Flash capta US$100 milhões em rodada liderada por fundos globais Battery Ventures e WhaleRock e intensifica desenvolvimento de soluções para RHs

Flash capta US$100 milhões em rodada liderada por fundos globais Battery Ventures e WhaleRock e intensifica desenvolvimento de soluções para RHs

A Flash, HR Tech de benefícios corporativos, finalizou a captação de sua rodada Série C em mais de US$ 100 milhões, o maior já realizado em uma empresa brasileira de benefícios. Os fundos globais Battery Ventures e Whale Rock são os líderes do novo investimento que potencializará o desenvolvimento da plataforma integrada da companhia dedicada aos RHs, além da experiência do produto para os usuários e ampliação dos times. 

Os fundos Tencent, Tiger Global, Monashees, GFC e Citius, assim como Hans Tung, Rahul Mehta e Kevin Efrusy também fazem parte desta nova rodada. A nova captação ocorre 10 meses após o investimento anterior (Série B), em um contexto de mudanças das relações de trabalho, aceleradas pela pandemia.

Fundada em 2019 por Ricardo Salem, Guilherme Lane e Pedro Lane, a Flash lidera a transformação no mercado de benefícios no Brasil, atendendo demandas reais por parte das empresas, como gerenciamento unificado e controle otimizado da oferta de benefícios, e necessidades de consumo dentro das rotinas dos colaboradores em benefícios como alimentação, refeição, mobilidade e cultura, e, mais recentemente, auxílio home office.

“A Flash criou uma solução inovadora e com visão de futuro para permitir que os funcionários usem seus benefícios corporativos a qualquer hora, em qualquer lugar, em vez de estarem sujeitos a restrições muitas vezes arbitrárias”, disse Roger Lee, sócio geral da Battery Ventures. “Achamos que o potencial de crescimento do Flash é ótimo e estamos extremamente empolgados em fazer parceria com Ricardo e sua equipe para levar a empresa ao próximo nível”, acrescentou.

Sediada em São Paulo (SP), a companhia desenvolveu uma solução que permite flexibilidade no gerenciamento de benefícios por meio de uma plataforma tecnológica, potencializada por um aplicativo e um cartão com a bandeira Mastercard, aceito em mais de 2 milhões de estabelecimentos. A HRTech é a principal alternativa para o modelo que historicamente era fornecido na forma de vouchers ultrapassados e pouco inovadores.

Para Ricardo Salem, CEO da HR Tech, este momento reforça a posição de protagonismo da companhia dentro do cenário de benefícios no Brasil e consolida como principal alternativa aos players tradicionais. “Nós estamos em um ritmo acelerado de evolução, com crescimento mensal de dois dígitos, atendendo centenas de milhares de usuários e milhares de empresas. Isso só é possível, pois entregamos ao mercado uma solução que impacta diretamente as rotinas de colaboradores e RHs. Em 2022, iremos desenvolver um produto ainda mais completo e integrado, que possibilitará uma atuação estratégica para quem lida com pessoas, assim como ampliaremos nossas equipes e iremos desenvolver uma experiência cada vez mais positiva para nossos usuários. Estamos construindo uma marca forte que fará parte da vida dos trabalhadores”, detalha. 

Com o novo aporte, a HRTech irá ampliar o seu portfólio de soluções. Atualmente, a companhia já conta com o FlashHub, um marketplace que unifica a oferta de benefícios e permite em poucos cliques a contratação de planos de saúde, auxílio-academia, entre outros.

Além disso, os RHs clientes também possuem o FlashPoints que possibilita que os colaboradores escolham, dentro de critérios pré-definidos pelas empresas, como desejam alocar seus recursos entre os benefícios disponíveis. Com isso, aumentar e diminuir o montante do vale-refeição e alimentação, realizar upgrades e downgrades no plano de saúde ou ampliar o seguro de vida, por exemplo.

Para Pedro Lane, fundador da Flash, esse momento potencializa um mercado ultrapassado e que ignora as reais necessidades de empresas, RHs e colaboradores. “Estamos em um mercado que, a despeito do seu tamanho e relevância para o dia a dia de empresas e colaboradores, estava parado no tempo, sem qualquer inovação, tampouco foco nas reais necessidades de empresas e trabalhadores. Nascemos para oferecer produtos modernos que combinam com o dia a dia do trabalhador e que valorizem o orçamento das empresas. Com novos recursos continuaremos na vanguarda dessa transformação”, detalha.

A rodada anterior (Série B) foi liderada pelo fundo Tiger Global, e também contou com a Monashees, que liderou a rodada Série A da Flash, e a GFC, que apoiou o investimento seed, assim como a  Citius e Kauffman Fellows. O novo aporte é o segundo maior de um HR Tech no Brasil, atrás somente da Gympass. A Flash faz parte da Endeavor Scale Up Ventures.

Comments are closed