Tag e-mail

E-mail vai se juntar ao fax – Por Mateus Azevedo

Sabe quando você acessa um site e vê lá “número do fax”? Pois esta vai ser a mesma sensação ao visualizarmos um endereço de e-mail!

O WhatsApp Business chegou para melhorar a comunicação entre as pequenas e médias empresas e logo vem a versão para grandes empresas, a Enterprise. A proposta das duas versões do app é uma comunicação mais rápida, segura e em uma única plataforma, sacramentando que não dá mais para ficar esperando pelo e-mail pra fechar negócio.

A “formalização” do app no mundo corporativo (pois sabemos que há tempos empreendedores usam o WhatsApp para falar com clientes, vender produtos e serviços) é reflexo da entrada no mercado de trabalho das novas gerações (Millennials e geração Z). Nós não nos comunicamos ou consumimos mídia mais da forma tradicional. Os vídeos no YouTube ganham da televisão aberta, os filmes e séries no Netflix, a locomoção via bike ou aplicativos como Uber e Cabify, as listas de música no Spotify. É uma mudança natural, de comportamento, que veio para “ficar” – e cabem as aspas aqui porque nada em comportamento, geração, ou tecnologia é estático. As coisas permanecem enquanto fazem sentido. A mudança é inevitável e nos cabe extrair o melhor dela, usando as novidades ao nosso favor.

As novas gerações já vinham matando os e-mails no universo corporativo com uso de outras soluções de mensageria. Empresas como a Slack e a Wrike oferecem plataformas internas, blogs e interação entre os funcionários de uma companhia por meio de canais, grupos, chat e vídeo chamada em contexto empresarial. Criam-se canais sobre temas específicos, documentação centralizada, sem aquela longa troca de e-mails.

Agora, as novas versões do WhatsApp combinadas aos Bots vêm para efetivar uma mudança já anunciada, da Era App para a Era Bot. Segundo o estudo Digital in 2017, feito pelo instituto We are Social, são 139 milhões de usuários da Internet no Brasil e pelos dados do app de chat,120 milhões deles usam o Whatsapp. Por ser um canal livre de spam (uma das maiores preocupações da empresa foi crescer sem nunca deixar isso mudar), já estar nos nossos celulares e não demandar aprendizado de uso. A dupla deve sacramentar a morte do e-mail mais rápido que esperamos.

O motivo para tal mudança é bem claro, o consumidor/cliente quer ser atendido a qualquer momento e espera conseguir as informações que deseja (principalmente o preço) no momento em que saca seu smartphone do bolso. Em vários casos no Google Trends a busca por “preço de produto” está acima de “onde comprar o produto”: pense em você buscando um produto na internet, quer saber o preço e quanto tempo demora para chegar. As pessoas desejam pronto atendimento, informações claras, objetivas, rápidas.

Os bots integrados ao WhatsApp desempenharão esse papel muito bem. Neste sentido, também se espera, evidentemente, uma mudança no mercado de trabalho. O vendedor que só sabe tirar pedido também irá para o mesmo caminho fatal dos e-mails. Vai morrer. Perder seu lugar para o vendedor consultivo.

Em resumo, as novas versões de WhatsApp integradas aos Bots – a API ainda não foi liberada, mas olhando para o histórico da empresa, é mais provável que após o lançamento do Entreprise, ela seja liberada para alguns clientes de alto volume de interações escolhidos a dedo no início – vem sacramentar uma nova Era. Uma Era em que uma nova geração, com comportamentos nitidamente distintos da geração anterior, vem mudar as relações de trabalho, a forma como negociamos e nos comunicamos.

Estamos saindo da “Era dos Apps” para a “Era dos Bots” para manter um diálogo mais dinâmico com o cliente e também e possibilitando o acesso dele aos serviços de forma muito mais ágil. A tecnologia muda em uma velocidade cada vez maior e nós não conseguimos prever o que virá, mas me arrisco a fazer uma previsão de curto a médio prazo: o e-mail vai morrer e o “Botzapp” será, ao que tudo indica, o seu substituto.

Mateus Azevedo, Sócio da BlueLab e responsável pela Diretoria de MKT e Vendas

Tags, , , , , , , , ,

E-mail corporativo: 4 fatores importantes que garantem a segurança de informações confidenciais

Um dos temas mais discutidos no mundo dos negócios é a maneira correta de se usar o e-mail corporativo através de um dispositivo móvel. Diversas informações importantes e confidencias acabam sendo vazadas, trazendo um enorme prejuízo para as empresas.

