de gestão, inovação e tecnologia para o agronegócio. A empresa conta com mais de 52 mil usuários, atendendo 4 mil clientes. Além disso, possui aproximadamente 700 colaboradores, com estimativas de breve expansão e novas oportunidades.

“O agro é o setor que mais cresce no Brasil e a demanda por profissionais competentes está cada vez maior. Após passarmos por essa fusão, estamos em busca de talentos que nos ajudem na missão de construir um futuro inovador e sustentável para o agronegócio”, diz a gerente de Gente e Gestão da Aliare, Andrielle Queiroz.

Entre os benefícios que a empresa oferece, estão cartão alimentação, plano de saúde, plano odontológico, vale-transporte, seguro de vida, horário flexível, auxílio educação, parceria com instituições de ensino, universidade corporativa, premiação por tempo de casa e outros.

Para obter mais informações e detalhes sobre as vagas oferecidas, os interessados devem acessar o site da empresa no endereço: https://www.aliare.co/carreiras.html. Veja abaixo a lista completa de vagas e o local de trabalho de cada uma delas:

Home Office: Software Engineer, Frontend Developer, BackEnd Developer, Product Owner, Business Analyst, QA Engineer, UX UI Designer, Analista de Qualidade, DevOps + SER, Scrum Master, Analista de Testes ERP, Analista de Desenvolvimento Delphi, Analista de Desenvolvimento C#, Analista de Negócios, Analista de Alianças e Parcerias, Analista de Marketing, Arquiteto de Software, Analista de Desenvolvimento C# .Net Core, Analista de Desenvolvimento Java, Analista de Desenvolvimento Progress, Analista de Informação, Analista de Testes, Analista de DBA, Jovem Aprendiz e Analista de Suporte.

Para as cidades de: Paso Fundo (RS), Porto Alegre (RS), Rondonópolis (MT), Primavera do Leste (MT), Maceió (AL) e Recife (PE) vagas em regime de home office para Executivo de vendas.

Presencial: Goiânia (GO): Consultor de Implantação e Analista de pré-vendas; Rio Verde (GO): Analista de Suporte ERP e Analista de Suporte.

Brasil avança no Global Innovation Index 2021

De acordo com o principal índice internacional de inovação, o Global Innovation Index 2021, lançado hoje, o Brasil está na posição 57, o que representa um avanço de 5 posições em relação à edição anterior. Apesar de ter melhorado sua classificação, já que em 2020 figurava em 62º, a classificação ainda é considerada incompatível com o tamanho da sua economia.

Em busca de mudar esta realidade, o governo federal lançou, no final de 2020, a Política Nacional de Inovação. “Apesar de muito bem-posicionado nos índices de produção acadêmica, o Brasil vem apresentando baixo crescimento desde a década de 80 e os baixos níveis de inovação são uma das principais razões para isso”, avalia Paulo Alvim, Secretário Nacional de Empreendedorismo e Inovação do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações. Um dos pilares do desenvolvimento da política foi exatamente analisar o GII e identificar os pontos em que o país apresenta suas maiores deficiências. “A inovação se traduz em um grau superior de desenvolvimento tornando os países mais estáveis economicamente e com menos desigualdade social”, lembrou Marcos Pinto, Diretor de Empreendedorismo Inovador, do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovações, durante evento do Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE) que discutiu as ações do governo para estimular a inovação.

Com base na Política, foi lançada em julho de 2021 a Estratégia Nacional de Inovação, composta de iniciativas que buscam orientar a ação do estado e identificar os principais pontos que demandam atenção na forma de políticas públicas. Entre elas, destacam-se temas como a ampliação das parcerias entre o setor público e a iniciativa privada; o estímulo ao uso dos instrumentos do Marco Legal de Ciência, Tecnologia e Inovação; o apoio a programas de desenvolvimento de ideias com potencial de inovação, bem como de suporte a startups; e o estímulo ao interesse das disciplinas de STEAM (ciência, tecnologia, engenharia e matemática), assim como o desenvolvimento de competências para a inovação.

A Estratégia e a Política de Inovação são instrumentos a serem aplicados em um horizonte de 10 anos. Para o presidente do CGEE, Marcio Miranda, “estes instrumentos são um legado desta administração. Mas deve-se imaginar formas subsequentes de dar continuidade com vistas ao aprimoramento contínuo da inovação no Brasil”.

Para se chegar na Política, houve intensa participação da sociedade, com duas consultas públicas e várias oficinas, reunindo representantes de todas as unidades da federação. A inovação é uma agenda transversal por natureza – assim, as iniciativas dos diferentes ministérios precisam ser apoiadas por uma política de estado para que se convertam em ações práticas. Com a nova Estratégia Nacional de Inovação busca-se melhorar a capacidade de resposta do Estado, aumentando sua eficiência e otimizando a alocação dos recursos públicos.

Durante o processo de formulação da Estratégia Nacional de Inovação foram identificadas mais de 250 ações já em andamento ou preparação que buscam responder aos desafios de política pública da inovação no país. Estas compõem os planos de ação que foram publicados em conjunto com a Estratégia. “Trata-se de um nível de transparência nunca antes alcançado em termos de políticas públicas de inovação do país, permitindo que o cidadão conheça a atuação do Estado, se candidate para os programas e, inclusive, possa fazer críticas e sugestões, contribuindo com a evolução das ações”, esclarece Paulo Alvim.

Cabe ressaltar que o salto no ranking já reflete iniciativas ligadas à Política Nacional de Inovação. Destaca-se, por exemplo, a melhoria nos tempos de concessão de patentes, resultado de intenso trabalho do Instituto Nacional de Propriedade Intelectual, no contexto da Estratégia Nacional de Propriedade Intelectual, iniciativa associada à Política. Programas de apoio a startups como o Centelha do MCTI, o Garagem do BNDES e o InovAtiva do Ministério da Economia também têm contribuído para movimentar o ecossistema de desenvolvimento de softwares. E o novo cenário proporcionado pela liberação dos recursos do FNDCT propiciará ainda mais avanços, como mostra o recente lançamento do programa RHAE, que oferece bolsas para pesquisadores trabalhando em empresas, a chamada universal de projetos de pesquisa do CNPq e o edital de apoio a ambientes inovadores, como parques tecnológicos.

