O que mudou no RH com a LGPD

O que mudou no RH com a LGPD

A Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) completou quatro anos de sanção e um ano da sua regulamentação, quando as multas passaram a ser aplicadas. E desde a sua implementação, as empresas tiveram que mudar e se adaptar para usar os dados de seus colaboradores, candidatos, parceiros e fornecedores de maneira responsável. Um dos setores mais afetados dentro das empresas foi o de Recursos Humanos, que precisou revisitar o modo como são feitos processos seletivos e contratações de profissionais. 

Com o objetivo de cumprir a lei, assegurar a privacidade e a autonomia dos titulares dos dados, os profissionais de RH passaram a solicitar autorização expressa das pessoas quando informações pessoais são necessárias, indicando sempre, com clareza, o objetivo do uso e o tempo de armazenamento dos dados coletados. 

“As empresas investiram na capacitação dos profissionais de RH e na inovação com ferramentas e sistemas que assegurem a adequação à lei. Ou seja, novos processos e plataformas por onde os dados transitam foram otimizadas a fim de criar procedimentos que naturalmente tornassem a proteção de dados parte do cotidiano do RH”, afirma Ana Paula Prado, CEO do Infojobs.

De acordo com a executiva, as pessoas que integram o setor de Recursos Humanos das empresas precisam se atentar ao recebimento e armazenamento de currículos, registros contratuais, dados compartilhados à seguradoras e planos de saúde e dados fornecidos às empresas responsáveis pela folha de pagamento. 

Listamos quatro passos que podem contribuir para que as corporações cumpram a norma com precisão técnica necessária. 

  1. Plano de Conduta | Estabeleça responsabilidades e um fluxo para o recebimento e manuseio de dados. 
  2. Treinamentos | Conscientize e instrua todos os colaboradores sobre a importância da nova política e processos. 
  3. RH, TI e Jurídico | Esses três setores devem pensar nas ferramentas de proteção e regulamentar as medidas necessárias. 
  4. Invista em tecnologia | Conte com um processador de dados confiável e um software de recrutamento e seleção para centralizar e proteger as informações. Algumas empresas contam com software que automatizam o processo com a segurança requerida pela lei, como o caso do PandaPé, ATS desenvolvido pelo Infojobs 

“O RH tem um papel importante sobre o gerenciamento dos dados. Por isso é fundamental conhecer e entender o impacto das diretrizes da LGPD para se adequar às exigências da lei, ainda mais neste momento em que as fiscalizações devem ser ampliadas”, reforça Ana Paula. 

Comments are closed