Tag marketing digital

Em ano de pandemia, o Marketing Digital pode ser o grande aliado da Black Friday

Por Anna Karina Silva Pinto, diretora de Marketing da Linx

A Black Friday é considerada uma das principais datas comemorativas do varejo brasileiro. Em um ano atípico como esse, em que experienciamos uma pandemia, é natural observarmos a grande transformação digital que as empresas estão passando e o impulso para um comportamento já esperado: a migração total das vendas para o mundo online. Além disso, a crise econômica decorrente desse cenário gerou impactos nos negócios e no comércio, sendo que a grande maioria, de pequenos e médios empreendedores, precisou realizar rápidas adaptações para não encontrar maiores prejuízos.

A grande data do varejo, que neste ano ocorrerá em 27 de novembro, terá como missão, mais do que nunca, reconquistar o espaço e os lucros perdidos ao longo de todo um ano. Tradicionalmente, diversas lojas já contam com a Black Friday como uma forma de esperança para impulsionar o resultado das vendas. Porém, com a impossibilidade de reabertura total do varejo físico, devido às restrições de saúde e segurança, o varejo online certamente dominará a data. Em 2019, segundo dados da Linx, as vendas online cresceram 24% em relação à Black Friday do ano anterior. Dado o momento vivido, este número deverá ser ainda maior em 2020.

Por essa razão, será imprescindível investir em planejamentos e estratégias de marketing digital consistentes. Afinal, o consumidor ainda será impactado, em maior número, por meio das telas. Divulgar com antecedência, espalhar a mensagem do negócio e preparar os clientes, para que saibam que a loja estará presente em peso na Black Friday, será essencial. É o momento de alavancar as redes sociais, propagar e-mails marketing e investir em anúncios patrocinados, que impulsionarão o nome da loja e os produtos e descontos que serão oferecidos. A estratégia é instigar o público a aguardar a data com ansiedade.

Em plataformas como Instagram e Facebook, por exemplo, é imprescindível criar um cronograma de publicações, para que o negócio esteja sempre movimentado e em evidência para os seguidores, relacionando-se com eles de maneira constante, tirando dúvidas e interagindo pelos comentários e mensagens diretas. Além disso, oferecer descontos realistas e próximos da operação já realizada pela loja ao longo do ano fará com que o varejista mantenha a credibilidade e a confiança.

Com o cliente conquistado e esperando o momento para adquirir os produtos, é necessário preparar-se para evitar deslizes e assim, derrubar o planejamento de marketing. Abastecer o estoque para evitar insatisfação dos clientes e falta de produtos logo no início das vendas e investir em um funcionamento impecável das plataformas e lojas virtuais serão pontos cruciais, já que a compra online será a única opção para muitos clientes. A equipe de atendimento precisará estar ainda mais preparada para oferecer uma boa experiência de compra, seja no varejo físico ou digital.

Por fim, o lojista precisará mudar o foco para o pós-venda. A entrega rápida e eficaz também deve ser considerada uma estratégia que demonstrará ao cliente o cuidado e a preocupação com conforto e segurança. A preparação para a Black Friday não pode ser manchada por erros e atrasos excessivos justo ao final da operação. O processo após a data deve se concentrar nas solicitações, dúvidas e reclamações, a fim de gerar fidelização e construção do relacionamento com o consumidor.

As estratégias de marketing também não podem parar por aí. Logo na sequência, datas como a Cyber Monday, na segunda-feira seguinte, e o Natal também movimentam o cenário varejista com descontos, promoções e grandes números de vendas. Manter o consumidor próximo do negócio, recebendo conteúdo personalizado, com base em análise de dados coletados na própria Black Friday, para reverter carrinhos abandonados e converter produtos visualizados, junto de boas – e novas – ofertas, impactará diretamente na qualidade da jornada de compra. Este será um ponto chave para que ele continue buscando esses serviços e opções ao longo de todo o ano.

Tags, , ,

Sua empresa está pronta para as transformações do marketing digital?

Por Rodrigo Souto, gerente de marketing da HubSpot para o Brasil

A adoção de tecnologia nos processos da maioria das empresas demonstra a evolução – constante e rápida – do marketing digital.

