Tag Festo

Indústria 4.0 e a qualificação do profissional do futuro – Por Cesar Gaitán

A Indústria 4.0 vive um período de desenvolvimento inicial no Brasil. Segundo pesquisa realizada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), a digitalização do processo produtivo industrial deve atingir 21,8% das empresas brasileiras até 2027. Hoje em dia, somente 1,6% das empresas ouvidas afirmam já operar no campo tecnológico conhecido como indústria 4.0.

A indústria brasileira precisa de uma diretriz bem definida e para o desenvolvimento e amadurecimento dessa nova era tecnológica. A cadeia de produção, assim como o modelo de negócio, deverá ser repensada, considerando que muitos dos processos serão alterados exigindo novas capacidades técnicas e comportamentais e a qualificação do novo profissional será um elemento chave para viabilizar essa mudança.

De olho nesse cenário, desenvolvemos o primeiro curso que aborda a indústria 4.0 em específico que trata sobre o perfil do novo profissional, os novos panoramas dos processos produtivos da Indústria, sua evolução e impactos socioeconômicos. O maior objetivo com esse curso é apresentar de uma forma prática os conceitos, tecnologias e novos modelos de negócios da indústria 4.0, tendo em vista que é extremamente importante compreender e aprender em detalhes essa nova realidade para adaptar-se às mudanças que estão por vir.

Há muito trabalho pela frente. É preciso de um foco específico para permitir que a indústria consiga implementar esse novo conceito tecnológico, mas acreditamos que a formação profissional irá sustentar essa transformação.

As empresas precisarão incorporar o desenvolvimento dessas tecnologias, e fazê-las com relativa agilidade a fim de evitar que o gap de competitividade entre o Brasil e alguns de seus principais competidores aumente. É necessário tornar a Indústria 4.0 uma realidade no Brasil.

César Gaitan, Diretor Geral do Cluster América do Sul da Festo

Tags, , , , ,

Mesa robótica une inteligência humana e artificial

Os mais recentes avanços tecnológicos e industriais começaram a abrir espaço permitindo maior interação na cadeia de produção. O que há de mais novo dentro do conceito de Indústria 4.0 é a capacidade de inovar sistemas e produtos, permitindo a personalização e customização.

De olho nesse cenário, a Festo, multinacional alemã líder em automação industrial, desenvolveu o BionicWorkplace, um sistema que une inteligência artificial com a inteligência humana.

A mais recente inovação conta também com o BionicCobot, braço robótico biônico, que trabalha em conjunto com vários sistemas de assistência em rede e que se comunicam entre si. A mesa possui um sistema de aprendizado e antecipação que se aperfeiçoa continuamente.

No campo de visão do operador, há uma grande tela de projeção, que fornece todas as informações relevantes e reage dinamicamente com o conteúdo aos requisitos relevantes. Ao redor da tela de projeção, vários sensores e sistemas de câmera são instalados, que registram constantemente as posições do operador. Dessa forma, um humano pode interagir diretamente com o BionicCobot e controlá-lo usando movimento, toque ou fala.

O sistema reconhece o operador e seus movimentos por uma roupa de trabalho especial, equipado com sensores de inércia, e uma luva integrada com marcadores infravermelhos, utilizando mais um conceito que é uma tendência hoje em dia que são as tecnologias wearable. Com a ajuda dos dados gravados no sensor, o BionicCobot é capaz de entregar objetos ao humano de forma segura e precisa.

O software inteligente processa simultaneamente as imagens da câmera posicionada no centro da mesa, juntamente com outros dados. Ele usa todas essas informações para obter a sequência ideal do programa. O sistema então divide as tarefas de forma conveniente para o robô e outras ferramentas, a fim de dar ao humano o melhor suporte durante o trabalho.

