Tag CINQ Technologies

Insights sobre Tecnologia e Transformação

Por César Samuel Ferreira Schneider

Evolução e desenvolvimento das pessoas e sociedades são aspectos inerentes à transformação digital

Durante toda a história da evolução humana e das civilizações, a tecnologia (talvez não como a imaginamos hoje) foi fator preponderante no desenvolvimento das atividades profissionais e determinante na condição de situar culturas ao redor de hábitos e métodos.

Para isso, vamos entender melhor o que é tecnologia:

Ambas as palavras vêm do grego e nos mostram que a tecnologia possui vários significados em sua origem, tratando-se da arte, do raciocínio da arte e da ciência. Genericamente, podemos definir tecnologia como o conjunto de conhecimentos e informações organizados em prol da resolução de problemas (Correia, 1999).

Esta afirmação revela um significado que foi distinguido por nossos antepassados. A partir do momento que se deram conta destes conceitos, os mesmos iniciaram estudos para mapear e identificar os métodos pelos quais as sociedades evoluíram e como poderiam progredir para se transformar culturalmente e tecnologicamente.

NO NOSSO CASO…

Atualmente dispomos da tecnologia em um estágio próximo a seu state-of-the-art (i.e.: estado da arte, algo em sua forma mais refinada). Grande parte de nossa sociedade gira em torno dela, dispomos de ferramentas que nos conectam de forma pessoal (Facebook, Whataspp, redes sociais em geral) e profissional (Outlook, Linkedin, Slack etc). Somos parte ativa desta aceleração e integração dos meios tecnológicos no cotidiano para melhoria da vida humana e profissional.

Dentro dos ambientes corporativos, existe a necessidade de encontrar o equilíbrio entre o pensar dos pontos de vistas estético da interface, técnico dos desenvolvedores e prático do usuário. Além da utilização de métodos que aguçam os sentidos e a criatividade, tais como Design Thinking, que nos tornam equivalentes e capazes na busca destes objetivos.

Uma característica que define a forma como a tecnologia é movimentada a partir da transformação é o elo presente entre a produção tecnológica e o consumidor final. Produtos como softwares tendem à constante atualização mediante a criação e utilização de formas de conversar com o usuário, reaproveitando informações e processos em prol da otimização dos sistemas. Esta transformação digital é feita para o produto estar mais próximo da experiência ideal do usuário e são necessários experimentos para validar seu formato.

É possível notar as melhorias que os softwares são capazes de criar a partir de programas de gerenciamento na área de Business Intelligence (PowerBI, Apache Spark) e Inteligência Artificial (chatbots). Eles geram gráficos automaticamente ou respondem perguntas aos gestores e sistemas de monitoramento, adaptando-se aos processos e componentes (automação inteligente), entre outros. Estas otimizações são geradas por meio do uso inteligente das informações presentes dentro das organizações.

Com isso, verifica-se que a transformação tecnológica acompanha o desenvolvimento humano e possui grande importância na capacidade de fornecer interação entre as pessoas onde quer que elas estejam e melhorar os processos organizacionais existentes através do processamento da informação.

César Samuel Ferreira Schneider, da área de Desenvolvimento Organizacional da CINQ Technologies.

Referência

CORRÊIA, Maíra Baumgarten. Tecnologia. Inc: CATTANI, Antonio D. (Org.). Trabalho e
tecnologia: dicionário critico. Petrópolis, RJ: Vozes: Editora da Universidade/UFRS, 1999
(p.250).

Tags, , ,

Transformation Series: Beyond People

Para transformar a cultura de uma empresa é preciso promover o aprendizado consciente e preparar o ambiente para isso.

Você já parou para prestar um pouco de atenção no que está acontecendo a sua volta e se deu conta de que o mundo mudou? Isso pode parecer tão óbvio. Porém, quando ligamos o piloto automático, ficamos insensíveis ou incapazes de perceber que sim – o mundo mudou. E, para nos mantermos vivos, precisamos promover uma mudança interna.

Em 2017, quando ocorreu o período de planejamento estratégico na CINQ, paramos pra respirar e pensar e nos demos conta de forma muito lúcida que o setor de tecnologia e as forças do trabalho na área estavam em um processo muito intenso de mudança. Muitas tecnologias emergentes (blockchain, machine learning, IoT, entre outras) estavam se apresentando como aplicações entrantes no mundo real, na mesma medida que os novos modelos de negócios da economia digital também estavam explodindo para nos tirar da zona de conforto.

