Tag ERP

Brandili melhora a segurança e o controle do negócio com ERP da Infor

A Infor, líder de softwares de negócios desenvolvidos por indústria e na nuvem, anunciou hoje que a Brandili, empresa do setor têxtil, conseguiu ótimos resultados na segurança e melhor controle do negócio com o ERP da Infor.

Novidades

A Brandili enfrentava alguns desafios e precisava melhorar os seus processos de operação. Tais como:

– Controle de todas as etapas do processo produtivo;
– Otimização e integração de processos de negócio;
– Redução de custos;
– Redução de lead time;
– Redução dos níveis de estoques;
– Consistência na base de informações;
– Informações uniformes em toda a empresa;
– Granularidade de informações;
– Redução de erros manuais;
– Pessoas mais direcionadas à análise do que input de informações;
– Implementação do custo real.

O processo de escolha do ERP para a Brandili começou com a definição de uma série de requisitos para atendimento às necessidades atuais e futuras da empresa. Foram convidadas para participar da cotação de preços apenas empresas com renome de mercado e com implantações de sistemas realizadas com sucesso. A Infor foi escolhida em função do atendimento ao maior número de requisitos e, desta forma, foi necessário um menor número de customizações.

Após a implementação, foram anunciados os seguintes resultados:

– Antes do ERP uma nota fiscal era lançada em 5 telas diferentes e havia grande dificuldade de ter a mesma informação em diversos setores da empresa. Após a implementação do ERP a nota fiscal é lançada apenas uma vez e é toda integrada: a mesma informação alimenta todos os setores;
-As compras já são totalmente definidas na requisição de compra: preço, quantidade, prazo, fornecedor, tributos, etc, reduzindo a possibilidade de erros no lançamento da nota;
– Os colaboradores passaram a dedicar mais tempo para análise de informações ao invés de trabalhos operacionais para uma melhor tomada de decisões;
– Automatização de processos manuais;
– Obtenção do custo real detalhado a nível de SKU;
– Fornecimento detalhado de informações para alimentar o planejamento estratégico da empresa;
– Redução de lead time;
– Redução de números de colaboradores em áreas administrativas.
– Acuracidade dos estoques;
– Melhoria na avaliação por parte da auditoria externa;
– Segurança nos controles operacionais;
– A implementação do ERP possibilitou a implementação de solução de business intelligence para controle e acompanhamento diário das principais variáveis do nosso negócio;
– Redução do lead time de fechamento contábil.

“Estamos muito satisfeitos com a implementação do Infor ERP LN. O ERP é muito estável, confiável e possui uma gama ampla de funcionalidades, com a qual conseguimos controlar todos os nossos processos de negócios. Agora, após a implementação do LN a empresa pode se focar em atividades estratégicas que trarão melhores resultados sem se descuidar de seus controles, afirmou Flávia Brandes, Diretora Administrativa Financeira, Brandili.

As organizações já sabem que um mesmo software para todas as empresas não é o melhor, que as funcionalidades específicas são um grande benefício. Infor LN. fornece recursos para apoiar processos, para setores específicos, como a indústria têxtil, e as organizações podem melhorar suas ofertas substancialmente, além de obter mais eficiências. Brandili está assumindo a liderança na forma como atende o seu cliente e estamos orgulhosos de desempenhar um papel integral no apoio à sua transformação empresarial”, diz Gabriel Lobitsky, Diretor de Vendas da Infor para Brasil e Sul da América do Sul.

Tags, , , ,

Morena Rosa aumenta eficiência de suas operações de venda em franquias com ERP Cigam

A Morena Rosa, uma das referências do varejo de moda do Brasil, otimizou suas rotinas nos Pontos de Venda (PDV) franqueados com a solução da Rede Cigam, fornecedora de software de gestão empresarial (ERP, CRM, RH, PDV, BPM, Mobile e BI). A empresa, que conta com cerca de 1.300 colaboradores diretos e um dos maiores parques industriais de confecção do país, aumentou sua produtividade graças à estabilidade, eficiência e suporte técnico efetivo da ferramenta.

Com unidades fabris e escritórios nos estados do Paraná, Rio Grande do Sul e São Paulo, a Morena Rosa tem uma produção de aproximadamente 2 milhões de peças/ano e operações em mais de 10 países, a companhia precisava de uma solução simples, ágil e que qualquer pessoa pudesse utilizar nas operações dos PDV.

“Nosso sistema anterior gerava dificuldades com pessoas que eram leigas em sistemas de gestão. Trabalhamos com uma gama de colaboradores de perfil variado e nem todos, mesmo com treinamento, conseguiram se adaptar à ferramenta anterior. Isso acarretava acionamentos constante de suporte técnico e este não era sempre eficiente”, explica Álvaro Grolli, do departamento de Franchising da empresa.

A empresa tem uma extensa e complexa demanda nos canais diretos e indiretos. Contando com lojas próprias e franquias Clube Morena Rosa, a companhia vê no ERP Cigam um sistema de gestão que foi pensado com a cabeça do lojista.