Pensando nisso, a Navita – empresa líder em mobilidade e telecom – apresenta 4 frentes principais que podem ser aplicadas por diferentes tipos de companhias para evitar complicações posteriores aos vazamentos de informações.

Monitoramento de e-mails corporativos

Com o monitoramento dos e-mails, conseguimos ter o controle da informação e a rastreabilidade, que permitirá identificar possíveis vazamentos. Também é importante classificar perfis de utilização do e-mail corporativo, restringindo algumas ações por grupo de usuários conforme o grau de elegibilidade para liberação de envio e download de conteúdos no dispositivo móvel.

Compartilhamento de arquivo

Impedir que o arquivo seja compartilhado, garante que a informação não seja roubada. É possível proteger os dados com diversas camadas de segurança e autenticação, assim como podemos impor restrições com o intuito de evitar que informações possam ser compartilhadas ou acessadas.

Credenciais em dispositivos móveis

Um dos maiores riscos é o roubo de credenciais (senhas). Dispositivos possuem muitas informações como: tolken, bancos online, acesos à sistemas corporativos entre outros dados. Uma saída interessante é não misturar o pessoal e o corporativo, utilizando a conteinerização dividindo o smartphone em área pessoal e profissional ou ampliando a camada de segurança que contemple também as credenciais.

Wipe remoto

O Wipe é a limpeza do dispositivo, que foi perdido ou até mesmo roubado, retornando as configurações de fábrica. Com isso, as informações confidenciais existentes no e-mail são apagadas e não se corre o risco de serem vazadas ou utilizadas para fins não desejados. Essa prática pode ser utilizada também para funcionários que foram desligados da empresa e utilizavam seu dispositivo.

“Atualmente muitas empresas acabam perdendo informações preciosas porque não possuem um sistema que restrinja o uso delas em dispositivos móveis. Esse é um tipo de dor de cabeça para as companhias que em muitas vezes pode ser evitado”, afirma Fábio Pacheco, especialista em soluções para dispositivos móveis da Navita.

Para implementação destas frentes se utiliza ferramentas de MDM (Mobile Device Management), disponíveis no mercado. A Navita possui sua própria ferramenta o Navita MDM e também faz a gestão dos dispositivos móveis por outros softwares.

Além dessas práticas para garantir a segurança em e-mail corporativo, a Navitadisponibilizou em seu site um Guia de Boas Práticas para gestão de telecom com informações e sugestões exclusivas que podem ser utilizadas pelos gestores de todos os tipos de empresa.

Para mais informações, acesse: www.navita.com.br

Tags, , , , ,

Gartner destaca aumento no uso de e-mail na Nuvem por empresas do mundo todo

O Gartner, Inc., líder mundial em pesquisa e aconselhamento sobre tecnologia, aponta que o mercado de e-mail na Nuvem está ganhando espaço entre as organizações do mundo inteiro, com 13% das empresas de capital aberto usando um dos dois principais fornecedores desse segmento. Em estudo recente, o Gartner identificou que 8,5% das empresas públicas usam o e-mail na Nuvem do Microsoft Office 365, enquanto 4,7% usam o Google Apps for Work. Os quase 87% restantes das empresas pesquisadas têm e-mail na Nuvem híbrido, hospedado ou privado, gerenciado por fornecedores menores. Essas e outras informações serão apresentadas durante a Conferência Infraestrutura, Operações de TI e Data Center 2016, que acontecerá nos dias 4 e 5 de abril, em São Paulo (Segunda e Terça-feira), no Sheraton São Paulo WTC Hotel.

As conclusões são baseadas em uma análise quantitativa de registros de encaminhamento de e-mail disponível publicamente. O Gartner considerou registros de domínio de quase 40 mil empresas públicas no mundo para descobrir quais visam aos serviços de e-mail na Nuvem do Google ou da Microsoft.

“Tanto a Microsoft quanto o Google têm conquistado adesão significativa entre empresas de diferentes perfis. As organizações que consideram utilizar o e-mail na Nuvem devem questionar a premissa de que a Nuvem pública não é apropriada para a sua região, porte ou segmento. Nossas descobertas indicam que o número de empresas usando o e-mail na Nuvem é cada vez maior”, diz Nikos Drakos, Vice-Presidente de Pesquisa do Gartner.

