Mais do que salários, profissionais buscam benefícios e jornada flexível

Mais do que salários, profissionais buscam benefícios e jornada flexível

Há alguns anos, os profissionais buscavam um bom salário e uma longa carreira na empresa, porém, hoje isso não basta. Atualmente vemos uma mudança, impactada por gerações que buscam benefícios diferenciados e que possibilitem, sobretudo, qualidade de vida. Levantamento feito pela Robert Half neste ano, aponta que 39% dos brasileiros trocariam de emprego para ter a opção de trabalhar remotamente.

“A pandemia mudou as expectativas dos colaboradores em relação aos empregadores e, nessa nova era, o salário não é a única moeda de troca. É necessário trabalhar com flexibilidade, autonomia e equilíbrio entre a vida pessoal e profissional. As pessoas buscam empresas que se preocupam com o bem-estar e que apliquem esse cuidado em seus artefatos culturais. Vivemos uma era em que a humanização é fundamental para atrair e reter profissionais”, explica Bruna Segatto, Head de People da Juntos Somos Mais, joint venture da Votorantim Cimentos, Gerdau e Tigre, considerada o maior ecossistema do Brasil de soluções para o varejo da construção civil.

E completa. “Quando a empresa opta pelo trabalho remoto, é necessário avaliar os benefícios que apoiem esse modelo, tais como auxílio home office, que subsidia parte dos eventuais custos que o colaborador tem para trabalhar de casa, e o auxílio ergonomia para apoiar na aquisição de itens que tragam conforto e qualidade de trabalho ao colaborador”.  É necessário estar constantemente aberto às mudanças e se reinventar para que a cultura organizacional seja sólida e permita que as pessoas despertem o seu melhor dentro de suas funções.

Com foco na qualidade de vida, outros benefícios como academia, parceria com empresas ou plataformas de saúde mental e sessões de mindfulness ou outros tipos de terapia e meditação podem ser muito benéficos para os colaboradores. “É a partir do básico, do essencial na forma com que nos relacionamos e nos comunicamos, nos detalhes do dia a dia que seremos capazes de gerar grandes impactos e mudanças transformacionais da micro-sociedade para a macro. A nossa cultura é reconhecida como uma referência em gestão de pessoas, porque mesmo trabalhando duro, valorizamos e incentivamos que as relações sejam próximas, respeitosas e transparentes contribuindo para um ambiente leve e saudável. Esse olhar e forma de atuar corroboram para o aumento do senso de pertencimento das pessoas que naturalmente se traduz no nosso sucesso”, explica Karin Ramos, diretora de Recursos Humanos da Conta Azul.

A empresa, por exemplo, oferece para seus colaboradores a opção de trabalhar em casa ou não, benefícios como auxílio home office, licença maternidade e paternidade estendida e o aplicativo Pulpa, que ajuda o colaborador a poupar dinheiro para o futuro das crianças de seu convívio. “Somos um time híbrido e RemoteFirst, e trabalhamos a partir de regiões diferentes do país. Confiamos que o sucesso dos nossos clientes começa com o nosso sucesso organizacional e este, por sua vez,  parte da cultura forte e intencional que direciona e dá clareza sobre como espera-se que as pessoas atuem independente da localização geográfica. São os artefatos dessa cultura organizacional bem estabelecida tais como, rituais e liderança, que garantem todos atuando como um único time rumo ao alcance dos objetivos atuais e da visão de futuro do negócio”, destaca Karin.

Além de todos os benefícios citados acima, é recomendado que as empresas não deixem de lado outras opções já conhecidas pelos trabalhadores. “Além da remuneração, benefícios como seguro de vida, seguro odontológico, plano de saúde e vale-refeição e/ou alimentação sempre são buscados por boa parte dos profissionais e não podem ser deixados de lado. Além da licença-maternidade, que é prevista por lei, outro ponto importante que pode ser incorporado às empresas é a licença parental, válida para casos de adoção ou guarda judicial e também para casais LGBTQIAP+, como já praticamos aqui na Juntos Somos Mais. Vemos como isso faz diferença no dia a dia do colaborador, fortalecendo sua identidade e deixando-o cada vez mais próximo de nossa empresa, se sentindo parte crucial dela”, comenta Bruna.

“Tal qual o mercado que vive intensas transformações e adaptações, as organizações precisam estar atentas e atuar nos ajustes diante das mudanças de expectativas das pessoas sobre como elas se relacionam e qual montante da sua vida destinam para trabalho/carreira. O olhar holístico para o ser humano é um diferencial organizacional que impacta positivamente todos os envolvidos num jogo de ganha-ganha”, destaca Karin. 

Para finalizar, Francisco Pereira, Diretor de RH da Intelligenza IT, destaca a visão do mercado acerca dos diferentes benefícios disponibilizados pelas empresas atualmente com foco na jornada profissional de cada colaborador. “Os profissionais estão cada vez mais em busca de qualidade de vida no ambiente corporativo, com foco em bem estar e na valorização de benefícios flexíveis como o home office, convênios com instituições de ensino, e outros que contribuam para o desenvolvimento pessoal e profissional do time como um todo”, finaliza Pereira.

Comments are closed