Author admin

Nuvemshop compra a Edtech Ecommerce na Prática

A Nuvemshop, plataforma de e-commerce líder na América Latina com mais de 90 mil lojas, acaba de anunciar a compra do Ecommerce na Prática, maior comunidade e escola de e-commerce do mundo com mais de 40 mil alunos e que impacta com o seu conteúdo mais de 3 milhões de pessoas por semana. Após receber a rodada de investimento Series E de R$2,6 bilhões, adquirir a Mandaê (plataforma de logística) e lançar o Nuvem Pago (meio de pagamento próprio), a Nuvemshop continua ampliando o seu negócio e integra 100% a operação do Ecommerce na Prática. O objetivo é levar o potencial empreendedor para mais pessoas e continuar reduzindo as barreiras do empreendedorismo em toda a América Latina.

“Com essa aquisição, iremos entregar a solução completa aos lojistas, juntando tecnologia e educação com conteúdos exclusivos, além de um amplo ecossistema, em um só lugar. Assim, reafirmamos o nosso compromisso de sermos uma marca treinadora, que motiva e potencializa empreendedores desde o começo de suas jornadas”, afirma Luiz Piovesana, CMO da Nuvemshop. “Entendemos que compartilhar conhecimento vai muito além de uma estratégia de marketing de conteúdo. E como somos líderes em um mercado em ascensão – penetração do e-commerce no varejo brasileiro ainda é de quase 12% – acreditamos que a Educação é o motor para impulsionar essa vertical. Por isso, vamos ensinar e capacitar milhões de pessoas, de forma consistente, sobre empreendedorismo e e-commerce”.

Desde 2016, o Ecommerce na Prática tem a missão de promover o empreendedorismo em todo o Brasil por meio de treinamentos exclusivos e conteúdos gratuitos em múltiplas plataformas, transformando vidas e democratizando o acesso à educação empreendedora. Na visão de Bruno de Oliveira, CEO e fundador do Ecommerce na Prática, a aquisição da empresa pela Nuvemshop amplia ainda mais esse objetivo. “Sempre acreditei que o futuro do e-commerce seria a união entre educação e tecnologia, porque sabemos o quanto é desafiador conquistar resultados se as pessoas não tiverem conhecimento de como atingi-los. E é exatamente essa expertise que elas precisam e esperam de nós. Para consolidar e transmitir todo esse conhecimento, nada melhor do que juntar a maior escola e comunidade de e-commerce do mundo com a plataforma de e-commerce líder da América Latina. Estamos nos preparando hoje não só para o presente, mas para o futuro do nosso mercado”, ressalta.

Hub de Educação completo para empreendedores

Por meio dessa aquisição, a Nuvemshop dá mais um passo importante na direção de motivar, potencializar e ensinar as pessoas que querem desenvolver ou criar um negócio. O objetivo da companhia é garantir uma proposta de valor diferenciada para os empreendedores que estejam ou não dentro da plataforma, tornando o Ecommerce na Prática, que já é reconhecido no mercado, seu Hub de Educação com três diferentes níveis:

– Motivar e ensinar aqueles que querem tirar o sonho do papel e começar um negócio;
– Potencializar aqueles que já têm um negócio;
– Escalar o negócio daqueles que já têm grande potencial, como lojistas do Nuvemshop Empresarial, por exemplo.

Além disso, o Ecommerce na Prática já traz em seu portfólio programas de certificação de consultores e analistas de e-commerce, que também irão compor o Hub de Educação da Nuvemshop de uma forma ainda mais ampla e efetiva. Esses cursos capacitam milhares de pessoas para fazerem a gestão de um negócio, mas que, necessariamente, não precisam ser os proprietários. “Queremos não apenas capacitar, mas também fomentar o mercado de e-commerce, tanto no Brasil como em toda América Latina. E agora, junto com a Nuvemshop, iremos ampliar ainda mais os nossos esforços nessas frentes para atingir positivamente cada vez mais pessoas”, diz Bruno de Oliveira.

Com a compra do Ecommerce na Prática, a Nuvemshop mantém o seu objetivo global de continuar construindo o maior ecossistema de e-commerce da América Latina, entregando aos lojistas inúmeras ferramentas e aplicativos que potencializam o seu negócio. “A Nuvemshop nasceu com o DNA de plataforma aberta. Dessa forma, continuaremos somando outros parceiros para oferecer o maior ecossistema não só de ferramentas, mas também de conteúdo e de tudo que o empreendedor precisa. Afinal, nosso maior objetivo é o sucesso dos nossos clientes e a educação é uma alavanca gigantesca para que a gente consiga cumprir essa meta”, destaca Piovesana.

A aquisição faz parte do plano de expansão da Nuvemshop, que projeta um crescimento do negócio de mais de 20 vezes nos próximos 5 anos. “Uma plataforma de e-commerce ter um Hub de Educação é algo inédito. Contudo, nos tornamos pioneiros nesse movimento por entender a relevância do conhecimento para as pessoas que empreendem. Inclusive, para deixarmos essa frente ainda com mais força, o Bruno de Oliveira assume como vice-presidente de Educação da Nuvemshop”, ressalta Piovesana. “É com essa visão que continuaremos acelerando o e-commerce na América Latina, para que cada vez mais pessoas mostrem ao mundo do que são capazes”.

Startup de inovação tributária Incentiv.me recebe aporte de R$ 10 milhões em mega rodada de investimento-anjo

A startup de inovação tributária Incentiv . me acaba de receber um aporte de R$ 10 milhões, em uma mega rodada formada por mais de 250 investidores-anjo dos grupos Harvard Angels , Anjos do Brasil , BR Angels Smart Network , Insper Angels e Malbec Angels, além da organização social SITAWI Finanças do Bem e da Synthase Impact Ventures , holding de investimentos em negócios de impacto socioambiental.

Fundada em 2018, a startup faz o match entre projetos sociais que desejam captar recursos e empresas e pessoas físicas interessadas em investir seus impostos a partir de leis de incentivo fiscal. Assim, já viabilizou mais de 280 projetos sociais em todo o país, com R﹩ 88 milhões captados por meio de 35 leis de incentivo diferentes. Com o aporte, pretende desenvolver novos produtos e serviços, investir na expansão e na capacitação do time, além de aprimorar a tecnologia para superar R﹩1 bilhão por ano em captação para projetos sociais, a partir de 2024.

“Nós percebemos o gargalo que existe entre a aprovação de projetos financiados via leis de incentivo fiscal e a captação de recursos necessária para executá-los. Então resolvemos sanar uma dor coletiva, com soluções que facilitassem o trabalho de proponentes de todo o país e que, ao mesmo tempo, promovessem a responsabilidade social das empresas através da inovação e eficiência tributária. O aporte traz a possibilidade de ampliarmos a nossa atuação e o nosso time, que atualmente é de 80 pessoas, para gerar ainda mais impacto social”, conta Douglas Lopes, CEO da Incentiv.me.

Para Orlando Cintra, fundador e CEO da associação de investimento-anjo BR Angels, a startup promove o ESG nas companhias, além de mudanças fundamentais na sociedade. “A Incentiv.me conseguiu criar um ecossistema que supre as necessidades tanto das empresas que querem investir por meio de leis de incentivo fiscal, quanto dos projetos que precisam captar recursos. Tudo isso priorizando a transparência e acelerando o desenvolvimento social. O BR Angels acredita que esses fatores são cruciais para a construção de um país melhor e, por isso, decidiu integrar esse aporte”, declara.