“Além da confiabilidade dos dados, um dos principais diferenciais do software é a facilidade de operação. Ele foi desenhado para uma demanda densa de varejo, onde o lojista que utiliza o sistema consegue ter soluções rápidas e fáceis. O PDV não tem tempo para treinamentos ou paralizações de trabalho, pois o foco são as vendas e o atendimento e, nesse sentido a Cigam nos ajudou muito a aumentar a nossa produtividade e otimizar o nosso tempo”, afirma Grolli, que salienta que as reclamações nas lojas e franquias, que antes eram recorrentes, estão praticamente eliminadas.

MOBILE

No projeto, também foram disponibilizadas as soluções para gestão via dispositivos móveis – Android e IoS – da Cigam. Com o Gerencial Mobile é possível o gerenciamento de vendas por meio de smartphones ou tablets, aumentando o controle sobre metas de vendas das lojas, franquias, vendedores, grupos de franqueados, supervisores de campo e demais formas de visualização dos indicadores de sua cadeia de Varejo.

Tags, , , , ,

Tecnologia para aumentar produtividade do agronegócio

Um dos principais motores da economia do país é o agronegócio, com grande destaque para a produção de soja. No ciclo atual, 2017, foram cultivados 2,52 milhões de hectares e a projeção da Associação dos Produtores de Soja de Mato Grosso do Sul (Aprosoja/MS), e a estimativa é de que a produtividade média seja a mesma da temporada passada: 51,5 sacas por hectare, mas que a produção cresça 2,4%, passando de 7,601 milhões de toneladas para 7,787 milhões de toneladas, um novo recorde para o estado.

No Brasil, atualmente, contamos com 33 milhões de hectares que produzem 104 milhões de toneladas de soja. Nos próximos 10 anos este número deve saltar para 43 milhões de hectares e o país deverá se tornar o maior produtor do insumo no mundo. Mesmo com a instabilidade econômica e política, o setor primário cresce com força e precisa investir cada vez mais na melhoria de sua gestão. Segundo o diretor da Cigam IC Planejamento, Ricardo Araújo, um bom software de gestão, o chamado ERP, pode aumentar nitidamente a produtividade e eficiência da operação do setor.

“É o momento de investir em melhorias de processos e fazer a empresa funcionar de uma maneira mais fácil. Com a solução da Cigam, ajudamos os players do setor facilitando a gestão financeira, de pessoas, estoques e produção” afirma Araújo.

E são muitos os motivos que justificam o uso da tecnologia na gestão do agronegócio. Com um sistema de gestão adequado às necessidades, é possível aumentar a produção, diminuir custos de insumos, manutenção e logística, tudo isso com sustentabilidade.

O produtor tem que fazer o Planejamento Estratégico da safra, desde a plantação até a colheita, gerenciamento de produtividade, armazéns, riscos financeiros e estar em conformidade com as obrigações tributárias e ambientais – estas duas últimas comumente passam por modificações de órgão públicos e agências reguladoras, como é o caso da Nota Fiscal Eletrônica (NF-e), que passará a ser exigida pelo Governo, o que requer a atenção redobrada.

“O nosso objetivo é agregar conhecimento tecnológico ao gerenciamento, que acompanhará todo processo operacional do plantio, cultivo e colheita. O ERP aumenta a confiabilidade das informações através da integração de setores, otimiza tempo, amplia a produtividade e reduz controles manuais”, afirma Araújo.

Tags, , , , ,

Cake ERP vai ao Vale do Silício visando mercado norte-americano

O Cake ERP, ligado à NL Informática, passou 45 dias incubado em um dos principais ecossistemas de empreendedorismo do planeta: o Vale do Silício, nos Estados Unidos. Visando inserção no mercado norte-americano e aprimoramento de suas práticas, a startup participou do Projeto Negócios Internacionais de TI, promovido pelo Sebrae.

O objetivo foi desenvolver cada vez mais o negócio e aprender com empresas que lá estão sediadas, além de buscar conhecimento sobre análises preditivas para softwares de gestão, prospectar novas oportunidades para de mercado para a ferramenta e promover parcerias.

Segundo Daniel Pozza, Business Development do Cake ERP, o contato com a dinâmica do Vale do Silício foi muito produtivo e irá adotar processos lá desenvolvido tanto no Cake ERP, quanto no NLGESTÃO.

“Foi possível aprender muito com os profissionais que lá trabalham e já que estão acostumados com o ritmo intenso com que as coisas acontecem. Me chamou muito a atenção o senso de coletividade e o foco com que as pessoas trabalham, sempre buscando aumento de produtividade e entregando suas demandas com excelência”, destaca Pozza.

Durantes os 45 dias nos Estados Unidos, foram realizadas visitas a grandes empresas de tecnologia, workshops, palestras, encontros de negócios com desenvolvedores locais de sistemas de gestão empresarial, pequenos varejistas e desenvolvedores de software preditivo. O Cake ERP ainda vai ter mais 30 dias de acompanhamento para o desenvolvimento do projeto.

O Projeto Negócios Internacionais de TI do Sebrae-RS tem o objetivo de qualificar as micro e pequenas empresas do setor de Tecnologia da Informação do Rio Grande do Sul, promovendo ações que potencializem a inovação e a diferenciação de produtos e serviços oferecidos pelas mesmas como forma de inserção no mercado global do setor.

Cake ERP

O Cake ERP é um sistema de gestão on-line, com inteligência e melhores práticas de mercado, feito para micro e pequenos lojistas, distribuidores e franquias. A ferramenta tem possibilidade de integração ao e-commerce da japonesa Rakuten e possui um sistema de Frente de Loja eficiente.

