Tag Philips

Philips e Hospital Sírio-Libanês se unem em projeto de inteligência artificial para tratamento e diagnóstico de doenças crônicas

Uma iniciativa unindo a Philips, líder global em tecnologia de saúde, e o Hospital Sírio-Libanês, importante instituição de saúde com operações em São Paulo e Brasília, aprimorará os diagnósticos e tratamentos de pacientes com doenças crônicas por meio de processos de Inteligência Artificial. A Philips fornecerá a plataforma IntelliSpace Discovery, que oferece integração na gestão de dados, enquanto o hospital traz seu conhecimento clínico em terapêutica e medicina diagnóstica para a parceria. O acordo foi firmado pelo CEO da Philips América Latina, David Reveco, e Dr. Paulo Chapchap, diretor geral da Sociedade Beneficente de Senhoras Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo.

Esta cooperação fornecerá novos insights, tanto para médicos quanto para o desenvolvimento de soluções tecnológicas aplicadas à medicina, permitindo ampliar o tratamento de doenças crônicas e a oferta de novas formas terapêuticas para problemas crônicos de saúde.

Este projeto tem um papel importante, pois de forma abrangente proverá informações para os médicos do Sírio-Libanês, bem como para a comunidade médica, gerando insumos que poderão gerar novas formas terapêuticas para diversos casos clínicos ao redor do mundo.

“É um trabalho de conjunto entre a Philips e o Sírio-Libanês, que resultará em algo maior, não simplesmente uma parceria comercial. Visamos criar conhecimento e soluções para melhorar a vida dos pacientes. Além disso, a plataforma irá possibilitar tratamentos e diagnósticos mais assertivos”, declara David Reveco, CEO da Philips para a América Latina. “Por se tratar de uma instituição de saúde de grande renome da América Latina, essa parceria é muito importante para o desenvolvimento de novas soluções e tecnologias para a saúde e bem-estar dos pacientes da região”, completa Cesar Giannotti, diretor de soluções corporativas da Philips na América Latina.

A plataforma IntelliSpace Discovery (ISD) fornece ferramentas de pesquisa para que os médicos agreguem dados que poderão ser visualizados e gravados para “treinar” e validar algoritmos de aprendizado profundo, ou seja, que se desenvolvem cada vez mais com a inclusão de novos casos e avaliações. Com a aplicação de algoritmos, esta ferramenta entra no fluxo de trabalho e facilita o diagnóstico clínico em especialidades como a radiologia, a oncologia, a neurologia e a cardiologia.

“Unir conhecimentos entre o hospital e a Philips é um passo importante para acelerar o desenvolvimento de processos mais precisos no cuidado dos nossos pacientes, que é o foco principal do trabalho realizado pelo Sírio-Libanês”, diz Dr. Cesar Nomura, superintendente de Medicina Diagnóstica do Sírio-Libanês.

Na parceria, que faz parte do Programa Violeta do Hospital Sírio-Libanês, a Philips será responsável também por realizar treinamentos contínuos com os profissionais de saúde da instituição, além de proporcionar a possibilidade de estágios em unidades da companhia em todo o mundo e divulgar os resultados das atividades de pesquisa em conferências e feiras mundiais por meio dos colaboradores da Philips.

Em vista dos dados e número cada vez maior de pacientes, o impacto social da garantia da qualidade e do apoio à decisão nos cuidados clínicos foi reconhecido pela Philips como uma questão altamente relevante para a população brasileira. Portanto, a pesquisa proposta pelo Hospital Sírio-Libanês é uma excelente combinação para a visão e missão de ambas as empresas. Além disso, a Philips e o Hospital Sírio-Libanês consideram essa pesquisa benéfica em outras regiões geográficas do mundo. A participação nesta cooperação fornecerá novas ideias e permitirá avaliar tecnologias de ponta nos estágios iniciais, o que oferece a oportunidade de desenvolver novas aplicações e produtos no gerenciamento de pacientes.

Além da plataforma IntelliSpace, o hospital já conta com outras soluções da Philps como o Tasy (solução completa de informática em saúde que integra todas as áreas da instituição, conectando os pontos de cuidado dos pacientes e otimizando os processos) e CareStream, recentemente adquirida pela empresa e que oferece soluções de TI de formação de imagem em vários locais, provedores de serviços de radiologia, centros de imagem e clínicas médicas especializadas no mundo inteiro.

Tags, , ,

Sistema Tasy, da Philips, ajuda a BP – A Beneficência Portuguesa de São Paulo a conquistar certificado de excelência internacional

A BP – A Beneficência Portuguesa de São Paulo, um dos maiores polos de saúde privados da América Latina, atingiu o nível máximo de maturidade na adoção e utilização do prontuário eletrônico, que faz parte do sistema Tasy, desenvolvido pela Philips.

A conquista do estágio 7 da HIMSS (Healthcare Information and Management Systems Society) é para suas unidades de negócio Hospital BP e BP Mirante, incluindo a BP Medicina Diagnóstica. Após avaliação feita pela HIMSS, as unidades da BP passam a ser a 7ª e 8ª da América Latina a conquistar o título de instituição 100% digital.

O uso pleno do Prontuário Eletrônico do Paciente (PEP) por todos os setores dos hospitais possibilita integração e compartilhamento de informações clínicas e gestão de relatórios e indicadores clínico-assistenciais, mas quem realmente ganha com este processo é o paciente, com mais segurança e uma experiência diferenciada no atendimento.

De acordo com Lilian Quintal Hoffmann, diretora-executiva de Tecnologia e Operações da BP, à medida que se institui um processo de implementação de um sistema, a instituição revisa e adota práticas melhores para os processos, pois o próprio sistema induz a isso. “Ou você tira etapas porque foram automatizadas ou revisa etapas. Aqui na BP utilizamos o Tasy em toda sua potencialidade: para processos administrativos, para controle de projetos de investimento, para os processos de integração com parceiros, para a realização de exames, parceiros de plataformas de comercialização de OPME e também para todas as finalidades do ponto de vista assistencial”, comenta Lilian.