“Acreditamos que, com a união das redes, será possível acelerar ainda mais contribuição e, dessa forma, conseguiremos facilitar o engajamento cívico e subsidiar o desenvolvimento de um terceiro setor responsável, eficiente, forte e independente” diz Claude Ricci, investidor líder da Anjos do Brasil e da Harvard Angels.

Com a Incentiv.me, os projetos sociais podem contar com a Captação de Recursos, solução em que uma equipe especializada acompanha toda a jornada de captação de funding, com Assessoria Administrativa para preenchimento da documentação extra necessária para o processo de incentivo e ainda com Assessoria de Comunicação e Marketing, que oferece suporte durante o processo de cadastro na plataforma Incentiv.me e proporciona melhorias no conteúdo textual e visual para otimizar a narrativa de venda do projeto.

Já as empresas investidoras têm à disposição o Mapa das Leis, que reúne informações de todas as leis de incentivo fiscal do Brasil em um banco de dados online; a Calculadora de Potencial, responsável por identificar o potencial total de impostos disponíveis, através de informações tributárias das companhias, para incentivar projetos sociais via leis de incentivo; e a Plataforma Marketplace, que automatiza parte do match entre as empresas e os projetos, enquanto a outra parte é feita por especialistas da Incentiv.me.

“O nosso foco é a democratização do acesso às leis de incentivos fiscais, aliada à eficiência e transparência na utilização do recurso público. Nossas ações possibilitam que o contribuinte destine parte de seus impostos para projetos em sua região, onde haja maior identificação. Além disso, geramos sustentabilidade financeira para projetos de impacto com a captação de recursos, permitindo que eles tenham foco para executar seus projetos com excelência, ampliar a qualidade da execução e, consequentemente, o impacto social gerado”, afirma a diretora B2B da Incentiv.me, Eloren Andreani.

As companhias também podem utilizar a Monitore ESG, ferramenta de transparência e gestão de investimentos que mensura o retorno gerado, e investir no Programa de Aceleração Social, que forma instituições sociais e negócios de impacto em temáticas que visam o desenvolvimento e profissionalização desse setor. A principal entrega do programa é o retorno social, já que será arrecadado no mínimo R﹩ 10 para as instituições selecionadas, a cada R﹩ 1 investido.

Dentre os principais clientes da startup estão empresas como a SulAmérica, IBM, Nubank, Electrolux, B3, Itaú, Mercado Livre, dentre outros. A plataforma da Incentiv.me possui atualmente o maior portfólio de proponentes do Brasil, com mais de 4.000 usuários cadastrados, 667 projetos aptos a captar recursos e 100 empresas investidoras.

“Não há como priorizar um setor da sociedade em detrimento dos demais. Por isso, apostamos na responsabilidade social plural, fazendo com que nossos clientes e parceiros invistam seus recursos e esforços em diferentes segmentos. Também defendemos a transparência e a gestão de resultados, proporcionando segurança para todos os envolvidos. A Incentiv.me já atende diversas multinacionais e tem planos de internacionalização. Nós enxergamos que muitos países, principalmente os latino-americanos, compartilham dores de mercado semelhantes com as do Brasil e, por isso, acreditamos que a nossa proposta de valor possui fit em escala global”, diz Thais Lopes Nicolau, COO da Incentiv.me.

ESG na mira dos investidores

Em três anos de atuação, a Incentiv.me entregou 780% de retorno financeiro (ROI) para os acionistas e 4.250% de retorno social (SROI) para os projetos. Isso quer dizer que para cada R﹩ 1 investido, a startup arrecadou R﹩ 42,50 para projetos de impacto, fomentando a governança corporativa e o caráter social das empresas investidoras. Até 2030, a Incentiv.me pretende movimentar R﹩ 10 bilhões para projetos sociais que colaborem com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da agenda 2030 da Organização das Nações Unidas (ONU), abraçando também o aspecto da sustentabilidade. Todos esses fatores colaboraram para a decisão de co-investimento dos grupos.

“A startup foi um dos primeiros investimentos que aconteceram pelo Insper Angels, que só foi possível graças ao apoio das demais redes que co-investiram conosco. O projeto tem um apelo diferenciado e gera impacto, o que acabou sendo ponto decisivo no processo de análise de investimento”, conta Vitor Kawamura, co-fundador e presidente do Insper Angels.

“Encontramos na Incentiv.me a combinação perfeita para uma startup: liderança high performance, market fit, disrupção, fase de scale up e o propósito de impactar socialmente milhares de pessoas através dos mais de 600 projetos cadastrados e validados. É a certeza que a sua doação tem o destino certo e que está fazendo a diferença para criar um mundo melhor”, diz Gabriel Domingos, co-fundador do grupo investidor Malbec Angels.

A Incentiv.me ainda firmou uma parceria com a SITAWI Finanças do Bem para levantar um empréstimo subsidiado com objetivo de alavancar a expansão. A iniciativa possibilita que pessoas físicas de todo o país invistam na startup a partir de R﹩ 10 reais. A meta de captação para esta próxima rodada é de R﹩ 1 milhão.

“Ter a Incentiv.me como uma das organizações do nosso portfólio só fortalece a missão da Plataforma de democratizar o investimento com propósito para investidores que antes não tinham acesso a esse tipo de oportunidade com rentabilidade financeira”, diz Bruno Girardi, Gerente de Investimento de Impacto da SITAWI Finanças do Bem.

“Como investidores focados em impacto socioambiental positivo, buscamos empresas que tenham sido originadas com o intuito de resolver um problema social ou ambiental e que tenham essa visão intrínseca à estratégia de negócio. Nesse aspecto, a decisão de investir na Incentiv.me foi muito rápida. O seu modelo de negócios representa o que acreditamos ser o principal agente transformador que a nossa sociedade tanto precisa, já que potencializa o fluxo de capital privado para fins sociais, suprindo o que o estado não tem capacidade de executar sozinho”, finaliza Rodrigo Hlavnicka, co-fundador e gestor da Synthase Impact Ventures.

Tags

Huawei promove feira online de empregos e estágios na área de Tecnologia da Informação e Comunicação

Há 23 anos no Brasil, a Huawei já capacitou mais de 30 mil profissionais no País, nos últimos 5 anos, e gera milhares de empregos diretos e indiretos no Brasil na área de tecnologia da informação e comunicação (TIC). Como parte da estratégia de contribuir para a transformação digital do País, a empresa sedia o Huawei ICT Job Fair. Essa é a segunda edição da feira online e gratuita, que no ano passado ofertou mais de 150 vagas entre empregos e estágios para estudantes e profissionais do setor de TIC. Durante a feira, as empresas irão divulgar as vagas e explicar como funcionam seus processos seletivos para emprego e estágio, perfis buscados e como concorrer a essas oportunidades. O evento será realizado nos dias 6, 7 e 8 de dezembro, das 15h às 17h, com transmissão pelo canal da Huawei Brasil no YouTube.

Para este ano, são esperadas 14 empresas, entre elas a Zoom tecnologia, SND Distribuição, Agora Soluções e Avantia Tecnologia e Engenharia. O evento contará ainda com a participação da Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom), divulgação da plataforma de talentos da Huawei e a presença do aluno destaque do ICT Competition, programa da Huawei que ajuda estudantes a aprimorarem seus conhecimentos em TIC.