Tags, , , , ,

Fintech oferece antecipação de recebíveis dentro de software ERP

Quem tem uma pequena ou média empresa sabe que um dos pontos mais sensíveis do negócio é o fluxo de caixa. Vende-se à prazo para os clientes, mas paga-se à vista para os fornecedores. Essa é uma realidade que faz com que muitos empreendedores tenham que recorrer a bancos e factorings para antecipar duplicatas e conseguir capital de giro para fazer o negócio funcionar. A boa notícia é que acaba de ser concluída uma parceria inédita entre uma Fintech israelense, WorkCapital, e o ERP brasileiro Omie, especializado na gestão de PMEs, que promete mudar completamente o modo como se faz essa operação.

Esse recurso de antecipação é amplamente utilizado pela empresária do ramo de móveis para escritório, Aline Silva, de Campinas. Há 15 anos na profissão, ela sempre recorreu a bancos públicos e privados, além de factorings, para antecipar recebíveis. “Vendo para meus clientes em até 10 vezes, mas tenho que pagar meus fornecedores em no máximo 30 ou 40 dias”, revela. Não fosse essa saída, provavelmente sua empresa não teria sobrevivido. Contudo, essa vantagem tem um preço, e não é baixo. “Em média, eles descontam em torno de 6% do que me antecipam”.

Além de cara, a operação também é burocrática. “Mesmo sendo correntista do banco, somos submetidos a uma série de procedimentos, que retardam o processo. O pior deles é que precisamos entregar as notas fiscais assinadas pelo cliente, para comprovar o que há para receber. O problema é que, no nosso caso, vendemos também para outros estados, ficando muito difícil recolher essas assinaturas”, se queixa. É preciso contar ainda com a boa vontade dos funcionários. “Precisamos ficar em cima deles. A análise dos documentos pode levar dois ou três dias para ser concluída. Por sermos pequenos, os bancos não nos levam muito a sério. Não temos poder de barganha. Enquanto isso, ficamos sem saber se teremos o capital ou não”.

Sua realidade começou a mudar há cerca de um mês. Cliente Omie há oito meses, assim que tomou conhecimento da parceria com a WorkCapital, a empresária resolveu testar a novidade. “O máximo que os bancos e factorings com que já trabalhei topavam me antecipar era R$ 5 mil. De cara, a Fintech já me liberou R$ 15 mil, o triplo do que tinha antes”, comemora. O atendimento diferenciado é apontado como uma das grandes vantagens. “É tudo automático dentro do sistema. Simplesmente não tenho mais o desgaste psicológico que tinha com os bancos. Não há nenhuma burocracia e, a negociação para conseguir um limite maior também é super simples. É tão bom que fiquei imaginando onde estaria a pegadinha”, brinca.

Mas, a maior vantagem está mesmo é no bolso. As taxas que ela vem pagando pela operação são, em média, a metade do que pagava a outras instituições financeiras, algo em torno de 3%. “Em apenas um mês, imagino ter feito uma economia de aproximadamente R$ 5 mil. O bom é que, conforme vamos pagando, o crédito é liberado automaticamente. Ou seja, a rotatividade desse valor é grande e simples, o que nos dá muito mais autonomia para nos concentrarmos em coisas mais importantes para o nosso negócio. Agora tenho mais tempo para a minha empresa e não preciso ser maltratada pelos bancos”, evidencia.

Para Marcelo Lombardo, CEO da Omiexperience, empresa desenvolvedora do Omie, o relato de Aline é extremamente gratificante. “Omie foi desenvolvido especialmente para as PMEs e, como acompanhamos as finanças dos nossos clientes em tempo real, junto ao contador, notamos que as altas taxas de juros do Brasil muitas vezes comprometem a saúde financeira das empresas, chegando a inviabilizar a existência de muitas. Resolvemos atuar proativamente para mudar essa situação”, lembra. A comprovação de que esse era o caminho se deu logo na semana do lançamento do serviço. Cerca de 450 empresas solicitaram a antecipação, somando R$ 53 milhões em pedidos.

Segundo Simão Neumark, único brasileiro entre os sócios da WorkCapital, a ideia é promover e ampliar o acesso ao crédito via antecipação de duplicatas com taxas mais baixas, que cabem no bolso dos pequenos empresários. “Fazemos uma análise algorítmica completa da empresa, algo nunca feito no mercado de crédito para PME. Como acompanhamos a contabilidade, o risco de inadimplência é menor, o que nos possibilita trabalhar com taxas menores que as dos bancos”, explica.

Os primeiros clientes já se demonstram plenamente satisfeitos com a novidade. Agora, a empresa planeja novas conquistas. “Os testes foram concluídos com sucesso. Nossa expectativa agora é aumentar o número de clientes que antecipam duplicatas dentro do Omie em X%. Queremos provar que é possível fazer essa operação de forma rápida, segura. Temos certeza que isso pode revolucionar o mercado, à medida que as PMEs se tornarão mais competitivas e menos dependes dos bancos, que tradicionalmente sempre privilegiaram os grandes negócios”, finaliza Lombardo.