“Ser um hospital digital e receber o certificado nível 7 de adoção do protocolo EMRAM da HIMSS é ter a missão de colocar o paciente e a sua saúde em primeiro lugar. Ao utilizar barreiras, como por exemplo o circuito fechado de medicamentos e ferramentas de suporte à decisão clínica, a BP se concentra em evitar erros, ajudando o seu time na tomada de decisão”, destaca Letícia Baltazar, Diretora Comercial do Tasy no Brasil. “A BP colhe frutos de muito trabalho, comprometimento e dedicação de toda a equipe, nos orgulhamos desta parceria”, conclui Letícia.

Tags, , , ,

Philips anuncia mudanças na gestão e lançamentos de produtos na América Latina

A Royal Philips (NYSE: PHG, AEX: PHIA) continua consolidando sua posição na América Latina como empresa voltada para a tecnologia de saúde criando um impacto no setor de cuidados da saúde. Durante esta primeira metade do ano, a empresa deu continuidade ao seu processo de transformação como empresa na área da tecnologia da saúde, ou HealthTech, acompanhando as pessoas em sua trajetória de saúde desde a prevenção, a vida saudável, o diagnóstico, o tratamento e os cuidados em casa.

“A América Latina está passando por mudanças socioeconômicas importantes que estão impactando o setor de cuidados da saúde, onde se espera que os gastos com assistência médica aumentem 2,4% ao ano até 2020. Levando-se isso em consideração, continuamos nos dedicando fortemente a melhorar a saúde das pessoas por meio de inovações de impacto, ao nos convertermos em parceiros estratégicos dos prestadores de serviços de saúde e dos protagonistas do setor na região”, disse David Reveco Sotomayor, CEO da Philips na América Latina.

Como parte desta estratégia, a Philips anuncia a nomeação de:

Fabia Tetteroo-Bueno, como líder Regional Personal Health, Royal Philips na América Latina, concentrando-se nas inovações que melhoram o cuidado pessoal e em casa. Tetteroo-Bueno tem uma vasta experiência na organização com posições de liderança, sendo a mais recente como diretora do Mercado de Sistemas de Saúde, Marca e Comunicações. Antes disso, atuou como gerente-geral das Filipinas para a Philips, construindo uma ampla trajetória multinacional em mercados com grandes oportunidades de crescimento.

Mark Stoffels, como líder Regional Health Systems, Royal Philips na América Latina, que continuará incentivando o acesso e o uso de tecnologias e soluções de ponta em hospitais e clínicas dos sistemas de saúde da região. Nos últimos cinco anos, Stoffels atuou como diretor-geral da Royal Philips no México. Antes disso, trabalhou no desenvolvimento de estratégias de mercado e negócios na América Latina, ocupando vários cargos com diferentes experiências e cargos de liderança em diversas unidades de negócio para os mercados da Índia, China, Rússia e América Latina.

César López Moreno, como líder Regional da Unidade de Sleep and Respiratory Care, Royal Philips na América Latina. Possui 20 anos de experiência na área comercial em diferentes mercados. López Moreno está há mais de 11 anos na Philips, desempenhando funções estratégicas de marketing e vendas, principalmente no mercado da Península Ibérica (Espanha, Portugal, Andorra e Gibraltar). Em 2016, chegou à América Latina como Gerente de Marketing e negócios para a linha de SRC da Philips.

Durante este ano, e com vistas para o futuro, a Philips procura continuar maximizando o uso da tecnologia nos segmentos de Health Systems, Personal Health e SRC, que abrangem áreas essenciais do setor da saúde, incluindo cuidados para mães e recém-nascidos, cuidados respiratórios, cardiologia e oncologia. Globalmente, como parte de sua estratégia de crescimento, a empresa continua expandindo seu portfólio por meio de aquisições. Durante o segundo trimestre de 2017, a Philips adquiriu a Spectranetics e a CardioProlific, duas empresas norte-americanas, para reforçar sua liderança em soluções de terapia guiada por imagens. Também acrescentou à lista de aquisições a empresa Health & Parenting Ltd., líder no desenvolvimento de soluções móveis relacionadas à saúde, à família e aos futuros pais.

Entre as principais iniciativas que contribuíram, na primeira metade do ano, para o avanço da estratégia da Philips na América Latina, incluem-se:

Tecnologias para hospitais e clínicas – Tasy. Solução desenvolvida na América Latina que digitaliza os prontuários médicos e os processos administrativos em hospitais e clínicas, continua sua expansão global com a implantação no México, Europa e Oriente Médio. Recentemente, a solução foi adotada pela importante rede de clínicas e hospitais do México, o Sistema de Saúde CHRISTUS MUGUERZA. A solução Tasy permitiu obter um aumento de até 50% na rentabilidade e uma redução de 20% nos custos operacionais.

Equipamentos médicos de última geração – Azurion. A plataforma inovadora de terapia guiada foi lançada mundialmente e já está entrando no mercado latino-americano. O software permite otimizar a realização de procedimentos minimamente invasivos, oferecendo uma nova opção de tratamento para pacientes que não podem suportar uma cirurgia aberta, reduzindo também os tempos de recuperação.

Para atender à demanda por esse tipo de tecnologia na América Latina, a Philips também inaugurou no Brasil, no início do ano, uma nova fábrica de equipamentos médicos em Varginha, onde produz equipamentos de raios-x, ressonância magnética, tomografia e ultrassom.

Iniciativas que fortalecem a comunidade médica para melhorar a assistência médica – Conexão Saúde. A iniciativa seguiu sua trajetória na região, abrangendo do México à Argentina. Por meio dessa iniciativa, a Philips procura unir atores essenciais do setor médico, a fim de encontrar soluções inovadoras para melhorar a saúde materno-infantil na região.
Nesse contexto, a Philips também revelou o M.A.M.I (Móvel de Atendimento Materno Infantil) na Argentina, uma iniciativa que oferecerá às mulheres ultrassonografias obstétricas gratuitas e palestras educacionais sobre a importância e sobre os métodos de amamentação.