Segundo estudo da Brasscom, 420 mil novos trabalhadores de TIC seriam demandados pelo setor entre 2019 e 2024, no Brasil, o que significa uma média de 70 mil por ano. Entretanto, apenas 46 mil têm sido formados anualmente. “Considerando esse grande gap a ser preenchido no mercado de tecnologia do nosso País e o sucesso da edição anterior da Huawei ICT Job Fair, esperamos que neste ano ainda mais oportunidades sejam oferecidas”, destaca Bruno Zitnick, diretor de Relações Públicas e Governamentais da Huawei no Brasil.

Huawei ICT Job Fair
Data
: 6, 7 e 8 de dezembro de 2021 (segunda-feira, terça-feira e quarta-feira)
Horário: das 15h às 17h (horário de Brasília)
Transmissão: pelo canal da Huawei Brasil no Youtube.
Para participar, basta acompanhar a transmissão.

Tags

Startup de ESG Incentiv.me recebe R$ 10 milhões em mega rodada de investimento-anjo

A startup de ESG e inovação tributária Incentiv.me acaba de receber um aporte de R$ 10 milhões, em uma mega rodada formada por mais de 250 investidores-anjo dos grupos Anjos do Brasil , BR Angels Smart Network , Harvard Angels , Insper Angels e Malbec Angels, além da organização social SITAWI Finanças do Bem e da Synthase Impact Ventures , holding de investimentos em negócios de impacto socioambiental.

Fundada em 2018, a startup faz o match entre projetos sociais que desejam captar recursos e empresas e pessoas físicas interessadas em investir seus impostos a partir de leis de incentivo fiscal. Assim, já viabilizou mais de 280 projetos sociais em todo o país, com R$ 88 milhões captados por meio de 35 leis de incentivo diferentes. Com o aporte, pretende desenvolver novos produtos e serviços, investir na expansão e na capacitação do time, além de aprimorar a tecnologia para superar R$ 1 bilhão por ano em captação para projetos sociais, a partir de 2024.

“Nós percebemos o gargalo que existe entre a aprovação de projetos financiados via leis de incentivo fiscal e a captação de recursos necessária para executá-los. Então resolvemos sanar uma dor coletiva, com soluções que facilitassem o trabalho de proponentes de todo o país e que, ao mesmo tempo, promovessem a responsabilidade social das empresas através da inovação e eficiência tributária. O aporte traz a possibilidade de ampliarmos a nossa atuação e o nosso time, que atualmente é de 80 pessoas, para gerar ainda mais impacto social”, conta Douglas Lopes , CEO da Incentiv.me.

Para Orlando Cintra, fundador e CEO da associação de investimento-anjo BR Angels, a startup promove o ESG nas companhias, além de mudanças fundamentais na sociedade. “A Incentiv.me conseguiu criar um ecossistema que supre as necessidades tanto das empresas que querem investir por meio de leis de incentivo fiscal, quanto dos projetos que precisam captar recursos. Tudo isso priorizando a transparência e acelerando o desenvolvimento social. O BR Angels acredita que esses fatores são cruciais para a construção de um país melhor e, por isso, decidiu integrar esse aporte”, declara.

“Acreditamos que, com a união das redes, será possível acelerar ainda mais contribuição e, dessa forma, conseguiremos facilitar o engajamento cívico e subsidiar o desenvolvimento de um terceiro setor responsável, eficiente, forte e independente” diz Claude Ricci, investidor líder da Anjos do Brasil e da Harvard Angels.

Com a Incentiv.me, os projetos sociais podem contar com a Captação de Recursos, solução em que uma equipe especializada acompanha toda a jornada de captação de funding, com Assessoria Administrativa para preenchimento da documentação extra necessária para o processo de incentivo e ainda com Assessoria de Comunicação e Marketing, que oferece suporte durante o processo de cadastro na plataforma Incentiv.me e proporciona melhorias no conteúdo textual e visual para otimizar a narrativa de venda do projeto.

Já as empresas investidoras têm à disposição o Mapa das Leis, que reúne informações de todas as leis de incentivo fiscal do Brasil em um banco de dados online; a Calculadora de Potencial, responsável por identificar o potencial total de impostos disponíveis, através de informações tributárias das companhias, para incentivar projetos sociais via leis de incentivo; e a Plataforma Marketplace, que automatiza parte do match entre as empresas e os projetos, enquanto a outra parte é feita por especialistas da Incentiv.me.

“O nosso foco é a democratização do acesso às leis de incentivos fiscais, aliada à eficiência e transparência na utilização do recurso público. Nossas ações possibilitam que o contribuinte destine parte de seus impostos para projetos em sua região, onde haja maior identificação. Além disso, geramos sustentabilidade financeira para projetos de impacto com a captação de recursos, permitindo que eles tenham foco para executar seus projetos com excelência, ampliar a qualidade da execução e, consequentemente, o impacto social gerado”, afirma a diretora B2B da Incentiv.me, Eloren Andreani.

As companhias também podem utilizar a Monitore ESG, ferramenta de transparência e gestão de investimentos que mensura o retorno gerado, e investir no Programa de Aceleração Social, que forma instituições sociais e negócios de impacto em temáticas que visam o desenvolvimento e profissionalização desse setor. A principal entrega do programa é o retorno social, já que será arrecadado no mínimo R$ 10 para as instituições selecionadas, a cada R$ 1 investido.

Dentre os principais clientes da startup estão empresas como a SulAmérica, IBM, Nubank, Electrolux, B3, Itaú, Mercado Livre, dentre outros. A plataforma da Incentiv.me possui atualmente o maior portfólio de proponentes do Brasil, com mais de 4.000 usuários cadastrados, 667 projetos aptos a captar recursos e 100 empresas investidoras.

“Não há como priorizar um setor da sociedade em detrimento dos demais. Por isso, apostamos na responsabilidade social plural, fazendo com que nossos clientes e parceiros invistam seus recursos e esforços em diferentes segmentos. Também defendemos a transparência e a gestão de resultados, proporcionando segurança para todos os envolvidos. A Incentiv.me já atende diversas multinacionais e tem planos de internacionalização. Nós enxergamos que muitos países, principalmente os latino-americanos, compartilham dores de mercado semelhantes com as do Brasil e, por isso, acreditamos que a nossa proposta de valor possui fit em escala global”, diz Thais Lopes Nicolau, COO da Incentiv.me.

ESG na mira dos investidores

Em três anos de atuação, a Incentiv.me entregou 780% de retorno financeiro (ROI) para os acionistas e 4.250% de retorno social (SROI) para os projetos. Isso quer dizer que para cada R$ 1 investido, a startup arrecadou R$ 42,50 para projetos de impacto, fomentando a governança corporativa e o caráter social das empresas investidoras. Até 2030, a Incentiv.me pretende movimentar R$ 10 bilhões para projetos sociais que colaborem com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da agenda 2030 da Organização das Nações Unidas (ONU), abraçando também o aspecto da sustentabilidade. Todos esses fatores colaboraram para a decisão de co-investimento dos grupos.

