Tag Resource

Resource apresenta soluções inteligentes para o mercado financeiro no CIAB 2019

A Resource, multinacional focada na entrega de transformação digital, anuncia sua participação no CIAB FEBRABAN 2019, principal evento de tecnologia da informação para o setor financeiro. Durante o congresso, a empresa apresentará soluções de seu amplo portfólio voltado para o segmento financeiro, envolvendo RPA, Analytics, SAP S/4HANA Cloud, SMP, Agile, Big Data, Machine Learning, Internet das Coisas (IoT), Inteligência Artificial (IA), User Experience (UE), Customer Experience (CX) e outras tecnologias e conceitos emergentes aplicados a meios de pagamento, infraestrutura end-to-end especializada em Financial Services e sistemas de parametrização, entre outras ofertas baseadas em abordagens estratégicas.

Considerado o maior congresso de Tecnologia da Informação (TI) para o setor financeiro da América Latina, o CIAB 2019 será realizado de 11 a 13 de junho, no Transamérica Expo Center, em São Paulo. Nesta edição, sob o tema “Conectado com o Cliente. Contribuindo para a Sociedade”, o evento contará com debates e demonstrações sobre os processos de inovação no qual as empresas fazem uso da tecnologia para melhorar seus desempenhos, aumentar o alcance e garantir resultados melhores.

Durante o evento, a Resource apresentará cases de transformação digital desenvolvidos com as principais instituições do segmento financeiro do País. Nessas ações, a atuação da Resource é sempre realizada por meio de abordagens estratégicas e modelos consultivos, com foco em mudanças que agregam valor real ao modelo de negócio dos clientes e conforme suas necessidades específicas. Dessa forma, a Resource projeta caminhos inovadores capazes de gerar mudanças rápidas e com resultados consistentes para as companhias.

Entre os cases para o segmento financeiro, a Resource destaca a implementação de uma nova plataforma integrada de gestão empresarial – ERP da SAP, na TecBan, empresa que administra o Banco24Horas, para suportar o seu atual processo de melhoria continua, de forma mais rápida, estável e segura. Desenvolvido por uma equipe multidisciplinar, que envolveu a participação de 20 áreas e mais de 100 profissionais, o projeto promoveu a integração do novo ERP SAP em Hana (base de dados in-Memory) aos 29 sistemas já existentes dentro da operação da TecBan.

Outro projeto da Resource para o segmento foi o desenvolvimento da plataforma Única, novo sistema de pagamento eletrônico para o Tribanco, unidade de serviços financeiros do Grupo Martins, uma das mais importantes empresas brasileiras de distribuição. A solução realiza operações de pagamento e adquirência (processo de credenciamento e habilitação de lojistas para a realização de transações feitas com cartões de crédito e débito) para atender redes varejistas clientes do Grupo em todo o País. A multinacional foi responsável pela construção de uma arquitetura especialmente preparada para gerenciar um alto volume de transações de forma rápida, precisa e segura, usando as tecnologias e ferramentas mais modernas do mercado.

Destaque também para a implementação de uma nova plataforma integrada de gestão empresarial (ERP) para uma importante entidade sem fins lucrativos que administra os planos de previdência dos empregados e aposentados de uma companhia hidroelétrica do Nordeste. Desenvolvido com soluções em Nuvem da SAP, o projeto tem como objetivo aperfeiçoar a gestão integrada e aprimorar os processos contábeis, de gestão de riscos e de análises financeiras da fundação. A companhia utilizou uma série de soluções modernas e inteligentes, como o ERP Cloud da SAP (S/4HANA Cloud), o SAP Analytics Cloud Planning (Plataforma Cloud de Analytics e Planejamento) e o TaxServices (serviços fiscais em Cloud). Esse é o primeiro projeto de SAP S/4HANA Cloud e SAP Analytics Cloud totalmente conduzido por um parceiro SAP no Brasil utilizando a cloud pública da companhia, incluindo as etapas de arquitetura, implementação e suporte.

No final do ano passado, a companhia obteve a certificação de Desenvolvedor Corda, destinada a profissionais com conhecimento técnico avançado no desenvolvimento de aplicações na plataforma de blockchain Corda. Com a novidade, a companhia se torna uma das poucas empresas no Brasil a contar com certificado nessa competência. O documento é emitido pela R3, empresa de software empresarial que desenvolve a plataforma de blockchain Corda e a única organização a conceder esse tipo de validação.

A multinacional destacará ainda seu amplo portfólio de soluções baseadas em tecnologia digital e desenvolvidas especialmente para tornar os clientes empresariais mais eficientes, inovadores e competitivos. “Iremos apresentar como a transformação digital pode simplificar processos, agilizar as decisões, reduzir os custos e aumentar a eficiência operacional das empresas”, afirma Fabiana Batistela, Vice-Presidente de Marketing, Inovação e Capital Humano da Resource.

Com quase 30 anos no mercado – mais de 25 deles atuando no segmento financeiro -, a Resource antecipa tendências para o setor e oferece serviços end-to-end, ou seja, atuando desde a consultoria até a entrega do produto. Boa parte do faturamento da companhia é impulsionada por bancos, que buscam a inovação de forma constante e em um ritmo acelerado.

“Oferecemos um portfólio de tecnologias disruptivas e que estará sendo demonstrado no CIAB FEBRABAN, evento que conta com um público altamente qualificado, formado por executivos do setor financeiro das áreas de tecnologia, canais, pesquisa, inovação tecnológica, riscos, segurança da informação, meios de pagamento, serviços bancários, seguros, entre outros que frequentam os três dias do congresso e da exposição”, diz a executiva.

