Tag drones

Manserv amplia uso de drones nos serviços de facilities

A Manserv, líder em serviços Facilities, Industriais, Logística, expandiu o uso de drones nas operações dos serviços de facilities. A empresa passou também a utilizar drones para inspeção de fachadas, estrutura industrial, áreas verdes e monitoramento de gramados. Com a expansão dos serviços com drones, agora são 8 equipamentos em operação e 20 profissionais capacitados para usar a tecnologia nos serviços de facilities.

Todos colaboradores foram capacitados para deixar de serem inspetores e se tornaram operadores de drones. “Estamos utilizando a tecnologia em inspeção de fachadas de prédios comerciais, inspeção de check-list de demarcações de limites de áreas, inspeção de segurança do trabalho e inspeção de áreas verdes e monitoramento de jardinagens”, afirma Ricardo Moreira Diretor Presidente da Manserv Facilities.

Os drones possuem câmeras de altíssima resolução (4K) que gravam e emitem a análise dos locais de difícil acesso através do zoom. Além disso, com a tecnologia embarcada chamada VANT, em caso de perda de sinal, chuva forte ou tempestade, o equipamento automaticamente volta ao seu ponto inicial de decolagem.

Ele explica que a primeira experiência com drone colocada em prática pela Manserv Facilities foi no ano de 2016 para inspeção de telhados. Antes dos drones, os funcionários percorriam o telhado antes de iniciar os reparos. “Aumentou a eficiência e a segurança durante a inspeção de telhados de instalações fabris e empresariais depois que passamos a usar os equipamentos”, diz.

O executivo acredita que os drones estarão cada vez mais presentes nos serviços das empresas no futuro, por se tratar de uma ferramenta inovadora que promove diversas aplicabilidades de inspeção que direcionam a execução de trabalhos preventivos, seguros e produtivos.

Case de uso de Drone em inspeção de telhados:

Tags, , , ,

Drones chegam à construção civil para otimizar obras

Criados inicialmente para auxiliarem exércitos em missões de espionagem, os drones vêm ganhando novas utilizações em diversos setores da sociedade. Na construção civil, as pequenas aeronaves não-tripuladas já são consideradas soluções viáveis para reduzir o tempo de obras e auxiliar os softwares na modelagem de edificações.

“Equipados com sensores, os drones podem ser usados para capturar uma enorme gama de dados, tornando mais eficientes vários processos da construção”, explica Roberto de Souza, idealizador da Rede Construção Digital, iniciativa que reúne 32 empresas do setor, entre construtoras, incorporadoras, projetistas e fabricantes, para debater como novas tecnologias podem otimizar processos e solucionar fluxos defasados do setor.

“Os trabalhos de inspeção, que costumam demorar semanas, agora serão realizados em apenas alguns dias. O mapeamento da área a ser construída é outro processo da construção que pode se apropriar de análises dos drones, através de modelos em 3D ou simulações em realidade virtual gerados pelas imagens aéreas”, considera o engenheiro.

Nas rotinas da construção, caberão aos drones auxiliarem desde processos de segurança do trabalho, inspeção de obras a lançamentos de empreendimentos. Neste último caso, empresas poderão produzir vídeos e fotos com dados captados pelos veículos, gerando simulações e permitindo aos clientes visualizarem todas as áreas de um projeto antes que ele seja finalizado.

Empresas discutem viabilidade de novos projetos

Após a análise do uso de drones pela Rede Construção Digital, foi criado um grupo específico para estudar a viabilidade de novos projetos com essa tecnologia. AutoDoc, Gafisa, França & Associados, Saint-Gobain, CTE, Alphaville Urbanismo, Maply e EmDrone, que compõem este coletivo, discutirão três iniciativas sugeridas e selecionadas pela RCD: integração de dados coletados por drones com dados de softwares para modelagem de informações (BIM); aferição da qualidade entre o planejado e o executado em obras; integração entre softwares e drones para gerarem ‘as built’ – controle do que foi construído – e revisões de projetos.

Para Roberto de Souza, a união de empresas da construção civil é necessária num processo de reciclagem do setor. “Cada período necessitou de questionamentos. Nos anos 1990, o debate dentro da construção civil girava em torno da qualidade, as certificações. Já no começo dos anos 2000, veio a questão da sustentabilidade. Agora, é hora de pensarmos na transformação digital”

Tags, , , ,

53% dos consumidores brasileiros com acesso à internet se sentiriam confortáveis com drones realizando entregas

Uma pesquisa da Worldpay, conduzida pela Opinium, revela que mais da metade (53%) dos consumidores brasileiros com acesso à internet se sentiriam confortáveis caso drones fizessem a entrega de produtos. Esse entusiasmo também demonstra o potencial para novos negócios e, por isso, os pesquisadores da empresa estão analisando o uso da tecnologia de drones no combate ao crescimento de fraudes nas encomendas. A companhia de processamento de pagamentos acaba de apresentar o design de um protótipo que ajudaria a abrir caminho para entregas feitas por drones em todo o mundo.

O Drone Pay proof of concept, da Worldpay, usa a tecnologia de pagamentos com cartão, EMV contactless*, para verificar a identidade do destinatário da mercadoria, garantindo que foi entregue no endereço correto e para a pessoa certa. Essa tecnologia é incorporada a uma espécie de local de pouso para o drone, emitido na forma de um tapete. Quando o drone pousa para deixar o pacote, a tecnologia de cartão dentro do tapete lê automaticamente todos os detalhes sobre o consumidor no local de pouso. Se os dados do destinatário no cartão conferirem com aqueles do local de pouso, a encomenda é liberada.

A crescente popularidade de compras online no Brasil aumentou o número de entregas e a expectativa é atingir R$ 29.6 bilhões em 20221 e multinacionais como DHL Group, FedEx, Nippon Express, e UPS, e a estatal Correios, estão de olho nessa expansão. Em 2017, o mercado brasileiro de eCommerce teve incremento de 7,5% com faturamento de R$ 47,7 bilhões e deve continuar a avançar em 12% para R$ 53,5 bilhões este ano2. Porém, uma consequência natural deste crescimento tem sido o aumento de fraudes online.

O protótipo da Worldpay demonstra como a tecnologia de drones pode ajudar os varejistas a oferecer uma melhor experiência, proporcionando uma entrega mais confiável. Um levantamento recente feito pela empresa de processamentos de pagamentos apontou uma forte oportunidade para o uso de drones no Brasil com a entrega de produtos e coletas de outros para devolução, além disso, poderia criar mais empregos, levando-se em conta o gerenciamento e controle desses novos equipamentos. De acordo com o estudo, quase metade (49%) dos brasileiros acreditam que os robôs e drones poderão oferecer mais oportunidades de trabalho no futuro. O mercado também sugere que está pronto para o serviço de entregas com essa tecnologia, já que mais de 40.000 drones são legalmente usados no país3. Por meio do uso de drones para entregas, os varejistas poderão disponibilizar uma série de métodos de pagamentos. Isso reduziria exponencialmente a taxa de 63,4% de brasileiros que abandonam seu carrinho de compras online por conta da estimativa de tempo, muito alta, para entregar o produto3.

Pessoas mais velhas são mais abertas a novas tecnologias no Brasil. De acordo com a pesquisa da Worldpay, 62% dos entrevistados com mais de 55 anos de idade aceitariam ter um drone coletando itens para devolução; entre pessoas com 18 a 34 anos de idade essa taxa fica em 50%. O índice é maior que países como Reino Unido (37%) e os Estados Unidos (40%), para consumidores com mais de 55 anos de idade. O levantamento também revela que 34% dos consumidores brasileiros estão animados com o uso de drones no futuro. Isso indica que os varejistas têm grandes possibilidades ao oferecer serviços variados no eCommerce, ajudando a elevar a confiança dos brasileiros na tecnologia de drones.
Segundo Juan D’ Antiochia, gerente-geral da Worldpay para América Latina, os consumidores brasileiros estão abertos a novas tecnologias e o mercado precisa impulsionar tendências a fim de disponibilizar opções de entrega seguras e inovadoras, como o Drone Pay, no sentido de expandir os métodos de pagamento.

“Sem dúvidas há um enorme potencial para o mercado quando a entrega feita por drones se tornar uma realidade. Além dos benefícios com a redução de custos, os drones também podem ser a resposta para diminuir congestionamentos e poluição, além de agilizar o tempo de entregas. Nossos dados sugerem que os consumidores estão cada vez mais abertos à ideia das entregas feitas por drones, porém há ainda desafios logísticos que precisam ser endereçados antes que se torne um ponto importante do varejo. O peso dos pacotes e distância aérea são barreiras em potencial para a adoção, assim como, garantir que as encomendas sejam entregues corretamente ao consumidor”.

