Tag veículos autônomos

Gastos Globais em Robótica devem atingir US$ 87 bilhões até 2025

Maior parte deste crescimento deve vir do mercado consumidor por causa de aplicativos como veículos autônomos e dispositivos para casa

O mercado global de robótica está crescendo mais rápido que o esperado e deve alcançar US$ 87 bilhões até 2025, de acordo com as novas projeções do The Boston Consulting Group (BCG)

Atualizando sua estimativa anterior, feita três anos atrás, que projetava um alcance de US$67 bilhões, o BCG revisou seus cálculos principalmente por conta do alto crescimento da demanda de consumidores finais. Em sua nova pesquisa Gaining Robotics Advantage, a consultoria projeta um crescimento adicional de US$ 14 bilhões, alcançando US$ 23 bilhões apenas no setor de consumo, uma evolução de 156%.

“Muito do crescimento acelerado virá do mercado consumidor por causa de aplicativos como veículos autônomos e dispositivos para casa”, explica Vlad Lukic, sócio do BCG e coautor do artigo. “O crescimento projetado no setor comercial explica o restante do ajuste – um aumento de 34% para 22,8 bilhões.”

Muitos fatores contribuíram para a necessidade de rever as estimativas. Primeiro, no espaço de apenas um ano, de 2014 a 2015, o investimento privado no espaço de robótica triplicou, de acordo com o BCG. A redução dos juros, que intensifica a queda dos preços, aumentou o avanço e o desenvolvimento de componentes no setor, de uma forma muito maior que observada inicialmente.

Em 2016, a área de robótica vivenciou uma mudança em serviços focados no consumidor, com um grande aumento de companhias do setor focada neste público. Hoje, os robôs podem aspirar e esfregar pisos, limpar calhas, ajudar crianças, fornecer vigilância e segurança doméstica e atuar como acompanhantes e auxiliares de saúde.

Desde 2012, 40% das novas empresas de robótica emergiram no setor de consumo, superando o crescimento nos setores militar, comercial e industrial. O setor militar representou 26% das novas empresas de robótica, o setor comercial 24% e o setor industrial apenas 10%, de acordo com a análise do BCG.

Alison Sander, líder do Center for Sensing & Mining the Future coautor do artigo, conta que todos os setores sentirão os efeitos uma vez que os consumidores começam a comprar robôs. “À medida que as pessoas se tornam mais receptivas aos robôs em suas vidas – abraçando tudo, desde aspiradores de pó de robôs a trabalhadores remotos no escritório – elas começam a exigir mais desses produtos. Isso atrairá mais capital de investimento e impulsará novos avanços nas capacidades de robótica “.

Mel Wolfgang, sócio do BCG e coautor do artigo, observa que a adição de robótica a uma empresa é uma decisão estratégica e não apenas um investimento de capital. Isso requer repensar e alterar fundamentalmente os níveis dos colaboradores, o mix de produtos, a pegada de fabricação e outros aspectos do modelo de negócios.

“O desafio para as empresas focadas no futuro é descobrir como usar a robótica para obter uma vantagem competitiva. Isso pode significar a identificação da combinação ideal entre trabalhadores humanos e máquinas, ou pode envolver a criação de um modelo de negócio totalmente novo”, diz Wolfgang. “A gestão empresarial precisa atuar para desenvolver um ponto de vista, testar e conduzir aplicativos robóticos e investir em infraestrutura, inclusive para estabelecer as bases para uma cadeia de fornecimento digital no chão da fábrica”.

O estudo completo pode ser encontrado em http://on.bcg.com/2uJO4Gf.

Tags, , , ,

BMW Group, Intel e Mobileye terão veículos autônomos em teste nas ruas no segundo semestre de 2017

BMW Group, Intel e Mobileye anunciaram hoje, durante a CES 2017, que uma frota de aproximadamente 40 veículos autônomos da BMW estará nas ruas até o segundo semestre de 2017, demonstrando os significativos avanços alcançados pelas três empresas rumo à condução totalmente autônoma. As empresas ainda explicaram que o BMW Série 7 empregará tecnologias de ponta de Intel e Mobileye durante os testes globais, começando nos EUA e Europa.