Novo reposicionamento de marca

No estande da Resource, o público poderá conhecer melhor as características e vantagens das soluções para o mercado financeiro e também da nova identidade visual da multinacional. “O reposicionamento da marca e a nova identidade visual são iniciativas que nos colocam em sintonia com o atual momento de inovação. Estamos reforçando nosso portfólio de serviços para ampliar a atuação da companhia em setores estratégicos e intensificar as parcerias com os principais fabricantes globais”, explica a Vice-Presidente de Marketing, Inovação e Capital Humano da Resource.

Dados do mercado nacional

A Resource está explorando as tecnologias mais modernas do mundo para oferecer a seus clientes soluções diferenciadas. A empresa destaca, por exemplo, o crescimento do segmento mobile. Segundo dados da FEBRABAN, o número de transações bancárias feitas pelo celular em 2018 cresceu 24%, em relação ao ano anterior, e os aplicativos dos bancos tornaram-se o canal preferido dos brasileiros para fazer pagamento de contas, transferências de dinheiro e outras transações financeiras. Hoje, de cada 10 transações, com ou sem movimentação financeira, seis são feitas por meios digitais – celular ou computador.

O estudo revela que os gastos com tecnologia bancária, incluindo despesas e investimentos, continuaram consistentes e somaram R$ 19,6 bilhões no ano passado, um crescimento de 3% em comparação a 2018. Desse total, R$ 10 bilhões foram destinados a aplicações de software, reforçando o foco das instituições bancárias no desenvolvimento de novas funcionalidades em serviços e produtos dos bancos.

Quando perguntados sobre os investimentos prioritários previstos para os próximos anos, os bancos revelam que o setor tende a usar cada vez mais a inteligência de dados em suas operações: 80% dizem planejar investimentos em Big Data/Analytics; e 73% investirão em Inteligência Artificial e computação cognitiva. O setor bancário é, junto com o governo, o que mais investe em tecnologia no Brasil.

CIAB FEBRABAN 2019

Quando: de 11 a 13 de junho, das 10h às 19h

Local: Transamérica Expo Center

Informações: https://ciab.com.br/pt/informacoes

Tags, ,

Resource IT abre 250 vagas de TI no Sul, Sudeste e Nordeste

A Resource IT, uma das principais multinacionais brasileiras de serviços de consultoria, TI e Integração Digital, está com 250 vagas abertas para profissionais de Tecnologia da Informação (TI) nas regiões Sul, Sudeste e Nordeste do Brasil. As oportunidades são para os cargos de Analista Programador Back-End (NODE), Analista Programador Front-End (Angular PI), Especialista VTEX (E-commerce), Analista Programador React Sr, Product Owner e Full STACK. As vagas preveem plano de carreira e contemplam diversos benefícios.

Os interessados em fazer parte da empresa devem ser graduados em Ciências ou Engenharia da Computação e indicar suas experiências profissionais na área de TI no cadastro dos currículos.

Para as vagas de Analista Programador Back-End é preciso ter conhecimentos das linguagens NODE, JavaScript, AWS, Microsserviços GIT, Mongo, DB e Oracle. Para o cargo de Analista Programador Front-End é necessário conhecimento em HTML, CCS-SASS, SCSS-Angular, APIS, REST, GIT, GRUNT e GULP. Para os candidatos a Especialista VTEX é imprescindível domínio de HTML, CSS, SASS, JavaScript, JQUERY, Plataforma VTEX, GIT, GRUNT e GULP. Para os concorrentes à vaga para Analista Programador React Sr é exigido experiência em Android ou IOS, JavaScrip e Angular.

O cargo de Product Owner requer experiência no desenvolvimento e gestão de produtos digitais, participação em eventos ou congressos sobre agilidade, conhecimento de sistemas e produtos Web e Mobile. Ter atuado como Scrum Master é um ponto positivo. Já a vaga para Full STACK solicita conhecimentos em JAVA 5/6 EE, JBoss, Tomcat, WAS, Spring, Springbatch, Jenkins, Maven, ANT, EJB, HTML, CSS, JavaScript, JSP e Struts.

Com 26 anos de atuação no mercado, a Resource IT possui uma equipe de 2.500 profissionais altamente capacitados e aptos para atuar em projetos no Brasil e em cinco países no exterior, em especial na América Latina e Estados Unidos, por meio de uma moderna estrutura com 21 Unidades e Centro de Inovação no Vale do Silício (EUA).

A excelência de seus serviços faz com que a Resource IT seja amplamente reconhecida pelo mercado e por mais de 300 clientes ativos de diversos segmentos da indústria, com ofertas completas de Digital, Serviços Gerenciados e Soluções Empresariais. A Resource IT utiliza as mais modernas tecnologias globais e possui dezenas de certificações técnicas que comprovam seu diferencial competitivo e a qualidade de seu trabalho junto a clientes que desejam obter ganhos de produtividade e maior desempenho em suas operações.

Os candidatos interessados devem enviar seus dados com o currículo atualizado para o e-mail recrutamentoeselecao@resourceit.com. As inscrições já estão abertas e as contratações serão feitas ao longo dos próximos meses. Para mais informações, visite o site www.resourceit.com.

Tags, , , , ,

Por que o futuro da Indústria 4.0 está ligado à mudança na cultura educacional do Brasil?

Por Paulo Marcelo, CEO da Resource

Eu poderia, facilmente, criar um paralelo entre a Indústria 4.0 e a terceira Revolução Industrial. Essa quarta revolução industrial vem reforçar o conceito de que a cadeia de produção também é passível de automação e digitalização, ou seja, da mesma forma que lá atrás a primeira revolução industrial trouxe uma perspectiva de transformação no modelo de produção, hoje, a Indústria 4.0 também faz isso, mas em diferentes perspectivas.