Estas ações trarão o diferencial da melhor articulação proporcionada pela Câmara de Inovação, que terá o papel de encontrar as sinergias entre os diversos atores do governo, permitindo o desenvolvimento de políticas mais eficientes e com melhores resultados. “Esperamos que o novo modelo de governança proposto pela Política Nacional de Inovação garanta que se torne uma política de Estado e contribua para uma mudança de paradigma na gestão das políticas de inovação no Brasil”, afirma Paulo Alvim.

Startup byebnk recebe aporte da Via e leva tecnologia para mercado financeiro

Startup de investimentos em criptomoedas descentraliza e simplifica acesso a moedas virtuais com inovação, informação e educação financeira; plataforma amplia atuação

O aporte da Via – a antiga Via Varejo – na startup de investimentos em criptoativos byebnk não foi à toa. A startup domina uma tecnologia de vanguarda – a blockchain – capaz de mudar profundamente o mercado financeiro. “Queremos cuidar do ativo mais valioso do investidor – seu tempo. Por isso criamos uma plataforma simples, direta e rápida”, diz Rodrigo Carneiro, sócio da byebnk.

Para a Via, detentora da conta digital banQi, a participação na byebnk é estratégica para o fortalecimento e diferenciação dos varejistas concorrentes. “A Via embarcou no propósito de educação financeira da byebnk e na inovação nesse mercado tão conservador. Acreditamos no poder de transformação da economia comportamental e queremos impactar a realidade das pessoas”, afirma o publicitário.

A byebnk foi criada em 2020, quando o especialista em finanças Bruno Capelão e o advogado Theo Lamounier perceberam as dificuldades e dúvidas que os amigos tinham para investir em criptomoedas. “A partir daí, decidiram dividir o conhecimento com outras pessoas e descentralizar os serviços através de tecnologia de ponta e com uma plataforma própria, sem interferências externas em relação aos produtos oferecidos”, conta Carneiro, que se juntou à dupla.

Com R$ 500, o cliente já consegue criar uma carteira e investir no mercado de ativos digitais, com apoio dos especialistas da byebnk e acompanhamento das transações pelo app. No primeiro ano, a startup conquistou 10 mil usuários e estima chegar a 700 mil clientes, com movimentação de R$ 3,5 bilhões até 2025, ao lado da Via.

Após o aporte, a byebnk se prepara para ampliar a atuação e ser também uma facilitadora de pagamentos internacionais. “Nascemos para ser uma plataforma de investimentos acessível e transparente, que conecta os clientes de uma maneira mais simples e rápida, por um Pix, aos principais ativos globais”, afirma Carneiro.

Tags,

Empresas de tecnologia de Campinas oferecem 115 vagas para efetivos e estagiários de todo o Brasil

Vagas são para as áreas administrativa, comercial, marketing, negócios, recursos humanos e TI

As empresas de tecnologia Sensedia, Icaro Tech e Sofist, sediadas em Campinas, oferecem, no total, 115 vagas de trabalho e estágio para todo o Brasil. As três empresas são certificadas pelo Instituto Great Place to Work (GPTW), as vagas são para a modalidade home office e estão abertas, também, para pessoas com deficiência (PCD). 

Na Sensedia, multinacional brasileira de tecnologia e inovação, estão disponíveis 60 vagas, a maior parte para profissionais da área de tecnologia, que poderão atuar em consultoria, engenharia de produtos, suporte e operações. Mas a empresa também está em busca de talentos para as áreas administrativa, recursos humanos, vendas e marketing, e o modelo de trabalho pode ser full home office. 

A empresa oferece benefícios como plano de saúde e odontológico, vale alimentação, vale refeição, auxílio creche, seguro de vida, participação nos lucros e resultados e parceria com plataforma de bem-estar físico. Todas as oportunidades estão abertas para pessoas com deficiência (PCD) e as vagas podem ser acessadas no site: https://br.sensedia.com/sensedia-career#Carrers 

A Icaro Tech, empresa de tecnologia especializada em transformação digital através da automação, oferece 40 vagas de trabalho. As vagas abertas são para o time de engenharia de software e TI, que inclui desde analistas de sistemas e de suporte, desenvolvedores de software e arquitetos de solução, e para o time Comercial. 

No momento, há vagas para os seguintes cargos efetivos: Account Executive; Analista de Dados; Analista de Sistemas; Analista de Suporte; Desenvolvedor de Software; Desenvolvedor Fullstack; Tech Lead de Automação de Sistemas; Tech Lead de ITSM e UX Writer para trabalhar com chatbots. A Icaro Tech também possui um programa de estágio, realizado por meio de parcerias com universidades e instituições de ensino técnio, focado em pessoas cursando Engenharia da Computação, Ciência da Computação e afins. Todas as vagas contam com a possibilidade de trabalho remoto e também o modelo híbrido, com acesso aos escritórios das cidades de São Paulo, de Campinas e também do Rio de Janeiro.

Dentre os benefícios oferecidos estão: plano de saúde e odontológico, vale alimentação, vale refeição, auxílio educação para cursos de graduação e pós-graduação, bolsa de idiomas, auxílio home-office, auxílio creche, seguro de vida, participação nos lucros e resultados, dentre outros. Todas as vagas estão abertas para pessoas com deficiência (PCD) e os interessados podem acessar a página da empresa na plataforma Gupy neste link: icarotech.gupy.io.

A Sofist, consultoria ultra especializada em qualidade de software, está com 15 vagas abertas. A empresa oferece vagas para as áreas de testes humanos, testes automatizados, testes de performance e também para a área de negócios.