Tags, , , , , ,

Como a TI pode melhorar a confiança da indústria em meio à crise? – Por Lisandro Sciutto

O índice que mede a confiança do empresário brasileiro em relação ao desempenho da indústria já melhorou no último mês, segundo a CNI, o ICEI (Índice de Confiança do Empresário Industrial) chegou ao melhor patamar de confiança para o próximo semestre – confiança que não acontecia desde 2014. Isso mostra que por mais passageiras que as crises econômicas sejam, elas ainda têm o potencial de fazer as empresas olharem com atenção para o futuro.

Hoje, por meio do software, a barreira da conectividade foi quebrada permitindo que o setor tenha acesso a ferramentas modernas não apenas para conectividade com parceiros por meio do conhecido EDI (intercambio de dados eletrônico), mas também para gestão de redes globais de gestão suprimentos, em que a colaboração com fornecedores permite ter total visibilidade dos processos de despacho, aduanas, pagamentos, e embarque de cargas, assim como o controle dos fluxos de inventários. Com isso, os empresários conseguem aumentar eficiências em todos os níveis dentro de casa e quando a empresa participa do mercado global.

A indústria, que é amplamente afetada pela queda do consumo, precisa atuar de forma estratégica nos momentos desafiadores da economia e vislumbrar crescimentos futuros. Mas como fazer isso quando o setor não vai bem e os números estão abaixo do esperado?

O segredo está em alinhar a adoção de TI à estratégia dos negócios. Nesses momentos, é praticamente obrigatório que as empresas otimizem custos e ganhem eficiência a partir dos processos já existentes a fim de atender às demandas do mercado. Buscar ferramentas certas pode ajudar a melhorar os processos internos, identificar gargalos, e tornar a empresa estratégica ao focar em pilares como: planejamento corporativo, estratégia de sustentabilidade, processos enxutos e post-mortem com uso do software.

A disponibilidade de ERP’s modernos e soluções de EAM com foco na sustentabilidade de equipamentos industriais deixam as empresas bem amparadas nos momentos mais sombrios da economia. Atualmente, eficiência é um imperativo para o setor, e um dos problemas globais que a área enfrenta. Com essas soluções, as empresas conseguem olhar para os seus ativos e saber onde é possível economizar para investir nos momentos de bonança. Por isso, é preciso entender a tecnologia como estratégica para ajudar as empresas a terem processos enxutos (conceito de lean manufacturing) e a fazer a análise post-mortem de projetos existentes – o que permite à indústria enxergar elementos que tiveram ou não sucesso, antes de promover grandes mudanças.

Com suporte da TI em áreas administrativas e produtivas, também é possível ajustar a capacidade de produção de acordo com as demandas do mercado, para não fabricar produtos a mais e evitar o aumento dos custos com processos que podem ser planejados como a manutenção de uma máquina. O planejamento está diretamente associado à adoção de tecnologia, levando empresas do setor a otimizar processos para reduzir custos e aumentar a produtividade. E, vamos combinar: desperdícios, sucateamentos e horas de máquinas paradas são custosos para qualquer empresa – principalmente na crise. Por isso, o momento para as empresas olharem para os seus ativos, desenvolver uma estratégia de sustentabilidade e produção e fazer a análise post motern é agora quando a crise dá lugar para a reflexão e nos prepara para a próxima onda de consumo e expansão da economia. Neste momento um dos grandes pontos que o setor precisa resgatar é que a eficiência só acontecerá com tecnologia envolvida no processo.

Lisandro Sciutto, diretor de produtos da Infor LATAM

Tags, , ,

Foco em Food Service e inovação garantem sucesso para empresa de tecnologia

a7e41e93-d09b-485b-a3b1-82e6dbc7eb0f

Motivada por crescimento constante, Acom Sistemas moderniza ERP, atualiza identidade visual e muda para nova sede

A Acom Sistemas, especializada em software de gestão, vive um momento que toda empresa brasileira gostaria de experimentar: crescimento, modernização, casa nova e imagem atualizada.

Na nova sede, em um condomínio situado em uma das regiões mais nobres de Curitiba, o diretor de tecnologia Carlos Drechmer credita ao acerto no foco da empresa, nos últimos anos, a fórmula para o sucesso atual: “Desde 2014, buscamos, em nossa carteira de clientes, segmentos que estavam em evolução e apresentando crescimento e começamos a focar nesses segmentos. Um dos exemplos foi o ramo de food service. Isso garantiu um número considerável de novos clientes e possibilitou a modernização de nosso sistema de gestão, a contratação de novos talentos e a mudança física da empresa. Os bons resultados ajudaram a antecipar, de 2017, para este ano, a instalação da sede em um novo espaço. O escritório de São Paulo também passa por reformulação para se adequar a essa evolução.

A Acom Sistemas modernizou o ERP EVEREST para acompanhar o momento de transformação digital por que passam as empresas brasileiras. Para isso, buscou motivar a equipe para uma nova postura profissional. “O desempenho de nossos softwares vem do conhecimento de nossa equipe no desenvolvimento de soluções. Fizemos um convite ao nosso time no sentido de que todos também buscassem um aprimoramento. E a resposta foi fantástica”, comenta Carlos. As áreas de desenvolvimento, operacional e comercial foram ampliadas, criou-se uma equipe de testes específica para a nova plataforma, um novo software de testes foi adquirido, tudo para garantir a entrega da nova versão com a máxima documentação e menor impacto sobre suporte. Pensando também em melhorar o uso das soluções, serão disponibilizados vários treinamentos no modelo de educação a distância (EAD).