“É aqui que tecnologia de pagamentos tem um papel importante: ao verificar a identidade do destinatário antes da liberação da encomenda. Nossa prova de conceito é um exemplo de como a tecnologia pode responder a problemas comuns associados à entrega em domicílio. O número de encomendas em trânsito só tende a aumentar a medida que as compras online têm se tornado um canal de escolha dos consumidores brasileiros. Os varejistas precisam explorar novas formas de inovação em sua cadeia de ofertas no sentido de atender a essa demanda” conclui Juan D’ Antiochia.

Você pode assistir ao vídeo de demonstração do protótipo.

* EMV funciona no Europay, MasterCard e Visa, e também é um padrão global para cartões de crédito e débito que usam chips de computador para autenticar (e proteger) transações com chip-cards.

1 Delivery market reach

2 Ebit/Webshoppers Research

3 Estimations by Statista Latin America

Tags, , , , , ,

DJI fortalece presença no mercado brasileiro com participação na Eletrolar Show 2018

A DJI, empresa líder mundial em drones para uso civil e em tecnologia de imagens aéreas, marcará presença na Eletrolar Show em parceria com sua distribuidora oficial no Brasil, a Golden Distribuidora, entre os dias 23 e 26 de julho. O evento é reconhecido como um dos maiores da América Latina, voltado ao público B2B e apresenta as maiores novidades de eletroeletrônicos, eletrodomésticos, móveis, celulares e TI.

A empresa estará presente expondo o seu portfólio, incluindo seus principais produtos e recentes lançamentos, como o drone o Mavic Air. O estande da Golden Distribuidora está localizado na Avenida E, Esquina com a Rua 16. Confira abaixo os produtos da DJI:

Tello
Criado pela Ryze Tech, e com tecnologia de voo da DJI e processador Intel, este é o drone perfeito para os iniciantes na pilotagem de veículos aéreos não tripulados. O drone pode ser programado por meio da função Scratch (código visual de linguagem criado pelo MIT), criando padrões de voo e oito modos de acrobacia. O aplicativo Tello também está disponível na versão em português para iOS e Android.

Spark
O Spark é um drone portátil para uso casual. Ele consegue decolar facilmente e com segurança da palma da mão, apenas pressionando um botão. Com uma câmera que filma em Full HD (30 quadros por segundo) e tira fotos de até 12 megapixels, o Spark conta com sensores para detectar pessoas e objetos, permitindo que o drone desvie e impeça colisão frontal, detectando objetos que estão até 5 metros de distância.

Mavic Air
Desenvolvido com foco em viajantes e entusiastas da vida ao ar livre e considerado o melhor drone de uso pessoal presente no mercado, o Mavic Air é equipado com uma câmera 4K que proporciona imagem de altíssima qualidade e conta com os modos QuickShot e SmartCapture, para captura mais inteligente de fotos e vídeos.

Mavic Pro
O Mavic Pro usa a tecnologia FlightAutonomy para detectar obstáculos até 49 pés (15 metros) de distância. Ele pode contornar esses obstáculos ou pairar no ar, prevenindo acidentes mesmo quando está voando além do alcance visual. O drone grava imagens em resolução 4K, a 30 quadros por segundo e é capaz de atingir um tempo máximo de voo de até 27 minutos e uma distância máxima de 7 quilômetros, devido aos seus poderosos motores e eficiência elevada.

Phantom 4 Pro
A câmera do Phantom 4 Pro é equipada com um sensor de 1 polegada e 20 megapixels capaz de fotografar vídeo em 4K. Possui sensores infravermelhos em 5 direções para detecção de obstáculos e 4 direções de prevenção. No modo “Return to Home”, este drone pode escolher automaticamente a melhor rota para voltar para casa dependendo das condições ambientais – ele registra sua rota à medida que voa, permitindo que volte ao longo da mesma rota evitando obstáculos se o sinal de controle é desconectado.

Inspire 2
Este drone grava com qualidade de cinema. Seu trem de pouso sobe durante o voo para permitir que a câmera principal gire em 360° sem interferências. Para ser controlado por 2 operadores, conta com duas câmeras estabilizadas, uma para gravar e outra para orientar o voo. Também tem sensores frontais e inferiores garantem o desvio automático de obstáculos, inclusive no voo automático.

OSMO Mobile 2
O estabilizador portátil para câmera de smartphone da DJI possui design leve e auxilia na hora de fazer fotos no formato retrato. Com controles simples e zoom cinematográfico, o aparelho possui bateria de longa duração e recursos inteligentes como o SmoothTrack, que detecta e compensa os movimentos da câmera, garantindo imagens com qualidade cinematográfica.

Ronin 2
Construído com fibra de carbono, o que o torna mais leve e durável, o Ronin 2 é compatível com câmeras DSLRs e outros equipamentos profissionais. Possui braços flexíveis de 50 mm, sistema de desencaixe rápido e GPS integrado e funções que oferecem grande estabilidade em todas as cenas, especialmente em movimento. Além disso, conta com sistema embutido de bateria dupla, o que ajuda a maximizar o tempo de fotografia.

Ronin-S
Este estabilizador de câmera suporta até os movimentos mais bruscos e pode ser utilizado em carros em movimento ou durante uma ventania, com foco em câmeras DSLR e em câmeras sem espelho. O aparelho é fácil de usar, possui forma compacta e botões dedicados aos ajustes da câmera e ao posicionamento preciso, além de modos de captura avançados. O produto ainda não está disponível para compra no Brasil.

Goggles RE (Racing Edition)
Estes óculos de realidade virtual com telas para FPV com alta qualidade (2K) e sem atrasos de imagem. Confortável e ergonômico, é possível controlar o voo e a câmera do drone apenas com movimentos da cabeça. O dispositivo é compatível com os drones das séries Phantom, Inspire e Mavic, bem como de outras marcas.

A DJI possui duas lojas autorizadas no Brasil: uma no BarraShopping (Rio de Janeiro) e outra no Shopping Pátio Batel (Curitiba). A marca vende seus produtos já homologados pela Anatel e trabalha com diversos revendedores no país como Kalunga, Magazine Luiza e iPlace.

Eletrolar Show 2018

Data: 23 a 26 de julho
Horário: 13h às 21h
Local: Transamérica Expo Center – Av. Dr. Mário Vilas Boas Rodrigues, 387 – Santo Amaro, São Paulo – SP, 04757-020
Stand E30 – Avenida E, esquina com a rua 16

Tags, , , ,

DRONESHOW: veja as novidades da 4ª edição

Segundo a consultoria PwC, o mercado global de drones pode chegar a 127 bilhões de dólares. Para chegar a este valor, a PwC usou como base de cálculo o valor dos serviços demandados pelas empresas e órgãos públicos que poderão ser substituídos, em um futuro muito próximo, pela tecnologia dos drones. Fomentando ainda mais esse mercado no Brasil e apresentando grandes novidades do setor, acontece em São Paulo a quarta edição da DroneShow, de 15 a 17 de maio, no Centro de Convenções Frei Caneca (Rua Frei Caneca, 569 – Consolação). O evento, que contará em sua programação com seminários, cursos teóricos e práticos, painéis, além de exposição de produtos de última geração, já está com inscrições abertas e podem ser feitas no site www.droneshowla.com, pelo e-mail atendimento@mundogeo.com ou pelo WhatsApp (41) 99919-1357.

Os números de drones no Brasil são promissores. De acordo com mapeamento da DroneShow, existem mais de 700 empresas do setor espalhadas por todo o país. A Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) já tem registrados, até o início de 2018, mais de 34 mil drones e 1,8 mil empresas. Estimativas é que existam mais de 100 mil drones voando no Brasil, entre usos recreativos e profissionais. Com números tão positivos, a DroneShow, trará grandes novidades e contará com 42 expositores, 70 palestrantes e 30 atividades que devem reunir cerca de 4 mil participantes.

Promovido pela MundoGEO, a DroneShow é um dos maiores eventos de drones do mundo e reúne expositores nacionais e internacionais do segmento, fabricantes, importadores e prestadores de serviço. Em paralelo à feira acontecem cursos, seminários e debates sobre legislação, empreendedorismo, uso de drones na agricultura, inspeção de obras, segurança, filmagens profissionais, topografia e mapeamento. “Os três pilares inseparáveis de conteúdo da DroneShow são qualidade, segurança e rentabilidade. Atendemos no evento toda a cadeia produtiva do setor e os diversos tipos de contratantes de serviços de filmagens, engenharia, meio ambiente, gestão territorial, agronegócios, entre outros. Trata-se de um momento muito rico para o setor”, afirma Emerson Granemann, diretor geral do evento.