As áreas de testes contam com posições tanto para analistas como para coordenação e os conhecimentos técnicos exigidos variam de acordo com a especialidade e o perfil do cargo. Entre os requisitos estão aspectos como experiência no desenvolvimento de testes automatizados, conhecimento em técnicas de testes exploratórios e criação e execução de testes de performance. Já para a área de negócio, a empresa procura profissionais com experiência em redação de textos para posições em produção e revisão de conteúdo e para a área de pré-vendas. Todas as vagas são para o modelo home office. 

Entre os benefícios a empresa oferece plano de saúde e odontológico, vale alimentação, vale refeição, auxílio home-office, auxílio creche, seguro de vida, participação nos lucros e resultados, horário flexível, licença maternidade e paternidade estendida, parcerias com plataformas que promovem o bem-estar físico e mental do colaborador, programas de desenvolvimento profissional, entre outros. Todas as vagas estão abertas para pessoas com deficiência (PCD) e os interessados podem acessar a página da empresa na plataforma Gupy neste link: https://vemprasofist.gupy.io/

Investimento-anjo aquecido: 18 redes tiveram crescimento de 76% e projetam investir R$ 80 milhões em 2021

Os investidores anjos brasileiros estão animados com o setor de startups. Um levantamento feito por um grupo de líderes de redes de anjos apontou que somente no primeiro semestre deste ano foram investidos R$ 39,9 milhões em startups brasileiras. A projeção do grupo, que reúne 18 das maiores redes de investidores anjos do país, é de que se feche 2021 com R$ 80 milhões em investimento. Um crescimento de 76% em relação a 2020, quando foram investidos R$ 45,2 milhões. 

Não só o volume de investimento vem crescendo, mas o número de investidores anjo atuando nessas redes também cresceu. O estudo mostra que 344 startups foram investidas desde a criação das redes que, hoje, contam com 2560 investidores e um crescimento de 29% no número de investidores em relação a 2020. 

De acordo com Maria Rita Spina Bueno, diretora executiva da Anjos do Brasil e fundadora desse grupo de líderes de redes, o sucesso dos números se deve à cooperação entre as redes. “Estes resultados mostram a importância das redes para o ecossistema de investimento anjo. Criado em 2017, o grupo tem apoiado o surgimento de novas redes de investidores anjo, que proporcionam um ambiente de boas práticas e de acesso a diversas oportunidades para os investidores, que se tornam mais ativos e conseguem efetuar uma alocação de capital mais eficiente. Além disso, temos viabilizado muitos aportes a partir do co-investimento entre nossas redes parceiras”, declara. 

Outro dado que chama atenção no levantamento é o aumento do valor investido, que cresceu 35% em relação ao ano passado. Em média, cada investidor aporta R$ 34 mil, com um valor máximo de R$ 100 mil e mínimo de R$ 15 mil. Quando se fala de rede, a média aportada fica entre R$ 400 mil e R$ 800 mil, com um ticket máximo de R$ 1,5 milhões e um mínimo de R$ 200 mil. 

Entre os setores mais investidos estão agritechs, edtechs, fintechs, food techs, adtechs, newstec, construtech, lawtech, impacto socioambiental, varejo e e-commerce.

Vale ressaltar que o levantamento tem como universo de pesquisa e demonstra os investimentos feitos pelas redes Anjos do Brasil, BR Angels, Bruin Angels, Curitiba Angels, EA Angels, FEA Angels, Gávea Angels, GR8 Ventures, GV Angels, Hangar8 Capital, Insper Angels, LAAS, MIT Alumni Angels, NYU Angels,  Poli Angels, UNI Angels, Urca Angels e Wharton Alumni Angels.

Ele representa uma parte do mercado brasileiro, que também é composto por redes menores e investidores independentes. 

Tags,

Sprout, aplicativo que permite investir nos EUA, recebe aporte de R﹩ 30 milhões para iniciar operação na América Latina

A Sprout, aplicativo brasileiro que permite investir no mercado de ações dos Estados Unidos e funciona como rede social, recebe aporte de R﹩ 30 milhões para impulsionar o início da sua operação na América Latina. O investimento foi realizado pela aceleradora Y Combinator e pelas companhias Public.com e Sound Ventures, Liquid2, Geometry Ventures, HOF Capital, Quiet Ventures, First Check Ventures, Investo e The Marathon Lab. A startup também recebeu recursos de Oliver Jung, famoso por apoiar empresas como Uber, Nubank, Brex e WeWork, Ricardo Weder, da retailtech Justo, Brian Requarth, do site Viva Real, Zach Sims, da edtech CodeAcademy, Parker Treacy, da startup de logística Cobli, e Vinicius Correa, Manoela Mitchell e Thiago Torres, fundadores da healthtech Pipo Saúde.

Com a possibilidade de aplicação inicial a partir de uma quantia tão baixa quanto USD 1 e sem taxas de manutenção de conta ou corretagem, a Sprout vai oferecer aos latinoamericanos acesso a mais de 4.000 ações e ETFs americanos. Outro diferencial é que também vai funcionar como uma rede social por meio da qual os usuários poderão trocar ideias de investimento, se conectar com perfis de interesse e interagir em grupos específicos. Na plataforma, especialistas da Sprout vão, ainda, compartilhar notícias relevantes sobre o mercado financeiro dos EUA.

Os fundadores da Sprout são os americanos Ruben Guerrero, que acumula mais de 15 anos de experiência em bancos e fintechs como Goldman Sachs, E*Trade Financial e Xerpa, e Tyler Richie, primeiro cientista de dados do Nubank que também trabalhou na fintech TenX, em Cingapura.

Uma missão: democratizar o investimento

O objetivo dos dois empreendedores ao criar a Sprout foi facilitar o acesso e disseminar conhecimento sobre investimentos em toda a América Latina. A atuação da empresa visa eliminar os dois maiores entraves para investir — o acesso e o desconhecimento. “Não precisa ser rico para investir”, diz Guerrero, que também é CEO da companhia e atualmente reside no Brasil. “Além de poder começar com pouco, o cliente vai ter à disposição na plataforma conteúdos de educação financeira e poderá trocar experiências com outros usuários de todo o continente.”

