Tag Siemens

Siemens abre inscrições para o primeiro Hackaday MindSphere Brasil

Não é todo dia que programadores e start-ups têm a chance de apresentar soluções reais em IoT (Internet das Coisas) para clientes da Siemens. Mas, no Hackaday MindSphere Brasil, que acontece no dia 23 de maio, no Digital Enterprise Experience Center da Siemens, os participantes conhecerão de perto os desafios dos clientes da Siemens, estabelecendo networking com contatos estratégicos além de ampliarem seus conhecimentos com os conceitos e aplicações da indústria 4.0 desenvolvendo um aplicativo dentro do MindSphere, plataforma de IoT da Siemens

O evento foi criado com o objetivo de estabelecer uma ponte entre a inovação criativa e todas as pontas da cadeia produtiva. “A expectativa da Siemens é aumentar o relacionamento da empresa com desenvolvedores. Nosso intuito é que junto com eles possamos resolver os desafios reais de clientes potenciais para introduzi-los aos primeiros passos da Industria 4.0,” explica Murilo Morais, especialista em MindSphere da Siemens no Brasil.

Ao todo, 45 participantes serão selecionados para participar do Hackaday. Os participantes podem ser startups já formadas ou participantes individuais que terão suas equipes montadas durante o evento. Essa seleção será feita pela própria equipe da Siemens, depois de analisar vídeos de um minuto enviados pelos candidatos completando a seguinte frase: “O que me motiva a participar deste desafio é imaginar que eu e minha equipe somos capazes de _____”, além de um questionário com informações básicas relacionadas à experiência. Ao se inscrever, a(o) participante receberá um DevKit, kit do desenvolvedor contendo o material de estudo preliminar e toda a agenda do evento.

Os participantes terão que entender o problema do cliente, pensar de forma inovadora e criar a primeira versão de um aplicativo dentro da plataforma MindSphere, sistema operacional aberto baseado em nuvem da Siemens. Posteriormente eles terão a oportunidade de apresentar suas ideiasno estande da Siemens na Fispal Tecnologia, reconhecida como o maior evento de soluções e tecnologia para o segmento de Alimentos e Bebidas da América Latina.

Por meio dessa iniciativa, além de expandir o conhecimento desse novo mercado para desenvolvedores, start-ups e programadores, espera-se apresentar à diferentes segmentos da indústria soluções para Indústria 4.0, aumentando a competitividade dessas empresas globalmente, por meio de solução que conectem seus ativos ao mundo digital.

As inscrições poderão ser feitas até o dia 02 de maio tanto em grupo* quanto individualmente, sendo que neste caso, os grupos serão formados previamente pela Siemens. Para se inscrever, basta acessar o link: http://new.siemens.com/br/pt/empresa/eventos/hackaday-mindsphere-2019.html#Contato

Tags, ,

HP e Siemens expandem oportunidades de inovação em design 3D e manufatura aditiva

Hoje, na Siemens PLM Connection Americas 2018, um dos maiores eventos para usuários de software PLM da Siemens, a HP Inc. e a Siemens expandiram seu trabalho em conjunto já consolidado para permitir funcionalidades ainda mais avançadas em um conjunto mais amplo de software PLM da Siemens para mudar a forma de projetar e fabricar com a tecnologia de impressão 3D Multi Jet Fusion da HP.

Os softwares NX e o Solid Edge da Siemens oferecem suporte e recursos de impressão 3D colorida por meio da tecnologia HP Multi Jet Fusion

Com os últimos lançamentos, a Siemens, líder em software de inovação digital, e a HP, líder global do setor em impressão 3D, permitirão que os usuários dos softwares NX™ e Solid Edge® da Siemens projetem e produzam peças impressas coloridas em 3D. A série Jet Fusion 3D 300/500 da HP é a primeira solução de impressão 3D da indústria para a produção de peças funcionais de nível de engenharia coloridas ou em preto ou branco – com controle de nível de voxel – em tempo muito menor que outras soluções. A série Jet Fusion 3D 300/500 também é compatível com os principais formatos de arquivos coloridos, incluindo 3MF, permitindo que os desenvolvedores produzam facilmente as peças coloridas que desejam, com um fluxo de trabalho confiável. Os usuários do software Solid Edge com a tecnologia Multi Jet Fusion da HP terão acesso aos arquivos 3MF de todo o portfólio de impressoras da HP, incluindo as soluções HP Jet Fusion 4200/4210 e 300/500 de nível industrial.

“Nossos usuários agora poderão combinar a robustez e a flexibilidade dos softwares de design de produto NX e Solid Edge da Siemens com a inovadora tecnologia de impressão 3D da HP, incluindo um universo de novas possibilidades de design com a disponibilidade de peças coloridas”, disse Tony Hemmelgarn. Presidente e CEO da Siemens PLM Software. “Compartilhamos a visão da HP de que a impressão 3D permite que as empresas reinventem o ciclo de vida dos seus produtos para ter sucesso no futuro totalmente digital da manufatura. A expansão da nossa parceria com a HP nos permite continuar desenvolvendo a manufatura aditiva para peças de uso final em escala industrial.”

A combinação das duas principais tecnologias de manufatura digital aumenta consideravelmente as aplicações do software de inovação digital líder de mercado da Siemens e da tecnologia de impressão 3D transformadora Multi Jet Fusion da HP. Os clientes poderão fazer protótipos e produzir, de forma rápida e econômica, novos designs e aplicações de peça final com capacidades avançadas de voxel. Além disso, a colaboração cria novas oportunidades para acelerar a adoção da impressão 3D em escala industrial para clientes e parceiros que participam da Additive Manufacturing Network da Siemens.

