John Deere apresenta ecossistema conectado e tecnológico na Campus Party 2022

John Deere apresenta ecossistema conectado e tecnológico na Campus Party 2022

Depois de cinco anos, a John Deere, empresa global de tecnologia, que fornece principalmente software e equipamentos para as indústrias de agricultura, construção e silvicultura, retorna para o maior evento de ciência e inovação do país, a Campus Party. A empresa destacará todo o ecossistema de soluções tecnológicas integrado na agricultura brasileira e terá uma programação em seu estande focando na importância da inovação aberta, da diversidade e da sustentabilidade na produção de alimentos. A feira acontece entre os dias 11 e 15 de novembro, no Distrito Anhembi, em São Paulo.

“A Campus Party e o público presente movimentam o empreendedorismo, a ciência e a inovação. Isso faz com que a agricultura e a construção civil avancem de maneira mais rápida, contribuindo para que a vida seja cada vez mais sustentável do ponto de vista, ambiental, social e econômico”, afirma Dan Leibfried, diretor de Inovação da John Deere para a América Latina. O Brasil é uma grande potência agrícola no cenário mundial. Para se ter uma ideia, o país encerrou a safra 21/22 com uma produção recorde de 271,2 milhões de toneladas, se apresentando como um grande ator capaz de produzir tudo isso de forma eficiente e sustentável. De acordo com projeções da Companhia Nacional do Abastecimento (Conab), o Brasil deverá colher em torno de 308 milhões de toneladas de grãos já na safra 2022/23. A previsão anterior era de alcançar essa marca no ciclo 2027/28.

Esse aumento de produtividade se deve a tecnologia e aos recursos implementados no campo. Machine learning, inteligência artificial, internet das coisas (IoT), conectividade, robótica, sensores e telemetria são ferramentas utilizadas nos setores de produção agrícola. O objetivo é aumentar a produtividade, lucratividade e sustentabilidade.

“A John Deere investe US$ 6,7 milhões por dia em Pesquisa e Desenvolvimento para oferecer o que há de mais tecnológico para o produtor rural, assim, ele pode obter a máxima produtividade de sua lavoura, com redução de custo e sustentabilidade”, ressalta Leibfried. A companhia se torna cada vez mais reconhecida como uma empresa líder em tecnologia, soluções de automação e autonomia que impactam positivamente a todos.

Um dos softwares da companhia, o JDLink™, permite o gerenciamento das operações da máquina de qualquer lugar e a qualquer instante. As máquinas podem ser conectadas ao Service ADVISOR™ Remote — ferramenta que permite ao distribuidor se conectar ao produto para realização remota de diagnóstico e análise de dados de desempenho do equipamento.

Todos os dados gerados são enviados para um dos 42 Centros de Soluções Conectadas, a maior concentração do mundo desses centros de tecnologia em um País, para auxiliar na gestão do produtor. São mais de 15 milhões de hectares conectados ao Operations Center no Brasil, totalizando 60 empresas em território nacional. Globalmente, são mais de duzentas. Tudo isso sendo gerenciado pelo pós-venda da empresa.

Em 2021, mais de 85% dos atendimentos de serviços foram feitos ou iniciados de forma remota, por meio do Centro de Soluções Conectadas. Em média, essa abordagem remota/híbrida reduziu em 50% o tempo médio de atendimento/reparo. Isso se deve a três fatores: redução das viagens a campo, diminuição do tempo de logística de peças/técnicos e do intervalo de diagnóstico. A principal tecnologia aqui é o Suporte Conectado, que conta com tecnologias de diagnóstico/ajustes nas máquinas em tempo real/a distância, acesso remoto às máquinas com interação com o operador sem que ele saia da cabine e algoritmos de Machine Learning e Inteligência Artificial para predição/prevenção das falhas (Expert Alerts). O custo médio dos serviços/assistência técnica, quando feitos ou iniciados de forma remota, ficam até 60% mais baratos para o produtor, pois gera economia de custos de deslocamento e, acima de tudo, diminui muito o tempo de máquina parada.

Inovação aberta

Em janeiro de 2022, a empresa expandiu sua colaboração com o AgTech Garage, maior hub de inovação no agronegócio na América Latina, tornando-se uma Innovation Partner. Ainda esse ano, a empresa também fechou uma colaboração com a startup brasileira DataFarm para análise do yield gap, refletindo positivamente na produtividade e sustentabilidade de propriedades rurais. Também em 2022, a John Deere adquiriu a startup Kreisel Electric, de baterias e carregamento rápido, investiu na agtech queniana Hello Tractor, que conecta proprietários de tratores com pequenos agricultores na África e na Ásia por meio de um aplicativo, e começou a fazer parte do Inovabra, ecossistema de inovação do Bradesco que permite aproximação do braço financeiro da John Deere com startups e acelera transformação digital.

No ano anterior, incorporou a Bear Flag Robotics, de automação e inteligência artificial. Em 2017, a companhia adquiriu a Blue River Technology, que aplica o machine learning em pulverizadores com uma tecnologia inovadora. Também passou a investir na ClearFlame, empresa americana de tecnologia limpa e descarbonização.

Programação John Deere

Para proporcionar uma experiência única em seu estande, a John Deere trouxe mais uma vez o agro para dentro do mundo tech, com uma ativação sensorial que contará um pouco sobre o setor, dividido em seis temas. A jornada inicia mostrando a conexão do campo com a cidade, toda a influência da agricultura na vida das pessoas. Em seguida, passamos para o dia a dia do produtor rural, o trabalho completo e a tecnologia envolvida no processo. Depois, a John Deere mostra tudo o que está por trás da máquina em funcionamento, trazendo a captação e análise de dados e os Centros de Soluções Conectadas. A empresa conta um pouco do seu olhar para a inovação aberta e as parcerias que já surgiram desse trabalho. Além disso, é reforçado como o agronegócio está dentro do universo tecnologia e alguns dos valores trabalhados diariamente para que seja possível oferecer o melhor e o mais atual para os clientes.

13/11 (domingo)

– Workshop de Metaverso (1 hora e 55 minutos)

14/11 (segunda-feira)

– Palestra Mulheres de TI (25 minutos)

– Palestra Operations Center (25 minutos)

– Palestra Tecnologia Embarcada (25 minutos)

Comments are closed