Archive junho 2013

Novo presidente do ICI apresenta objetivos estratégicos do instituto

Desde que assumiu, interinamente, a presidência do Instituto Curitiba de Informática, o empresário Luís Mário Luchetta se empenha no sentido de fazer do ICI uma instituição respeitada pela sociedade por prover soluções integradas de tecnologia da informação e comunicação de forma ágil e inovadora fomentando o desenvolvimento e a integração da indústria nacional de tecnologia da informação e comunicações.

Do início do mês de maio até aqui, Luís Mário tem trabalhado no sentido de definir objetivos estratégicos, que servirão de metas do Instituto até 2016. As primeiras ações já apresentam resultados animadores e são baseadas na experiência e competência que também levaram Luchetta à presidência nacional da Assespro – Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação.

Em texto publicado no site do ICI, Luís Mário Luchetta aponta as estratégias que vão servir para manter o instituto na vanguarda das soluções de tecnologia para a gestão pública em Curitiba, no Paraná e no Brasil. Leia o texto na íntegra.

Tags, , ,

77% das PMEs americanas usam as redes sociais

De acordo com um relatório realizado no primeiro trimestre de 2013 pelas empresas de software, Vocus e Inc. Revista, revelou que mais de três quartos das pequenas e médias empresas (PMEs) americanas usam as redes sociais como ferramenta de marketing digital e quase um quarto dessas empresas acreditam ser uma das melhores ferramentas de marketing digital.

As metas para o marketing digital das PMEs, de acordo com a pesquisa, é de impulsionar as vendas e aumentar a visibilidade da marca, respectivamente. Para Luís Felipe Cota, diretor de marketing da Goomark, agência especializada em comunicação e marketing para PMEs, a procura das empresas por redes sociais só tendem a crescer.

“Cada vez mais as redes sociais criam novas ferramentas para aproximar as marcas dos seus fãs, as empresas que sabem aproveitar a oportunidade acabam se dando melhor. Saber engajar o público, criar um conteúdo relevante sem que falar somente do produto ou serviço pode ser uma grande arma para fidelizar o seu cliente e alavancar as vendas do seu negócio”, revela Cota.

Tags, ,

Empresa incubada no Senai-PR vence prêmio nacional de empreendedorismo

O Já Entendi, startup de inteligência educacional, foi um dos 10 projetos vencedores da edição 2013 do Desafio Tecnologias que Transformam, promovido pela Fundação Telefônica Vivo. A empresa, que faz parte da Incubadora do Senai em Curitiba, recebeu como prêmio uma verba-semente de R$ 10 mil. O resultado do desafio, que visou buscar ideias empreendedoras que utilizem tecnologia para gerar impacto social, foi divulgado na última quinta-feira (20). Ao todo, o DesafioFT, como ficou conhecido, teve mais de 200 ideias inscritas durante sua fase inicial e 30 finalistas.

A Já Entendi comercializa uma metodologia de aceleração de aprendizado através de diversas plataformas, como vídeo-aulas, jogos educacionais, aplicativos para tablets e smartphones. Pretende alcançar alunos de todos os estados brasileiros transformando a aprendizagem e usando a inovação metodológica a favor desse processo. Sua proposta é vender interesse pelos estudos – e não uma metodologia de ensino. Além do DesafioFT, a Já Entendi também foi uma das vencedoras do Prêmio Estadão PME, também divulgado no dia 20, e da 3ª Edição do Desafio Senai de Empreendimentos Inovadores, de 2012.

Atualmente, está na incubadora do Senai, na categoria residente, localizada no Sistema Federação das Indústrias do Paraná – Sistema FIEP, em Curitiba. A Incubadora é uma iniciativa no Senai Centro Internacional de Inovação que promove o empreendedorismo em startups e spin offs que possuem um negócio com perspectiva de mercado e crescimento em escala.

Para a empreendedora Gladys Mariotto, o suporte fornecido pelo Senai Centro Internacional de Inovação é fundamental. “O Senai nos dá todo o apoio. Nos ajuda a sanar dúvidas que temos em relação ao mundo empresarial, como investimentos e problemas de gestão, entre outros. Sempre posso contar com a orientação deles”, disse Gladys. “Como empreendedora, é essencial poder contar com esse apoio. É como se a Incubadora do Senai fosse minha sócia, pois eles têm interesse no desenvolvimento e crescimento da empresa”, finaliza.

Tags, , , , , , , ,

Seu chefe é um bom líder? Conheça seis estilos de liderança

Fonte: iG

Você já sentiu que não recebeu o reconhecimento merecido quando atingiu uma meta imposta por seu chefe ou realizou uma tarefa com sucesso? E, no entanto, quando você comete um erro, o seu líder não demora nem um minuto para criticar o seu modo de trabalho? Pois saiba que esta situação é mais comum do que se pensa.