“A adição de recursos coloridos da plataforma Multi Jet Fusion da HP expandida para compatibilidade com as soluções de design e manufatura líderes do mercado da Siemens cria um conjunto novo e imenso de possibilidades para produtos e aplicações”, disse Stephen Nigro, Presidente da 3D Printing, HP Inc. É maravilhoso fornecer a robustez das nossas tecnologias a clientes tanto de pequeno quanto de grande porte, mudando fundamentalmente o processo de ponta a ponta da impressão 3D, do projeto ao protótipo e, por fim, a manufatura. Este é outro passo importante não apenas para as nossas empresas, mas para todo o ecossistema de manufatura global, pois, com a Siemens, mudamos a forma de projetar e fabricar.”

Tecnologia Multi Jet Fusion 3D apresentada no Additive Manufacturing Experience Centre da Siemens

A tecnologia de impressão 3D Multi Jet Fusion da HP também será apresentada como uma plataforma de impressão 3D no Additive Manufacturing Experience Center da Siemens em Erlangen, na Alemanha, que convida os clientes a conhecer em primeira mão as mais recentes tecnologias de manufatura aditiva e suas aplicações em projeto e manufatura.

A Siemens e a HP compartilham o objetivo de acelerar a transformação digital do setor de manufatura, fornecendo todas as capacidades necessárias, desde o design generativo para inovação de produtos até a impressão 3D e fabricação em escala industrial. Com o design generativo, as empresas podem automatizar projetos inovadores com base nos requisitos funcionais, garantindo um melhor desempenho funcional das peças e dos produtos. Com a tecnologia HP Multi Jet Fusion, as empresas podem fabricar peças inovadoras de maneira mais econômica e em maior volume de produção. Juntas, as tecnologias da HP e da Siemens formam uma solução integrada, que permite reinventar produtos, reformular os processos de manufatura e modernizar os modelos de negócios.

Mudando a forma de projetar e fabricar

Stephen Nigro, presidente da HP 3D Printing, estará com Robert Jones, vice-presidente executivo de vendas e serviços globais da Siemens PLM Software, no PLM Connection no dia 4 de junho, às 17h, para compartilhar mais detalhes sobre essa expansão com os usuários de PLM da Siemens.

Tags, , , ,

Siemens apresenta seu portfólio completo para Fábrica Digital

A Siemens, uma das líderes mundiais em soluções de digitalização, infraestrutura, automação, drives e softwares para a indústria, apresenta durante a Feira de Hannover seu portfólio para a Fábrica Digital. Em uma entrevista coletiva do evento alemão no dia 23 de abril, Klaus Helmrich, membro do Conselho de Administração da Siemens AG, destacou que “com a implementação das soluções para a Fábrica Digital, os usuários e clientes podem aproveitar todo o potencial da Indústria 4.0”.

No estande D35 de 3.500 m2 no pavilhão 9 da feira, a Siemens usa o lema “Fábrica Digital – Implemente agora” para mostrar como as empresas de qualquer porte podem usar o portfólio de produtos e soluções para Fábrica Digital em vários setores para garantir vantagens competitivas reais. “Com as nossas soluções, nossos clientes já se beneficiam de maior flexibilidade, menores prazos para colocar produtos no mercado, maior eficiência e melhor qualidade, e tudo isso com as operações em andamento. Dessa forma, eles estão comprovando os benefícios e o valor agregado que a Siemens Digital Enterprise oferece para as indústrias de processos e manufaturas variados”, disse Helmrich.

O foco está no aumento da variedade de soluções para a Fábrica Digital, incluindo soluções que apresentam maior flexibilidade para projetos, processos de fabricação e estruturas. Isso inclui soluções para gêmeos digitais, que são usados para criar um modelo virtual holístico da cadeia de valor, além do portfólio de automação líder mundial da Siemens e o MindSphere, sistema operacional de IoT aberto na nuvem. Conectar-se ao MindSphere é um dos aspectos fundamentais dos novos modelos de negócios orientados por dados para os clientes. “Com a criação do MindSphere World, demos mais um passo para expandir o ecossistema em torno do MindSphere com nossos clientes e parceiros. Para os nossos clientes, o sistema operacional MindSphere IoT fornece acesso a novas dimensões de conectividade e análise de dados. Além disso, o Conselho de Administração do MindSphere World já aprovou 16 novos candidatos que pretendem participar da associação”, afirmou Helmrich.

Para o desenvolvimento de aplicativos na nuvem, a Siemens também está abrindo novos caminhos na Feira de Hannover, onde – com clientes e parceiros – apresenta os mais recentes desenvolvimentos e aplicativos para o MindSphere Além disso, como parte do MindSphere Open Space Challenge, desenvolvedores e startups externos estão colaborando na criação de abordagens criativas para novas soluções e modelos de negócios baseados no MindSphere.

Na Feira de Hannover, a Siemens também apresenta aplicativos de dadoss; por exemplo, com o conceito Siemens Industrial Edge, uma solução que permite aos usuários aproveitar, localmente, funcionalidade estendida e maior desempenho, combinados com controle total sobre os dados. Na área de manufatura aditiva, a Siemens oferece um portfólio totalmente integrado e um mercado virtual – a Siemens Additive Manufacturing Network. Aqui, diferentes empresas, incluindo fornecedores, usuários atuais e clientes potenciais de soluções de impressão 3D, podem entrar em contato e estabelecer relações comerciais.

Na era da digitalização, garantir um nível adequado de cibersegurança é um pré-requisito para proteger dados confidenciais. Quando se trata de cibersegurança para aplicativos e infraestruturas industriais, a Siemens continua promovendo avanços e, com base no conceito “defesa em profundidade”, a empresa está disponibilizando um amplo portfólio de produtos e serviços para o setor industrial. Esse portfólio fornece soluções de segurança para instalações e redes, assim como para integridade de sistemas.

Na Feira de Hannover 2018, a Siemens usa a indústria automotiva como exemplo para ilustrar como a flexibilidade no projeto e a eficiência na fabricação de veículos podem se beneficiar da digitalização. O portfólio para Fábrica Digital oferece as soluções necessárias para obter esses benefícios, incluindo aspectos como a integração total de cada estágio da produção e o desenvolvimento de uma base uniforme para os dados, do projeto do carro ao planejamento da produção e fabricação do carro, além da prestação de serviços de acompanhamento. Isso se aplica tanto à construção de novas instalações de produção quanto à modernização das fábricas existentes, principalmente quando se trata de expandir o portfólio para incluir veículos elétricos e híbridos.