O sistema vai coletando novos dados a cada nova resolução. Isso cria um chamado mapa semântico que cresce continuamente. Ao longo dos caminhos de rede, os algoritmos armazenados constantemente tiram conclusões dinâmicas. Como resultado, uma sequência controlada, programada e definida gradualmente se transforma em um método de trabalho muito mais livre, flexível e integrado.

Tags, , , , ,

Tecnologia Festo vence competição de Design na Alemanha

A Festo, multinacional alemã líder em automação industrial, foi vencedora do The German Design Award 2018, um dos prêmios de Design mais importantes do mundo. A Festo levou Ouro para o BionicCobot, por um Design de Produto Bem-sucedido.

O BionicCobot é um braço robótico, similar à um braço humano, que une design e engenharia. A sua grande flexibilidade de operação e cuidado nos detalhes são os elementos que o tornam tão diferenciado. Além disso, para seu funcionamento, o BionicCobot utiliza o inovador produto Motion Terminal.

De acordo com Dr Elias Knubben, Chefe do Projeto Bionics, o BionicCobot foi desenvolvido com um design suave. “Os anéis de luz de LED permitem uma comunicação simples de indicação dos estados específicos do robô, como “ativo”, “erro detectado”, “risco de colisão”, que possibilita ao operador intuitivamente entender a máquina”, afirma o executivo.

[embedyt] http://www.youtube.com/watch?v=54u3H69tcgM[/embedyt]

Tags, , , , , ,

Indústria chega à era da customização de produtos em série – Por César Gaitan

Depois de alguns anos amargando negativos resultados, a economia brasileira começou a reagir. Os números recentes do PIB e o aumento do consumo interno por parte das famílias são sinais de retomada do crescimento. A contar pelas análises dos especialistas econômicos, é provável que esse cenário se sustente ao longo do ano.

No entanto, mesmo com resultados positivos no presente, o cenário futuro poderia ser mais promissor. Segundo um estudo da Confederação Nacional da Indústria (CNI), chamado de “Oportunidades para Indústria 4.0: aspectos da demanda e oferta no Brasil”, 24 setores da indústria brasileira pelo menos 14 precisam adotar estratégias de digitalização de processos para conseguirem se manter no mercado.

O documento da CNI ainda expõe um raio-x sobre o cenário das nossas indústrias e faz o cruzamento de dados como produtividade, exportações e taxa de inovação em um comparativo com os resultados das 30 maiores economias do mundo. A análise constatou o que há muito tempo já se sabe: o Brasil vem perdendo, ano a ano, sua competitividade na indústria.

De acordo com o estudo, entre os setores mais afetados pela falta de inovação, estão farmoquímicos e farmacêuticos; químicos; minerais não-metálicos; calçados; máquinas e equipamentos, entre outros.

A digitalização das indústrias é um caminho para que o Brasil volte a ter um grau de competitividade frente a outras nações. Porém, no que se refere à inovação, sabemos que essa mudança de cenário requer planejamento e, sobretudo, investimentos em um processo que não pode ser feito do dia para a noite. Mesmo que ainda não represente a maioria das indústrias, é sabido que algumas companhias brasileiras já estão se movimentando para entrar na 4º Revolução Industrial.

A partir do uso de tecnologias habilitadoras como, IIoT (Internet industrial das coisas), Cloud Computing, Big Data, Realidade Aumentada, Inteligência Artificial, entre outros, algumas empresas já têm disponíveis os recursos necessários para alcançar um patamar de produção customizada em série.

Na era da customização da indústria, os mais recentes avanços tecnológicos e industriais começaram a abrir espaço para permitir que o cliente seja inserido na cadeia de produção de qualquer item que se deseje personalizar seja um tênis, um computador ou até mesmo um veículo. Com essa possibilidade, um novo perfil de consumidor e forma de consumo irá se consolidar e as indústrias que estiverem preparadas para essa nova abordagem irá se manter no cenário competitivo.