Segundo estudo da consultoria global de gestão de negócios Hay Group, realizado a partir de um banco de dados com informações de 95 mil líderes de mais de 2.200 organizações ao redor do mundo, a maioria dos chefes cria climas desmotivadores entre seus colaboradores. No Brasil, 63% de 3.089 dos líderes pesquisados não conseguem criar um clima harmonioso em suas equipes.

A consequência da liderança inflexível é um desempenho organizacional abaixo do que seria alcançado caso a equipe fosse motivada por um chefe eficiente. A consultoria utilizou como base para o estudo a pesquisa realizada pela Universidade de Harvard, que definiu seis estilos de liderança predominantes entre os chefes – o coercitivo, o dirigente, o democrático, o afetivo, o modelador e o treinador.

OS SEIS ESTILOS

Tags, , , , , ,

Médicos farão mobilização nacional em 3 de julho

Os médicos brasileiros decidiram realizar uma mobilização nacional no dia 3 de julho, em protesto as recentes medidas do governo na área de saúde pública. A decisão foi apoiada por lideranças médicas nacionais e estaduais, representando as áreas associativa, sindical, conselhal, sociedades médicas de especialidade, residentes e estudantes de medicina, reunidas na manhã desta terça-feira (26) na sede da AMB em São Paulo.

Dentre as principais reivindicações das entidades, frente ao cenário atual que se encontra a medicina e a saúde pública nacional, estão a criação de carreira de estado para médicos, visando a interiorização de profissionais, remuneração de forma justa aos profissionais, atuação contra a importação de médicos estrangeiros sem a revalidação de seus diplomas; melhor financiamento para a saúde; melhoria nas estruturas de atendimento à população; reestruturação do decreto presidencial 7562, que alterou a Comissão Nacional de Residência Médicas. Veja abaixo a íntegra da carta aberta divulgada aos médicos e à população brasileira pelas entidades médicas.

CARTA ABERTA AOS MÉDICOS E À POPULAÇÃO BRASILEIRA
OS MEDICOS NA LUTA EM DEFESA DA SAÚDE PÚBLICA

As decisões anunciadas pelo Governo que afetam a saúde pública brasileira demonstram a incompreensão das autoridades ao apelo manifestado nas ruas. A vinda de médicos estrangeiros e a abertura de mais vagas em escolas médicas são medidas irresponsáveis, por expor a parcela mais carente e vulnerável da nossa população a profissionais mal formados e desqualificados.
A reação das entidades médicas simboliza a resistência dos profissionais e dos cidadãos ao estado de total abandono que afeta a rede pública. Não é possível acreditar que medidas midiáticas dessa ordem resolverão o acesso e a qualidade do atendimento nos serviços de saúde. Não se trata de ação corporativista, mas corporativa, no sentido de unir a força das entidades em prol do bem comum e da vida dos brasileiros.
Por isso, nesta terça-feira (26), os representantes de conselhos, associações, sindicatos e sociedades de especialidades médicas, reunidos em São Paulo, decidiram por consenso intensificar a luta em defesa do Sistema Único de Saúde (SUS) e pelas condições para o pleno exercício da Medicina. Portanto, seguem medidas que deverão ser colocadas em prática e que, sob nenhum aspecto, querem a penalização do paciente, já tão prejudicado pelo abandono do Governo. Dentre as ações constam:
1) Mobilização nacional dos médicos e da sociedade no dia 3 de julho (quarta-feira) em defesa do SUS e da Medicina de qualidade. Estão previstos passeatas, protestos, caminhadas, atos públicos e assembleias em todos os Estados para alertar a população para o problema. Locais e horários serão divulgados pelas entidades estaduais;
2) Apoiar a aprovação urgente da PEC 454 em tramitação na Câmara dos Deputados, que prevê uma carreira de Estado para o médico (semelhante ao que ocorre no Judiciário), único caminho para estimular a interiorização da assistência com a ida e fixação de médicos em áreas de difícil provimento;
3) Incentivar a coleta de 1,5 milhão de assinaturas para tornar viável a apresentação do Projeto de Lei de Iniciativa Popular Saúde + 10, que prevê mínimo de 10% da receita bruta da União em investimentos na saúde;
4) Defender a derrubada do Decreto Presidencial 7562, de 15 de dezembro de 2011, que modificou a Comissão Nacional de Residência Médica, tornando-a não representativa e refém dos interesses do Governo, o que sucateou a formação de médicos especialistas no país;
5) Atuar contra a importação de médicos estrangeiros sem revalidação de seus diplomas com critérios claros e rigorosos, conforme a prática mundial e o previsto na legislação vigente. Defendemos o uso do Programa Revalida, do Governo Federal, em seus moldes atuais;
6) Vistoriar as principais unidades de saúde do país, encaminhando denúncias ao Ministério Público e outros órgãos de fiscalização, revelando a precariedade da infraestrutura de atendimento que afeta pacientes e profissionais.

