Tag T-Systems

T-Systems e SAP anunciam parceria para IoT

A T-Systems, provedora alemã com amplo portfólio digital de soluções e serviços de TI, acabam de anunciar a conexão de suas plataformas baseadas em nuvem para sensores e equipamentos integrados em rede. A parceria vai permitir aos clientes das duas empresas a integrar com facilidade dados IoT em seus sistemas SAP.

“Estamos tornando esse processo muito simples para nossos clientes: conectar sensores e ativa-los. Desta forma, a internet das coisas pode ser facilmente utilizada para automação de processos”, afirma o CEO da T-Systems, Adel Al-Saleh, lembrando que a solução já está disponível.

A integração foi feita inicialmente para o setor de logística. O módulo de telemática não apenas reconhece a posição do veículo, via GPS, mas também sua velocidade. Ele também fornece dados sobre choques e temperatura. E outros dispositivos estão a caminho, como um botão para pedidos ou um módulo que vai coletar dados em máquinas. A previsão é que no futuro exista uma etiqueta digital para uso em logística.

Na prática, componentes como estes coletam dados e os transmitem, encriptados, para a plataforma de IoT da T-Systems. Com a integração das plataformas, estes dados serão agora automaticamente transferidos para o SAP Leonardo IoT, solução de Internet das Coisas da SAP. Isso vai permitir aos clientes melhorar seus processos com o uso de sistemas SAP, como o SAP S/4HANA.

Atualmente, IoT é um componente importante da estratégia da T-Systems, com foco nos setores de manufatura e logística. Até 2020, a expectativa é que exista cerca de 30 bilhões de sensores em todo o mundo e que cerca de 40% dos dados gerados por eles terão origem em máquinas e veículos.

Tags, , ,

T-Systems e microsoft anunciam parceria para cloud pública

A T-Systems, provedora alemã com amplo portfólio digital de soluções e serviços de TI, e a Microsoft acabam de anunciar uma parceria estratégica para a oferta de serviços em nuvem pública com foco em quatro pilares: aplicativos SAP; serviços gerenciados para Microsoft Azure e Microsoft 365; soluções digitais baseadas em inteligência artificial (IA); e realidade aumentada em conjunto com Internet das Coisas (IoT).

Em um primeiro passo, as duas companhias vão intensificar sua cooperação no campo da Internet das Coisas, anunciaram o CEO da T-Systems, Adel Al-Saleh, e o vice-presidente executivo da Microsoft, Jean-Philippe Courtois, durante a Hannover Messe, na última segunda-feira (07/05).

“Um dos blocos centrais do recente realinhamento da T-Systems é nossa estratégia ‘Public Cloud First’. Estou mais do que satisfeito em poder combinar as ofertas em nuvem da Microsoft com nossos serviços e produtos”, afirma Al-Saleh.

“Na Microsoft, oferecemos uma infraestrutura de nuvem com escala global combinada com o poder de dados inteligentes e IA de nossa plataforma Microsoft Azure Cloud. Ela será combinada com a excelência das ofertas da T-Systems em operação de negócios que atendem as demandas dos clientes”, diz Courtois.

IoT como serviço, da plataforma às soluções fim a fim

A primeira área de colaboração entre as duas empresas será IoT: utilizando a Azure como nuvem preferencial, a T-Systems desenvolveu e vai operar a “Cloud of Things – built on Azure”. A solução oferece serviços IoT pré-configurados, como monitoramento remoto para logística, soluções de pós-vendas para o setor automotivo e soluções de rastreamento e monitoramento.

A arquitetura aberta e modular é baseada nos serviços IoT Microsoft Azure, garantindo adaptação eficiente e extensão flexível da plataforma. Todas as funcionalidades necessárias para a construção de uma solução IoT, com gerenciamento de equipamentos e usuários, gerenciamento de eventos, simulações, analytics e dashboards configuráveis estão disponíveis diretamente e podem ser customizados de acordo com as necessidades dos clientes. A arquitetura aberta permite também serviços adicionais e integração entre máquinas e equipamentos, permitindo que as empresas usuárias construam soluções fim a fim completas.

A Microsoft Azure permite aos seus usuários atingir escala global, com as 50 regiões da Azure – mais do que qualquer outro provedor. A Microsoft continua priorizando a expansão geográfica da Azure, respondendo à demanda de algumas das maiores companhias do mundo por desempenho e disponibilidade, atendimento a regras locais e preferências dos clientes sobre a localização de seus dados.

Ao mesmo tempo, os serviços em nuvem vêm se tornando mais importantes para soluções de negócios com foco em grande volume de clientes. Muitas empresas têm movido suas aplicações para a nuvem para tirar vantagem da rápida escalabilidade, eficiência e custos mais baixos. A T-Systems suporta seus clientes com serviços gerenciados de infraestrutura, plataformas e aplicações a partir da nuvem, permitindo que eles se concentrem em seus negócios.

Tags, , , , , , ,

T-Systems multiplica por 15 adesão a cursos online

A T-Systems Brasil, provedora alemã com amplo portfólio de soluções digitais e serviços de TI, multiplicou por 15 o número de horas de treinamentos online de seus colaboradores. O salto ocorreu nos últimos dois anos, quando o total de horas em treinamentos online saltou de 1,8 mil (2015) para quase 30 mil (2017).

De acordo com o vice-presidente de Recursos Humanos da T-Systems Brasil, André Vieira, o crescimento é resultado do trabalho que a companhia vem fazendo para capacitar seus colaboradores nos conhecimentos e competências necessários para os profissionais do futuro. “Um trabalho intenso de pesquisa realizado pela T-Systems resultou em uma lista de conhecimentos que serão fundamentais no futuro. A partir daí, reforçamos a oferta de treinamentos nessas áreas”, explica.

A lista inclui áreas como digitalização, cloud computing, automatização, desenvolvimento de aplicativos móveis (IOS e Android), Big Data, governança, compliance e trabalho virtual (cultura da não-presença), entre outras. A partir dessa identificação, a T-Systems, disponibilizou em seu portal global de RH, o HR-Suite, a ferramenta Skillsoft, que oferece milhares de cursos, vídeos e livros.

“Cada funcionário recebeu uma licença de uso da ferramenta para uma plataforma de treinamento online com mais de oito mil cursos”, ressalta André. Para estimular ainda mais a busca por novas competências, a T-Systems Brasil criou um incentivo através de um objetivo corporativo chamado Cultura Digital, visando o aumento da utilização dos cursos online. Este objetivo vinculou ao um número de treinamento online ao bônus anual: quem fizesse até oito cursos garantiria 100% de atingimento, quem fizesse mais do que isso, poderia receber até 150% deste objetivo.

O esforço resultou em uma média de 16 cursos online realizados por cada um dos dois mil funcionários da companhia, com uma carga média de 20 horas. André ressalta que este incentivo ajudou a na mudança cultura de treinamento presencial para treinamento digital. “A empresa definiu uma meta para treinamento digital para os próximos anos, o que vai democratizar ainda mais a experiência de cada um com o aprendizado online”, diz.

Não por acaso, a expectativa do executivo é que, ao longo de 2018, o número de horas investidas em cursos online continue crescendo, ampliando ainda mais a participação dos funcionários no que ele chama de Cultura Digital. “No primeiro trimestre deste ano, por exemplo, teremos foco no treinamento em Design Thinking, que vai atender os profissionais que queiram inovar e reinventar sua forma de trabalho e fazer as mudanças necessárias para atender às demandas da era digital”, conclui.

Tags, , , , ,

Desktop como serviço reduz custos em 50%

A T-Systems Brasil, provedora alemã com amplo portfólio de soluções digitais e serviços de TI, está reforçando sua oferta de DaaS (Desktop as a Service) para o mercado brasileiro. Já disponível no Brasil, o serviço de desktop virtual hospedado em nuvem promete reduções de 40% a 60% em infraestrutura de hardware.

O líder de operações de infraestrutura de TI da T-Systems Brasil, Guilherme Barreiro, explica que o serviço pode ser acessado por meio de computadores, tablets e celulares. “Isso significa que o usuário pode armazenar, transportar e acessar dados corporativos, exatamente como estão em máquina de origem, em qualquer aparelho com acesso à internet”, diz.

Além da facilidade de acesso, um dos maiores benefícios do DaaS é a redução de custos. A única condição para que ele seja utilizado é sua implementação e uma conexão Wi-Fi estável. Isso significa que o acesso pode ser feito por meio de qualquer computador, mesmo os mais antigos, uma vez que o poder computacional é configurado diretamente na nuvem e pode ser ajustado conforma a necessidade do cliente.

“Por exemplo, se um diretor financeiro precisa processar o fechamento contábil uma vez por mês, ele não precisa comprar uma máquina mais potente para isso. Basta pedir que as configurações do DaaS sejam reforçadas neste período, agilizando o processamento das informações”, compara.

Isso reduz a necessidade de investimentos em hardware e, também, os custos de manutenção, uma vez que eventuais problemas no DaaS podem ser solucionados remotamente. “Somente estes fatores representam uma economia que pode chegar a 60% dos valores gastos com hardware e manutenção”, informa Barreiro.

De acordo com o executivo, o serviço é indicado para profissionais em trânsito, ou que executem serviços em campo. “Muitas vezes estes profissionais prestam serviços em empresas que não permitem a entrada de máquinas de terceiros”, afirma, lembrando que o serviço garante mais autonomia a estes profissionais. Todavia, o DaaS permite com que o custos de TI da empresa sejam reduzidos exponencialmente já que o ciclo de vida de notebooks e desktops antigos podem ser expandidos já que toda a carga de poder computacional e disco necessários estarão na nuvem.

Além do desktop remoto, o serviço conta também com processos automáticos para atualização de backup, de dados e segurança, isso por meio de uma rotina com datas e horários previamente agendados. “É uma solução bastante eficaz, pensada para reduzir custos e facilitar a vida dos colaboradores de nossos clientes”, conclui.

Tags, , , , , , , , ,

Gartner e T-Systems divulgam estudo sobre plataformas IoT

O Gartner e a T-Systems, provedora alemã com amplo portfólio de soluções digitais e serviços de TI, acabam de divulgar um estudo chamado “Key Considerations for Your IoT Ecosystem”. De acordo com a análise feita pelas duas companhias, o segmento de IoT deve continuar em franco crescimento, tornando crucial para as empresas a escolha da plataforma a ser utilizada para suportar novas aplicações.

Consideradas “o backbone” da internet das coisas, as plataformas representam um novo segmento de mercado, ainda em surgimento. O estudo define as plataformas IoT como soluções de software capazes de gerenciar tecnicamente dados IoT. “Este mercado deve crescer consideravelmente nos próximos anos, por conta das funcionalidades e destas plataformas trazerem ainda mais valor para vários processos de negócios”, diz a análise.

Diante deste contexto, um questionamento que deve ganhar força junto com o crescimento deste mercado é: como uma empresa deve definir que uma determinada plataforma é a ideal para seu negócio? De acordo com o estudo, a escolha da plataforma deve star alinhada à estratégia de IoT da empresa e seu modelo de negócios. Esta definição pode vir de um estudo sobre os problemas que a empresa quer resolver e uma priorização dos serviços a serem implementados.

De todo modo, e independentemente de suas demandas, o estudo aponta que todas as empresas vão precisar de plataformas que garantam flexibilidade e a expansão de seus desenvolvimentos. Neste cenário, a melhor escolha seria uma plataforma baseada em um ecossistema de múltiplos provedores e soluções combinados em um espaço simples de usar.

Nesse sentido, o estudo aponta três funcionalidades essenciais a uma boa plataforma IoT:

– Suporte a aplicações – para a customização de soluções IoT;

– Consolidação de dados e armazenamento – para capturar e armazenar dados e gerar insights;

– Gerenciamento de conectividade – para conectar automaticamente sistemas, redes e equipamentos.

Por conta disso, o estudo aponta como prioritário desenvolvimento de novos serviços IoT para plataformas IoT. Para atender a estas demandas, os líderes de TI corporativos devem:

– Desenhar e desenvolver plataformas IoT que sejam extensíveis e abertas para uso de serviços IoT externos;

– Implementar modelos de precificação que garantam rápido retorno a partir de uma plataforma IoT padronizada;

– Buscar o desenvolvimento de novos serviços IoT como bibliotecas analíticas, monetização de dados, ferramentas de governança e segurança avançada, que fortaleçam sua plataforma.

“A T-Systems acredita em ecossistemas abertos para acelerar todo o mercado de IoT. Ao mesmo tempo, queremos atuar como enablers, para que nossos clientes construam suas soluções baseadas em produtos IoT fornecidos com a maior conveniência possível”, afirma Ideval Munhoz, presidente da T-Systems Brasil.

Veja a íntegra do estudo.

Tags, , , , , , , ,

Embratel e T-Systems anunciam parceria para oferecer conectividade IoT no Brasil

A Embratel e a T-Systems acabam de anunciar uma parceria para oferta de conectividade IoT (do inglês, Internet das Coisas) para o mercado brasileiro. O acordo vai permitir a oferta, no Brasil, do IoT Service Portal, já disponibilizado pelo Grupo Deutsche Telekom em diversos mercados globais, incluindo Europa, Estados Unidos e China.

Como resultado, a T-Systems Brasil, braço da Deutsche Telekom para oferta de serviços corporativos e soluções e serviços globais de TIC, e a Embratel, líder em telecomunicações e com forte atuação em mobilidade corporativa e em TI, estão anunciando um acordo que vai permitir a comercialização de conectividade IoT no mercado brasileiro. Por meio da parceria, a T-Systems Brasil vai utilizar a rede da Embratel/Claro, tornando-se uma MVNO (Mobile Virtual Network Operator). A oferta do serviço começa no início de 2018.

“Atualmente, toda grande companhia precisa de conectividade para os aplicativos IoT que estão procurando implementar. Certamente nossa parceria com a Embratel vai permitir à T-Systems Brasil e ao Grupo Deutsche Telekom trazer serviços inovadores para o mercado brasileiro”, afirma Ideval Munhoz, presidente da T-Systems Brasil.
“Por meio desta parceria, a T-Systems terá acesso à melhor tecnologia do mercado. Com o suporte da Embratel, a T-Systems terá conectividade, disponibilidade e qualidade de rede para suportar as operações de IoT de seus clientes globais no Brasil”, diz Marcello Miguel, Diretor Executivo de Marketing e Negócios da Embratel.
O IoT Service Portal, da Deutsche Telekom, permite aos seus usuários operar e controlar, em tempo real, comunicações M2M (Machine-to-Machine), permitindo às áreas de negócios monitorar todos os seus cards M2M com seus correspondentes planos de dados e volumes de transmissão.

Além disso, os usuários podem ativar, bloquear ou desabilitar seus SIM Cards M2M e também mudar seus planos de dados e funcionalidades. Para controlar a transmissão de dados, eles podem criar alertas para cada card, recebendo notificações automaticamente. O portal é acessível por meio de uma conexão segura e suas funcionalidades podem ser facilmente integradas com ambientes de TI já existentes graças a APIs (Application Programming Interfaces) que podem ser utilizadas automaticamente.

Conectividade IoT em diferentes indústrias e fronteiras

Mais e mais companhias de setores como o automotivo, energia, saúde e transporte vem operando internacionalmente, enfatizando a necessidade de integração das soluções locais de IoT com um contexto global. Estas empresas levam a integração móvel, com os mais diferentes tipos de equipamentos IoT, às suas sedes, permitindo o acompanhamento de consumo de dados em tempo real, ou o controle remoto de máquinas, monitorando sua operação. Por isso, o IoT Service Portal da Deutsche Telekom foi desenvolvido com estes desafios em mente, oferecendo conectividade gerenciada em todo o mundo.

Mais informações sobre o IoT Service Portal da Deutsche Telekom e suas ofertas dedicadas podem ser obtidas em: http://iot.telekom.com/en/

Tags, , , , , , , , , ,

T-Systems anuncia serviço para gerenciamento de sistema operacional multi-nuvem

A T-Systems acaba de anunciar o primeiro serviço para gerenciamento de diferentes sistemas operacionais em nuvem: o MCOS (Managed Cloud Operating System) gerencia diferentes sistemas operacionais nas múltiplas plataformas utilizadas pelos clientes simultaneamente, sejam operações internas convencionais, nuvens privadas, híbridas ou públicas. O suporte atende à plataforma da companhia, a Open Telekom Cloud, assim como outras, como a Microsoft Azure e a Amazon Elastic Compute Cloud (EC2).

As estruturas em nuvem vêm se tornando entidades cada vez mais complexas e, ao mesmo tempo, muitas empresas estão colocando suas aplicações e dados em diferentes nuvens. Isso faz sentido do ponto de vista de segurança, mas também traz algumas desvantagens, como o crescimento da complexidade e dos esforços de manutenção necessários à esta infraestrutura.

Como resposta, os especialistas da T-Systems desenvolveram o MCOS para gerenciar servidores virtuais, como Microsoft Windows e SUSE Linux Enterprise, com diferentes sistemas operacionais, incluindo suas atualizações e patches regulares. Com isso, os clientes podem utilizar a solução em todas as suas estruturas em nuvem.

“Como integradores de nuvem, nós temos a experiência necessária para gerenciar diferentes plataformas em nuvem. Com o MCOS, nós oferecemos aos nossos clientes uma solução automatizada que vai cuidar do gerenciamento diário, liberando recursos para tarefas mais estratégicas”, afirma François Fleutiaux, diretor de divisão de TI da T-Systems.

O MCOS padroniza o gerenciamento de ambientes em nuvem, independentemente da tecnologia empregada pelo provedor. Como resultado, os usuários precisam de menos tempo e recursos para manter seus vários sistemas atualizados. Livres desta rotina, os recursos podem ser utilizados para reforçar aplicações de negócios ou outras tarefas mais úteis.

Tags, , , , , , ,

T-Systems leva IoT para a Futurecom 2017

A T-Systems do Brasil, provedora alemã com amplo portfólio digital de soluções e serviços de TI, será uma das participantes do espaço IoT Applications da Futurecom, evento que será realizado entre os dias 02 e 05 de outubro, em São Paulo. A companhia vai apresentar algumas de suas soluções baseadas na combinação do uso de tecnologias como RFID e IoT (Internet das Coisas).

Um exemplo é a solução Smart Logistics, da Roambee, empresa da divisão digital da T-Systems. De acordo com Luis Fernando Tadei, head de transformação digital da T-Systems Brasil, a solução é formada por equipamentos equipados com sensores portáteis sem fio, chamados “Bees” e uma plataforma de software baseado em nuvem.

Os sensores conectados a uma plataforma baseada na nuvem se integram com quaisquer programas comerciais, tais como o ERP. Além disso, o sistema é capaz de entregar uma análise preditiva que amplia a eficiência operacional, reforça o engajamento dos clientes, reduz riscos e garante métricas para o cálculo de retorno sobre o investimento (ROI).

“Beneficiando uma grande gama de segmentos, a solução permite, por exemplo, o monitoramento em tempo real da temperatura e o status de localização de medicamentos sensíveis durante seu transporte, isso com o uso de dados e alertas em tempo real, que permitem ações imediatas em caso de necessidade”, explica.

Os visitantes do espaço IoT Applications poderão conhecer de perto a solução CAPPe (Computer Aided Process Planning environment) para controle de processos integrada à tecnologia RFID. Além do controle do processo sem o uso de papel (paperless) e monitorar diferentes equipamentos industriais no chão de fábrica, o CAPPe permite o controle ativo do uso dos EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) correto em áreas obrigatórias. Na pratica, trata-se de uma solução onde o responsável pela área de segurança industrial pode, por exemplo, ser alertado de forma online sobre a divergências de utilização dos EPI´s pelos funcionários nas diversas áreas da empresa.

“As regras podem ser configuradas e sempre que o funcionário estiver atendendo as regras, o fluxo é liberado. Caso contrário, a ferramenta pode gerar alertas ou impedir o fluxo do trabalho para que um responsável possa analisar e corrigir as divergências.”, explica Luiz Carlos Coelho, gerente de soluções de TI da T-Systems do Brasil.

Outra soloução presente no espaço IoT Applications será o eEVN (extended Enterprise Value Network), uma plataforma de serviços da T-Systems que busca otimizar a integração de uma empresa com seus clientes e/ou fornecedores, provendo rastreabilidade e agilidade na comunicação com os parceiros de negócio e trazendo transparência e segurança para os processos dentro da cadeia de suprimentos.

Será demonstrado a integração da solução eEVN com a tecnologia RFID permitindo monitorar e rastrear o embarque de materiais nas áreas de expedição dos fornecedores, bem como o recebimento e conferência automática destes materiais nos clientes. O eEVN une e valida as informações coletadas através dos leitores e antenas de RFID com as informações contidas nos arquivos eletrônicos logísticos e fiscais trafegados via EDI. Desta forma é possível prover relatórios e um Cockpit de monitoração gráfica com alertas visuais para maior controle e agilidade nos processos logísticos de envio e recebimento de materiais.

Por fim, a T-Systems Brasil vai apresentar uma simulação de sua solução de monitoramento de refrigeradores em tempo real. Sensores instalados nos equipamentos – sejam caminhões refrigerados, freezers ou geladeiras instaladas em supermercados ou restaurantes -, enviam informações para a nuvem. Através de um portal, acessível via tablet ou celular, é possível visualizar um dashboard que contém todos indicadores, alarmes e eventos estabelecidos. “Qualquer alteração de temperatura e umidade é informada, bem como sua causa, que pode ser uma queda de energia ou simplesmente uma porta deixada aberta muito tempo”, diz Tadei.

IoT Applications

O IoT Applications é um espaço da Futurecom destinado a demonstrações de utilização prática de Internet das Coisas. Situada na Hall B, a área de mais de 200m2, será um grande showcase de demonstração de soluções IoT para todos os expositores do Futurecom e algumas empresas convidadas. A organização incentivou a representação da IoT em diversos segmentos, tais como: Indústria 4.0, Saúde, Educação, Customer Experience, Serviços Públicos e Utilities, Big Data e Agronegócio.

Tags, , ,

T-Systems traz o Magenta Security para o mercado brasileiro

A T-Systems do Brasil, provedora alemã com amplo portfólio digital de soluções e serviços de TI, acaba de anunciar a disponibilidade do Magenta Security no mercado brasileiro. O Magenta Security reúne uma série de serviços de segurança que funcionam como um escudo digital, tendo como principal característica a simplicidade de utilização, permitindo que seus usuários obtenham todas as soluções de segurança que necessitem de uma única fonte.

As soluções, que já eram utilizados pelos clientes de cloud da T-Systems Brasil, serão agora oferecidas ao mercado como serviço. “Para garantir as melhores soluções em cada área, fechamos uma série de parcerias com os melhores players do mercado”, afirma Marcio Uehara, Delivery Security Manager da T-Systems Brasil.

Ele explica que o portfólio Magenta Security atende hoje a onze áreas:

Governance, Risk & Compliance: Desenvolvimento de estratégias abrangentes para a gestão de TI e gerenciamento de possíveis ameaças ao negócio, os quais visam definir processos críticos e avaliar riscos técnicos.

Analysis, Consulting & Testing: Especialização em segurança de TI por meio de uma equipe de consultores altamente capacitada com expertise em análise e avaliação de riscos e desenvolvimento de estratégias de TI relacionadas à segurança.

Solution Design & Implementation: Conceitos de segurança para digitalização e redes. Abrangentes e flexíveis, estes são integrados nas estratégias corporativas e de TI do cliente para identificar ataques cibernéticos e defender as empresas.

Data Security: A segurança dos dados é mais do que um dever; é uma questão crucial. Por isso, a T-Systems implementa soluções de proteção de dados para preservar a privacidade do cliente (um conceito conhecido como “privacy by design”), trabalhando com produtos, serviços ou recursos.

Application Security: Quando a T-Systems cria novos produtos e sistemas, são aplicados procedimentos que integram segurança e proteção da informação desde o início. Dessa forma, o risco de ataques cibernéticos diminui significantemente.

Cloud Security: Alta disponibilidade e segurança devido a proteção e a criptografia do acesso às aplicações na nuvem.

Network/ICT Security: A informação que a T-Systems coleta dos nossos sistemas de alerta antecipados, como honeypots e CERT, é aplicada aos serviços abrangentes de segurança gerenciada – nos data centers de clientes e na nuvem.

Endpoint/Mobile Security: Protege dispositivos de usuários contra acesso não autorizado, incluindo ataques por meio da rede wireless e vulnerabilidades do sistema operacional.
Industrial Control Systems Security: Garante a segurança de máquinas: Gerenciamento de identidade totalmente automatizado constitui a base para uma Internet das Coisas (IoT) segura.

ID Security: Protege, conecta e gerencia as identidades digitais de pessoas e dispositivos. Essa é a base para a segurança de identidade em aplicações pessoais e de negócios.

Operational Security SOC/SIEM: Serviços avançados de defesa cibernética combinam a longa experiência da T-Systems com as mais modernas tecnologias de proteção contra os atuais ataques, os quais podem passar despercebidos por medidas de segurança convencionais.

Uehara lembra que as empresas estão digitalizando seus processos de negócio e intensificando o uso de soluções móveis e aplicativos baseados em nuvem. Isso faz com que o montante de dados circulando cresça muito, demandando ainda mais funcionalidades de armazenamento, processamento e segurança.

“Com o nosso portfólio Magenta Security, adotamos uma abordagem de impacto zero para o cliente, prevenindo possíveis ataques”, afirma. “Com isso, nossos clientes se beneficiam de data centers e redes confiáveis, privacidade nos dados e um serviço fim-a-fim, tudo o mais simples possível”, diz.

Parcerias

Para atender melhor cada uma das áreas, a T-Systems Brasil está adequando para o mercado brasileiro as parcerias já fechadas para a oferta dos serviços na Europa. Algumas destas parcerias incluem: Qualys, Dedrone, Splunk, FireEye, Fortinet, Gigamon, entre outros.

“O Magenta Security traduz a visão da T-Systems, de que segurança deve ser simples. Simples de obter, de utilizar e de gerenciar. E isso vai além das soluções de software específicas. Para entrar na era da digitalização, as empresas precisam de segurança em todos os níveis. Por isso, nosso conceito de segurança abrange toda a cadeia de valor, do data center à rede e desta para os smartphones nos bolsos dos usuários”, ressalta.

Tags, ,

T-Systems integra realidade aumentada com sistemas SAP

A T-Systems do Brasil, provedora alemã com amplo portfólio digital de soluções e serviços de TI, vai apresentar durante a edição 2017 do SAP Forum sua primeira solução para pontos de venda baseada em realidade aumentada, a SAP AR. O diferencial é a integração nativa com sistemas SAP, como o sistema de gestão SAP S/4HANA e a plataforma de mobilidade SAP Fiori.

Desenvolvido sobre a plataforma ARKit, da Apple, a SAP AR vai permitir aos desenvolvedores de soluções para o comércio construírem lojas virtuais integrando o front end diretamente com os sistemas de gestão da SAP. “Além disso, eles poderão criar experiências de realidade aumentada para iPhone e iPad”, explica Fábio Siqueira, diretor de TI da unidade de desenvolvimento de aplicativos móveis da T-Systems Brasil.

Localizada em Curitiba, a unidade conta hoje com cerca de 10 profissionais focados exclusivamente no desenvolvimento de aplicativos móveis para fins corporativos.

Para apresentar a SAP AR, o estande da T-Systems no SAP Forum contará com quatro iPads onde os usuários poderão vivenciar a experiência de escolher e customizar, na tela do celular ou do tablet, produtos que vão desde roupas até carros e empilhadeiras. Uma vez escolhido e customizado e produto, eles poderão acompanhar os dados sendo enviados para a plataforma SAP HANA e transformados em ordens de compra no SAP S/4HANA.

“Também teremos três monitores onde estes usuários poderão acompanhar todo o processamento destes dados no sistema de gestão SAP”, lembra Siqueira. A simulação permitirá, também, consultar os dashboards corporativos no app SAP AR, onde todos os dados de vendas e produção poderão ser acompanhados no tablets ou no iPhone dos usuários.

Siqueira explica que a SAP AR é baseada na plataforma ARKit porque o iPhone é hoje o aparelho mais utilizado pelas empresas. A plataforma, anunciada em junho pela Apple, estará disponível para todos os aparelhos a partir do iOS 11, que deve ser disponibilizado em setembro.

“Assim que o novo sistema operacional estiver disponível, a SAP AR poderá ser utilizada por qualquer um de nossos clientes que queira criar uma loja virtual já integrada com seu sistema de gestão”, comenta o executivo.

Menu de soluções

Além da solução SAP AR, a T-Systems Brasil vai apresentar também o app com o seu portfólio completo de soluções. Desenvolvido pela área de marketing da companhia, o aplicativo replica o formato de cardápio e servirá como material de apoio para as equipes de campo.

O aplicativo tem como base o “Menu para a Transformação Digital”, conceito que está permeando toda a comunicação da empresa com clientes e parceiros. A head de marketing da T-Systems Brasil, Claudia Forgas, lembra que um dos grandes desafios enfrentados hoje pelas empresas de TI é mostrar, de forma clara, de que forma suas soluções se encaixam às necessidades de seus clientes. “Para isso deixamos de lado a complexidade dos gráficos e powerpoints técnicos e adotamos um formato que todos conhecem: um menu”, explica.

Para isso, o material impresso adotou o formato de um menu, como os encontrados em restaurantes. O material é dividido em entrada, especialidades da casa e temperos especiais. O mesmo conceito está sendo utilizado no aplicativo, que contém links para apresentações em vídeo e todo o material que detalha as soluções da empresa.

Tags, , , ,

T-Systems suporta operações do maior supermercado online da Alemanha

A T-Systems, provedora alemã com amplo portfólio digital de soluções e serviços de TI, é a responsável pelo suporte ao serviço de atendimento ao consumidor do site REWE.de, maior supermercado online da Alemanha. Para oferecer o serviço, a REWE Digital, unidade de digitalização da rede varejista, utiliza a solução da Salesforce hospedada em nuvem em um dos data centers da Deutsche Telekom.

A REWE Digital está no centro da transformação digital do grupo REWE, uma das maiores redes varejistas da Alemanha. Com o processo, os clientes da rede agora podem comprar alimentos que podem ser entregues em suas casas ou retirados nas lojas mais próximas, frescos e na temperatura certa.

Os complexos processos exigidos pelo sistema são gerenciados pela REWE via Salesforce em nuvem. Se um cliente faz um pedido para ser entregue às 14h, mas depois percebe que não estará em casa antes das 14h30, a correção no pedido precisa ser feita na cadeia logística imediatamente. Todo o processo, que inclui comunicação com o cliente – via telefone, e-mail ou app – e todo o workflow de entrega, roda em tempo real em uma única plataforma.

“A eficiência do processo e a flexibilidade construída nas várias funções do sistema cria uma base firme para garantir altos níveis de satisfação do consumidor em longo prazo”, afirma Robert Zores, diretor geral e CTO da REWE Digital. Com apenas três anos, a unidade conta com 500 funcionários em sua sede, em Colônia, e outros 1.800 divididos por seus seis centros logísticos.

Nuvem escalável

O serviço em nuvem da plataforma Salesforce é extremamente escalável, dando suporte ao crescimento dinâmico da REWE Digital. A solução em nuvem é fácil de integrar a sistemas já existentes por meio de interfaces padronizadas. Com isso, os clientes da loja online podem enviar seus pedidos por diversos canais, tais como apps, e-mail ou site.

O processamento destes pedidos em tempo real é um dos requisitos de uma boa oferta de serviço online. Com o novo sistema, os funcionários da REWE podem se concentrar em oferecer o melhor serviço aos seus clientes, sabendo que o processamento será feito automaticamente.

“Estamos muito felizes pela oportunidade de suportar uma empresa líder no setor de vendas de alimentos em seu processo de digitalização. Eles não estão se beneficiando apenas de nosso conhecimento em cloud, mas também de altos padrões de segurança e proteção de dados, que para nós são uma prioridade desde o desenvolvimento da solução até sua entrega”, diz Anette Bronder, diretora da divisão digital da T-Systems.

Tags, , , ,

T-Systems e Shell renovam contrato até 2022

A T-Systems, provedora alemã com amplo portfólio digital de soluções e serviços de TI, acaba de anunciar que o acordo de com a Shell Information Technology International BV, para serviços globais de hospedagem e armazenamento, foi renovado até 2022. Com isso, a T-Systems vai desenvolver e aperfeiçoará o atual modelo de serviço com alto nível de automação e agilidade.

Em todos os segmentos de mercado há um movimento em direção a serviços. Por conta disso, as ofertas da T-Systems contam com serviços de alta qualidade e flexibilidade em operações que ajudam seus clientes a conquistar grande valor em seus negócios por meio de serviços de TI.

“Nosso objetivo é continuar contribuindo, de forma mensurável, para o core business da Shell por meio de serviços de TI e, para isso, precisamos de serviços de alta qualidade e flexibilidade”, afirma Harry de Grijs, vice-presidente e CIO da Shell.

“Nossa entrega de serviços e nossas ofertas flexíveis nos tornam a melhor escolha de nossos clientes. Juntos com a Shell, levaremos os serviços de TI a um novo patamar”, prevê Reinhard Clemens, CEO da T-Systems.

Atualmente, cerca de 1.400 especialistas em TI da T-Systems se dedicam exclusivamente a assegurar operações estáveis e compatíveis com a infraestrutura da Shell.

Tags, , ,

T-Systems é líder europeia em serviços gerenciados

A T-Systems, provedora alemã com amplo portfólio digital de soluções e serviços de TI, acaba de ser reconhecida pelo Gartner como líder no mercado europeu de serviços gerenciados para ambientes de trabalho. Este foi o primeiro quadrante mágico organizado pelo instituto de pesquisas para este segmento e a T-Systems foi reconhecida por conta da solução Dynamic Workplace que oferece, entre outros serviços, áreas de trabalho a partir da nuvem.

Para organizar o quadrante, o Garner estudou e comparou as ofertas em nuvem de 15 diferentes fornecedores, incluindo o suporte oferecido. “Este resultado confirma nossa estratégia. Vamos continuar reforçando nossa oferta, que ajuda as empresas a trabalharem com mais eficiência e produtividade”, afirma Stefan Bucher, head da divisão de TI da T-Systems International.

O executivo lembra que, com o uso do Dynamic Workplace, os clientes podem adicionar novos funcionários à infraestrutura de TI, definindo de forma rápida seus papeis e níveis de autorização. Com o uso da solução, as empresas podem obter áreas de trabalho a partir da nuvem da T-Systems com o toque de um botão. De acordo com Bucher, as empresas usuários se beneficiam não apenas do modelo de pagamento por uso, mas também de serviços de desktop modernos e atualizados graças a entrega centralizada de dados e software, reduzindo custos de TI e esforçoas de gerenciamento.

Os serviços oferecidos pela plataforma Dynamic Workplace suportam uma grande gama de demandas, como migrações, integração com o legado, conceito de BYOD e soluções específicas de proteção. A T-Systems também provê o Office 365 a partir de seu próprio data center, na Alemanha.

Além disso, todos os serviços podem ser utilizados em diversos equipamentos, isso porque os dados e programas estão disponíveis em todo o lugar, todo o tempo, em notebooks, smartphones e tablets.

A T-Systems garante ainda a máxima segurança de seus data centers na Alemanha. Os clientes podem definir, por exemplo, que aplicativos e dados podem ser acessados, dependendo do equipamento e da metodologia de acesso que eles utilizem.

Tags, , ,

T-Systems desenvolve plataforma específica para desenvolvedores de software

A T-Systems, provedora alemã com amplo portfólio digital de soluções e serviços de TI, acaba de disponibilizar uma nova modalidade de sua ferramenta digital para desenvolvedores de software, a AppAgile. Trata-se de uma plataforma de desenvolvimento pronta para aplicações de negócio e data analytics baseada em nuvem, que agora será oferecida por meio da Microsoft Azure.

