Tag programação

Kenzie Academy lança curso gratuito de Introdução à Programação

Com duração de 14 dias, Experiência Kenzie é 100% online, com suporte em tempo real e comunidade exclusiva aos participantes

A escola de programação Kenzie Academy promove, de 16 a 29 de novembro, o curso gratuito ‘Experiência Kenzie: Introdução à Programação com JavaScript’. O objetivo da escola é oferecer um primeiro contato com programação para quem quer começar do zero na área de tecnologia. 

O segmento de tecnologia terá mais de 3 milhões de novas vagas abertas até 2030, segundo a consultoria McKinsey. Além disso, os salários do segmento variam de R$ 4 a 15 mil. Quem participar do Experiência Kenzie, vai ter a oportunidade de iniciar uma jornada do zero, para a área mais promissora do mercado.

O curso introdutório será totalmente online e gratuito, com mais de 80 horas de conteúdo exclusivo, comunidade fechada para esclarecimento dúvidas e interação com outros participantes, lives diárias, demonstrações sobre o conteúdo e palestras sobre a carreira tech, além de suporte em tempo real do time de ensino da Kenzie, disponível das 9h às 18h.

Desenvolvida com o objetivo de tornar a navegação na internet mais rápida e fácil, Javascript foi a linguagem de programação escolhida para nortear o curso Experiência Kenzie de lógica de programação. Segundo ranking de recente pesquisa da empresa de análise SlashData, Javascript é a linguagem de programação mais popular no mundo (em 159 países, no terceiro trimestre de 2020), reforçando a relevância e a importância da mesma para o mercado de TI. 

“O curso terá aulas gravadas para que o interessado tenha flexibilidade de assistir quando puder, dentro do período do curso. Também vamos propor atividades e desafios na plataforma de ensino online, permitindo a realização prática de tudo o que for ensinado. Ao concluir as atividades, os participantes também terão direito a um certificado de participação gratuito”, explica Daniel Kriger, CEO da Kenzie Academy.

Vale destacar que o conteúdo do Experiência Kenzie não exige conhecimento prévio, nem formação em curso técnico ou de graduação. Também não é necessário ter anos de experiência na área de TI. Se a pessoa não sabe por onde começar, ou está trabalhando em uma área totalmente diferente, também consegue participar. 

“Nosso curso é interativo, com plantão de dúvidas para ajudar os participantes. Vamos oferecer lives sobre mercado e carreira, com especialistas do nosso time de Colocação e Sucesso do Aluno, para fornecer conteúdos, dicas e conselhos tanto para quem quer começar do zero na programação, quanto para quem pensa em uma transição de carreira”, explica o CEO.

Curso gratuito:

‘Experiência Kenzie: Introdução à Programação com Javascript’

Data: De 16 a 29 de novembro

Inscrições gratuitas com vagas limitadas: https://participe.kenzie.com.br/curso-javascript-16 

Tags, ,

Laboratória abre inscrições para formação de mulheres programadoras

Presente no Chile, México e Peru, a Laboratória, startup sem fins lucrativos que busca a inclusão de mulheres de baixa renda por meio da formação em programação front-end, abre inscrições para a segunda turma do curso. As interessadas não precisam ter experiência em tecnologia e precisam atender a requisitos básicos como: ser mulher, maior de 18 anos e ter estudado o ensino médio em instituições públicas ou privadas com bolsa por critério de renda.

São 60 vagas e as inscrições para o processo seletivo são realizadas online (selecao.laboratoria.la) até 30 de novembro. As fases de entrevistas e pré-admissão acontecerão entre os dias 05/11 e 05/12, e as aulas começarão em janeiro de 2019, em São Paulo. O programa de formação, ou Bootcamp, dura 6 meses, e prepara as 60 alunas para se tornarem programadoras Front-End, com aulas sobre JavaScript, HTML, CSS e UX, entre outras especializações. O programa é encerrado com o evento “Talent Fest”, quando as empresas parceiras dispostas a recrutar talentos propõem desafios reais para que as alunas resolvam.

