Tag Renault do Brasil

Tecnologia da Informação da Renault se destaca com Programa de Inovação

Criatividade, inovação e economia: esse é o mote do Programa de Inovação (Inova) concebido pela Direção de Sistemas de Informação Américas (DSIA) da Renault do Brasil. Sempre atenta às necessidades de inovação e redução de custos, a área criou esse programa que tem por objetivo incentivar a inovação e a implementação de ideias que sejam aplicáveis nas mais diferentes áreas operacionais ou suporte e que agreguem valor à empresa e promovam reduções de custos. Desde que foi criado em 2013, gerou economias da ordem de mais de R$ 1,5 milhão por ano, o que significa um retorno superior a 10 vezes o custo anual do programa.

O programa foi criado com três objetivos principais: 1) Construir a Cultura da Inovação (com ambiente de trabalho adequado; processos bem definidos; preparação dos colaboradores para inovação); 2) Quebra de paradigmas (TI assume a condição de protagonista se antecipando a necessidade de negócio); 3) Gerar valor para o negócio Renault (inovação com resultado).

Impressora 3D

Em 2015, o foco principal foram os projetos que impactam diretamente a empresa. Dentre esses, vale destacar o “Bureau de Impressão 3D”, que passou a atender diferentes necessidades das áreas de negócio: a produção de protótipos dos projetos de engenharia, com redução de custos e tempo; a impressão de componentes para uso na linha de produção, como os bicos injetores que aplicam o mastic (massa de colagem e vedação dos para-brisas dos veículos) e algumas peças utilizadas no treinamento dos operadores da Escola de Destreza (treinamento obrigatório para colaboradores se adaptarem à linha de montagem).

A internalização da produção de bicos injetores, por exemplo, permitiu uma redução de custo de R$ 0,47 centavos por modelo fabricado. Cada bico injetor, feito no “Bureau de Impressão 3D”, leva 1h05 para ficar pronto. Desde o começo do ano cerca de 100 peças já foram prototipadas. A Renault estuda mais 2.000 peças que poderiam ser impressas tridimensionalmente na fábrica.

Programa de Inovação

O Programa de Inovação da DSIA é acessível aos colaboradores da área de TI através de uma plataforma interna, onde os participantes seguem orientações sobre como apresentar as ideias que deverão estar ligadas à qualidade do serviço prestado pela TI, ao retorno econômico ou à segurança da informação.

Para dar suporte ao programa também foi criado o “Innovation LAB”, um espaço de experimentação para os colaboradores. Todos têm acesso a diferentes tecnologias, materiais e suporte para testar e realizar as suas ideias. Neste sentido, periodicamente são promovidos workshops, eventos com fornecedores e parceiros em que as equipes entram em contato com novas tecnologias, equipamentos e processos inovadores.

O esforço da empresa em estabelecer um processo de inovação e a dedicação da equipe da TI em gerar resultados para o negócio, teve tamanho sucesso que neste ano o mercado reconheceu a Renault do Brasil como uma das 100 empresas mais inovadoras do país na categoria Indústria Automotiva e Autopeças.

Motivação

As ideias apresentadas pelos colaboradores geram pontos que, de acordo com os volumes acumulados, podem ser trocados por ingressos, participação em eventos nacionais, cursos de formação e até viagens para conhecer fábricas do grupo no exterior (França, Argentina e Colômbia).

Tags, , , , ,

Itaipu e Renault assinam acordo para desenvolver veículos elétricos no Brasil

Itaipu e Renault assinam acordo de cooperação tecnológica que prevê a montagem de 32 Twizys no Centro de Pesquisa Desenvolvimento e Montagem de Veículos Elétricos de Itaipu (CPDM-VE/IB), em Foz do Iguaçu (PR). Os veículos, vendidos pela Renault, chegarão ao País desmontados, em kits mecânicos, e servirão para uso restrito da Itaipu e instituições parceiras do Programa VE.