Isso porque a Indústria 4.0 é um ciclo que teve início da sociedade para o mercado, no qual a transformação digital começou primeiro baseada nos consumidores e hoje impacta as indústrias. A sociedade demanda que as empresas atuem de forma mais simples e alguns setores já estão conseguindo caminhar nessa direção. O varejo, por exemplo, tem um relacionamento direto com os consumidores e conseguiu incluir o mundo digital na relação que possui com eles.

Mas e os demais setores: as indústrias? Como elas estão sentindo esse impacto? Um dos maiores choques que eu prevejo está diretamente relacionado ao mercado de trabalho e à oferta de mão de obra. Se por um lado as indústrias precisam aumentar a sua eficiência para competir com as empresas globais, por outro, podemos nos deparar com o risco do desemprego já que temos a automação industrial, robôs e inteligência artificial substituindo a mão de obra. E como preservar o capital intelectual das empresas?

A resposta é simples, mas desafiadora para ser implementada na prática: investimento na educação. O grande risco quando há um atraso na educação, como é o caso do Brasil, é que não é possível preparar a sociedade para atuar trabalhando diretamente com a tecnologia digital. Hoje, muitos dos nossos cursos, como os de formação superior e, principalmente, os técnicos ainda não preparam os profissionais para a transformação digital da Indústria 4.0. Eles precisam estar prontos para atuar lado a lado com automação e Inteligência Artificial e não mais para os modelos das máquinas da terceira revolução industrial.

Se não prepararmos a nova geração para esse modelo teremos um gap enorme na formação de mão de obra em um futuro próximo de, no máximo, 5 a 10 anos. Essa geração precisa estar atualizada com a tecnologia e criar um mix de experiência com máquinas e conhecimentos.

Quando você não prepara a nova geração para esse modelo, os recursos humanos acabam sendo inegavelmente substituídos por robôs. É urgente a necessidade de mudança na formação técnica e profissional para que seja possível equilibrar, no primeiro momento, as tarefas repetitivas em que a automação deve substituir a mão de obra para então direcionar esse colaborador para atividades que vão requerer o capital intelectual e a intervenção humana. E isso só vai acontecer com a mudança na formação tecnológica desses futuros profissionais.

Para que o Brasil possa competir globalmente com países como Alemanha e Estados Unidos, que estão muito em nossa frente, a indústria nacional precisa fazer urgentemente essa transformação digital e ter uma integração completa de todos os processos nas empresas. O Brasil precisa parar de engatinhar e dar passos ousados no desenvolvimento para que realmente possa entrar na era da Indústria 4.0 não só com a tecnologia em si, mas com pessoas capazes de lidar com ela.

Tags, , , ,

Resource abre vagas para seu programa de estágio

Em um mercado de trabalho cada vez mais competitivo, para encontrar uma boa oportunidade de emprego, o jovem profissional precisa unir conhecimento teórico ao prático. A melhor forma de alcançar isso é participando de um estágio. Com um programa de desenvolvimento diferenciado, a Resource, uma das principais e mais bem-sucedidas multinacionais brasileiras de serviços de TI e Integração Digital, está com inscrições abertas para sua 6ª edição do “Academia de Talentos Resource”.

Universitários interessados em fazer parte da nova turma precisam estar cursando a partir do 3º ano de Tecnologia da Informação. Além de ganhar experiência com profissionais renomados de uma das maiores empresas de TI do Brasil, os estudantes têm a possibilidade de serem efetivados ao término do contrato, que pode durar até 24 meses. Ao longo do último ano, 80 estudantes já participaram do programa e 26 foram contratados pela companhia.

“A Academia de Talentos Resource é uma via de duas mãos. Os alunos compartilham expectativas e experiências de sua geração, encontrando na Resource um ambiente aberto e inovador para colocar em prática novas ideias”, explica Angela Cristina Santini, Gerente de Operação e de Processos da Resource.

O programa prevê a criação de novas turmas a cada três meses, tendo entre 15 e 20 novos estudantes por grupo. Além de trabalharem em projetos estratégicos para grandes clientes da Resource, os futuros profissionais participam de workshops e treinamentos específicos sobre novas tecnologias. A próxima equipe receberá, por exemplo, treinamentos sobre Inteligência Artificial e Machine Learning.

“A Academia de Talentos Resource busca extrair o que os profissionais têm de melhor. Com isso, aperfeiçoamos internamente nossa pirâmide, ou seja, desenvolvemos colaboradores com aptidões em diversas áreas”, afirma a executiva.

Atualmente, o programa é direcionado para profissionais de São Paulo. Os candidatos interessados devem cadastrar seus currículos no site www.resourceit.com ou enviar seus dados para o e-mail recrutamentoeselecao@resourceit.com. As inscrições já estão abertas e as contratações serão realizadas conforme os novos projetos que estão em andamento na empresa.

Com mais de 25 anos de atuação no mercado, a Resource possui uma equipe de 2.500 profissionais altamente capacitados e aptos para atuar em projetos nacionais e em cinco países, em especial na América Latina e Estados Unidos, por meio de uma moderna estrutura com 21 Unidades e Centro de Inovação no Vale do Silício (EUA).

A excelência de seus serviços faz com que a Resource seja amplamente reconhecida pelo mercado e por mais de 300 clientes ativos de diversos segmentos da indústria, com ofertas completas de Digital, Serviços Gerenciados, Consultoria de TI e Soluções Empresariais. A Resource utiliza as mais modernas tecnologias globais e possui dezenas de certificações técnicas, que comprovam seu diferencial competitivo e a qualidade de seu trabalho junto a clientes que desejam obter ganhos de produtividade e maior desempenho em suas operações.