O EVEREST 3.0 vai operar no conceito de nuvem, que inclui uma ferramenta de Business Intelligence para análise em tempo real dos negócios, com indicadores de gestão para cada segmento. Além disso, o sistema terá suporte para ser operado por apps via smartphones.

O conhecimento cada vez maior dos clientes também garante o sucesso da empresa. “Atuamos como consultores, ajudando os clientes não só na implantação de sistemas, mas também em processos internos, graças à dedicação de nossos colaboradores e ao nível de conhecimento nos segmentos que atendemos”, explica Eduardo Ferreira, diretor de operações.

Com ERP modernizado e nova sede, a Acom Sistemas aproveitou para atualizar, também, a identidade visual, alinhando a marca ao novo momento que a empresa vive. “Com todas essas novidades, temos certeza de que, nos próximos anos, nosso crescimento vai ser ainda maior”, afirma Marcelo Gallo, diretor comercial e de alianças. “Em breve, estaremos lançando nosso novo portal web, mais moderno e atual, conferindo à ACOM Sistemas uma nova identidade de comunicação com o mercado”, comemora Gallo.

Tags, , , , ,

Linx registra crescimento da receita no segundo trimestre de 2016

Na contramão do baixo ritmo de expansão do comércio brasileiro, a Linx, empresa líder em tecnologia de gestão para o varejo, continua a ampliar sua receita e rentabilidade de forma consistente e resiliente. A Companhia encerrou o segundo trimestre de 2016 com receita operacional bruta de R$141,4 milhões, um incremento de 16,5% em relação ao mesmo período do ano anterior. A receita operacional líquida foi de R$122,4 milhões no trimestre, representando crescimento de 12,5% em comparação aos R$108,8 milhões do 2T15.

A receita operacional bruta é fruto da combinação da receita recorrente e de serviços. No 2T16, a receita recorrente atingiu R$117,8 milhões, com crescimento de 19,2% sobre o 2T15, e equivalente a 83% da receita bruta. Vale destacar que os rendimentos com soluções em nuvem já representam quase 50% da receita recorrente e seguem crescendo acima da média. O EBITDA da empresa foi de R$32 milhões, 7,9% acima do valor obtido no segundo trimestre de 2015, e a margem EBITDA de abril a junho de 2016 foi de 26,1%. O lucro caixa atingiu R$23,4 milhões no período.

“Seguimos num bom padrão de crescimento, investindo na operação e com expansão na casa dos dois dígitos, mesmo diante de um mercado atual complexo”, destaca Dennis Herszkowicz, vice-presidente financeiro e de RI da Linx. “Nosso modelo de venda de software por assinatura mensal, com receitas recorrentes, garante previsibilidade e rentabilidade ao nosso resultado”.

O “cross-sell”, a venda de ofertas complementares aos softwares de POS e ERP para clientes da base da Linx, em especial ofertas relacionadas à Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica (NFC-e) e à Transferência Eletrônica de Fundos (TEF), aliado às vendas para novos clientes, também contribuiu para o resultado positivo neste trimestre. Outro destaque foi a melhora da taxa de renovação de clientes que atingiu 98,7% no trimestre, maior que os 98,4% registrados no 1T16. “Temos tradicionalmente altas taxas de renovação de clientes, que refletem a base ampla, diversificada e fiel da Companhia. Em um cenário de crise, é mais um fato a se comemorar”, conclui Herszkowicz.

Entre os segmentos do varejo que continuam apresentando oportunidades crescentes de expansão do negócio, estão os de Food Service, Farmácias e Postos de Combustíveis. Já o tradicional segmento de Moda e o de Concessionárias vêm apresentando um crescimento mais conservador.

Tags, , , , ,

Acom Sistemas moderniza ERP EVEREST para garantir transformação digital vivida por clientes

bd0bbc42-38de-4458-8adc-7c600fb1443e

As mudanças impostas pela agilidade de um mundo cada vez mais móvel e conectado exigem uma grande adaptação, principalmente, no comportamento e no uso de tecnologias nas empresas. Não há mais espaço para projetos de custos exorbitantes, longos, que tomam muito tempo e que levam a uma utilização extensiva de recursos humanos e investimentos das corporações.

Alinhada às novas tendências e conceitos, a ACOM Sistemas apresenta o EVEREST Gestão Empresarial 3.0. “Hoje, os usuários têm uma forma diferente de se relacionar com o ERP. Não podemos mais pensar em sistemas monolíticos em que um usuário, para incluir uma nota fiscal, precisa entrar em 4 ou 5 telas e preencher uma enormidade de informações. É preciso que o sistema tenha uma interface amigável, que permita ao cliente operar sem grandes investimentos em treinamento e vastos manuais. A interação deve ser semelhante à que ele tem com o smartphone”, afirma Carlos R. Drechmer, diretor de tecnologia da empresa. “Realizamos uma série de mudanças na arquitetura do EVEREST, incluindo a integração com vários aplicativos para melhorar a experiência dos usuários e facilitar a migração de nossa base de mais de 800 clientes”, completa Drechmer.