A transformação digital da indústria de processamento já está em pleno andamento. A Siemens oferece o portfólio necessário de soluções com hardware e software integrados, permitindo que empresas de qualquer porte implementem a digitalização. No estande da Siemens, os visitantes da feira podem ver como o cliente Dulux usa com sucesso o portfólio de soluções digitais da Siemens na primeira fábrica digital de tintas. Um modelo virtual da fábrica real – o chamado “gêmeo digital” – oferece aos operadores da fábrica, como a Dulux, flexibilidade para atender rapidamente às exigências do mercado em constante mudança, por exemplo, realizando a produção de tintas nas cores da moda ou em lotes menores.

A indústria aeroespacial é considerada altamente avançada em termos de transformação digital. A grande procura por seus produtos só pode ser atendida com aumentos de produtividade gerados por por um alto nível de automação combinado com ferramentas e fluxos de trabalho digitais. Com o portfólio voltado para Fábrica Digital da Siemens, as empresas de pequeno, médio e grande porte podem obter essas melhorias para garantir competitividade internacional. Um nível maior de flexibilidade possibilita a fabricação eficiente de modelos cada vez mais diversos , mesmo quando são produzidos em quantidades menores. Na Feira de Hannover 2018, a Siemens exibe exemplos concretos para demonstrar essas capacidades.

Tags, , , , , ,

Siemens apresenta oferta de simulação para acelerar chegada de carros autônomos ao mercado

A Siemens está lançando hoje o sensor virtual PreScan da TASS com a plataforma Mentor DRS360, uma solução inovadora para o desenvolvimento de sistemas de condução autônomos. O lançamento integra tecnologias de condução autônomas Mentor Graphics e TASS International, duas das recentes aquisições da Siemens parte do portfólio Simcenter™, que minimiza drasticamente a necessidade de prototipação física, reduzindo o número de testes e de protótipos para validar a segurança dos veículos autônomos.

De acordo com as conclusões do relatório emitido pela Rand Corporation, os protótipos de veículos autônomos teriam que ser dirigidos centenas de milhões de quilômetros e, em alguns casos, centenas de bilhões de milhas ao longo de várias décadas para demonstrar sua confiabilidade em termos de fatalidades e de possíveis lesões – um resultado que os autores consideraram inconsistente com a viabilidade comercial a curto prazo de carros autônomos.

Aproveitando a avançada simulação em termos de física e de tecnologias inovadoras de processamento de dados e sensores, a nova solução da Siemens foi projetada para ajudar os fabricantes a enfrentar o desafio de reduzir anos de desenvolvimento, verificação e validação de carros autônomos.

O ambiente de simulação PreScan™ da TASS produz dados brutos de sensor simulados altamente realistas baseados em física para um número ilimitado de possíveis cenários de direção, situações de tráfego e outros parâmetros. Os dados dos sensores LiDAR, (da sigla inglesa Light Detection And Ranging – tecnologia ótica que mede a distância e/ou outra informação a respeito um determinado objeto), de radar e de câmera simulados da PreScan são então inseridos na plataforma DRS360™ da Mentor, onde são fundidos em tempo real para criar um modelo de alta resolução do ambiente e das condições de direção do veículo.

Os clientes podem, então, aproveitar a resolução de percepção e o processamento de alto desempenho da plataforma DRS360 para testar e refinar algoritmos proprietários para tarefas críticas, como reconhecimento de objetos, políticas de direção e muito mais.

“Os fabricantes de automóveis estão percebendo rapidamente que os protótipos físicos e os testes de estrada, por si só, não podem reproduzir a infinidade de complexos cenários de direção que os carros autônomos encontrarão. De fato, muitos dos cenários são impossíveis de reproduzir, enquanto outros são tão perigosos para reproduzir que a ética impede o pré-teste”, disse o Dr. Jan Leuridan, vice-presidente sênior de soluções de simulação e teste da Siemens PLM Software. “Está claro que a disponibilidade comercial de veículos totalmente autônomos no curto prazo é altamente dependente de tecnologias avançadas de simulação baseadas na física, onde a Siemens está estabelecendo o ritmo para a maior indústria automotiva mundial.”

Para fornecer a solução mais abrangente e precisa possível, a Siemens PLM Software está trabalhando com muitos dos principais fabricantes mundiais de LiDAR, radar e produtos de sensor de visão para desenvolver versões simuladas em 3D de módulos de sensores específicos com base em física. Compatíveis com o novo conjunto de ferramentas da Siemens, os sensores simulados são sintonizados usando informações de projeto detalhadas de fornecedores de sensores e validados usando dados de medição do mundo real para uma precisão ideal. Um dos mais importantes parceiros de sensores é a Cepton Technologies, uma empresa inovadora baseada no Vale do Silício, notável por seus sensores LiDAR de longo alcance e pequena dimensão. Outros parceiros de sensores serão anunciados ainda este ano.

“A tecnologia de simulação é cada vez mais valiosa para desenvolvedores de veículos automatizados, pois enfrentam pressões de montagem para acelerar o desenvolvimento, a validação e o desempenho de suas soluções de antivírus”, disse Phil Magney, fundador e diretor da VSI Labs. “A Siemens agora oferece soluções de simulação para cada estágio do processo de desenvolvimento, desde sensores até processadores, subsistemas e todo o veículo. Ter um escopo maior em soluções de simulação oferece à Siemens a capacidade de desempenhar um papel de liderança na validação e na verificação de soluções automatizadas para veículos”.