De acordo com Regina Acher, sócia e diretora responsável pela Laboratória Brasil, o Brasil é um mercado importante para a startup, tanto pela alta demanda por profissionais de tecnologia, quanto pela necessidade de equilíbrio de gêneros. “Estamos muito satisfeitos com o trabalho que estamos realizando com a Laboratória por aqui. O Brasil é o maior mercado de tecnologia da América Latina, pois existe uma grande demanda por mão-de-obra capacitada e, ao mesmo tempo, uma profunda desigualdade de gênero nesse setor. As inscrições para a primeira turma nos mostraram o quanto estamos no caminho certo ao oferecer esse tipo de qualificação às mulheres”, explica Regina.

Fundada no Peru, a organização já formou mais de 850 programadoras, das quais 80% conseguiram trabalho na área de tecnologia, um segmento majoritariamente masculino. As alunas não pagam nada durante o curso e, depois de conseguirem um emprego, elas pagam uma contribuição para que outras mulheres possam ter a mesma oportunidade.

Para saber mais sobre a Laboratória: www.laboratoria.la/br

Inscrições: selecao.laboratoria.la

Tags, , , , ,

Grupo Movile promove primeira edição de evento sobre Kotlin

O grupo Movile, um dos líderes globais em marketplaces móveis, em parceria com o iFood e o iMasters, promove pela primeira vez, um evento dedicado à comunidade de programação Kotlin, uma das mais recentes e promissoras linguagens de programação. O evento acontecerá no dia 15 de setembro e será destinado a profissionais de tecnologia com conhecimento ou interesse na linguagem Kotlin. As inscrições já estão abertas no site do evento.

De acordo com o Realm Report, responsável por pesquisar quais são as linguagens que desenvolvedores do mundo inteiro usam, 2018 será “o ano de Kotlin”. Segundo o estudo, 20% dos apps construídos em Java antes da Google I/O 2017 são agora feitos na nova linguagem Kotlin. Esse é um dos motivos que incentivou o grupo Movile a olhar esse assunto com mais atenção, que está utilizando a linguagem há mais de dois anos.

“É muito estratégico para o grupo Movile promover o conhecimento dessa área, já que há mais de 2 anos usamos a linguagem. Além disso, o evento vai nos ajudar a nos aproximar de uma comunidade que está começando agora, nos posicionando como referência na área de tecnologia, com a apresentação dos melhores cases do mercado. Nosso grande objetivo é mudar a vida de 1 bilhão de pessoas, e iniciativas como essa com certeza nos ajudam a caminhar para esse propósito”, afirma Luciana Carvalho, Diretora de Gente.

Na programação, estarão oito palestras de profissionais renomados da área. Para mais informações sobre o evento, acesse: http://eventos.imasters.com.br/kotlinsummit/

Kotlin Summit

Onde: São Paulo – Developer HUB
Quando: 15 de Setembro
Horário: Das 9h às 18h;

Confira a programação completa de palestras do evento:

9h às 9h55 – Abertura do Credenciamento

10h – Kotlin: Advanced Tricks

Palestrante: Ubiratan Soares, Software Engineer, na Stone

10h40 – Dependency Injection com Kotlin

Palestrante: Thais Aquino, Desenvolvedora Android, na Luiza Labs

11h20 – Compartilhando código com Kotlin multiplataforma

Palestrante: Rafael Toledo, Consultor de Desenvolvimento Líder, ThoughtWorks

12h às 14h – Intervalo para Almoço

14h – Kotlin no Backend com Spring e Coroutines

Palestrante: Lucas Santos, Software Developer, no iFood

14h40 – Construindo sua biblioteca em Kotlin

Palestrante: Fernando Pinho, Software Engineer, na Globo.com

16h às 16h40 – Coffee Break & Networking

17h20 – Kotlin no Android: desbravando as oportunidades de ponta a ponta!

Palestrante: Walmyr Carvalho, Mobile Specialist, na Loggi

Tags, , , , ,

Curso incentiva mulheres a se tornarem programadoras

Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio, apenas 20% dos profissionais no mercado de TI são mulheres, enquanto dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep/MEC) indicam que somente 15% dos ingressantes nos cursos da área pertencem ao gênero feminino. Para diminuir essa disparidade, a Ironhack, global tech school que acaba de abrir o seu primeiro programa no Brasil, oferece bolsas de 10% para as mulheres que se matricularem nos seus cursos.

“Queremos incentivar uma maior participação feminina nesse mercado que, por razões socioculturais, ainda carrega o estigma de ser um setor masculino”, explica Mario Posadas, Gerente de Expansão da Ironhack no Brasil. A empresa têm um modelo de ensino conhecido como bootcamp, metodologia de aprendizagem imersiva baseada na ideia de “aprender fazendo”, por meio de cursos intensivos de treinamento para programadores e web designers.

