Black Friday 2023: intenção de compra cresce na maioria das categorias, aponta pesquisa do Google

Compartilhar

No que depender da vontade do consumidor, a Black Friday deste ano será de mais vendas para o Varejo e maior diversificação na cesta de produtos. Uma nova pesquisa encomendada pelo Google à Offerwise mostra que a intenção de compra dos brasileiros para a data cresceu na maioria das categorias analisadas. De acordo com o estudo – que ouviu mais de 1.800 brasileiros conectados das classes A, B e C de todo o Brasil em julho de 2023 –, duas em cada três pessoas no país pretendem comprar produtos na temporada promocional de novembro.
 

Das 20 categorias analisadas pela pesquisa, 16 tiveram crescimento na intenção de compra. A categoria que mais se destacou foi a de beleza e perfumaria, cuja intenção de compra para a Black Friday está 18 pontos percentuais (p.p.) maior do que no ano passado. Eletrodomésticos (+10 p.p.), eletroportáteis (+ 9pp), equipamentos de áudio & vídeo (+9pp); roupas & acessórios (+7 p.p.); roupas & calçados esportivos (+7 p.p.), móveis (+5 p.p.) e calçados (+5 p.p.) são outras categorias que estão atraindo maior desejo do consumidor neste ano. 
 

Segundo a pesquisa, para um em cada quatro brasileiros, o preço baixo é o fator mais determinante para decidir a sua compra na Black Friday. Mas os brasileiros não querem somente poupar durante as compras. A preocupação com a qualidade dos produtos vem ganhando mais destaque e é o segundo quesito mais importante na opinião dos consumidores – em 2022, era o quarto em prioridade. A confiabilidade da loja, site ouaplicativo, o custo de frete e o tempo de entrega também se destacam entre os mais citados. 
 

“A confiança dos consumidores está no maior nível desde antes da pandemia. O brasileiro está otimista e essa notícia abre as portas para as muitas oportunidades que o Varejo terá na Black Friday em 2023”, afirma Gleidys Salvanha, diretora de negócios para o Varejo no Google Brasil. “Há grandes possibilidades de diversificação para o Varejo nesse ano, já que as categorias que mais crescem no curto prazo não são as mais tradicionais da Black Friday, como a de eletrônicos.”

 

Antecedência nas pesquisas


Embora ainda faltem quase dois meses para a Black Friday, as buscas pelo termo ‘Black Friday’ no Brasil cresceram 24% comparado ao mesmo período de 2022. E muitas das categorias com alta intenção de compra já começam a ser pesquisadas pelos consumidores. Por exemplo, segundo a pesquisa encomendada pelo Google à Offerwise, em média, 6 em cada 10 brasileiros que declaram querer comprar TVs, equipamentos de áudio e vídeo, eletrodomésticos e celulares na data promocional começam a buscar o produto com um mês ou mais de antecedência.


“Quanto maior o preço de um produto e a complexidade da tomada de decisão para sua compra, maior é a antecipação das pesquisas. E nesse processo de tomada de decisão, a importância do digital é inquestionável: 91% dos consumidores pesquisam on-line antes de comprar na Black Friday”, diz Nathalia Camargo, diretora de Commerce para médias empresas do Google Brasil.


A executiva destaca ainda outros dados do estudo que mostram que, para algumas categorias, o consumidor está mais indefinido sobre que produto ou serviço comprar. Mais de 4 em cada 10 brasileiros que pretendem adquirir itens nas categorias roupas & acessórios, decoração, utensílios domésticos e cama, mesa & banho ainda não tomaram a decisão.

Inteligência artificial para entender jornada cada vez mais complexa


Durante o evento, o Google apresentou também um estudo sobre os padrões de compra na Black Friday, mostrando que nem todos têm a mesma relação com a data e apontando quatro comportamentos principais: os entusiastas, os preparados, os criteriosos e os cautelosos. De acordo com uma análise feita pelo Google, a partir da comparação de cada um dos perfis identificados na pesquisa com o consumo em diferentes categorias de produtos, o número de possibilidades de jornada de compra pode chegar a 130 milhões.
 

“Saímos de uma visão de funil, que é mais linear, para uma visão de jornada com inúmeras possibilidades, muito mais heterogênea e que varia, inclusive, por categorias. Podemos dizer que para cada categoria tem uma jornada diferente, que vale, inclusive, para uma data super guiada pelo Varejo, como a Black Friday”, afirma Rodrigo Paoletti, líder de produtos de performance do Google Brasil.
 

O executivo cita como exemplo a distinção das jornadas em alimentos, celulares, roupas e viagens. A pesquisa de informações antes da compra é uma etapa da jornada que pode acontecer tanto em canais on-line quanto offline. Para alimentos, por exemplo, é mais offline do que para roupas ou celulares. Na pesquisa, além de mais offline, alimentos é a categoria com menor antecipação – o tempo médio para alimentos é de apenas sete dias antes da data.
 

Diante da complexidade da jornada, a empresa mostrou soluções que vem ajudando os varejistas a superar esse desafio por meio da inteligência artificial. O principal exemplo é o Performance Max, campanha baseada em metas que vem ajudando os clientes a aumentar, em média, 18% nas conversões por meio de campanhas utilizando plataformas do Google (como o YouTube, Display, Busca, o Discover, Gmail e Maps).
 

“Todos esses aprendizados nos permitiram concluir que, para cada consumidor, precisamos ter uma Black Friday. Da combinação da relação com a Black Friday e do comportamento dos consumidores, com as categorias, produtos e momentos, surgem inúmeras possibilidades. É preciso estar preparado para essas jornadas cada vez mais imprevisíveis e a IA é o que permite entender o melhor momento de se conectar com o consumidor”, completa Paoletti.

Compartilhar
%d blogueiros gostam disto: