Tag TIC

Mauricio Cataneo passa a integrar o Conselho de Administração da Brasscom

A Brasscom (Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação) acaba de eleger seu novo Conselho de Administração referente ao biênio 2016-2018. O Diretor-Presidente no Brasil e Chief Financial Officer da Unisys para América Latina, Mauricio Cataneo, passa a integrar o Conselho de Administração da entidade, composto por outros sete membros, dois Vice-presidentes e um Presidente.

Mauricio foi ainda reeleito para presidir pelos próximos dois anos o Comitê de Ética da Brasscom, que é responsável por estudar e elaborar o Código de Ética da entidade, bem como suas atualizações e recomendações de melhores práticas institucionais e de governança corporativa.

A cerimônia de posse na sede da entidade em São Paulo contou com a presença de Gilberto Kassab, Ministro da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações, além de Maximiliano Martinhão, Secretário de Políticas de Informática e André Borges, Secretário de Telecomunicações.

Em seu pronunciamento, o Ministro Kassab destacou a importância do setor de tecnologia da informação e comunicação para o País. “Se tem algo que o Brasil precisa contar para seu desenvolvimento e crescimento é com a eficiência atrelada à inovação, e a inovação sempre vinculada a muitos investimentos”. Ele ainda comentou sobre a importância do trabalho conjunto entre Governo e instituições como a Brasscom em prol de um Brasil Digital e Competitivo. A expectativa dos secretários do MCTIC é que o novo ministério, resultante da união dos antigos MCTI e MiniCom, possibilitará atuação mais ágil na elaboração de políticas públicas voltadas a impulsionar inovação e investimento, potencializando a transversalidade da TI e da TIC e de seus benefícios econômicos, sociais e serviços ao cidadão.

“Fico muito honrado em fazer parte do Conselho de uma entidade como a Brasscom, que ao longo dos últimos anos tem atuado como um importante articulador entre os setores público e privado para a discussão de temas estratégicos e que têm ajudado a posicionar a nossa indústria como grande impulsionadora de inovações e da transformação digital que está em curso”, comentou Mauricio.

Representando 40 empresas e 14 instituições, a Brasscom promove o setor de TIC de forma propositiva, propagando novas tendências e inovações, a exemplo de Internet das Coisas, Mobilidade, Segurança e Privacidade. Atua para intensificar as relações com o mercado de forma a contribuir para o aumento da competitividade do setor, incentivando a transformação digital do Brasil.

Para mais informações, acesse: www.brasscom.org.br

Tags, , ,

Entidades de TIC se reúnem com Michel Temer

A ABES, a Assespro (Federação das Associações das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação) e a Brasscom (Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação) participaram, nesta quarta-feira, 08 de junho, de um encontro com o presidente interino da República, Michel Temer, juntamente com seus ministros e representantes de diversos setores para debater o atual momento político e econômico do Brasil. O encontro foi liderado pela FIESP.

“Não se trata apenas de pretender que a sua empresa cresça, mas é a convicção mais absoluta de que se os senhores crescerem o Brasil vai crescer. E é esse o trabalho que os senhores vão fazer”, disse Temer em seu discurso. De acordo com o presidente interino, o emprego, primeiro direito social dos cidadãos brasileiros conforme a Constituição Federal, só virá com a atuação da iniciativa privada. Temer ainda reforçou que a qualificação da equipe econômica do governo e a harmonia do Executivo com o Legislativo farão com que os objetivos econômicos do País sejam certamente alcançados.

As entidades aproveitaram o encontro para entregar ao presidente interino o Manifesto “A Ordem e Progresso do nosso Brasil”, assinado pelas três entidades do setor de Tecnologia da Informação e Comunicação, que destaca a importância do setor para o desenvolvimento econômico brasileiro.

Visando aumentar a eficiência e a competitividade do setor, o documento entregue a Temer aponta que, apesar da atual crise política e econômica que o Brasil enfrenta neste momento, o uso de tecnologias se configura como uma alternativa para a alavancagem da economia. Além disso, o manifesto também sugere iniciativas de curto prazo para potencializar a transformação digital do Brasil.

A expectativa com o manifesto é a consolidação de uma agenda de futuro e exclusiva para o setor de TIC, na qual poderão ser discutidas e detalhadas estratégias e soluções de tecnologia, como Big Data, a Internet das Coisas e a Segurança da Informação, entre outras soluções, que possam tornar a sociedade mais digital.

Clique aqui e veja o manifesto completo entregue ao Presidente Interino da República, Michel Temer.

Tags, , , ,

Huawei Enterprise Business Group cresce em 2015 com demanda por liderar nova TIC

A Huawei EBG gerou CNY 27,6 bilhões (USD 4,25 bilhões) em receitas anuais em 2015, um aumento de 43,8% com relação ao mesmo período do ano anterior, e o continua crescendo com solidez. O progresso da Huawei EBG foi impulsionado pela demanda do cliente por novas soluções da TIC, e o grupo permanece comprometido em gerar um ecossistema sustentável onde todos saem ganhando ao desenvolver plataformas flexíveis e seguras, com base em tecnologias inovadoras a fim de impulsionar o sucesso do cliente na nova era TIC.

A Huawei EBG atingiu um sólido crescimento concentrando-se em indústrias de alto valor e inovação em conjunto com parceiros

David He, presidente do departamento de marketing e vendas de soluções da Huawei EBG, comentou: “Em 2015, a Huawei EBG experimentou um rápido crescimento nos setores de segurança pública, finanças, transporte e nos setores de energia. Com o desenvolvimento da TIC inovadora, incluindo computação em nuvem, grandes dados, Redes Definidas por Software (SDN, Software-defined Networking) e a Internet das Coisas (IoT, Internet of Things), os modelos de negócios dos clientes, arquiteturas de TI das empresas, e ecossistemas industriais estão mudando profundamente. Para tratar dos desafios e demandas estratégicas dos clientes, a Huawei trabalha de perto com nossos parceiros para desenvolver inovações em conjunto, por meio das quais podemos prover nossos clientes com produtos e soluções diferenciados para ajudá-los a ser bem-sucedidos na nova era TIC.”

A solução Safe City da Huawei tem sido implementada em mais de 100 cidades de mais de 30 países, incluindo Oriente Médio, África e Ásia Pacífico, atendendo a mais de 400 milhões de pessoas. A Huawei colaborou com mais de 10 instituições financeiras de primeiro escalão e fornecedores de software independente (ISVs, Independent Software Vendors) em todo o mundo a fim de desenvolver a infraestrutura de TI da próxima geração para bancos com base em computação em nuvem e grandes dados. As soluções Financial Cloud e Big Data da Huawei foram adotadas por mais de 10 bancos de médio a grande porte, incluindo o Banco Industrial e Comercial da China (ICBC, Industrial and Commercial Bank of China) e o Banco Mercantil da China (CMB, China Merchants Bank). A Solução Digital Railway da Huawei foi implementada em mais de 100.000 quilômetros de trilhos. A Huawei atendeu a 15 das 20 maiores companhias de energia do mundo, cobrindo mais de 100.000 subestações de transformadores e 38.000 km de dutos para petróleo e gás.

Construindo um ecossistema em que todos saem ganhando com base em tecnologias e plataformas

“Novas tecnologias, incluindo arquitetura em nuvem, IoT, grandes dados (big data) e SDN estão remodelando os sistemas de Ti e modelos de negócios da empresas. A Huawei vai integrar profundamente plataformas de hardware e software em uma abordagem ‘Nuvem-Duto-Dispositivo’ a fim de construir um ecossistema da indústria mais aberto, e estabelecer uma nova infraestrutura da TIC que seja líder da indústria, inovadora e diferenciada”, declarou WK Leung, diretor de tecnologia do departamento de marketing e vendas de soluções, da Huawei EBG.

76% da receita de vendas de 2015 da Huawei EBG foi gerada a partir de canais e parceiros, um aumento de 47% em relação ao mesmo período do ano anterior. A Huawei EBG desenvolveu parcerias com mais de 300 distribuidores e parceiros de valor agregado (VAPs, Value-Added Partners) e mais de 8.000 parceiros do canal de segundo escalão. Entre eles, mais de 350 parceiros desenvolveram soluções para a indústria em cooperação com a Huawei por meio de inovação conjunta. A Huawei desenvolveu alianças industriais globais nas áreas de eLTE, SDN, virtualização da função de rede (NFV, Network Function Virtualization), 5G, sistema de operação (OS) em nuvem, cidade inteligente e plataforma aberta de finanças. A Huawei também formou parcerias estratégicas com os principais atores da indústria, como a Honeywell, Accenture, SAP e Vodafone Global Enterprise (VGE).

“Em linha com nossa estratégia de ‘estar integrado’, a Huawei continuará apoiando nossos parceiros e ajudando-os a serem bem-sucedidos na nova era TIC ao aprimorar nossos produtos, marcas, logísticas, serviços, negócios e sistemas de TI”, declarou Raymond Lau, presidente de parceiros e alianças globais da Huawei EBG.