Ao refletir sobre esse contexto, percebemos que, cada vez mais, os profissionais seriam parte chave deste processo. Precisávamos, então, pensar em como despertar os colaboradores para um aprendizado intenso e proposital, pois sem eles nosso negócio deixaria de existir.

Quando essa conversa começou, a nossa pergunta era: por que em um mundo super conectado e com tanto conhecimento disponível, as pessoas não pareciam interessadas em aprender? Bem, esse questionamento coloca todo o peso da transformação e responsabilidade nas pessoas, mas será que a pergunta certa era essa? Depois de discutir um pouco sobre este assunto entre a liderança, acabamos invertendo a pergunta, como se tivéssemos rebatido com um espelho: será que estamos conseguindo ver o que as pessoas estão aprendendo? Ou será que estamos criando o melhor ambiente para as pessoas aprenderem e se sentirem estimuladas a compartilhar isso conosco?

A partir dessas reflexões, resolvemos assumir a nossa responsabilidade, pois é impossível cobrar do outro uma mudança se nós não estivéssemos dispostos a fazer o mesmo. Começamos, então, a transformar o nosso ambiente. Depois de uma sessão de criatividade, coletando experiências do nosso time e remodelando velhas práticas de treinamento da empresa, criamos um programa para desenvolvimento dos profissionais com base nos pilares: Explore, Learn, Develop. Explicamos um pouco mais do programa no artigo: https://bit.ly/2YiTmYo

Em nossa transformação de ambiente, trabalhamos primeiro no contexto tácito. Por exemplo, buscando incentivar que os profissionais compartilhassem seus aprendizados em pequenas sessões para explicitar conceitos (CINQ TECH Share) ou experimentassem codificar pelo prazer do aprendizado (Coding Dojo) e buscamos conhecimento até nas histórias dos projetos e os obstáculos vencidos (CINQ TECH Stories). Esse movimento voltado ao compartilhamento deu abertura para as pessoas participarem ativamente da formação de conhecimento da empresa. Começamos a sentir uma disposição em ajudar como ainda não tínhamos provado depois que a empresa atingiu o crescimento.

Depois de ver o comportamento dos profissionais mudar, sentimos que era a hora de promover essa mudança em um ambiente físico e conseguimos realizar um sonho antigo que aconteceu no momento certo: construímos uma nova sede. Nosso novo espaço foi pensado para continuar promovendo a troca entre profissionais e agora não mais apenas para dentro da empresa, mas sim para interação com o ecossistema. Temos convidado outras empresas, clientes, parceiros e até concorrentes para trocar ideias e promover esse ambiente de aprendizado.

Experimentar essa transformação em nossos profissionais têm sido algo muito enriquecedor. É como se enchêssemos o peito de ar em um movimento de respiração profunda e uma alegria tomasse conta da gente. Hoje podemos ver nos corredores e na transparência das nossas salas de vidro o prazer no trabalho e principalmente no compartilhamento de experiências.

Ainda temos uma longa jornada para fazer esse movimento de transformação profissional continuar a crescer e se consolidar. Pensando nisso, agora nosso alvo de estudo tem sido em promover o mindset de crescimento e auto responsabilidade na carreira de cada um. Mas isso é tema para outro artigo…

Por enquanto, podemos nos orgulhar em dizer: nós percebemos a mudança, fomos capazes de assumir a nossa responsabilidade, provemos o ambiente para ela acontecer e já estamos colhendo os frutos.

 

Por Bárbara Ritzmann, Gerente da área de Desenvolvimento Organizacional da CINQ Technologies

 

 

 

 

 

Tags, ,

Dicas essenciais para carreira promissora na área de TI

Quando o assunto é carreira em TI, a CINQ Technologies acredita ser importante aliar desenvolvimento de carreira por meio de aquisição de conhecimento, bem como soft skills; que é possível empreender dentro das organizações (intraempreendedorismo), bem como criando o seu próprio negócio; e que a área de Tecnologia perpassa o presente e futuro das empresas, sendo que a transformação digital e adoção de tecnologias disruptivas como IoT (Internet of Things), Big Data, Inteligência Artificial etc. tornam-se cada vez mais importantes para aumento da performance das empresas.

