Tag Salesforce.com

Salesforce.com é nomeada, pelo quarto ano consecutivo, a empresa mais inovadora do mundo

A Salesforce.com (NYSE: CRM), líder mundial em plataforma de gestão de relacionamento com clientes (CRM), anuncia que foi nomeada pela revista Forbes como a empresa mais inovadora do mundo, pelo quarto ano consecutivo. Essa premiação acontece após a companhia ter sido escolhida pela revista Fortune como a Empresa Mais Admirada do Mundo, pelo segundo ano consecutivo. Além disso, a empresa também ficou em 7º lugar no ranking das 100 Melhores Empresas Fortune para trabalhar. A Salesforce.com ainda está classificada entre as dez maiores empresas de software com rápido crescimento e plataforma CRM #1 do mundo.

“É maravilhoso que a empresa tenha sido reconhecida pela Forbes, com o recorde de quarto anos consecutivos, como a empresa mais inovadora do mundo”, diz Marc Benioff, presidente e CEO da salesforce.com. “É uma homenagem à equipe salesforce.com em todo o mundo e para o nosso constante foco em entregar casos sucesso aos clientes”, completa.

Salesforce.com e a Internet dos Clientes
Há 15 anos, a salesforce.com inovou o mundo de software para empresas com novos modelos de tecnologia, negócios e filantropia corporativa. E hoje, a salesforce.com é líder mundial em CRM, identificada como pioneira em cloud computing empresarial, além de inspirar novos modelos de filantropia a serem seguidos.

A salesforce.com continua a redefinir como as empresas se conectam com consumidores nessa nova era de engajamento dos clientes. Até 2020, de acordo com a Cisco, haverá 50 bilhões de dispositivos conectados – e por trás disso tudo, de cada aparelho e aplicativo existe um usuário. Quando as empresas conectam tudo na Internet dos Clientes, eles podem criar uma experiência direta com consumidores, em todos os canais.

Os empregados, parceiros e consumidores dedicados da salesforce.com ajudaram a plataforma de consumidores líder da indústria a se tornar o principal ecossistema de cloud computing para empresas. Indústrias e companhias de todos os tamanhos podem se conectar a seus clientes de uma nova maneira usando as últimas inovações em mobile, social e tecnologia na nuvem para vender, serviços, mercado e ter sucesso.

Tags, , ,

6 dicas para vender mais com a ajuda da nuvem

Plataformas de tecnologia da informação fornecem as informações necessárias para gestão do negócio, permitindo que as empresas controlem melhor o relacionamento com clientes, gerenciem as finanças e realizem investimentos em novas áreas. Utilizar uma plataforma na nuvem – também conhecido como Cloud Computing – é a maneira mais rápida e simples de facilitar o acesso aos dados para quem precisa, além de compartilhar o acesso a todos os sistemas, arquivos e redes, sem interferir nas permissões de quem utiliza a rede.

Veja abaixo seis dicas para vender mais com a ajuda da nuvem, segundo os clientes que já utilizam com sucesso as soluções da salesforce.com:

1) Mudança de comportamento dos colaboradores
Para que a tecnologia seja adotada por todos, é preciso mostrar ao funcionário os benefícios de utilizá-la. Um dos objetivos em melhorar a gestão de negócios na nuvem é tornar o time de colaboradores muito mais integrado. Com o objetivo de buscar uma ferramenta que aumentasse a participação e elevasse a inovação entre os colaboradores, uma grande fabricante multinacional de bebidas optou pela criação de uma rede social para a empresa. A companhia passou a utilizar o Salesforce Chatter para conectar seus funcionários. Após um semestre com o uso da solução, todos os mais de 17.000 funcionários em 80 países foram convidados a participar pró-ativamente. Além disso, as equipes de vendas em todo o mundo usam o Salesforce1 Mobile App para interação entre funcionários, pois os mesmos utilizam para publicar perguntas e trocar ideias com suas gerências.