Hank Stokbroekx, vice-presidente do departamento de serviços empresariais globais e de marketing da Huawei, apresentou os recentes desenvolvimentos em serviços da Huawei EBG. “A Huawei fornece a nossos parceiros de canais e da indústria serviços de ciclo completo eficientes, seguros e confiáveis a fim de ajudá-los a desenvolver suas competitividade essencial. Em 2015, a Huawei fez um progresso significativo em muitas áreas, como desenvolver um série totalmente nova de serviços profissionais e promover integralmente a certificação da indústria da TIC para ajudar os parceiros na transformação de um modelo de canal para um modelo de capacidade. Além disso, a Huawei aumentou o investimento em plataformas de automação com base em serviços na nuvem. Nós ansiamos prover melhores serviços aos nossos clientes crescendo juntos com os parceiros, e nos tornando o parceiro de serviços mais confiável do setor”, declarou o Sr. Stokbroekx.

Com seu princípio norteador “Infraestrutura de TIC Voltada a Negócios” (BDII, Business-Driven ICT Infrastructure), a Huawei vai acelerar suas estratégias de “foco em infraestrutura TIC” e “ser integrada”. A Huawei está comprometida em inovar em conjunto com seus parceiros e clientes; facilitando a transformação de negócios dos clientes em indústrias diferentes incluindo governo, segurança pública, finanças, energia, transporte, produção, educação, e provedor de serviços de Internet (ISP, Internet service provider); e liderando a nova era TIC por meio da capacitação do sucesso de negócio dos clientes.

Tags,

Sebrae e Campus Party apontam 200 startups promissoras para 2015

O Sebrae e a Campus Party identificaram, a partir de um universo de mais de 600 startups de todo o país e nas mais diferentes áreas de atuação, 200 empresas com grande potencial para conquistar o mercado em 2015. A seleção adotou como critério o nível de desenvolvimento do modelo de negócio, a qualificação da equipe, a qualidade dos produtos e serviços e o volume de potenciais consumidores. Essas empresas serão as grandes atrações da edição 2015 da Startup & Makers Camp, que acontece durante a Campus Party de 4 a 7 de fevereiro, em São Paulo.

Os melhores negócios que prometem acontecer em 2015 representam as cinco regiões brasileiras e envolvem o trabalho de mais de 900 pessoas, entre funcionários e sócios. “A maior concentração dessas startups está em São Paulo, com quase metade das selecionadas, Rio de Janeiro (9%) e Minas Gerais (8,5%). Elas criaram inovações nos mais diversos segmentos, principalmente nas áreas de varejo e e-commerce, educação, comunicação e mídia, TIC e Telecom, finanças e entretenimento”, informa o presidente do Sebrae, Luiz Barretto. Além da oportunidade de contatos, os empreendedores terão acesso à orientação de consultores e 48 horas de palestras e workshops promovidos pelo Sebrae em parceria com a Associação Brasileira de Startups.

O Startup & Makers, que é realizada pela terceira vez no Brasil, tem o objetivo de apoiar os empreendedores que estão começando ou em fase de consolidação, oferecendo a oportunidade de interação, conhecimento, exposição na mídia e contato com outras empresas e investidores. Além disso, este ano, o espaço será integrado com a Arena para que esses empresários encontrem parceiros e colaboradores entre os oito mil campuseiros e possam participar de todo o conteúdo da Campus Party.

As startups também contarão com um espaço físico para apresentar seu negócio para possíveis clientes e visitantes. A proposta é que empresários, campuseiros, aceleradoras, investidores, entusiastas e visitantes se unam para compartilhar conhecimento e experiências, desenvolvendo assim os negócios inovadores. Durante o evento, as empresas ganharão prêmios e a possibilidade de demonstrar seus produtos e serviços para aceleradoras, fundos de investimentos e investidores anjo.

Startups Selecionadas

Desde que participou do Startup & Makers Camp, no ano passado, a Let´s Park, que desenvolveu um aplicativo colaborativo para encontrar estacionamentos, passou por uma transformação radical. De uma empresa em estágio embrionário, que ainda procurava validar seus projetos, a Let`s Park já soma 2,5 mil estacionamentos cadastrados apenas na capital paulista e fechou parceiras com gigantes como a montadora Ford. De quebra, ainda atraiu o interesse da aceleradora Triple Seven que, além do aporte de capital, também está participando ativamente do desenvolvimento da startup.

Letícia Passelli, diretora de Marketing e uma das sócias da empresa, conta que a ideia de desenvolver o aplicativo surgiu em 2013, após ter gasto um alto valor em um estacionamento na capital paulista e, pouco depois de tirar o carro do local, descobrir outro ao lado que cobrava um preço bem mais acessível. Com um mapa baseado em Google Maps, o usuário pode checar onde há um lugar próximo em que ele possa parar o carro. Ao clicar no ícone do estacionamento, podem ser acessadas informações como se o local é coberto, se tem seguro, tabela de preços, descontos, etc. O próprio usuário pode cadastrar um estabelecimento, de preferência fornecendo informações básicas como preços e horários. “A maioria dos estacionamentos cadastrados é de São Paulo, mas já há estabelecimentos em todos os estados brasileiros e até de outros países, como Japão, EUA, Canadá, Reino Unido e Austrália”, conta Letícia, de 24 anos.

