Tag Nama

Startup brasileira está entre finalistas no CODE_n CONTEST

Apresentado pela GFT, referência em tecnologias exponenciais para a transformação digital e projetos ágeis, a competição CODE_n, na Alemanha, selecionou uma empresa brasileira entre as 50 finalistas deste ano. A disputa será no new.New Festival, evento tecnológico internacional focado nas oportunidades da transformação digital, em Hanns-Martin-Schleyer-Halle, em Stuttgart, de 8 a 10 de outubro, onde finalistas apresentarão os seus modelos de negócios.

Com a seleção, a Nama, startup que une as inteligências humana e artificial para resolver comunicações complexas, terá um estande gratuito no festival por três dias e também poderá mostrar seus conceitos no palco do evento para o grande público. “Dado a relevância do new.New Festival e do CODE_n, é uma grande oportunidade para as startups poderem apresentar os seus trabalhos, os seus diferenciais, além de fazerem networking”, afirma Marco Santos, Marco Santos, managing director Latam da GFT. Os custos com a viagem e estadia do profissional da Nama serão de responsabilidade da GFT Brasil.

Um júri VIP irá selecionar os vencedores nas categorias “Melhor Modelo de Negócios”, “Melhor Inovação Tecnológica” e “Disruptor da Indústria”, além do vencedor geral no final do evento. Os Prêmios CODE_n têm um total de 30 mil euros em prêmios. Cerca de 313 startups de 42 nações se candidataram para o evento deste ano. Ao todo, 50 startups de 15 países, incluindo Brasil, África do Sul, EUA, Lituânia, Israel e Alemanha foram selecionadas como finalistas.

50 startups prontas para apresentar suas ideias inovadoras

As startups finalistas vão desde Beyond Reality e Inteligência de Máquina até a Confiança Criptográfica, temas que podem ser aplicados à indústria, setor móvel, saúde, educação e agricultura no futuro. As startups apresentarão soluções para a tecnologia de cibersegurança e blockchain e também apresentarão ideias para simplificar os processos industriais utilizando a realidade aumentada, inclusive no desenvolvimento de protótipos ou na manutenção de dispositivos técnicos.

‘A qualidade das startups candidatas este ano foi tão alta que, muitas vezes, foram apenas os detalhes que fizeram a diferença final no ranking e na seleção das top 50. Estou ansioso para receber as 50 finalistas no início de outubro aqui em Stuttgart. Todas elas fazem jus ao nosso lema de “explorar o DNA da inovação digital” e temos certeza de que o evento mais uma vez produzirá muitas colaborações e investimentos bem-sucedidos”, afirma Moritz Gräter, Managing Director do CODE_n.

Tags, , , ,

10 vantagens do uso de chatbots no varejo

Cada vez mais presentes em todos os setores da economia, as inovações envolvendo inteligência artificial já são familiares para os consumidores, seja para auxiliar durante uma compra, sanar uma eventual dúvida sobre determinado produto ou receber atualizações no pós-venda. Uma pesquisa da consultoria PointSource mostra que, em 2017, 54% dos consumidores utilizaram aplicações envolvendo IA em algum momento da jornada de compra. A pesquisa também perguntou se o auxílio de um chatbot os faria comprar com mais frequência, e metade (49%) dos entrevistados respondeu que sim.

Outra pesquisa, divulgada pela Accenture, no Fórum Econômico Mundial deste ano, projeta que, entre 2018 e 2022, o faturamento do varejo no mundo cresça 41% em decorrência da adoção da Inteligência Artificial. Para os varejistas brasileiros que desejam seguir essa tendência já incorporada pelas principais empresas do varejo mundial, a Nama – startup brasileira que oferece uma plataforma de chatbots baseada em linguagem natural -, preparou uma lista com 10 vantagens da aplicação de chatbots no varejo.

1) Oferecer atendimento 24/7

Apenas varejistas gigantes conseguem atender seus clientes a qualquer hora do dia e em todos os dias da semana. Manter uma equipe tão numerosa de funcionários pesa no orçamento de qualquer empresa. Esse desafio pode ser solucionado com o uso de chatbots, que não descansam nunca e trabalham 24h por dia, 7 dias por semana.