Para Guerrero, a interação e a discussão fomentam o conhecimento e até o mercado sai ganhando com isso. “Ao permitir que os usuários acompanhem o comportamento de cada um e compartilhem ideias sobre onde investir ou não, a consciência sobre o assunto é ampliada”, diz. “Quanto mais sábio o investidor, mais ele ganha em retorno e o mercado fica mais maduro.”

Ainda em fase inicial de testes, a empresa oferece, por enquanto, seus serviços apenas para clientes convidados e permite um cadastro para uma lista de espera em seu site . Nos próximos meses, pessoas de toda a América Latina poderão abrir uma conta gratuita que permitirá acesso a diferentes opções de planos.

IBM Watson lança novos recursos de IA e Automação para transformar o Atendimento ao Cliente

A IBM anunciou o lançamento de novos recursos de Inteligência Artificial (IA) e automação no IBM Watson Assistant, desenhado para tornar mais fácil para as empresas criarem melhores experiências de atendimento ao cliente em qualquer canal.

Os assistentes virtuais estão ganhando popularidade devido às melhorias contínuas no processamento de linguagem natural (PLN) e na automação. De acordo com o Global AI Adoption Index¹ 2021 da IBM, 52% dos profissionais de TI entrevistados globalmente relataram que suas companhias estão usando ou considerando usar soluções de PLN para melhorar a experiência do cliente.

A IBM está adicionando novos recursos ao Watson Assistant, seu assistente virtual inteligente, para ajudar as empresas a usar inteligência artificial e PLN para resolver os problemas do cliente no primeiro contato. O Watson Assistant é desenhado para fornecer aos clientes respostas rápidas e precisas por telefone, SMS, web ou qualquer plataforma de mensagens, e transferir diretamente para um agente ativo quando um suporte adicional for necessário. Os novos recursos incluem:

• Ajudar os clientes a resolver problemas no primeiro contato com o Watson Assistant Search Skill: o recurso Search Skill do Watson Assistant agora inclui a recuperação de respostas curtas, que se baseia em um sistema inovador de perguntas e respostas (QA) do IBM Research. Isso permite que o agente virtual retorne com uma resposta, em poucas palavras, a partir de frases ou passagens mais longas, e forneça um contexto sobre a origem da resposta. A Extração de FAQ agora também está disponível no Search Skill. A Extração de FAQ foi criada para ajudar os administradores a manter o agente virtual atualizado com fontes de informação mais amplas, sem necessidade de realizar atualizações manuais constantemente.

• Facilitar uma transferência sem interrupções com o novo Agent App: o novo recurso Agent App do Watson Assistant foi desenvolvido para ajudar os agentes de atendimento ao cliente a interagir com o consumidor exatamente de onde o agente virtual parou. Quando um cliente liga, os modelos de detecção de voz da IBM, que são desenhados para fornecer transcrições mais precisas e prontas para usar, fornecem uma transcrição quase em tempo real da conversa. Quando a transferência ocorre, o novo Agent App fornece ao agente de atendimento a última transcrição diretamente na tela. Isso significa que os clientes não precisam repetir suas perguntas e os agentes têm autonomia para resolver os problemas ainda mais rápido.

• Adicionar recursos de voz para o Watson Assistant: o IntelePeer Atmosphere Communications Platform-as-a-Service agora está disponível² como um complemento no Watson Assistant para que os usuários com o plano Plus e Empresarial possam configurar rapidamente recursos de voz e um novo número de telefone para um agente virtual. Se as empresas já tiverem um sistema telefônico de centro de contato existente a IntelePeer também pode fornecer a conexão entre o Watson Assistant e o sistema telefônico existente usando os padrões da indústria. Utilizando o IntelePeer, o Watson Assistant agora pode conectar quase todas as principais plataformas de centro de contato que usam o protocolo SIP em apenas meia hora, sem codificação.

“Um desafio crítico enfrentado por quase todas as empresas hoje é a necessidade de melhorar a comunicação com seus clientes e funcionários, em todos os canais”, disse Daniel Hernández, Gerente Geral de Dados e Inteligência Artificial da IBM. “Estamos constantemente lançando inovações em processamento de linguagem natural, automação e uma IA responsável avançada, e construindo um ecossistema aberto e robusto com parceiros como a IntelePeer, para ajudar as empresas a transformarem o cuidado com o cliente com o Watson Assistant.”

Além desses novos recursos anunciados hoje, a IBM divulgou que organizações de todos os tamanhos se voltaram para o Watson Assistant para ajudá-los a resolver os problemas dos clientes diante do aumento do volume de chamadas. Por exemplo, a TIM Brasil trabalhou com a IBM para transformar seus fluxos de atendimento ao cliente. Juntos, implementaram um assistente virtual equipado com IA para ajudar a lidar com o alto volume de chamadas, mantendo a satisfação do cliente, reduzindo custos e liberando os atendentes do call center para atividades de maior valor. O assistente virtual da TIM usa o IBM Watson Assistant na IBM Cloud para processar interações de linguagem natural, respondendo por voz em tempo real às perguntas ou problemas do consumidor sobre questões como benefícios de planos e pagamentos de contas. Quatro meses depois de aumentar o número de agentes humanos de atendimento ao cliente com o agente virtual, a taxa de contenção da TIM aumentou para 75% e a resolução na primeira chamada aumentou em 85%.

Alfa investirá R$ 600 milhões em startup E-ctare

O Alfa Collab, programa de inovação aberta do Conglomerado Alfa, acaba de fechar o primeiro acordo de investimento com uma startup, trata-se da E-ctare, plataforma digital que fornece soluções inovadoras para o agricultor. Com previsão de atingir até R$ 600 milhões em três anos, o Alfa passa a operar a estruturação da carteira digital para alavancar a plataforma da agrofintech e, consequentemente, fornecer melhorias aos clientes. 

Fundada em 2017, a E-ctare é uma agrofintech voltada para soluções de crédito para produtores rurais e toda a cadeia do agronegócio, visando garantir aos seus clientes maior liquidez e preços justos em suas operações. No modelo de negócio da empresa, além de trazer uma forma inovadora de empréstimos para agricultores, disponibiliza em uma mesma plataforma, de modo simples e descomplicado, todas as operações que os clientes precisam para suas atividades, como antecipação de recebíveis, venda de produtos, entre outros. 