Este anúncio é continuidade da parceria que foi anunciada em julho do ano passado. As empresas desenvolveram uma arquitetura escalável que pode ser adotada por outros desenvolvedores automotivos e fabricantes de carros para realizar projetos em estado da arte e criar marcas diferenciadas. As ofertas variam dos principais módulos individuais integrados à uma completa solução fim a fim que fornece uma ampla gama de experiências diferenciadas para os consumidores.

“Transformar a condução autônoma em realidade é a ambição compartilhada por trás da nossa cooperação com Intel e Mobileye. Esta parceria conta com todas as habilidades e talentos necessários para superar os enormes desafios tecnológicos que teremos pela frente, bem como para a comercialização de veículos autoconduzidos. Por isso, já estamos pensando em termos de escalabilidade e em dar as boas-vindas para outras empresas – fabricantes, fornecedores ou empresas de tecnologia – para participar e contribuir para a nossa plataforma autônoma. Este ano, a nossa frota de veículos já testará esta tecnologia conjunta globalmente sob condições reais de trânsito. Este é um significativo passo adiante rumo ao lançamento do BMW iNEXT em 2021, que será o primeiro veículo totalmente autônomo do BMW Group”, declarou Klaus Fröhlich, Membro do Conselho Administrativo do BMW AG para Desenvolvimento.

“Do ponto de vista da indústria, já observamos economia, com o compartilhamento de custos, e produtividade com a aceleração do desenvolvimento de uma plataforma completamente autônoma. O sistema automotivo na nuvem terá um comportamento consistente e previsível e está validado para o mais alto nível de segurança”, disse o CEO da Intel, Brian Krzanich. “É por isso que esta parceria está inovando. Criamos uma equipe dedicada com objetivos claros e compartilhados, além de uma cultura de inovação, agilidade e responsabilidade”.

“Ao longo dos últimos seis meses, tivemos um ótimo progresso no projeto de uma solução em estado da arte para a condução autônoma tanto em estradas, quanto em áreas urbanas. A solução foi definida de uma maneira escalável para permitir que os fabricantes de carros afiliados atendam seus requisitos únicos”, disse o Cofundador, Chairman e CTO da Mobileye, o Professor Amnon Shashua.

Como parte dessa parceria, o BMW Group será responsável pelo controle e dinâmica da condução e avaliação da segurança funcional geral, incluindo a configuração de um mecanismo de simulação de alto desempenho, a integração geral de componentes, a produção de protótipos e, eventualmente, a ampliação da plataforma por meio dos parceiros de implantação.

A Intel traz para esta parceria elementos da computação de alto desempenho que abrangem do veículo ao data center. A recém lançada solução Intel® GO™ para a condução autônoma oferece processador e tecnologias FPGA de classe mundial para o equilíbrio mais eficiente de desempenho e poder, ao mesmo tempo em que atende os exigentes requisitos de temperatura e segurança da indústria automotiva. Dentro do carro, a solução Intel GO oferece uma plataforma computacional e de desenvolvimento escalável para funções críticas, incluindo união de sensores, política de condução, modelagem do ambiente, planejamento do caminho e tomada de decisões. No data center, a Intel GO oferece uma ampla gama de tecnologias que variam dos processadores de alto desempenho Intel® Xeon® aos FPGAs Intel® Arria® 10, aos Intel® Solid State Drives e à plataforma Intel® Nervana™ para inteligência artificial, que fornece um mecanismo poderoso, treinamento em aprendizagem profunda e a infraestrutura de simulação necessários para a indústria de condução autônoma.

A Mobileye contribui com o seu processador de visão computacional de alto desempenho EyeQ®5 proprietário, que oferece segurança funcional automotiva e desempenho com baixo consumo de energia. O EyeQ®5 é responsável pelo processamento e interpretação da entrada dos sensores de visão do entorno em 360 graus, bem como a localização. O EyeQ®5, em conjunto com as tecnologias de CPU e FPGA da Intel, forma a Plataforma Computacional Central que será integrada em cada veículo autônomo.

A Mobileye colaborará ainda mais com o BMW Group para desenvolver uma solução de união de sensores, criando um modelo completo do ambiente que cerca o veículo, usando dados de entrada dos sensores de visão, radar convencional e a laser. Além disso, estabelece uma política de condução, incluindo os algoritmos de reforço do aprendizado da Mobileye usados para dotar o sistema do veículo com a Inteligência artificial necessária para negociar com segurança situações complexas de condução.

Para fomentar ainda mais o desenvolvimento da plataforma autônoma, a parceria planeja lançar amostras de hardware e atualizações de software nos próximos anos. O modelo iNEXT da BMW, que será lançado em 2021, será a base da estratégia de condução autônoma do BMW Group. Depois deste veículo, uma gama de modelos altamente automatizados de todas as marcas do BMW Group será lançada.

Tags, , , , , ,

Veículos autônomos darão mais segurança, mobilidade e melhores condições ambientais, aponta estudo

view.aspx

Quando os veículos autônomos estiverem presentes no ambiente urbano, teremos mais segurança, mais mobilidade e melhores condições ambientais. Isso é o que mostra o estudo Self-Driving Vehicles, Robo-Taxis, and the Urban Mobility Revolution, produzido pelo The Boston Consulting Group (BCG) em parceria com o World Economic Forum, que analisou os impactos da presença de carros autônomos em ambientes urbanos.

De acordo com o estudo, a popularização de carros autônomos e táxis autônomos (carros que se dirigem sozinhos e servem como transporte para o público de ambientes urbanos) resultaria em 60% menos carros nas ruas, reduzindo o congestionamento e gerando outro grande impacto: diminuição de 90% no número de acidentes entre veículos.

Para entender o que a população espera desta tecnologia o BCG entrevistou 5.500 pessoas de 27 países. Entre os entrevistados, 58% andariam em um carro completamente autônomo e 69% afirmaram que pegariam um carro parcialmente autônomo.

Os benefícios também seriam ambientais, com diminuição de 80% na emissão de gases poluentes. A pesquisa também aponta que a maioria da população espera novas formas de alimentação para esses veículos. Entre eles, 29% acreditam que eles serão elétricos e 37% acreditam que híbridos. Apenas 9% acreditam que serão movidos por combustíveis, assim como os carros atuais.

No entanto, os carros tradicionais ainda são preferência de 46% dos entrevistados. Veículos autônomos ainda geram insegurança e apreensão:A falta de conhecimento sobre a tecnologia (para 27%), a possibilidade de ataques virtuais (para 23%) e o medo de uma pane geral (20%) são preocupações apresentadas pelos participantes da pesquisa.

Tags, , , , , ,

Daimler Trucks avança na conectividade de caminhões via internet

view.aspx

120 anos depois da invenção do caminhão, a Daimler Trucks traz o veículo agora para a Internet. Ao destacar esse avanço na IAA (Feira Internacional de Veículos Comerciais) de 2016, a fabricante líder mundial de caminhões irá demonstrar sua vanguarda tecnológica no campo da conectividade. Ao mesmo tempo, sistematicamente vem consolidando sua liderança mundial quanto a veículos conectados – cerca de 365.000 caminhões Daimler no mundo todo já estão conectados por meio dos sistemas da FleetBoard e do Detroit Connect – mais do que qualquer outro fabricante pode oferecer.

A Daimler Trucks está impulsionando a conectividade sistemática de seus veículos frente a todas as partes envolvidas no processo de logística e transporte. O caminhão totalmente conectado inicia uma mudança radical no mercado, que tornará o transporte rodoviário de carga ainda mais eficaz e eficiente – não somente para os motoristas, transportadoras e fabricantes de veículos, mas para a sociedade como um todo.

Desde 2013, a conectividade é um ponto já estabelecido da estratégia corporativa da Daimler Trucks. Nesse sentido, nos próximos cinco anos, ela investirá cerca de meio bilhão de Euros na conexão de seus caminhões e na criação de novos serviços e soluções digitais. A partir da edição 2016 do IAA (Feira Internacional de Veículos Comerciais), o Grupo acrescentará continuamente novas opções aos seus já amplos serviços de telemática e tornará suas plataformas acessíveis a terceiros. Já estabeleceu também a estrutura para as transformações digitais dos negócios de caminhões, bem como, processos correspondentes em todas as suas unidades de negócios.