Tags, , , , ,

Aliança Renault-Nissan implementa sistema eSocial com parceria Resource

A Aliança Renault-Nissan já está totalmente preparada para as novas regras trabalhistas previstas no eSocial. A conquista foi obtida com apoio da Resource, uma das principais e mais bem-sucedidas multinacionais brasileiras de serviços de TI e Integração Digital. A contratação dos serviços foi fundamental para ajudar a Aliança Renault-Nissan a ajustar seu sistema SAP para as novas exigências do Governo brasileiro.

Desde 1º de janeiro de 2018, o eSocial tornou-se obrigatório nas empresas com faturamento superior a R$ 78 milhões ao ano. No entanto, pesquisa realizada pela Federação Nacional das Empresas de Serviços Contábeis e das Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisas (Fenacon) revela que apenas 4,4% das companhias estão realmente preparadas para as exigências do novo sistema.

“Com as novas normas do Governo, tínhamos que nos adaptar rapidamente. Com apoio da Resource, conseguimos ajustar nossos sistemas à nova regulamentação e cumprir com o prazo indicado pelo Governo”, diz Fabrício Mielke, Gerente da Arquitetura de Sistemas da Aliança Renault-Nissan. Segundo ele, “a Resource foi fundamental para o processo, pois é uma das principais especialistas em consultoria e em desenvolvimento de sistemas para ajudar nessa migração”.

O principal desafio encontrado pelas empresas para seguir às novas regras trabalhistas é conseguir estruturar os seus processos internos, conforme a pesquisa da Fenacon. Para superar o desafio, a Aliança Renault-Nissan investiu na solução SAP para automatizar todos os procedimentos de Recursos Humanos (RH) e contou também com o apoio da Resource para a otimização de processos, atualização de dados sobre os funcionários e cumprimento dos prazos estipulados pelo Governo para a entrega das informações dos colaboradores, como férias e salários.

“Conseguimos adequar o projeto de acordo com as necessidades do cliente. Apoiamos a Aliança Renault-Nissan em cada etapa do processo, inclusive garantindo a questão da segurança dos dados que são enviados ao programa”, explica José Henrique Claro, Diretor de Negócios da Resource.

O eSocial é um projeto do Governo Federal para unificar todos os dados dos trabalhadores brasileiros, que inclui desde a entrada do colaborador na empresa até uma possível alteração de turno, salários ou informações sobre eventuais desligamentos das empresas. Por meio do sistema, a Administração Pública terá mais dados dos funcionários para gestão de temas trabalhistas.

“Estamos muito felizes por sairmos à frente do mercado”, diz o Gerente da Aliança Renault-Nissan. A comemoração é devida, pois as empresas que não aderirem aos prazos poderão ser multadas. Desde 8 de janeiro, a Aliança Renault-Nissan já enviou mais de 13 mil informações trabalhistas ao Governo Federal por meio do eSocial. A parceria com a Resource tem apoiado as montadoras a cumprir os prazos estipulados pelo Governo na prestação de contas trabalhistas, de maneira transparente e sem erros.

O cronograma de implementação do programa para as empresas com faturamento superior a R$ 78 milhões ao ano está dividido em cinco fases, que começaram em 2018 e vão finalizar em janeiro de 2019. Na primeira etapa, as empresas deverão apenas fornecer informações genéricas como cadastros do empregador e dados dos colaboradores. Em seguida, torna-se obrigatório também o envio das folhas de pagamento no formato indicado pelo Governo. Depois, terão que substituir a GFIP (Guia de Informações à Previdência Social), fazer compensação cruzada e, na última etapa, deverão enviar até os dados de segurança e de saúde dos funcionários.

A Resource trabalha com a Aliança Renault-Nissan desde 2016 em aplicações SAP e, em agosto de 2017, iniciou a fase de preparação das informações para o eSocial, ajustando todos os cadastros internos de funcionários para o novo modelo. Na sequência, iniciou-se o desenvolvimento de aplicações para encapsular os documentos no formato indicado pelo Governo e a criar rotinas automáticas para envio de informações periódicas como salários, férias e FGTS. A dinâmica de ajuste de dados também está sendo controlada pela Resource, uma vez que as informações são validadas eletronicamente pelo Governo, em um modelo de verificação semelhante ao usado pela declaração de imposto de renda.

“Sem a ajuda da tecnologia seria impossível reunir manualmente os dados para envio ao Governo. Com apoio da Resource, entendemos as novas demandas que teríamos com a regulamentação e estruturamos todos os procedimentos para um novo modelo digital”, comemora Mielke, da Aliança Renault-Nissan. “Agora, nossos profissionais de RH podem retornar para as suas funções estratégicas com a segurança que os sistemas da Resource estarão nos ajudando no envio constante de dados exatamente no formato solicitado pelo Governo”, diz ele.

Tags, , , , , , , , , ,

Transformação digital, o risco de resistir – Por Paulo Marcelo

Já se foi o tempo em que um modelo de negócio campeão era algo imutável. Não se mexia em time que estava ganhando. Hoje, a flexibilidade do desenho estratégico é imperativa. É preciso mudar de acordo com as expectativas dos consumidores/clientes, seus hábitos e evolução tecnológica.

A transformação digital trouxe com ela a revisão do universo ao qual estávamos acostumados e, porque não dizer, muitas vezes acomodados. O mundo tornou-se ágil e, nas empresas, grupos multidisciplinares apoiam, reinventam e criam negócios, por meio da união de ideias de diferentes habilidades e competências. A nova era impôs, portanto, um ritmo acelerado de ações, adequações e inovações.