Francisco Perez, diretor de Novos Negócios, responsável pelo Hub de Inovação Alfa Collab e pela Área de ESG do Alfa explica que “a E-ctare é a primeira empresa participante do programa Alfa Collab a receber um investimento para consolidar os seus negócios e, assim, o objetivo do Alfa é que essas operações ocorram em prol do avanço das soluções inovadoras das startups pertencentes ao hub, que já conta com 16 empresas”. “Além disso, com este movimento, cumprimos um dos objetivos principais do Hub, que é o de fomentar startups com potencial de transformação em setores estratégicos ao Alfa e para a economia nacional”, ressalta Perez. 

Já o CEO e sócio fundador da E-ctare, Marcell Salgado, destaca que desde a fundação da empresa ocorreram cerca de R$ 200 milhões em transações na solução tecnológica e a estimativa é que, com o investimento do Alfa, esse valor ultrapasse R$ 5 bilhões nos próximos três anos. “A nossa cultura traz informações e soluções inteligentes para beneficiar o homem no campo, principalmente no setor da cafeicultura e leiteiro. Assim, o nosso objetivo é incentivar o crescimento dessa cadeia com mais possibilidades e ofertas de serviços tecnológicos que facilitem os afazeres diários dos nossos clientes. E, sem dúvidas, que todo o suporte do Alfa Collab tem contribuído muito para avançarmos e,  agora, com essa novidade, irá potencializar ainda mais os nossos trabalhos”.

Salgado comenta, ainda, que tanto ele, quanto o outro sócio investidor da startup, Fernando Alvarenga, são oriundos do setor de agricultura, algo que foi fundamental para a criação das soluções ofertadas pela empresa, pois a larga experiência que possuem lhes permitiu formatar as inovações levando em consideração as exatas necessidades dos produtores.    

Inovações oferecidas pela empresa

No sistema da E-ctare, que funciona no formato de aplicativo, os clientes contam com uma carteira digital, denominada E-ctare Pay, que oferece uma série de serviços e soluções inteligentes e alinhadas às necessidades específicas dos produtores. No app, os clientes podem efetuar diversas operações, como a antecipação de recebíveis e cotações, por exemplo. Além disso, quando o produtor solicita o crédito, ele entra diretamente no E-ctare Pay e permite a realização de TED´s, pagamentos de boletos, entre outros.  

Atualmente, a startup atua nas culturas de café e leite e oferece em sua plataforma uma série de serviços que simplificam e desburocratizam todo o processo de produção, estoque e venda dos produtos. Contudo, a estratégia da empresa é expandir sua atuação para outros segmentos, como o setor de grãos, por exemplo, que possui muita sinergia com as culturas nas quais já atua.   

Tags

Accenture anuncia intenção de adquirir Experity para expandir plataforma de experiências e comércio na América Latina

A Accenture (NYSE: ACN) confirma a intenção de adquirir a Experity, empresa de experiência do consumidor e soluções de e-commerce baseadas em nuvem. A Experity ajuda empresas a oferecer mais agilidade e eficiência a seus clientes no comércio eletrônico, marketing, conteúdo e dados por meio das principais plataformas baseadas em nuvem.

Acelerados pela pandemia, os gastos com comércio eletrônico do Brasil atingiram níveis históricos – quase US$ 10 bilhões nos primeiros seis meses do ano – e levaram as marcas a repensar rapidamente sua experiência de comércio. Combinada com a escala global e as capacidades da Accenture Interactive, a Experity ajudará a aumentar a capacidade da companhia de oferecer experiências integradas e centradas no cliente.

Cristiano Dencker, líder da Accenture Interactive na América Latina, disse: “A Experity vai solidificar e dar escala aos nossos serviços transformacionais guiados por experiências integradas que oferecemos a diversas indústrias e em toda a América Latina. Reforçamos nossas parcerias com as mais importantes empresas do ecossistema que, com inovação e integração de tecnologias de personalização, redefinem a interação das marcas com seus clientes”.

Fundada em 2003 e sediada em São Paulo, a Experity oferece serviços de consultoria, implementação e suporte para as principais plataformas baseadas em nuvem. Por meio de parceiros estratégicos como Salesforce, Adobe, Oracle, SAP e Microsoft, a empresa ajuda as organizações na oferta de soluções de relacionamento digital e transformacional com seus clientes.

Por onze anos consecutivos, Experity foi reconhecida como uma das Melhores empresas para quem trabalha com TI no Brasil. Aproximadamente 420 especialistas em experiência do consumidor, engenheiros de nuvem, cientistas de dados e consultores se juntarão à Accenture Interactive no País. A chegada desses novos profissionais trará escala e habilidades mais robustas para a oferta integrada de soluções de experiência do cliente baseadas na nuvem para marcas/empresas líderes de mercado como, por exemplo, bens de consumo e recursos naturais.

“A Experity é a escolha certa para clientes em busca de agilidade e tecnologia para a construção de experiências diferenciadas aos clientes. Unir-se à Accenture Interactive nos dará ainda mais opções para expandir nossa visão e entregar a transformação que os nossos clientes desejam em termos de experiências personalizadas e inteligentes ꟷ em qualquer lugar e a qualquer momento”, afirma Daniel Huallem, um dos cinco fundadores da Experity.

“As marcas de hoje precisam entregar experiências cada vez mais humanas e baseadas em dados por meio de plataformas conectadas, uma vez que o consumidor demanda experiências digitais totalmente integradas. Ao trazer a Experity para a Accenture Interactive, seguiremos aprimorando nossa capacidade de ajudar o crescimento dos clientes e garantir o sucesso no longo prazo”, afirma Flaviano Faleiro, presidente da área de Growth Markets da Accenture Interactive.

Os termos da transação não foram divulgados. A conclusão do processo de aquisição está sujeito às regras do mercado.