“A startup foi um dos primeiros investimentos que aconteceram pelo Insper Angels, que só foi possível graças ao apoio das demais redes que co-investiram conosco. O projeto tem um apelo diferenciado e gera impacto, o que acabou sendo ponto decisivo no processo de análise de investimento”, conta Vitor Kawamura, co-fundador e presidente do Insper Angels.

“Encontramos na Incentiv.me a combinação perfeita para uma startup: liderança high performance, market fit, disrupção, fase de scale up e o propósito de impactar socialmente milhares de pessoas através dos mais de 600 projetos cadastrados e validados. É a certeza que a sua doação tem o destino certo e que está fazendo a diferença para criar um mundo melhor”, diz Gabriel Domingos, co-fundador do grupo investidor Malbec Angels.

A Incentiv.me ainda firmou uma parceria com a SITAWI Finanças do Bem para levantar um empréstimo subsidiado com objetivo de alavancar a expansão. A iniciativa possibilita que pessoas físicas de todo o país invistam na startup a partir de R$ 10 reais. A meta de captação para esta próxima rodada é de R$ 1 milhão.

“Ter a Incentiv.me como uma das organizações do nosso portfólio só fortalece a missão da Plataforma de democratizar o investimento com propósito para investidores que antes não tinham acesso a esse tipo de oportunidade com rentabilidade financeira”, diz Bruno Girardi, Gerente de Investimento de Impacto da SITAWI Finanças do Bem.

“Como investidores focados em impacto socioambiental positivo, buscamos empresas que tenham sido originadas com o intuito de resolver um problema social ou ambiental e que tenham essa visão intrínseca à estratégia de negócio. Nesse aspecto, a decisão de investir na Incentiv.me foi muito rápida. O seu modelo de negócios representa o que acreditamos ser o principal agente transformador que a nossa sociedade tanto precisa, já que potencializa o fluxo de capital privado para fins sociais, suprindo o que o estado não tem capacidade de executar sozinho”, finaliza Rodrigo Hlavnicka, co-fundador e gestor da Synthase Impact Ventures.

Heineken traz ao Brasil robô exclusivo que foi sucesso nos EUA

A Heineken traz ao Brasil o robô B.O.T (Beer Outdoor Transporter), sucesso nos EUA, capaz de conduzir de forma autônoma um cooler com até 12 latas de cerveja. Os consumidores terão a chance de concorrer a um B.O.T exclusivo em uma promoção válida até 30/01/2022. A ação é destinada às pessoas maiores de 18 anos e as inscrições podem ser feitas dentro do aplicativo My Heineken, por meio do cadastro de notas fiscais em compras de ao menos R﹩ 50,00 em produtos Heineken ou Heineken® 0.0. A cada registro realizado, o usuário ganha um número da sorte para concorrer ao sorteio.

“O lançamento do B.O.T foi um sucesso e aqui no Brasil tivemos uma boa repercussão. O consumidor nos pediu e nós atendemos. Essa ação vem para reforçar a nossa busca em sempre trazer inovações que tragam cada vez mais experiências únicas para os brasileiros”, ressalta Beatrice Jordão, Gerente Sr de Marketing da marca no Brasil.

Desenvolvido para ser uma solução inovadora durante o verão, o B.O.T possibilita que os consumidores tenham acesso a cervejas geladas e refrescantes em diferentes ambientes, uma vez que o robô-conceito é composto por câmeras e sensores tecnológicos capazes de acompanhar o proprietário em todo canto, desviando de obstáculos como mesas, cadeiras e até piscinas.

Consulte regulamento completo aqui .

ESSS busca desenvolvedores e comerciais para atuar em mercado de inovação e alta tecnologia

Multinacional brasileira focada em simulação computacional está entre as melhores empresas para se trabalhar em Santa Catarina

A ESSS — Engineering Simulation and Scientific Software — é uma multinacional brasileira focada em simulação computacional e conta com mais de 25 anos de mercado. A empresa possui escritórios na América Latina e Europa e está com vagas abertas em diferentes segmentos de atuação no mercado de  tecnologia. 

Certificada com selo Great Place To Work, a ESSS também possui áreas voltadas ao desenvolvimento de softwares e rotinas específicas, como as do mercado de energia e de óleo e gás. Entre os benefícios oferecidos aos seus mais de 180 colaboradores, estão estão cursos de idiomas, especializações e cursos técnicos do Instituto ESSS, além de jornada  flexível. 

Além das vagas abertas, a companhia também disponibiliza um banco de talentos para cadastro de currículos que serão avaliados em futuras oportunidades. Confira:

Especialista en Aplicaciones CAE | Colômbia

Especialista em Aplicações CAE | Rio de Janeiro

Ejecutivo de Negocios | Argentina

Executivo de Negócios | Portugal

Gerente de Contas Vertical Energia | Rio de Janeiro

Inside Sales | Chile

Desenvolvedor de Software Pleno | Florianópolis

Employer branding: o que é e como aplicar nas empresas em 2022?

Por Silvana Fernandes, Gerente de RH da Pontomais

Encontrar e contratar a pessoa certa para o perfil e necessidade da sua empresa é sempre um desafio. Uma pesquisa realizada pela Robert Half em outubro deste ano indica que depois da pandemia 69% dos empregadores acreditam que encontrar bons profissionais será ainda mais desafiador do que antes desse período.

Além disso, após selecionar o candidato com as competências técnicas e comportamentais alinhadas à empresa, ainda há outro desafio: retê-lo. Para mudar esse cenário, é preciso a implantação de estratégias de retenção de talentos capazes de fazer com que o profissional se sinta em “casa” e não tenha vontade de migrar para a concorrência. Para isso, o employer branding é uma ótima solução.

O que é Employer Branding?

O processo de gestão de uma marca é chamado de “branding”. Nesse caso, a marca tem foco no público externo, para estimular mais compras ou atrair novos clientes, por exemplo. No caso do “employer branding”, o foco está no público interno, ou seja, os colaboradores.

Também chamada de “marca do empregador”, esse conceito surgiu da demanda por talentos mais competentes e especializados e do aumento nas taxas de turnover dentro das organizações. O principal objetivo é transmitir uma imagem atraente da empresa e fazer com que os maiores talentos já existentes queiram continuar trabalhando e que novos prodígios sejam atraídos para esta organização. De forma lúdica, a marca do empregador representa um grande ímã de pessoas acima da média.

Como aplicar a marca do empregador no expediente?

Para aplicar a técnica, o primeiro passo é pensar em como oferecer mais bem estar para quem está dentro e como chamar a atenção de quem está fora da empresa. Mais do que montar uma marca convincente, para manter os talentos na sua equipe, é necessário que a rotina da empresa também seja focada nos colaboradores e reflita suas necessidades.

Além disso, uma ação de employer branding bem sucedida deve ser criada em conjunto pelos times de RH e marketing. Ambos devem se unir para formular uma marca que seja atraente, verdadeira e capaz de chamar a atenção dos profissionais. Ela pode ser usada tanto para atrair novos colaboradores quanto para reter os que já fazem parte do time.

Transformar empregados em promotores

A principal proposta do employer branding é cuidar de quem já está dentro da empresa e, com isso, atrair novos talentos. Para que essa estratégia funcione, é necessário focar em transformar os atuais empregados em promotores, isto é, pessoas leais que promovam a imagem da empresa como um ambiente favorável para o desenvolvimento pessoal e profissional para seus amigos e familiares.

