Tag economia circular

SAP Brasil e Boomera criam plataforma para acelerar Economia Circular

A SAP Brasil e a Boomera, empresa que trabalha para reinserir resíduos no ciclo produtivo, anunciaram nesta segunda-feira, 14, uma parceria para o desenvolvimento de soluções que vão contribuir para que a economia circular atinja um novo patamar no Brasil. A plataforma vai unir empresas de diferentes setores a centenas de recicladoras, cooperativas e coletoras, facilitando a compra e venda de materiais com rastreabilidade e certificação.

A parceria surgiu para impulsionar a adoção do modelo de economia circular na economia do País, aumentando o ciclo de vida dos produtos. A tecnologia e o tamanho do ecossistema da SAP no Brasil – líder de mercado em soluções empresariais com presença em 70% das maiores companhias – vão facilitar a integração entre as partes, num ambiente que hoje ainda opera com bases de dados desconectadas.

A plataforma começa a funcionar no início de 2021, com o suporte necessário para identificação do tipo de material, quantidade e geolocalização para facilitar a compra e venda de acordo com as necessidades das empresas e marcas.

Adriana Aroulho, presidente da SAP Brasil, explica que transformar as informações em dados, associados a uma plataforma confiável, robusta e que contempla as ferramentas que o mercado necessita trará agilidade e escalabilidade, melhorando todo o ecossistema. “Vamos adicionar recursos de roteirização de coleta inteligente, rastreabilidade dos resíduos, certificação de processos e ações que permitam o engajamento desse ecossistema de maneira confiável. É a tecnologia atuando para tornar desenvolvimentos e processos mais sustentáveis”, diz.

A SAP trata o tema como prioridade estratégica global e lançou o programa Climate 21 para construir recursos analíticos e transacionais em suas soluções. O objetivo é ajudar os clientes a compreender e minimizar a pegada de gases do efeito estufa de seus produtos e operações ao longo de suas cadeias de valor. “Esta parceria é mais um grande passo na direção de ter menos impacto no meio ambiente e cumprir os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável”, completa Adriana.

O projeto está apoiado na metodologia Circular Pack, desenvolvida pela Boomera e que já atende empresas de diferentes portes e setores para responder aos desafios de executar uma política de reinserção de resíduos no ciclo econômico.

“A Boomera vem desenvolvendo soluções em economia circular há 9 anos no Brasil, com programas sólidos e promovendo desenvolvimento social com impacto. Estrear uma parceria com a SAP nos fortalece muito e traz o dinamismo e velocidade necessária para amplificar e conectar todos os stakeholders em uma única rede, forte e circular”, destaca Guilherme Brammer, CEO da Boomera.

Segundo Brammer, a parceria com a SAP traz um novo marco para o mercado de gestão de resíduos no Brasil. “Nos unir a um dos maiores provedores de soluções digitais do mundo trará conhecimentos e expertise de cada empresa numa solução única, escalável e capaz de atender às necessidades crescentes do mercado. É uma inovação dentro do ecossistema de gestão de resíduos, tão necessária nos dias de hoje”, completa.

“O mercado brasileiro, pelo seu tamanho e potencial de consumo, é um grande celeiro para o desenvolvimento de economia circular. Essa parceria vai dar aos milhares de clientes da SAP, e também não clientes, um forte aliado para que suas áreas de inovação busquem cada vez mais desenvolver produtos que sejam competitivos no mercado e ao mesmo tempo mais sustentáveis”, completa Adriana.

SAP NOW Brasil 2020 – mais quatro dias de conteúdos para conectar todo o ecossistema de negócios no Brasil

O SAP NOW segue até a próxima sexta-feira, dia 18, com uma programação que inclui keynotes com as principais lideranças da SAP no Brasil e de global, palestras inspiracionais que vão abordar como as questões da atualidade impactam o ambiente de negócios agora e no futuro. A SAP convidou especialistas de diversas áreas do conhecimento, que vão trazer seus pontos de vista sobre as relações, sociedade e tecnologia a partir de agora.