O programa é voltado tanto para o profissional que quer mudar de carreira, quanto os que procuram se qualificar no setor da tecnologia da informação, formato que tem garantido também a rápida inserção feminina no setor de tecnologia. “Cerca de 85% dos que concluem o programa conseguem um novo emprego em até três meses. Isso torna a opção atraente para as profissionais que sempre quiseram trabalhar na área, mas não tinham coragem de dar este tipo de guinada ou se deixavam influenciar pelo estereótipo de ser um segmento de maioria masculina”, analisa Posadas.

Outro diferencial da escola de programação é o suporte dado à recolocação profissional. Além da preparação para entrevistas e elaboração do currículo, após a conclusão do curso, a escola promove uma Feira de Contratação ao longo de quatro dias, momento em que as próprias empresas vão até o Campus para conhecer e entrevistar os alunos. Entre as companhias, destaca-se a parceria global com Google, Rocket Internet, Boston Consulting Group, Twitter, VISA, entre outras.

A Ironhack inicia seu primeiro programa no país em 15 de outubro, com duração prevista de nove semanas. As inscrições já estão abertas no site oficial da escola: www.ironhack.com. O programa, full time, com aulas em português, tem carga de 40 horas semanais e todos os conhecimentos técnicos ensinados por professores experientes são testados em projetos.

Tags, , ,

Thomson Reuters realiza parceria inédita com a CoderDojo no Brasil para incentivar jovens na área de tecnologia

A Thomson Reuters, provedora líder mundial de informação e tecnologia, anuncia parceria inédita com a CoderDojo em Campinas, São Paulo. A CoderDojo é uma comunidade global de clubes de programação gratuitos dirigidos por voluntários, cujo principal intuito é oferecer aos jovens e crianças em todo o mundo acesso à tecnologia. O projeto incentiva e capacita jovens a serem criadores e inovadores digitais do futuro e já foi realizado em diversos países no mundo por meio da parceria global com a Thomson Reuters.

O projeto, inédito no Brasil, aconteceu em novembro deste ano na unidade de Campinas (SP), da Thomson Reuters, em parceria com a instituição Direito do Ser (associação beneficente que desenvolve e implementa programas socioeducativos), e reuniu crianças e adolescentes entre 9 e 17 anos para que eles pudessem explorar a tecnologia e aprender a codificar, desenvolver sites, aplicativos e jogos. Os jovens tiveram introdução à programação utilizando a ferramenta Scratch, em que puderam criar seus próprios jogos de forma criativa e simples.

“Foi emocionante para todos nós, principalmente quando as crianças apresentaram com orgulho suas criações. Além de podermos compartilhar um pouco do nosso conhecimento, também aprendemos muito com eles. Praticar o voluntariado é uma forma de compartilhar, ajudar e, principalmente, aprender com o outro”, comenta Flávia Roberta Di Favari, Coordenadora de Análise de Sistema da Thomson Reuters. Através das experiências realizadas em outras unidades da Thomson Reuters pelo mundo, Flávia, que também é membro do comitê de diversidade e inclusão da Thomson Reuters no Brasil, discutiu com grupos de outros países para trazer o projeto ao Brasil.

Segundo Andréa Ziravello Elias, Vice-Presidente de Recursos Humanos da Thomson Reuters, a companhia planeja dar continuidade à parceria, ampliando as sessões de CoderDojo em outras localidades. “Com o sucesso do primeiro projeto, planejamos realizar novas sessões em Campinas e em outras unidades da companhia no Brasil em 2018 para que possamos converter todo o nosso conhecimento e experiência em um futuro melhor para esses jovens e para nossa sociedade”.

A Thomson Reuters possui uma rede global de voluntários, liderados por colaboradores da companhia que impulsionam atividades e projetos locais, e já resultou em mais de 137 mil horas para organizações e causas de caridade em todo o mundo.