Não há como ficar parado diante de tantas mudanças frenéticas, que impactam o dia a dia de pessoas e negócios. A competitividade tornou-se um desafio e, por vezes, um pesadelo, tamanha a velocidade com que a concorrência surpreende com produtos e serviços disruptivos, surgindo de todos os lados, ameaçando a sobrevivência de companhias em diversos setores.

Resistir à transformação digital, adiando o ingresso na nova economia, é mais do que um risco, é assinar a própria sentença. Empresas que tomam a decisão de se transformarem conquistam lucros e expandem suas atuações. É o que observamos na jornada dos nossos clientes que atuam em diferentes setores da economia.

Companhias que prestam serviços de forma tradicional, que não inovaram seus modelos de negócio, inserindo produtos e serviços digitais para aprimorar a experiência do usuário, simplificando e agilizando operações, estão à beira do obsoletismo implacável. O mercado está em franca transformação. Não há como adiar essa decisão, sob pena de perder o próprio negócio. Resistir, certamente, não é uma boa estratégia.

Basta pensar na gama de produtos e serviços que até bem pouco tempo não existiam, que mudaram hábitos e modelos de negócios. Ou o contrário? É a economia digital, inevitável, inadiável e borbulhante. Mas não podemos nos enganar. O negócio digital exige mudanças contínuas. O ontem vira história e o futuro é agora.

A vida média dos modelos de negócio está a cada dia mais curta e, ainda que consideremos impossível, sempre há espaço para agregar valores disruptivos. É preciso estar pronto para suportar a “inovação da inovação” e nunca mais parar. Identificar e criar oportunidades a todo o tempo. Não resista.

Paulo Marcelo, CEO da Resource

Tags, , , , , , ,

Projeto da Resource gera economia de R$ 1,35 milhão para o governo da Bahia

Nos nove primeiros meses de 2017, o governo do Estado da Bahia economizou R$ 1,35 milhão em sua folha de pagamento graças à entrega da primeira etapa do projeto RH Bahia, desenvolvido e implementado pela Resource, uma das principais e mais bem-sucedidas multinacionais brasileiras de serviços de TI e Integração Digital. O montante representa uma redução mensal de 0,8% no valor bruto médio da folha de pagamento de oito empresas públicas e sociedades de economia do Estado onde o novo sistema foi implementado e que está em uso desde janeiro.

“A implantação é um exemplo claro de como estamos qualificando o gasto com pessoal de modo a viabilizar o investimento em políticas de gestão de pessoal cada vez mais efetivas”, defende Edelvino Góes, Secretário de Administração do Estado, ao explicar que a redução nas despesas com a folha é consequência de um novo padrão de confiabilidade e precisão no processamento dos dados proporcionado pela nova tecnologia.

“O RH Bahia e a automatização dos processos têm nos proporcionado um novo padrão de confiabilidade, pois conseguimos identificar e corrigir muito mais rapidamente eventuais erros e inconsistências”, afirma Adriano Tambone, Superintendente de RH da Secretaria de Administração da Bahia. O executivo cita como exemplo a correção de registros que resultavam em ganhos indevidos de remuneração e falhas relacionadas ao cálculo do adicional por tempo de serviço. “Como cada autarquia tinha a sua própria metodologia, era comum encontrarmos informações equivocadas”, explica Tambone.

“Esse projeto possui diversas particularidades importantes. Para a Resource, significa um grande passo em sua atuação no setor público, para a SAP o pioneirismo da implementação do módulo HCM em um projeto dessa magnitude na área de Recursos Humanos e, para o governo da Bahia, representa o ineditismo da modernização desse setor”, afirma Marcus Piombo, Vice-Presidente de Operações da Resource. Outro diferencial apontado pelo executivo está relacionado às vantagens da automatização dos processos e à centralização na solução, que acaba liberando os servidores para atividades mais estratégicas. “A integração em uma mesma ferramenta gera agilidade e transparência a todas as áreas de atuação da política de Recursos Humanos do Estado, beneficiando diretamente a gestão do gasto público”, diz Piombo.

RH Bahia

O projeto, pioneiro na administração pública brasileira, moderniza a gestão de Recursos Humanos do Estado por meio do módulo Human Capital Management (HCM) do SAP e é uma iniciativa da Secretaria de Administração do Estado da Bahia (Saeb) em parceria com a Companhia de Processamento de Dados do Estado (Prodeb).

A próxima etapa do projeto abrange todos os órgãos da administração pública, autarquias e fundações, com o RH Bahia operando em 417 municípios e em 31 mil locais de trabalho, auxiliando 270 mil servidores de todo o Estado. A estimativa do governo da Bahia é gerar uma redução na folha de pagamento de aproximadamente R$ 7 milhões ao mês – cerca de R$ 90 milhões ao ano. A iniciativa tem como objetivo ainda eliminar o uso do papel em mais de 90% das ações, o que representa uma economia de R$ 4,5 milhões.

Além da qualificação do gasto com pessoal, o RH Bahia trará diversos outros benefícios para a administração pública. Mais de 90% dos processos serão automatizados, o governo baiano contará com mais rapidez para acesso a informações gerenciais, aprimoramento da gestão dos servidores etc. O software permite ainda acesso on-line facilitado a busca e envio de informações, vantagens e benefícios. “A população está cada vez mais exigente em relação aos serviços prestados por órgãos públicos. Investimentos em soluções de tecnologia apresentam-se como excelentes alternativas e é isso que estamos implementando no Governo da Bahia”, completa o Vice-Presidente de Operações da Resource.

Dada a importância e magnitude do projeto – para garantir a implantação do sistema em 53 órgãos, autarquias e fundações do Estado –, uma equipe composta por 100 profissionais atua diretamente em seu desenvolvimento e implementação. A rotina envolve desde o esforço em desenhar, configurar e desenvolver os processos de RH do Estado para customização do SAP até mobilizações e treinamentos para os servidores se familiarizarem com a nova tecnologia.

