Gartner prevê que os gastos mundiais de usuários finais com serviços de Nuvem Pública atingirão US$ 600 bilhões em 2023

Gartner prevê que os gastos mundiais de usuários finais com serviços de Nuvem Pública atingirão US$ 600 bilhões em 2023

Gartner, Inc., líder mundial em pesquisa e aconselhamento para empresas, prevê que os gastos mundiais de usuários finais com serviços de Nuvem Pública crescerão 20,7% em 2023, totalizando US$ 591,8 bilhões. O número representa crescimento de 18,8% em relação ao volume deste ano, que deve ser de US$ 490,3 bilhões. 

“As atuais pressões inflacionárias e as condições macroeconômicas estão tendo um efeito de ‘empurrar e puxa’r os gastos com Nuvem”, diz Sid Nag, Analista e Vice-Presidente do Gartner. “A Computação em Nuvem continuará sendo um bastião de segurança e inovação, apoiando o crescimento em tempos incertos devido à sua natureza ágil, elástica e escalável”, afirma. 

“No entanto, as organizações só podem gastar o que têm. Os investimentos com aplicações em Nuvem podem diminuir se os orçamentos totais de TI encolherem, lembrando que Cloud continua sendo responsável pela maior parte dos gastos com tecnologia”, afirma o analista do Gartner. 

Todos os segmentos devem ter crescimento em 2023. Segundo a pesquisa do Gartner, a área de Infraestrutura como Serviço (IaaS) terá o maior crescimento de gastos dos usuários finais em 2023, com 29,8% de aumento.  

Previsão de gastos mundiais de usuários finais com serviços de Nuvem Pública 

(em bilhões de dólares) 

 2021 2022 2023 
Processos de Negócios como Serviços (BPaaS) 54,9 60,1 65,1 
Plataforma como Serviço (PaaS) 89,9 110,6 136,4 
Serviços de Software como Serviço (SaaS) 146,3 167,1 195,2 
Serviços de Gerenciamento e segurança de Nuvem 28,4 34,1 41,6 
Infraestrutura como Serviço (IaaS) 90,8 115,7 150,2 
Desktop como Serviço (DaaS) 2,0 2,5 3,1 
Total 412,6 490,3 591,8 

Nota: Valores arredondados. 

Fonte: Gartner (Pesquisa de outubro de 2022) 

“A migração para a Computação em Nuvem não está parando”, avalia o Vice-Presidente do Gartner. Segundo ele, a área de Infraestrutura como Serviço continuará crescendo naturalmente à medida que as empresas aceleram suas iniciativas de modernização de TI para minimizar riscos e otimizar custos. “Mover as operações para ambientes em Nuvem também reduz os gastos. Além disso, estender os investimentos ao longo de um prazo de uma assinatura pode ser um benefício importante em um cenário no qual a disponibilidade imediata de dinheiro pode ser fundamental para manter as operações funcionando”, diz o analista. 

O Gartner estima que os segmentos de Plataforma e de Software como Serviço sintam os impactos mais significativos da inflação devido aos desafios de pessoal e ao foco na proteção de margem. No entanto, ambos ainda terão um crescimento contínuo. As pesquisas do Gartner estimam um crescimento de 23,2% para Plataforma como Serviço (PaaS) e de 16,8% para Software como Serviço (SaaS) em 2023. 

“Pessoas mais qualificadas e com salários mais altos são necessárias para desenvolver modernos programas oferecidos como serviço, de modo que as organizações serão desafiadas à medida que as contratações tenham que ser reduzidas para controlar os custos”, alerta Nag. “Mas como as soluções de Plataforma como Serviço podem facilitar a geração de códigos mais eficientes e automatizados para programas disponibilizados como serviço, a taxa de consumo de plataforma como serviço deve consequentemente aumentar.” 

“Apesar de o crescimento, a lucratividade e as pressões da concorrência, os gastos devem continuar sendo gerados com o uso perpétuo de recursos em Nuvem”, afirma o analista do Gartner. “Depois que as aplicações e as cargas de trabalho migram para ambientes Cloud, elas geralmente permanecem lá. Em contrapartida, os modelos de assinatura garantem que os investimentos continuem durante a vigência do contrato e provavelmente muito além. Para esses fornecedores, os gastos com Cloud são uma anuidade – o presente que continua dando.” 

Comments are closed