Salas de controle, um eixo das cidades inteligentes

Salas de controle, um eixo das cidades inteligentes

O desenvolvimento das grandes cidades tem impacto em muitos aspectos, assim como na infraestrutura; muitas pessoas trazem consigo mais trânsito, consumo de energia e uma maior necessidade de segurança pública pronta para contemplar cada situação e reagir no momento certo. 

Em 2050 espera-se que cerca de 70% da população mundial viva em cidades e, à medida que as cidades crescem, o mesmo acontece com o desafio de gerir a informação de forma eficiente, para isso, é importante trabalhar na geração de um ecossistema que permita manter de forma segura, rápida e concisa a informação dos dados que a população gera todos os dias. 

As salas de controle tornou-se a solução para este problema, porque permitem a gestão de tais informações através da visualização que as câmeras de vigilância lhes fornecem, mas não só isso, também para ser capaz de lidar com uma enorme quantidade de dados através de seus operadores de forma eficaz, permitindo, por sua vez, chegar a uma resposta ou conclusão mais rápida, de outra maneira gastaria um tempo valioso para a tomada de decisão. 

Gerenciar a enorme quantidade de serviços e informações dentro de uma cidade inteligente requer que os operadores de uma sala de controle possam monitorar e gerenciar diferentes fontes de informação que operam 24/7, gerando um grande número de alertas que, por sua vez, devem gerenciar. 

Facilitando um grande número de processos

Para poder lidar com tanta informação existe uma tecnologia focada em facilitar o gerenciamento de dados, como o software OpSpace da Barco, projetado especificamente para salas de controle, permitindo um fluxo de trabalho mais ergonômico que pode reduzir os níveis de estresse, e assim aumentar a produtividade, favorecendo a tomada de decisão, além de melhorar o trabalho com vários monitores usando somente o teclado e mouse.  

A colaboração entre diferentes órgãos da cidade visa proporcionar um melhor nível de segurança ao cidadão. Portanto, em uma cidade inteligente, esses serviços devem aumentar para atender à demanda que é exigida. A interconexão é algo necessário que deve ser implementado pensando em cobrir todos os requisitos que possam surgir rapidamente, um desafio que as salas de controle devem enfrentar constantemente. 

Manuel Navarrete, líder da LVX da Barco na América Latina, comenta que “uma sala de controle tem a função de ser os olhos de uma cidade, comunicar a cada área respectiva a informação que pode ser urgente é um processo que não deve ser tomado levianamente. A Barco, por meio de seu software SecureStream, permite que você compartilhe e acesse informações importantes de várias fontes remota e pessoalmente, mantendo a segurança das informações.” 

Para manter esse fluxo de informações, é importante que cada área esteja preparada para uma reação rápida a eventos que comprometam a ordem pública. As situações às quais uma cidade inteligente está exposta exigem um sistema de trabalho que amplie a velocidade e a precisão dos processos de resposta, portanto, trabalhar de mãos dadas com a tecnologia especializada que economiza um tempo valioso é primordial.  

A construção de uma cidade inteligente envolve um processo em que a colaboração tecnológica assume um papel importante no cotidiano, embora nem sempre esteja presente aos olhos do cidadão comum. Fortalecer essa relação elevará o padrão de vida a um novo horizonte e a tecnologia da Barco busca fazer parte desse processo, tornando as cidades inteligentes um futuro mais próximo. 

Comments are closed