2) Atender em todos os canais

Colocar em prática o conceito de omnichannel, descrito como o atendimento dos clientes em todos os canais disponíveis de maneira idêntica e complementar, talvez seja um dos maiores desafios do varejo. Um chatbot robusto é capaz de começar o atendimento via Facebook Messenger e continuá-lo no portal da empresa, sem prejuízo de informação. Chatbots funcionam no Facebook Messenger, Skype, Telegram, no portal da loja e no smartphone por meio de mensagens SMS. O consumidor pode estar em qualquer um desses canais ou em todos eles, e sua marca também estará lá.

3) Auxiliar na jornada de compra

Nos Estados Unidos, a Whole Foods colocou em funcionamento um chatbot que ajuda os consumidores a encontrarem os alimentos mais indicados para cada receita. Pelo Messenger do Facebook, o cliente insere uma palavra-chave ou um emoji de um alimento, e recebe como resposta uma dica culinária. A funcionalidade de reconhecer emojis também está disponível nos chatbots desenvolvidos pela Nama.

4) Fornecer respostas em tempo real

Chega de clientes estressados pelas músicas intermináveis que tocam durante a espera dos atendimentos via telemarketing. Os clientes estão ansiosos para uma resposta rápida. Um assistente virtual inteligente responde em segundos a demanda já com a solução ou seu encaminhamento.

5) Demonstrar empatia com diferentes perfis de público

Os avanços na compreensão e no processamento de linguagem natural tornaram esse fenômeno factível. Os chatbots que utilizam Deep Learning (conjunto de técnicas mais avançadas que o machine learning) conseguem entender a comunicação humana, mesmo com erros de português. Esse fenômeno possibilita que pessoas de diferentes classes sociais, idades e níveis educacionais sintam-se compreendidas pelo atendente virtual.

6) Abordar o consumidor de maneira proativa

Chatbots podem abordar os consumidores de maneira proativa a partir de condições pré-definidas. Um assistente virtual de uma farmácia ou de um supermercado, por exemplo, pode ter seu gatilho interativo configurado para, sempre que o clima estiver muito quente, indicar aos consumidores que estão na loja uma promoção de protetor solar.

7) Fidelizar seu cliente

Clientes mal atendidos migram para marcas concorrentes. Fornecer um atendimento cordial em tempo real, com detalhes técnicos e informações adicionais para aquele produto pesquisado deixará o cliente muito mais satisfeito com sua marca.

8) Melhorar os processos internos

O chatbot pode ser usado também de maneira interna pelo varejista, como forma de orientar funcionários e melhorar processos. O bot se integra com os sistemas de gestão, CRM e de estoque dos produtos, norteando, por exemplo, o abastecimento de acordo com a frequência que aquele produto vai sendo vendido.

9) Aprimorar a logística

Os chatbots podem servir para cancelar pedidos ou levantar informações sobre seu status, emitir números de protocolo ou segunda via de boleto/nota fiscal, rastrear produtos e calcular o tempo de entrega.

10) Fortalecer a marca no pós-venda

Há outros usos possíveis para os chatbots no setor varejista. Ele pode ser utilizado para fazer pesquisas de pós-venda para coletar insights sobre a experiência de compra e fornecer feedbacks detalhados sobre a maneira como o cliente enxerga a marca.

Tags, , , , , ,

Confira 40 vagas de emprego em startups de tecnologia

É claro que em um cenário de recuperação econômica como este que vivemos, boas vagas de emprego são sempre bem-vindas. Selecionamos 40 vagas bem interessantes para diferentes perfis de profissionais. Todas elas são para o quadro de colaboradores da Arquivei, de gestão de documentos e notas fiscais, da Gupy, que digitaliza o processo de recrutamento e seleção, Nama, pioneira em Inteligência Artificial no Brasil, e IDwall, regtech especializada em identificação e checagem de dados.

Arquivei

Para a área Comercial, a Arquivei está com duas vagas abertas para Gestor de Desenvolvimento Comercial e duas outras para o time de Field Sales Enterprise, ambas em São Paulo.

Para a vaga de Gestão de Desenvolvimento Comercial, o candidato deve possuir habilidades técnica e comercial com ênfase em sistemas de mercado. As funções do cargo incluem desde intermediar demandas comerciais com área de produtos até acompanhar os projetos em andamento, validando status e fazendo a gestão dos parceiros envolvidos.