Entre as organizações utilizando o e-mail na Nuvem, a Microsoft está à frente na maioria das empresas, especialmente nos setores regulamentados, incluindo serviços, energia e aeroespacial. O Google está à frente no segmento industrial, com mais competição e menos regulamentação, tais como publicação de software, varejo, publicidade, mídia, educação, viagem, bens de consumo, comida e bebida.

“A Microsoft é a fornecedora mais popular entre as organizações públicas de maior porte que usam o e-mail baseado na Nuvem, sendo que mais de 80% dessas empresas apresentam receita acima de US$ 10 bilhões. A popularidade do Google é maior entre as empresas com receita inferior a US$ 50 milhões, totalizando 50% de seus usuários”, afirma Jeffrey Mann, Vice-Presidente de Pesquisa do Gartner.
Em setores como viagem e hotelaria, serviços profissionais e bens de consumo, os níveis mais altos de utilização estão entre as empresas com as maiores receitas. Mais de um terço das organizações nestes setores, com receita acima de US$ 10 bilhões, utilizam o e-mail na Nuvem de um desses dois fornecedores.

Anote em sua agenda: Conferência Gartner Infraestrutura, Operações de TI e Data Center
Data: 4 e 5 de Abril de 2016 (Segunda e Terça-feira)
Local: Sheraton São Paulo WTC Hotel – Av. das Nações Unidas, nº 12.559

Sobre a Conferência Gartner Infraestrutura, Operações de TI e Data Center

A Conferência Gartner Infraestrutura, Operações de TI e Data Center 2016 ajudará os líderes estratégicos de TI na busca pela excelência operacional com a oferta de serviços fundamentais confiáveis, melhorando os níveis de produtividade e inovação. O evento vai abordar novas oportunidades para otimização de valor e do custo de TI, equilíbrio entre riscos e oportunidades na Nuvem e como manter a excelência em operações de TI em um mundo de mudanças constantes. Mais informações sobre o evento podem ser encontradas no site: http://www.gartner.com/events/pt/la/data-center.

Tags, ,

43% das vítimas de cibercrime no Brasil são da Geração Y

A famosa Geração Y, ou Millennials, é representada por jovens que cresceram com a internet e agora estão assumindo posições no mercado. De acordo com estimativa feita em 2014 pela Catho, 70% da força de trabalho no mundo será composta pelos Millennials em 2025. Essa geração, por se sentir confiante no ambiente online, acredita estar segura ao navegar na internet. Entretanto, de acordo com o novo estudo da Norton[1], os Millennials representaram 43% das vítimas de crimes online em 2014, 4% a mais do que a Geração X.

Isso se deve ao fato de que jovens tendem a se expor mais ao crime online, pois possuem mais dispositivos e perfis sociais, e acreditarem que são imunes a qualquer tipo de ameaça digital – somente 16% acredita ser vítima em potencial. Outros dados sobre pessoas da Geração Y do Brasil, abordados no estudo, dizem que:

• 57% já teve ou conhece alguém que teve o e-mail acessado sem permissão.

• 98% se sente confiante em atualizar configurações de privacidade no celular.

• Somente 47% concorda que usar Wi-Fi público é mais perigoso do que usar banheiros públicos.

• Possui cerca de 6 dispositivos, 2 a mais do que a média da Geração Baby Boomers.

• Acredita que a probabilidade de contrair um vírus de computador é a mesma do que contrair o vírus da gripe em transportes públicos.

Tags, , , , ,

Return Path apresenta soluções inovadoras de proteção contra fraudes por email no fórum Mind The Sec

Com painel e palestras, a empresa espera munir o mercado com informações sobre autenticações e sua plataforma de dados, além da visão de clientes e provedores de e-mail sobre os desafios da segurança da informação

Provedora global de soluções de dados, a Return Path é uma das patrocinadoras do Fórum Mind The Sec, criado com o objetivo de discutir pilares da segurança da informação, como gestão, tecnologia e soluções. O evento acontece nos dias 26 e 27 de agosto, no Grand Hyatt São Paulo, com a presença de Bruce Schneier, especialista no assunto.

Três executivos da Return Path participam com destaque nas atividades do Fórum Mind The Sec. Pablo Dewes, consultor técnico sênior de Email Fraud Protection da empresa, ministra a palestra intitulada “protocolos de autenticação para garantir a segurança dos e-mails contra spoofing e phishing”, enquanto Brandon Dingae, diretor de Email Fraud Protection, abordará o tema “evitando manchetes negativas e custos de recuperação de fraudes por e-mail e abusos de marca”.