Com base nos três temas (carreira, empreendedorismo e tecnologia), verificamos os tópicos que mais foram enfatizados em cada uma das trilhas e, assim, chegamos a 3 dicas essenciais para carreira promissora na área de TI:

1. No âmbito de carreira, a dica é ter um propósito que te faça acordar cedo todos os dias com energia para fazer acontecer e, tendo isso claro (qual é sua missão de vida e como isso está linkado com sua trajetória na área de TI), será mais fácil buscar evolução de conhecimentos técnicos e ter inteligência emocional para saber lidar com os desafios cotidianos;

2. Na área de empreendedorismo, a chave é desafiar-se e esses desafios podem acontecer por meio do aprendizado de novas tecnologias e linguagens de programação; tirando certificações de TI; buscando novos aprendizados comportamentais como comunicação efetiva (cursos de oratória com o intuito de falar melhor em público e fazer-se entender); liderança (cursos de Scrum Master, de coaching), dentre outros;

3. No campo da tecnologia, a sugestão é utilizar métodos ágeis de desenvolvimento, pois os mesmos garantem entregas contínuas ao cliente, além de trazer engajamento de time.

De acordo com Nôga Simões, Coordenadora de Marketing e Inovação da CINQ, “os profissionais de TI precisam cada vez mais aliar competências técnicas a comportamentais, afinal, segundo Daniel Goleman – para o bem ou para o mal, quando são as emoções que dominam, o intelecto não pode nos conduzir a lugar nenhum”.

Neste sentido, demanda-se cada vez mais profissionais que sejam bons aprendizes; captem conceitos rapidamente; se ajustem aos diferentes contextos e situações; pensadores independentes; capazes de tomar decisões; apaixonados por tecnologia e que sejam bastantes comprometidos com resultados. Se você se encaixa nesse perfil, a CINQ possui mais de 40 oportunidades para atuação na área de TI: https://www.cinq.com.br/vagas/

A CINQ Technologies é uma empresa global de Tecnologia da Informação presente em Curitiba, Ponta Grossa, São Paulo e Miami, com atuação em projetos inovadores e de missão crítica no Brasil, na América do Norte e na Europa. A CINQ também possui 10 anos de cultura ágil, é eleita há 7 anos consecutivos como uma das melhores empresas para trabalhar pelo GPTW e está entre as TOP 200 PME’s que mais crescem no Brasil (Pesquisa Deloitte e Revista Exame – 2008, 2009, 2010, 2014, 2018).

Tags, , , , , , , ,

Agile Scrum – Uma avaliação do ponto de vista executivo – Por Carlos Alberto Jayme

A nossa experiência com Scrum começou em 2007 quando a CINQ estava em mais um de seus ciclos de mudança organizacional. Naquela época, estávamos buscando uma maior presença no mercado externo, certificação CMMI-3 e iniciando nossas iniciativas de inovação apoiada em Design Thinking com foco em resultados de negócio.

Começamos com algumas iniciativas internas devido ao fato de estarmos homologados como Fábrica de Software em grandes clientes do setor financeiro. Os resultados dos projetos como Fábrica eram medianos, tendo qualidade e funcionalidade dentro das expectativas, mas os prazos e custos acima do planejado. Isto exigia grande energia de negociação com os clientes para aprovar “change requests”, o que nem sempre era bem-sucedido e ainda causava pontos de conflito.

Este cenário fomentou algumas iniciativas internas para estudarmos a metodologia Agile com o framework Scrum. Também fomos procurados por um dos diretores da Nokia, Marcio Machado, o qual estava fazendo mestrado em engenharia de software com foco em Scrum. Sabendo de nossas iniciativas, ele nos procurou para realizar um estudo de caso na CINQ para seu trabalho. Aproveitamos este momento para treinar nossos gerentes de projeto, arquitetos e analistas nesta nova metodologia.

Em 2008, fomos homologados como um dos fornecedores globais de uma grande empresa europeia com operações em vários países. O time do Canadá nos visitou, nos treinou mais uma vez e solicitou que todos os projetos passassem a usar o Scrum.

Os projetos internacionais, portanto, passaram a operar em sua totalidade com o Scrum, cuja cultura era fomentada diariamente. Por outro lado, nos projetos nacionais ainda precisaríamos convencer nossos clientes. Desta forma, operávamos parcialmente.