No dia 21 de março, na rodovia A52, nas proximidades de Düsseldorf, na Alemanha, a Daimler Trucks apresentou um exemplo impressionante das possibilidades abertas pela conexão digital de veículos comerciais. Três caminhões de condução autônoma, conectados por WiFi e com autorização para estradas públicas, circularam em comboio. Uma combinação como essa pode reduzir o consumo de combustível em até 7%, com a necessidade de espaço na rodovia caindo quase à metade – enquanto, ao mesmo tempo, melhora a segurança no trânsito. Com base no sistema Highway Pilot da Daimler Trucks para caminhões pesados de condução autônoma, os três caminhões se interligam, formando um comboio de aerodinâmica otimizada, totalmente automatizado. O Grupo chama esse desenvolvimento de sistema avançado de Highway Pilot Connect.

Dr. Wolfgang Bernhard: “Estamos criando uma nova rede de logística, altamente eficiente e aberta”
O Dr. Wolfgang Bernhard, membro do Board da Daimler AG e responsável pela Daimler Trucks & Buses, explica: “Estamos conectando o caminhão com a Internet – vamos torná-lo o principal elemento de dados da rede de logística. O veículo irá conectar todos os envolvidos com o transporte: motoristas, programadores, frotistas, oficinas, fabricantes e seguradoras ou autoridades. Eles recebem as informações em tempo real: condições do cavalo mecânico e do semirreboque, do trânsito e das condições do tempo, disponibilidade de vagas de estacionamento em postos de serviço das estradas, áreas de descanso e muito mais”.

De acordo com o executivo, os caminhões da Daimler Trucks se conectam totalmente com seu meio ambiente, via Internet, enviando e recebendo informações continuamente. “Todos os envolvidos no processo de logística podem utilizar os dados em tempo real, de acordo com suas necessidades. No futuro, será possível, por exemplo, reduzir os tempos de espera enquanto ocorrem as operações de carga e descarga do veículo, diminuir a burocracia e evitar os congestionamentos. Com atualizações por download, o tempo de entrada de caminhões que estão indo para a oficina pode ser significativamente reduzido. Desse modo, melhoramos consideravelmente o desempenho do transporte de carga como um todo. Esta é uma enorme oportunidade para enfrentar inteligentemente o volume crescente de tráfego de bens. Pretendemos aproveitá-la”, diz ele.

De acordo com Jeremy Rifkin, escritor, sociólogo e futurólogo, “hoje, a Daimler está fornecendo as bases da terceira revolução industrial. Na era da Internet of Things (Internet das Coisas), todas as ferramentas e maquinário serão equipados com sensores que constantemente fornecem um fluxo de informações em tempo real. Isso mudará fundamentalmente a maneira como fazemos negócios. A “Internet das Coisas” está oferecendo oportunidades completamente novas”, ressalta Jeremy Rifkin.

400 sensores do caminhão Daimler registram dados de todos os tipos

No mundo todo, o transporte de carga é pré-requisito para o crescimento econômico. Porém, para que isso continue a ser incrementado no futuro, soluções inovadoras são necessárias para que possamos evitar uma paralisação das redes de tráfego. Uma abordagem central é conectar totalmente em rede o veículo com a “Internet das Coisas”. Os caminhões inteligentes da Daimler têm potencial para mudar radicalmente o transporte rodoviário de carga nos próximos anos. Hoje, eles já geram valiosas informações em uma medida anteriormente inimaginável: são cerca de 400 sensores por veículo, totalmente conectados por um software que inclui 130 milhões de linhas de código – mais do que um avião a jato.

“Dados em tempo real são essenciais para a logística eficiente – e nossos caminhões fornecem esses dados”, diz o Dr. Wolfgang Bernhard. “Portanto, estamos investindo cerca de meio bilhão de Euros até 2020 para conectar nossos caminhões com seu ambiente e desenvolver aplicações novas e específicas. Isso melhorará o desempenho de nossos clientes para que eles executem seus negócios de maneira mais segura e ambientalmente mais amigável. Assim, o FleetBoard e o Detroit Connect irão contribuir consideravelmente para alavancar o potencial anteriormente não utilizado nos transportes rodoviários – tanto nos mercados altamente desenvolvidos da Tríade, quanto nas economias emergentes da África, Ásia e América Latina”.