De acordo com um estudo da Forrest Research, 70% dos anunciantes devem empregar plataformas de dados para superar os gargalos de informação. Isso porque dados isolados de clientes inibem comunicações multicanais eficazes, e por isso, as plataformas estão ganhando popularidade como uma forma de conectar as informações dos clientes em vários sistemas.

Além disso, outra previsão indica que, em 2019, mais de 20% das plataformas vão contar com tecnologias como inteligência artificial para ajudar os profissionais de marketing a dimensionar os esforços de personalização, conhecer melhor o usuário e assim poder entregar conteúdo de uma marca/empresa de forma mais objetiva.

Independentemente do avanço da tecnologia, a humanização será sempre um diferencial que não pode ser deixado de lado, mas, sim, incorporado nessa nova maneira de “conversar” com o cliente. Neste processo, é fundamental se atentar a alguns pontos que, quando olhados de forma minuciosa e com certa cautela, permitem que a estratégia seja, de fato, a mais assertiva:

• Pessoas qualificadas – Para fazer a ponte entre os dados e desafios reais em toda jornada do cliente, é fundamental que seu time conte com pessoas qualificadas, com habilidades tanto para lidar com as tecnologias que estão à disposição, quanto para conversar com os clientes e oferecer o que buscam na hora certa – um pequeno desvio na comunicação e um cliente pode ser perdido;

• Profissionais antenados – No marketing digital, o conceito de funil passa por uma transformação. Vemos cada vez mais a ascensão do formato de “Flywheel”, modelo onde o foco é 100% no atendimento do cliente. Toda a experiência deve ser acompanhada e cada atividade durante seu percurso representa um insight e irá impactar nas demais ações, ajudando a desenhar uma estratégia toda a redor do cliente;

• Comunicação real time – o crescimento global do mercado de chatbots deverá ser a taxas anuais de 24% até 2025. Conversar com o cliente sempre foi necessário para entender a demanda. E colocar o cliente no centro da estratégia exije o investimento em tecnologias de conversação como lives, SMS e Messenger. Mas é importante sempre lembrar que o atendimento humanizado ainda é essencial em um dado momento da conversa para personalizar e contextualizar o envolvimento em várias escalas.

• Segurança – Por fim, mas não menos importante, é necessário enfatizar que com o alto volume de informações compartilhadas, as organizações devem trabalhar em conjunto com o departamento jurídico para avaliar suas próprias práticas de coleta, armazenamento e uso de dados, incluindo as maneiras como usam as ferramentas de marketing e vendas. Apesar de ser uma medida interna, isso impacta diretamente na vida do seu cliente e é, com certeza, um diferencial enorme na hora de fidelizá-lo e garantir que ele volte sempre!

Tags, , ,

Como as ferramentas digitais podem ajudar os pequenos negócios a vender mais

O especialista em marketing online Rodrigo Lourenço, diretor da iZettle, explica como o empreendedor pode utilizar a internet de maneira simples para aumentar a clientela

Já imaginou se todos pudessem encontrar o seu negócio no Google Maps? E se os clientes contratassem os seus serviços via WhatsApp? Apesar de muito disseminadas, as ferramentas digitais ainda são um mistério para a maioria dos pequenos empreendedores, que ainda não tem ideia de como a internet pode ser aliada na conquista de clientes. De fato, a dificuldade de formar clientela foi apontada como o principal desafio dos pequenos negócios, em pesquisa de âmbito nacional encomendada no 1º semestre de 2017 pela iZettle – fintech sueca com atuação no Brasil e em mais 11 países na área de serviços financeiros e soluções de pagamento.

O Diretor de Aquisição e Engajamento da empresa, Rodrigo Lourenço, com 18 anos de experiência em marketing online, dá dicas de como utilizar a internet para vender mais.

1) Faça a sua empresa aparecer no Google Maps

Nem todos sabem, mas o Google oferece uma ferramenta gratuita que disponibiliza as informações das empresas na página de pesquisa e no aplicativo de mapas. “Especialmente se você possui uma loja física, é primordial que cadastre o seu negócio no Google local”, aconselha Lourenço.