“Com o PreScan™ da TASS, podemos ajudar o setor automotivo a reduzir custos, tempo de mercado, problemas no futuro e a necessidade de um protótipo real para simular todos os possíveis cenários” diz Allyson Chiarini de Faria, diretor de marketing para América Latina. “Nosso foco é acelerar a entrega de veículos autônomos que, segundo o Gartner, representarão cerca de 25% dos veículos de passageiros em uso nos mercados desenvolvidos em 2030. Teremos que lidar com infinidades de circunstâncias complexas que só poderão ser validadas por meio da simulação”, esclarece.

Tags, , , , ,

Capacidades digitais e acesso a financiamento são os principais desafios da Indústria 4.0

A Siemens Financial Services (SFS) divulgou o relatório de uma pesquisa recente, que investiga os principais desafios enfrentados por fabricantes do mundo todo em seus esforços de migração para o modelo da Indústria 4.0. O mundo digitalizado e automatizado da Indústria 4.0 oferece a capacidade de conectar digitalmente pessoas, máquinas e sistemas. Para os fabricantes, isso traz uma série de benefícios, como maior eficiência, manutenção preventiva para melhorar o tempo de produção e uma colaboração mais próxima como resultado dos fluxos de dados digitais.

Contudo, a implementação do modelo da Indústria 4.0 provavelmente será realizada em várias etapas, não como uma mudança súbita e geral. A SFS entrevistou fabricantes e consultores em gerenciamento especializados para entender os obstáculos dessa transição.

Dos seis principais desafios identificados no relatório, os fabricantes classificaram o desenvolvimento de capacidades digitais e o acesso a financiamento para aumentar os investimentos como suas maiores dificuldades. As outras quatro – por ordem de importância – são: criar uma cultura de colaboração, superar preocupações de cibersegurança e segurança de dados; obter amplo acesso a um volume e variedade de comprovações e capacidades especializadas de gerenciamento estratégico para criar um plano claro e por fases de migração para a Indústria 4.0.

O desenvolvimento de um plano prático de transição da Indústria 4.0 não pode ser reduzido a uma fórmula única e simplista; pois as circunstâncias de cada empresa são diferentes. Porém, os entrevistados concordaram que uma metodologia robusta é essencial para construir um plano sustentável de digitalização e automação. A metodologia de consenso resultante deste estudo abrange seis áreas principais inter-relacionadas: avaliação dos obstáculos, avaliação das oportunidades, medição de eficiências, recrutamento e treinamento de talentos, desenvolvimento de gerenciamento digital e integração de financiamento estratégico.

Os entrevistados consideraram o financiamento como um primeiro passo na construção de um plano prático para a Indústria 4.0. Pensar nas possibilidades de financiamento primeiro pode abrir uma série de opções de investimento em tecnologia disponíveis como parte do desenvolvimento estratégico de transição para Indústria 4.0.

Os especialistas em financiamento desenvolveram um conjunto de ferramentas de financiamento chamado “Financiamento 4.0”, que permite a transição para a tecnologia digital da nova geração de forma acessível, sustentável e destinada a aliviar as pressões de fluxo de caixa e capital de giro dos fabricantes. O relatório explora esses métodos de financiamento especializados, incluindo financiamento de tecnologia e equipamentos de pagamento para acesso/uso, atualização e modernização de tecnologia, financiamento de software, pagamento por resultados, financiamento da transição e soluções de capital de giro.

“Considerando as possibilidades de financiamento no início e nas primeiras etapas do desenvolvimento da estratégia e do plano, os fabricantes terão uma variedade maior de opções ao gerenciar a aquisição de tecnologia digital da nova geração”, segundo Kai-Otto Landwehr, Diretor Financeiro Comercial da Siemens Financial Services, na Alemanha. “Mas somente os especialistas financeiros têm o conhecimento da tecnologia da Indústria 4.0, e como ela é implementada, para permitir investimentos e aliviar as pressões de fluxo de caixa e capital de giro dos fabricantes.”

A pesquisa foi realizada como parte da Siemens Finance Week 2018, uma plataforma de discussão que procura mostrar como as soluções de financiamento podem ajudar as empresas a enfrentar desafios atuais e futuros.

Método da pesquisa

Mais de 60 fabricantes e consultores em gerenciamento especializados foram entrevistados por telefone em outubro e novembro de 2017. Eles falaram sobre seus principais desafios (classificados em ordem de importância) na adoção da digitalização e automação e as relações entre esses desafios. Além disso, eles foram questionados sobre como uma estratégia de sucesso deve ser desenvolvida, quais capacidades são necessárias e como elas podem ser financiadas para produzir o melhor retorno sobre investimento. Os entrevistados são dos seguintes países: China, França, Alemanha, Índia, Polônia, Rússia, Espanha, Suécia, Turquia, Reino Unido e Estados Unidos.

A Siemens Finance Week 2018 é uma plataforma de discussão que procura mostrar como as soluções de financiamento podem ajudar as empresas a enfrentar desafios atuais e futuros.

Veja mais detalhes sobre o white paper em: www.siemens.com/global/en/home/products/financing/finance-week/challenges-digital-transformation.html

Tags, , , , , , ,

Siemens: capacidades digitais e acesso a financiamento são os principais desafios da Indústria 4.0

A Siemens Financial Services (SFS) divulgou o relatório de uma pesquisa recente, que investiga os principais desafios enfrentados por fabricantes do mundo todo em seus esforços de migração para o modelo da Indústria 4.0. O mundo digitalizado e automatizado da Indústria 4.0 oferece a capacidade de conectar digitalmente pessoas, máquinas e sistemas. Para os fabricantes, isso traz uma série de benefícios, como maior eficiência, manutenção preventiva para melhorar o tempo de produção e uma colaboração mais próxima como resultado dos fluxos de dados digitais.

Contudo, a implementação do modelo da Indústria 4.0 provavelmente será realizada em várias etapas, não como uma mudança súbita e geral. A SFS entrevistou fabricantes e consultores em gerenciamento especializados para entender os obstáculos dessa transição.