Em um terceiro momento, a Return Path, promove o painel “proteção contra fraudes por e-mail – os desafios e tendências de todas as partes que compõe o ecossistema de e-mail e seus papéis no combate à fraude”, reunindo os executivos Fabio Nascimento Mello, profissional de uma grande instituição financeira, representando as marcas que são muito respeitadas e mais propensas ao abuso ou fraudes, e Leandro Bennaton, Global Security & Compliance Manager do Terra e Chief Security Ambassador da 11Paths, representando as entidades responsáveis por filtrar emails fraudulentos e evitar que cheguem aos consumidores. A atividade será mediada por Celso Gonzalez Hummel, diretor de vendas de Email Fraud Protection da Return Path.

O Fórum Mind The Sec reúne tomadores de decisão técnicos e gerenciais de importantes companhias. Como patrocinadora, a Return Path oferece a seus convidados desconto de 50% na inscrição do evento, além da possibilidade de pré-agendamento de uma reunião com seus especialistas e produção de um relatório personalizado, buscando evidências de emails suspeitos. Mais informações: rpinfo-brazil@returnpath.com.

FÓRUM MIND THE SEC 2015
Período – dias 26 e 27 de agosto de 2015
Local – Grand Hyatt São Paulo
Desconto de 50% a convidados da Return Path – informações por meio do rpinfo-brazil@returnpath.com
Mais informações sobre o evento – http://mindthesec.com.br/

PARTICIPAÇÕES DA RETURN PATH

Dia 26/08 às 14h50
Palestra – “Protocolos de autenticação para garantir a segurança dos e-mails contra spoofing e phishing” / Palestrante: Pablo Dewes (Senior Technical Consultant/Email Fraud Protection – Return Path)

Dia 26/08 às 16h40
Painel – “Proteção contra fraudes por e-mail: os desafios e tendências de todas as partes que compõe o ecossistema de e-mail e seus papéis no combate à fraude” / Painelistas – Fabio Nascimento Mello e Leandro Bennaton/ Mediador – Celso Gonzalez Hummel

Dia 27/08 às 11h30
Palestra – “Evitando manchetes negativas e custos de recuperação de fraudes por e-mail e abusos de marca” / Palestrante – Brandon Dingae (Director/Email Fraud Protection – Return Path)

Tags, , , , ,

Como bloquear contatos no e-mail e telefone e se livrar do spam

A internet nos permite nos comunicar com outras pessoas no mundo, enquanto tivermos acesso à Web. Há muitos benefícios, mas também muitos incômodos, um deles é alguém indesejável entrar em contato com você.

Mas existem tecnologias capazes de bloquear pessoas indesejáveis que tratam de contatá-lo on-line e no seu telefone. Quer saber como podemos bloquear pessoas on-line e no telefone?

Controles do Spam de correio eletrônico incorporado

Se você utiliza um serviço de e-mail popular, como Gmail ou Yahoo, há uma opção para bloquear um endereço de e-mail específico para que não possa contatá-lo novamente. Colocando um correio eletrônico como Spam, o remetente será bloqueado automaticamente, além de ser enviado ao fornecedor de correio eletrônico para que possam investigar mais a fundo as mensagens daquele endereço.
Você também pode criar filtros no Gmail e Yahoo, assim os e-mails de contatos não desejados são enviados a uma pasta ao invés de ser eliminados diretamente.

Funcionalidade de bloqueio de contatos nos telefones celulares

Com o iOS7, a Apple incorporou o bloqueio de chamadas e mensagens. Ao fazer clique em qualquer contato, seja o remetente da mensagem de texto ou chamada, os usuários de iPhone podem recorrer a ‘Bloquear contato’ para impedir futuros textos ou chamadas desse contato. Era uma característica muito esperada. “Uma das maiores reclamações feitas por muitos usuários de iOS da introdução de iMessage e FaceTime com iOS 5 foi a incapacidade de bloquear contatos”, escreveu o escritor técnico sênior de CNET Jason Cipriani. Apple respondeu de forma clara aos desejos de muitos deles com esta útil característica.

No Android, a forma mais fácil de bloquear números específicos é através da lista de auto rejeitar. Para acessar: telefone >>menu>> ajustes de chamada >> rejeitar ligações >> lista de rejeitados. Aqui, você pode adicionar números de telefone para bloquear selecionando o botão ‘Criar’, e em seguida ‘Salvar’ para guardar a lista. Aqui, também pode selecionar a opção de bloquear todas as chamadas de números desconhecidos, que frequentemente são ligações Spam.