Todas as empresas e máquinas envolvidas na fabricação do produto passam a se ‘conversar’ o tempo todo, desde a realização do pedido, passando por sua customização até chegar na finalização do item. Trata-se de uma mudança de paradigmas que traz um aumento da competitividade e, por outro lado, o significado do conceito de experiência do usuário em relação a um bem adquirido. A indústria deverá ser flexível para atender demandas diferentes e, ao mesmo tempo, ser eficiente operacionalmente para manter sua produtividade.

O tema tem tanta importância para o futuro do país que, inclusive, foi destaque nas últimas semanas do Fórum Econômico Mundial, realizado em São Paulo. No evento, o Governo Federal anunciou um pacote de incentivo à modernização do parque fabril brasileiro, estimulando a Indústria 4.0. Esse programa destinará cerca de R$ 8,6 bi a empresas, por linhas de crédito.

É uma ótima notícia, já que o cenário mostra-se bastante desafiador. A Indústria 4.0 já é uma realidade e o Brasil não pode ficar de fora dela.

César Gaitan é diretor geral do Cluster América do Sul da Festo.

Tags, , , , , ,

Robótica se inspira nos movimentos do morcego e da aranha

A Festo, multinacional líder em automação industrial, anunciou na última Conferência sobre a participação de Hannover, a maior feira industrial do mundo, os mais novos Bionics, robôs inspirados no movimento dos animais: o BionicFlyingFox e o BionicWheelBot.

As tecnologias fazem parte do projeto interdisciplinar da Festo, o Bionic Learning Network, com o apoio de universidades, institutos e empresas globais de desenvolvimento.

“O objetivo é aplicar o aprendizado biônico em linhas de automação no futuro. Esta é uma das nossas estratégias para desenvolver novas tecnologias para a Indústria, trazendo uma nova abordagem em automação industrial”, revela Flávio Rodrigues, Gerente de Marketing da Festo.

Conheça os novos Bionics:

BionicFlyingFox

[embedyt] http://www.youtube.com/watch?v=zDq4kjY19UU[/embedyt]

Inspirado no movimento dos morcegos, e em suas características especiais de voo. Para que o robô se mova de forma semi-autônoma em um espaço definido, existe a comunicação com um sistema de rastreamento de movimento. O sistema planeja os caminhos de voo e fornece os comandos de controle necessários para isso. Uma pessoa realiza o início e o pouso manualmente e o piloto automático assume o voo.

BionicWheelBot

[embedyt] http://www.youtube.com/watch?v=jGP5NxcCyjE[/embedyt]

Esse mais novo bionic foi embasado em estudos sobre o comportamento da aranha, que levaram ao desenho de vários robôs que podem se impulsionar em terrenos difíceis. O modelo biológico para o BionicWheelBot é a aranha flic-flac (cebrennus rechenbergi), que vive no deserto de Erg Chebbi, à beira do Saara. Ela também pode se lançar para o ar, no entanto, com uma seqüência combinada de cambalhotas e rolando no chão, e foi exatamente assim que o Bionic foi desenvolvido.

Tags, , , , , , , , , ,

Indústria 4.0 e a qualificação do profissional do futuro

Por Cesar Gaitán

A Indústria 4.0 vive um período de desenvolvimento inicial no Brasil. Segundo pesquisa realizada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), a digitalização do processo produtivo industrial deve atingir 21,8% das empresas brasileiras até 2027. Hoje em dia, somente 1,6% das empresas ouvidas afirmam já operar no campo tecnológico conhecido como indústria 4.0.

A indústria brasileira precisa de uma diretriz bem definida e para o desenvolvimento e amadurecimento dessa nova era tecnológica. A cadeia de produção, assim como o modelo de negócio, deverá ser repensada, considerando que muitos dos processos serão alterados exigindo novas capacidades técnicas e comportamentais e a qualificação do novo profissional será um elemento chave para viabilizar essa mudança.