Dos seis principais desafios identificados no relatório, os fabricantes classificaram o desenvolvimento de capacidades digitais e o acesso a financiamento para aumentar os investimentos como suas maiores dificuldades. As outras quatro – por ordem de importância – são: criar uma cultura de colaboração, superar preocupações de cibersegurança e segurança de dados; obter amplo acesso a um volume e variedade de comprovações e capacidades especializadas de gerenciamento estratégico para criar um plano claro e por fases de migração para a Indústria 4.0.

O desenvolvimento de um plano prático de transição da Indústria 4.0 não pode ser reduzido a uma fórmula única e simplista; pois as circunstâncias de cada empresa são diferentes. Porém, os entrevistados concordaram que uma metodologia robusta é essencial para construir um plano sustentável de digitalização e automação. A metodologia de consenso resultante deste estudo abrange seis áreas principais inter-relacionadas: avaliação dos obstáculos, avaliação das oportunidades, medição de eficiências, recrutamento e treinamento de talentos, desenvolvimento de gerenciamento digital e integração de financiamento estratégico.

Os entrevistados consideraram o financiamento como um primeiro passo na construção de um plano prático para a Indústria 4.0. Pensar nas possibilidades de financiamento primeiro pode abrir uma série de opções de investimento em tecnologia disponíveis como parte do desenvolvimento estratégico de transição para Indústria 4.0.

Os especialistas em financiamento desenvolveram um conjunto de ferramentas de financiamento chamado “Financiamento 4.0”, que permite a transição para a tecnologia digital da nova geração de forma acessível, sustentável e destinada a aliviar as pressões de fluxo de caixa e capital de giro dos fabricantes. O relatório explora esses métodos de financiamento especializados, incluindo financiamento de tecnologia e equipamentos de pagamento para acesso/uso, atualização e modernização de tecnologia, financiamento de software, pagamento por resultados, financiamento da transição e soluções de capital de giro.

“Considerando as possibilidades de financiamento no início e nas primeiras etapas do desenvolvimento da estratégia e do plano, os fabricantes terão uma variedade maior de opções ao gerenciar a aquisição de tecnologia digital da nova geração”, segundo Kai-Otto Landwehr, Diretor Financeiro Comercial da Siemens Financial Services, na Alemanha. “Mas somente os especialistas financeiros têm o conhecimento da tecnologia da Indústria 4.0, e como ela é implementada, para permitir investimentos e aliviar as pressões de fluxo de caixa e capital de giro dos fabricantes.”

A pesquisa foi realizada como parte da Siemens Finance Week 2018, uma plataforma de discussão que procura mostrar como as soluções de financiamento podem ajudar as empresas a enfrentar desafios atuais e futuros.

Método da pesquisa

Mais de 60 fabricantes e consultores em gerenciamento especializados foram entrevistados por telefone em outubro e novembro de 2017. Eles falaram sobre seus principais desafios (classificados em ordem de importância) na adoção da digitalização e automação e as relações entre esses desafios. Além disso, eles foram questionados sobre como uma estratégia de sucesso deve ser desenvolvida, quais capacidades são necessárias e como elas podem ser financiadas para produzir o melhor retorno sobre investimento. Os entrevistados são dos seguintes países: China, França, Alemanha, Índia, Polônia, Rússia, Espanha, Suécia, Turquia, Reino Unido e Estados Unidos.

A Siemens Finance Week 2018 é uma plataforma de discussão que procura mostrar como as soluções de financiamento podem ajudar as empresas a enfrentar desafios atuais e futuros.

Veja mais detalhes sobre o white paper em: www.siemens.com/global/en/home/products/financing/finance-week/challenges-digital-transformation.html

Tags, , , , , ,

Siemens reforça liderança na digitalização industrial

A Siemens reforça seu papel na digitalização, tornando-se a primeira empresa mundial a criar 20 centros para aplicativos de clientes digitais no setor industrial. Cada um desses MindSphere Application Centers para soluções digitais da Siemens abrange vários locais em diferentes países, com especialização em um setor específico em que a Siemens opera. Hoje, cerca de 900 desenvolvedores de software, especialistas em dados e engenheiros trabalham com os clientes da Siemens nestes centros no desenvolvimento de inovações digitais para análise de dados e aprendizado de máquinas. Essas novas soluções estão sendo desenvolvidas no MindSphere, o sistema operacional aberto na nuvem da Siemens para a Internet das coisas (IoT). Para ficar perto dos clientes, a empresa criou 20 centros em 50 localidades de 17 países espalhados pelo mundo. “Estamos continuamente expandindo nosso papel de liderança na digitalização industrial”, disse Joe Kaeser, Presidente e CEO da Siemens. “Com a nossa experiência global em eletrificação e automação e nossa experiência em software industrial, estamos gerando benefícios melhores aos nossos clientes, benefícios que nenhuma outra empresa pode replicar em níveis tão altos de desempenho.”

Durante o ano fiscal de 2017, a Siemens reforçou sua liderança em soluções de software e serviços digitais. A receita de tecnologias digitais, por exemplo, aumentou para 5,2 bilhões de euros: 4 bilhões de euros obtidos com software e 1,2 bilhão de euros com serviços digitais. Isso corresponde a um aumento de 20% em relação ao ano anterior, ultrapassando a taxa de crescimento do mercado de aproximadamente 8%. “Agora estamos acelerando ainda mais a digitalização”, disse o Diretor de Tecnologia da Siemens, Roland Busch. “Usamos o know-how da indústria para ampliar as soluções e expandir ainda mais os negócios. Com os nossos Centros de Aplicativos MindSphere, oferecemos o suporte ideal aos nossos clientes do mundo inteiro para que eles de fato incorporem a era digital.”

