Tag Mario Rachid

Embratel incentiva inovação e startups

A Embratel anuncia novos incentivos à inovação com a inauguração de um escritório no inovaBra habitat, ambiente de coinovação do Bradesco. Instalado em São Paulo, o local foi criado em parceria com o WeWork e é considerado o maior espaço do gênero no Brasil. Possui 22 mil metros quadrados para hospedar especialistas das mais diversas áreas, incluindo os profissionais de soluções digitais e Internet das Coisas (IoT) da Embratel que trabalham em conjunto com jovens empreendedores, startups, investidores e aceleradoras para desenvolverem novas ofertas para promover a transformação digital de empresas de todos os tamanhos e setores.

“A inovação está no DNA da Embratel. A Embratel unirá o melhor dos dois mundos ao se instalar em um ambiente inovador como esse. Integrará sua experiência e excelência de longa data em ofertas digitais de TI e de telecomunicações, com o ímpeto inovador de startups e aceleradoras de ideias”, afirma Mário Rachid, Diretor Executivo de Soluções Digitais da Embratel. Segundo o executivo, esse é um espaço extremamente interessante para dividir conhecimento e criar novas soluções.

“Estamos felizes de contar com a Embratel para coinovar no inovaBra habitat. Acreditamos que os movimentos e atividades de colaboração para inovação proporcionados pelos times do inovaBra com os profissionais de diversos segmentos de atuação são fundamentais para a criação de ideias disruptivas com tecnologias como Blockchain, Big Data e Algoritmos, Internet das Coisas, Inteligência Artificial, Open API e Plataformas Digitais, que são os eixos estratégicos do habitat”, explica Luca Cavalcanti, diretor executivo do Bradesco.

A participação da Embratel no inovaBra habitat está alinhada à sua visão de negócios que prevê desenvolvimento contínuo de novas ofertas, sempre à frente do mercado. A Embratel manterá um espaço integrado no local para a troca de conhecimento e de experiências com empreendedores que poderão conhecer mais sobre suas soluções e compartilhar novas ideias de negócios.

“Estamos observando muitas novidades de startups no segmento de Internet das Coisas e buscamos manter um radar de inovação, trocando experiências sobre novos produtos e modelos de trabalho. A Embratel acredita que ao incentivar empreendedores irá obter resultados surpreendentes, com novas parcerias, criações compartilhadas e novos produtos em área de crescimento como a de IoT”, afirma Eduardo Polidoro, Diretor de Negócios de IoT da Embratel.

A parceria da Embratel com startups é duradoura, uma vez que a companhia patrocina há anos diversos eventos direcionados para esse segmento, além de sempre estudar novas ideias propostas. Essa colaboração já resultou em importantes soluções geradas a partir da troca de informações e experiências de mercado. Entre os setores atendidos pelas tecnologias criadas em sinergia com startups estão o automotivo, energia, cidades e saúde, por exemplo.

Tags, , , ,

A segurança corporativa na era dos devices corporativos

Por Mário Rachid, Diretor Executivo de Soluções Digitais da Embratel

O mercado de dispositivos apresentará crescimento na casa de milhões de unidades em todo o mundo nos próximos anos. Essa afirmação é apoiada por estudos que indicam a escalada da venda e utilização desses devices, tanto em casa quanto no trabalho. No Brasil, por exemplo, terminamos 2017 com a média de um smartphone por habitante, milhares deles sendo utilizados inclusive para atividades profissionais. Com esse cenário, uma tendência se firma cada vez mais: profissionais seguirão levando os seus dispositivos pessoais para o ambiente corporativo, consolidando a era do Bring Your Own Device (BYOD).

O crescimento exponencial do número de sistemas, máquinas e devices móveis trocando informações entre si, e do uso de aparelhos próprios no ambiente profissional, é alavancada pelo avanço da adoção de tecnologias como Cloud Computing. A Nuvem tornou-se uma das responsáveis por gerar novas maneiras de trabalhar, que derrubam as paredes dos escritórios convencionais e eliminam as limitações de tempo. Ao mesmo tempo em que as jornadas se tornam mais flexíveis, com profissionais acessíveis o tempo todo e em qualquer lugar, o uso de dispositivos pessoais no trabalho leva às corporações um novo desafio: com tantos devices conectados acessando redes corporativas, como garantir a segurança dos dados e sistemas, e mitigar o risco de ataques cibernéticos?

Antes de adotarem a chamada política do BYOD, é imperativo que as empresas façam a lição de casa e conheçam as vulnerabilidades que surgem com o novo modelo de trabalho. Soluções de TI já são capazes de realizar uma varredura e identificar possíveis falhas na segurança das organizações. Com a visibilidade dos possíveis riscos dessa tendência, é possível fazer um planejamento de ações que evite sérios danos como roubo ou sequestro de dados e vazamento de informações sigilosas. Esse planejamento é complexo e envolve o mapeamento de todas as áreas da empresa, além de uma equipe técnica especializada e dedicada.

Da mesma forma como as tecnologias evoluíram, o cybercrime também está mais sofisticado. Para ter um ambiente seguro é necessário implementar um plano de ações completo, que inclua desde soluções mais simples até as preditivas e mais complexas, com o monitoramento prévio de movimentos suspeitos, fornecendo subsídios para o planejamento de reação da empresa em caso de ataques.

O aumento da conscientização sobre cybersecurity faz com que parte das organizações já nasçam com recursos de segurança perimetral implantadas, como firewall, IPS, antivírus e anti-spam, que analisam o tráfego de dados e bloqueiam as tentativas de acessos não autorizados. Tais iniciativas devem ser somadas a soluções que mitigam os riscos de ataques de negação de serviço (Anti-DDoS), os mais usuais, e que incluem proteção de aplicações, técnicas preditivas e criptografia.

Outro ponto é a elaboração e disseminação de uma política de segurança corporativa clara e objetiva para os colaboradores. Ela deve abranger temas como a permissão de acessos a sistemas e aplicações da empresa, a autenticação de usuários, a política de confidencialidade e a validação de senhas, que precisam ser complexas e modificadas com frequência. Funcionários conscientes e alinhados as melhores práticas tornam-se mais vigilantes e atentos a possíveis falhas.

Pensando na expansão cada vez maior da política de BYOD, soluções estão sendo constantemente aprimoradas para o gerenciamento de dispositivos móveis, como a chamada MDM (Mobile Device Management). Com ela, as empresas garantem que os aparelhos e as informações trocadas entre eles seguirão a política de segurança determinada pela organização. Para garantir a privacidade e a proteção dos dados corporativos, a empresa é responsável pelo controle de acesso, determinando os itens disponíveis para uso. As aplicações corporativas são instaladas e atualizadas remotamente, garantindo que os colaboradores tenham à disposição a versão mais moderna de suas ferramentas de trabalho, assim como da proteção delas.

O BYOD tem se tornado tão comum nas empresas que, na Europa e nos Estados Unidos, até escolas começaram a implementar essa política como forma de introduzir, desde cedo, a tecnologia na rotina das crianças, além de usá-la no engajamento nas salas de aula. Isso mostra a tendência de expansão da prática, considerando as novas gerações de colaboradores que estão por vir, e, consequentemente, o aumento do número de dispositivos móveis conectados a redes corporativas. Por isso, o plano de segurança precisa ser prioridade nas organizações, se tornando tão importante quanto o planejamento de vendas de uma companhia.