De olho nesse cenário, desenvolvemos o primeiro curso que aborda a indústria 4.0 em específico que trata sobre o perfil do novo profissional, os novos panoramas dos processos produtivos da Indústria, sua evolução e impactos socioeconômicos. O maior objetivo com esse curso é apresentar de uma forma prática os conceitos, tecnologias e novos modelos de negócios da indústria 4.0, tendo em vista que é extremamente importante compreender e aprender em detalhes essa nova realidade para adaptar-se às mudanças que estão por vir.

Há muito trabalho pela frente. É preciso de um foco específico para permitir que a indústria consiga implementar esse novo conceito tecnológico, mas acreditamos que a formação profissional irá sustentar essa transformação.

As empresas precisarão incorporar o desenvolvimento dessas tecnologias, e fazê-las com relativa agilidade a fim de evitar que o gap de competitividade entre o Brasil e alguns de seus principais competidores aumente. É necessário tornar a Indústria 4.0 uma realidade no Brasil.

César Gaitan é Diretor Geral do Cluster América do Sul da Festo

Tags, , , , , , , ,

Evento debate a transformação da indústria e dos novos modelos de negócios

A Festo, multinacional líder em automação industrial, estará no evento da ABIMAQ Inova – A indústria em transformação – Novos modelos de negócios, no dia 28 de novembro. A ideia da iniciativa é promover uma discussão sobre uso de tecnologias de cloud computing, redes sociais, mobilidade, inteligência artificial e sensores.

A Festo Brasil participará das discussões sobre o desenvolvimento industrial no Brasil, sendo representada pelo Gerente de Customer Solutions, José Folha, que abordará sobre a digitalização da pneumática. Além disso, vai participar de um talk show para debater sobre a transformação da indústria.

O grande objetivo do evento é proporcionar maior gama de conhecimento sobre as transformações que tangem a indústria no Brasil e o que tem movido esse setor, fazendo com que ele se torne mais competitivo e mais presente no mercado. Haverá também discussão sobre os Cases da Cabify e Movida, os mais recentes modelos de negócios potencializados pelo avanço da Tecnologia e Internet das Coisas.

Para se inscrever, acesse: goo.gl/gTZrb6. Veja a programação completa em: goo.gl/yULsP3
Local: Av. Jabaquara, 2925 – Mirandópolis, São Paulo
Data: 28/11/2017
Horário: 13h30 às 17h40
Evento gratuito

Tags, , , , , , , ,

Inovação tecnológica na Indústria Automotiva é tema de workshop em São Paulo

Acontece nesta quinta-feira (21/9) o “2º Workshop de Inovação tecnológica na Indústria Automotiva”, em Santo André, no ABC paulista. O encontro reunirá os principais players do mercado de automação e tem por objetivo debater as tendências mais avançadas para a otimização de linhas de produção.

O evento é uma iniciativa das empresas Festo, Cognex, Heidenhain/Diadur, Kuka, National Instruments e Siemens, com o apoio dos integradores JVS e Tago, que se uniram para abordar de forma prática temas relativos à flexibilidade de produção, integração de tecnologias e as inovações para o segmento automotivo.

Entre os temas abordados no workshop estão:

– Sistemas de Visão Trazendo Flexibilidade em Processos Automáticos (Palestra: Cognex);

– Benefícios da Integração de Tecnologias Para Desenvolvimento de Soluções na Indústria Automotiva (Palestra: Festo);

– Flexibilização do Controle Dimensional Através de Sistemas de Medição de Alto Desempenho (Palestra: Heidenhain);

– Usando Uma Abordagem Baseada Em Plataforma Para Criar a Internet Das Coisas Industrial (IIOT) E a Indústria 4.0

(Palestra: National Instruments);

– Digital Twin: Apoio Às Decisões, Redução de Riscos e do Tempo de Ciclo de Produtos (Palestra Siemens):

O evento contará ainda com a participação de Celso Luis Placeres, Diretor da Engenharia de Manufatura da Volkswagen América do Sul. O executivo compartilhará suas experiências de sucesso e desafios na implementação da digitalização na manufatura.