A Siemens lançou seu sistema operacional de IoT MindSphere em toda a empresa há cerca de um ano. Aproximadamente um milhão de dispositivos e sistemas se conectam agora pelo MindSphere, e esse número deve chegar a 1,25 milhões no fim do ano fiscal de 2018. A partir de janeiro de 2018, o MindSphere também estará disponível no Amazon Web Services. Esta parceria reúne a Siemens, líder mundial em automação industrial, com a nº 1 em soluções na nuvem do mundo todo. Com isso, os usuários terão os benefícios de um ambiente de desenvolvimento mais poderoso, funções de análise adicionais e conectividade expandida. Aplicativos industriais e serviços digitais podem ser desenvolvidos e executados no MindSphere. Por exemplo, quantidades enormes de dados gerados pelo sistema podem ser coletadas, avaliadas e usadas de forma rápida e eficiente para melhorar o desempenho e a disponibilidade do sistema. Esta tecnologia também ajuda os clientes a avaliar e usar seus dados para obter novas percepções. Por exemplo, interrupções podem ser previstas e evitadas e conclusões podem ser tiradas sobre um produto e seu processo de fabricação. Os usuários também podem desenvolver modelos de negócios totalmente novos, como a venda de horas de operação de uma máquina, oferecendo, portanto, soluções que exigem volumes menores de capital.

Para acelerar ainda mais o processo de inovação, a Siemens aumentará novamente seus recursos dedicados ao departamento de pesquisa e desenvolvimento (P&D) no ano fiscal de 2018, investindo a soma adicional de cerca de 450 milhões de euros. Com isso, os fundos de P&D aumentarão de aproximadamente 5,2 bilhões de euros no ano fiscal de 2017 para mais de 5,6 bilhões de euros no ano fiscal de 2018. Mais de 3 bilhões de euros dos fundos de pesquisa e pesquisa da empresa circularam na Alemanha no ano fiscal de 2017. Desde 2014, os investimentos da Siemens em P&D aumentaram cerca de 40%. Para o ano fiscal de 2018, a Siemens destinou cerca de 500 milhões de euros de P&D para as tecnologias centrais da empresa, que incluem campos inovadores como fabricação de aditivos, robótica autônoma, análise de dados, inteligência artificial e gêmeos digitais, além de eletrônicos de potência e sistemas de energia distribuídos. No ano fiscal de 2017, a Siemens contava com cerca de 40 mil funcionários de P&D em todo o mundo: cerca de 13.700 na Alemanha, 6.500 nos Estados Unidos, 2,700 na China e 6.800 na Índia.

Tags, , , , , , , , ,

Siemens faz demonstração com o primeiro sistema eHighway nos Estados Unidos

A Siemens e a “South Coast Air Quality Management District (SCAQMD)” estão fazendo uma demonstração do eHighway em um trecho de uma milha (1,6 km) e emissão zero, na cidade de Carson, na Califórnia, Estados Unidos, perto dos portos de Los Angeles e Long Beach. Três caminhões de carga operam ao longo do trecho da rodovia que usa a tecnologia da Siemens que eletrifica pistas de estradas selecionadas usando um sistema de catenária aérea. Este sistema fornece energia elétrica aos caminhões de forma semelhante aos modernos bondes em muitas ruas da cidade. O sistema também permite operar caminhões fora das seções eletrificadas da infraestrutura.

Os caminhões de carga pesada são a principal fonte de emissões de poluição atmosférica no sul da Califórnia. O desenvolvimento de um sistema de movimentação de carga de emissão zero ou quase zero nos portos reduzirá as emissões de gases de efeito estufa, gases tóxicos e de poluição atmosférica nas comunidades próximas dos portos, que são umas das mais afetadas pela poluição do ar.

“Este projeto nos ajudará a avaliar a viabilidade de um sistema de movimentação de carga de emissão zero usando cabos em catenária”, disse Wayne Nastri, diretor executivo da SCAQMD. “Esta demonstração pode levar à implementação de sistemas de eHighway que reduzirão a poluição, com benefícios para a saúde pública das pessoas que moram perto dos portos”.

“Todos os dias, os americanos dependem dos produtos e serviços transportados por caminhões. Esse meio de transporte deve dobrar as emissões de CO2 no mundo todo até 2050”, disse Roland Edel, Diretor de Tecnologia da Divisão de Mobilidade da Siemens, “a nossa tecnologia eHighway tem a capacidade de dupla eficiência em comparação aos caminhões a diesel convencionais, reduz o consumo de energia pela metade e a poluição atmosférica local nas áreas próximas dos maiores portos da América.

Um caminhão elétrico movido a bateria, um caminhão elétrico a gás natural e um caminhão híbrido a diesel estão operando em um sistema de catenária em um trecho de uma milha (1,6 km) nas pistas norte e sul da South Alameda Street, desde a East Lomita Boulevard até o Canal Dominguez, em Carson. Esse sistema deve reduzir o consumo de combustível fóssil, os custos operacionais do caminhão, as emissões de gases causadores de poluição atmosférica, gases tóxicos e CO2 e ajudará a atender a demanda cada vez maior do transporte rodoviário de mercadorias. O objetivo deste projeto específico é mostrar como funciona o sistema eHighway na operação de caminhões em vias públicas nos Estados Unidos e elaborar mais aplicações para iniciativas de maior escala no futuro.

O sistema de demonstração, semelhante aos sistemas de bondes, possui uma linha de contato aérea que fornece energia elétrica para os caminhões ao longo da via de percurso e um pantógrafo ativo localizado nos caminhões do sistema eHighway que transfere energia das linhas aéreas para os motores elétricos do caminhão. O pantógrafo pode se conectar e se desconectar automaticamente da linha de contato usando um sistema de sensor, enquanto os caminhões estão se movendo, conferindo a mesma flexibilidade que os caminhões a diesel convencionais, permitindo que os caminhões mudem de faixa ou passem outros veículos com facilidade, sem que fiquem fixos permanentemente aos sistemas aéreos, como o bonde. Para garantir a mesma flexibilidade que os caminhões convencionais, os veículos da eHighway usam um sistema de acionamento elétrico híbrido, que pode ser alimentado por diesel, gás natural comprimido (GNC), bateria ou outras fontes de energia integradas, permitindo o deslocamento para fora das linhas de catenárias.