Nesta terça-feira, 15/09: destaque para o keynote “América Latina e foco” com Cristina Palmaka e uma conversa inspiradora com o físico Marcelo Gleiser sobre a Humanidade Reinventada

  • 10h – América Latina em foco | Cristina Palmaka, presidente da SAP América Latina e Caribe
  • 10h30 – Humanidade reinventada – como 2020 pode ser o ponto de virada da humanidade | Marcelo Gleiser

A partir de quarta a programação continua com um bate papo de Adriana Aroulho com a diretora-chefe de voos da Nasa, Holly Ridings sobre como os desafios da pesquisa científica estão pautando também o desenvolvimento de tecnologias emergentes. Confira os destaques dos próximos dias que também inclui convidados como Arianna Huffington, jornalista fundadora e CEO da Thrive Global e Paul Krugman, Prêmio Nobel de Economia e colunista do jornal The New York Times.

Dia 3 (16 de setembro)

  • 10h – Da transformação digital à transformação cultural | Adaire Fox-Martin, head global de Customer Success e membro do board da SAP, e Nicolas Simone, diretor-executivo de Transformação Digital da Petrobras.
  • 10h30 – Liderança e representatividade mudando o jogo científico: as lições da NASA | Adriana Aroulho, presidente da SAP Brasil, e Holly Ridings, diretora-chefe de voos da Nasa

Dia 4 (17 de setembro)

  • 10h30 – Além da resiliência – como prosperar e sair fortalecido da pandemia | Cristina Palmaka e Arianna Huffington, fundadora e CEO da Thrive Global
  • 11h – Tendências e novos comportamentos: como a indústria de Turismo está reagindo à pandemia | Adriana Aroulho e Leonel Andrade, presidente da CVC.

Dia 5 (18 de setembro)

  • 10h – O que impulsiona as Empresas Inteligentes no novo cenário global? | Cristina Palmaka e Octávio de Lazari Júnior, diretor-presidente do Bradesco
  • 10h30 – Perspectivas econômicas em um mundo volátil | Paul Krugman

Na grade, também há uma série de palestras sobre como os clientes estão digitalizando e adicionando inteligência aos processos nas mais diferentes áreas, como gestão de RH, finanças, marketing e relacionamento, compras e logística da cadeia de suprimentos, entre outras aplicações. Convidados*, como Nina Silva, CEO e uma das fundadoras do Movimento Black Money, Bernardinho, ex-técnico da seleção brasileira de vôlei, e o filósofo Clóvis de Barros Filho falam, entre outros temas, sobre diversidade, motivação de times e humanização do RH.

Serviço:

Agenda – SAP NOW Brasil 2020

Quando: até 18 de setembro de 2020, das 10h às 18h

Como assistir: Você poderá acompanhar as transmissões no site do SAP NOW Brasil  

Grade completa: https://events.sap.com/br/sap-now-brasil-2020

Tags, , , ,

Economia circular já é uma tendência na cadeia de rótulos e adesivos

A população global está crescendo de forma acelerada e, de acordo com estudos, chegaremos a 10 bilhões de pessoas em todo o mundo, em 2050. Isso significa um aumento no consumo, mais produção nas indústrias e, consequentemente, a exploração de recursos naturais e escassez de matéria-prima, além de maior descarte de lixo. Por isso, é tão necessário pensar agora em soluções que permitam otimizar os processos, para conciliar o aumento da produtividade com a diminuição dos impactos ambientais, utilizando esses recursos de forma mais eficiente.

Essa tem sido uma grande preocupação das indústrias, que passaram a desenvolver métodos para a Economia Circular, com a reciclagem de materiais que são utilizados como matéria-prima para novos produtos, resultando em redução, recuperação e reutilização de insumos. Isso significa que nada se perde, tudo se transforma, permitindo um equilíbrio perfeito e reduzindo o descarte.

Em empresas como a Avery Dennison isso já está em andamento. A companhia desenvolveu em sua unidade nacional o Programa Circular. Por meio desse projeto, por exemplo, a empresa transforma seus resíduos de liner papel em polpa celulósica, que é usada como matéria-prima para a produção de papel-toalha utilizado em sua planta no Brasil.

No contexto da indústria de autoadesivos, grande parcela dos materiais para rótulos e etiquetas contribui para o fluxo de resíduos. “Depois que saem das fábricas, globalmente, mais de 1 milhão de toneladas de material autoadesivo é descartado. O planeta não pode pagar por isso e nós também não”, enfatiza Alexandre Botelho, diretor de Compras da Avery Dennison. O executivo explica que, nas operações internas, cerca de 88% dos resíduos gerados são destinados para reciclagem e não vão para aterro sanitário. “O desafio é encontrar parceiros interessados em viabilizar os descartes gerados pelos nossos clientes na conversão dos rótulos (esqueletos) e pelos consumidores finais, no momento da rotulagem final (liner papel e PET).”