Conscientização sobre doenças crônicas. As doenças não transmissíveis agora constituem a maior parte da carga total de doenças nos países da América Latina e do Caribe. Doenças como a apneia do sono são subdiagnosticadas, razão pela qual a Philips procura conscientizar a população sobre os sintomas, além de proporcionar ferramentas para um diagnóstico preciso e um curso de tratamento adequado. Por exemplo, a empresa está habilitando o cuidado em casa por meio de soluções portáteis conectadas, permitindo que as pessoas continuem seu curso de tratamento fora do hospital.

Saúde pessoal e vida saudável Medidas preventivas por meio da adoção de hábitos saudáveis são essenciais para reduzir a incidência de doenças. Com isto em mente, a Philips continua introduzindo nos mercados da região soluções que permitem que as pessoas vivam de forma mais saudável. Uma ampla gama de aparelhos eletrodomésticos que permitem preparar receitas saudáveis e exclusivas, como os liquidificadores Viva e Duravita, o AirFryer e o Pasta Maker. A empresa também trabalha para oferecer à mãe e ao bebê os melhores produtos inovadores que garantam a saúde com sua linha Philips Avent. Além disso, este ano a Philips está apresentando sua linha de escovas de dente Sonicare, estimulando a adoção de uma melhor saúde oral.

Tags, , , , ,

Software de gestão brasileiro chega a hospitais da Europa e Oriente Médio

Com 20 anos de presença no mercado de saúde, o software brasileiro de gestão em saúde Tasy, adquirido pela Philips em 2010 e desenvolvido no Centro de Desenvolvimento da empresa, em Blumenau, se consolida no Brasil e mira voos ainda mais altos: o software está sendo exportado para instituições em países selecionados na Europa e no Oriente Médio.

O Tasy oferece a hospitais gerais e especializados, clínicas, operadoras de planos de saúde e bancos de sangue, entre outras instituições de saúde, a possibilidade de conectividade, traduzida na integração de sistemas. A implementação do software de gestão leva à automação que proporciona uma melhora expressiva no controle de processos, possibilitando maior eficiência, aumento de produtividade e também maior custo-benefício.

“A partir de 2015, a Philips implementou um novo modelo de atuação com foco na saúde. O Tasy faz parte da estratégia global da empresa de investir no cuidado contínuo da saúde, atuando em todas as fases da vida das pessoas, para conectar toda a cadeia do setor e melhorar a gestão e o cuidado da saúde”, diz Solange Plebani, gerente geral de EMR da Philips.

O software é responsável por um aumento de 62% no número de funcionários dedicado a ele no mundo nos últimos 3 anos. No Brasil, são cerca de 600 colaboradores divididos entre as áreas de Produto, Vendas, Desenvolvimento, Suporte e Implantação. Como resultado, o software está presente em mais 900 instituições brasileiras entre hospitais gerais e especializados, clínicas, bancos de sangue, entre outros.

Internacionalização

O processo de expansão internacional se iniciou em 2013, quando a empresa enviou um grupo de especialistas para o México, para conhecer o mercado e as instituições de saúde locais. A expansão para o país aconteceu de fato em 2014, com a implementação no Hospital San Javier.

O segundo país envolvido na internacionalização do software foi a Arábia Saudita, com o envio de um grupo de especialistas em produto e implantação. Segundo Solange Plebani, “o mercado saudita possui semelhanças com o mercado de saúde brasileiro, no entanto, há requisitos regulatórios e especificidades locais que precisam ser atendidas e para isso contamos com equipes dedicadas tanto na Arábia Saudita quanto no Brasil”. Além dele, a Alemanha conta com quatro funcionários exclusivamente dedicados ao software trabalhando localmente, enquanto a Índia conta com 40 especialistas da Philips.

Resultados para clientes: Hospital São Vicente de Paulo

No Hospital São Vicente de Paulo, localizado no Rio de Janeiro o Tasy contribuiu para a redução do nível de estoque em 35% e o aumento de faturamento em 30%. Na área financeira, com a implantação dos módulos de contas a pagar, contas a receber, tesouraria, contabilidade, fluxo de caixa, repasse a terceiros (honorários médicos), orçamento e custos, a organização obteve ganhos tanto no aspecto financeiro quanto no aspecto qualitativo da informação.

No encerramento do exercício de 2010, quando se iniciou a implantação do sistema Tasy, o hospital possuía um faturamento médio de R$ 8,7 milhões/mês e um recebimento médio de R$ 8,5 milhões mensais. Em menos de dois anos o HSVP já apresenta resultados financeiros expressivos, com um aumento no faturamento, em 2012, de 19,37% em relação ao ano de 2011 e um aumento de 13,76% nos recebimentos de convênios em relação ao mesmo período. O hospital é acreditado pela Joint Commission Internacional (JCI), a mais respeitada entidade independente de acreditação de unidades de saúde no mundo.

Hospital do Idoso Zilda Arns

Em Curitiba (PR), o Hospital do Idoso Zilda Arns adotou o Tasy para realizar o controle de faturamento de procedimentos passíveis de cobrança pelo SUS, alcançando um aumento de 80% em seu faturamento. “Aumentamos a conscientização entre os envolvidos nos processos da enfermagem, da farmácia, da importância da execução e atendimento correto das prescrições e solicitações, tanto do ponto de vista legal quanto econômico”, comenta Gustavo Justo Schulz, diretor de Atenção à Saúde, da Feaes, fundação que administra o hospital. Segundo ele, a eliminação de contas não faturadas somada à redução significativa no prazo médio de faturamento de 47 dias, em 2013, para 17 dias, em 2014, contabiliza resultados muito positivos ao hospital. O bom serviço prestado pelo hospital foi reconhecido com a certificação no estágio 6 pela HIMSS (Healthcare Information and Management Systems Society).