Tags, , , , , , ,

Campinas recebe Hackathon AGI#TECH

Se o seu lance é programar, agende-se para participar do AGI#TECH, Hackathon promovido por meio de uma parceria entre as empresas Agillitas, Sensedia e Visa, que acontece nos dias 26 e 27 de agosto, em Campinas (SP). Na ocasião, os candidatos terão 24 horas seguidas para desenvolver soluções inovadoras e criativas que contribuam para fomentar o uso do #TeenCard Agillitas, um cartão mesada pré-pago específico para a galera mais jovem. As inscrições podem ser feitas até o dia 14 de agosto, no site www.agillitas.com.br/agitech. As equipes que apresentarem as soluções mais inovadoras receberão os prêmios de R$ 12 mil para o primeiro lugar, R$ 5 mil para o segundo colocado e R$ 3 mil para o terceiro lugar.

Com a expertise no mercado em soluções de pagamento da Visa e serviços de emissão de cartões da Agillitas, somado ao conhecimento de estratégias de APIs da Sensedia, o Hackathon quer promover a criação de uma solução utilizando as APIs da Agillitas, disponíveis no Portal API Nucleus e as APIs da Visa, disponíveis no Visa Developer Platform. Para a criação das soluções os candidatos deverão usar pelo menos uma API de cada uma das empresas.

Segundo o Diretor de Produtos da Visa, Marcelo Sarralha, o trabalho em conjunto com a Agillitas perdurou alguns meses para que o emissor ofertasse seus serviços por meio de APIs para desenvolvedores externos. “Esse projeto faz parte de uma iniciativa da Visa no Brasil de desenvolver o futuro das tecnologias e inovação na indústria de pagamento ao possibilitar que os emissores abram suas APIs em um movimento conhecido mundialmente como inovação aberta”, conta Sarralha.

Processo seletivo

Participarão 8 equipes compostas por 4 a 5 pessoas. As inscrições estarão abertas de 27 de julho a 14 de Agosto e serão aceitas tanto equipes completas ou individuais. Para o segundo caso, as equipes serão formadas pela Comissão Organizadora, que, entre os dias 15 e 16 de Agosto, fará a avaliação e a seleção dos candidatos e equipes que participarão da maratona. Depois da seleção, os candidatos classificados deverão efetivar sua inscrição definitiva mediante o pagamento de R$ 50,00, que serão utilizados para carregar os cartões pré-pagos que os participantes ganharão, iguais aos que eles deverão fomentar o uso, durante o Hackathon.

Os protótipos

As soluções poderão ser construídas em qualquer plataforma, desde sistemas web, até aplicativos mobile para Android, iOS ou qualquer outro dispositivo. Ao final das 24 horas de programação, as equipes demonstrarão seus protótipos, apresentando utilidade, originalidade, inovação, experiência de uso, potencial de mercado e informações que julgarem necessárias.

Programação

Data: 26 e 27 de Agosto (final de semana)

Horário: Das 08h do dia 26 de agosto às 13h do dia 27

Local: Sensedia – Parque II do Polo de Alta Tecnologia, Campinas – SP, 13086-902

Tags, , , , , ,

Escola aposta em projeto inovador para alunos criarem aplicativos e robôs

64f48f6d-5420-4760-90fa-bd0339510180

A paixão por games e aplicativos caiu no gosto de crianças e adolescentes. Pensando nisso, um projeto educacional envolvendo o ensino de programação, a criação de aplicativos, sites e até mesmo a confecção de robôs, foi implantado em São José dos Campos.

Com o mercado tecnológico crescente a Ctrl+Play, escola de programação e robótica, que possui unidades espalhadas em várias cidades do Brasil, instalou a primeira franquia da rede na região do Vale do Paraíba e Litoral Norte. A unidade abriu as portas na segunda-feira (30).

A escola aposta em um projeto inovador para chamar a atenção de crianças e jovens entre 7 e 16 anos, oferecendo a eles a prática em laboratórios e para que se reinventem em cada experiência.

Segundo o responsável pela unidade em São José, Alison Bessa, a proposta é levar aos alunos uma plataforma educacional e propor entendimentos tecnológicos.

“Queremos que os alunos conheçam as lógicas de programação, pois ela ajudará a compreender e colaborar para as inovações digitais e vai estimular o raciocínio lógico e criatividade”, explica.

Estrutura

Com salas totalmente equipadas e computadores individuais, os alunos podem aprender de forma didática e fácil. Os professores usam algumas ferramentas criadas por insituições conhecidas como MIT (Massachussets Institute of Technology), Microsoft, Google, entre outras.