A forma mais efetiva de trazer essa transformação é por meio do verdadeiro investimento no bem-estar dos talentos. É preciso colocá-los em primeiro lugar, portanto, investir na qualidade de vida de quem já faz parte do time é um ponto muito importante.

Fazer marketing com os funcionários

A ideia central é compartilhar a razão pela qual a empresa é o melhor lugar para trabalhar. Depois de transformar seus colaboradores em promotores, fazer vídeos do ambiente de trabalho, fotos e coletar depoimentos são ótimas opções para serem compartilhadas nas redes sociais e nos sites da empresa.

Construir uma página de carreiras

Em resumo, a página de carreira é um espaço web onde a empresa pode compartilhar informações sobre sua filosofia de atuação (missão, visão e valores), histórias de sucesso dos seus colaboradores, fotos do ambiente de trabalho e vagas de emprego, por exemplo.

Algumas das maiores marcas do mundo têm suas páginas de emprego, pois assim podem divulgar a felicidade dos seus atuais empregados e ainda chamar a atenção de gente talentosa de fora.

Encontrar um propósito grande e transformador

Pensar “se minha empresa não existisse, o que o mundo perderia?” Pode ser o primeiro passo para arquitetar um propósito grande e transformador, bem como inspirador para atração e retenção de verdadeiros talentos. Esse propósito deve ser um motivo pelo qual a sua equipe trabalha com qualidade. Na Pontomais, por exemplo, o propósito é “desenvolver pessoas e transformar histórias”.

Gerenciar a cultura organizacional

A cultura organizacional é algo grande, profundo e por vezes incompreendido. No entanto, empresas capazes de expor sua cultura também conseguem atrair profissionais mais bem alinhados. Por esse motivo, é preciso conhecer e compartilhar o DNA do empreendimento.

‍Por exemplo, se um profissional entende que a empresa tem uma cultura que valoriza a inovação e ele é inovador, se sentirá motivado. Ou, ainda, se há uma cultura de performance e ele é altamente dedicado, terá mais ânimo para continuar ou se candidatar à vaga.

Qual o papel da alta administração?

Há, por fim, a necessidade de comprometimento da alta administração. Todos os líderes, a partir do CEO, devem entender a marca empregadora como algo importante e que deve ser construído. Se não for assim, é provável que as dicas anteriores não tenham êxito.

Se um superior imediato menospreza seus subordinados, jamais vai conseguir transformá-los em promotores ou arquitetar um ambiente capaz de atrair talentos. Logo, o líder tem um importante papel e deve se comprometer totalmente com o employer branding.

Google faz evento virtual e gratuito para quem deseja conhecer as oportunidades de carreira no time de inovação comercial

Na segunda-feira, 6 de dezembro, das 19h às 20h, acontece o evento Como trabalhamos: Por dentro dos Serviços Técnicos do Google (gTech). O evento contará com a presença dos líderes da área no Brasil e do time de recrutamento da companhia, que darão mais informações sobre as possibilidades de carreira e as vagas em aberto.

Conhecido internamente como gTech, o time de inovação comercial do Google é responsável por desenvolver soluções técnicas customizadas para ajudar clientes a superar desafios de negócio. De acordo com André Santos, Líder da equipe na América Latina, o papel da área é ajudar a dar vida a produtos e serviços que alcançam bilhões de usuários por meio de soluções técnicas customizáveis.

“Nosso trabalho é ajudar os usuários e clientes do Google a extrair o máximo de valor das nossas ferramentas. Ajudamos desde uma pessoa que está com dificuldades para comprar um app na Google Play até um grande anunciante que precisa otimizar suas campanhas de marketing on-line. Criamos soluções customizadas que vão além das funcionalidades dos produtos se for preciso e fazemos isso mesclando habilidade técnica, conhecimento dos produtos e uma profunda compreensão das necessidades de nossos clientes.”, afirma o executivo.

O público-alvo são estudantes e profissionais com formação ou experiência profissional em áreas técnicas como Engenharia de Software, Sistemas de Informação, Ciências da Computação, que desejam conhecer mais sobre a carreira na área.

O Google está com vagas abertas para gTech no escritório de São Paulo. Entre os principais requisitos, é necessário saber algumas linguagens de programação, como Java, C / C ++, C #, Objective C, Python, JavaScript ou Go, além de inglês fluente.
É possível se candidatar acessando a página de carreiras da companhia.

As inscrições para o evento são gratuitas e podem ser feitas na página do evento.

Confira abaixo a agenda do evento e lista de palestrantes:

Agenda
19:00 | Visão geral de gTech com André Santos – Líder da Equipe de Google Professional Services (gTech) na América Latina
19h10 | A vida no Google: mesa redonda com gTech (João Aleixo, Flavia Moinhos e Marco Borges)
19h40 | Carreiras e oportunidades em gTech (Julia Barollo e Lisiane Lemos)
19h55| gTech por uma Googler (Mariana Viana)
20:00 | Conclusão


André Santos – Líder da Equipe de Google Professional Services (gTech) na América Latina
João Aleixo – Engenheiro de Soluções Técnicas (gTech)
Flavia Moinhos – Publisher Solutions Manager (gTech)
Marco Borges – Engenheiro de Soluções de Produto na equipe gUP Geo (gTech)
Mariana Viana – Consultora Técnica de Soluções para Publishers (gTech)
Julia Barollo – Recrutadora do Google para América Latina
Lisiane Lemos – Gerente de Programas de Recrutamento de Diversidade, Equidade e Inclusão LATAM

Tags

Crise dos semicondutores: oportunidade para reforçar parcerias

Por Alex Takaoka, diretor da Fujitsu do Brasil

Chips semicondutores são essenciais para produtos tecnológicos de ponta, de computadores a carros e ao 5G. Embora o mercado tenha convencionado chamar de “crise de semicondutores”, a escassez não é de silício, um dos elementos mais abundantes do planeta, mas do produto manufaturado.

É uma indústria estratégica e essencial na fabricação de smartphones, eletrônicos, computadores, infraestrutura de telecomunicação, equipamentos industriais, equipamentos médicos, aviação. Para nós que trabalhamos com soluções de Tecnologia da Informação, a falta deste componente implica uma série de mudanças no nosso planejamento.

A escassez é fruto da mudança de comportamento das famílias, que estão consumindo mais aparelhos digitais, das empresas, que aceleraram a digitalização, e da disputa geopolítica pelo domínio tecnológico protagonizada por Estados Unidos e China. Além de ser um impacto da pandemia na produção global de semicondutores, um tipo de produto com baixo nível de estoque porque sofre atualizações tecnológicas constantes.

Este cenário é um verdadeiro desafio para os fabricantes. A principal saída para resolver este problema sistêmico na cadeia de suprimentos é, sem dúvida, o relacionamento entre todos os players envolvidos: fornecedor, fabricante e clientes. Quanto maior for a colaboração e mais próxima seja a relação entre as partes, melhores serão as possibilidades de um denominador comum.

A última pesquisa da Confederação Nacional da Indústria (CNI) constatou que, com a redução da oferta de componentes, os custos estão subindo. Principal obstáculo para a recuperação do setor para mais de 60% dos executivos das indústrias entrevistadas. De acordo com dados da consultoria IDC (International Data Corporation), as entregas de semicondutores no Brasil estão levando até 32 semanas e vêm acompanhadas de custos até 40% maiores. Os reflexos econômicos na cadeia começam a aparecer, somando-se a alta do dólar, bem como a disparada dos índices de inflação correlacionados.