A Campus Party será o grande teste para a Networkr, uma rede social de networking desenvolvida para ajudar os profissionais a conhecer pessoas relevantes em eventos, e que está em fase de desenvolvimento. “Quando soubemos que fomos escolhidos para participar do Startup Makers & Camp decidimos acelerar o processo de desenvolvimento para poder apresentar e utilizar o sistema no evento” conta um dos sócios da Networkr, Márcio Nóbrega, de 35 anos.

Em novembro último, Nóbrega deixou seu emprego em uma grande empresa para se dedicar integralmente à modelagem do novo negócio que, segundo ele, não tem paralelo no Brasil. A ideia de desenvolver o negócio veio da própria insatisfação de Nóbrega e de seu sócio Daniel Bonato de participarem de grandes eventos corporativos em que o que network ficou muito abaixo das expectativas. “Por falta de informação, tivemos dificuldade em conhecer profissionais de áreas que nos interessavam. Procuramos desenvolver uma ferramenta para ajudar as pessoas a estabelecerem contato e, claro, gerar negócios”, explica o empreendedor, que mora em Bauru, no interior paulista.

Sócio de uma agência de publicidade, o paulistano Tiago Mateus, de 29 anos, percebeu que era cada vez maior o número de empresas interessadas em contratar celebridades para participar de campanhas com foco nas redes sociais. A partir dessa demanda, ele resolveu criar em novembro passado a Inflr, um serviço que permite ao usuário usar a sua “influência” nas redes sociais para ganhar dinheiro ou produtos de empresas interessadas em divulgar suas ações. No caso de campanhas com celebridades propriamente ditas, o trabalho da Infr é feito diretamente com as agências e empresas e com os assessores dos famosos.

Mesmo com pouco tempo de mercado, o jovem empreendedor já contabiliza 1.800 cadastrados no site da Inflr, muitos dos quais conquistados por um trabalho realizado por ele mesmo nas redes, como em perfis do Instagram. O empreendedor lembra que há muita gente nas redes sociais com muito mais popularidade do que artistas de TV. “O conceito de celebridade nas redes sociais é totalmente diferente. Existem perfis de gente conhecida somente na internet que somam milhares de seguidores”, acrescenta. Mateus já está conversando com alguns investidores interessados em realizar aportes na empresa. A startup foi selecionada como iniciante e, para ele, a participação no Startup & Makers Camp também pode ser uma oportunidade de atrair o capital necessário para desenvolver novos projetos.

Tags, , ,

Nove empresas do PR estão entre as melhores para trabalhar em TIC

Em uma parceria emtre o Instituto Great Place to Work e Computerworld, foram divulgadas, nesta semana, as 100 melhores empresas de TI e Comunicações para trabalhar no Brasil. Pelo quarto ano consecutivo, o Google ficou em 1º lugar. Nove empresas do Paraná estão entre as premiadas: GVT de Curitiba em 52º lugar; Cinq Technologies de Curitiba em 53º; Datacoper de Cascavel em 54º; DB1 de Maringá em 57º; Produtec de Maringá em 65º; HSBC Global Technology de Curitiba em 67º; EBS Sistemas de Curitiba em 75º; Pelissari Gestão e Tecnologia de Curitiba em 78º; e CISS de Dois Vizinhos em 93º . Veja lista completa do GPTW 2013 TI e Telecom.

Tags, , , , , , , , , , ,

CIO: Brasil sobe três posições no raking de consumo de TIC

Em 18 meses, o Brasil saltou da 7ª posição para o 4º lugar na movimentação de produtos e serviços de TI e telecom (TIC) no mundo, somando 169 bilhões de dólares, segundo a IDC. O mercado global somou 3,6 trilhões de dólares.

“Nas primeiras colocações no consumo de TI e Telecom estão Estados Unidos, China e Japão”, afirmou Anderson Figueiredo, analista da IDC, em palestra no Floripa TICs Fórum evento patrocinado pela Dígitro em Florianópolis. “Somamos 5% do mercado mundial de TI e telecom”, acrescentou o analista.

No cálculo geral sobre o mercado brasileiro, TI movimentou 60 bilhões de dólares e telecomunicações 109 bilhões de dólares. O mercado norte americano movimentou 949 bilhões de dólares; China 334 bilhões de dólares; e Japão 315 bilhões dólares. “O Brasil representa 50% do mercado latino americano”, concluiu Figueiredo.

Fonte: www.cio.uol.com.br

Tags, ,