2) Padronização de processos comerciais
Ao conectar os funcionários em apenas uma plataforma com acesso a todos os dados importantes para fechar um negócio, a empresa melhora a qualidade das operações e, como consequência, fideliza o cliente. Esta empresa enfrentou alguns desafios ao criar sua nova estratégia de produtos, há três anos: aumentar e organizar as vendas, já que havia ausência de padrão entre seus vendedores, e ter uma solução focada em América Latina – e que todas as informações fossem acessadas facilmente e na nuvem. A companhia queria focar as vendas no ponto de vista do cliente, entendendo seus desejos. Planilhas, papéis e outras anotações foram padronizados na plataforma da Salesforce e como resultado, a empresa centralizou toda a entrada de pedidos, em poucos meses, melhorou a percepção e experiência do cliente. Atualmente, já são mais de 400 usuários do Sales Cloud – solução de CRM e automação de força de vendas da Salesforce.

3) Aproximação com o cliente
Com o uso da plataforma para organizar as informações, manter o relacionamento com o cliente fica mais fácil. Com mais de 17 mil corretores, uma das maiores seguradoras do país utiliza as soluções da salesforce.com para centralizar as informações dos assegurados em apenas uma plataforma, eliminando a comunicação que existia apenas entre os vendedores e os clientes. Dessa maneira, ao centralizar as informações em apenas um lugar, a companhia começou a conhecer melhor os clientes, ouvi-los e o atendimento se tornou mais ágil e objetivo.

4) Eliminação de burocracias desnecessárias
O acesso a dados de maneiras mais simples faz com que os colaboradores de uma companhia não lidem com tanta burocracia, fazendo com que as áreas da empresa se tornem donas de seus produtos. Por exemplo, uma multinacional de produtos químicos utilizava diversos softwares na companhia e queria unificar as informações em apenas um local. Utilizando o Salesforce1 e o Chatter, os colaboradores conseguem aprovar processos pelo celular, em qualquer lugar. Com isso, toda equipe de vendas da empresa está em transição para utilizar celulares e tablets com acesso as plataformas.

5) Criação de uma unidade de negócios
Com o uso de uma plataforma para integrar as informações, a seguradora conseguiu juntar mais de 200 mil corretores em uma única unidade de negócios. Os corretores estão acessando as informações disponibilizadas pela equipe de vendas em mini iPads. Com essa melhoria, a companhia passou a focar em outras questões e consegue pensar em novos projetos.

6) Liberdade que a mobilidade proporciona à empresa
A verdadeira revolução da tecnologia móvel é disponibilidade ao alcance das mãos. Com as soluções da Salesforce, um vendedor ou consultor não precisa mais esperar o final do dia ou da semana para enviar ao sistema as solicitações, sugestões ou comentários dos clientes. As informações não ficam perdidas ou em aguardo, podendo ser instantaneamente compartilhadas e as pendências resolvidas a qualquer hora e qualquer lugar. Os colaboradores ganham mobilidade e os clientes ganham soluções.

Tags,

Três dicas para (não) estragar a estratégia de aplicativos móveis da sua empresa

Por Quinton Wall*

Boa parte dos aplicativos móveis corporativos percorrem um longo caminho antes de serem considerados grandes sucessos. Infelizmente, os apps muitas vezes falham repetidamente pelas mesmas razões, com organizações deixando de ver os problemas antes que seja tarde demais. Logo, a adoção dos usuários cai, e os aplicativos de sombra (aqueles não aprovados pela TI) tornam-se comuns, e o negócio começa a sofrer.

Com isso em mente, aqui estão três erros comuns que estragarão o aplicativo móvel da sua empresa – e como evitar que isso aconteça.

1. Dar aos usuários exatamente o que eles pedem

Comece encontrando o seu melhor analista de negócio e passe algumas semanas compilando uma lista de requisitos para seu aplicativo. Depois de ter uma boa ideia do que você precisa, faça uma solicitação de proposta (RFP) e procure um fornecedor que não entende como funciona seu negócio para implementar o aplicativo.

Assim, você se sente confiante de que o app será um enorme sucesso: você entrevistou partes interessadas, criou uma especificação funcional baseada em processos existentes e anotou tudo. Como isto poderia falhar?

Eu tenho uma palavra para você: repetição. Quantas vezes você pediu exatamente o que queria em um restaurante apenas para ficar desapontado quando recebeu o pedido? Esse mesmo sentimento de arrependimento acontece o tempo todo com os aplicativos móveis.

Em vez de gastar semanas ou meses reunindo os requisitos, identifique rapidamente o MVP (Minimum Viable Product, ie, algo que atenda os requisitos mínimos) e disponibilize um app já funcionando – e rápido! Uma vez que o aplicativo é liberado, peça a seus usuários um feedback. Incorpore esse feedback. Lance o aplicativo novamente e novamente. Não só o seu aplicativo não será ruim, mas seus usuários vão sentir que participaram dele.