Hospital Encore

O Hospital Encore, em Aparecida de Goiânia (GO), obteve bons resultados financeiros e operacionais com a utilização do Tasy. Dentre as principais funções do software para a instituição estão: prontuário eletrônico, localização e redução de contas paradas e gestão de glosas hospitalares, eliminando cobranças incorretas feitas pelo hospital para os planos de saúde e que são recusadas total ou parcialmente.

“No primeiro ano de funcionamento pleno do Tasy nas várias “portas de entrada” do hospital, identificamos mais de 1 milhão de reais em contas paradas em diferentes setores do hospital, por motivos tão banais como uma justificativa de antibiótico ou mais significativos como guias de autorizações de materiais de alto custo”, destaca dr. Maurício Prudente, médico cardiologista intervencionista e CEO do Encore

“Por meio da função de retorno de convênios do Tasy, diminuímos em 60% o percentual de glosa, o que significa que se tínhamos uma glosa em torno de 12,5%, hoje temos um percentual em torno de 4,5%” completa Prudente. Além disso, antes da utilização do prontuário eletrônico, a localização de prontuários no arquivo morto demorava entre 2 e 5 dias, prazo que foi reduzido para um a dois minutos.

Tags, , , ,

Philips nomeia David Reveco Sotomayor como CEO para a América Latina

A Royal Philips (NYSE: PHG, AEX: PHIA) anunciou hoje a nomeação de David Reveco Sotomayor como CEO para a América Latina, cargo que ocupará a partir de 1º de abril de 2017. Reveco substituirá Henk de Jong, que assumiu a posição de Diretor de Mercados Internacionais e membro do Comitê Executivo da Philips.

Reveco, em seu cargo de liderança dos negócios na América Latina, será responsável pela estratégia latino-americana das divisões de Saúde Pessoal e Sistemas de Saúde. David ingressou na Philips em 2000, na área de Finanças, e ocupou vários cargos de liderança de responsabilidade crescente, a nível nacional e regional. Em seu cargo atual como líder de Saúde Pessoal na América Latina, ajudou a liderar a empresa por meio do crescimento sustentável e rentável em um ambiente de mercado dinâmico. Unindo esse cargo à gestão nacional dos negócios na Argentina, Reveco liderou e executou a estratégia da divisão de Tecnologia da Saúde na Argentina, por meio da entrega de serviços e tecnologias inovadoras na área da saúde, que engloba produtos e soluções para uma vida saudável, prevenção, diagnóstico, tratamento e cuidados domiciliares.

Natural do Chile, ele é formado em Ciências Contábeis pela Universidade de Santiago e tem MBA em Finanças Corporativas pela Universidade Gabriela Mistral.
Na posição de Diretor de Mercados Internacionais, Henk de Jong será responsável por promover o desenvolvimento dos negócios nos mercados internacionais da Philips, atuando em conjunto com líderes globais para assegurar a entrega das receitas de mercado e metas de lucratividade.

“Estou confiante de que David continuará a liderar a organização na América Latina em um caminho de crescimento constante”, disse de Jong. “Sua experiência e comprometimento contribuirão para avançar nossos esforços na consolidação de nossa liderança como uma empresa focada na saúde e no bem-estar na região”, acrescentou.

Tags, ,

Philips apresenta inovações de soluções de saúde digital baseadas em nuvem durante a CES 2017

Philips_Sonicare

Durante a CES 2017, que aconteceu de 5 a 8 de janeiro em Las Vegas, a Royal Philips (NYSE: PHG, AEX: PHIA) apresentou soluções e produtos de saúde inovadores e conectados, que permitem que os consumidores se envolvam com a gestão de sua saúde. Aproveitando-se da experiência da Philips com assistência médica profissional, análises avançadas e com o poder de computação da plataforma em nuvem HealthSuite, esses novos produtos e serviços conectados de saúde digital ilustram o compromisso da Philips com inovações significativas para todos os estágios da vida – desde o nascimento até a fase adulta e o envelhecimento saudável.

“As assistências médicas profissional e pessoal estão se fundindo com modelos tradicionais de cuidados médicos, que estão sendo constantemente desafiados. Agora, a tecnologia digital conectada é a chave para permitir que os consumidores cuidem da sua saúde e da saúde dos seus entes queridos”, disse Pieter Nota, diretora executiva dos negócios de saúde pessoal e diretora de marketing da Royal Philips. ” Na CES, a Philips está apresentando seu ecossistema de soluções conectadas nas áreas de saúde bucal, cuidados de mães e filhos, cuidados do sono e respiratórios, saúde do coração e monitoramento residencial, demonstrando a sua liderança no mundo da saúde digital”, completa.

Os novos serviços e produtos para a saúde do consumidor da Philips, fornecidos pela nuvem HealthSuite, permitem que os consumidores combinem seus dados de saúde e os use de maneira mais inteligente e significativa para apoiar um estilo de vida mais saudável, administrar as suas condições de saúde, conectar e compartilhar dados com os seus médicos.

Importantes inovações de produtos apresentadas na CES 2017:

Plataforma de educação digital Avent uGrow[1] da Philips – feita para ajudar os novos pais a entender e apoiar o desenvolvimento saudável do seu bebê, o aplicativo uGrow se conecta sem fio ao monitor de bebê Avent da Philips e ao termômetro inteligente para ouvido. Ele também compara dados inseridos manualmente, tais como padrões de alimentação e sono. Reconhecendo que cada bebê é único, o ecossistema uGrow cria um ambiente altamente personalizado de apoio em torno dos bebês e dos seus pais, com o aplicativo interativo que fornece artigos com base em uma visão de um painel de especialistas em aleitamento materno, sono e psicologia do desenvolvimento. A integração planejada dos novos dispositivos da Philips ao uGrow incluem a capa de mamadeira inteligente da Philips, que monitora a temperatura do leite e o volume consumido, um purificador de ar conectado para monitorar a qualidade do ar e o sistema de iluminação com Hue, que cria um ambiente calmo e relaxante. Em breve, inserir dados e informações de monitoramento no uGrow será mais fácil, com a ativação de voz Amazon Echo.