As áreas de desenvolvimento, operacional e comercial foram ampliadas, criou-se uma equipe de testes específica para a nova plataforma, um novo software de testes foi adquirido, tudo para garantir a entrega da nova versão com a máxima documentação e menor impacto sobre suporte. Pensando também em melhorar o uso das soluções, serão disponibilizados vários treinamentos no modelo de educação a distância (EAD).

A nova plataforma vai operar no conceito de nuvem, que inclui uma ferramenta de Business Intelligence para análise em tempo real dos negócios, com indicadores de gestão para cada segmento. Além disso, o sistema terá suporte para ser operado por apps via smartphones.

Cada usuário poderá personalizar a tela que utiliza e a disposição de aplicativos. O layout do sistema também vai acompanhar o segmento que atende, seja da indústria, do comércio ou varejo de restaurantes, por exemplo.

O diretor operacional Eduardo Ferreira salienta que todos os esforços são no sentido de fazer, da nova versão do EVEREST, uma ferramenta ágil e com a mesma robustez e confiança do sistema que sempre garantiu uma experiência extremamente confiável aos clientes. “O fato de termos um sistema com mais de 15 anos, utilizado por um mercado tão exigente, nos deu ótimos parâmetros para responder quais melhorias são necessárias para ter um produto atualizado. Além da experiência “de campo”, as tecnologias mundiais lançadas ao longo destes anos geraram, para nós, uma lista de melhorias a serem incorporadas nesta nova versão. O EVEREST 3.0 estará mais preparado para gerar informações através de novas funcionalidades técnicas, que permitem, numa mesma tela, consultas rápidas com agrupamentos, ordenações e filtros configuráveis pelo usuário”, explica Ferreira.

O novo EVEREST 3.0 também segue padrões de governança corporativa e compliance fiscal. Para isso, foi contratada uma consultoria especializada nas áreas fiscal e contábil, garantindo o cumprimento de obrigações legais. Há, também, um cuidado especial com regras de segurança da informação.

Toda essa transformação foi viabilizada pelo constante crescimento da ACOM com atenção em seus clientes. “Tivemos ainda, um aporte da Finep, via BRDE – Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul, que, após análise do projeto, viabilizou o financiamento por meio da linha de crédito Inovacred. Este investimento deu a garantia para que pudéssemos adquirir as licenças de software, novas máquinas e contratação de profissionais”, comemora Carlos R Drechmer.

Para Marcelo Gallo diretor comercial e de alianças, “todo este movimento e investimento é reflexo do foco e da dedicação nas verticais onde a empresa atua. Definimos nossa estratégia de atuação há três anos e, de lá para cá, crescemos mais de 200%, conquistando mais de 25 grupos empresariais nos mais diversos segmentos. O novo EVEREST 3.0 vai nos possibilitar implantar mais rápido e com um custo ainda mais acessível, permitindo um crescimento maior da empresa”, comenta Marcelo Gallo.

Fonte: Curitiba IT

Tags, , , , ,

Dez formas de melhorar a gestão de uma rede varejista

A Bluesoft é pioneira em Sistema de Gestão Integrados para o Varejo na Nuvem, estamos no ar há mais de 14 anos e temos profissionais com mais de 30 anos de experiência no Varejo. Veja 10 formas de melhorar a gestão de sua Rede Varejista, e como a Bluesoft pode te ajudar.

1. Reduzir Drasticamente a Ruptura e Estoque Virtual

Você sabia que o Índice de Ruptura dos Supermercados é maior que 10%? E que o de Estoque Virtual é quase 6%? Numa situação assim, muitas vendas são perdidas, e, por isso, ter um sistema de gestão integrado feito para o varejo é essencial para você implantar processos que diminuam ambos a ruptura e o estoque virtual.

O Bluesoft ERP oferece um módulo completo de Prevenção de Perdas, com o qual você poderá fazer auditoria de presença dos itens na área de venda de suas lojas através de dispositivos móveis, reduzindo assim a ruptura de presença, e corrigindo o estoque virtual.

Com o estoque sempre correto e com nossa sugestão de compra com base da demanda de venda, sua equipe de compras fará um trabalho ainda mais eficiente não deixando mercadorias faltarem e reduzindo assim drasticamente a ruptura de estoque (a venda não acontece porque não há estoque disponível).

2. Comprar melhor e gerir fornecedores

Comprar e Vender é o que faz o coração do varejo bater. É por isso que ao longo de todos esses anos nosso pedido de compra nunca parou de evoluir. Oferecemos para o comprador um painel completo com todas as informações necessárias para a melhor tomada de decisão, desde a sugestão de quantidade e mix a ser comprado, até a formação do preço de venda. Além disso no próprio pedido de compra é possível gerenciar trocas, bonificações, acordos comerciais e muito mais.

3. Reduzir a Quebra de Estoque

É comum que a maior parte do ativo de varejistas esteja no Estoque, por isso é essencial que seja feita uma gestão de estoque eficiente. Com o Bluesoft ERP você poderá realizar contagem de estoque através de dispositivos móveis, e realizar estudos sintéticos e analíticos através de relatórios de investigação para acompanhar as perdas e quebras de seus estoques ao longo do tempo, também identificar os principais focos de quebra, e agir para resolver o problema na raiz. Além disso você vai comparar quebras por categoria, setor de compra e produtos de diferentes períodos e diferentes filiais para encontrar casos que necessitem de investigação.