A ferramenta localizada no endereço www.google.com.br/meunegocio ainda permite que o empreendedor encontre novos clientes por meio de anúncios no Google ou em sua rede de parceiros. Dentro do Google Meu Negócio existe uma forma rápida e prática de começar a anunciar sem muito conhecimento técnico. Basta seguir o passo a passo online

2) Dê um up no seu WhatsApp

Muitas pessoas ficam conectadas quase o dia todo no WhatsApp e as empresas têm aproveitado essa realidade para receber mensagens de clientes, como as pizzarias que aceitam pedidos via aplicativo. “É prático atender e aceitar pedidos pelo WhatsApp. Para que este canal funcione, contudo, é importante definir horário de atendimento e ter um telefone exclusivo”, orienta o especialista.

Ainda é preciso ter em mente que os clientes esperam agilidade na resposta do seu negócio, com o risco de não quererem mais o serviço e não o indicarem mais a conhecidos caso a demora seja grande. “Ninguém gosta de ser ignorado quando envia uma mensagem para contratar um serviço”, analisa Lourenço. Portanto, é preciso avaliar se vale a pena o tempo investido pelo empreendedor.

3) Mantenha atualizada e organizada a página no Facebook

Hoje em dia é cada vez mais comum criar páginas no Facebook para negócios, organizações, produtos, artistas, causas, entre outros. Entretanto, não basta apenas criar uma página para a sua empresa. “É preciso que o empreendedor esteja preparado para atualizá-la, responder mensagens e comentários e, eventualmente, ouvir críticas e encarar isso como sugestões para melhorar seu negócio”, diz o especialista.

Vale lembrar que, para obter um bom nível de engajamento na sua página, o compartilhamento dos posts é essencial. “O poder do boca a boca na internet é tão forte quanto fora dela. O compartilhamento do seu conteúdo ajuda a atingir potenciais novos clientes com o endosso dos consumidores satisfeitos atuais”, analisa.

Assim como o Google, o Facebook ainda permite a criação de anúncios para um público pré-definido. O investimento pode começar pequeno. A partir de R$50 já é possível anunciar. O próprio conteúdo da sua página pode servir de material para a publicidade, mas dedique tempo para escolher muito bem o público-alvo. Por exemplo, se você vende apenas presencialmente, é interessante selecionar um raio de publicação ao redor do seu endereço físico. Se você vende roupas para mulheres, pode selecionar exibir seus anúncios apenas para este público. Muitas opções de público-alvo estão disponíveis como: interesses e afinidades, cidades, estados, estado civil e até se essas pessoas curtem páginas de um concorrente.

4) Dê atenção também para o seu site

Muitos podem pensar que, com a popularização das redes sociais como Facebook e Twitter, os sites tornaram-se obsoletos e pouco acessados por possíveis clientes. Contudo, de acordo com Rodrigo Lourenço, a existência destes canais confere maior credibilidade ao negócio. “Quando um cliente encontra informações online sobre um produto ou marca, isso aumenta a confiança dele a respeito da empresa. Ter informações completas, verdadeiras e bem organizadas ajuda a convencer que seu negócio é seguro, sério e profissional”, aconselha o especialista da iZettle.

De acordo com Lourenço, é fundamental que o seu negócio tenha ao menos uma página simples própria na internet com fotos e descrição de seus produtos e serviços. “As pessoas gostam de saber mais sobre o que vão comprar ou contratar antes de fechar o negócio”, analisa. Mantenha todas as formas de contato disponíveis. Se você foi encontrado, nada melhor do que ser contatado e fechar uma nova venda na hora!

5) Diversifique canais e mantenha contato

Para o especialista em marketing e estratégia digital da iZettle, Rodrigo Lourenço, o segredo para utilizar a internet na conquista de novos clientes é diversificar os canais do seu negócio no ambiente virtual. “É importante pensar sempre em estar presente onde seus potenciais clientes estão. Além de encontrar novas pessoas, manter contato com quem já é fiel é primordial para fechar novos negócios a partir das indicações”, aconselha Lourenço.

De acordo com o especialista, a estratégia é utilizar a página no Facebook, WhatsApp, site e outros canais para avisar os clientes de promoções e produtos que eles possam gostar. “É preciso conhecer o perfil dos seus clientes e recomendar produtos relevantes. Afinal, um cliente fiel dificilmente parte para a concorrência e a competição com outros empresários é difícil”, conclui.

Tags, , , , , , , , , ,