A AppAgile Azure Hybrid está disponível na Alemanha a partir da nuvem da Microsoft e, globalmente, como plataforma como serviço (PaaS) modular, oferecida a partir da plataforma Red Hat Open Shift.

A partir de sua nuvem na Alemanha, a Microsoft oferece serviços Azure para data centers daquele país, garantindo que os dados de clientes são processados e armazenados localmente. Nestes casos, o acesso aos dados é administrado pela T-Systems, de modo que o acesso externo aos dados só pode ser autorizado por ela ou pelos clientes.

A abordagem oferecida pela AppAgile Hybrid permite aos clientes combinar aplicações críticas com ofertas públicas em nuvem, sem abrir mão do controle total de seus dados. Para isso, tanto a AppAgile Azure Hybrid como a plataforma de serviços são oferecidos em um pacote de serviços gerenciados fim a fim, com um único acordo de nível de serviço (SLA).

A T-Systems desenvovleu a solução em parceria com a Red Hat e com a Microsoft. Esta combinação garante a criação de uma oferta global com máxima escalabilidade e disponibilidade. O foco da oferta é o mercado corporartivo, mais especificamwente as empresas que tenham desenvolvimento intenso de tecnologias disruptivas, como nuvem móvel, análise de dados ou internet das coisas. Nestes casos, as companhias podem utilizar as tecnologias em nuvem com segurança, combinando-as com seus próprioas processos de negócios.

AppAgile

A AppAgile é uma oferta de plataforma como serviço modular que combina platadformas de desenvolvimento técnico com aplicações de negócios na nuvem. Com a AppAgile, a T-Systems oferece serviços de middleware pré-configurados, como servidores de dados, servidores de aplicações e servidores web.

Estes recursos podems er acessados, utilizados e escalados em segundos. A plataforma coordena a operação de workloads Java e de bancos de dados e provê contâineres para o desenvolvimento de aplicações in-house e Ana;ytuics como serviço.

Tags, , , ,

T-Systems e Roambee unem forças para liderar os mercados de logística inteligente e monitoramento de ativos

A T-Systems, provedora alemã de soluções e serviços de TI, e a Roambee, empresa de IoT sediada no Vale do Silício, acabam de anunciar uma parceria global para a oferta de soluções de visibilidade em tempo real para os mercados de bens de consumo e ativos das Américas, África, Ásia e Europa. Juntas, as duas empresas vão utilizar o modelo de negócios “on-demand” para entregar uma solução fim-a-fim que possibilitará visibilidade, rastreamento e monitoramento de produtos embarcados e ativos em trânsito ou em campo.

Para isso, a Roambee vai prover aplicativos oferecidos no modelo de software como serviço (SaaS), que incluem sensores portáteis sem fio e software baseado em nuvem, relatórios robustos e análise preditiva. A solução será oferecida a partir de uma plataforma altamente escalável da T-Systems, oferecendo acesso a uma infraestrutura global de data centers altamente seguros e soluções em nuvem de seu ecossistema de parceiros.

Como parte do acordo, a Deutsche Telekom Strategic Investments aportou US$ 3,1 milhões na Roambee.

“As soluções da Roambee trazem mais valor para nosso ecossistema global de parceiros em internet das coisas. Isso combinado com a nossa estrutura multi-cloud e experiência em integração de sistemas, vai nos permitir transformar empresas em todo o mundo com aplicações IoT”, afirma Anette Bronder, diretora da Divisão Digital da T-Systems.

Paul Warrenfelt, vice-presidente sênior de vendas e gerenciamento de serviços da T-Systems para as Américas, disse estar “animado com a tremenda gama de produtos, serviços e tecnologias que estamos trazendo juntos para o mercado e que vão ajudar nossos clientes e ampliar sua eficiência para atingir excelência operacional”.

“Com mais de 100 clientes ao redor do mundo, a Roambee está vivendo um momento de crescimento acelerado no mercado de IoT. Com a T-Systems como nosso parceiro estratégico, seremos capazes de ampliar o atendimento a nossos clientes e conquistar novos. Agora não temos que nos preocupar em construir nossa própria estrutura global de serviços, que é necessária para manter a qualidade e a riqueza de experiência de nossos clientes”, afirma Sanjay Sharma, CEO e fundador da Roambee.

Solução

A solução da Roambee é formada por equipamentos equipados com sensores portáteis sem fio, chamados “Bees” e uma plataforma de software baseado em nuvem. Os Bees e o software coletam grandes volumes de dados dos sistemas de gestão (ERPs), dos sensores e externos para entregar análise preditiva que amplia a eficiência operacional, reforça o engajamento dos clientes, reduz riscos e garante métricas para o cálculo de retorno sobre o investimento (ROI).

Beneficiando uma grande gama de segmentos, a solução permite, por exemplo, o monitoramento em tempo real da temperatura e o status de localização de medicamentos sensíveis durante seu transporte, isso com o uso de dados e alertas em tempo real, que permitem ações imediatas em caso de necessidade.

Melhorar o monitoramento de ativos em campo requer alto nível de confiança no sistema de monitoração, nos relatórios e na conformidade regulatória. A tecnologia Roambee entrega tudo isso, tornando simples para os negócios ampliar sua eficiência, implementar o gerenciamento de risco e transformar dados em valor mensurável.

A T-Systems vai operar o serviço a partir de seu data center na Alemanha, atendendo a regulamentação de privacidade de dados. Os clientes receberão alertas em tempo real, relatórios, históricos e análises de dados que atenderão aos mais altos padrões de segurança de dados.

Tags, , , , , , , , , ,

Banco Societé Générale Brasil terceiriza Infraestrutura de TI para a T-Systems

A T-Systems, provedora alemã de soluções e serviços de TI, é a responsável pela Operação do Data Center, por Service Desk &Field Services e pelo Suporte aos Sistemas Aplicativos do Banco Societé Générale (BSG) no Brasil. Fundado em 1864, o segundo maior banco francês tem sede em Paris e cerca de 12 mil funcionários em mais de 37 países em sua divisão de Corporate & Investment banking, incluindo o Brasil.