Confira alguns destaques da programação deste ano:

– Seminário sobre regulamentação e novos mercados dos drones;

– Curso prático de montagem de drones;

– Curso de agricultura com drones nos níveis básico e avançado;

– Seminário sobre drones para cadastro, mapeamento e topografia;

– Entre muitas outras atividades, como delivery com drones, indústria 4.0, Inteligência Artificial e Smart Cities.

5º Fórum Empresarial de Drones

Em 14 de maio, um dia antes do início da DroneShow, acontece o 5º Fórum Empresarial de Drones. O evento tem por intuito reunir fabricantes, importadores, prestadores de serviços e entidades reguladoras, como a ANAC, DECEA, ANATAL e Ministério da Defesa. Neste ano, o evento girará em torno de discussões sobre formação de pilotos, formulação de preços de serviços e como está o mercado de drones, um ano após a regulamentação no setor.

Alguns temas que serão trabalhados no Fórum:

– Qual é o perfil atualizado da cadeia produtiva do setor de drones no Brasil?

– Avaliação e o que precisa mudar após um ano da regulamentação do setor

– Quais as novidades concretas relacionadas a liberação de missões e do registro de empresas no Ministério da Defesa?

– Validação de dados captados por drones para mapeamento e topografia de precisão

Veja a programação completa da DroneShow em http://www.droneshowla.com/programacao-droneshow-2018/.

Inscrições

As inscrições para o evento já estão abertas. Para participar da DroneShow, basta acessar www.droneshowla.com e escolher os cursos e seminários que deseja. É possível adquirir ingressos somente para os três dias de feira, ou apenas para participação em um seminário, curso ou o 5º Fórum Empresarial de Drones. A compra de qualquer ingresso dá acesso ao espaço da feira.

Mais informações sobre a DroneShow: www.droneshowla.com ou atendimento@mundogeo.com ou (41) 3338-7778

Tags, , , , , , , ,

Worldpay mira no comércio eletrônico de drones e anuncia parceria com DJI

A Worldpay Inc., líder mundial em pagamentos globais, uniu-se à DJI, líder global na fabricação de drones, para ajudar a empresa a ampliar sua plataforma de eCommerce, com produtos disponíveis para consumidores em todo o mundo.

A expectativa é que o mercado mundial de drones movimente mais de US$ 11,2 bilhões até 20201 e continue a crescer em ritmo acelerado. Com o aumento do consumo em toda a Europa e em países como Austrália e Japão, a DJI escolheu a Worldpay como seu parceiro de comércio eletrônico. A experiência da empresa em pagamentos locais com cartão e seu histórico comprovado para aumentar as vendas on-line ajudarão a DJI a se conectar com clientes em diferentes partes do mundo, tornando seus produtos mais acessíveis para criadores, viajantes, fotógrafos e todos que usam tecnologia de drone para trabalhar.

Christina Zhang, tesoureira da DJI, afirma: “O mercado global de drones explodiu nos últimos anos, com os consumidores encontrando formas criativas de usar a tecnologia e trazendo novas perspetivas para a vida cotidiana. Este é um momento muito emocionante para a indústria. À medida que nossa tecnologia se torna mais fácil de usar, e a possibilidade de diversas aplicações pela indústria, queremos tornar nossos drones mais acessíveis para pessoas de todo o mundo, seja para trabalho ou para entretenimento. No futuro próximo, esperamos alcançar novos clientes na Europa e na Ásia-Pacífico, além de criar uma transação completa e segura para nossos clientes online com o suporte da solução de pagamento da Worldpay “.

Além dos serviços e cobertura de processamento de cartões disponíveis, a Worldpay também oferece suporte a uma variedade de métodos de pagamento alternativos, como o iDEAL na Holanda e o SOFORT na Alemanha, permitindo que os comerciantes aceitem mais pagamentos por meio dos métodos preferidos dos consumidores locais.

O fabricante de drones também se beneficiou da experiência antifraude da Worldpay. Devido ao alto valor do ticket de seus produtos, a DJI possui um alto padrão quando opta por ferramentas de detecção de fraude e proteção. A empresa de drones está usando a ferramenta de proteção contra fraude “Risk Guardian”, da Worldpay , para melhorar a segurança de seus clientes e fornecer uma experiência de compra online de qualidade elevada. Com isso, a DJI viu a taxa de fraude em vendas cair, enquanto suas taxas globais de aceitação de pagamento tiveram alta expressiva.

Segundo Juan D’Antiochia, General Manager da Worldpay para a América Latina, da Worldpay, Inc., “combater fraudadores on-line é uma preocupação primordial para os fabricantes de eletrônicos, especialmente quando se trata de tecnologias de ponta, como os drones. O desafio para o crescimento das empresas consiste em equilibrar as vendas de alto volume com a capacidade de garantir aos compradores um serviço seguro e confiável. A Worldpay tem ajudado milhares de empresas em todo o mundo a alcançar esse equilíbrio, e as melhorias do DJI até o momento provam a importância de uma abordagem de fraude estratégica para a expansão bem-sucedida de uma organização”.

1Pesquisa Gartner

Tags, , , , , , , , , ,

Startup que combate drones criminosos é selecionada pelo BrinksUp!

A Drone Control, spin off brasileira que desenvolve sistemas de proteção contra drones não autorizados, é uma das quatro startups selecionadas para participar do programa de aceleração BrinksUp! Cada uma receberá R$ 160 mil e passará por uma etapa de coaching durante quatro meses, com mentoria de executivos da Brink’s, líder mundial em logística segura e segurança, e consultoria dos gestores da Liga Ventures, aceleradora focada em gerar negócios entre startups e grandes corporações.
A iniciativa da Brink’s tem como objetivo fomentar ideias inovadoras de produtos e serviços relacionados com as áreas de segurança, transporte e logística, varejo, meios de pagamento e moedas, produtividade e inteligência, além de se preparar para os novos desafios do mercado.

Hacker do espaço – O modelo de negócio inovador da Drone Control apresenta o conceito inédito de proteção do espaço aéreo como serviço (APaaS). Diversas técnicas de inteligência espectral são utilizadas para tal, desde a simples detecção até o spoofing – processo similar ao que hackers utilizam para “sequestrar” drones e assumir o controle da aeronave.

Ao detectar a aproximação de um drone, o sistema identifica os códigos de comunicação entre o controle remoto e a aeronave, e passa a utiliza-los de maneira mais eficiente, assumindo o controle do drone ou somente bloqueando sua trajetória para que este não entre na área protegida.

“São tecnologias que podem ser úteis para dar proteção de aeroportos, condomínios e plantas industriais, ou auxiliar na segurança de eventos, resorts e hotéis”, exemplifica Eduardo Neger, diretor de Engenharia da Neger Telecom, empresa de base tecnológica que deu origem a spin off Drone Control. “Nosso objetivo é aplicar essa tecnologia inovadora em um modelo de negócio diferenciado para o mercado de segurança privada”, destaca.

O sistema surgiu como evolução incremental das técnicas de bloqueio de sinais de radiocomunicações desenvolvidas pela empresa, que em janeiro de 2016 foi a primeira no Brasil a certificar junto à ANATEL um sistema de proteção contra veículos aéreos remotamente pilotados. Em busca de novas tecnologias disruptivas, realizou investimento em pesquisa por meio de parceria entre a Unicamp e a Neger Telecom, cooperação que já rendeu destaque em publicações científicas internacionais e até um pedido de patente conjunta. “Ao constatarmos que a tecnologia tinha potencial para abrir um novo mercado, decidimos criar a spin off”, conta Neger, acrescentado que a startup será operada e gerida como um negócio independente da empresa-mãe.

Tags, , , , , , , , ,

Cresce o uso recreativo de drones no Brasil

O número de drones e de pessoas cadastradas na Agencia Nacional de Aviação Civil (ANAC) quase triplicou em seis meses. Em julho de 2017 havia pouco mais de 12 mil pessoas, já em fevereiro de 2018 são mais de 30 mil. A quantidade do aparelho passou de um pouco mais de 13 mil para mais de 33 mil unidades cadastradas. O uso é majoritariamente recreativo, tendo aumentado 172% nos últimos meses, enquanto o uso profissional teve um aumento significativo de 126%.

Dados: ANAC, 2018

O drone é um veículo aéreo não tripulado (VANT) e controlado remotamente que pode realizar inúmeras tarefas. Ele pode ser usado para uso recreativo como filmar viagens e lugares exuberantes vistos de cima, como também em uso profissional para filmagens de longa-metragem, mapeamento agrícola, monitoramento de polícia e até resgate.