Os principais pontos do acordo contemplam estudos para a elevação gradual do índice de nacionalização dos componentes utilizados nos veículos elétricos da Renault e a preparação de subfornecedores de peças para o mercado regional.
A partir de agora, a Renault também passa a integrar oficialmente o time de parceiros do Programa Veículo Elétrico (VE), iniciativa liderada pela Itaipu Binacional e a empresa suíça Kraftwerke Oberhasli AG/KWO.

“O acordo com a Renault une grandes empresas, líderes em seus segmentos, que têm o desejo de desenvolver tecnologias limpas, que não agridem o meio ambiente com a emissão de gases poluentes”, afirmou Jorge Samek, diretor geral Brasil da Itaipu Binacional. “Tenho a convicção de que o veículo elétrico estará presente no futuro da mobilidade”, completou.

“A Aliança Renault-Nissan está investindo 4 bilhões de Euros no desenvolvimento dessa tecnologia. Acreditamos que o futuro da mobilidade passa, necessariamente, por veículos zero emissão”, afirmou Olivier Murguet, presidente da Renault do Brasil.

O chefe da Assessoria de Mobilidade Elétrica Sustentável de Itaipu, engenheiro Celso Novais, destacou que o acordo prevê estudos de nacionalização de componentes e a identificação de futuros fornecedores no Brasil e no Paraguai.

“Queremos aproveitar o grande know-how da Renault em veículos elétricos para ajudar a desenvolver um braço importante da cadeia produtiva, que é o segmento de subfornecedores de peças”, disse o engenheiro.

O documento foi assinado ontem, em São Paulo, pelos diretores gerais de Itaipu, Jorge Samek (Brasil) e James Spalding Hellmers (Paraguai), e pelo presidente da Renault do Brasil, Olivier Murguet.

No mercado internacional, a Renault já lançou os modelos elétricos Fluence ZE, top de linha; o comercial leve Kangoo ZE (cargo); o hatch Zoe; além do Twizy.

“Nós decidimos começar a parceria pelo Renault Twizy porque a montagem desse modelo é menos complexa. Apesar disso, é um carro que agrega muita tecnologia e inovação, sendo um autêntico city car, feito para duas pessoas. Assim, teremos menos dificuldade para a absorção da tecnologia”, acrescentou Celso Novais.

Na Europa, o Twizy compõe uma categoria especial de veículos, para uso exclusivo em cidades e rodovias de perímetro urbano. Os modelos não podem ser utilizados em rodovias expressas.

Tags, , , ,

Nova fábrica de veículos da Renault alcança a marca de 100 mil unidades produzidas

A nova Fábrica de Veículos de Passeio (CVP) da Renault do Brasil, inaugurada no dia 20 de março deste ano, alcançou hoje, com um modelo Renault Duster, a produção do veículo número 100.000. Essa conquista acontece apenas três meses após da retomada da produção da unidade, cuja atividade ficou paralisada por 8 semanas,a partir de dezembro de 2012, para ampliação da sua capacidade instalada.

Resultado de investimentos de R$ 500 milhões, que são parte de um plano total de R$ 1,5 bilhão previsto para o período 2010-2015, a ampliação da fábrica de automóveis- responsável pela produção dos modelos Duster, Sandero, SanderoStepway e Logan -elevou sua capacidade de produção de 220.000 para 320.000 unidades anuais. Ao todo, o Complexo Ayrton Senna (do qual faz parte também a fábrica de comerciais leves), teve sua capacidade ampliada de 280 para 380 mil veículos por ano.

“O desempenho da Renault está dentro das nossas previsões. A conquista desse volume reflete a retomada do nosso ritmo de produção e vendas, que devem continuar crescendo gradativamente”, ressalta Olivier Murguet, Presidente da Renault do Brasil.A Renault encerrou 2012 com 6,6% de participação de mercado e a meta é alcançar 8% até 2016.

Tags, , , ,