O movimento de terceirização começou há cerca de quatro anos, quando o banco tomou a decisão de fazer o outsourcing de alguns serviços que sua área de TI oferecia aos usuários. “Isso incluía o service desk, toda a parte de serviços de campo e a migração de nosso data center para um ambiente mais seguro”, lembra o CIO do BSG no Brasil, Mario Lopes. A ideia era passar toda a operação de job schedulling para outra empresa, terceirizando o suporte de aplicações, algo inédito na operação global do banco.

Adilson Lessio, Head de Complex Deals & Alliances da T-Systems Brasil, lembra que o BSG tinha a necessidade de aprimorar a infraestrutura e os processos de TI, elevando o padrão da infraestrutura e tornando-a compatível com os requisitos de Continuidade de Negócios. “Para o suporte de seus sistemas o BSG demandava uma modelo de operação que pudesse entender suas aplicações e garantir a evolução conforme requisitos de prazo e qualidade condizentes com as necessidades do negócio. Era preciso que o banco atrelasse SLAs ao serviço de suporte dos sistemas”, lembra.

Tomada a decisão, o BSG lançou uma RFP (Request for Proposal) bastante extensa e com critérios bem definidos. “O BSG precisava acima de tudo de um provedor que fosse capaz de entender a criticidade da operação e garantir permanente e adequado nível de relacionamento. A proximidade entre nossa equipe e a equipe do prestador deveria ser garantida por um modelo formal da gestão dos serviços ”, afirma Lopes. Ao final do processo, a escolha recaiu sobre a T-Systems por conta de sua presença global e do histórico de prestação de serviços apresentado.

Projeto

Depois da escolha, as equipes do BSG e da T-Systems ficaram quase um ano em projeto, garantindo que a migração ocorresse de forma tranquila. Feita a migração, o BSG começou a operar no data center da T-Systems em outubro de 2013. Lopes lembra que, no início do processo, o objetivo não era a redução de custos, mas a melhoria da qualidade e da segurança para o negócio.

Para isso, a T-Systems desenhou a solução entendendo as diretrizes do banco: precisavam de uma infraestrutura dedicada e desenvolvida de acordo com suas necessidades. “Isso foi seguido na parte de data center. Também montamos um modelo de serviços aderente às necessidades de sistemas”, informa Lessio.

O executivo da T-Systems lembra que a empresa desenhou e construiu a solução com uma “combinação das melhores tecnologias que tínhamos em uso na nossa estrutura compartilhada. Escolhemos o que de melhor havia no mercado para a construção dessa solução”.

“Hoje, avaliando os custos, percebemos que também ali houve uma melhora. Mas o mais importante é a agilidade que conseguimos no atendimento aos nossos clientes”, diz Lopes, lembrando que nas duas últimas pesquisas de satisfação com o usuário – realizadas semestralmente – o índice de bom e muito bom chegou a 95%.

Lopes explica que a terceirização da estrutura tem ajudado o banco a desenvolver seus negócios. Além disso, houve ganhos tremendos em governança. “Hoje temos indicadores de desempenho que nos permitem gerenciar bem melhor os níveis de serviço. Isso garantiu também que a equipe de TI do banco se focasse somente na criação de novos produtos e serviços, transformando a experiência de nossos usuários internos e de nossos clientes”, diz.

Sobre o service desk, Lopes lembra que no modelo anterior o contato dos usuários era feito diretamente com a área de suporte do BSG. Com a terceirização, a área passou a contar com métricas que ajudam a gerenciar melhor os serviços prestados às demais áreas do banco. “Hoje a T-Systems toca meu dia a dia para que eu possa pensar serviços novos para os clientes. Tenho processos mais ágeis, disponibilização de informações de forma mais rápida e mais precisa”, comemora.

Tags, , , ,

Pesquisa: apenas 5% das indústrias fazem uso de todo o potencial da Internet das Coisas

A consultoria PAC acaba de divulgar os resultados de uma pesquisa realizada com 150 decisores representantes das indústrias de transporte e manufatura na Alemanha. Encomendado pela T-Systems, o estudo mostrou que estes setores querem acelerar o desenvolvimento de soluções de manutenção preditiva e Internet das Coisas (IoT, da sigla em inglês), uma vez que apenas 5% das empresas tem feito uso completo de todo o seu potencial.

“Os decisores estão pensando muito sobre internet das coisas e manutenção preditiva porque as oportunidades que eles oferecem são óbvias”, explica Anette Bronder, head da Divisão Digital da T-Systems. “Mas eles também têm uma série de preocupações com segurança e nós precisamos dissipa-las se quisermos preparar o terreno para a infraestrutura necessária para estabelecer a IoT”. Por conta disso, 73% dos gerentes entrevistados disseram que sua prioridade é investir em segurança antes de investir em sensores ou redes. Eles estão preocupados com a possibilidade de aumento de vulnerabilidades com as unidades de produção ligadas em rede.

O estudo também revelou que muitas companhias não contam com os pré-requisitos técnicos para atender às expectativas criadas com cadeias de produção e de valor totalmente integradas. Virtualmente, todas as empresas já colocaram suas áreas de produção e logística em rede, “mas suas atuais instalações são inadequadas para atingir todas as funcionalidades fim a fim”, explica Joachim Hackmann, consultor da PAC. De acordo com os profissionais pesquisados, as redes precisam evoluir substancialmente: 82% deles disseram que pretendem nos próximos 4 anos, contar com ambientes de produção mais de 50% integrados em rede.

Uma comparação entre diferentes indústrias revelou que o segmento de transportes e logística está melhor integrado que os setores mecânico e de engenharia. O setor de logística, em particular, vem sofrendo uma pressão enorme para inovar por parte do varejo online.

Como as companhias dificilmente serão capazes de completar a transformação digital por sua conta, 65% delas planejam utilizar provedores externos para ajuda-las com seus projetos de IoT: elas querem provedores com experiência no gerenciamento da transição para o IoT e com experiência em seu segmento de atuação.

Os projetos de IoT são geralmente implementados em resposta à pressão competitiva e da necessidade de se ganhar eficiência. Quanto a isso, as empresas têm expectativas específicas em relação à internet das coisas: ela deve permitir a constante otimização dos processos core, alcançar mais transparência em relação a suas máquinas e frotas de veículos e reduzir o tempo ocioso.

Tags, , ,