Tag Robotic Process Automation

Robôs e Inteligências artificiais: seus mais novos colegas de trabalho

Foi-se o tempo em que as empresas investiam em grandes equipes para execução de processos repetitivos e manuais. O tempo gasto com esse tipo de trabalho faz com que os colaboradores não desenvolvam novas habilidades e fiquem presos às suas rotinas e atividades – motivos pelos quais tornam as equipes inchadas e com baixa performance. Para resolver essa equação ruim, soluções de automatização por meio de robôs e inteligências artificiais estão sendo utilizadas em diversas organizações.

A partir desse contexto, na próxima quinta-feira (21), o Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças (IBEF-PR) irá promover um debate sobre redução de custos e ganhos de eficiência com aplicações de tecnologias de automação e soluções de Cloud com quatro palestrantes. O especialista em TI da startup Madeira Madeira, Cleison Cardoso, irá falar da importância da implementação dessas tecnologias, além da otimização de tempo dos colaboradores. “Nos dias atuais o tempo pode ser considerado a moeda mais valiosa. A automatização de processos exime os colaboradores de tarefas realizadas em produção, liberando tempo para o desenvolvimento de melhorias em rotinas mais importantes”, considera Cleison.

Conhecidas como Robotic Process Automation (RPA), as plataformas de automação são tecnologias que agilizam as operações do negócio, principalmente aqueles repetitivos e baseados em regras, com objetivo de reduzir tempo e custos. O software ou robô possui capacidade de interpretar e processar dados, resultando em respostas ou ações de um processo. Essa tecnologia de ponta tem sido sincronizada com outras aplicações como Machine Learning (ML) e Inteligência Artificial (IA), onde os processos, além de executados, também são aprimorados pela inteligência cognitiva.

APLICAÇÕES EM NUVEM

O sócio-diretor de Clientes & Mercados Sul da KPMG e moderador do evento, Aldo Macri, explica que as empresas estão buscando a transformação digital, principalmente na escolha de tecnologias emergentes para redução de custos e aumento de performance. É o caso das soluções em cloud computing, onde é possível armazenar, virtualizar e acessar dados em plataformas online, eximindo as empresas de investir em estrutura física de servidores próprios. “Ter uma estrutura de servidores próprios custa muito caro para as empresas, sem contar a responsabilidade em gerenciar e garantir a integridade das informações. Quando a empresa migra para serviço cloud consegue, além de reduzir custos, pagar apenas uma mensalidade para o espaço e os serviços utilizados. É um ganho de eficiência ter ferramentas como essas”, conclui.

O evento ainda irá abordar três cases de redução de custos e ganhos de eficiência operacional com a aplicação de robotização de processos e de aplicações na nuvem, que serão apresentados pela diretora corporativa do GRPCOM, Milena Seabra, pela gerente de TI da Servopa, Celina Hara e o especialista em TI da startup Madeira Madeira, Cleison Cardoso . A Amazon Web Service (AWS) será a patrocinadora desse evento, que irá receber executivos, empreendedores e profissionais da área de finanças.

Palestra – Redução de custos e ganhos de eficiência com aplicações de RPA – Robotic Process Automation e soluções Cloud

Dia: 21 de novembro de 2019

Horário: das 18h30 às 21:00

Local: Curitiba Trade Center – Auditório RE (Alameda Dr. Carlos de Carvalho, 417)

Inscrições: R$ 100 para não sócios do IBEF PR

Mais informações em www.ibefpr.com.br ou (41) 99872.0203

Tags, , , ,

Especializada em RPA, Techautomation busca parceiros para crescer no Brasil com AutomationEdge

Fernando Baldin, CEO da Techautomation

De acordo com o Gartner, uma das maiores empresas de consultoria em tecnologia do mundo, o RPA – Robotic Process Automation está entre as tendências mais promissoras no mundo corrporativo.

Várias tarefas repetitivas tomam muitas horas de trabalho de pessoal qualificado nas empresas, tempo que pode ser aproveitado em outras tarefas mais produtivas. A automação de processos com robô reduz muito o tempo de execução dessas atividades com maior eficiência e custo menor. 

Um dos entusiastas do RPA no Brasil é Fernando Baldin, que, depois de duas décadas como executivo na área de serviços de TI, deixou a Quality, empresa que adquiriu a paranaense Premier IT, para ser o CEO da Techautomation, representando a empresa internacional AutomationEdge. 