Pensando no aquecimento do mercado brasileiro, a DJI, fabricante mundial de veículos aéreos não tripulados e líder no mercado de drones, está investindo no Brasil. A marca acaba de inaugurar a primeira loja autorizada no Brasil (Rio de Janeiro) e realizou, recentemente, seu primeiro lançamento no país – o Mavic Air, drone da DJI mais portátil já criado. Desenvolvido com foco em viajantes e entusiastas da vida ao ar livre, o aparelho filma com estabilização em 4K e tem um tempo máximo de voo de até 21 minutos.

“Estamos em uma ótima fase. O consumo de drones no Brasil está aumentando e sentimos a necessidade de estar mais próximos desses consumidores. E ainda há muito por vir”, diz Cinzia Palumbo, gerente sênior de marca da DJI.

Além da linha Mavic, que juntamente com a Spark é focada no uso recreativo, a DJI também possui drones para uso profissional, como os aparelhos da linha Phantom e Inspire. As aplicações são diversas e a cada momento surgem inúmeras possibilidades do uso de drone como um facilitador. Além dos drones, a empresa possui a linha Osmo para estabilizadores de imagem e a Ronin para uso profissional, bem como os Goggles, óculos de realidade virtual para uma experiência imersiva.

Tags, , , , , , ,

DJI apresenta o drone Mavic Air em São Paulo

A DJI, líder mundial em drones para uso civil e em tecnologia de imagens aéreas, realizou o seu primeiro evento hoje, em São Paulo. A ocasião contou com uma apresentação da empresa e de seu mais novo lançamento, o drone Mavic Air, além de um depoimento do tetracampeão brasileiro de paracanoagem, Fernando Fernandes, que contou toda a sua experiência com a marca e o equipamento. Jornalistas, influenciadores e redes de varejo de todo Brasil estiveram presentes e puderam testar e presenciar pilotos profissionais realizando demonstrações de voo com o lançamento.

“É com grande prazer que apresentamos o Mavic Air ao consumidor brasileiro. Buscamos inovar cada vez mais e este produto é um dos resultados disso. Desenvolvido com foco em viajantes e entusiastas da vida ao ar livre, este novo dispositivo irá mudar a relação entre um drone e o usuário. O Mavic Air herda os melhores recursos da icônica série Mavic da DJI, com uma câmera 4K para obter uma qualidade de imagem superior, novos modos QuickShot e SmartCapture para uma captura mais fácil e mais inteligente de fotos e vídeos e FlightAutonomy 2.0 com sistema de assistência de pilotagem avançada para um voo mais inteligente e seguro. Este é o nosso melhor drone para consumidores até hoje”, diz Cinzia Palumbo, gerente sênior de marca da DJI.

Fernando Fernandes, que utilizou o Mavic Air para registrar imagens na fronteira entre Brasil, Paraguai e Argentina, revela: “O meu contato com a DJI é de longa data. Minha experiência com produção de vídeo sempre contou com drones e outros equipamentos da marca. Tive a oportunidade de usar o Mavic Air na minha recente viagem à Foz do Iguaçu e o resultado foi sem igual. Com a portabilidade do aparelho, pudemos pilotar entre as cataratas e fazer incríveis imagens com estabilização em 4K.”

Como distribuidora oficial da DJI no Brasil, a Golden Distribuidora investiu em uma unidade de negócios exclusiva de atendimento. “Contamos com uma equipe com cinco especialistas focados no portfólio da DJI” declara Davi Saadia, CEO da Golden Distribuidora. Certificação da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), manual em português, plug com selo do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) e assistência técnica autorizada, são os benefícios de comprar as aeronaves não tripuladas com a Golden Distribuidora. Há ainda o hotsite (www.godji.com.br) com todas as informações dos modelos da DJI comercializados no país.

Desenhado para portabilidade e força

Pesando apenas 430 gramas, o Mavic Air é o drone da DJI mais portátil já criado. Os braços e as hélices dobráveis são guardados rente à sua esbelta estrutura aerodinâmica, tornando-o tão compacto que seu tamanho, quando dobrado, é quase o de um smartphone moderno.

Todos os aspectos da câmera do Mavic Air foram desenhados para obter o desempenho máximo. Seu braço servo mecânico de três eixos fica suspenso por amortecedores para reduzir ainda mais a vibração, proporcionando proteção superior e imagens mais estáveis. Uma câmera poderosa que abriga um sensor CMOS de 1/2,3 polegadas e uma lente de abertura f/2.8 com uma distância focal de 24 mm (equivalente a 35 mm) para tirar fotos e vídeos de alta qualidade.

O Mavic Air fotografa imagens nítidas de 12 megapixels utilizando novos algoritmos HDR que preservam mais detalhes com muita e pouca luz em cada foto, o que permite capturar imagens aéreas deslumbrantes do nascer ao pôr do sol. Também filma vídeos em 4K estabilizados e perfeitos a 30 fps, capturando vídeos com qualidade mais alta que qualquer outro drone para consumidores da DJI, com uma taxa máxima de bits de 100 Mbps. Agora é possível preservar a ação em cenas dramáticas e rápidas por meio de sua capacidade de gravar vídeos 1080p em câmara lenta com 120 fps.

Além disso, o Mavic Air é o primeiro drone da DJI com um slot de cartão micro SD adicional com 8 GB de armazenamento integrado, permitindo que usuários salvem fotos e vídeos diretamente no drone em qualquer lugar. A porta USB-C recém-adicionada também torna fácil e rápida a exportação das imagens captadas.

Expanda sua criatividade

O sistema de câmera inteligente do Mavic Air cria novas possibilidades para qualquer pessoa, independentemente de sua experiência em fotografia e pilotagem de drones. Os entusiastas de fotos que desejarem capturar seus arredores com detalhes podem usar o novo recurso Sphere para fotografar e juntar automaticamente 25 fotos, criando uma imagem panorâmica de 32 megapixels dentro de oito segundos. O Mavic Air também oferece suporte a vários modos panorâmicos, criando imagens horizontais, verticais e de 180 graus.

Os modos de vídeo inteligente do QuickShot tornam a criação de vídeos profissionais divertida e fácil, com caminhos de voo predefinidos que mantêm automaticamente o sujeito enquadrado. Use Rocket, Dronie, Circle ou Helix além de dois novos modos, Asteroid e Boomerang, para criar sem esforço vídeos que antes requeriam habilidades de pilotagem e softwares de edição sofisticados.

O modo Asteroid começa com uma imagem esférica que se aproxima quando se aproximada ao objeto no chão.
O modo Boomerang voa em torno do sujeito em um movimento oval inclinado para cima, com o vídeo finalizando no ponto inicial.

O modo de voo inteligente ActiveTrack do Mavic Air foi aprimorado para detectar automaticamente vários sujeitos simultaneamente, seguindo e mantendo os alvos com mais precisão, especialmente durante atividades de alto movimento, como correr e andar de bicicleta.

Equipado com a tecnologia de aprendizagem de máquina, SmartCapture[1] é um modo de controle ultrassensível que torna fácil capturar fotos e vídeos. Com um alcance máximo de até 6 metros, você pode fazer comandos de gesto manual para iniciar, seguir, fotografar, gravar, empurrar, puxar e aterrissar, permitindo que você capture o momento de qualquer ângulo sem a necessidade de um controle remoto.

Voos mais inteligentes e seguros

Capacidades de computação mais potentes e algoritmos otimizados ajudam o Mavic Air a voar de forma mais inteligente e segura através de obstáculos em qualquer terreno. O FlightAutonomy 2.0 processa os dados coletados a partir de sete câmeras de bordo e sensores infravermelhos avançados para construir um mapa 3D de seu ambiente e obter um planejamento mais preciso e um melhor desempenho de voo. Os sistemas de visão frente e verso melhorados com duas câmeras podem detectar obstáculos até 20 metros de distância. Para ajudar a navegar em ambientes externos mais complexos, o Mavic Air possui o APAS (Advanced Pilot Assistant System/Sistema Avançado de Assistência ao Piloto) que ajuda os pilotos a evitar e desviar de obstáculos automaticamente, proporcionando uma camada extra de segurança durante o voo.

O Mavic Air tem um tempo máximo de voo de até 21 minutos. Pode voar com estabilidade em condições de vento por até 22 mph (36 kph) e em altas elevações de até 5,000 m (16,404 ft) acima do nível do mar[2]. Seu controle remoto é o primeiro a apresentar joysticks destacáveis que podem ser armazenados dentro do controle remoto para maior portabilidade. Suas antenas omnidirecionais colocadas no trem de pouso dobrável ajudam a aumentar a cobertura do sinal para fornecer um alcance máximo de até 4 km[3] (2,5 milhas) com transmissão de vídeo em tempo real de 1080p ao voar com o controle remoto. No modo Sport, o Mavic Air voa a velocidades impressionantes de até 68,4 km/h (42 mph) e é compatível com DJI Goggles para uma experiência de voo imersiva em FPV (First Person View).