O Avent UGrow da Philips foi selecionado como um Homenageado do prêmio de inovação da CES 2017 na categoria de produto “Tecnologia para um mundo melhor”.

Tecnologia CPAP portátil DreamStation Go da Philips – Compacto, leve e pequeno o suficiente ser transportado em uma mala de mão ou em uma maleta, o DreamStation Go da Philips, que será lançado em breve, significa que os usuários nunca terão que perder a terapia de CPAP (pressão positiva contínua da via aérea) ao viajar. Uma bateria recarregável opcional permite a utilização em locais com poucos recursos durante uma viagem de aventura, tal como caminhadas, pescas e acampamentos. O dispositivo foi feito para uma fácil triagem ao passar pela segurança do aeroporto. Seguindo a tradição da Philips de tornar a terapia de CPAP mais confortável, discreta e fácil de utilizar, o DreamStation Go possui um microtubo flexível, um design moderno e elegante, e uma interface de usuário. Como outras soluções de CPAP da Philips, ele se conecta sem fio ao aplicativo móvel DreamMapper da Philips, que fornece relatórios diários do progresso, monitoramento de metas, dicas e lembretes aos usuários para ajudá-los a manter a terapia. Como líder global em soluções de terapia do sono, a Philips tem uma longa história de inovação em dispositivos e soluções de informática para ajudar as pessoas a melhorar o sono e, principalmente, a viver uma vida mais saudável.

Programa de saúde do coração Philips – o programa de saúde do coração Philips é um programa de mudança de comportamento baseado em aplicativos, que visa reduzir os fatores de risco induzidos pelo estilo de vida para doenças cardiovasculares em adultos. Ele oferece um plano personalizado aos usuários, com base em orientações médicas e no seu perfil de saúde, que os orienta a aumentar os seus níveis de atividade física, adotar uma dieta saudável, conseguir dormir melhor, reconhecer os causadores de estresse e alcançar um peso saudável. Medições clinicamente validadas de um ecossistema de dispositivos de saúde conectados de classe médica, como o relógio de saúde da Philips, ajudam os usuários em suas tomadas de decisão diárias. A orientação do estilo de vida e a mudança de comportamento passo a passo, baseadas em psicologia, os mantêm motivados e comprometidos com a sua jornada de saúde do coração.

Plataforma de administração digital da higiene bucal Philips – com a introdução da nova escova de dentes conectada Sonicare FlexCare Platinum da Philips e do sistema de cuidados da respiração Sonicare da Philips, a Philips oferece serviços e tecnologias conectadas exclusivas para inspirar e capacitar as pessoas a cuidarem melhor da sua saúde bucal em uma única plataforma. A escova de dentes conectada Sonicare FlexCare Platinum da Philips usa uma tecnologia exclusiva com sensores inteligentes dentro da escova de dentes e orientações personalizadas que ajudam a melhorar a técnica de escovação, enquanto o sistema de cuidados da respiração Sonicare da Philips, que possui o nosso novo analisador de respiração conectado, mede, monitora e ajuda os usuários a melhorar a sua qualidade de respiração e hábitos de higiene bucal. Ambos os produtos sincronizam perfeitamente com o aplicativo Sonicare da Philips, fornecendo dados e orientações aos usuários que os capacitam a administrar e melhorar a sua saúde bucal de forma proativa. O aplicativo Sonicare da Philips é, agora, um ‘centro virtual’ para a saúde bucal pessoal, que permite que os usuários administrem a sua qualidade de escovação e respiração diariamente, compartilhem resultados com os seus dentistas e tenham orientação e assessoria personalizadas nas pontas dos seus dedos.

A escova de dentes conectada Sonicare Flexcare Platinum da Philips foi selecionada como uma Homenageada do prêmio de inovação da CES 2017 na categoria de produto “Fitness, esportes e biotecnologia”.

Além disso, a Daimler e a Philips fizeram uma parceria estratégica com relação ao projeto “Mercedes-Benz Fit & Healthy” para fornecer informações essenciais aos motoristas sobre a sua saúde – dentro do carro e muito mais. O relógio de saúde da Philips permite que os motoristas monitorem os seus principais indicadores de saúde, tais como a frequência cardíaca. Esse recurso de segurança e saúde in-car[2] eleva o nível de monitoramento contínuo da saúde, ou seja, as pessoas podem revisar os seus dados e ajustar a sua forma de dirigir, se necessário – por exemplo, fazer uma pausa, se um nível de estresse for detectado. Isso poderia transformar o carro no maior dispositivo de mobilidade e bem-estar. Como líderes mundiais no monitoramento da saúde, a Philips entende o poder da informação para melhorar os hábitos e os resultados da saúde. Pegamos essa mistura de tecnologia, experiência e precisão de classe médica e a aplicamos em programas de saúde pessoal da Philips, dando aos usuários as informações necessárias para administrar a sua saúde, onde quer que estejam.

Além de inovações nas áreas de produto destacadas acima, outras inovações apresentadas pela Philips na CES 2017 deste ano incluem soluções de monitoramento residencial avançadas, que permitem que as pessoas morem de forma independente em suas casas, e novos eletrodomésticos conectados.

Tags, , ,

Philips apresenta software de modelamento de órgãos durante Congresso Brasileiro de Cardiologia

A Philips apresentará durante o 71º Congresso Brasileiro de Cardiologia, que acontecem em Fortaleza nos dias 23 a 25 de setembro, o novo software da linha de ultrassom premium EPIQ, chamado Heart Model.

O software Heart Model se baseia em modelamento de órgãos para produzir visualizações 3D do coração em procedimentos cardíacos sem a necessidade de interação do usuário. Além disso, a tecnologia gera medições volumétricas totalmente automatizadas de Ventrículo Esquerdo e Átrio Esquerdo, além de ejeção 3D. O resultado são imagens mais claras e consistentes, além de cálculos mais rápidos e confiáveis. Para mais informações sobre o Heart Model, clique aqui.

