SYNERGY Brasil 2022 reforça perspectivas positivas e protagonismo tecnológico no cenário brasileiro

SYNERGY Brasil 2022 reforça perspectivas positivas e protagonismo tecnológico no cenário brasileiro

 O SYNERGY 2022 teve início nesta terça-feira (20). Em sua 11ª edição, o evento, que acontece até esta quarta (21) no Sheraton WTC, em São Paulo, trouxe destaque para as perspectivas tecnológicas, de ESG, geopolíticas e corporativas para o cenário brasileiro, com especial foco às perspectivas dos executivos brasileiros. Realizado há mais de dez anos pela Thomson Reuters, o SYNERGY é referência mundial nas discussões sobre os mercados fiscal, tributário, jurídico e de comércio exterior.
 

Na abertura da edição deste ano, o Managing Director da Thomson Reuters para a América Latina, Adrián Fognini, falou sobre a alegria de realizar o evento de forma presencial, depois de duas edições virtuais, e destacou dados de mercado que revelam a expectativa de crescimento global e da percepção positiva dos CEOs brasileiros quanto às suas organizações.
 

Na sequência, foi realizado o painel “Uma visão mundial” com correspondentes da Reuters, agência de notícias que informa mais de um bilhão de pessoas todos os dias. Sob mediação do Editor at Large da Reuters News, Axel Threlfall, Brad Haynes, Chief Bureau da Reuters no Brasil, e os correspondentes da agência Anthony Boadle, Mary Milleken e Karin Strohecker trouxeram perspectivas de Brasília, Washington, Nova Iorque e Londres sobre o cenário atual brasileiro.
 

Os correspondentes destacaram que, mesmo diante de um cenário geopolítico de tensionamento e de pressões internas, o Brasil tem sustentado revisões de avaliação e indicadores relativamente positivos em comparação com outros mercados emergentes. Oportunidades de investimento relacionados à agenda ESG também podem ser aceleradas diante da estruturação de políticas concretas.
 

Seguindo o tema ESG, o segundo painel contou com as presenças dos presidentes e líderes das empresas SAP Brasil, Deloitte, KPMG, EY e Thomson Reuters. Sobre a implantação de políticas sociais, ambientais e de governança, os convidados disseram que o maior desafio é trazer a estratégia para a parte operacional da corporação e destacaram que os custos para empresas que não adotam políticas ESG são maiores do que os investimentos na área. Outro ponto mencionado no painel foi que a forma que a corporação lida com os aspectos sociais, ambientais e éticos passou a ser uma forma de avaliar a qualidade da sua liderança e sua habilidade em colaborar para um futuro bem-sucedido diante de cenários de rápidas mudanças e pressões crescentes.
 

No período da tarde, a programação teve continuidade com sessões paralelas realizadas em sete salas. Alguns dos temas debatidos foram “O novo cenário do comércio exterior frente aos desafios da logística internacional”; “Automatização de impostos e informações fiscais confiáveis: como dar o próximo passo ao futuro?” e “Dinamismo e simplificação para a sua prática jurídica: o dia a dia automatizado dos departamentos jurídicos”.
 

Tallis Gomes, fundador da Easy Taxi e Singu, finalizou as apresentações com a palestra “Estratégia de crescimento e o futuro dos negócios”, falando sobre desenvolvimento de ecossistema de inovação, perfil de empresas escaláveis e escalonáveis. Agilidade nos testes, priorização das necessidades em relação às ideias e identificação das necessidades do cliente foram o eixo central da fala do empreendedor.
 

Durante o evento, também houve o lançamento e noite de autógrafos do livro “Descomplicando a Gestão Tributária na Era Digital”, organizado pelos coordenadores do livro, os atores Gisele Bossa e Lionel Nobre, com foco nas habilidades e desafios centrais ao novo papel do gestor tributário. A obra é parte do portfólio da Revista dos Tribunais, selo editorial da Thomson Reuters.
 

O evento segue em seu segundo dia nesta quarta-feira (21) com palestras do economista Ricardo Amorim, painel com CIOs e CTOs de Starbucks, Multi e Black&Decker e sessões paralelas.

Comments are closed