Preço e disponibilidade

O Mavic Air estará disponível em três cores: Onyx Black (preto ônix), Arctic White (branco ártico) e Flame Red (vermelho flamejante). O drone estará à venda no Brasil neste mês, e pode ser adquirido com bateria, controle remoto, estojo de transporte, dois pares de protetores de hélice e quatro pares de hélices a partir de R$4,199 ou o Mavic Fly More Combo, que inclui o drone, três baterias, um controle remoto, uma bolsa de viagem, dois pares de protetores de hélice, seis pares de hélices e o hub de carga da bateria a partir de R$5,199. Dentre as vantagens de se comprar com um revendedor autorizado, estão: certificação de fábrica da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), manual em português, plug com selo do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), garantia do produto e assistência técnica autorizada. Para obter mais informações sobre todos os novos recursos e possibilidades do Mavic Air, visite www.dji.com/mavic-air.

Tags, , , ,

Drones: entregando o futuro na porta da sua casa

Por Kai Schoppen, fundador e CEO da Infracommerce

Inteligência artificial, carros autônomos e drones fazendo entregas. Poderia ser o cenário de mais uma ficção científica hollywoodiana, mas são tecnologias que já se encontram à nossa disposição em pleno 2017 e, no caso dos drones, mais acessíveis do que podia se esperar. Desenvolvidos na década de 1960, somente nos últimos anos os drones se popularizaram. Inicialmente usados para atividades de entretenimento, hoje são ferramentas essenciais em diversas atividades comerciais e ganham mais espaço a cada dia.

As possibilidades de uso dos drones foram ampliadas quando, em 2013, a Amazon deu início ao projeto Prime Air, que utiliza drones para entrega. Os testes realizados são tão promissores, que a empresa já patenteou parte desse sistema e também o de abastecimento, popularmente chamado de colmeias, e que consistem em uma torre cilíndrica onde os dispositivos voadores são abastecidos e saem para realizar o transporte dos pacotes. Para Jeff Bezos, CEO da gigante norte-americana, em um futuro próximo, será “tão comum ver drones do Prime Air no céu como ver caminhões dos correios nas ruas”.

Esse sucesso é seguido de perto por outras líderes do mercado de logística como UPS e DHL. O que se tem observado até o momento é que as entregas por drones são mais viáveis do que muitos possam imaginar.

Vantagens e limitações

No Brasil, umas das principais barreiras para o setor é a relação de população x área habitada, uma vez que temos um país de extensões continentais, mas cuja densidade demográfica ainda é muito concentrada. Se em São Paulo, por exemplo, é possível encher um caminhão com pedidos e entregar praticamente de porta em porta, no interior o mesmo caminhão dirige 25 km para fazer uma única entrega.

Os drones chegam para atender a demanda dessas regiões em menor tempo e com um custo mais baixo. Nos testes já realizados, os consumidores receberam seus pedidos em até 30 minutos. Além disso, cada drone é capaz de realizar 30 entregas por dia a um custo de US$ 1 a US$ 3 dólares, enquanto as entregas para regiões suburbanas, via FEDEX, por exemplo, variam de US$ 10 a US$ 15.

Para o e-commerce, isso abre a possibilidade de reduzir e até eliminar um de seus maiores fatores de desistência de compra: o valor do frete de regiões suburbanas.

Compras de ticket médio baixo, acabam tendo um frete quase igual – quando não superior – ao dos produtos, o que muitas vezes faz com que o cliente deixe de comprar. Com a possibilidade de atender as entregas nessas regiões a um custo mais baixo, as lojas ganham mais força para suas vendas. Outra novidade para o setor seria a entrega para pessoas, não apenas endereços. O DelivAir, desenvolvido pela Cambridge Consultants, utiliza a localização via GPS dos celulares para entregar onde o cliente estiver.

No entanto, ainda existem limitações. A regulamentação do uso desses equipamentos somente foi registrada pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) em maio deste ano. Essa demora resulta, entre outras coisas, no atraso da definição de rotas de voos. Cidades como São Paulo, que contam com uma excelente infraestrutura para receber os drones devido ao grande número de helipontos, ainda não podem operar com esse sistema por não terem suas rotas oficializadas. Por outro lado, no interior não existe limitação. Os drones já possuem inúmeras tecnologias para evitar obstáculos e desenvolver suas rotas com autonomia.

Se pensarmos que o melhor lugar para operar com esse sistema de entrega é dessas regiões de subúrbio e cinturões próximos às cidades, ao instalar um galpão em uma área estratégica, com múltiplas cidades ao redor, é atender um raio de aproximadamente 12 km, que é a autonomia atual dos drones. Essa distância ainda pode ser estendida em breve, já que existem testes, com um híbrido de drone com dirigível que aumentaria a distância significativamente.

Outra preocupação é quanto ao peso das entregas, já que cada equipamento pode levar cerca de 2,5 kg apenas. Porém, vale lembrar que na Amazon, 8 em cada 10 pedidos da empresa são exatamente dentro desse peso. Esse sistema não atenderia somente pedidos maiores e de grande volume, como atacadistas, por exemplo.

Qual o impacto disso para o setor? Crescimento.

Assim como e-commerce nunca vai substituir a loja física, nem todos os pedidos serão entregues por drones. Eles serão mais uma opção, que as empresas precisarão adotar para complementar seus serviços e aproveitar essa nova fatia do mercado – especialmente no Brasil, onde o transporte tem alto custo.

Na prática

Não é apenas o setor de entregas e, consequentemente o de e-commerce, que se beneficiam com implementação do uso dos drones. Órgãos como o Unicef têm realizado a entrega de bolsas de sangue, amostras, medicamentos e até vacinas em áreas de difícil acesso na África, como Ruanda, por meio de drones.

Na Suíça, hospitais também já desenvolvem o mesmo sistema para transporte de materiais urgentes, como bolsas de sangue. E se você pensa que os drones são uma realidade apenas fora do Brasil, está enganado. Uma rede de padarias expressas já está realizando testes com a entrega de pães no estado de São Paulo.

Os drones chegaram para ficar e da próxima vez que você ouvir de uma tecnologia nova, fique atento, ela pode estar em suas mãos mais cedo do que você espera.

Tags, , , , , , , ,

Golden Distribuidora e DJI firmam parceria para conquistar mercado de drones no Brasil

A Golden Distribuidora acaba de fechar parceria com a DJI, líder mundial na produção de drones. Já estão disponíveis para revendedores de todo o país, oito versões homologadas das linhas: Spark, Mavic Pro e Phantom 4.

Certificação da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), manual em português, plug com selo do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) e assistência técnica autorizada, são os benefícios de comprar as aeronaves não tripuladas com um distribuidor autorizado.

Para oferecer suporte a seus consumidores no que se refere aos produtos da companhia, a Golden Distribuidora investiu numa unidade de negócios exclusiva. “Temos, aqui, uma equipe dedicada; são cinco especialistas focados no portfólio da DJI. Queremos nos certificar de que os clientes terão sempre a melhor experiência de compra conosco, da pesquisa ao pós-venda”, declara Davi Saadia, CEO da Golden Distribuidora.

Além disso, os brasileiros proprietários de drones podem se beneficiar dos diferenciais e serviços da Golden: já está no ar um hotsite (www.goldendji.com.br) com todas as informações dos modelos da DJI comercializados no país. “Atendimento de qualidade é, desde o princípio, nossa prioridade número 1”, completa Saadia.

“Após a aprovação do regulamento especial para utilização de drones no Brasil pela Agência Nacional de Aviação – Anac, em maio deste ano, decidimos entrar com mais força no mercado brasileiro. Procuramos um parceiro de peso, com trajetória de sucesso e alta credibilidade. A Golden Distribuidora logo se mostrou uma escolha acertada”, afirma Manuel Martinez.- Executivo e Representante da DJI no Brasil.

Drones DJI na Golden Distribuidora

Agora, unidades dos modelos Spark, Mavic Pro e Phantom 4 – todos da DJI – podem ser adquiridas no Brasil por meio da Golden Distribuidora.