“Usar automação da maneira correta vai gerar um diferencial competitivo muito grande nas corporaçôes”, afirma Fernando. Ele explica que a grande inovação está em conciliar a tecnologia com o perfil de quem faz automação, escala e uma plataforma preparada para governança, mapeando com perfeição regras de negócio e fazendo uma boa gestão de erros.

Outra vantagem do RPA da AutomationEdge, aponta Fernando, é o fato de estar na nuvem. “As empresas não precisam contratar infraestrutura, investir em ativos caros”, explica. 

Fernando Baldin também destaca parcerias técnicas e comerciais importantes já conquistadas no sudeste e no sul do país e aposta na expansão dessa rede para alcançar crescimento exponencial em todo o território nacional. 

  Um dos casos de sucesso no Brasil é da Servopa,  uma das maiores redes de revendedores Volkswagen no país, com mais de 300 mil clientes, que tem uma enorme carga de trabalho em BackOffice, sistemas de TI, transações financeiras de clientes e fornecedores. Saiba mais no depoimento em vídeo de Celina Hara, CIO da Servopa.

Tags, , , ,

Protiviti promove hackathon em busca de soluções de automatização para as empresas

Com o objetivo de encontrar soluções inovadoras para melhorar a gestão nas empresas, a consultoria Protiviti anuncia a primeira edição do Hackathon RPA (Robotic Process Automation), que acontece neste sábado, dia 04, em São Paulo. A iniciativa, em parceria com a Superclient, desafiará os participantes a automatizar atividades manuais e repetitivas ligadas a processos internos e ofertas para clientes.

O desafio está em sua segunda fase e terá seis horas de duração. Na primeira etapa, que aconteceu em junho, as equipes montaram suas propostas de automatização de processos e apresentaram para comitê de especialistas da Protiviti e da Superclient, que escolheram as melhores ideias com base no ganho de eficiência, redução de custo e facilidade de implantação. Neste sábado, as equipes colocarão suas estratégias em prática ao criar robôs que promovam automação em atividades internas que são comuns para diversas empresas.

Os robôs desenvolvidos serão avaliados por critérios como criatividade, proposta inicial versus entrega e impacto no negócio, seja no viés de oportunidade de novas receitas ou redução custos.

“A ideia da Protiviti com o Hackathon RPA, além dos ganhos de eficiência internos, é promover o mercado de inovação com um time preparado para suportar as empresas no processo de transformação digital”, explica Thiago Guimarães, gerente da área de Business Performance Improvement (BPI) da Protiviti, consultoria especializada em gestão de negócios, tecnologia, riscos e auditoria interna.

Tags, , , , , ,

As empresas estão preparadas para os robôs?

Por Solemar Andrade, VP Executivo da Plusoft

Manter a eficiência dos processos operacionais internos (backoffice) nas empresas é um dos grandes desafios para os gestores. Longe da visão dos clientes, esse setor é muito importante por garantir a operacionalidade dos negócios, cuidando dos detalhes que envolvem, por exemplo, a venda, o acionamento de estoque e a logística para a entrega do produto. Procedimentos mal realizados afetam de maneira significativa os resultados e geram prejuízos financeiros e, principalmente, de imagem.

Diante do recente processo de migração para a Indústria 4.0, a chegada do Robotic Process Automation (RPA) é uma importante ferramenta de apoio às organizações que diariamente devem produzir em grande escala e garantir excelência nos processos internos. Atualmente, estamos vivendo a quarta revolução industrial e os robôs são os novos responsáveis por disponibilizarem, de maneira assertiva, recursos operacionais ágeis e que proporcionam melhorias administrativas, produção e, principalmente, uma redução de até 40% nos custos processuais que ocorriam com retrabalhos ou perda de prazos. Parte da mão de obra, que antes era utilizada para funções repetitivas e chatas, foi redirecionada para tarefas estratégicas, valorizando ainda mais o intelecto profissional.

A pesquisa Projeto Indústria 2027, que avalia os impactos de inovações como Internet das Coisas (IoT) e Inteligência Artificial (IA) na competitividade do produto nacional, revela que 21,8% das indústrias brasileiras projetam ter sua produtividade totalmente digitalizada nos próximos dez anos. O resultado é muito significativo para o Brasil porque, atualmente, apenas 1,6% das empresas avaliadas afirma estar no processo de migração para a Indústria 4.0.