Tags, , , , , , , ,

Resource anuncia Alessandro Porro como novo CFO

A Resource, uma das principais e mais bem-sucedidas multinacionais brasileiras de serviços de TI e Integração Digital, anuncia a contratação de Alessandro Porro como novo CFO (Chief Financial Officer). Com mais de 25 anos de experiência nas áreas de Finanças e Operações, o executivo chega com a responsabilidade de apoiar a expansão da companhia prevista no seu Plano Global de Crescimento que envolve o fortalecimento de sua governança, capitalização e novos investimentos para um futuro IPO.

“Elenco dois grandes motivos que me fizeram aceitar esse desafio. O primeiro deles é o momento atual vivido pela Resource, caracterizado pela aceleração do crescimento, tanto orgânico quanto inorgânico. O segundo está relacionado à excelência dos profissionais que trabalham aqui, um time altamente capacitado e comprometido com as metas de expansão da companhia”, afirma o novo CFO, que possui ampla vivência com processos de M&A (Mergers and Aquisitions) de empresas de diversos portes, melhorias de ambiente de governança e compliance, além de processos de reestruturação de capital.

Alessandro Porro é formado em Engenharia de Produção pela Universidade de São Paulo (USP), com pós-graduação em Finanças pela Fundação Getulio Vargas (FGV). O executivo possui ainda MBA internacional pela Fundação Instituto de Administração (FIA), cursos de especialização pelo Instituto Europeu de Administração de Empresas (INSEAD) e certificação pelo Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC). Antes de assumir como novo CFO da Resource, Porro ocupou cargos de liderança nas empresas Atento, Capgemini, TecBan e Oracle.

Tags, , ,

Resource apresenta cases de inovação no SAP Forum 2017

A Resource, uma das principais e mais bem-sucedidas multinacionais brasileiras de serviços de TI e Integração Digital, anuncia a apresentação de projetos de inovação durante sua participação na 21ª edição do SAP Forum, maior evento da fornecedora alemã de software na América Latina e que acontece nos dias 12 e 13 de setembro no Transamérica Expo Center, em São Paulo.

“Somos uma das maiores parceiras da SAP no Brasil, com mais de 450 projetos desenvolvidos para diversas companhias de médio e grande porte, de todos os segmentos. Nossa expectativa para o evento é bastante positiva, pois vamos apresentar nossa expertise para um público altamente qualificado. O tema de muitas das palestras deste ano é a Jornada de Transformação Digital, que tem total sinergia com nosso posicionamento de mercado”, afirma Jorge Sellmer, vice-presidente de Enterprise Application da Resource. Ainda segundo o executivo, um dos diferenciais da Resource é o trabalho de consultoria prévia, realizado para entender as necessidades de seus clientes. “Com olhar estratégico, garantimos a plena e perfeita integração de todos os sistemas com a plataforma da SAP.”

Nesta edição do SAP Forum, a Resource apresentará quatro cases de sucesso de projetos desenvolvidos para o Aché Laboratórios, Nokia, Sanofi e COPEL. Além disso, a companhia terá em seu estande dois totens demonstrativos com produtos como SAP BPC, Success Factors,Robotic Process Automation (RPA), SAP LIMS, SAP Work manager, SAP S/4HANA e SAP Leonardo. “Para nós, o cliente está no centro da transformação digital. Com as soluções que serão exibidas, queremos gerar experiência nas aplicações e reforçar a diretriz da nossa marca”, diz Sellmer.

RH Bahia em destaque

Vale destacar ainda a apresentação que será realizada pela equipe da Secretaria de Administração do Estado da Bahia (Saeb) sobre o case RH Bahia, um dos maiores e mais importantes já realizado pela Resource. Trata-se de um projeto que automatiza em mais de 90% os processos de Recursos Humanos nas empresas públicas e sociedades de economia mista do Governo do Estado da Bahia, trazendo mais agilidade, segurança e transparência para aproximadamente 250 mil servidores públicos. A Resource está implementando o módulo HCM (Human Capital Management) da SAP na Saeb, em parceria com a Companhia de Processamento de Dados do Estado (PRODEB). Para a administração pública, a solução facilitará o acompanhamento da vida funcional do servidor em relação a admissões, promoções, capacitação e processo de aposentadoria – que será encurtado dos atuais 90 para 15 dias. Além disso, a novidade possibilitará a diminuição de eventuais divergências de recebimento de pagamentos. O RH Bahia promete ainda eliminar o uso do papel em mais de 90% das ações, o que representa uma economia de R$ 4,5 milhões. A apresentação será realizada na quarta-feira, 13, a partir das 12h na Plenária A – Inovação.

Veja a seguir a relação de palestras da Resource no SAP Forum 2017:

Aché Laboratórios: SAP LIMS – Um novo conceito de Gestão de Qualidade

Descrição: Resource apresenta case de sucesso na implantação do conceito SAP LIMS (Lab Information Management System) em uma grande indústria farmacêutica. O SAP LIMS consiste na implementação de funcionalidades avançadas do módulo SAP QM (Quality Management) e sua integração com demais sistemas, com o objetivo de automatizar os principais processos manuais e melhorar a gestão do controle de qualidade.

Dia: 12/09 (Terça-feira)

Horário: das 14h30 às 15h

Auditório: Campus Linhas de Negócio | Miniauditório 2B

Sanofi: Sustentabilidade, inovação e segurança com Folha PI

Descrição: Resource apresenta case de sucesso na implementação da Folha PI (Instrução Eletrônica de Processo) no processo produtivo de um dos maiores grupos farmacêuticos do mundo. Trata-se de uma solução que garante benefícios como a redução de papel circulante na fábrica, rastreabilidade do processo produtivo, eliminação de retrabalhos e aumento do nível da qualidade e segurança das informações.