Spark – primeiro drone do mundo controlado por gestos; segue as mãos do usuário para executar movimentos de voo ou enquadrar melhor uma imagem – de até 12MP. Suas lentes podem capturar vídeos em HD em 1.080p
estabilizados. É possível fazer transmissões ao vivo em 720p. Permite pré-definir uma rota e cumpri-la focando o mesmo objeto. É compacto, pesa só 300g, alcança até 50km/h e tem 16 minutos de autonomia de voo. https://www.youtube.com/watch?v=74Cm1p3fr0g

Preço Sugerido para o consumidor: A partir de *R$ 2.699,10 *(sujeito a descontos especiais nas promoções de Black Fridy e Natal)

Mavic Pro – superportátil – dobrado mede menos de 20cm de comprimento e pesa menos de 800g –, é ideal para esportistas e repórteres. Conta com o modo “Follow me”: através do sinal do controle, ele é capaz de seguir uma pessoa, um animal ou um objeto. O app DJI GO 4 oferece suporte e acesso aos recursos do drone em voo. Há, inclusive, a possibilidade de fazer streaming das imagens ao vivo para as redes sociais. Ao alternar entre a conexão sem fio e a radiofrequência, o Mavic se transforma num router sem fio e passa a ser controlado apenas pelo smartphone. Faz vídeos em até 4k a 30fps no formato RAW. Atinge velocidade máxima de 65km/h e tem 20 minutos de autonomia de voo. https://www.youtube.com/watch?v=p1d_ptE6yrc

Preço Sugerido para o consumidor: A partir de *R$ 5.399,10 *(sujeito a descontos especiais nas promoções de Black Fridy e Natal)

Phantom 4 – é considerado uma “câmera voadora”, agradando principalmente profissionais de vídeo e foto. A câmera principal captura vídeos a uma resolução de até 4k a 60fps. Quanto às fotos, a resolução é de 20MP através de uma câmera CMOS com 1” e obturador mecânico. O controle remoto tem direcionais sensíveis e botões de fácil acesso; porém, com o app DJI GO, é possível acessar o conteúdo em gravação e fazer outros movimentos (para uma experiência completa, o tablet é mais recomendado). Conta com sistema de detecção e desvio de obstáculos. A partir de sensores ultrassônicos e câmeras adicionais, ele para automaticamente e fica flutuando caso se depara com um obstáculo (modo normal) ou o contorna e segue o caminho (modos “ActiveTrack” ou “Smart Return Home”). Atinge a velocidade de 72km/h e sua autonomia é de 28 minutos. https://www.youtube.com/watch?v=JJPSSqMQajA

Preço Sugerido para o consumidor: A partir de *R$ 6.749,10 *(sujeito a descontos especiais nas promoções de Black Friday e Natal)

Tags, , , , , ,

Campanha Drone Consciente incentiva o voo seguro e seguindo as normas

Mais de 100 mil drones voam no Brasil. Já existem regras claras para uso profissional e recreacional. Entretanto, apenas um quarto destas aeronaves não tripuladas estão registrados na ANAC – Agência Nacional de Aviação Civil – e um número ainda menor no DECEA – Departamento de Controle do Espaço Aéreo -, que autoriza cada missão.

Além disso já é comum o relato, nas redes sociais, de imagens e filmes produzidos por drones nitidamente fora das regras, colocando em risco o patrimônio e a integridade de pessoas. Culminando, recentemente, com o incidente amplamente divulgado pela grande mídia, de um drone voando na cabeceira da pista do aeroporto de Congonhas, em São Paulo (SP), Fato que gerou um caos no tráfego aéreo por algumas horas.

O grande desafio que se apresenta é popularizar as regras, ainda desconhecidas por toda a sociedade e particularmente por muitos pilotos de drones que chegam ao mercado aos milhares todos os anos. Para atender esta demanda foi criada a “Campanha Drone Consciente”, idealizada inicialmente pelo DECEA e utilizada em eventos promovidos em parceria com a ABM – Associação Brasileira de Multirrotores -, onde pilotos e autoridades se reúnem para difundir as normas em vigor.

Após o incidente de Congonhas, a Campanha está ganhando intensidade e participação, envolvendo Youtubers, blogueiros e formadores de opinião do setor, além de moderadores de grupos no WhatsApp, Facebook e LinkedIn, com objetivo de disseminar, de forma coordenada, conteúdos que divulguem a regulamentação e boas práticas da operação com Drones.

Fazem parte da Campanha os sites Dronegócios e Piloto Policial, além da feira DroneShow. A expectativa é reunir, na campanha, outros canais de conteúdo, associações setoriais, entidades reguladoras e outros eventos afins. Um importante aliado a esta campanha serão os órgãos de segurança, como as Polícias Militares estaduais, que já estão sendo preparadas para atuar primeiramente na orientação aos usuários de drones e depois na fiscalização mais ostensiva nas situações de risco iminente.

Dentre as atividades do grupo, estão reuniões para alinhar a estratégia de comunicação com a sociedade, realização de webinars e lives para divulgar as boas práticas, além da divulgação de conteúdos em forma de artigos, tutoriais e infográficos.

A ideia é que todos que estão ligados ao setor corporativo ou recreacional estejam unidos para ampliar as boas práticas de utilização dos drones no Brasil. Além disso, a própria sociedade, sendo melhor informada, será um grande aliado neste trabalho de fiscalização, podendo denunciar operações fora das normas de segurança.

Os drones estão proporcionando a criação de centenas de empresas e milhares de empregos no Brasil. Suas aplicações geram muitos benefícios no agronegócio, infraestrutura, mapeamento, filmagens profissionais e salvando vidas, além de gerarem imagens belíssimas. Enfim, todos ganham se este setor crescer com o máximo de segurança, gerando qualidade nos serviços prestados ou na pura diversão.

Para participar da Campanha ou obter mais informações, basta entrar em contato com Emerson Granemann, idealizador da feira DroneShow e um dos coordenadores da Campanha Drone Consciente, pelo email emerson@mundogeo.com. Para entrar em contato com a ABM, o email é abmultirrotores@gmail.com. E para tirar dúvidas com o, DECEA, o caminho é utilizar o SAC no www.decea.gov.br/drone.

Tags, , , , , , , , , , , ,

Tecnologia detecta drones invasores

As empresas Dedrone e Axis Communications demonstraram nesta quarta-feira, 4 de outubro, em São Paulo (SP), uma tecnologia capaz de evitar o uso de drones para fins criminosos, como a obtenção de segredos industriais, a entrega de objetos para presidiários e a violação da privacidade. A demonstração marcou o uso inovador de câmeras de vigilância para identificar um drone se aproximando de um prédio comercial, complementado a tecnologia DroneTracker.

O software DroneTracker usa uma combinação de sensores de frequência de rádio (RF) e Wi-Fi para detectar a presença de drones nas imediações, além de poder identificar o ponto exato de onde ele está sendo controlado (piloto). Isso permite descobrir quem está controlando o equipamento e quais suas intenções. O software também usa as câmeras de monitoramento da Axis para detectar e visualizar em alta definição o drone e seguir seus movimentos dentro do espaço aéreo, gerando um registro visual de todo o ocorrido.

Na prática, drones podem voar controlados por um piloto, usando radiofrequência detectada pelo sensor da Dedrone, ou de forma autônoma através de coordenadas de GPS. Nesse último caso, as próprias câmeras da Axis detectam a presença e geram alertas que aparecem na hora até mesmo em dispositivos móveis, como o Apple Watch.

Com o tempo, a tecnologia se mantém atualizada. Isso porque o DroneTracker é uma plataforma de aprendizagem de máquinas, permitindo que a Dedrone atualize continuamente o software e assegure que seus recursos de verificação sejam efetivos em encontrar todas as ameaças dos drones. Quando um drone não autorizado entra em espaço aéreo protegido, o DroneTracker envia automaticamente um alerta e pode acionar uma medida de proteção.

“Hoje em dia, não basta proteger com muros e câmeras a área que contorna uma escola, um presídio ou um condomínio, algo que a Axis já faz com excelência. O espaço aéreo se tornou vulnerável à presença de drones, e é preciso expandir a proteção do perímetro para um alcance tridimensional”, explica Paulo Santos, Gerente de Soluções da Axis Communications.

Parcerias

A Dedrone desenvolveu o primeiro software mundial para detectar drones. Explica Robson Augusto, Gerente de Vendas da empresa para América Latina, também comemorou a demonstração da tecnologia numa região desafiadora do ponto de vista técnico pela proximidade com a Avenida Paulista, que sofre interferências de radiofrequência e concentra muitos edifícios. “A Dedrone fez parceria com a Axis para garantir que nossos clientes possam acessar os melhores sensores e combiná-lo com o software que é líder mundial na detecção de drones”.

Na América Latina, a Dedrone é representada pela Techshield, que saiu na frente nesse mercado e participou da demonstração nesta quarta-feira. “A Techshield é pioneira em proteção do espaço aéreo, incluindo a prevenção de ataques cibernéticos (cybersecurity), riscos que aumentam exponencialmente com o crescimento da presença de drones”, alerta Gustavo Vicentini, CEO da TechShield.