2º Workshop de Inovação tecnológica na Indústria Automotiva

Data: 21 de setembro

Horário: 8h às 17h

Onde: Hotel Mercure em Santo André (Avenida Industrial, 885).

Tags, , , , , , , , ,

Robótica se inspira em animais para automatizar a indústria

A Festo, multinacional líder em automação industrial, estará no 7º Congresso Brasileiro de Inovação e contará com a presença de quatro robôs inspirados em animais: AirJelly, Smart Bird, Air Penguin, além de um display com a formiga BionicAnt. As tecnologias fazem parte do projeto interdisciplinar da Festo, com o apoio de universidades, institutos e empresas globais de desenvolvimento.

“A ideia é aplicar o aprendizado biônico em linhas de automação no futuro. Esta é uma das nossas estratégias para desenvolver tecnologias para a Indústria 4.0, trazendo uma nova abordagem em automação industrial”, revela Flávio Rodrigues, Gerente de Marketing da Festo.

Além dos bionics, o Vice-Presidente de Pesquisa e desenvolvimento mundial da Festo, Dr. Peter Post, estará no evento para ministrar palestra sobre a Digitalização na manufatura e automação – Indústria 4.0. Peter Post é doutor em engenharia pela Universidade de Siegen, na Alemanha. Em 2010, recebeu o German Future Prize por seu trabalho no desenvolvimento de sistema de manipulação biônico e, recentemente, foi nomeado membro para o Conselho Alemão de Ciência e Humanidades.
Conheça os robôs que estarão em solo brasileiro:

AirJelly

[embedyt] http://www.youtube.com/watch?v=divLsTtA5vk[/embedyt]

Inspirado no movimento das águas-vivas, a inovação desliza pelo ar com a ajuda de seu atuador elétrico central e de um sistema mecânico inteligente e versátil. Este bionic é controlado remotamente e mantido no ar por um balão cheio de gás hélio. Sua única fonte de energia são duas baterias de polímero de íon-lítio conectadas ao atuador elétrico central.

Smart Bird

[embedyt] http://www.youtube.com/watch?v=nnR8fDW3Ilo[/embedyt]

Inspirado no movimento das gaivotas, o famoso pássaro inteligente foi todo produzido com fibra de carbono, possui uma envergadura de dois metros e seu peso total não passa de 485 gramas. O Smart Bird é capaz de decolar, voar e aterrissar sozinho, sem o auxílio de outros dispositivos de elevação.

Air Penguin

[embedyt] http://www.youtube.com/watch?v=jPGgl5VH5go[/embedyt] Este robô foi inspirado nos movimentos dos pinguins. Com nadadeiras de torção passiva, a tecnologia faz com que os pinguins voem para frente e para trás. Os Air Penguins são ultraleves por conta de um balão cheio de hélio. O robô simula com precisão os movimentos de suas contrapartes naturais graças à sua estrutura 3D com o efeito Fin Ray Effect® na frente e nas costas.

BionicANTs

https://www.festo.com/group/en/repo/assets/media/bionicants-en-SD.mp4

Pela primeira vez, o comportamento cooperativo das criaturas também foi transferido para o mundo da tecnologia de controle por meio de algoritmos complexos.
Cada formiga toma as suas decisões de forma autônoma, mas ao fazê-lo é sempre subordinado ao objetivo comum e, assim, desempenha o seu papel no sentido de resolver a tarefa em questão. De uma forma abstrata, este comportamento cooperativo fornece abordagens interessantes para a fábrica de amanhã. Sistemas de produção futura serão fundamentados em componentes inteligentes, que se adaptam de forma flexível a diferentes cenários de produção e, assim, assumem tarefas a partir de um nível de controle mais elevado.