Patrocinado por um de nossos clientes globais, recebemos em outubro de 2011, um treinamento extensivo do Sr. Agile Coach, Allen Bennett (https://www.scrumalliance.org/community/profile/abennett6). Aproveitamos a vinda dele para treinar todos nossos líderes de projeto e principais profissionais ligados ao desenvolvimento e testes de software.

Contudo, incutir uma cultura é algo que se leva tempo e muita dedicação. Agile é um mindset e não adianta dizer que a empresa é ágil se pequenas ações e decisões são procrastinadas ou postergadas. Para reforçar ainda mais a cultura, em meados de 2015 contratamos a Adaptworks para termos um treinamento com o facilitador Alexandre Magno. Além dos líderes de projeto, participaram Analistas de Negócio e lideranças das demais áreas da empresa. Todos os participantes obtiveram certificação CSM (Certified Scrum Master).

A partir de então, a CINQ adotava o Scrum em todos os projetos, mas ainda existiam algumas barreiras com clientes mais conservadores. Mesmo assim, rodávamos a metodologia internamente e mostrávamos uma interface cascata com o cliente.

Após estas iniciativas de capacitação, continuamos investindo em treinamentos pontuais, principalmente para os novos profissionais integrantes do time. Em 2018, lançamos o programa de capacitação CINQ Tech, onde iniciativas de bootcamp estão em andamento, principalmente para os trainees que entram em cada semestre. Tudo isto para oxigenar e manter a cultura Agile Scrum na empresa.

Tivemos 3 ondas principais de Scrum na CINQ. Na primeira, usávamos post-its, e focávamos mais nas stand-up meetings e menos nas Sprint Plannings e Reviews. Na segunda, passamos a usar Jira/TFS e dar mais ênfase nas Plannings e Reviews, principalmente reforçando a necessidade da presença do Product Owner nestes eventos. Na terceira onda passamos a ter um approach mais firme de movimentar as entregas para os ambientes de homologação dos clientes, adotando a filosofia de DevOps.

Estou contando esta longa história para mostrar que Agile Scrum é uma questão de determinação e muita dedicação. O patrocínio e engajamento do nível executivo é tão fundamental quanto o acolhimento do time de profissionais na adoção das práticas.

Após 10 anos de uso contínuo do Agile Scrum, podemos dizer que temos uma cultura ágil presente em nossa empresa.

A teoria é extensa sobre o assunto e não cabe aqui repetir os princípios que regem o Agile, mas gostaria de colocar percepções que fazem a diferença do ponto de vista executivo.

São vários os pontos que me agradam no Scrum e que determinam melhores prazos, melhores entregas e melhor alinhamento de expectativas:

1- Objetivos e Visão do Projeto

Percebo que no Scrum busca-se priorizar “o quê” e não o “como”. Do ponto de vista executivo espera-se que uma iniciativa de software resolva, aprimore, otimize algum desafio de negócio. Então busca-se definir claramente qual é razão em termos de negócio que pretende-se atingir, qual valor entregar.

2- Flexibilidade do escopo

É um grande erro fechar a priori o escopo de um determinado projeto. Eu trabalho desde 1982 na área e não me lembro de algum projeto que tenha se mantido fiel ao escopo inicial. Desenvolver software é um processo iterativo e incremental. As melhorias, novas funcionalidades, problemas de integração e operação são percebidos ao longo da construção. Em um modelo de escopo fechado, as mudanças não são bem-vindas. Além disso, quando se especifica um software são consideradas muitas funcionalidades que nem sempre são úteis ou trazem valor. Nos modelos cascatas, temos o triângulo de ferro determinando o escopo, o prazo e o orçamento. Nos modelos ágeis, procuramos determinar o prazo e o orçamento com base no roadmap inicial do projeto. No entanto, as mudanças são bem-vindas e as funcionalidades que trazem real valor são priorizadas.

3- Granularidade das entregas

Que alívio falar de entregas frequentes quando lembro das longas fases de análise, especificação, codificação e testes do modelo cascata. Esta é uma das grandes vantagens do Scrum, pois muda-se o mindset para entregar funcionalidades de software que façam sentido em curto espaço de tempo, normalmente de 2 a 3 semanas. Para conseguir este feito, é importante que a cada Sprint seja feito o planejamento e priorização das funcionalidades que serão entregues. Isto exige um envolvimento maior por parte do cliente para definir o que é importante para ele.