Para obter mais informações sobre Dedrone e o sistema de software DroneTracker, visite www.dedrone.com

Tags, , , , ,

Drone: curso on-line de pilotagem é lançado no Brasil

865b1fa4-f749-4612-8807-a2f898efdb0d

No começo de maio, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) homologou o uso de drones no Brasil após anos de discussão. Com o objetivo de incentivar ainda mais o desenvolvimento do setor, a CEAB, escola pioneira para profissionais da aviação civil, lança em junho, com ineditismo, curso livre on-line de pilotagem de drones no país.

Dividido em oito módulos de aulas em vídeo, o curso busca capacitar os alunos nas partes teórica, de legislação e de operação dos drones. Também indicará os melhores equipamentos e dará orientações práticas a respeito dos modelos mais comuns do mercado brasileiro, segundo Salmeron Cardoso, fundador da CEAB.

“Por enquanto, a Anac ainda não homologou nenhum curso de operação de drones. Então este é um projeto embrionário, para incentivar a Agência a regular aulas do tipo”, conta o empreendedor, que diz ser um entusiasta das pequenas aeronaves há cinco anos. Em fevereiro, Salmeron se formou como piloto de drone pela Administração Federal de Aviação americana (FAA ou Federal Aviation Administration, em inglês) – um curso que foi ofertado pela primeira vez em agosto do ano passado. “Acredito que fui o primeiro brasileiro”, diz.

Além de hobby que tem ganhado cada vez mais adeptos em solo tupiniquim, os drones têm usos variados em diversos segmentos profissionais. Como plataforma para filmagens eles já estão bem estabelecidos, mas há potencial para utilização em segurança pública, agricultura, engenharia, pesquisas atmosféricas, oceanografia, etc. “Sem dúvida, é um recurso que ainda oferece muitas possibilidades de exploração”, afirma Salmeron.

Além dos oito módulos em vídeo, o curso da CEAB oferece material de apoio escrito, exercícios, tira-dúvidas e orientação com os professores. O custo é de R$ 1.397,00 e as aulas podem ser assistidas conforme o ritmo de cada aluno. A iniciativa é uma parceria da CEAB com a Escola de Drones.

Tags, , ,

DroneShow apresenta Desafio de Drones com uso de inteligência artificial

A 3ª edição da DroneShow, que acontece de 09 a 11 de maio, no Centro de Convenções Frei Caneca, em São Paulo, traz o “Desafio de Drones”, uma demonstração organizada pela equipe Black Bee que permite, à partir de uma programação, que o drone realize atividades e ações sem interferência do piloto. O desafio é uma prévia do que acontecerá na IMAV (International Micro Air Vehicles) Competion, competição internacional que acontecerá em setembro, na França.

“A proposta do desafio é destacar o desenvolvimento intelectual e tecnológico no segmento de drones que será utilizada no futuro para serviços de delivery. Nas demonstrações os drones decolarão e farão operações a partir de uma programação utilizando inteligência artificial para desviar de obstáculos, transportar cargas, tomar decisões e realizar missões específicas”, ressalta Emerson Granemann, idealizador do evento.

A gaiola de 150m² será palco deste desafio proposto à equipe Black Bee para realizar atividades como: pouso e decolagem de plataforma em movimento, voo com desvio de obstáculos, carregamento de carga por distância determinada e uma exibição de dança sincronizada de drones com pout-pourri musical.

À frente das demonstrações está a equipe Black Bee, da Universidade de Itajubá, que participa pelo terceiro ano consecutivo da IMAV Competition. Em 2015, na primeira participação na competição, a equipe conquistou o 3º lugar. Em 2016, a equipe viajou a Pequim e, este ano, em setembro, embarcam para França. Durante a DroneShow, será apresentada uma prévia do que foi desenvolvido para participar da IMAV este ano.

“Os drones autônomos recebem um computador de bolso, software com inteligência e câmera que auxilia na identificação do cenário ou do obstáculo e permite que a decisão seja tomada para realizar a atividade com segurança. O piloto mantém, por segurança, um controle em mãos para qualquer emergência, mas o desafio consiste em o drone desenvolver todas as atividades propostas demonstrando a habilidade programada e as diversas funções que podem ser realizadas com a inteligência embarcada no equipamento”, explica João Pedro Rufino Alves, capitão da equipe Black Bee.

Muito utilizados em missões militares, os drones hoje assumem papel estratégico para aumentar a produtividade e diminuir custos em diversos segmentos. O agronegócio é um dos setores que mais se beneficia desta tecnologia. Contudo, o segmento de obras e inspeções, segurança privada e telecomunicações vem ano a ano aderindo ao uso do equipamento. “O drone é capaz de se deslocar para lugares de difícil acesso em que o homem não consegue chegar, ou ainda, corre riscos para executar o serviço. Os drones autônomos trazem segurança e confiabilidade para alguns tipos de inspeções e em segurança privada para monitoramento permanente de grandes por exemplo. Vale destacar que as demonstrações a serem realizadas na feira, utilizam o conceito semi-autônomo. O uso de drone 100% autônomo é proibido no Brasil e no mundo,” finaliza Granemann.

Ainda durante a DroneShow, acontecerá um debate com empresários do segmento sobre expectativas futuras com os drones para fins comerciais usando soluções apresentadas por tecnologia autônoma e serviços que podem ser expandidos e explorados a partir desta realidade de inteligência artificial.

DroneShow Latin America

Data: 09 a 11 de maio
Horário: Das 10h às 20h
Local:Centro de Convenções Frei Caneca
Endereço: R. Frei Caneca, 569 – Consolação, São Paulo – SP
Valor: R$ 110*
*Ingresso válido para os três dias de evento
Mais informações: www.droneshowla.com.br

Tags, ,

ANAC regulamenta uso de drones no Brasil – Quanto cresce o mercado?

A ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil) aprovou em 02 de maio, o texto que regulamenta a operação de drones para fins comerciais em todo o País. Muito aguardada por todo o mercado, a regulamentação traz normas e procedimentos que garantem segurança jurídica e operacional e terá grande impacto no crescimento sustentável deste jovem e promissor mercado. Com a regulamentação, estima-se que o mercado possa dobrar de tamanho nos próximos três anos e gerar milhares de empregos diretos e indiretos.

O tema inclusive, será destaque no painel de abertura da DroneShow Latin América, principal feira de drones do País, que acontece de 09 a 11 de maio, no Centro de Convenções Frei Caneca, em São Paulo. Representantes da ANAC e do DECEA (Departamento de Controle do Espaço Aéreo) estarão à disposição durante os três dias do evento para esclarecer dúvidas e, principalmente, explicar o passo a passo para que toda a cadeia produtiva (fabricantes, prestadores de serviço, pilotos, importadores e outros usuários de drones com fins profissionais) estejam a par dos trâmites necessários para legalizar 100% as operações.

“Hoje temos um divisor de águas no mercado de drones. A falta da regulamentação impedia grandes investimentos e muitos empreendedores ficavam receosos em relação ao futuro do mercado. Embora o DECEA já tivesse um conjunto de normas e procedimentos, a regulamentação da ANAC era necessária para tornar o mercado mais estável para as mais de 700 empresas brasileiras que já atuam no setor”, explica Emerson Granemann, idealizador da DroneShow e coordenador deste mapeamento de empresas inédito feito no Brasil.

“É uma decisão muito importante para o setor. Com a regulamentação será possível que empresas já estabelecidas no mercado agreguem novos serviços e expandam a atuação. Assim como o mercado absorverá novos entrantes. Contudo, como haverá parâmetros para operação acontecerá uma seleção natural de fornecedores priorizando a qualidade dos serviços e confiabilidade das operações”, destaca Luis Guimarães Neto, executivo proprietário da DroneStore.

O recente mapeamento das empresas do setor realizado pela MundoGeo, aponta que destas mais de 700 empresas presentes em todos os estados brasileiros, 60% ficam nas cidades do interior e 40% na capital. 80% delas foram criadas a dois anos e média de crescimento de 30% para 2017.

A feira tem várias atividades que comprovam que o mercado já está ativo mesmo não regulamentado plenamente. Cursos, workshops, debates e seminários mostrando várias soluções apresentadas a partir de informações coletadas por drones com sofisticados sensores e inteligência embarcada nas áreas de inspeção de obras, segurança pública, mapeamento, seguros, agricultura e entretenimento. Atividades paralelas completam a programação com um encontro de startups e investidores e demonstrações em uma imensa gaiola de drones semiautônomos utilizando inteligência artificial que será usada no futuro para entregas de produtos por drones.

