Tag Citrix

Brasil é o país da América Latina que mais utiliza e investe em cloud, mas ainda precisa avançar na maturidade digital

O estudo Como vamos na América Latina, encomendado pela Citrix, empresa norte-americana de tecnologia, mostrou que dentre os países da região, o Brasil está à frente dos demais quando o assunto é nuvem, com 57% de empresas adeptas desta tecnologia. No entanto, algumas contradições nos resultados mostram que existe um longo caminho para aumentar a maturidade digital das empresas.

Embora 73% das entrevistadas manifestem desejo em investir em nuvem, 43% afirmaram não fazer uso da tecnologia. E os motivos são: infraestrutura suficiente (38%), não enxergam valor (19%), questões de segurança (14%), falta de orçamento (14%) e não sabem como fazê-lo (12%).

Outro fator interessante registrado na pesquisa foi em relação a falta de estratégia no uso desta tecnologia. As empresas que usam a nuvem estão mantendo o foco no armazenamento de informações: 24% responderam que armazenam informações gerais, 18% registram e-mail, 11% guardam informações sensíveis do negócio, 11% registram dados do fornecedor, 7% aplicativos não tão sensíveis e 12% todas as anteriores.

“A computação em nuvem significa mais do que apenas armazenar documentos. Ela permite a empresas de todos os tamanhos ações mais rápidas, ágeis e flexíveis, redução nos custos de investimento em hardware e acesso igualitário à tecnologia de ponta, só para citar alguns. Em regiões com mais maturidade digital, empresas focam em ativos mais estratégicos (aplicações críticas para o negócio e aplicações legadas) se beneficiando assim da elasticidade e alta disponibilidade de cloud”, explica Luis Banhara, diretor geral da Citrix Brasil.

Produtividade

Outro aspecto sobre a adoção dos serviços em nuvem é implementação de formas de trabalho flexível, por exemplo o home office e o teletrabal­ho. A partir das informações coletadas, constatou-se que 62% das empresas brasileiras com tipos de trabalho flexíveis os implementaram a pedido dos funcionários, principalmente por motivos de gestão do tempo (13%), maior produtividade (8%), conforto (6%) e qualidade de vida (6%).

Os resultados, de acordo com os gestores em TI do país, foram positivos considerando que acessar dados e aplicações de qualquer lugar ou dispositivo torna a equipe mais produ­tiva (88%). Outro fato notável é que 65% das empresas disseram que redesenharam o ambiente para se adaptar às novas formas de trabalho flexíveis, especificamente para buscar maior produtividade e melhor gestão do tempo pelo funcionário.

Paradoxalmente, 73% dos entrevistados acham que os funcionários são mais produtivos trabalhando no escritório do que de onde se sentem mais confortáveis e inspirados. E isso se deve, principalmente, à falta de confiança por parte dos diretores (80%).

“Com o avanço da tecnologia, hoje podemos contar com ferramentas que estão mudando a forma que trabalhamos, possibilitando o trabalho flexível, de qualquer lugar e em qualquer dispositivo. A valorização precisa estar focada na entrega e não no tempo que o funcionário passa no escritório”, destaca o diretor geral.

Segurança

A segurança é um fator de grande preocupação para as empresas e 58% das entrevistadas declaram desejo de investir mais em proteção dos dados até o final deste ano. Porém, alguns comportamentos destacam brechas que podem comprometer seriamente os dados das companhias. Dos executivos consultados, 49% afirmaram que permitem que funcionários salvem informações em pen-drive e encaminhem informações para o e-mail pessoal (52%).

Reflexo disso é que 35% das vulnerabilidades sofridas pelas empresas foram vazamento de dados e 32% ataques externos direcionados às informações da empresa.

“Temendo a segurança de seus dados, muitas empresas acabam blindando os funcionários de maneira imobilizadora. Estão seguros, mas extremamente restritos. E não precisa ser assim. É possível trabalhar de forma protegida sem limitar ações”, conclui Banhara.

A pesquisa teve como objetivos principais avaliar a percepção e o conhecimento que os gestores de TI têm sobre dinâmica, benefícios e desvantagens, ou seja, o panorama de serviços na nuvem, segurança de dados e novos estilos de trabalho. E ainda identificar as atitudes, percepções e a impor­tância que os especialistas em TI atribuem às novas tecnologias em suas empresas. Fez parte do estudo entrevistas com 550 gestores de TI, durante os meses de abril a maio, na Argentina, Brasil, Chile, Colômbia e México.