Projeções do Gartner indicam que, este ano, empresas de todo o planeta gastarão mais de 95 bilhões de dólares em soluções de segurança, cerca de 10% a mais do que em 2017. Dentro desse universo, a terceirização da segurança é um dos segmentos que deve registrar maior crescimento até o fim da década, deixando essa árdua tarefa para companhias e profissionais especialistas no assunto. Esse é o caminho certo para organizações que desejam adotar o BYOD sem abrir brechas de segurança. As grandes corporações que tiveram perdas significativas nos últimos anos com ciberataques de proporções mundiais provaram que, no quesito segurança, prevenir é o melhor remédio!

Tags, , , , , , , ,

IPC adota soluções de Conectividade, Mobilidade e Cloud Computing da Embratel

A Embratel anuncia o fornecimento de soluções de Conectividade, Mobilidade e Cloud Computing para a IPC, fintech brasileira responsável pelo Sistema e-FRETE, uma plataforma de meios de pagamento eletrônicos e gestão de documentos para o setor de transportes. Com a migração de toda a sua infraestrutura de TI para o Data Center Virtual da Embratel, a IPC poderá expandir a capacidade de todas as soluções, em tempo real, para atender uma média de 5 mil transações financeiras eletrônicas realizadas diariamente. O Data Center Virtual da Embratel fornece toda a infraestrutura para o IPC, incluindo servidores virtuais interconectados, isolamento de rede e conexão, firewall e múltiplas vLANs.

“O Data Center Virtual da Embratel garante à IPC a disponibilidade, flexibilidade e agilidade necessárias para a realização de suas operações, facilitando a tomada de decisões. O gerenciamento da solução é realizado pelo cliente que, por meio de portal web, pode expandir ou reduzir seu pacote de serviços com facilidade e de acordo com suas necessidades”, diz Mário Rachid, Diretor Executivo de Soluções Digitais da Embratel.

Para suportar as atividades realizadas na sede da empresa, em Florianópolis e no escritório de Itajaí (SC), a IPC utiliza suporte técnico da Embratel, com atendimento ininterrupto, 24 horas por dia, sete dias por semana. A empresa contrata a solução de Internet Dedicada da Embratel para garantir velocidade de download igual à de upload, IPs com 100% de garantia de banda na Internet e gerência e supervisão de rede com equipe técnica especializada disponível de forma ininterrupta. Os colaboradores das duas unidades também têm à disposição a solução VIP Único, com conexão 100% digital e tarifas diferenciadas para as chamadas fixas realizadas entre os escritórios, permitindo o maior controle dos gastos. A IPC recebe uma fatura única, que também pode ser acessada via portal web.

“Estamos muito satisfeitos com a escolha da Embratel para fornecer soluções de TI e Telecomunicação para a IPC. Todo o gerenciamento das transações eletrônicas da nossa empresa, realizadas por cerca de 210 mil transportadores autônomos no Brasil contratados por mais de 1.200 empresas, é realizado por meio de tecnologias da Embratel”, afirma Ivan Gilberto Ponciano, CEO da IPC.

A IPC também utiliza solução de Mobilidade Corporativa da Embratel em toda a sua área comercial. O Plano Sob Medida inclui ligações móveis locais, a cobrar e de longa distância nacional efetuadas com o DDD 21, SMS e tráfego de dados. Com a oferta, a franquia mensal contratada é compartilhada entre todas as linhas móveis da empresa. Os valores que não são consumidos no mês são transferidos para utilização nos próximos 60 dias, protegendo os investimentos da empresa. Já com a oferta de 0800 da Embratel, a IPC garante o melhor atendimento dos clientes, que podem efetuar chamadas para a empresa, de qualquer lugar do Brasil, sem custos.

“A Embratel fornece soluções completas e integradas de Telecomunicações, TI e Mobilidade Corporativa e tem uma infraestrutura preparada para suportar o crescimento das empresas que cada vez mais investem na digitalização de seus processos”, diz Gustavo Silbert, Diretor Executivo da Embratel.

A IPC é a provedora do Sistema e-FRETE, plataforma para gestão de documentos e para meios de pagamentos eletrônicos, que está integrada a sistemas de gestão de empresas de transporte, de logística e embarcadores. A plataforma permite que os contratantes e os contratados operem com ou sem cartões plásticos e sem conta bancária. O motorista pode, por exemplo, utilizar o valor cobrado pelo frete, que fica creditado no sistema da IPC, para pagar despesas na rede credenciada da empresa, que hoje conta com mais de 2 mil pontos, sendo a maioria postos de combustíveis em rodovias, fazer saques, transferências, recargas de celular e pagamento de contas diversas. Para quem possui conta bancária, é possível realizar saques ou transferências. Todo o controle das transações é feito remotamente, via Internet.

Tags, , , , , , , , , , ,

A tecnologia como motor da Indústria – Por Mário Rachid

De todos os setores impactados pelo processo de transformação digital, o segmento industrial é um dos que passará pelas maiores mudanças estruturais nos próximos anos. O avanço de tecnologias disruptivas, que preveem a formação de uma ampla rede de conexão e troca de dados entre dispositivos, sistemas e máquinas para automatização do processo produtivo, marca uma nova era na história da indústria mundial. No Brasil, as indústrias serão afetadas por essa revolução digital e terão que adotar um novo modelo de trabalho, reformulando o uso de tecnologias, adotando máquinas inteligentes e implementando soluções de TI e sistemas de telecomunicações que serão a base inteligente da nova rede de robôs.

Podemos afirmar que a grande revolução proporcionada pela Indústria 4.0 acontecerá quando os chips instalados nas máquinas começarem a controlar todas as plantas industriais, gerando um salto tecnológico jamais antes visto. Com todos os sistemas conectados, as indústrias nacionais, independentes de seu ramo de atuação, poderão ter importantes ganhos de performance, aproveitando melhor seus ativos, controlando com precisão a produção e alcançando melhores vantagens competitivas.

Além de garantir a eficiência e a agilidade do processo produtivo, os chips estarão preparados para coletar um volume gigantesco e valioso de dados sobre as máquinas, dispositivos e sistemas conectados de uma indústria. Assim, as organizações conseguirão definir os parâmetros exatos de sua produção para serem mais assertivas em suas decisões estratégicas, como na negociação com parceiros comerciais, por exemplo.

As soluções de IoT – Internet das Coisas estarão em todas ás áreas de produção. Os chips estarão presentes também nos dispositivos de controle de toda a cadeia de produção, incluindo a compra e o recebimento de matérias-primas, sendo capazes de otimizar estoques e fornecer informações valiosas que permitirão que as indústrias negociem valores com fornecedores. Nesse cenário, a produção ociosa acaba dando espaço para uma manufatura inteligente e preparada para o modelo sob demanda.

Outras informações estratégicas a serem extraídas dos chips instalados nas máquinas são os dados referentes ao desempenho dos equipamentos. Com uma visão prévia e instantânea de tudo o que ocorre com o maquinário, é possível planejar a produção, evitar gargalos, programar manutenção e reposição de peças, mitigando possíveis prejuízos com máquinas inoperantes ou ociosas.