Função Anti-Spam via PSafe Internet e Psafe Total

A funcionalidade incorporada anteriormente citada é útil para bloquear e-mails ou números de telefone específicos, mas é recomendado ir além do mínimo necessário para bloquear incômodos contatos não desejados. Alguns contatos utilizam várias contas de e-mail ou números de telefone para entrar em contato com você. A função anti-Spam no PSafe Internet e Psafe Total para Android combate bloqueando automaticamente todo Spam de SMS e chamadas. Esta é uma das várias funcionalidades úteis do PSafe, uma suíte de segurança que também proporciona proteção anti-phishing, monitores de memória/largura de banda e tecnologia alarme antifurto.
Com os conselhos anteriores, você economizará tempo mediante o bloqueio de números e correios eletrônicos que estão consumindo seu dia.

Tags, , , , ,

E-mail é o canal que apresenta melhor taxa de conversão em vendas para e-commerce no Brasil

O E-mail é o canal que apresenta a melhor taxa de conversão em vendas para os sites de e-commerce no Brasil, com 2,53%, aponta o estudo inédito da Experian Marketing Services sobre Performance no e-Commerce.
A taxa de conversão é o resultado da divisão do número de conversões, pedidos efetuados em um site de comércio eletrônico, pelo número de visitas em um mesmo período.

Já o canal Search, ferramentas de busca, apresenta 2,08%, a segunda melhor taxa de conversão, seguido pelo canal Mídias Sociais, com 1,18%. A taxa de conversão média do e-commerce é de 1,44%.

“Apesar de menos representativo no volume total de vendas, o canal E-mail apresentou a melhor taxa de conversão em vendas no e-commerce. Isto ocorre porque este canal já vem sendo utilizado há muitos anos pelos profissionais de marketing que, durante este período, desenvolveram e aperfeiçoaram diversas técnicas para maximizar o relacionamento com seus clientes”, afirma Marco Salvi, Head de Marketing e Client Services da Experian Marketing Services.

Os principais objetivos das empresas que investem em anúncios e comunicação online são aumentar a receita com vendas e melhorar o relacionamento da marca com o público, de acordo com a pesquisa. Um total de 74% dos respondentes considera o objetivo de aumentar a receita com vendas como “muito importante”. Já o objetivo de melhorar o relacionamento aparece em segundo lugar, com 69% dos respondentes tendo considerado “muito importante”, seguido dos objetivos aumentar a exposição da marca – branding (61%), aumentar tráfego para o website (44%) e gerar leads (37%).

Representatividade do e-commerce por canal
E-mail Marketing – 90% dos respondentes citaram usar este canal. As expectativas principais são aumentar receita com vendas (45%) e aumentar tráfego para o website (17%). Contudo, a análise da Experian Marketing Services mostra que a participação no tráfego total do canal E-mail é 9,39% e a participação na conversão total de 14,14%.

Em termos de recursos, 48% dos anunciantes investem mais de 10% da verba neste canal. Quanto ao retorno sobre o investimento (ROI), 65% deste subgrupo afirma que E-mail está gerando ROI e que continuará investindo neste canal (48%) ou aumentará investimento neste canal (17%). Outros 17% afirmam que vão começar a investir neste canal porque acreditam que o canal vai gerar ROI.

Mídias Sociais – 88% dos respondentes citaram usar este canal. A expectativa é principalmente de melhorar relacionamento com o público (54%), seguida de aumentar exposição da marca (21%). Na realidade, porém, a participação do canal no tráfego total dos sites de e-commerce é de 17,24% – a segunda maior –, enquanto a participação do canal na conversão total é de 12,16%. Ao todo, 69% dos anunciantes investem menos de 10% da verba neste canal.

Search – 72% dos respondentes citaram usar este canal. As principais expectativas são aumentar receita com vendas (39%) e aumentar tráfego para o website (29%). Na realidade, a participação do canal no tráfego total é de 27,25% e a participação na conversão total 33,73%. Dos anunciantes, 50% investem mais de 10% da verba neste canal.

“Ao utilizar dados sobre o relacionamento prévio do consumidor com a marca de forma cada vez mais efetiva, é possível transformá-los em conhecimento para gerar melhores taxas de vendas. Esta é uma tendência que poderá ser observada, no futuro, para as mídias sociais também, à medida que os profissionais de marketing aprendam a lidar com a riqueza de informações disponíveis neste canal, criando ações de marketing cada vez mais personalizadas e, consequentemente, mais efetivas”, conclui Salvi.

Tags, , ,