É um ecossistema complexo. Porém, são nestes momentos incertos em que é possível mensurar quais são as parcerias certas para ter flexibilidade ao fazer negócios. Lidar com este tipo de situação é manter um canal de diálogo transparente com toda a cadeia e relacionamento forte em todos seus elos. É construindo parcerias e mantendo negociação abertas, sem o chamado ‘black box’. Transparência é abrir termos de negociação e não tentar tirar proveito da situação, mas, sim, ganhar a confiança e fortalecer uma relação duradoura e sustentável.

CI&T e IGTI oferecem formação gratuita em TI para Pessoas com Deficiência

São 500 bolsas de estudo com aulas 100% online voltadas a alunos de todo o Brasil, além da oportunidade de conquistar uma vaga de emprego na multinacional brasileira especialista digital

A CI&T, multinacional brasileira especialista digital para grandes marcas globais, acaba de lançar, em parceria com o Instituto de Gestão em Tecnologia da Informação (IGTI), um programa gratuito de formação em TI exclusivo para pessoas com deficiência. São 500 bolsas de estudo para o curso 100% online, com aulas ao vivo e gravadas, voltadas a alunos de todo o Brasil. Além da qualificação, o projeto oferece oportunidades de trabalho remoto ao final do bootcamp. Podem participar pessoas acima de 18 anos que tenham completado o ensino médio e não é necessário conhecimento prévio na área de tecnologia. As inscrições podem ser realizadas até janeiro de 2022, pelo site.

O Bootcamp CI&T ensinará conceitos e práticas para iniciantes em Desenvolvimento de Software por meio da utilização das principais ferramentas do mercado: Java, SpringBoot no Back End e Angular no Front End. Os participantes também terão a chance de aprender a respeito de interface de navegação e interação com o usuário, bem como sobre realizar planejamento, criação, implementação e manutenção da estrutura que forma a base de um site. Ao fim do curso intensivo, o aluno estará habilitado para construir páginas na web e atuar com desenvolvimento de software.

“Com o curso gratuito para pessoas com deficiência, queremos oferecer oportunidades de trabalho equitativas para todos. Nosso objetivo é a formação qualificada na área para que os profissionais estejam aptos a atuar imediatamente no mercado de TI, que é um dos mais promissores da atualidade”, afirma Ana Paula Fraga, gestora de Diversidade, Inclusão e Responsabilidade Social da CI&T. “O bootcamp foi desenvolvido para oferecer todo o suporte necessário para que eles foquem exclusivamente no aprendizado”, completa.

Oportunidade de trabalhar na CI&T

“O propósito do IGTI é oferecer a melhor educação em TI para todos. Para nós é um grande orgulho criar este curso em parceria com a CI&T, que visa desenvolver pessoas com deficiência para atuar em nível profissional ao final de 10 semanas e ainda com possibilidades de oferta de trabalho remoto. Tudo isso com professores altamente competentes, que vão acompanhá-los ao longo da trajetória”, diz Vinícius Bozzi, CEO do IGTI.

O curso, que começa no dia 27 de janeiro, terá duração de dois meses. Com 148 horas de conteúdo e aulas semanais por videoconferência para aprofundamento dos temas, o bootcamp será um curso imersivo, com ênfase na prática, por meio da experimentação e aplicação de soluções originais em tecnologia. Além do aprendizado e do certificado de formação, os melhores alunos terão a oportunidade de conquistar uma vaga de emprego na CI&T.

Bootcamp CI&T Next Gen Desenvolvimento de Software
Curso online e gratuito para pessoas com deficiência
500 vagas
Inscrições até 24 de janeiro de 2022
Início das aulas em 27 de janeiro de 2022
Duração de 2 meses
O regulamento completo e mais informações sobre as inscrições e o processo de seleção estão disponíveis nesta página.

Missão NY busca atrair investimentos para SP e marcará a abertura do escritório da InvestSP na América do Norte

Representantes da agência, o governador João Doria e um grupo de secretários e empresários desembarcaram na cidade nesta quarta-feira (01)

Uma comitiva composta por empresários e autoridades paulistas desembarcou, nesta quarta-feira (01), em Nova York, nos Estados Unidos, para cinco dias de agendas e rodadas de negócios com representantes de vários setores econômicos. A Missão Nova York é organizada pela InvestSP, a Agência Paulista de Promoção de Investimentos e Competitividade. Além do presidente da Agência, Gustavo Junqueira, o grupo é composto pelo governador João Doria, os secretários de Estado Julio Serson (Relações Internacionais), Patrícia Ellen (Desenvolvimento Econômico) e Henrique Meirelles (Fazenda), e empresários dos mais diversos segmentos.

Os objetivos da Missão são atrair investimentos estrangeiros para São Paulo e contribuir para que empresas paulistas conquistem mercado lá fora, o que incentiva a geração de emprego e renda no Estado. Os participantes poderão fazer contato e estabelecer relacionamento com possíveis investidores e representantes de gigantes dos setores financeiro e de tecnologia, por exemplo. Haverá agendas com profissionais de empresas como: Goldman Sachs, Cornell Tech, Citi, Hudson Yards, Nasdaq, BlackRock, Tishman Speyer e New Lab. Também estão previstos encontros com autoridades, entre elas o prefeito eleito de Nova York, Eric Adams.

“São Paulo é um grande parceiro comercial da América do Norte. Além disso, o Estado é referência em agronegócio, inovação, economia criativa e vários outros setores, com capacidade para competir e conquistar mercados em qualquer lugar do planeta. Logo, nada mais justo que estreitar laços com os países do continente, em especial os Estados Unidos, a maior economia do mundo, um país cujos investimentos no Brasil cresceram quase 70% nos últimos anos e cujas afiliadas empregam quase 600 mil brasileiros”, disse o presidente da InvestSP, Gustavo Junqueira.

O primeiro compromisso foi um encontro com economistas do Citi, que fizeram uma apresentação sobre o cenário de negócios na América do Norte e apresentaram projeções para os próximos meses. “Apesar do sistema tributário de taxação de bens fazer com que a produção fique próxima do local de consumo, existem oportunidades de negócios em áreas consideradas de livre circulação, como a economia digital e todos os seus produtos de armazenamento, mídia digital, serviços digitais e infraestrutura. A economia verde também é outro setor que pode gerar negócios, não apenas com energia renovável, mas também com sistemas de produção de água”, disse Charlie Reinhard, estrategista-chefe de investimentos na América do Norte do Citi.

Durante a Missão, a InvestSP vai inaugurar seu novo escritório em Nova York. A estrutura dará apoio a empresários paulistas que querem negociar não apenas com os Estados Unidos, mas com toda a América do Norte. E também trabalhará para atrair investimentos para São Paulo. Será o 4º escritório internacional da InvestSP – os outros três ficam em Xangai, na China, Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, e Munique, na Alemanha.

Nova York é considerada a capital financeira mundial, o maior centro global de negociação em mercados de capitais e é a sede dos principais bancos de investimentos americanos e de diversos organismos internacionais. A cidade ainda é a principal origem dos investimentos greenfield no Brasil. Foram US$ 11,4 bilhões entre 2008 e 2017, o que representa 18% do total. São Paulo foi o maior beneficiado, com a geração de quase 50 mil empregos.