O controle do processo produtivo será de ponta a ponta, desde a assinatura do pedido até a entrega do produto final. Fábricas estarão aptas também a darem um novo passo rumo a personalização, com equipamentos em 3D para a produção sob medida. A entrada na era da transformação digital será um caminho rumo ao futuro e sem volta para as indústrias, que não sobreviverão mais sem tecnologia, dispositivos móveis e sistemas de telecomunicações.

Com esse movimento, pesquisas indicam que surgirão novas oportunidades de negócios. Segundo o Gartner, as empresas representam 57% dos gastos totais com IoT em 2017. Neste ano, os investimentos globais em hardware para o uso de coisas conectadas dentro das empresas chegarão a US$ 964 bilhões. As aplicações de consumo somarão US$ 725 bilhões em 2017 e, até 2020, os gastos nesses dois segmentos atingirão quase US$ 3 trilhões. Já temos quase 9 bilhões de “coisas” conectadas em uso em 2017, sendo que cerca de 3 bilhões já estão sob controle das empresas. A expectativa é que o volume total chegue a 20 bilhões até 2020.

As manufaturas tradicionais, que ainda tinham dúvidas sobre os benefícios da transformação digital, precisam acelerar a transição para se adequarem ao novo modelo de negócios e não serem ultrapassadas. Com um processo automatizado, mais ágil e com menos chance de erros, as indústrias que saírem à frente terão resultados positivos e condições de concorrer no atual mundo globalizado no qual vivemos.

Mário Rachid, Diretor Executivo de Soluções Digitais da Embratel

Tags, , ,

A segurança corporativa na Era Digital – Por Mário Rachid

Os ciberataques com vírus do tipo ransomware ocorridos recentemente alertam para a vulnerabilidade da segurança digital de muitas empresas nos mais variados segmentos. Milhares de empresas de todo o planeta foram atingidas recentemente por uma espécie de vírus que sequestra e bloqueia o acesso a arquivos — pedindo resgate para liberá-los –, gerando impactos irreparáveis aos negócios.

O ataque massivo revela que a proteção de sistemas e dados é o grande desafio das organizações, que são cada vez mais dependentes de sistemas eletrônicos para a troca de informações sigilosas. Para garantir a proteção desses dados é mandatório investir em estruturas robustas de segurança, com atuação rápida, preventiva e ininterrupta.

Os prejuízos para uma empresa vítima de um ataque massivo de hackers são enormes. Os danos financeiros e operacionais são os primeiros a serem contabilizados. Sistemas são rapidamente desligados para evitar um comprometimento maior da estrutura, paralisando as operações desde o momento no qual a ameaça é percebida até a contenção do ataque. Mas é preciso pensar além. Os prejuízos podem ser ainda mais danosos à reputação das organizações, aos clientes que podem ter dados expostos e às operações.

Está cada vez mais evidente, principalmente após os ciberataques mundiais, que as equipes de TI de muitas empresas ainda não estão preparadas para, sozinhas, gerenciarem as novas ameaças que surgem todos os dias e que exigem uma resposta rápida para minimizar os riscos de perdas financeiras, operacionais e de imagem. Os times internos descobriram que, de forma manual, é impossível mitigar essas invasões e apenas com uso de modernas tecnologias consegue-se dar conta da tríade necessária para que os dados das companhias estejam seguros: prevenção, detecção e mitigação.

Especialistas apontam que 2017 é o ano que marca a mudança de estratégia das organizações em relação ao orçamento de segurança digital. As cifras crescem na mesma proporção que a preocupação dos líderes de TI. Este ano, por exemplo, os gastos nessa área devem aumentar cerca de 10% em relação a 2016, chegando mundialmente a mais de US$ 90 bilhões. Segundo o Gartner, a tendência é passar dos US$ 110 bilhões em menos de três anos.

O Brasil é um dos países mais vulneráveis a ataques do tipo ransomware, com milhares de tentativas de invasão registradas diariamente. O País também está no alvo de outro tipo de ameaça. Os ataques de “negação de serviços”, chamados de DDoS (Distributed Denial of Services), serão os maiores responsáveis pela paralisação de operações por indisponibilidade de sites, redes digitais e aplicações corporativas, como e-mails e sistemas de faturamento.

A proteção contra esse tipo de ataque passa pela adoção de soluções do tipo Anti-DDoS, que detectam e mitigam ataques com eficiência antes que a rede corporativa seja atingida. A proteção garante disponibilidade de rede, evitando a saturação da banda de Internet diante de ataques. Instituições bancárias e empresas de e-commerce, que necessitam de ambientes seguros e estáveis para os clientes, são exemplos de organizações que já usam sistemas de Anti-DDoS. Porém, a tendência é que essa proteção passe a ser usada por empresas de todos os tamanhos e segmentos, uma vez que é inimaginável nos dias de hoje trabalhar sem o apoio das tecnologias de segurança.

No campo de detecção prévia de movimentos suspeitos, a inteligência cibernética ganha cada vez mais espaço no mercado. O monitoramento de redes abertas, Deep Web, Dark Web e de dispositivos de Internet das Coisas possibilita a identificação e antecipação a possíveis ameaças, contribuindo para a adoção de novas estratégias para proteção de estruturas, dados e informações.

Os tipos de ameaças continuarão evoluindo à medida que a tecnologia avança e aumenta o número de dispositivos conectados à rede que trocam e geram um volume gigantesco de informações. Nesse cenário, o planejamento de segurança da informação precisa incluir ferramentas de backup para recuperação rápida de arquivos e dados em caso de ataques. Os recentes ciberataques ligaram o alerta vermelho de executivos do mundo inteiro. Todos aprenderam a lição que basta um ataque para acabar com toda a trajetória de uma empresa.

O ambiente corporativo está cada vez mais conectado e dependente de tecnologias. Sem soluções preditivas de segurança digital, o futuro das organizações estará em risco. Como temos visto recentemente, o mundo pode mudar completamente em apenas algumas horas. Será que alguém ainda duvida disso?

Mário Rachid, Diretor Executivo de Soluções Digitais da Embratel

Tags,

O futuro dos Data Centers – Por Mário Rachid

Experimente contar o número de vezes em que acessa informações e sistemas da sua empresa em um dia. Multiplique esse número pela quantidade de colaboradores que atuam com você. A conta crescerá em escala exponencial se incluir as atividades realizadas em outros escritórios. O acesso rápido e seguro a esse volume gigantesco de dados e aplicações só é possível para empresas que utilizam Data Centers de fornecedores de excelência mundial. O armazenamento externo será a melhor opção para CIOs que buscam performance, agilidade e segurança para seus dados e aplicações.

Um dos principais desafios para os líderes de TI durante o processo de transformação digital é encontrar a melhor solução para armazenamento e gerenciamento de dados com segurança, custo planejado e agilidade. As organizações que melhor se adaptam ao novo modelo de negócios digitais são aquelas que migram para Data Centers externos. A escalabilidade da solução, com a expansão ou redução da estrutura de acordo com as operações e necessidades da empresa, é fundamental para a atuação no mercado cada vez mais competitivo de hoje.

As organizações que se veem pressionadas a reduzir gastos, principalmente nos últimos dois anos, encontram na terceirização dos Data Centers a melhor solução. Custos com manutenção e atualização de equipamentos, equipe técnica especializada, energia e espaço físico passam para a responsabilidade do fornecedor, que, por sua vez, oferecem moderna infraestrutura e expertise em tecnologia.