Diversidade e inclusão impactam positivamente o employer branding das organizações

Estudo publicado pela Harvard Business Review aponta que times diversos e com voz ativa nas empresas são 3,5 vezes mais inovadores

Empresas que apostam em times diversos e inclusivos em suas campanhas internas junto aos funcionários têm se tornado mais colaborativas. É o que aponta o estudo How Diversity Can Drive Innovation, publicado pela Harvard Business Review. Segundo a pesquisa, times diversos e com voz ativa dentro das organizações tem se tornado 3,5 vezes mais inovadores .

Para a Laura Dias, Coordenadora de Gente na Convenia , Hrtech com soluções voltadas para otimização de tempo e custo para as empresas, a área de gestão de pessoas desempenha papel fundamental para a promoção da diversidade dentro das instituições. “As práticas de diversidade começam no RH, mas elas precisam se ramificar por toda a empresa”, aponta.

Rafaela Frankenthal, cofundadora da SafeSpace, acredita que antes de adotar estratégias, as organizações precisam compreender que essas práticas vão muito além do processo de contratação. “É preciso considerar toda a jornada da pessoa colaboradora, não apenas na jornada de recrutamento, que é a primeira luz que acende quando se pensa em diversidade”, salienta. Ela aponta ainda que os departamentos pessoais devem se atentar para as iniciativas educativas, as quais podem prevenir problemas de comportamento, como assédio, discriminação e bullying, por exemplo. “É importante incentivar o processo de aprendizado de forma constante”, afirma.

Além dessas práticas, outro ponto elencado pelas especialistas, que contribuem para o employer branding das organizações, está relacionado à escuta ativa dos colaboradores. “Se você não escuta as pessoas dentro da sua empresa, é difícil compreender o que os colaboradores pensam. Por isso, precisamos estar no lugar de escuta ativa, um lugar genuinamente aberto a escutar o que a pessoa vai trazer e pensar insights no próprio RH para criar as ações”, menciona Laura.

Entre os benefícios de construir um ambiente saudável, elas mencionam o fato de que quanto mais diverso e inclusivo for o ambiente de trabalho, mais fácil será atrair e reter talentos, além de aumentar o engajamento das equipes. Sendo assim, Laura e Rafaela trazem algumas dicas que podem ajudar as empresas nesse processo:

1. Toda solução começa com um bom diagnóstico
Entenda o cenário e o contexto em que a sua organização está inserida, além de mapear ferramentas que possam contribuir para esse início. Converse com os colaboradores e busque informações sobre o tema. O diagnóstico é constante dentro do RH.

2. Defina estratégias e prioridades
Experimente e teste as experiências, entendendo quais são as prioridades da empresa. Leve em consideração o diagnóstico da organização.

3. Desenvolva uma comunicação ativa em toda a organização e constante
Seja transparente com processos, mudanças e desafios. Tenha um ciclo constante de comunicação com os times, via e-mail ou outros canais.

4. Comunique seus esforços de forma clara para o mercado e público externo 

Comunique da porta para fora aquilo que faz sentido da porta para dentro da empresa.

Healthtech cria tecnologia para apoiar pacientes em tratamento medicamentoso domiciliar

A SafePill , healthtech com foco no auxílio de pacientes em tratamento medicamentoso domiciliar, desenvolveu uma tecnologia própria para gestão de medicamentos de forma segura e efetiva. O intuito é oferecer um tratamento de assistência domiciliar, com autonomia e segurança aos pacientes e, dessa forma, contribuir para qualidade de vida das pessoas.

A healthtech oferece assistência completa e personalizada para aqueles que necessitam administrar medicamentos de uso contínuo, com uma tecnologia exclusiva de automação, onde os fármacos são distribuídos individualmente, em saches plásticos com informações sobre a validade e QR Code que possibilita a rastreabilidade dos medicamentos

Atualmente a SafePill oferece duas opções de serviços: o Standard com o valor de assinatura mensal à R﹩34,50; e a versão Premium com o custo de R﹩54,90 por mês. Em ambos, o paciente recebe em sua casa o box SafePill, com os medicamentos agrupados individualmente, por dia, dose e horário para 30 dias em ordem cronológica.

Após adesão, o primeiro mês é gratuito e inclui: atendimento farmacêutico por telefone ou chat, revisão farmacoterapia e frete incluso para a Grande São Paulo. Os pacientes contam ainda com o serviço de orientação médica por videoconferência.

A SafePill nasceu depois que os fundadores Arlei Alves e Felippe Carone observaram a necessidade do mercado por serviço de assistência a pacientes polifarmácia, que precisam administrar cinco ou mais medicamentos por dia. Diante desse cenário, o enfermeiro e o administrador de empresas deram início às operações em fevereiro deste ano.

Para Arlei, administrar vários medicamentos no dia a dia, com doses e horários corretos pode ser complexo, em especial para os idosos. “Fatores como embalagens, nomes parecidos, horários diferentes, bem como o processo de compra e controle da quantidade de medicamentos tornam a vida do paciente que utilizam mais de uma medicação ainda mais complexa”.

O enfermeiro também traz um alerta sobre a interação medicamentosa, considerada pelo Food and Drug Administration (FDA) a 4ª causa de morte nos Estados Unidos. No Brasil 23% das idas aos prontos-socorros está relacionada a interação inadequada entre fármacos. 10% consiste na ingestão simultaneamente de medicamentos com alimentos que podem causar riscos à saúde. “Por isso, contamos com uma equipe de farmacêuticos clínicos especializados que realizam uma análise prévia detalhada da medicação de cada paciente com a avaliação da farmacoterapia com indicação do melhor horário de administração, tempo de tratamento e orientações dos principais cuidados com a prescrição”, informa o especialista.

Este ano, a expectativa é alcançar a marca de 1 mil pacientes e, até 2023, cerca de 40 mil. Para isso, a startup conta com parcerias da indústria farmacêutica e operadoras de planos de medicamentos. Além de reunir mais de 4,4 milhões de reais em aportes financeiros de investidores como o Grupo Carone, um dos maiores varejistas do Brasil, e o Hospital Albert Einstein, onde a healthtech participa do Programa de Aceleração, da Eretz.bio.