Dia: 13/09 (Quarta-feira)

Horário: das 14h30 às 15h

Auditório: Campus Segmentos de Mercado | Miniauditório 1C

COPEL: Planejamento de compras e estoques para o setor público

Descrição: solucionar os desafios atuais de planejamento de materiais deixou de ser um problema para a Copel por meio da implementação do MRP. A solução entregou um serviço mais assertivo e que exige menos esforço dos usuários.

Dia: 13/09 (Quarta-feira)

Horário: das 16h45 às 17h15

Auditório: Campus Linhas de Negócio | Miniauditório 2B

Tags, , ,

Machine learning é trunfo estratégico para inovar

Por André Scatolini, Vice-Presidente de Infra Technologies & Solutions da Resource

Vivemos, nós profissionais, em constante pressão para nos superarmos a cada dia na área de tecnologia da informação (TI), que foi provocada de maneira irreversível e contundente pela movimentação implacável da transformação digital. O desafio é mais do que criar soluções inovadoras. É preciso desenvolvê-las em velocidade tal que se antecipem às expectativas dos clientes digitais.

Essa meta instigante fica um pouco mais clara diante da definição de transformação digital, da qual me aproprio da realizada pela consultoria global IDC: “É o processo contínuo pelo qual as organizações se adaptam a mudanças disruptivas ou as criam no seu ecossistema externo por meio de competências digitais. Seu objetivo é inovar com modelos de negócios, produtos e serviços que integram o digital e o físico de maneira transparente e ainda com experiências, de negócios e de clientes, que geram melhorias na eficiência operacional e organizacional”.

Assim, para ganharmos e, ao mesmo tempo, provermos aos clientes competências digitais é vital refinar nosso perfil, que necessita ter como valor agregado o conhecimento profundo das tecnologias emergentes para entender como elas podem transformar os negócios de empresas dos variados setores da economia. Mas o segredo, acredite, mora na certeza de que tecnologia hoje é um facilitador da visão que podemos ter e oferecer ao negócio do usuário – uma alavanca para a disrupção.

E na construção da minha visão de negócios, pegando carona, certamente, em casos de sucesso, estudos e troca de informações estratégicas, elegi machine learning (aprendizado de máquina) como trunfo estratégico para inovar. Isso porque os fatores que colocam em ebulição o crescimento de machine learning são a sua aplicação diversificada e a capacidade de aprender e resolver problemas da vida real a partir de dados.

Esse algoritmo machine learning é uma parte da Inteligência Artificial (AI, na sigla em inglês), que concede aos computadores a capacidade de aprender sem a necessidade de programação e de encontrar as ideias ocultas sem ser explicitamente programado para onde procurar.

Entender a linguagem, reconhecer padrões e aprender com a informação podem ajudar as empresas a enfrentarem desafios significativos e complexos. Esse recurso possibilita “ler” um texto, “ver” as imagens e “ouvir” o discurso natural. E sei que a evolução do machine learning com inteligência artificial não vai parar por aí. Não vou me surpreender, portanto, se, no futuro (talvez breve), a computação cognitiva seja capaz de aprender também a sentir, a tocar e a provar o gosto das coisas.

Aditivo para os negócios

A vantagem que machine learning proporciona às empresas é a capacidade de oferecer novos produtos, serviços diferenciados e personalizados, além de aumentar a eficácia e diminuir o custo dos produtos e serviços existentes. Permite ainda que a organização reinvente processos de negócios, de ponta a ponta, com inteligência digital.

O potencial é realmente significativo. Fabricantes de tecnologia estão investindo fortemente na adição da tecnologia em suas aplicações existentes e na criação de outras. Esse é o “caminho expresso” da inovação. Isso porque proporciona às empresas a vantagem de descobrir padrões e tendências de conjuntos de dados e automatizar análises realizadas tradicionalmente por pessoas, para aprender com as interações relacionadas a negócios e fornecer respostas baseadas em evidências.

Não por acaso, a IDC projeta que, até 2018, mais de 50% das equipes de desenvolvimento vão incorporar serviços cognitivos em seus aplicativos, gerando até 2020 uma economia de mais de US$ 60 bilhões. Ainda segundo projeções da consultoria, a adoção de sistemas cognitivos e inteligência artificial em diversas indústrias deverá gerar receita anual de US$ 47 bilhões em 2020.

As tecnologias cognitivas tornaram-se tão penetrantes que a maioria de nós a utilizamos sem perceber. Se você está navegando pela web, consultando relatórios meteorológicos para programar uma viagem, dirigindo um carro conectado e acessando informações, usando reconhecimento de fala em um smartphone, provavelmente está utilizando machine learning.

O aprendizado de máquina, portanto, é excelente solução para uma série entraves no desenvolvimento de produtos e serviços que antes eram inimagináveis. O recurso é capaz de viabilizar e tornar precisos e confiáveis projetos em que abordagens tradicionais apresentem falhas.

Alexander Linden, vice-presidente de Pesquisas do Gartner, disse: “Há dez anos, lutávamos para encontrar dez aplicativos de negócios baseados em machine learning. Agora, nos esforçamos para encontrar dez que não usam esse recurso”. Esse resultado é mais do que uma evolução ou inovação, é uma questão de visão de negócios despertada e possibilitada pela tecnologia.

Tags,

Resource abre vagas para profissionais de TI em São Paulo

A Resource, uma das principais e mais bem-sucedidas multinacionais brasileiras de serviços de TI e Integração Digital, anuncia que está com três vagas abertas para profissionais de TI em sua sede, localizada no CENESP (Centro Empresarial de São Paulo). As oportunidades são para atuar como Consultor Especializado em Salesforce.