Durante o evento, os participantes poderão conhecer o Heart Model e demais soluções da Philips como os equipamentos de ultrassom das linhas EPIQ, Affiniti, CX50 e ClearVue.

DESTAQUES 71º Congresso Brasileiro de Cardiologia – 2016

EPIQ 5 E 7
Equipamento de Ultrassonografia Premium de última geração, que oferece alta resolução de imagem e velocidade de aquisição, por meio de sua exclusiva arquitetura nSIGHT, que combina um beamformer de precisão com processamento paralelo massivo proporcionando diagnósticos mais confiáveis. O EPIQ também possui Inteligência Anatômica para a realização de exames de maneira mais fácil, reprodutível e com novas informações clínicas, com quantificações totalmente automatizadas e rápidas. Além disso, possui tecnologia 3D cardíaco transtoráxico e transesofágico e sua ergonomia equipamento foi completamente reinventada, proporcionando uma experiência única ao usuário ao oferecer navegação em tela de toque similar à de um tablet, com poucos botões no painel de controle, equipamento leve, moderno e com ampla movimentação.

AFFINITI 50 E 70
A linha foi desenvolvida para integrar eficiência e confiabilidade, com a tradicional qualidade de imagens e durabilidade de ultrassons Philips. Affiniti inova o mercado com nível superior de qualidade de imagem, migração de novas aplicações clínicas e o que há de mais atual em facilidade de uso. Possui portabilidade para exames em leitos com reinício de funcionamento em 20 segundos (mobilidade) e apenas 83kg, o mais leve da categoria. O produto tem tela sensível ao toque e padrão Tablet de 12”, além de ser considerado um produto verde que consome menos energia que uma torradeira elétrica – 60% a menos se comparado a outros ultrassons da mesma categoria.

ClearVue 850, 650 e 350
A linha ClearVue traz recursos clínicos aprimorados que aumentam a confiança diagnóstica, aliada ao conforto, ergonomia e simplicidade. Robusto e versátil, o CV850 possui a tecnologia FloVue que possibilita a visualização de todo o fluxo sanguíneo em modo bidimensional, ou seja, enxergar cada hemácia individualmente se movendo nos vasos sanguíneos. Além disso, os equipamentos aumentam o fluxo de trabalho nas instituições de saúde, clínicas e hospitais.

CX50
Projetado para atender às necessidades dos cardiologistas que precisam de dados para diagnósticos mais claros ao lado do leito, o equipamento combina a qualidade de imagem esperada de um sistema completo tradicional, com tecnologia 3D transesofágico cardíaco, e a praticidade da portabilidade. O CX50 CompactXtreme utiliza o revolucionário transdutor Philips PureWave, que, clinicamente comprovado, melhora a penetração das ondas em pacientes cujas imagens são difíceis de obter e diminui a distorção para que os médicos possam ver estruturas menores com excelente nível de detalhes. Ele também apresenta o processamento de imagens adaptado Philips XRES destinado a reduzir manchas e melhorar nódoas características de exames por ultra-som. Dessa forma, as imagens estão praticamente livres de ruídos e têm claridade extraordinária, além de uma melhor definição.

Serviço – Philips no 71º Congresso Brasileiro de Cardiologia – 2016

Local: Centro de Eventos do Ceará, Fortaleza – Ceará
Endereço: Av. Washington Soares, 999 – Bairro Edson Queiroz – Fortaleza – CE
Data: 23 a 25 de setembro de 2016 (sexta-feira a domingo)

Tags, , ,

Pesquisa da Philips aponta tecnologia como condutora de transformação dos sistemas de saúde na América Latina

O cuidado com a saúde é um dos principais desafios dos países da América Latina e, segundo o Future Health Index (FHI), estudo feito pela Philips para avaliar o status da preparação dos mercados para o cuidado da saúde, a solução dos problemas passa pela adoção e integração de tecnologias conectadas de saúde. A pesquisa destaca ainda que os países emergentes lideram a adoção dessas tecnologias, no entanto, o baixo preparo e qualificação posicionam o Brasil no penúltimo lugar entre os 13 países pesquisados em nível mundial. “ É encorajador ver que muitos países apresentam forte disposição para adotar tecnologias digitais conectadas, o que acabará por conduzir as transformações na área da saúde. O FHI fornece informações valiosas para os pacientes, profissionais de saúde e legisladores sobre onde a atenção precisa estar focada no aumento dos níveis de acesso, integração e adoção de tecnologias da saúde para melhorar os resultados de saúde e a experiência do paciente”, diz Frans van Houten, CEO da Royal Philips.

De acordo com este estudo, a tecnologia continua sendo uma questão geracional, tanto para pacientes, como para médicos. Mais da metade (57%) dos pacientes de 18 a 34 anos relataram ter um dispositivo de monitoramento da saúde, sendo que somente 25% deles tem conhecimento sobre aparelhos de saúde conectados, versus somente 14% daqueles de 55 anos ou mais. No Brasil, o custo de dispositivos de saúde conectados é considerado uma barreira entre os pacientes (45%) e profissionais de saúde (56%), assim como a burocracia do sistema de saúde para 42% dos pacientes e 39% dos profissionais de saúde.

Além disso, a pesquisa revela que apesar da proliferação de dados, o compartilhamento de dados ainda é um desafio a ser superado. Apesar dos progressos em relação aos registros médicos universais em alguns mercados, a grande maioria dos pacientes (74%) relata ter de repetir a mesma informação para vários profissionais de saúde, e a maioria (60%) também teve de repetir os mesmos exames. Enquanto isso, apesar de mais da metade (60%) dos pacientes possuir ou utilizar um dispositivo conectado para monitorar vários indicadores de saúde, apenas um terço dos pacientes (33%) já compartilhou essa informação com o seu médico.