4- Comunicação

O Scrum conta com várias cerimônias que asseguram uma comunicação objetiva e frequente entre os vários envolvidos no projeto, considerando áreas cliente e times de desenvolvimento. Eu acredito que problemas de comunicação, em geral, respondem por uma boa parte de problemas de projeto. Este framework assegura uma comunicação fluida, contínua e focada no objetivo do projeto.

5- Responsabilidade (ownership)

Muitos projetos no formato cliente/fornecedor, seja o cliente/ fornecedor áreas internas ou empresas independentes, enfrentam desafios relacionados à responsabilidade de cada área envolvida. No modelo tradicional, ocorrem muitas vezes situações da área cliente entregar uma especificação, participar de algumas reuniões intermediárias, mas verificar de fato o projeto ao seu final. Esta situação normalmente gera frustações de expectativas, desvios de custo, prazo e funcionalidades. No Scrum, a área cliente, representada normalmente pelo Product Owner, tem um papel fundamental na definição e priorização do backlog, ajustando a cada Sprint as funcionalidades de real valor a serem entregues. Isto gera senso de responsabilidade tanto da área cliente bem como do time de desenvolvimento. Na verdade, o que mais gosto no Scrum é que esta questão de área x e y deixa de ter sentido, uma vez que o time, PO e demais envolvidos estão focados no sucesso do projeto. Esta mágica ocorre por conta de um framework simples que assegura todos os pontos aqui mencionados, mas que exige mudança cultural e disciplina para adotar.

É por todas estas razões que decidimos adotar o método Agile, baseado em Scrum e outras práticas ágeis, em todos os projetos e serviços da CINQ. Esta foi uma decisão executiva baseada em percepções no ambiente de trabalho, na satisfação dos clientes e principalmente nos resultados tangíveis atingidos.

Carlos Alberto Jayme, Mestre em Ciência da Computação pela UTFPR, pós graduado em Marketing, Planejamento e Gestão de Negócios pela FAE Business School, Engenheiro Eletrônico e de Telecomunicações pela UTFPR e Sócio Fundador da CINQ Technologies (empresa global de Tecnologia da Informação atuante há 26 anos com projetos de desenvolvimento de software e outsourcing de TI nos mercados nacional e internacional e experiência de 10 anos de Cultura Agile Scrum com aproximadamente 500 projetos ágeis implementados em grandes empresas do Brasil e do mundo).

Tags, , , , , , ,

5 vantagens da alocação profissional em TI

Professional Services: Facilidade para expandir o time sem aumentar o Head Count e os custos fixos

Atualmente, um problema enfrentado por empresas que possuem setor de TI é a dificuldade em atrair e reter profissionais qualificados para a área. Isso acontece, principalmente, pela alta demanda de profissionais no mercado, além do fato de que muitos jovens veem no empreendedorismo uma nova oportunidade, optando por abrir suas próprias empresas.

Para solucionar esses e outros problemas, está cada vez mais comum a contratação de serviços de outsourcing para tecnologia da informação, que consiste na escolha de um fornecedor especialista na área de TI, com o intuito de alocar equipes de desenvolvimento no cliente, sob à gestão da empresa especializada em tecnologia da informação.

O Diretor de Gestão e Professional Services, da CINQ, Edson Althoff, conta-nos sobre o diferencial competitivo da alocação profissional em TI: “Nosso grande diferencial é o acompanhamento que fazemos junto aos colaboradores que estão prestando os serviços dentro das instalações dos nossos clientes. É muito importante que eles se sintam parte do time CINQ e, para isso, a coordenadora da área, Stephanie Garbelotti Lemos, faz reuniões com frequência determinada, para que possam alinhar toda e qualquer questão relacionada a expectativas, ambiente de trabalho, bem como outras necessidades diversas. Outro ponto importante, que também considero como diferencial, são as reuniões de feedback feitas com os nossos clientes através dos gestores dos recursos que estão alocados. Nessa oportunidade, buscamos entender se o profissional está atendendo a expectativa do cliente, bem como se existe alguma oportunidade de melhoria para o mesmo. ”

Essa tendência de outsourcing já vem sendo protagonizada há 26 anos pela CINQ Technologies, empresa do setor que oferta o serviço de Professional Services, recrutando profissionais qualificados para projetos e demandas específicas do cliente. Neste ínterim, a empresa aponta algumas vantagens da alocação profissional em TI:

1 – Foco em seu negócio: com a alocação de serviços de TI, os empresários e profissionais podem focar em atividades de desenvolvimento e crescimento do core business da empresa.