As entidades médicas informam que nesta semana estará disponível o site SOS Saúde (www.sossaude.org.br), onde médicos, profissionais da saúde e a população poderão apresentar denúncias (com relatos, fotos e filmes). Este será um espaço público para divulgar a situação precária da rede pública em todo o país.
Finalmente, as entidades declaram o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, como persona non grata para a sociedade por adotar medidas eleitoreiras que colocam em risco a vida e a saúde dos brasileiros.

São Paulo, 26 de junho de 2013.
ASSOCIAÇÃO MÉDICA BRASILEIRA (AMB) – ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE MÉDICOS RESIDENTES (ANMR) – CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA (CFM) – FEDERAÇÃO NACIONAL DOS MÉDICOS (FENAM)

Tags, , , ,

Pesquisa global aponta que profissionais de marketing perdem oportunidades digitais

Os profissionais de marketing têm perdido oportunidades muito importantes de se aproximar dos consumidores e entregar experiências personalizadas que fortalecem a afinidade com a marca, de acordo com pesquisa divulgada pela Adobe Systems Incorporated (Nasdaq: ADBE). O estudo global chamado Click Here: The State of Online Advertising, entrevistou consumidores e profissionais de marketing em sete países, entre os Estados Unidos e as regiões da Ásia-Pacífico e Europa, e oferece novas perspectivas globais sobre a efetividade do marketing online. A pesquisa foi divulgada antes do Festival Internacional de Criatividade Cannes Lions, o maior evento para profissionais de publicidade e marketing, realizado em Cannes, na França, entre os dias 16 e 22 de junho.

O marketing digital não atende às necessidades dos consumidores
A pesquisa revelou que muitos consumidores e profissionais de marketing ainda acreditam que a publicidade online não é eficaz (consumidores 32%; profissionais de marketing 21%). Os profissionais de marketing dos EUA e Europa foram os mais indiferentes em relação à publicidade online. Consumidores e profissionais de marketing do mundo todo que responderam à pesquisa acreditam que anúncios em banners não funcionam (consumidores 49%; profissionais de marketing 36% ).

“Os banners representam muitas das piores características da publicidade que existem no espaço digital – são intrusivos e manipuladores, chamam a atenção de maneira exagerada e usam informações capturadas clandestinamente. Os consumidores percebem que agora estão no controle e não aceitam esse tipo de anúncio. Porém, além dos banners, existe muito conteúdo de marketing online que fomenta a interação do cliente, e está apenas começando a era da criatividade que explora as ferramentas que realmente funcionam”, afirma David C. Edelman, co-líder mundial de Marketing Digital e Prática de Vendas da McKinsey & Company.
“Os melhores profissionais de marketing devem focar em dados para impulsionar a relevância, em design para criar uma experiência que desperta uma sensação de bem estar ao cliente, e em entrega para realizar isso sob demanda. Quando os consumidores passam a aproveitar mais dessas experiências, eles também darão mais valor à profissão de marketing, ajudando a atrair o talento necessário para criar um círculo virtuoso”, completou.

A mídia tradicional, como a impressa ou a TV, recebeu uma pontuação maior dos consumidores e profissionais de marketing em todas as regiões nos quesitos credibilidade e eficácia entre (mídia tradicional, 94% dos consumidores; 91% dos profissionais de marketing; fontes modernas/digitais, 52% dos consumidores; 68% dos profissionais de marketing). Os entrevistados na região da Ásia-Pacífico mostram mais afinidade com publicidade impressa ou de TV (47%), seguidos pelos consumidores europeus (36%) e norte-americanos (31%). É interessante observar que as mensagens de textos, como canal de publicidade, não são consideradas irritantes na Ásia-Pacífico (34% de consumidores; 24% de profissionais de marketing) comparada com os resultados dos EUA (62% dos consumidores; 59% dos profissionais de marketing) e Europa (62% dos consumidores; 57% dos profissionais de marketing).
“O marketing digital criou uma oportunidade excepcional, mas com isso a expectativa do consumidor também aumenta. O consumidor espera uma história personalizada, um nível de confiança e transparência com as marcas que escolhe e, mais importante, uma grande experiência. Em último caso, as marcas que não oferecem isso serão desprezadas”, afirma Ann Lewnes, CMO da Adobe. “Os resultados dessa pesquisa demonstram que ainda não estamos realizando todo o potencial do marketing digital. Agora temos a tecnologia e o conhecimento para direcionar mensagens e meios de marketing relevantes e personalizados aos nossos consumidores. Seria uma pena não aproveitar disso”.