A implementação do RPA é uma estratégia relevante no processo de modernização industrial. Seja no modelo de serviço em Nuvem ou pela gestão na própria infraestrutura das empresas, os robôs oferecem agilidade nas tarefas internas, proporcionado por um modelo de trabalho ininterrupto (24×7) e com interação a diferentes sistemas em uma infraestrutura de TI. A solução traz excelência no cumprimento dos contratos de qualidade que possuem prazo de atendimento preestabelecido (Acordos de SLA – Service Level Agreement), o que significa a transferência de futuros investimentos para ações estratégicas.

Quanto à preocupação dos CIOs em relação aos investimentos para a implementação da plataforma de automação com robôs, o ROI (Retorno sobre Investimento) é uma quebra de paradigma, porque oferece um retorno em curto prazo, de três a sete meses. Antes, quando surgiam novos contratos de clientes e serviços, os gestores de TI sofriam com o aumento de gastos que deveriam realizar para se adaptarem às novas exigências de demandas. Hoje, os robôs têm a capacidade de se adaptarem ao surgimento de novas tarefas, além da possibilidade de se integrarem a novas tecnologias e situações organizacionais diferentes que surgem no ambiente das atividades diárias. Ou seja, a demanda cresce, mas prazos e custos não.

Atualmente, os ambientes de TI organizacionais possuem diversos componentes e sistemas, envolvendo conectividade, virtualização e segurança. Os robôs integram as informações entre as diferentes soluções, tornando o fluxo de comunicação centralizado, dinâmico e sem falhas.

Desde 2016, há um crescimento de aproximadamente dois terços em relação aos anos anteriores na aquisição da tecnologia de robôs no backoffice das corporações brasileiras. A expectativa é que 2018 seja o ano dos robôs. Por isso, é necessário que os gestores de TI não paguem para ver o que acontece e saibam agir com rapidez para se manterem competitivos em um mercado que exige cada vez mais que as empresas sejam organizadas, sem falhas e com excelência.

Tags, , , , , , , , , , ,

Capgemini apoia Governo do Reino Unido na robotização de processos

A Capgemini anuncia um acordo de 2 anos com o Governo Britânico para desenvolver um Centro de Excelência (CoE) em Robotização de Processos (RPA-Robotic Process Automation). O CoE, pronto e em pleno funcionamento, ajudará a acelerar a adoção da RPA em todo o Governo Central, prestando suporte a diversos departamentos no desenvolvimento de planos específicos para automatizar alguns de seus processos administrativos e documentais.

Considerado o maior facilitador da transformação do setor público, o RPA é uma metodologia na qual o software é programado para realizar tarefas básicas de forma autônoma em todas as aplicações, reduzindo a carga de tarefas repetitivas e simples executadas pelos funcionários. Capaz de ser desenvolvida e implementada em questão de semanas, a RPA tem ótima relação custo-benefício e, geralmente, pode apresentar ROI (retorno sobre o investimento) em poucos meses. Conhecida por melhorar drasticamente a velocidade e a precisão do processamento, ela resultará em um serviço rápido e de qualidade superior para a população.

O RPA ajudará os departamentos governamentais a utilizarem a tecnologia para executar tarefas repetitivas, que podem envolver informações de diferentes bancos de dados – como, por exemplo, para verificar um pedido de serviço, concessão ou benefício. O novo CoE reúne um time de profissionais especializados e experientes em tudo o que está na vanguarda desta tecnologia, aplicada para os setores público e privado. Servindo como uma vitrine para atividades de RPA, ao fornecer treinamentos e demonstrações, e também auxiliando departamentos a identificarem potenciais iniciativas de RPA e a realizar uma análise detalhada dos benefícios potenciais antes da decisão de implementação.

“A automação é um elemento-chave da solução de transformação digital da Capgemini. Estamos muito satisfeitos por termos sido selecionados para trabalhar com o Gabinete do Reino Unido em um projeto tão estratégico”, comentou Christine Hodgson, presidente da Capgemini UK. “O RPA abre uma excelente oportunidade para que as organizações do setor público conquistem ganhos significativos de produtividade e para que se concentrem em serviços de valor agregado. Com base nos trabalhos realizados para o setor público do Reino Unido e em nossa experiência global em RPA, estamos confiantes de que o Centro de Excelência terá um papel fundamental no apoio à transformação dos serviços públicos”.