“São métodos interativos em que os estudantes vão aprender de forma divertida o conteúdo dos cursos”, destaca Alison Bessa.

Cursos

A unidade conta com ‘Code Kids’ voltado para crianças entre 7 e 9 anos. Os alunos do Code Kids entram em contato com ferramentas que estimulam o desenvolvimento da criatividade, do raciocínio lógico, inglês e muitas outras habilidades, criando jogos e robôs de uma maneira super divertida e didática.

No Curso Regular de Programação e Robótica, os alunos entre 10 e 16 anos aprendem sobre a criação de games, robótica, desenvolvimento de web, administração de servidores, entre outras atividades, utilizando ferramentas profissionais.

Há também cursos rápidos, como Minicraft, criação do próprio game e aplicativo, oficina de introdução à robótica, entre outros.

SERVIÇO

A Ctrl+Play de São José dos Campos fica localizada na avenida Barão do Rio Branco, 630, no Jardim Esplanada.

Outras informações podem ser obtidas pelo: www.ctrlplay.com.br/unidades/sao-jose-dos-campos-sp/

Tags, , , , , ,

Inovação e sustentabilidade são os alicerces do crescimento – Por Luciana Coen

Qual seria o impacto no ecossistema se as pessoas usassem um aplicativo que as ajudasse a economizar água em tempo real, por meio de alertas, com o objetivo de estimular o consumo consciente de recursos naturais? O projeto Aldiwa, de alunos da Feevale, é uma startup que faz exatamente isto.

E que tal um aplicativo com GPS em que as pessoas possam marcar lugares onde encontram animais perdidos ou de rua? Um sistema como este facilitaria o trabalho de associações protetoras e ONGs ligadas a resgate de animais e encaminhamento para adoção. Este projeto também já tem nome: Procurando Patas.

Estas e outras ideias, como o Projeto Brain ou o Doador Online, são exemplos de que não se inova sem se falar em sustentabilidade, seja no pilar ambiental, social ou financeiro. É uma questão de sobrevivência de negócios. Em qualquer plano estratégico deve-se levar em consideração os riscos que a companhia corre, seja do ponto de vista de pessoas (escassez de mão-de-obra especializada, poder de compra, disponibilidade de clientes?), seja do ponto de vista econômico (macroeconomia, riscos jurídicos?), ou do ponto de vista ambiental (risco de acidentes naturais, escassez de matéria-prima?).

Diante disso, fica claro que ao lado de estratégia de crescimento e go-to-market de qualquer companhia precisa caminhar a área de Sustentabilidade, pensando em soluções para reduzir o impacto de riscos de longo prazo e trazendo Inovação, como novas linhas de produtos ou novas regiões para ampliar o negócio.

Fomento ao empreendedorismo como forma de desenvolvimento do mercado é prioridade para uma companhia de software como a SAP. Um exemplo disso é o SAP Innomarathon, iniciativa da área de Responsabilidade Social do laboratório de desenvolvimento SAP Labs, na cidade de São Leopoldo, no Rio Grande do Sul, que tem como objetivo acelerar Empreendedores Sociais do país todo. O SAP Innomarathon é composto por 3 pilares: a ideia de um negócio social + uma aceleradora + SAP S/4 HANA e coaching de negócios. O evento nasceu ao lado de outra iniciativa da SAP, o SAP StartUp Focus, programa global de fomento à co-inovação, desenvolvimento de mercado em novas tecnologias (essencialmente SAP HANA), e novos negócios.

Nessa sua primeira edição, 20 startups sociais, das 54 registradas, mostraram seus trabalhos a uma banca de jurados formada por funcionários da SAP de diferentes áreas e profissionais de aceleradoras. As 20 receberam um trabalho de pré aceleração da Ventuir.

No dia do evento, cada uma delas teve 5 minutos (cravados no relógio) para fazer um pitch. A grande vencedora foi a EJR Robótica Educacional, que desenvolveu um divertido e lúdico robô, o Jabuti Edu, para ensinar programação de computadores para crianças a partir dos três anos de idade. Criado por meio de uma impressora 3D, e concebido para atender escolas da rede pública, ele realiza diversos movimentos e os comandos são feitos pela própria criança por meio de um celular via um servidor web.

A EJR recebeu como prêmio a doação de computadores, infraestrutura de hardware e um plano de continuidade SAP por meio de inovação e coaching. Mas os outros quatro finalistas também foram estimulados a continuar seus trabalhos: terão 6 meses de incubação na Unitec para consolidação do negócio.