Tags, , ,

Citrix e Samsung unem tecnologias para transformar o Galaxy S8 em desktop

À medida que as empresas adotam cada vez mais as estratégias de negócios móveis, as pessoas devem transportar até três dispositivos, incluindo seus laptops, smartphones e tablets. Para aliviar essa carga de dispositivos eletrônicos, tornar as pessoas mais eficientes e ajudar as empresas a reduzir custos, a Samsung apresenta o Samsung DeX que, quando combinado com o Citrix Receiver, converte o novo Samsung Galaxy S8 em um ambiente de desktop que inclui uma interface do usuário otimizada para multitarefa com suporte para teclado e mouse, capacidades de janela redimensionáveis, notificações pop-up na barra de tarefas e muito mais.

A combinação de Citrix e Samsung DeX transforma o telefone e fornece aos usuários acesso seguro ao seu espaço de trabalho digital e a todos os aplicativos e dados corporativos que necessitam para realizar suas tarefas. A Samsung está apresentando a solução Citrix exclusivamente em versões de demonstração do Samsung DeX com XenApp, XenDesktop e Citrix Receiver.

Esta colaboração exclusiva entre Citrix e Samsung literalmente alivia a carga das organizações e de seus funcionários, proporcionando maior segurança e flexibilidade para as pessoas que passam todo ou parte de seu dia de trabalho fora do escritório. Esta solução aumenta a segurança e a produtividade ao permitir que as pessoas utilizem os telefones de forma segura fora da empresa. Então, quando estão de volta no escritório, podem se conectar ao Samsung DeX, convertendo seus telefones em uma experiência de desktop sem perder os recursos do telefone e acessar com segurança seus aplicativos e dados por meio do Citrix Receiver, XenApp e XenDesktop.

Entre os exemplos, podemos citar que os peritos de sinistros do setor de seguros podem utilizar com segurança seu Samsung Galaxy S8 no local de avaliação de um sinistro e retornar ao escritório, conectá-lo à sua estação DeX e completar os relatórios utilizando um ambiente de desktop completo. Os policiais podem utilizar seus telefones para fazer anotações durante a patrulha utilizando o Citrix Secure Forms, e quando retornem à delegacia, se conectam com a estação DeX e completam seus relatórios utilizando um ambiente desktop totalmente funcional.

Além da solução que combina a inovação da Citrix com Samsung DeX, a Citrix também oferece suporte e integração para dispositivos Samsung que incluem o gerenciamento de mobilidade corporativa XenMobile, recursos de segurança e acesso virtual seguro a aplicativos e desktops por meio do XenApp e do XenDesktop com Samsung Knox na camada Android OS nativo.

O Citrix XenMobile também traz suporte à nova capacidade da Samsung conhecida como Enterprise Firmware-Over-The-Air (E-FOTA), que permite atualizar o software do dispositivo “pelo ar”. Samsung E-FOTA permite que os administradores de TI tenham o controle total sobre a atualização dos dispositivos, bem como com qual versão é atualizada. Esta capacidade da Samsung fornece ao departamento de TI o controle dos dispositivos nativos sem sacrificar a flexibilidade do usuário.

“Embora muitas pessoas utilizem seus smartphones para os negócios, costumam recorrer a seus laptops ou desktops quando precisam usar Windows ou aplicativos baseados no navegador”, disse Maribel Lopez, fundadora e analista principal de Lopez Research. “Mesmo que a virtualização de aplicativos ou VDI permita executar aplicativos do Windows em seu smartphone, a experiência do Windows nem sempre se traduz bem numa tela pequena. Para resolver esse problema, diversos fornecedores trabalham para desenvolver soluções que facilitam a conexão de smartphones a um teclado, mouse e/ou monitor. A solução mais bem-sucedida mostra um significativo potencial no mercado.”

“O Samsung DeX permite que as pessoas utilizem seu Galaxy S8 como um computador de mesa, usando soluções como Citrix Receiver, XenApp e XenDesktop para usar com segurança seus aplicativos baseados em Windows e no navegador, do mesmo modo como fariam com seus laptops tradicionais”, disse Injong Rhee, CTO do Mobile Communications Business da Samsung Electronics. “Isso não é ficção científica, isso é realidade, é a inovação orientada aos negócios.”

