BRK Acelera conclui programa de mentoria com sete startups focadas em saneamento

BRK Acelera conclui programa de mentoria com sete startups focadas em saneamento

Engajada em apoiar o empreendedorismo e a inovação brasileira para o setor de saneamento básico, a BRK, concessionária privada presente em mais de cem municípios brasileiros, celebra o encerramento do Programa Waterlution BRK Acelera com o DEMODAY das sete startups que desenvolveram soluções específicas para o segmento. A iniciativa foi desenvolvida em parceria com a ONG canadense Waterlution e o centro de inovação CESAR.

O programa reforça o compromisso da concessionária de apoiar a inovação aberta, com investimentos em novos projetos e a aceleração de startups capazes de tornar as operações de água e esgoto mais eficientes. Em contrapartida, as empresas ainda têm a oportunidade de entender melhor o funcionamento dos negócios relacionados ao setor.

Foram três meses de trabalho, com apoio de profissionais de diferentes áreas da BRK, que proporcionaram a troca de conhecimentos para revolucionar os serviços de água e esgoto no Brasil. A partir da experiência da equipe da concessionária, os participantes puderam conhecer na prática os desafios desse mercado, o que contribuiu com o aprimoramento e amadurecimento das soluções.

“O BRK Acelera é um programa que proporciona uma troca na qual todos ganham. Essa foi apenas a conclusão de uma etapa. No entanto, o trabalho de apoio e desenvolvimento de startups não encerra por aqui, acompanharemos o desenvolvimento de todos os projetos, com provas de conceito, e estamos empenhados em estimular o crescimento dessas iniciativas. Queremos garantir soluções cada vez mais eficientes para o setor e estamos prontos para receber novas startups”, reforça Denise Pithan, gestora de inovação da BRK.

Entre as iniciativas participantes do projeto está a O2ECO, um sistema de proliferação de organismos vivos benéficos ao meio ambiente que agem naturalmente no processo de regeneração e despoluição da água. A proposta da solução é auxiliar no tratamento de rios, lagos, lagoas e outros corpos hídricos, como as estações de tratamento de água, sem a utilização de produtos químicos.

Para Luis Magalhães, co-fundador da O2ECO, a participação no programa de aceleração foi fundamental para conhecer de perto os desafios do setor. “Tivemos a oportunidade de olhar para a nossa empresa como um todo, isso nos ajudou a lidar com parceiros e, naturalmente, nos trouxe resiliência para atuar no setor de saneamento. Por meio de uma análise estratégica em nossas mentorias e conexões com atores importantes na cadeia do saneamento, conseguimos acessar não apenas as ‘fraquezas escondidas’, mas também ótimas oportunidades e inteligência de mercado, que abriram e, certamente, vão abrir caminhos para nossa empresa em um futuro próximo”, avalia.

Outras ideias também estão em fases avançadas de estruturação, com provas de conceito em andamento, como a Galax-ia, responsável por uma solução que combate a escassez hídrica e reduz o desperdício de água, e a Time Energy, que investe em softwares e medidores para reduzir o gasto energético nas operações de saneamento. As startups avançaram com suas propostas ao longo do programa de mentoria e provaram o valor do negócio, com isso já garantiram o início da fase de provas de conceito em operações de saneamento da BRK.

“O BRK Acelera ampliou nossa visão a respeito dos desafios que as grandes empresas têm, isso nos permitiu ajustar o nosso produto e modelo de negócio para atender muito bem aos desafios do setor. Agora, iniciaremos um projeto-piloto, para demonstração de resultados e benefícios da nossa solução. Com isso, teremos possibilidade de avançar para a fase de implantação em larga escala”, avalia Felipe Fraporti, co-fundador da Galax﹒ia﹒

De acordo com o CEO da Time Energy, Leandro Pereira, o BRK Acelera validou as propostas de solução da equipe e contribuiu com a estruturação de novas ideias. “Quando iniciamos o programa, tínhamos uma visão muito ampla de atuação e, no decorrer do programa, pudemos refinar nosso trabalho. A partir de agora, vamos partir para o desenvolvimento de uma prova de conceito, para acompanharmos a evolução da nossa solução orientada às necessidades do setor de saneamento”, destaca.

O projeto ainda contou com a participação das startups: Elisenia (estação de tratamento de esgoto que utiliza biofiltro com serragem, pedras e minhocas para tratar o esgoto domésticos e efluentes orgânicos de maneira sustentável); NBot (tecnologia de tratamento de água e esgoto por meio de nanobolhas que minimizam o gasto energético das operações); SDW (plataforma que conecta startups, ONGs e iniciativas de responsabilidade social com empresas interessadas em realizar projetos de impacto social relacionados ao saneamento); e Green Energy (transforma o lodo gerado nas estações de tratamento de esgoto em biocombustível e energia verde).

Portal de Inovação para novos projetos

Em busca ampliar o número de projetos inovadores e tornar os sistemas de água e esgoto cada vez mais eficientes, a BRK lançou a plataforma BRK Inova. O canal é direcionado à inovação aberta e busca parcerias com pesquisadores, professores, startups e empresas que desejam investir em co-criação. Os visitantes ainda contam com Pitch day, um espaço que permite que startups se conectem com a BRK e apresentem soluções inovadoras para o saneamento básico. Para participar, não existem limitações, o importante é que sejam apresentadas novas ideias, independentemente do estágio de desenvolvimento.

Comments are closed