365.000 veículos comerciais da Daimler já conectados

O grande volume de dados que um caminhão consegue enviar e receber cria possibilidades completamente novas para todo o setor de logística e para a sociedade. Anteriormente, áreas diferentes do sistema de logística eram conectadas de maneira inadequada. Algumas informações estavam sempre faltando ou não faziam parte da rede. Na Europa, por exemplo, cerca de 25% de toda a quilometragem dos caminhões ainda são feitas com veículos vazios. Com novas unidades centrais de liberação de carga, baseadas em dados obtidos de caminhões conectados, os negócios de logística conseguirão, no futuro, utilizar a capacidade dos veículos de uma forma muito melhor, reduzindo assim as viagens com carroçaria vazia.

Outro exemplo interessante: em 2015, os usuários das estradas alemãs enfrentaram cerca de 568.000 congestionamentos, o que se compara a um comprimento total de 1,1 milhão de quilômetros – com o consequente aumento no consumo de combustível e das emissões de CO2. No futuro, com a disponibilidade e intercâmbio de dados do trânsito em tempo real, os caminhões com sensores inteligentes evitarão colisões traseiras e poderão desviar de congestionamentos. Além disso, os tempos de paralisação dos veículos poderão ser reduzidos se o próprio caminhão reportar uma falha com suficiente antecedência e o pessoal de socorro puder agendar um serviço rapidamente.
O FleetBoard é líder em serviços de telemática de caminhões há 15 anos – no futuro, ele será o núcleo da nova unidade da Digital Solutions & Services

A conectividade não é um novo território para a Daimler Trucks. A sua subsidiária FleetBoard estabelece padrões de telemática para a Mercedes-Benz desde o ano 2000, posicionando-se entre as provedoras mais bem sucedidas e inovadoras do mundo.

A FleetBoard coleta ampla variedade de dados sobre situação, viagem e posição do veículo e os envia à matriz por meio de telefonia celular. O sistema oferece uma série de serviços para gerenciamento de frotas, dos pedidos e dos motoristas, que podem ser customizados e adequados às especificações de cada cliente. Atualmente, há cerca de 180.000 veículos com serviços da FleetBoard em operação em cerca de 6.000 clientes. E ele não conecta somente veículos da Mercedes-Benz – modelos de outras marcas também podem ser atendidos a qualquer tempo, sendo facilmente integrados ao sistema de gerenciamento da logística. Isso significa que mesmo empresas com frotas mistas podem rastrear qualquer um de seus veículos o tempo todo.

“Quando o primeiro iPhone foi introduzido, em novembro de 2007, nossos clientes já estavam utilizando o FleetBoard por sete anos. Por mais de 15 anos, eles já conseguiam controlar suas frotas e administrar com eficiência seus motoristas, tanto dos caminhões Mercedes-Benz, como os de outros fabricantes. Ninguém tem mais experiência nesse campo do que a nossa Empresa”, destaca Stefan Buchner, presidente mundial da Mercedes-Benz Trucks.

Para garantir que a Empresa continue à frente no desenvolvimento de soluções digitais relacionadas a caminhões conectados, em 1º de abril deste ano a Mercedes-Benz estabelecerá a nova unidade Digital Solutions & Services, chefiada pela Dr. Daniela Gerd Tom Markotten, que tem muitos anos de experiência no campo da TI de suporte à telemática de veículos. Esta unidade, que também tem a FleetBoard GmbH como núcleo, dirigirá todas as atividades relativas aos aplicativos digitais para os veículos comerciais Mercedes-Benz – em estreita colaboração com outras divisões da Empresa. A meta é também estabelecer as condições organizacionais para o desenvolvimento de inovações digitais nesse campo altamente dinâmico. Enquanto se leva, em média, cerca de nove anos para desenvolver um novo caminhão, são necessários alguns meses apenas para programar o software de uso dos dados em tempo real a partir de um caminhão.

185.000 veículos conectados na América do Norte via Detroit Connect

No importante mercado de veículos comerciais da América do Norte, a Daimler Trucks está impulsionando suas atividades no campo de serviços conectados, por meio da parceria estratégica com a Zonar Systems Inc. Já desde 2015, essa parceria foi fortalecida pela aquisição de participação acionária minoritária na Zonar pela subsidiária americana Daimler Trucks North America (DTNA).

A Zonar Systems é uma das provedoras líderes em soluções de logística, telemática e conectividade do mercado norte-americano. A DTNA e a Zonar já vêm operando em conjunto, na área de caminhões conectados, há um bom tempo. Em 2011, lançaram o sistema de diagnóstico remoto “Virtual Technician” (Técnico Virtual) e a solução global Detroit Connect.