Em junho de 2016, a Siemens lançou o primeiro sistema eHighway do mundo em estradas públicas na Suécia, que opera em um trecho de dois quilômetros da rodovia E16 a norte de Estocolmo até 2018. Dois veículos híbridos de biodiesel são usados neste projeto.

Além disso, estão planejados três testes de campo da tecnologia eHighway em rodovias alemãs para iniciar a operação em 2019. O projeto de US$ 13,5 milhões na Califórnia é financiado por US$ 2,5 milhões da SCAQMD, US$ 4 milhões de um acordo com a China Shipping, US$ 3 milhões da California Energy Commission, US$ 2 milhões do Porto de Long Beach e US$ 2 milhões da LA Metro. A Siemens forneceu US$ 1,3 milhão em espécie. A SCAQMD forneceu outros US$ 2,1 milhões e a US EPA, US$ 500.000 para o contrato da TransPower.

Em um contrato separado com a SCAQMD, os caminhões elétricos e híbridos a gás natural foram desenvolvidos pela TransPower, localizada em Escondido, e o híbrido a diesel foi desenvolvido pela subsidiária da Volvo, Mack Trucks.

Tags, , , ,

Siemens e TCS unem forças para promover IoT Industrial sobre MindSphere

A Tata Consultancy Services (TCS), empresa líder em soluções de negócios, consultoria e serviços de TI, e a Siemens anunciam nova cooperação em torno de inovações na área da Internet das Coisas (IoT). Com foco em clientes dos setores de manufatura, energia, tecnologias de construção, saúde e ferrovias, a parceria permitirá que os clientes se beneficiem de novos insights a partir de dados e serviços baseados na MindSphere, o sistema operacional aberto da Siemens baseado na nuvem para IoT.

Os clientes poderão contar com novas aplicações da TCS para MindSphere e novos serviços analíticos e digitais, como manutenção preditiva e monitoramento de energia. O Siemens MindSphere e as soluções da TCS permitirão que os clientes explorem novos modelos para capitalizar a inovação em IoT e oportunidades apresentadas pela economia digital.

Milind Lakkad, vice-presidente executivo e chefe global da área de manufatura da Tata Consultancy Services, comenta que “a cooperação com a Siemens em torno da inovação tecnológica acontece há vários anos, e essa nova fase permitirá que nossos clientes tenham grandes avanços na inovação em IoT. Com o acordo em torno do MindSphere, vamos intensificar nossa parceria e nosso suporte aos clientes para que eles possam explorar as oportunidades apresentadas pela inovação digital. Nossos clientes serão beneficiados não apenas pela expertise em integração de sistemas e desenvolvimento de aplicações, mas também pela experiência em construção de plataformas”.

A digitalização das indústrias – tendência em que tecnologias digitais estão redefinindo radicalmente setores inteiros – vai criar importantes oportunidades para empresas de todos os segmentos e tamanhos ao redor do mundo. Inicialmente, o programa se concentrará no setor de manufatura, no qual a IoT já tem ganhado impulso significativo devido aos imensos volumes de dados gerados no processo produtivo, permitindo grandes inovações em desempenho de sistemas e conectividade.

Por meio dessa parceria, a TCS também apoiará desenvolvimentos em torno do MindConnect Nano, gateway de nuvem que pode ser usado para conectar a produção à análise na nuvem de dados de máquinas e processos produtivos . Além disso, essa nova aliança terá Siemens e TCS trabalhando juntas para explorar a implementação da plataforma MindSphere, incluindo operações e suporte, como gerenciamento de aplicações e infraestruturas bem como serviços de análise e testes.

Steve Bashada, vice-presidente executivo e gerente geral do MindSphere na Siemens, afirmou que “a competência em engenharia de software e os recursos de implementação da TCS fazem da empresa um valioso parceiro para a Siemens e nossos clientes. Siemens e TCS ajudarão os clientes a avaliar e utilizar dados para levantar novos insights que podem pavimentar o caminho para modelos de negócio completamente novos, tais como vender horas operacionais ou serviços em vez de máquinas”.

Com base na experiência da TCS, a empresa vai oferecer aplicações MindSphere, serviços digitais e analíticos que podem reduzir períodos de inatividade, custos de manutenção e consumo de energia, além de aumentar a vida útil das máquinas.

Essa nova fase de cooperação permitirá que a TCS aplique sua amplitude e profundidade de conhecimento em todas as áreas tecnológicas, como automação, IoT e conectividade com foco nas implementações em zonas industriais em ambientes variados. Os clientes terão disponível a ampla experiência em processos industriais em toda a cadeia de valor, incluindo design e engenharia de produtos, execução de produção e serviços. Essas novas soluções mobilizarão todo o potencial do sistema operacional da Siemens para IoT.

Tags, , ,

Inovação tecnológica na Indústria Automotiva é tema de workshop em São Paulo

Acontece nesta quinta-feira (21/9) o “2º Workshop de Inovação tecnológica na Indústria Automotiva”, em Santo André, no ABC paulista. O encontro reunirá os principais players do mercado de automação e tem por objetivo debater as tendências mais avançadas para a otimização de linhas de produção.

O evento é uma iniciativa das empresas Festo, Cognex, Heidenhain/Diadur, Kuka, National Instruments e Siemens, com o apoio dos integradores JVS e Tago, que se uniram para abordar de forma prática temas relativos à flexibilidade de produção, integração de tecnologias e as inovações para o segmento automotivo.

Entre os temas abordados no workshop estão:

– Sistemas de Visão Trazendo Flexibilidade em Processos Automáticos (Palestra: Cognex);

– Benefícios da Integração de Tecnologias Para Desenvolvimento de Soluções na Indústria Automotiva (Palestra: Festo);

– Flexibilização do Controle Dimensional Através de Sistemas de Medição de Alto Desempenho (Palestra: Heidenhain);

– Usando Uma Abordagem Baseada Em Plataforma Para Criar a Internet Das Coisas Industrial (IIOT) E a Indústria 4.0

(Palestra: National Instruments);

– Digital Twin: Apoio Às Decisões, Redução de Riscos e do Tempo de Ciclo de Produtos (Palestra Siemens):

O evento contará ainda com a participação de Celso Luis Placeres, Diretor da Engenharia de Manufatura da Volkswagen América do Sul. O executivo compartilhará suas experiências de sucesso e desafios na implementação da digitalização na manufatura.