Elo da cadeia


Botelho revela, ainda, que uma das prioridades globais da companhia é ajudar a reduzir os resíduos em toda a cadeia. “A reciclagem de liners e esqueletos tem sido um desafio para a indústria de rotulagem. O que está faltando não é a vontade, mas sim a conexão entre os diversos integrantes da cadeia, para triagem, transporte e busca por medidas. Estamos em contato com recicladores, fabricantes de papel e plástico nas cinco regiões do mundo em que operamos, para encontrar soluções para os resíduos de liner Glassine, PET e esqueleto filme para transformação em novos produtos.”

Atualmente, a Avery Dennison e os participantes do programa direcionam aproximadamente 10% de resíduos para reciclagem e a meta para 2020 é chegar a 13%. “Nosso papel é tentar engajar todos os elos da cadeia, incluindo fornecedores, recicladores, convertedores e brand owners. Desde o início do projeto, em 2019, já tivemos muitos avanços, mas ainda há muito a ser feito”, destaca Botelho.

Soluções que agregam valor


Buscar por processos e produtos sustentáveis não significa abrir mão do valor à marca. Hoje, com os diversos recursos tecnológicos e materiais disponíveis, as empresas podem encantar as pessoas com embalagens atraentes e que transmitem sua identidade, se destacando em meio aos concorrentes e apresentando soluções que reduzem o impacto ambiental.


Os rótulos e adesivos se sobressaem por sua grande versatilidade e pelas inúmeras possibilidades de acabamentos e recursos gráficos que oferecem aos brand owners. Além de serem fortes aliados das marcas para criar embalagens que se destaquem nas prateleiras, são altamente eficientes no processo de rotulagem e viabilizam ganhos significativos nas linhas de produção.

A especificação correta, garantindo a adoção do material adequado para cada tipo de embalagem e evitando o desperdício de recursos, e a escolha dos insumos para produção dos rótulos são algumas iniciativas para se chegar a um menor impacto ambiental. Nesse sentido, a Avery Dennison trabalha em duas frentes: na busca por suprimentos oriundos de fontes responsáveis, como biopolímeros, materiais biodegradáveis e compostáveis, e papéis com certificação de manejo florestal; e na análise da cadeia de soluções sustentáveis, como a reciclagem, procurando incorporar resíduos recuperados em suas estruturas e oferecendo itens em seu portfólio, que possibilitam ou melhoram a reciclagem das embalagens, depois do seu descarte.

Setembro sustentável


Para a Avery Dennison, a sustentabilidade está inserida em todas as áreas. Desde a compra responsável até o portfólio de produtos, passando por processos internos, como a redução da emissão de gases de efeito estufa, e ações que incentivam a cadeia como um todo. “Acreditamos que é essencial disseminar a importância de práticas sustentáveis por todas as áreas da empresa, para que todos possam contribuir em conjunto”, afirma Botelho.

Uma das iniciativas da companhia é o “Setembro Sustentável”, mês dedicado às atividades relacionadas à conscientização sobre o tema, para incentivar o engajamento de colaboradores e parceiros, dentro e fora da empresa.

Reconhecimento global


A Avery Dennison é reconhecida mundialmente pelo desenvolvimento de ações em sustentabilidade. Em 2018, foi destaque na lista inaugural das 100 empresas mais sustentáveis da Barron’s e, em 2019, recebeu o prêmio Innovations in Sustainability (Inovação em Sustentabilidade) pelo “Programa de Aquisição Sustentável”, em parceria com a EcoVadis, que avalia, monitora e incentiva a melhoria das práticas sociais e ambientais dos fornecedores da empresa em todo o mundo. Esse mesmo programa recebeu o prêmio de Sustentabilidade 2018, durante a cerimônia do “Label Industry Global Awards”, realizada na LabelExpo 2018, a mais importante feira da indústria de materiais para rótulos e embalagens, que acontece nos Estados Unidos. Em 2020, a empresa subiu da posição 71 para a posição número 20, no ranking Barron’s.

Tags,

Google Cloud e SAP lançam concurso global de empreendedorismo social

Economia Circular 2030 busca projetos originais que beneficiem qualquer aspecto da economia global com base nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável estabelecidos pela ONU

O Google Cloud e a SAP anunciaram hoje, 23, durante o Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça, um concurso global de empreendedorismo social, com o objetivo de impulsionar o crescimento econômico de forma sustentável. A competição, chamada de Economia Circular 2030, estimula os participantes a tirar o máximo proveito de tecnologias para criar projetos inovadores para atingir os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas (ONU) até 2030.