2 – Redução de custos: uma empresa especializada em TI consegue proporcionar serviços mais eficientes e com maior qualidade, bem como velocidade na utilização de novas tecnologias.

3 – Profissionais multidisciplinares: ao terceirizar, a empresa contratante conta com a convicção de que terá à disposição o profissional certo para determinado projeto, contanto com uma gama de conhecimento em diferentes ferramentas. Isso evita que seus profissionais não diversifiquem seu conhecimento a ponto de perderem a utilidade quando a tecnologia que dominam cair em desuso.

4 – Reduzir dificuldade com busca de profissionais: além de se preocupar com a busca pelo profissional mais adequado para a realização da atividade desejada, o serviço de outsourcing se preocupa com a gestão dessas pessoas, realizando acompanhamentos de desempenho.

5 – Não sobrecarrega o quadro: com a contração de serviços terceirizados, o quadro empresarial poderá focar em atividades estratégicas, valorizando o negócio principal da empresa, sem se preocupar com funções secundárias, os funcionários terão mais tempo para se dedicar ao que realmente interessa.

“Trabalhar na CINQ durante estes anos tem me proporcionado a oportunidade de atuar nos mais inovadores e desafiadores projetos. Desde o início sempre estive alocado em clientes e isto me proporcionou conhecer as mais variadas realidades, pessoas, tecnologias, necessidades e culturas, o que me levou a um crescimento profissional, técnico e pessoal gigantesco. A flexibilidade, a assistência e a proximidade entre colaboradores e gestão proporcionadas pela CINQ compõem um ambiente agradável e forte para se trabalhar e trazem essa segurança de fazer parte de algo sólido e maior” (Luiz Guilherme Heming, Analista de Desenvolvimento da CINQ, profissional alocado na Telefônica).

Para colaborar com empresas de diversos segmentos com profissionais especializados e qualificados nas principais plataformas e tecnologias de software, a CINQ Technologies conta com uma equipe qualificada de recrutadores, que estão sempre observando as tendências do setor e procurando os melhores profissionais. Conta também com um Programa chamado CINQTECH, que visa à aceleração do aprendizado tecnológico e é composto de nove iniciativas, que promovem três pilares: explore (explorar), learn (aprender) e develop (desenvolver) e já foi eleita por sete anos consecutivos como uma das Melhores Empresas para se Trabalhar do Brasil, pelo Great Place to Work.

Por fim, os profissionais alocados pela CINQ contam com um diferencial importante que é a experiência dos demais colaboradores da empresa e toda a base de conhecimento acumulada. Por se tratar também de uma empresa de projetos de software, os profissionais alocados podem consultar, a qualquer momento, os especialistas da CINQ nas várias linguagens e plataformas. Este é mais um ponto que gera em todos os colaboradores da empresa um senso de pertencimento e atitude colaborativa.

Para mais informações sobre o serviço de Professional Services da CINQ: https://www.cinq.com.br/professional-services/

Tags, , , , ,

Nove empresas do PR estão entre as melhores para trabalhar em TIC

Em uma parceria emtre o Instituto Great Place to Work e Computerworld, foram divulgadas, nesta semana, as 100 melhores empresas de TI e Comunicações para trabalhar no Brasil. Pelo quarto ano consecutivo, o Google ficou em 1º lugar. Nove empresas do Paraná estão entre as premiadas: GVT de Curitiba em 52º lugar; Cinq Technologies de Curitiba em 53º; Datacoper de Cascavel em 54º; DB1 de Maringá em 57º; Produtec de Maringá em 65º; HSBC Global Technology de Curitiba em 67º; EBS Sistemas de Curitiba em 75º; Pelissari Gestão e Tecnologia de Curitiba em 78º; e CISS de Dois Vizinhos em 93º . Veja lista completa do GPTW 2013 TI e Telecom.

Tags, , , , , , , , , , ,

CINQ Technologies ganha novamente prêmio do GPTW

A CINQ Technologies foi eleita a 15ª Melhor Empresa para se Trabalhar no Paraná e a 1ª no quesito Melhor Escolaridade do estado, de acordo com o Instituto Great Place to Work. O prêmio, divulgado na quarta-feira (12), reúne as 20 empresas com os melhores ambientes corporativos. O grande diferencial da pesquisa do GPTW é que ela escuta os próprios funcionários, além de avaliar as práticas de cada companhia.