Empresas participantes da Missão Nova York:

Agrimpex

Atmosfera

Cacau Show

Comunitas

Copart

Fazenda Bahia

Instituto Butantã

IT Midia

Itaipu Transformadores

JBS

NESP (Novo Entreposto de São Paulo)

Paper Excellence

Raízen

RV Ímola

Sabesp

Sinditêxtil

Walker Participações

White

2W Energia

Estudantes de TI têm oportunidade de estágio na Agility

A Agility, empresa de inteligência em tecnologia que integra serviços e soluções, está com inscrições abertas para o processo seletivo do programa de estágio até 8 de dezembro. É uma boa oportunidade para estudantes de tecnologia se desenvolverem em cibersegurança, integração e infraestrutura ao lado de especialistas consagrados, dispostos a compartilhar o conhecimento. Entre os benefícios, estão bolsa auxílio, vale alimentação ou refeição, seguro de vida, anywhere office e plano de saúde e odontológico.

Fases do processo seletivo:
– 29/11 a 08/12 – Inscrições
– 15/12 a 22/12 – Entrevistas
– 17/01/2022 – Início do estágio
Inscrições aqui .

Com investimento de R$ 17 milhões, VELVT se prepara para lançar sua plataforma de democratização de​​investimentos em Late-Stage Venture Capital

A VELVT, plataforma de investimentos em Late-Stage Venture Capital, que visa ser a solução de liquidez para acionistas de empresas de tecnologia em estágio pré-IPO, acaba de captar R$ 17 milhões em sua primeira rodada de investimentos liderada pelo GFC (Global Founders Capital). O aporte conta ainda com participação de fundos como Headline, Yolo Ventures, Armyn Capital e de anjos e co-fundadores de grandes empresas de tecnologia da América Latina, Índia, e África, como Nubank, Hashdex, Nomad, Favo, Locus, Carbon, entre outras.

Os recursos serão utilizados para impulsionar o lançamento da plataforma da VELVT no mercado brasileiro, previsto para o segundo trimestre do ano que vem. A empresa nasce com o objetivo de democratizar o acesso de investidores ao mercado de Late Stage Venture Capital por meio de uma plataforma B2B2C de fracionamento de ações privadas e trabalhará inicialmente com seletos ​​bancos digitais, wealth managers, e family offices na integração das oportunidades da VELVT em seus sistemas via API para oferecimento às suas bases de clientes.

“Em mercados maduros, como os Estados Unidos ou a Europa, é mais fácil ter acesso a esse tipo de aplicação em empresas em fase pré-IPO. Queremos que isso se torne uma realidade no Brasil também, sendo a conexão entre quem faz a gestão das carteiras e dos portfólios de investimento, as tech companies, e os seus acionistas”, afirmam os fundadores da VELVT, Edouard de Montmort e Carlos Naupari.

Para 20221, a VELVT lançará seu produto de “Secondary-as-a-Service” trabalhando de perto com startups em growth e late stage, visando organizar o processo de oferta de ações secundárias dando liquidez aos seus atuais e ex colaboradores, fundos e advisors. “Vemos muitos amigos que fazem parte dos founding teams de empresas em estágio avançado que são ricos no papel, mas carecem de liquidez e estão em um momento de realização de sonhos. A VELVT chega ao mercado para ajudar a transformar esses sonhos em realidade”, diz Edouard. Já para Naupari, é fundamental para as startups mostrar a percepção de valor dos stock options oferecidos e ter ofertas secundárias mais recorrentes e organizadas, pois ajuda a atrair e reter talentos, assim como entender de que modo o mercado está precificando as ações da empresa.

Naupari e de Montmort lembram que o Brasil passa por um momento único do cenário de Venture Capital com o recente boom de muitas startups, as recentes safras de IPOs e unicórnios. Segundo eles, isso mantém o apetite de investidores para o setor de tecnologia do país e gera oportunidades para que outras companhias em estágio avançado de desenvolvimento sigam o mesmo caminho.

De acordo com o último Credit Suisse Global Wealth Report, o Brasil tem aproximadamente 220.000 pessoas de “High Net Worth” definidos como investidores com US$ 1 milhão ou mais em liquidez para aplicar em ativos financeiros. Em uma análise tradicional, todo portfólio desse tamanho deve ter no mínimo uma composição de 5% investido em ativos de Private Equity, Venture Capital ou investimentos alternativos. Ou seja, é um mercado que pode gerar anualmente em torno de US$ 12 bilhões no Brasil e US$ 44 bilhões na América Latina.

“Buscamos o pioneirismo na democratização ao acesso à oportunidades exclusivas de Venture Capital e Private Equity no Brasil. Para isso, projetamos colocar R$ 1 bilhão em ofertas de ações de late-stage Venture Capital até o fim de 2022”, afirma de Montmort. A empresa conta com um time de colaboradores espalhados em dois escritórios: São Paulo e Miami, nos Estados Unidos.

O modelo de negócio da VELVT é em grande parte baseado na remuneração em cima do sucesso dos investimentos da plataforma. A empresa cobra uma porcentagem de performance em cima do valor investido, além de custos baixos de gestão. Vale ressaltar que para o lançamento da VELVT, foi preparado um jantar com 30 a 40 principais investidores brasileiros e norte-americanos, que será realizado no dia 7 de dezembro no Hotel Fasano em Nova York.

Sebrae levará até 600 startups para Rio Innovation Week

O Rio de Janeiro vai receber o mais completo evento de Inovação e Tecnologia já realizado na América Latina. O Rio Innovation Week irá acontecer entre os dias 13 e 16 de janeiro de 2022, no Jockey Club. Serão mais de 500 palestrantes em 15 palcos segmentados por mercados de atuação. O Sebrae, que é patrocinador do evento, está com inscrições abertas para startups que querem dar visibilidade ao seu negócio através da conexão com os maiores investidores, corporações, veículos de mídia e especialistas do mercado.

Até dia 03 de dezembro, qualquer startup que tenha concluído pelo menos uma negociação, pode se inscrever no link.

Serão 600 vagas dentro das temáticas Turismo, Varejo, Saúde, Profissões, Agronegócio, Sustentabilidade e Marketing, entre outros. As Startups selecionadas terão exposição dentro do Rio Innovation Week, conexão com investidores e grandes empresas, workshops, mentorias com empresas como IBM, AWS, Sony, Sai do Papel, entre vários outros benefícios.

Tags

Microsoft e DataEX lançam primeira edição do Bootcamp Data Women Engineers

A Microsoft abre hoje, dia 1º de dezembro, as inscrições para o Bootcamp Data Women Engineers,  que tem como objetivo capacitar mulheres na área de tecnologia. A iniciativa, criada com a empresa DataEX, parceira da Microsoft e fornecedora de serviços de consultoria em tecnologia, é gratuita e oferecerá aulas voltadas para banco de dados SQL on-premise, banco de dados SQL on Azure, Integration Services (SSIS), Azure Data Factory (ADF) e Demo Synapse. As participantes que concluírem o curso contarão com um certificado de conclusão. As inscrições podem ser feitas pelo site oficial do Bootcamp Data Women Engineers.