Projetos incríveis como o da Aldiwa, Procurando Patas e Doador Online terão impacto enorme em suas áreas. Para a SAP, o mais importante é fomentar a economia, apoiando empreendedorismo social por meio de projetos como o SAP Inomarathon ou apoiando startups para desenvolvimento em conjunto. No longo prazo, todos saem ganhando, seja no aquecimento da economia, no ganho de market share e posicionamento para novas tecnologias (produtos, no caso da SAP), seja no fomento à inovação ou no benefício que novos empreendedores trazem. Ou — melhor ainda! — todas as alternativas juntas!

Luciana Coen é Diretora de Comunicação Integrada e Responsabilidade Social Corporativa da SAP Brasil

Tags, , , , , ,

Programa gratuito ensina programação e IoT para estudantes universitários

Você é estudante de tecnologia e curte programação? Então, fique atento, pois vem aí a segunda edição do Venturus4Tech, uma capacitação técnica que o Venturus Inovação & Tecnologia vai promover, gratuitamente, em julho, durante as férias universitárias. Em um ambiente inovador, e em uma sala de aula diferente, os alunos selecionados terão dias de muito aprendizado e desenvolvimento, com aulas sobre algumas das mais importantes tecnologias do mercado. Com módulos de desenvolvimento Android e iOS, os participantes serão introduzidos aos conceitos de programação que os levarão ao desenvolvimento de uma solução envolvendo tecnologias de internet das coisas e smart home. As incrições podem ser realizadas por meio do site (www.venturus4tech.com), até 18 de junho.

Podem se inscrever estudantes de cursos superiores a partir do segundo ano (3° semestre), das áreas de computação, análise de sistemas, tecnologia da informação ou qualquer outro que contemple disciplinas de desenvolvimento de software. O programa tem início dia 11 de julho e terá duração de três semanas, de segunda a sexta, com uma carga horária de 4h/dia na sede do Venturus, no Polo II de Alta Tecnologia, em Campinas (SP). A empresa disponibilizará transporte até o local. As inscrições são abertas para estudantes das universidades de Campinas e região.

“Ao reunir profissionais que estão no mercado criando inovação com estudantes motivados, o Venturus4Tech cria um espaço para troca de conhecimento e produção de novas ideias”, explica Marcelo Abreu, gerente de novos negócios do Venturus. “Trata-se de uma ótima oportunidade de complementar sua formação acadêmica com práticas e conceitos de progração para dispositivos móveis e, ainda, ter em seu portfólio um projeto de internet das coisas e casas conectadas”, complementa o gestor.

De acordo com alguns participantes da primeira edição, a oportunidade oferecida pelo Venturus4Tech é valiosa, “por apresentar conhecimentos de mercado e profissionalização que a universidade não transmite”. É o que acredita Victor Hugo Gome de Oliveira, aluno do curso de sistemas de informação da Unicamp. “Fiquei muito satisfeito. O aprendizado foi muito válido e nos deu uma boa base e estímulo para continuar os estudos”, acrescenta Tiago Anacleto e Silva, que cursa análise de sistemas na Metrocamp/IBMEC.

Confira abaixo mais detalhes sobre cada módulo:

Introdução iOS

Introdução ao Xcode
Framework de desenvolvimento de jogos Spritekit
Programação orientada a objetos com Swift 2.1
MVC e Delegate Patterns
Storyboard, Basic Navigation e Basic Autolayout
Framework UI kit
SpriteKit com Apple TV

Introdução Android

Construindo uma interface: views e layouts
Componentes básicos: activity, service e broadcast
Arquivos úteis
APIs úteis

Introdução IoT

Venturus4Tech

Quando: 11 a 29 de julho de 2016

Onde: Sede do Venturus, em Campinas

Inscrições: até 18 de junho (www.venturus4tech.com)

O resultado do processo seletivo será divulgado a partir do dia 24 de junho. As aulas têm início em 11 de julho

Tags, , ,

Microsoft lança campanha para incentivar jovens a aprender programação

A Microsoft lança no Brasil a campanha #EuPossoProgramar, que tem o objetivo de estimular o aprendizado da linguagem de programação entre jovens de 12 a 25 anos. O curso preparado para incentivar crianças e adolescentes a darem os primeiros passos no universo da tecnologia está disponível no site www.eupossoprogramar.com. O conteúdo foi desenvolvido em parceria com entidades como Code.org e OIJ (Organização Ibero-Americana da Juventude), entre outras.