Personalização e Privacidade
Em todas as regiões, um terço dos entrevistados percebem o valor de um site que oferece recomendações personalizadas e de produtos e serviços. Os entrevistados da Ásia-Pacífico se preocupam menos com o compartilhamento de informações privadas em troca de experiências online mais personalizadas, comparado com usuários dos EUA e Europa . Mais especificamente, os entrevistados aceitam a publicidade direcionada baseada em seu comportamento (EUA 74%. Ásia-Pacífico 63%, Europa 71%). Porém, algumas ações, entre as quais solicitações para compartilhar informações pessoais, como o número do RG, foram consideradas uma invasão de privacidade (EUA 86%, Ásia-Pacífico 55%, Europa 60%).

Opinião do Marketing e dos Profissionais de Marketing
De acordo com os entrevistados, o marketing foi classificado consistentemente como uma das profissões menos valorizadas pela sociedade, apesar da visão muito positiva da profissão entre consumidores (24%) e profissionais de marketing (47%) da Ásia-Pacífico. Esses profissionais em todas as regiões (EUA 45%, Ásia-Pacífico 25%, Europa 28%) concordam que o marketing principalmente ajuda a informar os consumidores à respeito de marcas, produtos e serviços, mas, na região da Ásia-Pacífico, uma grande porcentagem de profissionais de marketing acredita que a publicidade educa (15%), reflete e molda a cultura (14%). Além disso, os consumidores dos EUA “gostam” das marcas que compram com frequência (53%) ou que oferecem promoções (46%), enquanto os consumidores na Ásia-Pacífico (33%) e Europa (26%) são mais propensos a “gostar” em função das suas aspirações ou da personalidade da marca (40%).

Tags, ,

Nova fábrica de veículos da Renault alcança a marca de 100 mil unidades produzidas

A nova Fábrica de Veículos de Passeio (CVP) da Renault do Brasil, inaugurada no dia 20 de março deste ano, alcançou hoje, com um modelo Renault Duster, a produção do veículo número 100.000. Essa conquista acontece apenas três meses após da retomada da produção da unidade, cuja atividade ficou paralisada por 8 semanas,a partir de dezembro de 2012, para ampliação da sua capacidade instalada.

Resultado de investimentos de R$ 500 milhões, que são parte de um plano total de R$ 1,5 bilhão previsto para o período 2010-2015, a ampliação da fábrica de automóveis- responsável pela produção dos modelos Duster, Sandero, SanderoStepway e Logan -elevou sua capacidade de produção de 220.000 para 320.000 unidades anuais. Ao todo, o Complexo Ayrton Senna (do qual faz parte também a fábrica de comerciais leves), teve sua capacidade ampliada de 280 para 380 mil veículos por ano.

“O desempenho da Renault está dentro das nossas previsões. A conquista desse volume reflete a retomada do nosso ritmo de produção e vendas, que devem continuar crescendo gradativamente”, ressalta Olivier Murguet, Presidente da Renault do Brasil.A Renault encerrou 2012 com 6,6% de participação de mercado e a meta é alcançar 8% até 2016.

Tags, , , ,

HP amplia linha de armazenamento convergente

A HP anuncia a expansão de seu portfólio de armazenamento convergente com um sistema HP 3PAR StoreServ em flash sólido otimizado, que oferece desempenho e baixa latência sem comprometer a resiliência corporativa ou adicionar complexidade ao datacenter.

A HP também reforça sua liderança de seis anos no segmento de armazenamento definido por software com um novo HP StoreOnce Virtual Storage Appliance (VSA) que reduz o custo do backup de pequenas instalações em até 65%.(1)

“É impossível para as organizações lidarem com custos imprevisíveis de cargas de trabalho com eficácia se estiverem gerenciando silos de armazenamento distintos”, diz David Scott, vice-presidente sênior e gerente geral da divisão de armazenamento da HP. “Com as inovações do 3PAR StoreServ e do StoreOnce, os clientes obtêm as melhores soluções de propósito específico da categoria para atender a novos requisitos críticos enquanto mantêm a simplicidade que vem de uma abordagem que pode gerenciar e atender a uma variedade de necessidades sem criar novos silos de armazenamento.”

Maior agilidade corporativa em um array otimizado de estado sólido em flash
O novo sistema HP 3PAR StoreServ 7450 Storage oferece mais de 550 mil operações de entrada/saída por segundo, com tempo de resposta de menos de 0,67 milissegundos.(2) Algoritmos de utilização de cache específicos para flash ajustam dinamicamente a granularidade de leitura/gravação para reduzir a latência e acelerar transações. Além disso, o software HP 3PAR Priority Optimization garante o desempenho para cargas de trabalho específicas para aumentar a produtividade geral.