Durante o curso, as alunas terão acesso a conceitos e tecnologias de captura, armazenamento, organização, exploração e de enriquecimento de dados, desenvolvendo pipelines de dados para processos de ETL e ELT. As inscrições vão até o dia 31 de dezembro e podem participar mulheres com mais de 18 anos, com ensino médio completo e que tenham conhecimentos básicos de linguagem SQL e Banco de dados SQL Server.

Serão 50 vagas disponíveis para mulheres de todo o Brasil. O curso será realizado a partir da segunda semana de janeiro, durante 8 dias e com carga horária de 32 Horas.

“Estamos vivendo um processo de aceleração do uso de tecnologias e ferramentas em nuvem para a transformação de empresas por todo o mundo. Por isso, a necessidade de profissionais capacitados e que acompanhem a evolução do mercado tecnológico é essencial. Além disso, é fundamental termos cada vez mais mulheres em áreas técnicas de tecnologia”, afirma Mariana Hatsumura, diretora de Azure da Microsoft Brasil.

O  Bootcamp Data Women Engineers é uma das iniciativas da Microsoft Brasil com foco em ampliar a diversidade no mercado. Outras iniciativas foram anunciadas este ano com esse objetivo, como a terceira edição do programa #ElasNaIA, focado na capacitação de mulheres em fundamentos de Inteligência Artificial e nuvem; o lançamento da plataforma digital MaisMulheres.Tech, que, em parceria com a ONG WoMakersCode, tem o objetivo de capacitar 100 mil mulheres em todo Brasil; e as inscrições para a terceira edição do Black Women in Tech, iniciativa voltada à capacitação de mulheres negras para o mercado de tecnologia – nas duas edições anteriores, 61 mulheres se formaram pelo programa.

Fintech Neon tem 90 vagas abertas em áreas como tecnologia, jurídico e marketing

Uma das principais fintechs do Brasil, a Neon tem 90 vagas abertas em áreas como tecnologia, jurídico, marketing e crédito. Eleita por três anos consecutivos como uma das top startups do LinkedIn, a empresa adota o modelo de anywhere office, o que permite a inscrição de pessoas de todo o país ou mesmo que morem no exterior.

“Buscamos pessoas alinhadas ao nosso propósito, que é diminuir desigualdades sociais mostrando caminhos financeiros mais justos, e que trabalhem de forma divertida e responsável”, diz Roberta Valezio, Gerente de Engajamento e Experiência da Neon. “Se você se identifica com essa missão, valoriza a diversidade e a inovação, te convidamos a nos conhecer e fazer sua inscrição.”

A Neon oferece benefícios flexíveis como plano de saúde e odontológico, seguro de vida, auxílio-creche ou babá, vale-refeição ou alimentação, verba para cursos e treinamentos, TotalPass, vale-transporte ou estacionamento. Os colaboradores podem escolher como distribuir o dinheiro desses benefícios da forma como preferirem. A Neon oferece ainda um programa de apoio psicológico chamado Alô Cafuné, pelo qual os colaboradores e seus familiares contam com assistência 24 horas por telefone.

Para ver os requisitos de cada vaga e fazer a inscrição, basta acessar o site clicando aqui .

Tags

Speedy .io chega ao mercado brasileiro de fintechs

A Speedy .io, fintech de serviços financeiros focada em micro, pequenos e médios empreendedores, chega oficialmente ao mercado brasileiro. A companhia, de abrangência global, busca se diferenciar com a oferta de produtos e serviços livres de burocracias. De forma simples e ágil, por meio de tecnologia disruptiva, a equipe trabalha diariamente para conectar pessoas e empresas, sempre antecipando tendências e necessidades de mercado.

Criada em fevereiro de 2021, a fintech é a aposta de um grupo de investidores europeus que aceitaram o desafio de lançar a marca primeiramente no Brasil, principalmente por sua relevância. Assim, nasceu a Speedy .io – uma empresa com raízes brasileiras e, ao mesmo tempo, européias. A equipe é composta por mais de 20 profissionais brasileiros especializados no setor bancário, com um forte propósito de disrupção e desafio ao modelo bancário tradicional. A projeção de crescimento é de atingir 100.000 contas ativas em 2 anos, contando com uma equipe de 200 profissionais. Tudo aliado a sistemas e tecnologias inovadoras.

Atualmente, a Speedy trabalha com a conta de pagamento para PJ – que pode ser aberta em cinco minutos com ajuda de qualquer dispositivo com acesso à internet. O cliente que abrir sua conta contará com serviços de conta corrente (TED, transferência bancária, saque e extrato) e serviços de cobrança (emissão de NF e emissão de fatura). Todas as transações estão disponíveis em um painel de forma automática e intuitiva para controle total de entradas e saídas.

“Queremos transformar o acesso a serviços financeiros das empresas. Para isso, focamos em serviços que facilitem toda a jornada do empreendedor e revolucionem os meios de pagamentos no país.”, pontua o COO, Alex Peguim.

Para 2022, a Speedy se prepara para ser Provedora de Serviços de Pagamento (PSP), focada em e-commerces, ofertando pagamentos através de dinheiro, boleto, cartão de crédito, cartão de débito, transferência bancária, QR Code, e-Wallets e Pix. A Speedy .io também tem como objetivo, lançar serviços de pagamentos internacionais, impulsionando o comércio globalizado.

De acordo com Peguim, bancos com contas PJ em operação no Brasil não oferecem serviços essenciais de forma acessível. E por isso, a Speedy pretende aumentar o leque de funções disponíveis para os clientes constantemente, tornando assim a fintech uma opção completa para os empreendedores.

A Speedy .io não cobra mensalidade ou taxa de adesão por seus serviços. Os clientes pagarão apenas pelas transações que usarem. E, para os primeiros meses de lançamento, todas as transações serão gratuitas.

Empreendedores podem aprender a abrir uma loja virtual com capacitação gratuita da camara-e.net

A Câmara Brasileira da Economia Digital (camara-e.net) promoverá nos dias 8 e 9 de dezembro, das 9h às 12h, o Ciclo MPE − palestras gratuitas que ensinam os participantes a planejar, montar e operar uma loja online. Os interessados devem se inscrever neste site. Os inscritos receberão o link de acesso à sala do evento por e-mail e poderão tirar as dúvidas e receber mentorias em tempo real através da plataforma digital.

Nessa edição, entre os renomados nomes da economia digital, estão: Márcio Vinícius Rocha e Silva, fundador da Galax Pay; e Alê Periard, ux writer no iFood e produtora de Conteúdo, entre outros.

“Essa é uma boa oportunidade para quem deseja expandir os negócios dentro do universo online e aproveitar as vendas de fim de ano”, afirma Renata Carvalho, coordenadora do Ciclo MPE. Renata ainda acrescenta: “é importante que os empreendedores se capacitem, para melhor compreenderem como negociar seus serviços ou produtos”.

Durante o evento, os participantes aprenderão os seguintes temas: como planejar sua empresa de forma eficaz desde a escolha do nicho de mercado; como montar sua loja virtual; a logística que impulsiona as vendas no e-commerce; como transformar visitantes em consumidores; operação eficiente: a importância das ERP’s e dos meios de pagamento na internet; e vendas, marketing digital e a experiência do usuário.

O Ciclo MPE está em sua 18ª edição e conta com o patrocínio master dos Correios e do Governo Federal e patrocínio da Loja Integrada.