4. Reduzir Custo de Operação do Financeiro (EDI Bancário e de Cartões)

Através do EDI Bancário sua equipe poderá fazer pagamentos de títulos, realizar transferências (DOC/TED), emitir boletos, pagar tributos e consultar extratos bancários através do Bluesoft ERP. Você poderá centralizar todos as suas contas bancárias no sistema, e não vai mais precisar utilizar o site do seu banco para nada, e seus colaboradores não precisaram mais ter acesso direto à conta corrente.

Através do EDI de Cartões, você poderá consultar diariamente o extrato de transações de cartões de crédito e débito realizados nas suas lojas. Quando todas as vendas do dia forem conciliadas automaticamente e a administradora enviar por EDI o comprovante de depósito, o sistema fará a baixa dos cartões automaticamente para você.

5. Proteção contra Desvios Financeiros e Fraudes

Todos já ouvimos diversas histórias de desvios financeiros, não faz muito tempo que ouvimos de uma empresa que um funcionário desviava o valor exato da guias de PIS/COFINS e deixava de pagar os tributos, para que ninguém notasse a falta desse dinheiro. Tenho certeza que você conhece muitos outros casos como esse. Com o Bluesoft ERP você estará protegido contra esse tipo de cilada, porque você poderá centralizar todas as operações bancárias no sistema e toda as operações financeiras realizadas devem ter com lastro um documento fiscal ou um contrato devidamente autorizado.

6. Cadastro de Produtos e Tributação Atualizados Automaticamente

O Bluesoft ERP é integrado ao Cosmos, uma das maiores bases de dados de produtos do mundo. Com essa integração você poderá reduzir em horas o tempo de cadastro de produtos e inclusão de novos itens em linha, basta informar o GTIN/EAN do produto, e o Bluesoft ERP se conecta ao Cosmos para buscar todas as informações relevantes como descrição, peso, fabricante, marca, NCM, PIS, COFINS, ICMS e até mesmo a foto do produto.

7. Reduzir Custo com TI

Quando você compra uma solução On Premisse (aquelas que você mesmo instala nos seus próprios servidores) há uma série de custos escondidos que você precisa pagar. Além do custo da licença do software que você já conhece, esses custos escondidos podem chegar a representar mais de 90% do custo do seu software On Premisse.

8. Acompanhar as vendas da sua empresa em tempo real

O Sistema Bluesoft ERP é integrado ao Sistema de Frente de Caixa e recebe e apresenta os dados de vendas em tempo real para que você possa acompanhar tudo o que está acontecendo agora em suas lojas a qualquer hora e de qualquer lugar. Através dessas informações você poderá acompanhar em tempo real resultado de ofertas, jornais e promoções e tomar decisões otimizando as vendas do dia.

9. Atender a todas as obrigações Legais e Fiscais do Varejo

Utilizando o Bluesoft ERP sua empresa será um verdadeiro exemplo de Compliance Tributário, você será capaz de gerar em poucos minutos todas as obrigações fiscais municipais, estaduais e federais, desde a emissão de NF-es até a geração de obrigações complexas como SPED ICMS/IPI, SPED Contribuições (PIS/COFINS), SPED ECD, SPED ECF, etc.

Construímos um sistema que consegue lidar com grandes volumes de informações, e por isso, diferente de nossos concorrentes, conseguimos gerar os arquivos de obrigações fiscais como o SPED ICMS/IPI, por exemplo, com milhões de cupons fiscais e itens vendidos em poucos minutos em vez de horas ou dias.

10. Aumentar a Segurança das informações

Sabemos o quando a segurança e controle de dados é importante para o seu negócio. Por isso, a Bluesoft trabalha em parceria com a empresa de Cloud Computing mais respeitada, segura e flexível do mercado, a Amazon Web Services (AWS).

Tags, ,

5 conselhos para adoção de um ERP moderno – Por Lisandro Scuitto

Por Lisandro Scuitto, diretor de produtos da Infor LATAM

Quando você fala sobre planejamento de recursos empresariais, o que vem a sua mente? Adoção de tecnologia (s) específica (s)? Um ERP inteligente e moderno? Faça uma pesquisa com alguns dos seus colegas de profissão e chegará a conclusão que as empresas esperam funções inteligentes das soluções de ERP vendidas como ‘modernas’.

Com isso, o desafio dos fornecedores de ERP tem sido, cada vez mais, transformar diversas atividades no “core” do software, e se aprofundar em áreas funcionais capazes de apoiar o desenvolvimento da organização. Um exemplo disso são os ERPs que fornecem capacidades básicas de gestão de recursos humanos integrado com uma solução de gestão de capital humano, que permita não apenas fazer a gestão de talentos, mas a de aprendizagem dos colaboradores. Por isso, veja cinco conselhos fundamentais antes de adotar uma solução de ERP vendida como ‘moderna’:

1) Expansão

A crise econômica não deve desanimar o empresário. É preciso sim pensar em expansão dos negócios antes de adotar uma tecnologia. Conhecer as necessidade de cada líder da organização e consider o crescimento dentro da estratégia e da fase tecnológica da empresa é um bom começo. Antes de adotar a tecnologia, tenha em mente as necessidades que surgirão com o crescimento. Por exemplo: o aumento de vendas demandará uma solução para melhorar o relacionamento com clientes; e a expansão dos negócios e do número de funcionários, uma de gestão de capital humano e de localização.