2º Workshop de Inovação tecnológica na Indústria Automotiva

Data: 21 de setembro

Horário: 8h às 17h

Onde: Hotel Mercure em Santo André (Avenida Industrial, 885).

Tags, , , , , , , , ,

Siemens lança plataforma MindSphere no Brasil para conectar infraestruturas físicas ao mundo digital

A Siemens oficializou ontem durante o evento “Fazendo o Brasil avançar com engenhosidade” o lançamento de sua plataforma MindSphere no Brasil, um sistema operacional aberto para Internet das Coisas (IoT) baseado em nuvem que permite conectar máquinas e infraestruturas físicas ao mundo digital. “Com o MindSphere, a Siemens está fornecendo um sistema operacional aberto, baseado em nuvem, para a IoT. Nessa plataforma como um serviço (PaaS), aplicativos e serviços digitais podem ser desenvolvidos, operados e fornecidos”, afirma Renato Buselli, vice-presidente sênior da Divisão Digital Factory da Siemens.

No contexto de IoT um número cada vez maior de ativos de uma instalação fabril ou empresa estarão conectados e gerando um volume expressivo de dados. Estes dados podem ser rápida e eficientemente coletados, analisados e efetivamente usados para melhorar a disponibilidade e a performance de sistemas, a otimização da operação e do uso de recursos e da infraestrutura, com impactos positivos para o negócio.

Segundo Buselli, o MindSphere possibilita a identificação precoce de problemas potenciais em plantas fabris e instalações, monitoramento de serviços em qualquer lugar do mundo, reduzindo paralisações (downtime) pela otimização de programas de manutenção preditiva e viabilizando novos modelos de negócio. Fabricantes de máquinas, por exemplo, podem utilizar-se da plataforma para monitorar sua própria frota de máquinas ou mesmo oferecer como serviço ao seu cliente final.

Buselli ainda enfatiza que, ao gerenciar toda a cadeia de valor de dados de forma inteligente, o MindSphere transforma dados em conhecimento e este conhecimento aplicado em negócios bem sucedidos. “A Siemens acredita que o MindSphere contribuirá significativamente para acelerar as indústrias brasileiras na obtenção de níveis mais elevados de competitividade ”, afirma.

Tags, , , , ,

TCS e Siemens se unem para fornecer soluções industriais

A divisão de software para gerenciamento de ciclo de vida de produtos (PLM) da Siemens e a Tata Consultancy Services (TCS) expandiram sua parceria de longa data para fornecer um conjunto abrangente de soluções industriais e promover a Empresa Digital Conectada. Ao incluir todo o portfólio de software de gerenciamento de operações de manufatura (MOM) da Siemens, a TCS pode agora exibir o conjunto completo de software e serviços da Siemens no Centro de Excelência de Soluções Industriais da TCS, inaugurado hoje em Pune, na Índia. Com uma variedade completa de soluções, o Centro validará os conceitos e mostrará como a digitalização da empresa inteira está transformando a indústria de manufatura global. O objetivo é oferecer aos clientes um ambiente único para construir e testar soluções digitais usando a tecnologia mais avançada do mundo de software de PLM e MOM.

“Nosso novo Centro de Excelência de Soluções Industriais faz parte do nosso compromisso de criar valor excepcional para nossos clientes, fornecendo soluções totalmente integradas que permitem aos fabricantes promover a Indústria 4.0 e as iniciativas de manufatura inteligente para alcançar a excelência operacional”, disse Regu Ayyaswamy, líder global de engenharia e serviços industriais da TCS. “Nosso compromisso e investimento no portfolio inteiro de MOM de Siemens é a base para uma solução de transformação que permite aos fabricantes começar sua jornada rumo à Empresa Digital Conectada.”

A TCS participará do Centro de Alianças de Especialização MOM da Siemens (MEAC), uma comunidade de parceiros altamente qualificados e estratégicos que fornecem serviços específicos de MOM a fabricantes. Isso aumentará ainda mais a capacidade da TCS de fornecer aos seus clientes atuais e futuros soluções de MOM de alto desempenho para melhorar as operações de manufatura. A TCS também está comprometida com o fornecimento de consultoria especializada, execução de projetos e serviços de implementação para uma série de soluções de software de MOM da Siemens, incluindo sistemas de execução de manufatura (MES), planejamento e agendamento avançados (APS), sistemas de gestão da qualidade (QMS) e sistemas de gestão de informações laboratoriais (LIMS).

“A TCS é o primeiro parceiro a realizar a adoção completa do portfólio de MOM da Siemens, oferecendo excelência aos clientes em comum”, disse Rene Wolf, vice-presidente sênior de software de gerenciamento de operações de manufatura da Siemens PLM Software. “Isso permite que a TCS e a Siemens ajudem os fabricantes a perceber o valor completo da empresa digital, desde o desenvolvimento de produto e planejamento da produção até a engenharia de produção, execução da produção e serviços. As soluções industriais da TCS que utilizam o portfólio completo de software de MOM da Siemens mudarão a forma como os clientes transformam e gerenciam a digitalização das suas operações de manufatura.”

Em uma aliança estratégica que já dura três décadas, a TCS se associou em vários níveis com a Siemens PLM Software para oferecer aos seus clientes os melhores serviços de consultoria e implementação. O acordo de parceria de longa data reforça ainda mais a aliança entre a TCS e a Siemens.

A Siemens PLM Software opera na Índia por meio da Siemens Industry Software (India) Pvt. Ltd., empresa 100% subsidiária Siemens, e seu software é um componente essencial das soluções de tecnologia integradas fornecidas pela Siemens na Índia nas áreas de automação e digitalização.

Tags, , , ,