Para concorrer ao cargo, é preciso ter no mínimo três anos de experiência em desenvolvimento de Software como Serviço (SaaS) para plataformas Sales Cloud, Service Cloud e Marketing Cloud. Serão consideradas diferenciais as certificações Salesforce Certified Administrator, Certified Platform App Builder e Certified Platform Developer I.

A Resource oferece todos os benefícios compatíveis com o mercado, além de proporcionar ao profissional selecionado a viabilidade de crescimento e experiência dentro de uma das maiores empresas de TI do Brasil. Os candidatos interessados devem cadastrar o currículo no site da companhia (http://www.resourceit.com/pt/vagas-ti/) ou enviar o documento diretamente para o e-mail recrutamentoeselecao@resource.com.br.

Tags,

7 pecados capitais da era digital – Por Paulo Marcelo, CEO da Resource

05 RSI Paulo Marcelo7

A Transformação Digital, embora muito divulgada, estudada e debatida, está em construção. A sociedade já é digital e as empresas ainda não. Por isso, merece todo o cuidado para que seja bem-sucedida. É muito importante contar com um parceiro que ajude o cliente a conduzir essa jornada de maneira assertiva, promovendo o engajamento de todos os colaboradores, com o comprometimento do board da empresa. O sucesso dessa transformação depende fundamentalmente das pessoas.
Dessa forma, o cliente dessa nova era, empoderado, contrata mais do que serviços ou soluções, ele quer resultados. E para que eles sejam atingidos, é preciso conhecer algumas armadilhas que podem comprometer o nível de excelência do digital. Listei a seguir sete entraves que devem ser evitados.

1- Não integrar a visão corporativa à estratégia digital

A construção da estratégia digital deve permear todas as áreas de negócio e integrar a estratégia da corporação. É preciso ter clareza sobre onde a empresa pretende chegar, desenhar uma jornada de Transformação Digital e integrar esse plano à visão da companhia. Todos devem unir esforços para uma ação conjunta com um objetivo comum: modernizar processos, produtos e serviços para colocar a corporação em linha com as atuais expectativas de clientes e parceiros. A transformação não acontece sozinha e visa fortalecer a competitividade e o posicionamento da empresa.

2- Não ter o comprometimento do CEO e do C-Level

Contar com o apoio do CEO na construção de uma estratégia digital não é mais o suficiente para o sucesso. É preciso contar com a sua liderança e o comprometimento efetivo do C-Level. É fundamental também priorizar e sustentar continuamente os investimentos, além de medir resultados. Somente dessa forma, a empresa será bem-sucedida na integração da sua cultura ao digital. CEO e C-Levels devem estar engajados na promoção do conhecimento aos seus colaboradores, participar ativamente de eventos que objetivam disseminar a nova cultura. Bons exemplos trazem incentivo e credibilidade.

3- Não contagiar as pessoas com a nova cultura

As mudanças na cultura da empresa para um modelo de evolução digital requerem a modernização de processos que muitas vezes esbarram em resistências. Portanto, é importante contagiar as pessoas com a cultura digital, mostrando todos os benefícios que esse novo modelo pode proporcionar no desenvolvimento de suas funções. Dessa forma, é possível evitar a formação de silos de evolução e estender a transformação para todas as áreas da empresa. A comunicação é essencial para garantir uma adesão consistente e ganhar a confiança de todos.

4- Não fortalecer as competências para a nova era

A transformação digital trouxe a necessidade de agregar novas competências para atingir os objetivos de negócios 4.0. Essa renovação não significa necessariamente uma ruptura com o modelo existente. A estratégia é unir todas as competências do time da casa, trazer novas, investir em talentos, preservando a essência da companhia. A execução de uma estratégia digital acontece por meio da motivação das pessoas, que usam a tecnologia para alcançar resultados com mais eficiência.

5- Não buscar o simples e cair na armadilha do complexo

Este é um dos maiores pecados em uma estratégia de transformação. Um dos protagonistas da era digital é a metodologia Ágil, que proporciona a realização de entregas rápidas, por meio do conceito de MVPs (Mínimo Produto Viável). Essa vantagem de poder aumentar a quantidade de novas versões disponibilizadas aos clientes permite que erros apareçam mais rapidamente e, ao mesmo tempo, sejam solucionados na mesma velocidade. Assim, é possível simplificar o desenvolvimento e acelerar ainda mais o compromisso com as entregas.

6- Adotar todo e qualquer tipo de tecnologia sem planejamento e avaliação de necessidades

Quando a decisão de construir uma estratégia digital é tomada, é preciso, primeiramente, avaliar o cenário atual e os principais objetivos que a empresa pretende atingir com as mudanças. A Transformação Digital não é um remédio para todas as dores do negócio. Definido o desenho da jornada digital, é hora de agregar as tecnologias que irão contribuir para o seu sucesso. Não se pode cair na armadilha de querer adotar todas as inovações que não estejam diretamente relacionadas com as necessidades de modernização dos negócios e, consequentemente, dos seus resultados.

7- Não eleger Agentes de Transformação Digital

Dependendo do porte e da atuação da empresa, é muito importante eleger Agentes da Transformação Digital, originados do time de C-Levels da companhia. Eles serão fortes aliados do CEO no compromisso de permear a nova cultura em toda a companhia e manter todas as pessoas informadas e engajadas. Os agentes devem trabalhar para que a Transformação Digital seja implementada em ciclos rápidos e cuidar para que os investimentos sejam constantes no digital. Dessa forma, o processo será consistente, contínuo, executado, aferido e controlado.

Tags,