Já para a vaga no time de Field Sales, o profissional será responsável pelo desenvolvimento das vendas no mercado corporativo, em diversas indústrias e regiões do Brasil. O candidato selecionado representará a Arquivei e divulgará os benefícios promovidos pela solução, levando ao mercado a mensagem de valor e impacto nos negócios dos clientes, buscando sempre atingir seus resultados de vendas e firmar a marca.

Para a área de Marketing, há uma vaga para Desenvolvedor e Analista de Data e uma para Gerente de Marketing, ambas em São Carlos, SP.

Para o cargo de Desenvolvedor e Analista de Data, o candidato deve ter experiência em desenvolvimento de web com conhecimentos em HTML, CSS, JavaScript, PHP, MySQL e Google Analytics. Experiência prévia com Growth Hacking, Inbound Marketing, SEO, SEM Rush, AHREFs, Majestic ou similares são diferenciais.

As atividades são desde pesquisa, teste, gerenciamento e implementação de qualquer coisa que tenha o potencial de causar impacto no crescimento escalável, até a criação de landing pages para conversão (CRO).

Já para o cargo de Gerente de Marketing, o candidato será responsável por construir e manter a operação do marketing voltado para grandes empresas, além de definir estratégias de geração de leads e vendas. Para se candidatar à vaga, o profissional deve ter experiência em liderar equipes, budgets e estratégias, além do entendimento proficiente de canais tradicionais e emergentes do marketing.

Os interessados podem se candidatar através da página de vagas da empresa, onde constam mais informações sobre as vagas.

A Arquivei é uma empresa que fornece plataforma de armazenamento, organização e consulta de informações de notas fiscais. Criada em 2014, em São Carlos (SP), surgiu para suprir uma dificuldade das empresas na gestão mais eficiente de seus dados fiscais.

Gupy

A HRtech Gupy está com 15 vagas abertas para 11 cargos, em São Paulo, incluindo seis vagas para estágio.

Para as vagas efetivas, há duas oportunidades para o cargo de Analista de Experiência do Cliente, no qual o profissional será responsável tanto pela triagem e gestão de tickets de atendimento, quanto pela criação e monitoramento de métricas de suporte e identificação de oportunidades de melhoria. Conhecimento técnico e inglês a partir do intermediário são os requisitos essenciais.

Para as duas vagas de Inside Sales Outbound (Conta) e uma para Inside Sales Outbound (SDR), o candidato precisa ter experiência no ramo de RH, vendas e relacionamento B2B (Empresa para Empresa), além de excelente comunicação verbal e escrita.

Já para as duas vagas de Senior DevOps Engineer, o profissional precisa ter, no mínimo, quatro anos de experiência em DevOps, Amazon Web Services, bancos de dados relacionais e NoSQ.

Para o cargo de Engenheiro de Software – Node.js, é exigido um mínimo de quatro anos de experiência com desenvolvimento, sólido conhecimento em Node.JS, Infrastructure as code (Docker, Chef, Puppet, Ansible, Kubernetes), bancos de dados Relacionais, Redis, ou similar.

Já para a vaga de Sucesso do Cliente, o candidato precisa ter experiência prévia na área ou em vendas, inglês e espanhol a partir do intermediário, resiliência e inteligência emocional para contornar situações de crise e foco na experiência do cliente frente à Gupy.

Em relação aos estágios, estão abertas seis vagas para cinco cargos. Na área Jurídica, o estudante precisa estar cursando graduação em Direito, com alguma experiência em Direito Empresarial; ter pensamento a longo-prazo, encadeamento lógico e visão estratégica para garantir um crescimento sustentável; além de resiliência e inteligência emocional para contornar situações adversas.

Para o estagiário de Eventos e Comunicação, o estudante precisa estar cursando Engenharia, Administração, Marketing, Relações Públicas ou Publicidade e Propaganda, além de possuir conhecimento em Pacote Office, Mídias Sociais, Produção de Conteúdo e organização de eventos. Ele será responsável pelo planejamento, estruturação e execução de eventos, pela investigação do mercado e levantamento de oportunidades para fortalecer a marca em eventos estratégicos.

Há, também, duas vagas abertas para Estágio de Recrutamento e Seleção e uma para Estágio de Gente. Para os dois cargos, o candidato precisa estar cursando Engenharia, Administração ou Psicologia. O estagiário será responsável pela condução dos processos de atração e seleção da Gupy. Já para a vaga de Estágio em Computação, o candidato será responsável por ajudar os usuários com eventuais problemas, desenvolvendo ferramentas internas e automatizando a geração de relatórios.