Congresso Brasileiro de Inovação da Indústria

Data: 27/06 e 28/06
Local: Transamérica Expo Center SP

Tags, , , , , , , , , ,

Empresas de tecnologia promovem workshop de inovação na indústria automotiva

Em uma iniciativa inédita, seis empresas se uniram para montar um workshop sobre inovação tecnológica na indústria automotiva, são elas Cognex, Festo, Heidenhain, Kuka, National Instruments e Siemens. Com foco em trazer conteúdos atualizados sobre tendências em automação para o setor, o evento será realizado no dia 10 de novembro, no Premium Hotel, em Campinas, São Paulo.

As empresas e seus representantes irão apresentar temas distintos sempre relacionados ao tema inovação.

A empresa Cognex abordará os “Sistemas de visão trazendo flexibilidade em processos automáticos”, onde será discutido que com o aumento da demanda por unidades produtivas cada vez mais flexíveis e adaptáveis, o uso de sistemas inteligentes de tomadas de decisão por imagem tem sido amplamente utilizado. As principais aplicações desta tecnologia vão desde a simples classificação de um produto em função de suas características visuais, até sistemas mais complexos de orientação de robôs através do uso de câmeras inteligentes.

O tema a ser ministrado pela empresa Festo, os “Benefícios da integração de tecnologias para desenvolvimento de soluções na indústria automotiva”. A ideia é reforçar que a integração das diversas tecnologias se faz necessária para que seja possível alcançar a flexibilidade exigida pelas novas tendências da indústria. A maneira como isso é feito é fundamental para alcançar os resultados de forma mais simples.

A Heidenhain, irá apresentar o tema “Flexibilização do controle dimensional através de sistemas de medição de alto desempenho”, onde discutirão que a automatização dos controles dimensionais cresce impulsionada pela necessidade de ciclos de produção mais otimizados e de processos de manufatura mais flexíveis. A disseminação dos conceitos da Indústria 4.0 e os recentes desafios impostos pelo programa Inovar-Auto criam o ambiente propício à adoção de novas tecnologias. O participante então vai entender a maneira como a integração de sistemas de medição de alto desempenho pode colaborar para a execução de projetos de sucesso.

A empresa Kuka falará sobre “Tendências e novas tecnologias robóticas na indústria automotiva”, onde serão mostradas que as últimas tendências na indústria requerem novas tecnologias. Com o aumento do poder computacional e a explosão da quantidade de componentes conectados em rede, novas tecnologias robóticas são necessárias.

Seguindo, a National Instruments apresenta o tema “Usando uma abordagem baseada em plataforma para criar a Internet das Coisas Industrial (IIoT) e a Indústria 4.0”, onde pretendem fazer os participantes descobrirem como diversas empresas estão usando uma abordagem baseada em plataforma para superar a crescente complexidade tecnológica e criar a Indústria 4.0 e a Internet das Coisas Industrial. Exploraremos nesta sessão como a visão de negócio da NI está impulsando engenheiros e pesquisadores a tornar esta tendência uma realidade, possibilitando a inovação, aumento da qualidade e redução de custo nos processos.

A Siemens irá encerrar com o tema “Digital Twin: apoio às decisões, redução de riscos e do tempo de ciclo de produtos”. Nele, a empresa irá mostrar que com o uso de ferramentas de software é possível criar um Gêmeo Virtual (ou Digital Twin) de um produto, processo ou até mesmo uma linha de produção. Ou seja, um modelo e um ambiente virtual de simulações, que apresentam as características e comportamentos do mundo real. Tais simulações permitem validar o projeto, analisando-o em situações extremas e permitindo ajustes e melhorias de design. Antes mesmo de algo existir, estas análises podem ser realizadas a um custo baixo e prazo impossível de se conseguir se fosse necessário, por exemplo, a construção de um protótipo.

Além disso, o evento contará com demonstrações práticas com exemplos reais que integram soluções de todas as empresas acima.

As vagas são limitadas. Para contato, basta mandar um e-mail para faleconosco.workshop@gmail.com.

Tags, , , , , , , , , ,