Para oferecer um rápido retorno do investimento, o sistema HP 3PAR StoreServ 7450 Storage possui compactação de dados acelerada por hardware, que reduz as necessidades de espaço em até 50% sem prejudicar o desempenho.(3) A segmentação em todo o sistema, que grava dados automaticamente, aumenta a produtividade, equilibra a carga do sistema e prolonga a vida útil de mídias ao eliminar hot spots. Ao contrário das ofertas de empresas iniciantes, o HP 3PAR StoreServ 7450 assegura a continuidade dos negócios com tecnologias persistentes que fornecem constante acesso a aplicativos no caso de problemas de hardware locais ou desastres em várias instalações.

A HP é o único fornecedor a oferecer uma linha única de produtos que abrange plataformas com preços intermediários, plataformas otimizadas para desempenho em flash e plataformas corporativas com escala de vários petabytes.(4) Os concorrentes com portfólios desatualizados são incapazes de avançar do armazenamento tradicional para sistemas otimizados em flash sem começar do zero.(1)

A simplificação do HP 3PAR StoreServ provê proteção de investimento, reduz custos e acelera a implantação, possível apenas graças à moderna arquitetura do sistema 3PAR StoreServ. Utilizar a mesma arquitetura central permite que todos os sistemas compartilhem serviços de dados comuns como o software de federação de armazenamento PH 3PAR Peer Motion para mover dados atuais para outros sistemas e locais sem interrupções.

Novos software e infraestrutura de SAN para toda a linha HP 3PAR StoreServ
A linha de produtos HP 3PAR StoreServ passa a contar com recursos que fortalecem a segurança empresarial com criptografia avançada de dados para auxiliar clientes da área de saúde, finanças e governo a atender a seus requisitos de conformidade. Ao contrário dos concorrentes, que requerem o investimento adicional de um dispositivo dedicado, o HP 3PAR Peer Persistence é um cluster expandido ativo/ativo que fornece failover transparente de datacenter para eliminar interrupções do fluxo de trabalho.(1) A HP também lança uma nova infraestrutura de SAN HP StoreFabric de 16 gigabits (Gb) que elimina gargalos de largura de banda para maximizar o desempenho de sistemas baseados em flash.

Armazenamento definido por software de 2ª geração para melhor proteção de dados

O novo HP StoreOnce VSA é implantado como uma máquina virtual em servidores padrão de indústria existentes, eliminando a necessidade dos clientes comprarem hardware dedicado. Ele possibilita ofertas de backup como serviço para fornecedores e reduz custos para proteção corporativa de escritórios remotos. Além disso, o HP StoreOnce VSA reduz requisitos de hardware físico em até 50% e custos de energia em até 70%.(5) O novo HP StoreOnce VSA une-se à rede definida por software, ao servidor e ao armazenamento como parte do portfólio de Infraestrutura convergente da HP.

Ao contrário da complexidade fragmentada das soluções da concorrência, apenas o HP StoreOnce atende às necessidades corporativas de backup de disco com uma única arquitetura de armazenamento.(1) Ele pode ser implantado em servidores de backup e aplicativo, além de dispositivos de armazenamento físicos e virtuais. Isso permite que os clientes transfiram dados desduplicados entre qualquer sistema HP StoreOnce sem adicionar a largura de banda e os custos de gerenciamento dos sistemas distintos.

Melhor escalabilidade da indústria para suporte a ambientes de crescimento rápido

A biblioteca de fitas HP StoreEver MSL6480 possui recursos de classe empresarial para proteção de dados em longo prazo, por um preço intermediário. Ela começa pequena e se expande facilmente para fornecer desempenho, escala e densidade líderes do setor, até 60,4 TB/hora e 3,5 PB em uma única biblioteca.

O portfólio de armazenamento convergente da HP se torna ainda mais integrado com o novo software de backup e recuperação HP Data Protector 8. Agora, os clientes podem proteger ambientes com até um trilhão de nomes de arquivos exclusivos, mais de 100 vezes superior aos de aplicativos de backup da concorrência.

Tags, ,

O LinkedIn e as demandas do RH

“A publicação de uma vaga de diretor operacional no LinkedIn, por exemplo, vai atrair algo ao redor de 1.000 candidatos no Brasil. Se a vaga for para analistas, no entanto, a quantidade de candidatos pode superar a casa dos 5.000. Algo que parecia uma solução, ou seja, atrair muitos candidatos, tornou-se rapidamente um problema. Os currículos exigem que as áreas de RH os analisem de maneira artesanal, ou seja os imprimam e façam uma análise individualizada, tornado esse tipo de ação improdutiva”, explica Cezar Tegon, presidente da Elancers, maior empresa de sistemas de recrutamento e seleção do país, com mais de 12 milhões de currículos em sua base de dados, muitos deles de profissionais também cadastrados no LinkedIn.

