Energia solar contribui para redução de emissões de CO2

Energia solar contribui para redução de emissões de CO2

A produção de energia renovável é fundamental para colocar o Brasil na agenda mundial de baixo carbono. O investimento em fontes limpas, dentre elas a solar, gera oportunidades para que o País contribua para a redução de emissões de gases de efeito estufa (GEE), em linha com as metas assumidas na COP-26.

A energia solar está diretamente ligada com a sustentabilidade energética. Segundo a Associação Brasileira de Energia Solar fotovoltaica (Absolar), desde 2012 ela evitou a emissão de 22 milhões de toneladas de CO2 na geração de eletricidade. Hoje, são 15,3 GW disponibilizados na matriz de geração nacional. Em quatro anos, a capacidade total deve ultrapassar 54 GW, aumento de 350%, conforme dados divulgados em maio pelo estudo Global Market Outlook for Solar Power 2022-2026, com co-participação da Absolar.

Para Luiz Serrano, sócio e diretor da RZK Energia, o Brasil vive um momento de crescimento exponencial. “A resolução normativa 687, de 2016, que, entre outros pontos, possibilita a forma de autoconsumo remoto, e a consolidação da lei 14.300, de 2022, que instituiu o marco legal da geração distribuída, têm sido fundamentais para sustentar o crescimento de todo o setor. Nossa contribuição para o mercado de energia limpa é essencial para colaboramos com as questões iminentes da transição energética no Brasil”.

A RZK Energia atua no mercado de geração de energia, comercialização e consultoria em eficiência energética desde 2017. A empresa constrói e opera plantas no mercado de geração distribuída, autoprodução e mercado livre por meio de fontes de energia limpa, alinhada às evoluções regulatórias, tecnológicas e no desenvolvimento sustentável. São dez usinas em operação, sendo cinco solares, quatro de Biogás e uma hidrelétrica. Ao todo, possuem capacidade de gerar 150 MW de energia.
 

SolarPower Europe – Global Market Outlook For Solar Power 2022 – 2026

Comments are closed