Esta já é a terceira vez que a CINQ alcança um lugar em uma pesquisa do GPTW. Em 2011 e em 2012 a CINQ apareceu entre as Melhores Empresas Para Se Trabalhar em TI/Telecom e agora conquista um espaço entre as melhores empresas paranaenses. Para Barbara Ritzmann, Coordenadora de Gestão da CINQ, o prêmio é um reflexo da preocupação com o bem-estar dos colaboradores e o reconhecimento mostra que as diversas ações empreendidas dão um resultado cada vez mais satisfatório. Além disso, ela também acredita que uma equipe motivada gera melhorias até nos serviços oferecidos aos clientes. “Um dos principais benefícios do prêmio é motivar o time. Mais do que um foco em metas e resultados, o nosso foco é em pessoas. Trabalhamos para oferecer um bom ambiente aos nossos colaboradores.”, explica Barbara.

O Instituto Great Place to Work é uma consultoria especializada, que atua em mais de 45 países. Suas pesquisas são realizadas com mais de 10 milhões de colaboradores dos seis continentes, formando assim o mais respeitado estudo em ambientes de trabalho.

Tags, ,

Cinq lança solução mobile em evento do Gartner nos Estados Unidos

A vigésima segunda edição do Gartner Symposium ITxpo, mais importante encontro de executivos e CIOs do mundo, acontecerá na cidade de Orlando (Florida/EUA) entre os dias 21 e 25 de Outubro de 2012. Mais de 8.000 mil executivos de TI são esperados para o evento, sendo que aproximadamente 2.400 são CIOs de grandes companhias globais, incluindo as brasileiras Petrobrás, TV Globo, Carrefour Brasil e Itau BBA.
Com o tema “Focus. Connect. Lead”, o evento discutirá as principais tendências da Tecnologia da Informação – cloud, social e mobile –, explorando o impacto desses novos modelos de negócio no mercado. Definir como essas tecnologias podem auxiliar as empresas na redução de custos e na diferenciação competitiva é o objetivo do Gartner Symposium ITxpo 2012.
Entre as expositoras do evento está a brasileira CINQ Technologies, empresa CMMI-3 especializada em soluções inovadoras de TI para o mercado nacional e internacional. Alinhada às tendências tecnológicas discutidas no evento, a empresa lançará no Gartner um produto que acelera o desenvolvimento e facilita a manutenção de soluções mobile, o CINQ Mobile Development Accelerator (CINQ MDA).
Composto por três módulos principais, o CINQ MDA oferece agilidade e autonomia aos clientes. O primeiro módulo – CINQ Catalog App Engine – corresponde a uma plataforma para o rápido desenvolvimento de aplicativos mobile. Já o segundo módulo – CINQ Digital Asset Management – é um sistema Cloud CMS que permite a manutenção do conteúdo dos apps via web browser. Assim, é possível alterar, adicionar e apagar conteúdos sem conhecimentos prévios em programação. Por fim, o CINQ MDA apresenta um sistema de coleta de dados crowdsourcing – CINQ Crowdsourcing Collector -, permitindo que um ilimitado número de pessoas colete, de qualquer lugar através de um dispositivo móvel, novos conteúdos para os aplicativos de destino.
Segundo Carlos Alberto Jayme, diretor de Marketing e Vendas da CINQ Technologies, o CINQ MDA foi concebido para suprir uma demanda crescente de soluções que envolvem mobilidade, cloud e conteúdo colaborativo. “Para ilustrar um exemplo de aplicação do CINQ MDA, podemos citar uma imobiliária que disponibiliza um app para consulta de seus imóveis. O conteúdo deste app pode ser gerenciado tanto pela imobiliária, através do CINQ Digital Asset Management, quanto pelos corretores de imóveis em campo, por meio do CINQ Crowdsourcing Collector”, comenta Jayme.
A CINQ Technologies participará do Gartner Symposium ITxpo 2012 junto à comitiva do Brasil IT+, programa do Softex que visa fomentar a indústria de Tecnologia da Informação, apoiar a internacionalização das empresas e atrair investimentos para o país. Fernado Cariello, consultor responsável pela participação do Brasil IT+ no Gartner, comenta que “participar deste encontro é estar na vitrine do que há de melhor em TI no mundo”.