A falta de ferramentas automatizadas de análise de currículos está levando ao surgimento de sistemas que lêem os dados do LinkedIn, mas trazem esses currículos para bancos de dados privativos, onde é possível uma análise automatizada das informações. Um exemplo é a solução que a Elancers acaba de lançar para as mais de 9.000 empresas que adotam suas soluções, ou seja, a possibilidade de que o candidato, ao cadastrar seu currículo no site de empresas como Volkswagen, Toyota, Gol, TAM, Azul, Martin Brower, Comgas, Ability, OI, Grupo Algar e BRF, entre muitas outras, importem as informações do LinkedIn:

“Criamos este aplicativo que permite aos candidatos importarem as informações que eles já cadastraram no LinkedIn: dados cadastrais, experiência profissional, educação e competências e especialidades. No entanto, para que as informações do LinkedIn sejam úteis para as empresas, o candidato precisará acrescentar alguns dados cruciais como endereço, salário e cargo pretendidos, CPF entre algumas outras. Estes dados são vitais para que a área de RH possa fazer uma boa análise do candidato potencial, mas eles não são encontrados no LinkedIn. Além disso, ao trazer seus dados do LinkedIn para o banco de currículos da empresa, o candidato sabe que estará sendo considerado para uma determinada vaga e para vagas futuras dentro do seu perfil. Empresas que se preocupam com o histórico dos processos e da participação dos candidatos, não fazem mais avaliações de currículos que chegam por e-mail”, assinala Tegon.

Para as empresas, a possibilidade do uso de sistemas inteligentes para a análise de currículos é a diferença entre o céu e o inferno. Segundo Tegon, avaliar 1.000 currículos que chegam por e-mail, por exemplo, exigiria grandes equipes de RH, com resultados precários e pouco confiáveis:

“Já quando a análise é feita via um sistema, a empresa pode aplicar parâmetros como fluência em determinado idioma, proximidade de residência do candidato, qualificações específicas e até mesmo formação em universidades específicas para definir os candidatos que seguem para a próxima fase. Isso é feito em poucos segundos através de pesquisas por palavras chave semelhante ao Google que varrem todas as informações do currículo, permitindo que a área de RH foque naquilo que é mais importante, ou seja, selecionar o melhor candidato para determinada vaga”, assinala Tegon.

O aplicativo que importa os dados do LinkedIn para os sites de emprego das 9.000 empresas que usam o sistema de recrutamento e seleção da Elancers é útil, também, para os candidatos, uma vez que facilita o preenchimento de informações cada vez mais detalhadas e complexas:

“Uma coisa que irrita as pessoas é ter que repetir as mesmas informações em vários sites de currículos. Com a possibilidade de importação dos dados do LinkedIn, o candidato terá que acrescentar apenas aquilo que falta. Com isso, ele pode atualizar apenas o LinkedIn e, a partir daí, importar suas informações para as bases de currículos das empresas clientes da Elancers apenas clicando num botão”, explica Tegon.
Essa solução evidencia um dado pouco conhecido no mercado de trabalho brasileiro: um currículo apenas no LinkedIn não é garantia de um bom emprego. Isso porque as empresas, especialmente mais organizadas, com melhores salários e benefícios, não avaliam mais currículos que chegam por e-mail ou em papel, dada a impossibilidade de análise de milhares de currículos por vaga:
“As empresas que investiram em bons sistemas de recrutamento e seleção, que analisam perfis de candidatos, permitem a aplicação de provas online, marcam entrevistas e outros benefícios, exigem que os profissionais cadastrem seus currículos em suas bases exclusivas de currículos. Por essa razão, acreditamos que a possibilidade de importar os dados do LinkedIn para as áreas de emprego das empresas que atendemos vai ajudar os candidatos a terem acesso a vagas realmente significativas para suas carreiras”, acrescenta Tegon.

Tags,

SiteApps aumenta 'curtidas' na página do Facebook em 50 vezes

Ao instalar o SiteApps, marketplace de aplicativos para websites da Predicta, o site Kmisetas, varejista on-line para customização e venda de camisetas, conseguiu aumentar as curtidas em sua página no Facebook em 50 vezes. A média de ‘likes’ diários do Kmisetas passou de dois para cerca de 100, de acordo com o Facebook Like Report. Em dez dias, o Kmisetas passou de uma centena para mais de mil de fãs.

O resultado expressivo de engajamento de clientes foi alcançado após a instalação do “Social Media Incentive Widget”. Este aplicativo permite oferecer descontos em produtos para visitantes do seu website que curtirem sua página do Facebook. A ferramenta é ideal para sites de comércio eletrônico que querem engajar seus clientes com uma solução a custo zero e fácil de instalar. Não é preciso ter conhecimento específico de programação para usar o aplicativo, que pode ser instalado em qualquer site ou blog em menos de 5 minutos.

“O SiteApps permitiu aumentarmos exponencialmente nossa base de fãs no Facebook em tempo recorde”, comemora Allan Paul Raicher, fundador do Kmisetas. “E é difícil acreditar como foi fácil implementar essa estratégia”, acrescenta.