Os interessados devem acessar o site oficial da Gupy ou a página de vagas no linkedin da empresa.

A Gupy é a startup líder de recrutamento com base em Inteligência Artificial e machine learning no Brasil.

IDwall

A IDwall tem 18 vagas abertas para as áreas de Sucesso do Cliente, Móvel, Vendas, Suporte e Tecnologia. Todas as vagas são para São Paulo.

Na área de Sucesso ao cliente, a vaga destina-se ao candidato com experiência de pelo menos um ano em gerenciamento de contas ou vendas, conhecimento em técnicas de CRM e habilidades em análise de data. Familiaridade com Hubspot CRM, SQL e Postgresql database são diferenciais.

No segmento móvel, a empresa tem duas vagas abertas para Desenvolvimento de Android e IOS. Os profissionais precisam ter acima de dois anos de experiência em desenvolvimento em Java, Android, IOS e em testes unitários e automatizados. De sua função constará desenvolver aplicativos android e IOS usando SDK, além de fazer melhorias contínuas e análise de desempenho.

Na área de vendas, o cargo de Analista de Vendas precisa ter experiência de B2B, pacote office e experiência prévia em startup de ritmo acelerado. Para a vaga em Técnico de Suporte, o candidato precisa ter conhecimento em SQL, postgresql databases e raciocínio lógico.

Na área de tecnologia, há uma vaga para Arquiteto de Segurança e Desenvolvedor de Python. Para a primeira vaga, entre as atribuições, o candidato irá desenvolver e manter um processo de arquitetura de segurança de aplicativos que permita que a empresa desenvolva e implemente soluções e recursos de segurança que estejam claramente alinhados aos negócios, tecnologia e ameaças. Já para a segunda vaga, o candidato precisa ter conhecimento da linguagem Python, interesse no processamento de imagens e concentração em resultados e entregas.

Os interessados devem acessar a página de vagas da empresa.

Criada em 2016, a IDwall tem a proposta de tornar os processos de cadastramento, verificação e validação de dados mais ágeis, transparentes e seguros por meio de tecnologias de reconhecimento facial, cruzamento de dados e background check.

Nama

Estão abertas duas vagas para Desenvolvedor (a) de Ruby Pleno e uma para Desenvolvedor (a) de Ruby Senior, na Nama, em São Paulo. O candidato precisa ter experiência com sistemas Web, Ruby, Rails e Git, além de estar acostumado com testes unitários.

Os interessados devem acessar o site oficial da empresa e se candidatarem.

A Nama é uma empresa que combina inteligência artificial, processamento de linguagem natural e bots para automatizar conversas e conectar pessoas emocionalmente com robôs.

Tags, , , , , , , , , ,

Fhinck é escolhida para programa de intercâmbio de startups do Google no Canadá

Captura de Tela 2017-06-19 às 22.07.20

A Fhinck, startup que usa inteligência artificial para elevar a produtividade das empresas, foi selecionada pelo Google para um programa de uma semana em Waterloo, próximo a Toronto, no Canadá. Por meio deste programa, que acontecerá de 19 a 23 de junho, o time da Fhinck terá acesso pleno ao ecossistema da região de Toronto e Waterloo.

Os benefícios incluem mentoria intensiva de líderes seniores dos times de marketing, vendas e engenharia do Google, e conexão a investidores, experts em machine learning, pesquisadores em inteligência artificial e grandes empresas por meio do programa de inovação corporativa do Communitech.

O programa Google For Entrepreneurs Exchange 2017 é oferecido em parceria com a Communitech, um centro de inovação que apoia e fomenta uma comunidade de mais de mil empresas a partir de Waterloo. O seu objetivo é conectar os fundadores de todo o mundo a uma rede de hackers, investidores, executivos e CEOs de empresas de tecnologia.

Por meio dele, a Fhinck poderá avaliar como as soluções de machine learning do Google podem ser incorporada ao Push to Optimization, software que identifica todas as oportunidades de otimização operacional em processos de back office. “Será muito bom rever nossos parceiros e novamente compartilhar boas práticas com quem mais entende de bigdata“, afirma Claudio Ferreira, cofundador da Fhinck.

Do Brasil, além da Fhinck, foram escolhidas as startups Nama e Gupy.

Tags, , , , , , , , ,