O smartphone Samsung Galaxy S8 e o Samsung DeX estarão disponíveis no segundo trimestre de 2017.

Tags, , ,

Horário flexível e proximidade de casa motivam brasileiros que querem trocar de emprego

O estudo Trabalhador Digital, realizado pela Citrix, empresa norte-americana de tecnologia, identificou que os brasileiros estão buscando novas formas de trabalhar, o que leva as empresas a reavaliar suas estruturas, prioridades e investimentos para continuarem sendo atrativas. No Brasil, o salário deixou de ser o fator mais importante na busca por um novo emprego. Para 34% dos entrevistados, a flexibilidade de horário e o fato de trabalhar próximo de casa são fatores que pesam mais para essa decisão. A remuneração é apontada por 14% dos participantes como a motivação principal.

Os objetivos do estudo eram entender os aspectos valorizados em um emprego e saber a opinião das pessoas sobre a mobilidade como parte de uma nova dinâmica de trabalho. Um total de 77% dos entrevistados trabalha com pessoas que se encontram em outros escritórios ou cidades. Nesse contexto, colaborar de forma remota com colegas de empresa torna desnecessário o deslocamento físico para a execução das atividades. O aumento da produtividade é apontado por quase metade dos participantes: 45% acreditam que sua produtividade aumentaria se pudessem realizar seu trabalho em casa.

Mobilidade corporativa com segurança

Trabalhar de casa ou de qualquer lugar é uma possibilidade cada dia mais real para muitos e o receio de empregadores quanto à segurança das informações trafegando fora do escritório. Este estudo buscou compreender também qual o entendimento dos colaboradores de uma empresa quanto às políticas de segurança. No Brasil, 56% acham essas políticas restritivas, mas, mesmo assim, 88% acessam os dados corporativos por meio de dispositivos permitidos.

Os brasileiros mostram-se favoráveis à mobilidade, com 69% indicando que não veem problema em usar seu celular, tablet ou notebook pessoal para trabalhar. Porém, embora concordem em usar seus equipamentos pessoais para propósitos corporativos, o que lhes permite trabalhar de qualquer lugar, 52% não têm conhecimento das políticas da empresa para isso, o chamado BYOD (Bring Your Own Device). Nesse sentido, a educação do funcionário para o trabalho com segurança é fundamental. O estudo da Citrix apontou que no Brasil 49% dos participantes nunca receberam uma capacitação sobre condutas apropriadas para resguardo e segurança de dados corporativos.

“No Brasil, percebemos que a mobilidade se tornou uma parceira na rotina das empresas, porém é necessário garantir que trabalhar remotamente não seja sinônimo de vazamento de dados. Com uso de tecnologias específicas, o ambiente da empresa e o pessoal ficam separados, proibindo, por exemplo, que dados sejam copiados entre apps ou que as fotos tiradas para fins de trabalho sejam armazenadas no rolo de câmera pessoal”, afirma Luis Banhara, diretor geral da Citrix no Brasil.

O estudo também considerou quesitos de segurança das informações corporativas e identificou que no Brasil, 80% dos respondentes discutem assuntos da empresa em aplicativos de conversa como WhatsApp, o que abre brechas para o vazamento de informações sigilosas que podem impactar no desempenho da companhia. Sobre o armazenamento dos dados, 40% afirmam usar serviços como Google Drive e Dropbox para editar ou salvar arquivos do trabalho. O principal motivo para usar esses aplicativos e não os oferecidos pela empresa é porque as consideram mais fáceis de usar (38%) e mais cômodas (37%)

“Guardar dados da companhia de forma que estes possam ser acessados de qualquer lugar ou dispositivo requer um local confiável. Informações desprotegidas podem ser acessadas por pessoas não autorizadas e prejudicar drasticamente os negócios”, finaliza Banhara.

As entrevistas foram realizadas com funcionários da indústria, comércio e serviços da Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, México e Peru. Ao todo, foram 900 participantes (150 de cada país), que não estão em cargo de liderança, são maiores de 21 anos e em sua maioria (58%) com Ensino Superior Completo.

Tags, , , ,

Pesquisa da Citrix: complexidade corporativa coloca em risco a segurança da informação

Pesquisa global da Citrix e do Ponemon Institute sobre infraestrutura de segurança de TI identificou que 83% das empresas em todo o mundo consideram que a complexidade organizacional é a causa do maior risco. No Brasil, este número não é diferente: 85% dos entrevistados afirmaram que os requerimentos de segurança corporativa são muito complexos, dificultam a sua produtividade e prejudicam a capacidade de trabalhar segundo suas preferências.