2. Modele seu aplicativo com base em um processo de negócio existente

E se eu dissesse para você anotar o que faria se precisasse encontrar o número de telefone, endereço e horário de funcionamento de um restaurante específico no centro de uma cidade – mas sem acesso à internet? Louco, né? Então, por que criar aplicativos móveis corporativos modelados sobre processos já existentes?

Seus usuários provavelmente não gostam de processos quando eles têm um teclado completo e uma cadeira confortável para inserir informações. Então os forçar a fazer em um teclado projetado para pixies será ainda mais doloroso.

Aqui está um exemplo: os motoristas de entrega muitas vezes tem dificuldade em encontrar o endereço certo na primeira visita. Com o processo existente, os condutores adicionam uma descrição da localização no sistema. Com os dispositivos móveis, no entanto, o motorista pode tirar uma foto do local e marcá-lo no GPS. O processo mobile é completamente diferente e mais eficiente, e os motoristas podem concluí-lo muito mais rapidamente.

Experimente essa tática para evitar a armadilha comum na construção de aplicativos móveis baseados em processos existentes: divida um quadro em três colunas verticais. As classifique em Processos de Negócios, Mobile-First e Novas Oportunidades. Na primeira coluna, desenhe o processo existente em um diagrama de fluxo. Na segunda coluna, desenhe linhas a partir do diagrama de fluxo para as etapas que poderiam ser reimaginadas com mobile e as inclua na coluna Mobile-First.

Finalmente, na terceira coluna, com base em suas ideias para o fluxo Mobile-First, anote todas as novas oportunidades de aplicativos ou processos de negócio que este novo processo oferece. Usando o exemplo de motorista de entrega já citado, o fato de que o motorista tenha marcado o local como apartamento significa que as entregas podem ser sinalizadas, por exemplo, como “apenas embalagem fina” para permitir que o motorista deslize a entrega sob a porta e evite que entregas futuras faltem ao cliente, mesmo que eles não estejam em casa.

3. Verifique se o aplicativo realmente não está ligado ao seu negócio

Se você realmente quer estragar o seu aplicativo móvel, faça um app que cria ou atualiza dados em um único sistema, mas força o usuário a editar posteriormente os dados ou adicionar mais informações para que sejam parte de um processo mais amplo.

Você não quer que seu aplicativo móvel seja separado de seus processos de negócios e incapaz de atualizar seus sistemas centrais. Você quer que os dados de aplicativos móveis sejam parte contínua da experiência empresarial – o que eu gosto de chamar de empresa UX (User Experience – ou experiência do usuário, em tradução).

Estou constantemente vendo organizações lançarem novos aplicativos móveis incríveis para a visualização de dados corporativos que são completamente desprovidas de empresa UX. Estes aplicativos permitem que os usuários exibam informações em movimento, mas os obriga a ir para outro sistema para atualizar dados. O que realmente acontece é que o seu processo de negócio é mais difícil agora do que era antes de você dar a seus usuários o novo aplicativo sofisticado.

Uma estratégia para evitar uma empresa UX ruim é a utilização de plataformas de nuvem e provedores, conectando com segurança os sistemas existentes para a nuvem como um hub de integração móvel. Então, construa seus aplicativos com esta nova plataforma como um ponto único de conectividade de aplicativos mobile.

Plataformas de nuvem falam em mobilidade – com APIs RESTful, transferências de dados eficientes e SDKs móveis nativas – para que seja possível criar uma grande empresa UX sem nunca gastar em ciclos de desenvolvimento caros atualizando sistemas legados.

Com frequência, vejo empresas condenarem seus aplicativos mobile. O motivo predominante é que eles se aproximam de aplicativos móveis da mesma forma que sempre trataram projetos: criando volumes de especificações de requisitos, não reimaginando processos para utilizar novas tecnologias, e não prestando atenção à experiência do usuário empresarial (ou enterprise UX experience).

Juntas, essas estratégias irão impulsionar qualquer plano de aplicativo mobile e – parabéns! – seu app estará quase dando errado.

*Quinton Wall é Diretor de Tecnologia de Plataforma da Salesforce.com

Tags, ,