O Detroit Connect é a primeira solução de telemática nos EUA e no Canadá capaz de determinar a causa de falhas relatadas por mensagens durante a viagem. Os clientes e motoristas de mais de 185.000 veículos já cobriram bilhões de quilômetros com essa solução da Daimler Trucks.

Quando uma mensagem surge no interior da cabina, o Técnico Virtual, que é componente do Detroit Connect, envia um relatório em tempo real sobre as condições técnicas do veículo para a Central de Atendimento ao Cliente da Detroit. Ali os dados são analisados dentro de um curto prazo. Assim, o operador do veículo recebe uma recomendação, por e-mail, de que medida deve tomar, ou seja, se o motorista deve parar em uma oficina de imediato ou se pode tomar providências quando o trabalho em execução tiver sido concluído.

Atuando em conjunto com o Técnico Virtual, a central terrestre de gerenciamento de frota da Zonar torna possível que o operador da frota monitore a localização exata, velocidade ou consumo de combustível de um caminhão ou de uma frota inteira, a qualquer tempo. O tablet de comunicação móvel da Zonar facilita o monitoramento das horas de serviço, mantém motoristas informados por meio de mensagens de texto ou de voz, otimiza a elaboração da documentação de inspeções pré e pós viagens e fornece navegação avançada.

Comboio de caminhões autônomos reduz o consumo de combustível e as emissões de CO2

Com a estreia mundial do sistema Highway Pilot Connect (piloto automático rodoviário conectado) – no dia 21 de março, na estrada A52, próxima de Düsseldorf – a Daimler Trucks fez uma apresentação para exemplificar as vantagens das redes de comunicações eletrônicas V2V. Também destacou o próximo marco de progresso da condução autônoma: esta avançada tecnologia permite a operação interligada de veículos de um comboio por rodovias e estradas de longo percurso.

Os veículos conectados num comboio requerem uma distância de somente 15 em vez de 50 metros entre si. Esta distância consideravelmente menor produz significativa redução no atrito aerodinâmico – comparável ao “coeficiente de arrasto” em competições de ciclismo. Desse modo, um comboio de três caminhões pode atingir uma economia de combustível de cerca de 7%, reduzindo as emissões de CO2 na mesma medida. Isso torna possível o consumo de combustível em cerca de 25 l/100 km para uma combinação de semirreboque carregado com peso bruto total de 40 toneladas. Ou seja, um consumo de somente 0,66 l/100 km por tonelada, ou emissões de CO2 de 13,3 g/quilômetro por tonelada. Números bem abaixo do que são registrados por automóveis com motor de combustão interna.

Paralelamente, os comboios permitem um uso muito mais eficiente do espaço da estrada. Graças à menor distância entre os veículos, um grupo de três caminhões interligados tem um comprimento de somente 80 metros. Diferentemente disso, três caminhões que não estejam eletronicamente ligados requerem um total de 150 metros de espaço na estrada.

Os comboios também tornam o trânsito na estrada muito mais seguro. Enquanto um motorista ao volante tem um tempo de reação de 1,4 segundo, o Highway Pilot Connect transmite sinais de frenagem aos veículos que vêm atrás em menos de 0,1 segundo. Esse tempo de reação consideravelmente menor pode dar uma contribuição importante para a redução de colisões traseiras, como as que ocorrem, por exemplo, quando se encontra um congestionamento na estrada.

“O caminhão inteligente, auto-otimizado, tem a mais alta prioridade para nós. Usando as comunicações conectadas com outros veículos e os seus arredores, podemos melhorar o fluxo de trânsito e reduzir o consumo de combustível e as emissões. Ao mesmo tempo, os caminhões inteligentes ajudam a diminuir o número de acidentes de trânsito. Esse é um passo à frente muito importante rumo à condução livre de acidentes”, diz Sven Ennerst, chefe da área de Engenharia de Produtos & Compras Globais – Caminhões.