A busca por Data Centers externos para armazenamento e backup tende a aumentar nos próximos três anos. O movimento será impulsionado pela disseminação de tecnologias disruptivas como a Internet das Coisas e a Computação em Nuvem, e pelo volume gigantesco de dados gerados pelas organizações. De olho nesse mercado, fornecedores de ponta investem ainda mais na flexibilidade, segurança e capacidade de integração dos Data Centers externos. Hoje, é fundamental implementar modelos com o self provisioning, um sistema que garante ao usuário a possibilidade de inserir aplicações e serviços em Nuvem sem a necessidade de provedores de serviços, permitindo maior colaboração entre os envolvidos no mesmo projeto.

Poder computacional, armazenamento e backup de dados continuarão, por muitos anos, sendo a grande vitrine dos Data Centers, principalmente pela demanda das empresas por uma atuação em tempo real e a rápida recuperação de dados em caso de desastres ou ataques. Outras possibilidades, porém, já são apresentadas, como o provisionamento de serviços inteligentes. Nesse cenário, o Data Center externo sugere, ou até mesmo implementa, de forma independente, o melhor modelo de configuração para a infraestrutura, a partir do comportamento das aplicações que hospeda e das relações destas com os componentes computacionais e de rede.

A automação de processos e o volume crescente de dados gerados por dispositivos conectados, seja para uso pessoal, seja corporativo, demandará o amadurecimento das soluções de segurança digital e a mitigação de ataques cibernéticos. Estimativas indicam que, até 2020, o número de dispositivos conectados saltará de 8,4 bilhões para mais de 20 bilhões. Há investimento em serviços preditivos, os quais protegem os elementos da infraestrutura das empresas antes mesmo da concretização de eventuais ameaças. Por outro lado, estudos apontam que o armazenamento de dados em Data Centers locais se mostrou oneroso e até duas vezes menos seguro do que em ambientes externos. Ou seja, terceirizar o Data Center é o mais indicado para o mercado atual.

Pergunte aos CIOs de grandes empresas quais são os objetivos do setor de TI a serem alcançados até 2020. Crescimento econômico, redução de custos e melhor infraestrutura certamente estarão no topo da lista. Tais metas, porém, só serão possíveis se baseadas em uma estrutura escalável, segura e flexível como o Data Center externo. A busca pela inovação precisa estar pautada na solução mais adequada a cada modelo de negócio. O futuro já está em curso e muitas organizações ficarão pelo caminho. Não existe receita pronta para que a sua grama seja mais verde do que a do vizinho. O sucesso será obtido por lideranças que se planejarem e estabelecerem contato com os melhores parceiros comerciais. Faça da tecnologia a sua grande aliada nos negócios!

A Embratel conquistou, em maio de 2017, o Frost & Sullivan 2017 Best Practices Awards para serviços de Data Center, na categoria Data Center Services Provided by Telecommunications Companies Market Leadership Award Brazil.

Mário Rachid, Diretor Executivo de Soluções Digitais da Embratel

Tags,

A expansão da Computação em Nuvem no mundo corporativo – Por Mário Rachid

Alguém duvida que vivemos hoje um dos momentos mais disruptivos da história, e os grandes avanços só são possíveis graças à tecnologia? Sem dúvida, a estrutura do setor de TI está totalmente diferente para acompanhar as novas demandas do mercado, que vive seus dias mais digitais. Pequenas e médias empresas, antes com limitação de orçamentos, não tinham estruturas para competir com as grandes corporações. Em contrapartida, os conglomerados empresariais eram lentos, não conseguiam adotar novas tecnologias e muito menos se reinventarem. Agora, com a disseminação da Computação em Nuvem, ou Cloud Computing, as regras mudaram e o mercado iniciou uma nova dinâmica de trabalho totalmente diferente do que tínhamos há poucos anos.

De forma tímida, as aplicações em Nuvem começaram a ganhar força com os sistemas de e-mail. Em busca de disponibilidade a qualquer hora do dia e da noite, hoje a maioria das empresas do mundo utilizam Cloud para e-mail. A Computação em Nuvem começou como um experimento, percorreu um longo caminho e já está começando a ser considerada crítica para as empresas. Em sua primeira década, Cloud não foi rapidamente aceito pela área de TI, que ainda trabalhava apenas com soluções e equipamentos próprios. Mas, olhando para seu estágio atual, temos a garantia que as oferta em Nuvem se tornaram maduras e muito mais seguras do que nos primórdios. Com isso, ganhou a atenção da área de TI e de outros departamentos, dominando todas as áreas das empresas.
Por isso, é possível afirmar que a transformação digital das empresas será feita por meio de ambientes Cloud. Companhias que buscam agilidade estão procurando oportunidades nas soluções em Nuvem para criar novos serviços e modelos de negócios inovadores que as ajudem a reduzir custos e tempo, aumentando a produtividade e criando eficiências operacionais para seus negócios. Os serviços estão crescendo para Infraestrutura como Serviço (IaaS), Software como Serviço (SasS), Plataforma como Serviço (PaaS) e Business Proccess como Serviço (BPaaS). Os paradigmas de propriedade estão sendo definitivamente esquecidos ao serem substituídos por novos modelos. Novas formas de medição e de cobrança vão ganhar novos adeptos a cada dia. O modelo que conhecíamos de compra de equipamento deixará de existir para ceder espaço a um outro, mais moderno, de uso conforme a necessidade do momento e com pagamento flexível.

Com Cloud Computing, as empresas promoverão novos níveis de experiência e de relacionamento entre funcionários, fornecedores, parceiros e clientes. Toda a estratégia empresarial corporativa será revista e TI estará mais presente nas organizações, com um papel mais estratégico. A infraestrutura deixará de ser coadjuvante para estar no centro das decisões e os CIOs terão novas possibilidades para atuarem como orquestradores dos serviços empresariais, uma vez que tudo estará conectado.

Essa mentalidade direcionada para novos serviços e a promoção da experiência dos clientes irá requerer uma mudança cultural, bem como uma transição para um modelo operacional orientado conforme o uso e a necessidade de recursos. Essa transição também aumentará a flexibilidade das empresas e permitirá que a área de TI auxilie, de forma ainda mais eficaz, o crescimento do negócio.

Durante a última década, a Computação em Nuvem amadureceu em várias frentes, inclusive em segurança. Pesquisas apontam que ambientes e aplicações armazenados em Data Centers externos de qualidade são duas vezes mais seguros que as estruturas de TI locais, além de serem mais modernos, baratos e flexíveis. Por isso, não considero prematuro afirmar que esse novo mundo Cloud será predominante nas organizações e teremos uma reversão de cenário, com quase todas as aplicações e sistemas em Nuvem.

À medida que aumenta a pressão para mover para os serviços, aplicações e infraestruturas para Cloud Computing, mais organizações estão agilizando seus projetos para potencializar os ganhos desse novo ambiente. Até 2021, mais da metade das empresas globais terão estruturas totalmente armazenadas na Nuvem (Cloud-all-in).