Tags, , , , , , ,

Quando robôs fazem o trabalho manual, funcionários e clientes saem ganhando

Por Jenni Palocsik, Diretora de Soluções de Marketing da Verint

Todos nós podemos nos tornar vítimas do trabalho repetitivo que existe dentro de uma empresa. A atividade pode ser demorada e monótona, fazendo com que os funcionários se sintam entediados. Muitas vezes, isso resulta em erros, afinal, sejamos francos, quem quer passar horas inserindo os mesmos endereços ou dados de clientes em diversos sistemas ou reconciliando inúmeros balanços? No entanto, há uma maneira de mudar a forma como uma organização administra e realiza esses processos maçantes para que se tornem rápidos e eficientes ao mesmo tempo em que permitem que os colaboradores permaneçam focados em atividades mais satisfatórias.

Embora os grandes volumes de processos repetitivos possam ser ligeiramente complexos, as etapas necessárias para realizá-los são fundamentalmente baseadas em regras e não exigem decisões e opiniões humanas. Contar com os funcionários para a execução manual desse trabalho é algo caro, além de dar abertura para erros.

E o que a empresa deve fazer? Algumas organizações têm adotado a estratégia de desenvolver soluções altamente customizadas que se integram rigorosamente às suas aplicações existentes a fim de eliminar o processamento manual. Infelizmente, os custos dessa implementação, bem como a necessidade de manutenção frequente de requisitos, processos gerais e mudanças de aplicações, limitam drasticamente a utilidade dessa estratégia.

É por isso que o amadurecimento contínuo das soluções de Robotic Process Automation (RPA) é tão importante. As funcionalidades dessas tecnologias oferecem às empresas uma opção comprovadamente muito melhor para atender às metas operacionais. As ferramentas de RPA administram as tarefas repetitivas da empresa, automatizam a execução de processos de maneira homogênea e intuitiva com uma incrível precisão por uma fração dos custos atuais. Essa tecnologia utiliza um “software inteligente” junto com as aplicações comerciais existentes para realizar grandes volumes de tarefas repetitivas que costumam ser demoradas e banais se executadas por humanos.

Setores como seguros, serviços financeiros, recursos humanos e diversos outros podem tirar proveito desse tipo de ferramenta ao automatizar uma vasta gama de tarefas. É o caso da área de atendimento ao cliente de uma companhia que precisava migrar seus consumidores para novos contratos de serviços ao longo do ano até que chegasse o período de renovação. Ao conduzir esse processo por meio de soluções de RPA, a empresa foi capaz de concluir mais de 65.000 transações em um período significativamente menor se comparado com a migração manual. Isso aumentou a produtividade em 40% e propiciou uma economia de US$ 300 mil. Enquanto os funcionários levavam em média 12 minutos para concluir cada processo manualmente, o software levou apenas 7 minutos. A melhoria na precisão dos novos contratos gerou uma maior satisfação do cliente ao mesmo tempo em que permitiu que a organização reduzisse o custo das operações.

Outra área impactada está ligada aos aspectos de compliance. Cada passo ou processo automatizado é totalmente controlado e documentado, o que ajuda as companhias a estarem em conformidade com as regulamentações industriais e requisitos internos e externos de auditoria. Esse tipo de tecnologia também pode trazer redução de despesas de recursos humanos. A necessidade de menos funcionários para executar as tarefas manuais e monótonas significa uma menor rotatividade dos profissionais que anteriormente realizavam esse tipo de trabalho. Nesse caso, o benefício direto é a utilização de menos esforços e custos para recrutar, contratar e capacitar novos colaboradores. Em vez de gerar uma redução no quadro de funcionários, a automação permite que os profissionais realizem trabalhos mais voltados aos clientes e desenvolvam suas habilidades conforme novas necessidades e funções.

Com interações de maior qualidade, os consumidores e funcionários ficam mais felizes e comprometidos, as companhias se tornam mais rentáveis e a satisfação do cliente é elevada. Qual o resultado final? A empresa, os funcionários e os clientes saem ganhando.

Tags,