Magalu chega aos 100 000 sellers no marketplace

O Magalu, maior ecossistema de varejo multicanal do país, bateu um novo recorde de sellers em seu marketplace no mês de setembro. São 100 000 vendedores que, juntamente com o Magalu, oferecem produtos de praticamente todas as categorias aos 33 milhões de clientes que, mensalmente, frequentam os canais digitais da companhia. Cerca de 40% desse total são os chamados Parceiros Magalu, pequenos e médios varejistas de todo o país,  até então totalmente analógicos, que ingressaram na plataforma da companhia após o início da pandemia de covid-19.

As mais de 1 400 lojas físicas do Magalu foram vitais para atingir esse patamar: atualmente,  são responsáveis por trazer seis a cada dez novos sellers do marketplace. Em agosto, a companhia lançou o projeto Agência Magalu, por meio do qual os vendedores passam a orientar o comércio local sobre as vantagens da digitalização e se tornaram um elo entre o seller e a plataforma. As lojas também passaram a funcionar como um ponto de entrada dos produtos vendidos pelos sellers. “Nossas lojas físicas hoje funcionam como agências dos Correios. Após serem deixados pelo seller em uma das lojas da rede, os produtos vendidos digitalmente entram em nossa malha logística”, diz  Leandro Soares, diretor-executivo de marketplace do Magalu. “Nos pontos físicos, o seller também pode tirar dúvidas e acessar serviços. Com isso, queremos que o varejista local veja nossa loja não como uma competidora, mas como  aliada para vender para todo o Brasil.”

A marca dos 100 000 sellers tem importância não apenas pela quantidade, mas pela qualidade dos varejistas que compõem o marketplace Magalu. Todos, sem exceção, são empresas ou empreendedores formais, ou seja, representam CNPJs verdadeiros e ativos verificados pela companhia. 

“A missão de digitalizar o varejo brasileiro passa, necessariamente, pela formalização do setor, que significa cumprir regras fiscais, sanitárias e de segurança”, afirma Soares.  “Isso é bom para o consumidor e para as empresas, que competem em pé de igualdade”, diz Soares. 

Para vender pela plataforma do Magalu, os varejistas também têm de aceitar as regras da companhia, que não aceita a venda de produtos sem a emissão de nota fiscal eletrônica e proíbe produtos piratas, falsificados e roubados. Essa política começa na entrada do seller no marketplace e é reforçada com o monitoramento contínuo dos produtos ofertados na plataforma. 

Atrativos e facilidades na digitalização

Com o Parceiro Magalu, o Magalu Pagamentos, o Magalu Entregas e os PDVs (pontos de vendas), o Magalu leva soluções de tecnologia e serviços para sellers que até então tinham operações 100% analógicas. As recém-lançadas maquininhas de cartão Magalupay permitem pagamento com cartão por aproximação e funcionam sem bobina de papel. A versão Smart do dispositivo permite vender os produtos do marketplace na loja física, com atualização de estoque automática, emissão de cupom fiscal, além da realização dos pagamentos.

Em parceria com a Hub Fintech, o Magalu oferece aos sellers uma conta digital PJ 100% gratuita. Com ela, é possível realizar PIX ilimitados, TEDs, pagamentos de boletos e depósito dos recebíveis. O sistema é totalmente integrado à plataforma da companhia. Os usuários recebem um cartão de crédito que também pode ser usado fora do ecossistema Magalu. Além disso, a empresa também conta com um sistema de crédito para os varejistas do marketplace. Com ele, os sellers podem realizar empréstimos de forma simples, sem necessidade de garantia e com taxas de juros competitivas. 

Com o Magalu Ads, os sellers terão mais possibilidades de dar destaque a seus negócios nos canais digitais da companhia. A plataforma abre a possibilidade do seller utilizar o tipo de publicidade mais adequado ao momento e ao produto que pretende promover. De branded content (publieditorial nos portais Canaltech, Steal de Look e Jovem Nerd) a Product Placement, com a Lu, maior influenciadora virtual do Brasil, usando produtos dos sellers em ações de marketing. 

BTG Pactual será o primeiro banco brasileiro a disponibilizar criptoativos nas plataformas de investimento

O BTG Pactual, maior banco de investimentos da América Latina, será a primeira instituição financeira no Brasil a oferecer acesso direto ao mercado cripto. Os clientes do banco poderão investir de forma simples, direta e segura, nas criptomoedas bitcoin e ether. A solução estará disponível de maneira gradual aos clientes do BTG Pactual digital e do BTG+, por meio da plataforma Mynt.

“Neste primeiro momento, teremos os dois principais ativos do mercado, mas vamos incluir outras criptos para negociação ao longo do tempo. Teremos uma plataforma completa com ativos baseados em blockchain. Além disso, a Mynt trará conteúdo com o objetivo de educar e informar os clientes sobre essa nova tecnologia”, diz André Portilho, head de Digital Assets do BTG Pactual.

Além de ser uma opção segura para acessar os mercados cripto, o BTG Pactual acredita que o suporte será outro diferencial do novo serviço: uma equipe própria estará à disposição para tirar todas as dúvidas dos clientes.

Estudando o tema desde 2017, o BTG Pactual foi pioneiro nessa área ao lançar em 2019 o ReitBZ, o primeiro security token emitido por um banco no mundo. Em abril deste ano, lançou também o primeiro fundo de bitcoin gerido por uma instituição financeira no Brasil. Esse lançamento, reforça e dá continuidade à estratégia do banco em facilitar o acesso aos clientes a essa nova tecnologia e classe de ativos.

O lançamento da Mynt, como braço do BTG Pactual na negociação de criptoativos, chegará para preencher parte do mercado que buscava essa solução de forma simples e segura, além de dar continuidade a estratégia do banco em facilitar acesso a essa tecnologia.