Esse novo ciclo demandará um novo planejamento das empresas e uma capacidade ainda maior dos Data Centers externos, que deverão ter um volume cada vez maior de clientes. No Brasil, o movimento ganhou força por conta da pressão enfrentada pelas companhias para reduzirem custos ao longo do ano passado, e, sem dúvida, terá maior volume nos próximos anos. Ao mudar a lógica do budget das empresas, do modelo de compra para o de pagamento conforme a utilização, teremos um novo cenário disruptivo. As empresas que não aderirem ao Cloud ficarão de fora desse capítulo da história!

Mário Rachid, Diretor Executivo de Soluções Digitais da Embratel

Tags,

Embratel anuncia solução de Segurança em Cloud

A Embratel anuncia o lançamento da Internet Segura Embratel, uma solução completa de segurança totalmente gerenciada no ambiente Cloud Computing, indicada para clientes que desejam proteger o acesso de suas empresas à Internet. A nova oferta complementa e reforça o portfólio de Segurança da Embratel e poderá ser contratada a partir de R$ 239,90 por mês.

Com a Internet Segura, a Embratel integra diversas funcionalidades de segurança e controle de rede em um único dispositivo. A solução permite diversos benefícios como proteger informações e navegabilidade na Internet, criar regras específicas de acesso à Internet, priorizar o tráfego de aplicações e monitorar a rede de forma centralizada. Todas essas funcionalidades são feitas por meio de um equipamento de alto desempenho, o UTM (Gerenciamento Unificado de Ameaças).

“Esse lançamento reforça o portfólio de Segurança da Embratel e possibilita que os clientes protejam suas informações com um sistema moderno e de baixo custo”, diz Mário Rachid, Diretor Executivo de Soluções Digitais da Embratel. O executivo destaca que, na solução contratada, o cliente pode extrair relatórios facilmente pelo portal da oferta, para total visibilidade e controle de sua rede.

A nova solução da Embratel reúne as principais funcionalidades de segurança, como Firewall, QoS (regras de qualidade de serviço), filtro de conteúdo, filtro de segurança e soluções de SD-WAN (software-defined WAN). Para contratar a Internet Segura, o cliente pode escolher entre dois planos, Básico e Avançado. A nova oferta também permite a visão do tráfego por cliente, dispositivo, fabricante, aplicação e sistema operacional por meio de uma interface intuitiva. Além disso, exibe estatísticas de conectividade, principais ameaças de segurança e sites bloqueados. O cliente da Embratel também tem acesso a suporte técnico ininterrupto, 24 horas por dia, e tem a possibilidade de contratar recursos adicionais como inclusão e alteração de regras, e controles por grupos (usuários ou sub-redes).

Para contratar a Internet Segura Embratel é necessário ter um link de Internet da Embratel. Para mais informações, acesse: www.embratel.com.br/internetsegura.

Tags, ,

Embratel anuncia solução de Cloud Server para E-Open

A Embratel anuncia a conquista de novos clientes. A E-Open, empresa líder no desenvolvimento de aplicações, está utilizando a solução de Cloud Server da Embratel para armazenar seus dados e aplicações de seu negócio. Com um vasto portfólio de soluções integradas de Telecomunicações e TI, a Embratel oferece para a E-Open Infraestrutura como Serviço (IaaS) armazenada em Nuvem, com a vantagem de pagamento conforme o uso, dispensando eventuais custos com compra de equipamentos e de sistemas. A E-Open está hospedando no Cloud Server da Embratel uma série de aplicações que são acessadas diariamente por milhares de pessoas, como cursos de educação à distância de importantes universidades e hospitais do País.

Com foco no planejamento e execução de projetos consistentes e sustentáveis na área de software, a E-Open oferece serviços de programação de computadores e precisava de uma plataforma de alto desempenho e confiabilidade para desenvolver aplicações para seus clientes. Com a solução da Embratel, a E-Open passa a ter à disposição uma plataforma com recursos completos e customizáveis, atendendo perfeitamente suas necessidades.

“A solução da Embratel permite que a E-Open combine elasticidade, poder computacional aliados a maior capacidade de conexão de rede do País, sem a necessidade de franquias mínimas. A cobrança é realizada por hora, conforme os recursos utilizados”, afirma Mário Rachid, Diretor Executivo de Soluções de Soluções Digitais da Embratel. O executivo destaca que a Embratel já está consolidada como provedora de serviços de Cloud Computing para o mercado corporativo e continua expandindo cada vez mais sua presença.

“Com a Embratel, conseguimos ter uma estrutura completa que nos permite liberdade para ampliar o uso de serviços de Cloud Server conforme nossa demanda. Estamos muito felizes com o serviço e com a agilidade que temos com o portal da Embratel, que permite ajustes em nosso plano, de forma automática e sem dificuldades. Esse benefício é muito difícil de encontrar no mercado”, diz André Escudero, Diretor de Pesquisa e Desenvolvimento da E-Open.

Segundo Escudeiro, outra vantagem é o fato de o Data Center da Embratel estar localizado no Brasil, com suporte local em português (24×7) e fatura em reais. “A Embratel é a melhor opção de fornecimento de soluções de Cloud”.

A solução Cloud Server Embratel é indicada para empresas que precisam de uma infraestrutura de alta performance sob medida, com total autonomia para administrar e criar servidores em poucos minutos. A oferta não demanda franquias mínimas e é cobrada por hora de uso, de acordo com o consumo dos recursos computacionais. Com preços fixos em reais, elimina o risco financeiro proveniente de alterações na cotação do dólar. É ideal para empresas que trabalham com tecnologia como desenvolvedores de software, sites, sistemas web, e-commerce e aplicativos móveis, além de companhias com demandas sazonais de serviços de tecnologia em Nuvem.

Para saber mais sobre o serviço de Cloud Server da Embratel, acesse o site: www.embratel.com.br/cloudserver.

Tags, , , , , ,

Data Center Embratel é reconhecido como o melhor do Brasil

A Embratel anuncia a conquista do prêmio Data Center Dynamics Awards Brasil 2016 (DCD Awards), na categoria “Melhor Provedor de Serviço de Data Center”. Este é o principal reconhecimento do mercado para identificar os melhores centros de dados do País. A iniciativa destaca a inovação, liderança e modernização da Embratel.

“Estamos muito felizes com mais este reconhecimento da Data Center Dynamics. Nossos clientes corporativos têm acesso a uma infraestrutura sem igual no País, que, agora, estará auditada e certificada também em eficiência energética”, diz Mário Rachid, Diretor Executivo de Soluções Digitais da Embratel, destacando que o Data Center Lapa já possui a certificação TIER III, fornecida pelo Uptime Institute, o principal instituto de certificação americano, e também pela TÜV Rheinland, certificadora alemã, atestando qualidade, robustez em TI, escalabilidade e flexibilidade de seu ambiente.

O Data Center Lapa da Embratel ocupa área total de 7 mil metros quadrados, sendo 2 mil metros quadrados de piso de TI, possui tecnologia de ponta em toda a sua infraestrutura, com usina de energia própria e flexibilidade para atender ambientes com alta densidade. Localizado na cidade de São Paulo, possui capacidade para atender médias e grandes empresas de todas as regiões do País.
A escolha da Embratel como vencedora da categoria foi feita por um júri composto por especialistas da indústria, além de operadores, fornecedores e consultores. Criado em Londres há 10 anos, o DCD Awards faz parte de uma série global de premiação e vem sendo realizado anualmente no Brasil desde 2011.

