CNJ busca 45 profissionais de TI para atuar no Programa Justiça 4.0

CNJ busca 45 profissionais de TI para atuar no Programa Justiça 4.0

Estão abertos três processos seletivos para profissionais de tecnologia da informação atuarem no Programa Justiça 4.0, desenvolvido pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) em parceria com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud). As novas oportunidades são para analista Scrum sênior (13 vagas), analista DevOps sênior (13 vagas) e desenvolvedor back-end pleno (19 vagas). Ao todo, são 45 vagas, todas para atuação remota.

O Justiça 4.0 foi lançado em 2020 e promove a transformação digital do Poder Judiciário brasileiro. As pessoas contratadas irão atuar no desenvolvimento de soluções e sistemas para integrar todos os tribunais do país em uma plataforma única, a Plataforma Digital do Poder Judiciário.

A Plataforma é um ambiente multisserviços que opera em nuvem para unificar a tramitação de processos judiciais de tribunais de todo o Brasil. Além disso, fornece novas funcionalidades, como busca integrada em bases de dados, modelos de inteligência artificial para maior agilidade da prestação jurisdicional e ferramentas para apoiar a gestão da magistratura.

Não há exigência de dedicação exclusiva, mas a pessoa selecionada deverá reservar 8 horas diárias em horário comercial para atuar no Programa Justiça 4.0. A contratação será feita na modalidade de National Personnel Services Agreement (NPSA), com salários competitivos, de acordo com o mercado.

Analista Scrum sênior (13 vagas)

As pessoas que vão atuar como analista Scrum sênior serão responsável por garantir a eficiência e melhoria contínua do processo de desenvolvimento de software a fim de garantir que o ciclo de vida do Scrum evolua e os produtos sejam entregues dentro do prazo e com a qualidade esperada. Irá auxiliar no monitoramento do cumprimento dos princípios ágeis pela equipe de projeto e oferecer suporte no monitoramento e registro das atividades/issues na ferramenta Jira.

É necessário ter ensino médio completo e no mínimo sete anos de experiência relevante para esta posição. Caso possua graduação (preferencialmente nas áreas de Tecnologia da Informação, Ciência da Computação, Sistemas de Informação, Engenharia de Software, Análise de Sistemas, Engenharia da Computação e áreas correlatas), a experiência solicitada é de quatro anos. Também se exige experiência em métodos ágeis empregando práticas do Scrum. São desejáveis conhecimentos em outras metodologias ágeis e suas técnicas, experiência com Jira e ferramentas de gestão de código-fonte (GitLab ou GitHub).

Analista DevOps sênior (13 vagas)

Analistas DevOps sênior são responsáveis pelo desenvolvimento, integração, configuração de infraestrutura e entrega dos artefatos de software do Programa Justiça 4.0. Vão contribuir nas fases de definição dos requisitos funcionais e não funcionais da solução, empregando processo de desenvolvimento, arquitetura de software, padrões de projeto, linguagens de programação, tecnologias de infraestrutura, incluindo na nuvem, e ferramentas previamente definidas.

É necessário ter ensino médio completo e no mínimo sete anos de experiência relevante no desenvolvimento de softwares ou atuação profissional ou acadêmica na área de tecnologia. Caso possua graduação (preferencialmente nas áreas de Tecnologia da Informação, Ciência da Computação, Sistemas de Informação, Engenharia de Software, Análise de Sistemas, Engenharia da Computação e áreas correlatas), o tempo de experiência solicitado é de quatro anos.

Desenvolvedor back-end Pleno (19 vagas)

Quem for atuar como desenvolvedor back-end pleno será responsável pelo desenvolvimento dos artefatos de back-end integrantes das soluções tecnológicas. E oferecerá suporte à modelagem de requisitos e artefatos e ao desenvolvimento, empregando linguagem Java e framework Spring Boot.

É necessário ter ensino médio completo e no mínimo sete anos de experiência relevante. No caso de pessoas com graduação nas áreas de Tecnologia da Informação, Ciência da Computação, Sistemas de Informação, Engenharia de Software, Análise de Sistemas, Engenharia da Computação e áreas correlatas, o tempo de experiência é de quatro anos.

Agência CNJ de Notícias

Comments are closed