Tag e-Flation

E-commerce brasileiro aponta deflação no mês de junho

view (6)

De acordo com o índice e-flation, produzido pelo IBEVAR/PROVAR, o índice geral sofreu queda em junho de 2017 em relação a maio do mesmo ano.

O estudo apurou que a inflação na internet no mês de junho foi -1,07%. No acumulado dos últimos doze meses, observa-se que houve queda de 0,37 pontos percentuais em relação ao mês anterior. Se confrontado com o mesmo período do ano de 2016, a queda chega a 14,22 pontos percentuais.

Já no acumulado do ano, a inflação foi de -0,19% (representando queda de 1,08 p.p. em relação ao acumulado do mês passado e queda de 7,61 p.p. em relação ao mesmo período do ano anterior.

Cinco categorias entraram na lista da deflação de junho, são elas: ‘Eletrodomésticos’ (-1,97%), ‘CD´s e DVD´s’ (-3,63%), ‘Livros’ (-3,35%), ‘Perfumaria e Cosméticos’ (-5,00%) e ‘Eletroeletrônicos’ (-5,76%).

Outros cinco grupos que obtiveram inflação mensal foram: ‘Cine e Foto’ (9,56%), ‘Brinquedos’ (1,71%), ‘Informática’ (0,83%), ‘Medicamentos’ (1,87%) e ‘Telefonia e Celulares’ (2,13%).

O processo de elaboração do índice inicia-se a partir da definição dos produtos que comporão cada cesta. Para tanto, são verificados os itens mais vendidos de cada categoria (os “campeões de venda” dos varejistas analisados). Já a escolha das lojas virtuais é baseada nas preferências dos internautas, conforme apurado nas pesquisas de Intenção de Compra na Internet (em conjunto com PROVAR e E-bit).

Tags, , ,

Sites de e-commerce registram primeira deflação do ano em março

Em março, o índice e-Flation registrou deflação de 0,4% nos preços apresentados nos sites de e-commerce, representando uma queda de 0,9 p.p. em relação ao mês anterior, quando se observou inflação de 0,5% e aumento de 1,1 p.p. em relação a março de 2012, quando se observou -1,5%.

Desenvolvido pelo Provar (Programa de Administração do Varejo), da FIA (Fundação Instituto de Administração), em parceria com a Felisoni Consultores Associados e com a Íconna Monitoramento de Preços no E-commerce, o indicador tem como proposta monitorar as variações dos preços de produtos ofertados on line, acompanhando as tendências no mercado de consumo pela Internet.

Três categorias influenciaram o resultado de queda registrada em março: “Informática” (-0,77%); “Eletrodomésticos” (-0,43%); e “CDs e DVDS” (-0,06%). Duas não apresentaram variação do nível de preços. São elas: “Cine e fotos” e “Medicamentos”, ambas com 0,0%. Já nas outras 5 categorias restantes verificou-se leve inflação: “Livros” (+0,48%); “Perfumes e cosméticos” (+0,25%); “Brinquedos” (+0,06%); “Eletroeletrônicos” (+0,05%); e “Telefonia & celulares” (+0,05%).

Esta é a primeira queda do ano, que acumula nestes três primeiros meses inflação de 3,11%. Já na somatória dos últimos 12 meses, o índice apura deflação de -2,51%.

“O índice mantém-se dentro da variação histórica da série, não sinalizando tendência de queda ou elevação, isso reflete a competitividade acirrada da internet”, comenta Claudio Felisoni, presidente do conselho do PROVAR/FIA.

O e-Flation é avaliado a partir da segunda quinzena do mês anterior à primeira do mês em referência. Os itens que compõem a cesta de cada uma das categorias são aqueles que, sendo os mais anunciados entre os sites mais procurados, resultam no que se chama de “campeões de vendas”.

Tags, , , , , ,

Sites de e-commerce registram deflação de 8,4% em 2012

Em dezembro, o índice e-Flation registrou deflação de 2,8% nos preços apresentados nos sites de e-commerce, representando uma queda de 2,2 p.p. em relação ao mês anterior, em que totalizou -0,6%, e redução de 2,3 p.p. em comparação ao percentual de dezembro de 2011 (-0,5%).

Desenvolvido pelo Provar (Programa de Administração do Varejo), da FIA (Fundação Instituto de Administração), em parceria com a Felisoni Consultores Associados e com a Íconna Monitoramento de Preços no E-commerce, o indicador tem como proposta monitorar as variações dos preços de produtos ofertados on line, acompanhando as tendências no mercado de consumo pela Internet.

Oito categorias influenciaram o resultado de deflação observado em dezembro. São elas: “Eletrodomésticos” (-1,04%), “Informática” (-1,01%), “Medicamentos” (-0,24%), “Cine e Fotos” (-0,22%), “Livros” (-0,18%), “Telefonia e Celulares” (-0,17%) “Brinquedos” (-0,06%), e “Eletroeletrônicos” (-0,01%). Apenas duas categorias apresentaram inflação: “CDs e DVDs” (0,01%) e “Perfumes e Cosméticos” (0,13%).

Ao longo de 2012, o índice registrou 9 deflações, somando no acumulado dos 12 meses -8,4%, 2,7p.p a menos do que em 2011, quando se apurou -5,7%. Durante todo ano, a maioria das categorias registraram deflação. São elas: “Medicamentos” (-8,0%), “CDs e DVDs” (-6,0%), “Informática”(-5,9%), “Telefonia e Celulares” (-5,0%), “Eletroeletrônicos” (-2,8%), “Livros” (2,8%), “Brinquedos” (-2,5%), “Cine e Fotos” (-1,5%) e “Eletrodomésticos” (-0,9%). Somente duas categorias acumularam inflação no ano: “Livros” (2,8%) e “Perfumes e Cosméticos” (2,0%).

“Encerramos 2012 com a identificação de muita cautela no comportamento do consumidor, que pesquisou muito mais antes da compra durante todo o ano passado. O que facilitou a competitividade das empresas neste segmento e segurou a inflação destes produtos”, comenta Claudio Felisoni, presidente do conselho do PROVAR/FIA.

O e-Flation é avaliado a partir da segunda quinzena do mês anterior à primeira do mês em referência. Os itens que compõem a cesta de cada uma das categorias são aqueles que, sendo os mais anunciados entre os sites mais procurados, resultam no que se chama de “campeões de vendas”.

Tags, , , , , , ,