“Somos um banco completo. Aqui você consolida seus investimentos, tem conta corrente, cartão, e agora cripto”, enfatiza Portilho. “Estamos sempre acompanhando as novas tendências de tecnologia e investimentos no mundo e atentos às demandas dos nossos clientes. O BTG entendeu que havia uma grande oportunidade e lacuna no mundo de cripto. A Mynt chega para preenchê-la, oferecendo a funcionalidade com segurança e atendimento de qualidade, tudo isso com a robustez e credibilidade do maior banco de investimentos da América Latina”, conclui o executivo.

O serviço começa a funcionar para clientes do BTG Pactual já no início do próximo trimestre. Quem se cadastrar na landing page terá, em primeira mão, acesso à masterclass exclusiva sobre como começar a investir em criptomoedas, além de prioridade no lançamento da plataforma.

Tags,

Ranking IBEVAR-FIA divulga as empresas varejistas mais admiradas do Brasil

Há mais de 10 anos, o Instituto Brasileiro de Executivos de Varejo e Mercado de Consumo ( IBEVAR) e a FIA – Fundação Instituto de Administração se unem para responder a seguinte pergunta: Quais são as empresas varejistas mais admiradas do Brasil? Dessa forma, e com objetivo de reconhecer as companhias que mais se destacam no imaginário popular, o Ranking IBEVAR-FIA divulgou nesta quinta-feira (16), as empresas mais admiradas do varejo nacional pelos consumidores e pelos colaboradores.

Para Claudio Felisoni de Angelo, presidente do IBEVAR, mais importante que avaliar o faturamento, eficiência e crescimento das organizações, é entender como elas são vistas por seus clientes e funcionários. “Em épocas de crise, as palavras inovação, adaptação e reinvenção estão presentes diariamente na linguagem empresarial. Principalmente, considerando que a concorrência no varejo está cada vez mais acirrada, o que possibilita ao público escolher entre diversas marcas em diferentes segmentos. Dessa maneira, o Ranking IBEVAR-FIA tem como objetivo mostrar quais são as empresas que cativaram o consumidor ao longo do ano de maneira a colaborar com o desenvolvimento do setor”, comenta Felisoni.

Confira a lista completa das varejistas mais admiradas do Brasil em seus segmentos:

O Ranking IBEVAR-FIA trouxe a categoria das empresas mais admiradas pelos colaboradores como forma de medir sua satisfação nas empresas em que trabalham. De acordo com a metodologia do IBEVAR, toda a opinião dos colaboradores é considerada, seja elas negativas, neutras ou positivas. Abaixo, seguem as companhias premiadas:

1º lugar – Magazine Luiza

2º lugar – Lojas Zema

3º lugar – Móveis Gazin

Novas dimensões

Ainda neste ano, a edição contou com mais algumas novidades. Com a elaboração de mais quatro dimensões, que avaliam inovação, a presença das mulheres em altos cargos de liderança, os CEOs do Varejo mais presentes na mídia e as companhias com melhor reação/atendimento durante a pandemia, o Ranking IBEVAR-FIA se reconhece o esforço, empenho, criatividade e adaptabilidade das empresas frente à um mercado cada vez mais acirrado.

Abaixo, estão listadas as diferentes organizações que levaram os títulos em suas determinadas categorias:

Empresas com maior participação das mulheres em altos cargos de liderança, como, gerência, direção e conselho

1º lugar – Renner

2º lugar – Hering

3º lugar – Marisa

Empresas com melhor reação e atendimento durante a pandemia, na perspectiva do consumidor

1º lugar – Leroy Merlin

2º lugar – Mc Donald´s

3º lugar – Magazine Luíza

Inovação no Varejo (Categorias Vencedoras)

Sustentabilidade – Carrefour (Prêmio Destaque)

Inteligência de Dados – Leroy Merlin

Diversidade e Inclusão – Lojas Americanas

Varejo B2B – Pet2Pet

Varejo B2C – Grupo Soma

Personalização – Porto Belo

CEOs do Varejo mais presentes na mídia: Economia e Mercado

1º lugar – Frederico Trajano Inácio Rodrigues

2º lugar – Flávio Gurgel Rocha

3º lugar – Alexandre Tadeu da Costa

Metodologia

A pesquisa tem como base mais de um milhão de mensagens postadas nas redes sociais (textos e vídeos), somado ao banco de dados do IBEVAR, que possui mais de oito milhões de unidades de informação, compiladas todos os anos. Uma vez capturadas, essas mensagens (processo de amostragem aleatória) são decodificadas e recodificadas com códigos matemáticos específicos. Os elementos passam por um processo de mineração de dados (Data Mining) e os resultados são analisados semanticamente (Natural Language Processing).

Maior supermercado 100% online do país abre mais de 50 vagas de emprego

A shopper.com.br, maior supermercado 100% online do país, está com mais de 50 vagas abertas em diferentes áreas. As oportunidades são para Analista Administrativo(exclusivo para PCD), Analista de Contratos, Analista de Departamento Pessoal, Analista de Experiência do Cliente, Analista de Gestão do Estoque, Analista de Logística, Analista de Recrutamento e Seleção Sr, Analista de Relacionamento com o Cliente, Aprendiz, Assistente Financeiro, Comprador Jr, Coordenador de Facilities, Desenvolvedor Web Full Stack, Estagiário e Operador Jr. 

Os interessados em participar do processo seletivo e concorrer a uma vaga, que inclui oportunidade para trabalho presencial, remoto e também exclusivo para PCD, devem se inscrever por meio do site:  #SejaShopper (gupy.io). Atualmente, a shopper.com.br conta com mais de 600 colaboradores e, até o final do ano, pretende praticamente dobrar esse número. 

Crescimento também aliado à expansão

Junto com o investimento em captação de talentos, a shopper.com.br tem ainda investido seu crescimento na chegada a mais municípios. A startup expandiu seu negócio para mais 30 cidades de São Paulo somente no mês passado, refletindo assim a alta demanda pelo modelo de compra programada e expansão do varejo online. Até o final do ano, a expectativa é chegar a até 60 cidades no estado.  

Tags