Com a campanha #EuPossoProgramar, a Microsoft reafirma seu compromisso para que o aprendizado de programação e a capacitação na área de tecnologia sejam um caminho para milhares de jovens terem acesso a melhores oportunidades no futuro. A iniciativa é parte do YouthSpark, programa global de cidadania da Microsoft com foco na juventude.

De acordo com dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), a taxa de desemprego entre jovens brasileiros de 16 a 24 anos foi de 13,8% em agosto deste ano ante uma taxa de 5% entre a população geral do conjunto de seis regiões metropolitanas do país. A campanha #EuPossoProgramar ocorre também nos demais países da América Latina, onde 22 milhões de jovens não estudam e nem trabalham, segundo a OIT (Organização Internacional do Trabalho).

“Um dos principais objetivos da Microsoft é promover a programação como parte fundamental do currículo escolar e a integração da tecnologia ao processo educacional. Por essa razão, incluímos o tema na Agenda Final de Políticas para a Juventude Pós-2015, em um trabalho realizado com a OIJ”, diz Hernán Rincón, presidente da Microsoft para América Latina. “Estamos confiantes de que a linguagem do código em breve será parte do currículo de muitas escolas na América Latina, tornando possível um crescimento ainda maior da região “, afirma.

Para marcar o lançamento da campanha no Brasil, a Microsoft organiza hoje um evento com jovens de escolas públicas, privadas e ONGs parceiras. O encontro será na sede da empresa no país, em São Paulo, e contará com a presença de empreendedores como Vinicius Gracia, cofundador do aplicativo Easy Taxi, e Douglas Almeida, CEO do Stayfilm, rede social brasileira que cria filmes únicos e surpreendentes. Ambos contarão suas experiências com o aprendizado de programação.

“A iniciativa YouthSpark já atingiu no Brasil mais de 10 milhões de pessoas e foi responsável por transformar a vida de alguns jovens brasileiros. Queremos que essas histórias se multipliquem e que o aprendizado da linguagem de programação seja uma via para que mais crianças e adolescentes tenham um futuro melhor no país”, afirma Katia Gianone, diretora de comunicação e cidadania da Microsoft Brasil.

Qualquer jovem pode se beneficiar com o aprendizado de computação básica, independentemente da profissão que planeja seguir no futuro. A programação permeia hoje os mais diversos aspectos do dia a dia e, segundo especialistas, pode ser considerada a alfabetização do século 21. Aprender os princípios básicos de programação pode ajudar jovens a desenvolver habilidades de pensamento crítico, lógica e solução de problemas e, dessa maneira, se destacar em diversas áreas, incluindo o empreendedorismo.

Veja abaixo alguns dos principais benefícios ligados ao aprendizado de programação:

1.- Desenvolver habilidades para resolver problemas lógicos; estimula a criatividade e pensamento crítico, habilidades do século 21 necessárias em qualquer setor.

2.- Aumento das oportunidades de emprego. Atualmente, não há mão de obra suficiente para suprir a demanda no setor de tecnologia.

3.- Aumento da capacidade de adaptação ao estilo de vida atual. O mundo depende cada vez mais de tecnologia. Para atingir seu pleno potencial, os jovens precisam ter ampla compreensão de como a tecnologia funciona e de como fazê-la funcionar para eles.

4.- Faz com que o empreendedorismo se torne uma opção concreta. As grandes empresas têm surgido graças ao conhecimento da linguagem de programação. Os empreendedores são capazes de capitalizar seu conhecimento para a criação e o crescimento de seus negócios.

“Estamos muito animados com o fato de poder trabalhar com a Microsoft para derrubar os mitos sobre programação, um campo fundamental para todos os estudantes, seja qual for a carreira que desejam seguir. Sei que uma hora programando pode ser o suficiente para inspirar alunos a aprenderem mais, abrindo infinitas possibilidades para o resto de suas vidas”, disse Hadi Partovi, da Code.org. A entidade liderada por Partovi tem diversos outros cursos para quem quiser aprender mais sobre programação.

Fonte: Microsoft Brasil

Tags, , , , , , , , , ,