Tags, , , , ,

Embratel lança soluções de Storage como Serviço

A Embratel lança hoje soluções de Storage as a Service: Cloud Storage e Network Storage. As novas ofertas permitem o armazenamento de arquivos e objetos na Nuvem da Embratel, com acesso via Internet e rede privada, com a vantagem que os clientes podem pagar conforme o uso dos serviços. Os novos produtos de armazenamento (storage) integram o portfólio de segurança da empresa e serão anunciados durante o Futurecom 2016, principal evento de TIC da América Latina e que acontece de 17 a 20 de outubro, em São Paulo.

“As ofertas Cloud Storage e Network Storage vieram complementar nossa família de serviços em Nuvem, tornando o portfólio de produtos da Embratel ainda mais completo, com maior abrangência e mais benefícios para empresas de todos os tamanhos”, diz Mário Rachid, Diretor Executivo de Soluções Digitais da Embratel. Segundo ele, as duas modalidades garantem alta disponibilidade de dados armazenados, com SLA (garantia de nível de serviço) de 99,9%, atrelada à alta performance e desempenho da rede da Embratel.

A Cloud Storage da Embratel é uma plataforma escalável para armazenamento, gerenciamento e distribuição de objetos na Nuvem via Internet, com alta disponibilidade e durabilidade. A nova oferta é ideal para guardar e disseminar conteúdos como sites e sistemas virtuais, fazer backup on-line e armazenar grande volume de dados como imagens, músicas, documentos, e-mail, entre outros. A nova solução destaca-se por utilizar o software de código aberto OpenStack para gerenciar os componentes de múltiplas infraestruturas virtualizadas, funcionando independentemente de servidores e de outros equipamentos.

Já com a Network Storage, o cliente consegue ampliar o desempenho e a capacidade de sua infraestrutura, associando seus servidores a uma solução de armazenamento de arquivos de forma centralizada, escalável e baseada na plataforma NAS – Network Attached Storage (armazenamento conectado à rede). A oferta é recomendada para o armazenamento de volumes de tamanhos e desempenhos variados que precisam estar acessíveis por rede privada, via protocolo NFS – Network File System (diretório virtual de compartilhamento entre computadores conectados em rede).

A solução ainda permite que arquivos salvos na rede sejam acessados ou compartilhados por mais de um dispositivo. Para contratar a oferta de Network Storage, é necessário que o cliente já possua servidores conectados ao Data Center da Embratel, que possui a maior abrangência de conexão de rede do Brasil, com ótima latência, alta velocidade e o melhor tempo de resposta para aplicações.
O portfólio de produtos da Embratel permite ao cliente terceirizar toda a sua infraestrutura de TI, inclusive com soluções como as de Cyber Intelligence, Data Center Virtual, Core Infrastructure, Network Suite, Experience Monitoring, Backup e Storage Protect, Security Services, Managed Services e Disaster Recovery.

Portfólio de segurança da Embratel

As soluções de Storage as a Service podem ser utilizadas em conjunto com a nova oferta de Cyber Intelligence, que está sendo lançada no mercado esta semana para proteger empresas de ataques cibernéticos e de invasões capazes de colocar em risco suas estruturas de TI e de Telecom. Também podem ser integradas a outras soluções da Embratel, como o Data Center Virtual, que é uma linha de serviços capaz de unir a flexibilidade das soluções hospedadas em Cloud com a robustez do Hosting gerenciado.

“Com a Embratel, os clientes possuem soluções completas, desde a infraestrutura até todo o suporte necessário as suas aplicações”, afirma Mário Rachid. Segundo ele, outro destaque do portfólio da Embratel é o Core Infrastructure que reúne todos os elementos essenciais para hospedar o ambiente de TI do cliente em um Centro de Dados. Já o Network Suite, oferece soluções de conectividade e alta disponibilidade de rede. Proporciona crescimento escalável, conforme a necessidade dos negócios. No âmbito do monitoramento, o Experience Monitoring inclui soluções com total integração em diferentes ambientes, correlacionando dados e permitindo visualização de indicadores de desempenho.

Na área de Backup, o produto Backup e Storage Protect permite fazer o armazenamento centralizado e gerenciado, garantindo maior benefício no ciclo de vida da informação. Com a adoção de políticas de proteção (backup), dados críticos ficam seguros e disponíveis a qualquer momento. O Security Services apresenta soluções flexíveis e em conformidade com as normas de segurança internacional. É uma linha de serviços que agrega melhorias contínuas, gerencia o risco e antecipa possíveis impactos nos negócios dos clientes.
Para o ambiente de gestão, a Embratel oferece o Managed Services para gerenciar cada componente do ambiente de TI das empresas, e o Disaster Recovery para cópia adicional de dados e proteção em caso de desastre.

Tags, , , , , , ,

Embratel lança solução de Cyber Intelligence

A Embratel lança nesta semana a solução Embratel Cyber Intelligence para proteger empresas de ataques cibernéticos e invasões que podem colocar em risco suas estruturas de TI e de Telecom. O novo sistema e o portfólio de produtos de segurança da empresa serão apresentados ao público durante o Futurecom 2016, principal evento de TIC da América Latina e que acontece de 17 a 20 de outubro, em São Paulo.

“A prevenção de ataques continua sendo uma grande preocupação das empresas que já estão conscientes da importância do tema, mas que ainda se encontram despreparadas para reagir rapidamente diante de ataques e de invasões”, diz Mário Rachid, Diretor Executivo de Soluções Digitais da Embratel, destacando que a Embratel Cyber Intelligence ajuda na proteção das estruturas das empresas diante de ataques de hackers e cibercriminosos, garantindo a disponibilidade dos ambientes de TI e de Telecom.

O executivo estima que essa área de proteção da Embratel será uma das de maior crescimento nos próximos anos devido à transformação dos negócios tradicionais dos clientes em novos modelos cada vez mais digitais. Segundo ele, pesquisas apontam que 60% das empresas sofrerão grandes falhas em seus serviços até 2020 e as equipes de TI dessas organizações não terão habilidade para gerenciar sozinhas esses novos riscos. “Estimativas indicam que metade das companhias do mundo terá estruturas em Cloud ou Data Centers externos para recuperação de desastres primários até o ano que vem e, já em 2020, cerca de 30% das 2.000 maiores empresas globais estarão impactadas por grupos de ciberativistas ou cibercriminosos”, diz.

A nova solução destaca-se pela característica preventiva e pela capacidade de identificar previamente possíveis ameaças, inclusive monitorando o que acontece no tráfego da rede e detectando movimentos na Deep Web, Dark Web e de dispositivos de Internet das Coisas (IoT – Internet of Things).

Ataques cibernéticos geralmente seguem protocolos similares, sendo programados com uso de técnicas avançadas feitas a partir de pesquisas preliminares de rastreamento das empresas-alvo e de busca de informações públicas disponíveis em redes sociais, blogs e fóruns. Com base no material apurado, os cibercriminosos planejam as ações e as ferramentas que irão utilizar para invadir os pontos mais vulneráveis das empresas para tentar ultrapassar seus mecanismos e sistemas de defesa.