Os resultados desse estudo refletem o motivo do crescimento da chamada TI Invisível, ou shadow IT, que significa a prática adotada pelos funcionários de adquirir tecnologias e serviços, na maior parte das vezes sem o aval da TI, com o objetivo de buscar maneiras mais simples de realizar seu trabalho.

Com os colaboradores acessando as informações da empresa em seus dispositivos móveis pessoais, os dados corporativos acabam ficando disponíveis em laptops, telefones ou tablets deixados no escritório ou esquecidos em um café. Os ativos de dados estão aumentando, o que para 61% dos entrevistados brasileiros significa que cada vez mais informação é colocada em risco.

Já a proteção de aplicativos e dados é mais importante do que nunca. Globalmente, 74% das empresas consideram que é necessária uma nova arquitetura de segurança de TI para reduzir os riscos, índice que cai para 59% no Brasil. “Em relação aos demais países, os números mostram o Brasil com um perfil menos preocupado com segurança, o que nos alerta para uma possível vulnerabilidade das nossas companhias”, afirma Luis Banhara, diretor geral da Citrix Brasil.

As tendências globais analisadas no estudo indicam que as práticas e políticas precisam evoluir para lidar com ameaças decorrentes de tecnologias disruptivas, de crimes cibernéticos e de legislações de compliance. Mas alguns dados específicos revelam a realidade da segurança da informação no Brasil:

– 85% afirmam estar mais preocupados com fontes internas maliciosas do que com ataques de guerras cibernéticas e hackativismo (o que é uma tendência global, com 80%)

– 83% dos entrevistados estão preocupados com violações de segurança envolvendo informações de alto valor.

– E 65% consideram que existem riscos decorrentes de sua incapacidade de controlar os dispositivos e aplicativos dos funcionários.
Metodologia da pesquisa

O relatório conduzido pelo Ponemon Institute, patrocinado pela Citrix e denominado “A necessidade de uma nova arquitetura de segurança de TI: um estudo global”, analisou as tendências nos riscos de segurança de TI e as razões pelas quais as práticas e políticas de segurança precisam evoluir para responder às ameaças das tecnologias disruptivas, ao cibercrime e às normas estabelecidas. A pesquisa apresenta as opiniões de mais de 4.200 profissionais de TI na Austrália, Nova Zelândia, Brasil, Canadá, China, França, Índia, Japão, Coreia, México, Holanda, Emirados Árabes Unidos, Reino Unido e Estados Unidos.

Tags,

Brasoftware e Citrix promovem evento em Brasília sobre tecnologias para trabalho remoto

A Brasoftware, uma das principais provedoras de soluções de tecnologia do Brasil, e a Citrix, líder em virtualização, redes e infraestrutura de nuvem que permitem novas maneiras para as pessoas trabalharem melhor, promovem um encontro em Brasília, no dia 7 de junho, para debater novas tendências na implementação de ferramentas de trabalho remoto.

Será realizado um jantar especial no Restaurante Baby Beef Rubaiyat, localizado no Trecho 11, na Asa Sul de Brasília, a partir das 19h. O evento tem vagas limitadas, é gratuito e as inscrições podem ser realizadas até 6 de junho por meio do link.

O evento é uma oportunidade para gestores e executivos da área de TI descobrirem como deixar suas equipes trabalhando em sintonia, de qualquer lugar, com qualquer dispositivo. O objetivo é adequar as empresas à realidade atual de remodelação do local de trabalho e prepará-las para os desafios de disponibilidade e gestão.

A Brasoftware mostrará aos participantes como as Soluções Citrix podem preparar os negócios para vencer esses novos obstáculos. Os principais temas serão: o aumento de produtividade de equipe; a implementação de dispositivos BYOD (Bring Your Own Device) sem comprometer a segurança; e a redução de custos do gerenciamento dos aplicativos.

Jantar Especial – Brasoftware e Citrix

Data: 07/06/2016

Horário: a partir das 19h

Local: Restaurante Baby Beef Rubaiyat – Trecho 11, Asa Sul – Brasília/DF

Inscrições: até 06/06/2016 pelo site.

Tags, , , , ,