“A América Latina também foi afetada pela quarta revolução industrial, a qual surge do crescimento do Big Data. Apenas nos dois últimos anos, foi gerado 90% de todos os dados da atualidade em nível mundial. Isto tem importantes implicações para o setor da saúde”, comentou Henk de Jong, CEO da Philips América Latina. “Contudo, nosso foco consiste em integrar soluções através de todo o cuidado continuo da saúde para proporcionar melhor acesso e cuidados aos pacientes, reduzir os custos de saúde, e facilitar o cuidado personalizado”, completa.

Atualmente, há mais de 275 milhões de pacientes internados sendo monitorados com equipamentos da Philips por ano. Cerca de bilhões de pessoas em mercados emergentes têm acesso às soluções de imagens de diagnóstico da Philips e a empresa administra 18 peta bytes de dados de imagens para fornecedores da saúde.

Tags, , , , ,

Philips anuncia novo diretor da área de Tecnologia da Informação em Saúde para a América Latina

A Philips, empresa líder em inovação para saúde e bem-estar, anuncia Evandro Garcia como novo diretor de Vendas, Marketing e Serviços da área de Tecnologia da Informação em Saúde para a América Latina. O executivo já liderava a área de Serviços da Philips e assume o desafio de liderar as estratégias de expansão das soluções em Healthcare IT, como o software de gestão em saúde Tasy, e de garantir a qualidade da oferta de serviços e soluções para a base de clientes da empresa na região.

Com 15 anos de experiência profissional, desenvolveu sua carreira em posições de liderança de hospitais e serviços na área de saúde, como Unimed Maringá, GP Investimentos, First Line e Grupo Sobam.

A missão da Philips é melhorar a vida das pessoas por meio de inovações relevantes, como os seus produtos ou a implementação do Workplace Innovation para seus funcionários, um conceito global aplicado em todos os escritórios da empresa e que cria o ambiente adequado para estimular a criatividade e a inovação.

Tags, , , ,

Pesquisa da Philips revela: maioria dos pacientes e profissionais da saúde acredita na adoção de tecnologias conectadas para tratamentos

A Royal Philips (NYSE: PHG, AEX: PHI) divulga os resultados da primeira edição do Future Health Index (FHI), um extenso estudo que revela a forma como os países estão posicionados para atender a longo prazo os desafios da saúde mundial, por meio de integração e de tecnologias conectadas de saúde. O Brasil recebeu uma pontuação global de 50,6 de um total possível de 100, com destaque para o crescente interesse e confiança em soluções tecnológicas; a necessidade de um esforço combinado com o intuito de aumentar o acesso a serviços de assistência médica; e uma maior educação no que diz respeito aos benefícios da adoção de tecnologias conectadas para cuidados com a saúde.

Evidências comprovadas:

– Apesar do uso e conhecimentos limitados de tecnologias conectadas para cuidados com a saúde, a melhora na área de saúde, no Brasil, é algo de extrema importância.

– Poucos pacientes e profissionais de saúde acreditam que o sistema de saúde atende às necessidades dos pacientes, o que pode aumentar as preocupações com a saúde em geral. Pacientes e profissionais de saúde entendem que é preciso aumentar o acesso em todas as áreas da saúde para melhorar a saúde pública.

– Embora os pacientes e os profissionais da área da saúde não pensem na saúde do Brasil de forma integrada, ambos conseguem notar o valor que tal integração poderia trazer para o sistema de saúde.

A fim de melhorar a qualidade, o acesso e a capacidade financeira para adquirir os cuidados necessários com a saúde, os sistemas de assistência médica em todo o mundo estão se focando menos em modelos hospitalares convencionais e mais em novos modelos integrados e coordenados por todas as fases do ciclo da Saúde – hábitos para uma vida saudável, prevenção, diagnóstico, tratamento e atendimento domiciliar.

Analisando as percepções, comportamentos e atitudes dos pacientes e profissionais de saúde, o Future Health Index está focado em três fatores importantes e necessários para se desenvolver um sistema mais integrado de assistência médica: o acesso aos cuidados de saúde; a integração do atual sistema de saúde; e a adoção de dispositivos e sistemas de tecnologia de saúde que estejam conectados.

Ao passo em que os dados ilustram a crescente oportunidade para a tecnologia digital conduzindo a transformação da saúde, o Future Health Index também revela níveis de prontidão em todos os mercados pesquisados, além de também revelar oportunidades de melhoria para incentivar uma adoção de práticas de cuidado com a saúde de forma mais ampla e a nível mundial.

Mais de três quartos (76%) dos profissionais de saúde, em mercados desenvolvidos, concordam que seus pacientes têm acesso aos tratamentos necessários para condições médicas atuais e futuras. Nos mercados emergentes, essa relação cai para pouco mais da metade (58%). No Brasil, essa estatística ficou abaixo de 25%. Em geral, mercados emergentes como a África do Sul e os Emirados Árabes Unidos parecem estar liderando o caminho na adoção de dispositivos conectados, sendo que os players em economias emergentes esperam que dispositivos conectados possam ser utilizados para gerir a saúde no futuro.

O estudo, que será atualizado anualmente, foi realizado em parceria com uma empresa de pesquisa de mercado global independente. Mais de 2.600 profissionais de saúde e 25 mil pacientes participaram foram ouvidos em 13 países – Austrália, Brasil, China, França, Alemanha, Japão, Holanda, Singapura, África do Sul, Suécia, Emirados Árabes Unidos, Reino Unido e EUA.

Atribuindo a cada país pesquisado uma pontuação média que poderia chegar a 100, o relatório FHI mostra a percepção de cada mercado sobre os benefícios da integração entre os sistemas de saúde e o interesse pela adoção dessas tecnologias. Os Emirados Árabes Unidos alcançaram a pontuação mais alta (65,3 pontos) entre os países participantes, sendo que a Holanda e a China também ficaram bem colocados, com pontuações de 58,9 e 58,1. Por outro lado, Alemanha, Brasil e Japão receberam as pontuações mais baixas, com 54,5, 50,6 e 49,0 – respectivamente.