Além de impactos operacionais e financeiros, a indisponibilidade de comunicação pode causar grandes riscos de reputação por evidenciar eventuais fragilidades nas estruturas digitais de segurança das empresas. Além disso, pode expor clientes finais com possíveis divulgações não-autorizadas, como a exposição de seus dados pessoais. A nova solução da Embratel investiga e antecipa potenciais ameaças, criando uma barreira de proteção lógica contra diferentes tipos de ataques.

De forma preditiva, protege os elementos da infraestrutura das empresas antes mesmo da concretização de eventuais ameaças, garantindo a disponibilidade dos serviços e mantendo ativa a conexão à Internet das organizações. A partir da coleta de dados nos clientes, a Embratel cria um perfil com as caraterísticas técnicas de cada estrutura. Diante de qualquer alteração, as empresas são avisadas imediatamente sobre movimentos indevidos e sobre as melhores estratégias de defesa para se protegerem das ameaças e para prevenirem novos ataques de negação de serviço (DDoS).

Há mais de dez anos, a Embratel atua como fornecedora de soluções de segurança para proteção de dados. Foi a primeira empresa a ter, por exemplo, um centro de gerenciamento de segurança instalado no Brasil. O Centro de Cibersegurança da Embratel é direcionado para grandes grupos, conglomerados empresariais, bancos e eventos de porte como os Jogos Olímpicos e Paralímpicos 2016, dos quais a Embratel foi patrocinadora e fornecedora oficial de serviços de Telecomunicações, proporcionando qualidade e excelência mundial.

Agora, para o lançamento da nova solução, foi criado um novo centro de proteção de segurança no Data Center da Embratel. Com isso, a empresa amplia seu portfólio de produtos para permitir que médias e grandes empresas tenham acesso a filtros de investigação e a estruturas de segurança digital antes só disponíveis para grandes grupos empresariais. “Nossa nova solução pode ajudar as empresas a analisarem seus níveis de proteção e a monitorarem, com inteligência preditiva, eventuais movimentos na Internet”, diz o Diretor Executivo da Embratel.

A solução Embratel Cyber Intelligence já está disponível para compra e seu custo varia conforme as características e porte de cada empresa.

Diferenciais da oferta Cyber Intelligence da Embratel:

– Monitoramento de marca;
– Prevenção de ameaças de ataques de negação de serviço (DDoS);
– Detecção de possíveis modificações não-legítimas nos sites das empresas, como Defacements (ataques ou modificações em websites) e Trojans (Cavalo de Troia);
– Controle de eventuais vazamentos de informações confidenciais para terceiros e fontes públicas;
– Identificação de sites falsos da organização relacionados com o Phishing (forma de fraude eletrônica caracterizada pela obtenção de dados como uma fonte e/ou pessoa confiável);
– Detecção de campanhas contra as empresas e/ou ameaças em seus setores de atuação;
– Levantamento de informações relevantes sobre as empresas, inclusive vendas não-autorizadas em algum mercado negro da Dark Web;
– Diagnósticos especiais a partir de uma perspectiva externa para contribuir para a adoção de novas estratégias de proteção de estruturas, dados e informações.

Tags, , , ,

Embratel apoia desenvolvimento de startups e empreendedorismo

Participantes da Android DevConference podem testar e conhecer os benefícios do Cloud Server

A Embratel anuncia novas ofertas para startups e empreendedores no Android DevConference, evento para desenvolvedores da plataforma Android e que acontece nos dias 5 e 6 de setembro, em São Paulo. Novas ofertas de serviços de Cloud e de Hospedagem estão sendo apresentadas pela Embratel para mais de 1.500 empreendedores de todo o Brasil que participam da conferênciae que podem acompanhar apresentações sobre soluções, desenvolvimento de aplicativos e outros temas do universo da tecnologia.

“Estamos com uma série de ações e anúncios em nosso portfólio de soluções para empresas de todos os tamanhos e para destacar o DNA empreendedor da Embratel”, afirma Mário Rachid, Diretor Executivo de Soluções Digitais da Embratel. O executivo destaca que os participantes podem conferir as novidades no Salão de Negócios, onde está o estande da Embratel, para conhecer mais sobre a ampla gama de ofertas convergentes de Telecomunicações e Soluções Digitais para pequenas, médias e grandes empresas.

O evento recebe a visitação também de parceiros de negócios e comunidades apoiadas pela Embratel, como a iMasters, com mais 300 mil profissionais de TI, desenvolvimento e criatividade digital.

A promoção para o Android DevConference é especial. Todos os participantes recebem um voucher com bônus de R$ 500 para experimentar e atestar a qualidade do Cloud Server da Embratel. O Cloud Server é um servidor virtual dinâmico que garante flexibilidade para aumentar ou diminuir a capacidade do servidor segundo a demanda computacional dos clientes. A solução é indicada para empresas de todos os portes que necessitam de uma infraestrutura mais flexível para armazenar com segurança seus projetos.

O Cloud Server possui vantagens como discos virtuais de alta capacidade (Virtual-SAN com tiering SSD) em rede dedicada de 40 Gbps, suporte em português sem custo adicional, melhor tempo de resposta às aplicações devido à maior abrangência de conexão de rede do Brasil, proporcionando melhor tempo de resposta para suas aplicações, e múltiplas funcionalidades via painel de controle para auxiliar a rotina de administração do servidor como ferramenta de Backup, Load Balance, API Restful e vLAN (rede privada). Outra vantagem do Cloud Server é a cobrança, feita conforme o volume de uso do serviço, evitando que as empresas tenham custos imobilizados com a aquisição de equipamentos ou que paguem por recursos não utilizados.

Com diversas configurações disponíveis, o Cloud Server permite a instalação de dezenas de servidores em poucos minutos por meio de Painel de Controle. As opções de memória vão de 512 MB a 256 GB, o processamento varia entre 1 vCPUs e 20 vCPUs, com velocidade de 1 GHZ a 2,5 GHZ, e os discos têm com capacidade de armazenamento de 20 GB a 5.000 GB. A ferramenta funciona nos sistemas operacionais Windows, Ubuntu, CentOS, OpenSUSE, RedHat Enterprise, MySQL e SQL.

Interessados podem contratar o Cloud Server pelo portal https://loja.embratelcloud.com.br.

Embratel no Android DevConference
Data: 05 e 06 de setembro
Local: Hotel Tivoli Mofarrej – Endereço: Alameda Santos, 1437 – São Paulo – SP

Tags, , , ,

Embratel anuncia Black Friday para a oferta do Serviço Segurança de Dados

A Embratel anuncia o lançamento de sua campanha Black Friday. Trata-se de uma iniciativa promocional para divulgar a solução Segurança de Dados da empresa. Com a campanha, os clientes corporativos poderão usufruir os serviços, como degustação, gratuitamente por 30 dias seguidos.

Com a solução ofertada, qualquer empresa com conexão Internet e/ou de redes dedicadas terá acesso às funcionalidades e benefícios oferecidos pela Embratel. O produto garante a proteção contra vírus, hackers, spam e outras formas de ataque virtual por meio de um console simples e intuitivo, no qual é possível gerenciar e remover qualquer comportamento suspeito em seus desktops e servidores.