De acordo com Phillip Klien, diretor de Produtos e sócio fundador da Predicta, os círculos sociais de clientes estão cheios de oportunidades. “Cerca de 90% das compras on-line têm algum tipo de influência social, então, antes de gastar uma montanha de dinheiro em anúncios no Facebook, otimização de audiência segmentada, palavras-chave etc., deixe que os usuários do seu site façam o marketing para você”, aconselha Klien.

Tags, , , , ,

Gartner: 25% das empresas terão loja de Apps em 2017

De acordo com o Gartner, líder mundial em pesquisa e aconselhamento sobre tecnologia, 25% das empresas terão em 2017 uma loja corporativa de aplicativos para gerenciar os Apps (aplicativos) sancionados pela empresa em PCs e aparelhos móveis. Estas lojas prometem gerar maior controle das aplicações usadas pelos funcionários, dos gastos com software e maior nível de negociação com os fornecedores. Porém, isso só é possível se a loja for amplamente adotada dentro da organização. Essa será uma das tendências apresentadas pelos analistas do Gartner durante a Conferência Arquitetura de Aplicações, Desenvolvimento e Integração, que acontece nos dias 13 e 14 de agosto (terça e quarta-feira), no Sheraton São Paulo WTC Hotel.

“Os aplicativos baixados pelas lojas públicas comprometem as estratégias de segurança de TI, aplicações e aquisições. O chamado ‘Traga seu próprio aplicativo’ (BYOA) se tornou tão importante quanto o ‘Traga seu próprio dispositivo’ (BYOD) no desenvolvimento de uma estratégia para mobilidade. A tendência do BYOA começa a afetar as aplicações para Desktop e Web”, explica Luis Cláudio Mangi, vice-presidente de pesquisas do Gartner, que apresentará sessão sobre a governança de aplicativos e da informação durante a Conferência. As lojas de Apps corporativas prometem, ao menos, uma solução parcial, mas, somente, se a segurança de TI, aplicações, aquisições e profissionais de sourcing puderem trabalhar juntos para adotar o conceito de loja dos aplicativos para suas empresas. Quando bem sucedida, é possível aumentar o valor entregue pelo portfólio de aplicações e reduzir os riscos associados, além de taxas de licença e despesas de administração.

O Gartner identificou três tendências para as lojas corporativas de Apps e, também, recomendações de como organizações podem se beneficiar:

1. O crescente número de aparelhos móveis das empresas e a adoção do gerenciamento de dispositivos móveis conduzirão para a demanda e adoção dessas lojas

As empresas já têm muitas escolhas para baixar software nos PCs, mas, a maioria delas, não inclui o suporte a smartphones e tablets. Elas começam a formalizar mais suporte padrão a esses aparelhos e procuram formas de gerenciar o fornecimento de aplicativos móveis, especialmente na medida em que desenvolvem os seus próprios para estender dados mais complexos a esses dispositivos.
Muitas empresas procuram fornecedores de gerenciamento de dispositivos móveis (MDM) para prover dessas capacidades como parte de uma suíte de serviços que estão vendendo. Atualmente, a maioria dos fornecedores tem uma maneira simples de estender Apps para dispositivos móveis, geralmente, por meio de um agente básico no aparelho. Mas, muitas empresas estão lançando lojas mais sofisticadas que podem hospedar Apps corporativos e de terceiros para acessar por smartphones, tablets e PCs. O desenvolvimento de aplicativos móveis e o suporte de MDM conduzirão a maioria das implantações das lojas corporativas de aplicativos durante os próximos 12 a 18 meses.

As organizações começam a avaliar a real necessidade pela adoção imediata dessas lojas e procurar fornecedores que oferecem suporte multiplataforma para Web, PCs e Apps móveis, bem como para diferentes dispositivos. As lojas de aplicativos devem ser parte de um pacote de recursos de MDM e compradas com uma solução completa de gerenciamento móvel.

2. As lojas corporativas de aplicativos podem oferecer suporte a um processo automatizado de software mais diversificado e competitivo, que exige menos intervenções relativas a aquisições

As empresas oferecem uma maneira de automatizar a aquisição de licenças de software de lojas de aplicativos sob controle corporativo como parte do processo normal de requisições. Ao deixar a escolha para os usuários, as organizações podem delegar muitas decisões sobre preços e performance, lembrando que o custo dessa escolha será aprovado pela gerência e/ou retorno para sua unidade de negócios.
“As lojas corporativas permitem ao setor de aquisições ampliar a escolha dos usuários, incentivando os fornecedores a enviarem aplicativos concorrentes e monitorarem a demanda por Apps populares, trazendo benefícios à negociação de termos de licença e preços”, afirma Luis Mangi.