O Highway Pilot Connect se baseia no já existente sistema da Daimler Trucks para a condução semi-antônoma

A base do Highway Pilot Connect é a rede entre veículos e a consciência exata sobre o ambiente que os circunda. Este sistema é mais um desenvolvimento do já comprovado Highway Pilot da Daimler Trucks, que permite que os caminhões sejam conduzidos de maneira semi-autônoma, tendo sido testado desde outubro de 2015 em um Mercedes-Benz Actros padrão, operando em estradas públicas da Alemanha. O Highway Pilot foi apresentado primeiramente em julho de 2014, no veículo de estudo Mercedes-Benz Future Truck 2025. A primeira autorização para circular em rodovias públicas para um caminhão de condução autônoma surgiu em maio de 2015, obtida para o Freightliner Inspiration Truck.

Comparado com o Highway Pilot, a versão Connect possui a função técnica adicional de comboio eletrônico. As comunicações entre os veículos são possibilitadas por uma plataforma de telemática de bordo. Um módulo V2V específico, usando um padrão especial de WiFi reservado exclusivamente para o setor automotivo, permite a transferência direta de dados entre os caminhões. O Highway Pilot Connect utiliza este recurso para o intercâmbio constante de informações com outros veículos e com o ambiente.

Principal vantagem: condução automática também quando não está conectado com o comboio

A grande vantagem do Highway Pilot Connect é esta: devido a sua avançada tecnologia, todos os membros do comboio continuam a ser caminhões de condução autônoma. Eles conseguem manter sua direção independentemente do veículo à frente e, graças à sua combinação de orientação linear e lateral, podem reagir a situações imprevistas a qualquer tempo. Isso também se aplica a outros veículos que cortam ou saem do espaço do comboio. Nesse caso, o veículo pode desacoplar do comboio sem problemas e continuar sozinho no modo autônomo. O motorista não precisa intervir.

Comboios de três ou mais veículos em conjunto são especialmente interessantes em países que possuem uma infraestrutura adequada. Nos EUA ou na Austrália, por exemplo, os caminhões cobrem longas distâncias, sem pontes e acessos de saída, em rodovias que cruzam praticamente o continente inteiro.

Um pré-requisito para transportes rodoviários eficientes do futuro é a harmonização das normas internacionais

Com seus três caminhões Mercedes-Benz Actros com Highway Pilot Connect, a Daimler trucks participa do Desafio de Comboios de Caminhões de 2016, uma iniciativa da Holanda durante sua atual presidência da União Europeia. Nesse evento, seis fabricantes europeus de caminhões trazem comboios de caminhões semi-autônomos às estradas públicas, cruzando fronteiras de várias cidades europeias a fim de atingir seu destino final no porto de Roterdam, em 6 de abril. O objetivo geral de todos os participantes e do governo holandês é acelerar, de forma conjunta, a introdução de regulamentação harmonizada intra-fronteiras para otimizar os transportes rodoviários eficientes dentro da União Europeia.

Foco na segurança de dados

O foco no cliente vem à frente para a Daimler no que se refere ao uso de serviços conectados. As empresas de transporte precisam decidir por si mesmas para quais finalidades seus dados poderão ser usados. Uma das pré-condições para a aceitação da condução conectada e autônoma é o tratamento responsável e seguro dos dados. Dessa maneira, a Daimler adota as mais altas normas de segurança e proteção de dados para os desenvolvimentos dessas novas tecnologias e áreas de inovação.

No caso do FleetBoard, computadores de alto desempenho na Central de Dados Europeia da Daimler AG, em Stuttgart, na Alemanha, garantem o processamento seguro de dados e sua transferência criptografada 24 horas por dia. Assim, a segurança dos dados do FleetBoard assemelha-se aos altos padrões adotados pelos bancos, por exemplo.

Especialistas estimam a triplicação do volume mundial de tráfego até 2050

Cerca de 75% do transporte de cargas na Europa continuam a ser feitos por rodovias. Os especialistas estão prevendo que o volume de transporte rodoviário mundial de carga triplique até 2050. Por meio dos caminhões interconectados em rede com outros veículos e seu entorno, todo o setor de transporte de carga poderá ser organizado de maneira a ficar mais seguro, mais rápido e ao mesmo tempo mais amigável ao meio ambiente. Em vista do aumento crescente do fluxo de produtos e da sobrecarregada infraestrutura, estas perspectivas são promissoras para a sociedade e para todos os envolvidos.

Tags, , , , ,