A parceria estratégica faz parte do engajamento de Google Cloud e SAP para solucionar desafios globais atuais, incluindo aqueles relacionados à pobreza, desigualdade, clima, degradação ambiental, prosperidade, paz e justiça.

Podem participar do concurso empreendedores sociais, ONGs, organizações sem fins lucrativos ou voltadas para a área social, além de associações comunitárias. Os candidatos devem ser maiores de 18 anos e enviar, entre 22 de janeiro e 17 de março, propostas que ajudem a gerar receita para a produção e o consumo responsáveis, com o apoio de soluções Google Cloud e SAP. As inscrições devem ser feitas por meio do site oficial.

Após a seleção, cinco semifinalistas serão convidados para o Google Cloud Next, principal evento anual de computação em nuvem do Google, que acontece entre 9 e 11 de abril, em San Francisco (EUA). Na ocasião, os participantes poderão aprender como usar soluções de computação em nuvem em seus projetos diretamente com nossos especialistas. Os semifinalistas também participarão de um hackathon para colocar em prática os conhecimentos adquiridos ao longo do evento.

O grande vencedor do concurso Economia Circular 2030 será anunciado durante o evento SAP Sapphire, que será realizado entre os dias 7 e 9 de maio, em Orlando (EUA). Ele será premiado com US$ 200 mil, além da participação no Bootcamp do Google Cloud for Startups. Os outro quatro finalistas receberão um prêmio de US$ 50 mil e mentoria individual com profissionais do Google Cloud e SAP.

Inteligência artificial e a economia circular

A Fundação Ellen MacArthur e o Google, com o apoio da McKinsey, produziram um paper para explicar sobre como a inteligência artificial pode acelerar a transição para uma economia circular.

O estudo é baseado em mais de 40 entrevistas com especialistas e apresenta os primeiros insights sobre como a inteligência artificial pode ser aplicada para gerar uma economia circular em escala. O estudo avalia duas cadeias de valor, alimentos e agricultura, além de eletrônicos. Para a primeira cadeia, a estimativa é de que a IA possa gerar US$ 127 bilhões por ano em 2030; para a segunda, a oportunidade gira em torno de US$ 90 bilhões por ano.

O que é economia circular?

A economia circular é um tipo de economia em que o crescimento é gradualmente separado do consumo de recursos finitos. Seus princípios incluem projetar soluções para lixo e poluição, manter produtos e materiais em uso e regenerar sistemas naturais.

O que é inteligência artificial?

A inteligência artificial (IA) lida com modelos e sistemas que desempenham funções geralmente associadas com a inteligência humana, como raciocinar e aprender. Como uma das principais tendências, a IA deve adicionar US$ 13 trilhões em atividade econômica em todo o mundo até 2030.

Tags, , , , ,

Brasil avança no tema economia circular

O Brasil tem a chance de dar um grande impulso às pesquisas voltadas para suprimento, produção, consumo, reutilização e reciclagem de matérias-primas minerais. A Finep encerrou recentemente o recebimento de pré-propostas para o consócio ERA-MIN 2, em que vários países investem recursos em desenvolvimento e inovação tecnológica para transformação mineral, com enfoque na economia circular. Nesta fase, de um total de 94 coordenações mundiais de projetos, o Brasil lidera o maior número, 22.

De acordo com o edital, os projetos para o ERA-MIN 2 devem ser realizados em parcerias transnacionais entre empresas, entre Institutos de Ciência e Tecnologia (ICTs) ou entre empresas e ICTs. O pré-requisito é que cada consórcio conte com, no mínimo, duas instituições europeias. As propostas serão selecionadas por um comitê técnico e a previsão é que os projetos escolhidos iniciem no primeiro semestre de 2018.

No Brasil, é a Finep quem representa o consórcio e realiza o financiamento. Nesta chamada pública, o volume de projetos apresentados no País superou as expectativas. Somam pedidos de 9,4 milhões de euros de financiamento. O valor total destinado pela Finep às instituições brasileiras, no entanto, será de 750 mil euros.

Entenda melhor o conceito de economia circular

[embedyt] http://www.youtube.com/watch?v=4YOuLMDvxJU[/embedyt]

Tags, ,