Nubank entra no mercado de criptomoedas

Nubank entra no mercado de criptomoedas

O Nubank, uma das maiores plataformas digitais de serviços financeiros e uma das principais companhias de tecnologia do mundo, entra no universo de transação de criptomoedas. Como parte da estratégia de ampliação de portfolio de produtos e para atender às necessidades de seus clientes, a empresa anuncia uma experiência exclusiva para transacionar criptoativos em seu aplicativo, inicialmente com oferta de Bitcoin e Ethereum, a partir de R$ 1,00. A novidade — desenvolvida para eliminar a complexidade e com total segurança para o usuário — começa a ser disponibilizada no mês de maio de forma gradual aos clientes da empresa no Brasil, até chegar à totalidade da base até o final de junho de 2022.
 

“Não existem dúvidas que as criptomoedas são uma tendência crescente na América Latina. Temos acompanhado o mercado de perto e acreditamos que existe um potencial transformacional na região”, explica David Velez, CEO e fundador do Nubank. “Ainda assim, a experiência de transacionar criptoativos é muito nichada, uma vez que os clientes têm poucas informações para sentirem confiança ao entrar nesse novo mercado ou se sentem frustrados com sistemas complexos. No Nubank, nós buscamos constantemente empoderar nossos clientes, garantindo que eles tenham o controle do seu dinheiro. Por isso, criamos uma experiência simples e intuitiva para democratizar o acesso a esse novo segmento”, reforça Velez.
 

A experiência Nubank para transação de criptomoedas visa a ampliar e melhorar o acesso a esse mercado crescente, eliminando complexidade e fricções para que os clientes comprem, mantenham e vendam moedas digitais por meio do app, sem a necessidade de abrir novas contas ou transferir dinheiro. Para expandir as possibilidades além de Bitcoin e Ethereum, as criptomoedas mais populares, a empresa fará frequentemente um trabalho de curadoria para adicionar outras no futuro. Além disso, o Nubank desenvolve conteúdos educacionais e educativos em seu blog para auxiliar na tomada de decisão das pessoas interessadas em transações em moeda digital. Antes deste lançamento, os clientes podiam ter acesso a criptomoedas por meio de ETFs e fundos oferecidos pela plataforma NuInvest — anteriormente conhecida como Easynvest –, o que agora pode ser feito diretamente por meio da experiência de cripto no app do Nubank.
 

O produto é operacionalizado em parceria com a Paxos, provedor líder de infraestrutura de blockchain, que atua como corretora e realiza a custódia das criptomoedas no app do Nubank. A aliança com a Paxos garante, ainda, a proteção global dos ativos dos clientes pelos principais reguladores de ativos digitais.
 

“Estamos empolgados com esta parceria com o Nubank para oferecer aos seus mais de 50 milhões de clientes no Brasil uma experiência de negociação segura e acessível para transação de criptomoedas. O alcance e o impacto da empresa no país garantem que ainda mais pessoas possam mergulhar neste universo. Este é um movimento estratégico não apenas para o Nubank, mas para uma aceleração ainda mais veloz da adoção de criptomoedas na região”, afirma Charles Cascarilla, Co-Founder & CEO da Paxos.
 

Nu Holdings anuncia compra de Bitcoins

Juntamente ao lançamento da experiência exclusiva para transação de criptomoedas aos seus clientes, o Nubank anuncia a alocação de aproximadamente 1% em Bitcoins por meio do caixa da Nu Holdings, empresa que controla o Grupo Nubank. Esse movimento reforça a convicção da empresa no potencial atual e futuro do Bitcoin na disrupção dos serviços financeiros na região.
 

Hoje, a América Latina é a região que cresce de forma mais acelerada na adoção de criptomoedas em todo o mundo. Apenas o Brasil é responsável por 25% dos mais de US$ 500 bilhões transacionados em criptomoedas no continente latino-americano, de acordo com pesquisa feita pela Chainalysis.
 

O Nubank também reforça o seu compromisso ambiental de ser sempre carbono neutro, tendo já contratado uma consultoria especializada para apoiar na integração do novo produto ao processo existente. Em 2020, a empresa zerou toda a emissão de carbono de sua história por meio de projetos que neutralizam o CO2 do meio ambiente. 

Comments are closed