2) Analise os fornecedores, mas saiba do que precisa

Muitas vezes, os vendedores de softwares estão “encaixotados” ao fazer a demonstração dos seus produtos. Tenha cuidado ao definir o escopo do seu projeto de ERP com base nas necessidades atuais da empresa. Isso permitirá que os fornecedores sejam mais detalhistas em suas propostas, no entanto, os vendedores devem mostrar a integralidade da sua estratégia, portfólio de soluções e roteiros de negócios que permitiram a sua equipe considerar o potencial de cada fornecedor como um parceiro estratégico.

3) Cuidado com a personalização a qualquer custo

Escolher um fornecedor que entenda do segmento do seu negócio e conheça as terminologias e regulamentos específicos evitará criar a necessidade de fazer modificações no sistema de gestão, e também evita as ‘personalizações a qualquer custo’, que podem dificultar a atualização do software e comprometer a assistência técnica. Para minimizar essas mudanças é aconselhável adotar processos padrão.

4) Planeje a implementação

Planejar a implementação é essencial, pois pode ajudar no treinamento dos colaboradores e a fazer bom uso do suporte oferecido pelo fornecedor, inclusive no update da solução. Lembre-se que a experiência do usuário é importante, pois quanto mais intuitiva a solução, melhor é a aprendizagem. Por isso, não apresse ou pule etapas necessárias na implementação.

Também mantenha o controle das decisões sobre o volume do seu projeto, expectativas e resultados concretos, e colabore com o seu fornecedor em estratégias de implementação bem-sucedidas que aconteceram na empresa. Claro que nenhum projeto de ERP é exatamente igual, mas trabalhar em conjunto com pacotes de ferramentas de implementação do fornecedor pode ser útil.

5) Não é apenas funcionalidade:

Recursos como mobilidade e nuvem também são formas de envolver os funcionários com aplicações de negócios e ainda melhoram a comunicação interna. Uma solução ERP flexível permite que as organizações se concentrem nos detalhes que mais importam para seus negócios, como a busca por novas fontes de receitas e formas de atrair novos clientes. Por isso, é preciso se atentar a alguns aspectos importantes do software: velocidade, qualidade, inovação e serviço. O ERP verdadeiramente moderno atende às necessidades atuais da empresa, visando sempre o crescimento futuro do negócio.

Tags, ,

Consinco prepara plano de aquisições de empresas de ERPs

A Consinco, desenvolvedora de sistemas de gestão (ERPs) para supermercados e atacarejos, acaba de finalizar seu plano de expansão para os próximos cinco anos. Além do crescimento orgânico, a estratégia contempla um plano de aquisições de empresas desenvolvedoras de sistemas complementares e de similares, com atuação regional, em um claro movimento de marcação de território num mercado ainda bastante pulverizado.

A Consinco já é líder no desenvolvimento de ERPs para o autosserviço alimentar, com 35% de participação no grupo das maiores redes do País que faturam mais de R$ 1 bilhão por ano. No seu portfólio, a predominância é de redes com faturamento anual a partir de R$ 100 milhões, e, pelo plano estratégico, a empresa pretende atender também às redes de pequeno e médio portes.

Segundo Flávio Barros, CEO da Consinco, o mercado de desenvolvimento de ERPs é significativamente fragmentado no Brasil, o que abriu espaço para um movimento de fusões e aquisições nos últimos anos. No segmento de atuação da Consinco, o mercado brasileiro registrou importantes transações nos últimos três anos. Ainda assim, as cinco maiores empresas concentram, juntas, pouco mais de 50% do market share brasileiro.

“O mercado de desenvolvimento de sistemas é dominado por empresas sob gestão familiar, muitas delas com forte presença em determinadas regiões do Brasil e com soluções inovadoras”, afirma Barros. “Com o plano de aquisições, a Consinco pode ampliar sua oferta de produtos e serviços à sua base e alcançar redes de pequeno e médio portes que ainda não estão no seu radar”, avalia.
Financiamento

A Consinco ainda estuda quais devem ser as principais alternativas de captação para financiar as aquisições. No entanto, a empresa não descarta buscar as linhas de financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Em 2013, a Consinco obteve a liberação de R$ 4,5 milhões do BNDES no âmbito do Programa para o Desenvolvimento da Indústria Nacional de Software e Serviços da Tecnologia da Informação (BNDES Prosoft), para alavancar o crescimento dos negócios nos últimos anos.

A Consinco aplicou boa parte desses recursos na migração dos seus sistemas de gestão para uma plataforma mais avançada que também suportasse operação via WEB e utilização de dispositivos móveis para algumas funcionalidades. A empresa também ampliou equipes e participação em feiras e eventos. No ano passado, com R$ 12 milhões de recursos próprios, a Consinco investiu na construção da sede própria, em Ribeirão Preto, e na reformulação de sua logomarca.

Com tamanha mobilização de recursos e esforços, o faturamento da Consinco dobrou nos últimos quatro anos e há previsão de chegar, neste ano, aos R$ 55 milhões. Na mudança de patamar, a empresa passou a se posicionar como integradora de soluções, para atender os clientes com um mix mais amplo de produtos e serviços. Hoje estão em seu portfólio soluções de self-shopping, picking by voice, e-commerce, entre outros.

Tags, , , , , , , , , ,