Tags,

Aplicativo para facilitar compras de turistas brasileiros no exterior é disponibilizado gratuitamente por tempo limitado

Fazer compras é a prioridade dos brasileiros em viagens ao exterior. Segundo o índice de despesas internacionais do Banco Central (BC), no ano passado consumidores gastaram US$ 21,2 bilhões fora do país, cerca de 30% a mais que em 2010. No primeiro semestre deste ano, os gastos externos de brasileiros totalizaram US$ 10,702 bilhões.

Vestuário e acessórios estão na lista de produtos mais adquiridos, sendo que o destino preferido para a compra desses itens é a Europa. Segundo a Value Retail, empresa especializada na criação de villages outlet de luxo na Europa, cada brasileiro gasta, em média, 295 euros com roupas e acessórios a cada visita aos outlets da rede.

Com o objetivo de facilitar as compras de roupas e calçados no exterior, a empresa CINQ Technologies está disponibilizando gratuitamente, entre 06/09/2012 e 14/09/2012, o aplicativo Right Size. Disponível para iPhone, iPad e iPod Touch, o aplicativo converte medidas de roupas e calçados entre várias regiões do mundo, como Brasil, Estados Unidos, Europa, Reino Unido, Argentina e Japão. O Right Size é um dos poucos conversores de medidas internacionais que considera as medidas brasileiras.

Além de converter as medidas de forma rápida, o aplicativo salva um histórico de contatos para cada peça de roupa, de acordo com seu país de origem, facilitando futuras consultas. O Right Size já foi vendido para mais de 15 países e considerado pela Revista Superinteressante um dos melhores aplicativos na categoria “Viagem”, no Guia dos Melhores Aplicativos.

O download gratuito do aplicativo Right Size pode ser feito através do link http://itunes.apple.com/app/right-size/id397550141?mt=8 até 14/09/2012

Tags, , , ,

Pesquisas apontam forte participação da tecnologia mobile no futuro do setor aéreo

De acordo com o Air Transport IT Trends Hub, relatório anual que resume os dados das pesquisas realizadas pela SITA, a tecnologia mobile ganhará destaque no setor aéreo nos próximos anos. (A SITA, empresa com mais de 60 anos de trajetória, é líder mundial em comunicação e soluções de TI para transporte aéreo.). O relatório da SITA pode ser acessado através do endereço http://www.sita.aero/knowledge-innovation/industry-surveys-reports/it-trends-hub.

Pesquisas realizadas em 2011 mostraram que no ano de 2015 serviços como atendimento aos passageiros e vendas de passagens aéreas tendem a ser predominantemente realizadas através dos smartphones. 91% dos entrevistados acreditam que o smartphone será o canal mais utilizado entre clientes e companhias aéreas, número que indica a importância que os aplicativos mobile terão neste segmento de mercado. Quando questionados sobre o embarque com cartões de embarque mobile, 71% dos entrevistados afirmaram que gostariam de usar essa ferramenta. Em 2010, essa porcentagem era de 37%.

As estatísticas do Air Transport IT Trends Hub foram apresentadas aos participantes do Air Transport IT Summit 2012, evento organizado pela SITA que ocorreu em Bruxelas nos dias 20 e 21 de junho. A CINQ Technologies, empresa brasileira especializada em desenvolvimento de soluções mobile e uma das patrocinadoras do evento, levou ao Air Transport IT Summit um POC do “Find My Luggage”, aplicativo que faz o rastreamento de bagagens a partir do tamanho, da cor e de um dispositivo Bluetooth colocado na bagagem, informando ao usuário se sua mala está se aproximando quando colocada nas esteiras dos aeroportos.

Segundo Carlos Alberto Jayme, diretor de Marketing e Vendas da CINQ, os passageiros clamam por soluções que facilitem suas vidas nas viagens. “Os smartphones possuem grande poder de conectividade, processamento e possuem dispositivos importantes de localização, câmera, bluetooth, NFC. Com todo este aparato é possível criar soluções que sejam úteis para os passageiros, tripulação e funcionários em terra. Dentro da escola do ‘design thinking’ e partindo-se de ponto de vista dos usuários é que estamos criando soluções mobile para este setor”, afirma o diretor.

Tags, , , ,