DroneShow Latin America

Data: 09 a 11 de maio
Horário: Das 10h às 20h
Local: Centro de Convenções Frei Caneca
Endereço: R. Frei Caneca, 569 – Consolação, São Paulo – SP
Valor: R$ 110*
*Ingresso válido para os três dias de evento

Tags, , , , ,

Cidades pernambucanas arrecadam 200% a mais de IPTU com uso de drones

Diante do atual cenário nas prefeituras com o acúmulo de funções e a dificuldade em acompanhar de perto os projetos junto à sociedade, principalmente a arrecadação coerente proporcional ao tamanho do terreno (IPTU) e os vencimentos das parcelas, e alguns órgãos já resolveram delegar a função para outras empresas. Logo, para resolver esse entrave, a Crescite, uma das maiores empresas especializadas em recadastramento de imóveis e arrecadação do Brasil, surge para ajudar a prefeitura e a população. Com uso de drones, a Crescite faz a medição correta dos terrenos e ainda esclarece a população sobre o porque existe o IPTU e para onde vai o valor arrecadado.

Os colaboradores da Crescite vão até os terrenos, casas, e pontos comerciais, orientam os seus proprietários sobre a importância de pagar em dia o tributo e esclarecem que o destino desse recolhimento vai para a melhoria de todos. Cada prefeitura prioriza em que vai aplicar o valor arrecadado com o IPTU. Os valores podem ir para obras de infraestrutura, gerando emprego local, a saneamento, saúde e educação.

As prefeituras já sentiram no volume arrecadado que vale a pena terceirizar essa cobrança do IPTU para os agentes da Crescite, pois além de instruir os cidadãos também é feito todo o recadastramento dos terrenos da cidade em questão. Foi o que aconteceu em Pernambuco. Além da utilização de análise de dados, colaboradores e medição de terreno, a empresa incluiu drones para monitorar a região e fazer o mapeamento correto. As imagens são tratadas por softwares de última geração que permite a medição exata.

Empresas como a Crescite auxiliam as prefeituras na arrecadação e esclarecimento a população quanto ao tributo. “ Nós desmistificamos a ideia de que pagar imposto é ruim. A população só acha isso ruim quando não entende para onde vai os benefícios desse dinheiro despendido. E o valor volta para a sociedade em forma de educação, saúde e qualidade de vida”, esclarece o Diretor da Crescite, Paulo Resende.

Isso foi perceptível no município de Paulista que arrecadou 165% a mais do que ano passado de IPTU, seguido por Itamaracá (82%) e Jabotão dos Guararapes ( 64%).

chart

A Crescite não acredita em soluções complexas e caras para os municípios, porque classifica-se fora da realidade. Neste momento a empresa atua em locais que têm mais de 100 milhões de ‘estoque de débitos’. Só são remunerados em razão do que é produzido financeiramente e na atualização dos cadastros municipais. Desta maneira a Crescite é investidor e, ao mesmo tempo, os agregadores de tecnologia para os municípios. A proposta da empresa não exige investimentos do município e é remunerada com a medição dos resultados financeiros.

Tags, , , ,

DroneShow divulga programação de cursos, palestras e debates

A 3ª edição da DroneShow Latin América, que acontece de 9 a 11 de maio, no Centro de Convenções Frei Caneca, em São Paulo, preparou uma programação intensa de cursos, seminários e debates para a feira deste ano. Ao todo, são 13 ações que acontecerão nos três dias de evento. A proposta do evento para este ano é capacitar os profissionais que atuam neste setor, debater temas estratégicos e disseminar resultados das aplicações dos dados gerados pelos drones em diferentes aplicações.

Confira a programação completa:

09/05

9h às 10h30

Debate: Regulamentação – Como trabalhar com drones na legalidade?
Dicas e boas práticas para trabalhar de forma legal com o drone.
Moderador: Emerson Granemann
Debatedores:
– Roberto José Silveira Honorato (ANAC – Agência Nacional de Aviação Civil)
– Major Jorge Humberto Vargas (DECEA – Departamento de Controle do Espaço Aéreo)

11 às 19h
Curso: Pilotagem Profissional de Drones

Ressalta as boas práticas de pilotagem e reforça a importância de capacitar o profissional para atuar nesta área.
Instrutor: Felipe Calixto

Curso: Drones para topografia
Técnicas e métodos para cortar custos e aumentar a produtividade por meio do uso de drones
Instrutor: Luiz Dalbelo

Curso: Drones na agricultura
O curso foca na otimização de recursos e diminuição dos custos tendo nos drones um importante aliado para a agricultura de precisão
Instrutor: Giovani Amianti

10/05

9h às 10h30

Debate: Como montar uma empresa de serviços utilizando Drones
Propõe um passo a passo para montar uma empresa por meio de cases de sucesso.
Mediador: Emerson Granemann
Debatedores:
– George Longhitano
– Guilherme Barbosa
– Leonardo Minucio

11h às 19h

Curso: Drones para infraestrutura e utilities
Otimização de recursos e alcance de resultados por meio do uso de drones para mapeamento, inspeção ou monitoramento de estradas, hidrovias, redes de energia, telecom e outros.
Instrutor: Leonardo Minucio

Curso: Drones para mapeamento
Para uma boa cartografia, dados de qualidade são essenciais e os drones vieram para suprir esta lacuna com agilidade, precisão e abundância de dados. Aprenda a fazer mapas com drones para diferentes aplicações.
Instrutor: George Longhitano

Seminário: Utilização de drones na agricultura
Visão ampla sobre o uso de drones na agricultura de precisão. Diversos temas.
Palestrantes: Lucio Andre de Castro Jorge, Ricardo Matiello, Bruno Holtz, George Longhitano, Juliana Mantovani, Bruno Borges, Julia Fonseca, Cristian Cardoso Stetz, Emerson Roberto Schoeninger, Cleverson Frederico Scheraiber, Paulo Henrique Amorim da Silva, Henrique Lima, Raphael Augusto das Chagas Casari, Hugo Bruno Correa Molinari, Adilson Kenji Kobayashi, Barbara Andrade Dias Brito da Cinha, Thiago Teixeira Santos, Carlos Antonio Ferreira de Sousa, Luiz Glasenapp Junior.

Seminário: utilização de drones para segurança e perícias
Apresentação do uso de drones para atividades de auditoria ou perícias que demandam uma série de informações geoespaciais. Também será abordado o uso de drones para segurança pública ou privada, incluindo serviços de emergências.
Moderador: Luiz Munaretto
Palestrantes: Ricardo Matiello, João Pedro Rufino Alves, Daniel Augusto Nepomuceno, Carlos Eduardo Mamede Polizio, Instituto de pesquisas tecnológicas (IPT) e Grupo SMA.

11/05

9h às 10h30

Debate: Potenciais novos negócios com drones autônomos
Drones autônomos, big data e internet das coisas e modelos de negócios que nos próximos anos atenderão áreas de entretenimento, delivery, segurança, logística, transportes, serviços de emergências e outras aplicações.
Mediador: Emerson Granemann
Debatedor: João Pedro Rufino Alves

11h às 19h
Curso: Processamento de imagens obtidas por drones

Conheça os processos e características dos principais softwares de processamento de imagens de drones
Instrutor: George Longhitano

Seminário: Utilização de drones para mapeamento
Aprenda as boas práticas para mapeamento com drones e entenda os fatores que podem influenciar na qualidade do produto final.
Moderador: Luiz Munaretto
Palestrantes: Maurício Campiteli, Daniel Cunha Coelho, Josue Pedro dos Santos Borges, Floriano Peixoto, Fabiano Cucolo e George Longhitano.

Seminário: utilização de drones para infraestrutura e utilities
Desafios, resultados, ganhos de produtividade, erros e lições aprendidas com o uso de drones em áreas de infraestrutura e utilities.
Palestrantes: Geraldo Adabo, Elton Neves Brandão, Leonardo Minucio, Eduardo Cardoso, Marcio Regis Galvão.

DroneShow Latin America

Data: 09 a 11 de maio
Horário: Das 10h às 20h
Local: Centro de Convenções Frei Caneca
Endereço: R. Frei Caneca, 569 – Consolação, São Paulo – SP
Valor: Até 06/04 – R$ 75*
Até 27/04 – R$ 90*
Até 11/05 – R$ 110*

*Ingresso válido para os três dias de evento

Mais informações: http://www.droneshowla.com/
Inscrições antecipadas podem ser feitas pelo e-mail: atendimento@mundogeo.com ou pelos telefones (41) 3338-7789 | (11) 4063-8848

Tags, ,