A Embratel preparou uma ação diferenciada para os interessados em proteger os dados e informações de sua empresa. “Com a solução de Segurança de Dados da Embratel nossos clientes ficam protegidos das ameaças do mundo digital por uma plataforma constantemente atualizada”, diz Mário Rachid, Diretor Executivo da Embratel, acrescentando que dispositivos como computadores, notebooks e servidores podem ser beneficiados com a oferta.

Além da proteção, o produto Segurança de Dados permite o bloqueio de sites e a filtragem de conteúdos indesejáveis para a empresa. “Todas as máquinas e dispositivos dos nossos clientes podem ser programados com a solução da Embratel”, afirma Rachid, destacando que o ambiente pode ser gerenciado de qualquer lugar por meio da Nuvem da Embratel.
Para conhecer todos os benefícios e planos da oferta Segurança de Dados, e aderir à promoção, basta acessar o site http://portal.embratel.com.br/cloud/seguranca-de-dados/beneficios/.

Tags,

Embratel anuncia soluções de TI e Telecom para o mercado financeiro durante o CIAB 2015

 

A Embratel anuncia novas soluções direcionadas ao mercado financeiro durante o CIAB Febraban 2015, evento que acontece em São Paulo de 16 a 18 de junho. Com portfólio completo de serviços convergentes de Telecom e TI com Mobilidade Corporativa para empresas de todos os tamanhos, a Embratel está com novas soluções de Mobilidade para Força de Vendas, além de serviços de Data Center e soluções de voz.

“A Embratel reforça sua posição de liderança durante o CIAB Febraban e se destaca por ser a única empresa focada no mercado corporativo com um portfólio completo de serviços convergentes de Telecom e TI com Mobilidade”, diz Mario Rachid, Diretor Executivo da Embratel.

O serviço de Mobilidade da Embratel permite que toda a força de vendas dos clientes use aplicativos únicos para melhor desempenho e performance de vendas. Nossa oferta permite a criação de catálogo único de produtos com visibilidade para todo o time comercial, integra as ofertas de BPO (sigla em inglês para Terceirização de Processos de Negócio) e BSI (em português, Integração de Sistemas de Negócio) reduzindo o tempo de atendimento, e viabiliza avaliações imediatas do time de vendas.

“Com a oferta da Embratel, o cliente consegue aprimorar o antigo modelo de comercial focado em vendedores com carteiras específicas para um novo formato muito mais dinâmico, com informações disponíveis a qualquer momento via dispositivos móveis como Smartphones”, afirma o Diretor Executivo, acrescentando que o serviço aumenta performance e reduz custos administrativos das empresas. “O tempo de atendimento ao cliente pode cair em até cinco vezes, permitindo que os vendedores dediquem mais atenção aos clientes”, afirma Rachid.
No CIAB 2015, a Embratel apresenta suas ofertas de serviços de Data Center a clientes corporativos, disponibilizadas a partir do Data Center Lapa, instalado na capital de São Paulo. Resultado de um investimento direto de mais de R$ 100 milhões, o centro atende empresas públicas e privadas, de diversos tamanhos e setores. O Data Center Lapa integra os serviços de telecomunicações aos mais modernos recursos de TI, potencializando ofertas de Cloud Computing, Hosting, Security e Disaster Recovery.

Outro destaque no evento é a oferta de soluções de voz. A empresa atende às necessidades de Telecomunicações de seus clientes por meio de serviços de telefonia avançada VIP Único e da solução de telefonia Rede VIP. Assim, os clientes conseguem ficar conectados 24 horas por dia, sete dias por semana. ”Qualidade e economia com presença nacional são as principais características dessa oferta da Embratel”, diz Rachid.

Tags, , , , , , ,

Embratel anuncia novos serviços de TI com foco no mercado corporativo

A Embratel anuncia a oferta de novos serviços de TI para o mercado corporativo. O novo portfólio promove a sinergia entre TI e Telecom e é capaz de gerar ganhos reais financeiros e de produtividade para empresas de todos os portes. Entre as novidades estão serviços de Outsourcing de TI, que inclui infraestrutura básica, serviços gerenciados, Help Desk, Service Desk, Segurança, bem como ofertas de integração de sistemas, suporte e manutenção. Soluções de Cloud Computing, gestão de informações, soluções de Data Centers e de segurança corporativa também fazem parte do novo portfólio da Embratel.

“Com o anúncio de hoje, a Embratel reforça sua posição de liderança e se apresenta como a única empresa do mercado a oferecer um portfólio completo de serviços convergentes de TI e Telecom, com mobilidade, para clientes empresariais de todos os tamanhos”, diz Mario Rachid, Diretor Executivo da Embratel e responsável pela nova área de TI.

Segundo o executivo, a Embratel vem preparando ao longo dos últimos dois anos para o lançamento da nova área. As atividades começaram por meio da Hitss, empresa do grupo América Móvil que foi incorporada este ano. Portanto, a nova oferta já começa estruturada e com uma equipe de mais de 1.000 profissionais especializados, além de contar com o suporte da Embratel, amplamente reconhecida pela qualidade de seus serviços. “Inovação e qualidade estão no DNA da Embratel”, diz Rachid.
A empresa inicia a oferta de serviços de TI de olho num mercado que movimenta anualmente 61 bilhões de dólares no Brasil, segundo dados do IDC. As soluções de TI oferecidas pela Embratel abrangem, ainda, ITO (Infraestrutura), cujos serviços de Service Desk e Help Desk, Suporte Operacional, Serviços de Data Center, Service Delivery Management e Migração, podem ser personalizados de acordo com as demandas de cada cliente. Fábrica de Software (FSW), com certificação CMMI nível 3 também está sendo oferecida pela Embratel para ajudar empresas a terem acesso a aplicações personalizadas inclusive em dispositivos móveis (IOS, Android, Windows), Java e.Net, integração de dados (ODI e OGG), arquitetura SOA, Oracle Siebel, SAP, Portais e Fábrica de Testes.

A oferta de BPO (sigla em inglês para Terceirização de Processos de Negócio) e BSI (em português, Integração de Sistemas de Negócio) reforçam o portfólio da empresa, com ofertas que permitem a gestão e a prática de projetos com tecnologia SAP, Sales Force, Oracle e Amdocs.

Todos os serviços da empresa podem ser customizados às necessidades dos clientes. “Com a Embratel, os clientes têm a vantagem de poder contar com um único fornecedor capaz de gerenciar suas estruturas de TI e de Telecom de forma integrada”, diz o Diretor Executivo, acrescentando que a expertise da Embratel se fortalece com as parcerias internacionais com os maiores fabricantes de hardware, software e sistemas.

“Atuar em TI significa antecipar as necessidades dos clientes em suas estratégias de negócios, tornando-os mais competitivos”, afirma Rachid, destacando que, com a evolução da conectividade, da Internet e da mobilidade nos últimos anos, muitas aplicações empresariais deixaram os limites físicos das instalações e migraram com segurança para o ambiente de Cloud Computing. “Os serviços de Data Center da Embratel, por exemplo, contam com toda a estrutura tecnológica e hosting gerenciado – tanto físico como virtual (Cloud)”, diz ele, destacando que o mercado tem acompanhado a evolução da Embratel em novas áreas. “Nosso Data Center acaba ser premiado como um dos melhores do Brasil, afirma, citando o Prêmio Frost & Sullivan na categoria The Data Center Services Market Provided by Telecommunications Companies.

Tags, , , , , , , ,