“O FHI revelou uma série de áreas significativas nas quais os sistemas de saúde devem investir caso queiram obter sucesso a longo prazo na prestação de serviços de assistência médica”, disse Frans van Houten, CEO da Royal Philips. “No entanto, é encorajador ver que muitos países apresentam uma disposição relativamente forte para adotar tecnologias digitais conectadas, o que acabará por conduzir essas transformações. O FHI fornece informações valiosas para os pacientes, profissionais de saúde e legisladores – nos mercados desenvolvidos e emergentes – sobre onde a atenção precisa estar focada no aumento dos níveis de acesso, integração e adoção de tecnologias da saúde para melhorar os resultados de saúde e a experiência do paciente também a longo prazo respectivamente”, completa.

Outros dados do estudo mostram que:

Os dados estão se proliferando, mas o compartilhamento de dados continua a ser um desafio. Apesar dos progressos em relação aos registros médicos universais em alguns mercados, a grande maioria dos pacientes (74%) relata ter de repetir a mesma informação para vários profissionais de saúde, e a maioria (60%) também teve de repetir os mesmos exames. Enquanto isso, apesar de mais da metade (60%) dos pacientes possuir ou utilizar um dispositivo conectado para monitorar vários indicadores de saúde, apenas um terço dos pacientes (33%) já compartilhou essa informação com o seu médico.

Essas médias foram ainda menores no Brasil, comparando-se com os resultados nos 13 países pesquisados, sugerindo que o país está atrás de outros mercados emergentes. Muitos pacientes dizem que é difícil (60%) obter seus dados de saúde quando precisam, e a maioria (88%) diz que tiveram de dizer repetidamente as mesmas informações para vários médicos ou profissionais de saúde.

A tecnologia é uma questão geracional, tanto para médicos quanto para pacientes. Em todos os países pesquisados, os pacientes e médicos mais jovens também são mais propensos a usar e compartilhar informações a partir de dispositivos conectados, comparados aos seus pares mais velhos. Mais da metade (57%) dos pacientes com idades entre 18-34 relatam possuir pelo menos um dispositivo de vigilância de saúde e um quarto dos mesmos (25%) sentem que estão bem informados sobre dispositivos de cuidados com a saúde conectados, versus 14% das pessoas com 55 anos ou mais.

No Brasil, o custo de dispositivos de saúde conectados é considerado uma barreira entre os pacientes (45%) e profissionais de saúde (56%), assim como a burocracia do sistema de saúde para 42% dos pacientes e 39% dos profissionais de saúde.

Pacientes e médicos estão divididos em relação à capacidade dos pacientes em monitorar sua própria saúde. A grande maioria dos pacientes pesquisados (69%) sentem que têm o conhecimento necessário para gerir a sua própria saúde de forma eficaz. No entanto, menos da metade dos profissionais (40%) concorda com isso. Diferentes percepções também existem em termos de quem é responsável pela prevenção de problemas de saúde. Como o aumento da idade do paciente, eles são mais propensos a acreditar que são os guardiões da sua própria saúde – 79% dos entrevistados, com 55 anos ou mais, concordam que são totalmente responsáveis pela prevenção de sua saúde em comparação com pacientes mais jovens (66% daqueles entre 18-34).

No Brasil, apenas um terço dos pacientes (34%) estão bem informados sobre as tecnologias conectadas de cuidados com a saúde, em comparação com 58% dos profissionais de saúde. Por outro lado, a maioria dos pacientes (79%) e dos profissionais de saúde (84%) acreditam que as tecnologias conectadas de cuidados com a saúde sejam algo importante para a melhoria da saúde da população.

A integração e o compartilhamento de dados devem ser um objetivo claro. A maioria considerável dos pacientes e dos profissionais de saúde (69% e 85%, respectivamente) acreditam que os sistemas integrados de saúde e as tecnologias conectadas podem melhorar a qualidade dos cuidados aos doentes, e a maioria dos médicos (88%) concorda que a integração pode ter um impacto positivo direto sobre a gestão de saúde da população.

Áreas específicas de melhoria foram apontadas pelo estudo e devem ser abordadas para aumentar a adoção de tecnologias de forma mais ampla e em nível mundial.

· Em todos os países a burocracia é vista como um grande obstáculo. Mais da metade (54%) dos profissionais de saúde e 43% dos pacientes indicam que a burocracia do sistema de saúde é um dos principais obstáculos a fim de coordenar o compartilhamento de dados e a integração dos sistemas de saúde.

· Preocupações com custos, formação e segurança de dados são alguns dos pontos citados por entrevistados em todos os países pesquisados. Mais da metade dos profissionais de saúde e pacientes (52% e 51%, respectivamente) acreditam que os dispositivos de cuidado com a saúde conectados aumentariam os custos de saúde em geral, com preocupações sobre os recursos necessários para as necessidades associadas, tais como treinamento e segurança de dados.

Captura de Tela 2016-07-21 às 10.50.23

Para ler o Future Health Index completo, além dos dados de mercados locais, por favor, acesse: www.futurehealthindex.com

Tags, , , , , , , ,

Philips Brasil anuncia nova diretora de Recursos Humanos

Foto_Magda

A Philips, empresa líder em inovação para saúde e bem-estar, anuncia a chegada da nova diretora de Recursos Humanos para o Brasil, Magda Setoguchi. A executiva assume o desafio de continuar o ritmo acelerado de transformação da empresa, que nos últimos anos tem se focado especialmente no mercado de saúde e bem-estar.

Com mais de 20 anos de experiência em companhias multinacionais no Brasil, como Abbott, Ernst & Young Banco, Toyota e Salomão Zoopi Diagnósticos, Magda Setoguchi será responsável pelo alinhamento do Brasil com as demais equipes da Philips na América Latina.

A missão da Philips é melhorar a vida das pessoas por meio de inovações relevantes, como os seus produtos ou a implementação do Workplace Innovation para seus funcionários, um conceito global aplicado em todos os escritórios da empresa e que cria o ambiente adequado para estimular a criatividade e a inovação.

Tags,