3. O sucesso a longo prazo de uma loja corporativa de Apps depende do aumento no fornecimento de soluções de software
Poucas empresas, ainda, podem controlar sua cadeia de valor móvel. As organizações de TI devem deixar de selecionar aparelhos e software para usuários e estabelecer políticas transparentes e aplicadas de curadoria de aplicativos – como, atualmente, ocorrem nas lojas públicas de aplicativos.

A mudança de controle será um desafio para muitas áreas de TI e, mais ainda, capacitar usuários para escolher. Sem uma seleção dinâmica de aplicativos a serem escolhidos, os usuários, eventualmente, não terão muitas razões para continuar visitando as lojas de Apps. Isso pode ser uma maneira natural de compartilhar novas aplicações dentro da empresa, reconhecer as melhores, fornecer feedback aos times de desenvolvimento e, até, criar certa competição entre elas – tudo a fim de conduzir ao desenvolvimento de soluções melhores. Um grande aumento nas opções de aplicativos disponíveis para os integrantes é uma condição para qualquer loja corporativa de sucesso.
“A implantação de lojas corporativas deve ser vista como um componente da estratégia de aplicações da empresa, mais que uma estratégia de infraestrutura. O fator de sucesso é o fornecimento de aplicativos. Como resultado, os líderes de aplicações devem ter a responsabilidade global para qualquer iniciativa da loja corporativa, mas devem trabalhar em colaboração com outras equipes. Os Apps baixados e usados fornecem informações importantes, como o tipo de solução que tem valor e para qual perfil de usuário é destinado”, diz Luis Mangi.
As inscrições para a Conferência Gartner Arquitetura de Aplicações, Desenvolvimento e Integração podem ser feitas pelo e-mail brasil.inscricoes@gartner.com, pelo site www.gartner.com/br/aadi ou pelos telefones (11) 5632-3109 / 0800 744 1440. Até o dia 12 de julho, é possível obter desconto especial de R$ 775,00 para inscrições antecipadas.

ANOTE EM SUA AGENDA – Conferência Gartner Arquitetura de Aplicações, Desenvolvimento e Integração
Site: www.gartner.com/br/aadi
Datas: 13 e 14 de agosto (terça e quarta-feira)
Local: Sheraton São Paulo WTC Hotel – Avenida das Nações Unidas, nº 12.551
Horário: a partir das 8h

Tags, ,

ABVCAP: Gestores buscam novos investimentos em empresas da região sul do Brasil

A Região Sul do Brasil está no radar dos gestores e investidores de fundos de private equity, venture e seed capital. Representando parcela significativa do PIB, 16.5% de acordo estatísticas do IBGE, os estados do Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina tem um histórico de empreendedorismo nas áreas de agronegócios, indústrias e serviços que determinam a demanda crescente de investimentos para o seu crescimento na economia do país.

No dia 26 de junho, em Curitiba, investidores de olho no potencial, crescimento e inovação dos empreendedores da região poderão assistir de perto durante o II Venture Forum Sul-Brasileiro a apresentação dos planos de negócios de empresas previamente selecionadas e capacitadas pela Associação Brasileira de Private Equity e Venture Capital (ABVCAP), juntamente à FIERGS, FIESC e Senai no Paraná. As inscrições para assistir ao evento podem ser feitas através do site da Associação www.abvcap.com.br.

Com faturamento anual entre cerca de 1 a 23 milhões de reais, as 10 empresas selecionadas são dos setores de TI, moda, tecnologias limpas, saúde, alimentação, agronegócios e construção civil. Para chegar à etapa final elas passaram por um processo de seleção em que foram avaliados critérios como inovação, produtos e processos de produção, perfil de equipe, alternativas de saída e retorno financeiro.

“A aproximação de investidores aos projetos de investimento da região facilitam a avaliação das potencialidades e da viabilidade dos negócios”, diz o Presidente da ABVCAP, Clovis Meurer.

Para o Gerente de Inovação do Senai no Paraná, Filipe Cassapo, a chave da competitividade industrial brasileira está na capacidade de acelerar o desenvolvimento dos empreendimentos intensos em tecnologia e inovação. “o Venture Forum Sul-Brasileiro dará uma contribuição fundamental, que consistirá em aproximar de forma sistêmica e planejada os empreendedores inovadores de alto impacto, com o capital à busca de bons projetos”.

O II Venture Forum Sul-Brasileiro conta com o patrocínio da KPMG, parceria institucional da ABDI, BM&FBOVESPA e FUMIN/BID, metodologia Inovar/Finep, apoio da AGDI, Badesul, Confrapar, CRP, Criatec, CVentures, Endeavor, Graycliff Partners, Inseed Investimentos, Sebrae/PR e SP Ventures, além da parceria de mídia do Portal Acionista.

Tags, , , , ,