Tag casa própria

Santander inicia contratação online de crédito imobiliário

O Santander acaba de lançar uma plataforma que oferece aos clientes a possibilidade de contratar o crédito imobiliário online, do início ao fim do processo. Os interessados podem simular, aprovar o crédito, enviar os dados e os documentos necessários pelo celular ou computador. Só será necessário ir à agência no momento da assinatura do contrato, já que é necessário registrar o contrato no Cartório de Imóveis competente. Com isso, estima-se que o prazo médio para a finalização do processo cairá dos atuais 60 dias para apenas 30.

Além disso, os interessados conseguem acompanhar o andamento de cada etapa do contratação – simulação, análise de crédito, análise técnica, contrato e liberação de recursos – pelo Internet Banking ou diretamente no aplicativo do Santander. O cliente será informado, por e-mail ou SMS, se precisa enviar documentos, quais os avanços no processo e o que falta para que o recurso seja liberado mais rapidamente.

O sistema ainda permite a conexão entre canais, em qualquer etapa do negócio. “É possível iniciar o processo em uma agência, por exemplo, e dar andamento nos canais eletrônicos, de uma forma sempre simples e intuitiva”, explica Gilberto Abreu, diretor de crédito imobiliário do Santander. Esse conceito é conhecido como autoservice, e tende a dar mais fluidez à contratação do crédito, já que o cliente é avisado online dos prazos para o envio da documentação.

Retomada do mercado

O lançamento faz parte de um movimento mais amplo do Santander, de incentivo à retomada do crescimento do crédito imobiliário no País. No início deste mês, o Banco anunciou redução dos juros anuais do financiamento imobiliário. Para ter acesso às taxas diferenciadas, é necessário ser cliente pessoa física Santander com relacionamento e optar pelo pagamento do empréstimo em parcelas atualizáveis (SAC). Pelo Sistema Financeiro da Habitação (SFH), os juros passam a ser de 9,49%+TR ao ano, e, para Carteira Hipotecária (CH), 9,99%+TR anuais.

Nestas condições, o Banco financia imóveis usados com valores de R$ 90 mil a R$ 950 mil (DF, MG, RJ e SP, pelo SFH) e acima de R$ 950 mil (DF, MG, RJ e SP, pela CH). Já nos demais Estados, o valor de imóvel usado é de até R$ 800 mil. Para imóveis novos (com até 180 dias de habite-se ou com prazo superior a 180 dias, desde que não tenha sido habitado ou alienado), o limite para uso do FGTS é de até R$ 1,5 milhão, independentemente do Estado.

“Seremos os promotores da virada do mercado de crédito imobiliário neste segundo semestre” afirma Gilberto Abreu, diretor executivo de Negócios Imobiliários e Investimentos. “O banco aproveitou o período de retração do segmento e se antecipou para se posicionar de forma mais competitiva, com pioneirismo.”

Tags, , , , ,

Pokémon Go chega ao mercado imobiliário com o VivaReal

view.aspx

Os brasileiros aguardam ansiosos a febre que tomou conta do mundo, o Pokémon Go. No mercado imobiliário brasileiro, o VivaReal, plataforma digital que conecta imobiliárias, incorporadoras e corretores com consumidores que buscam um imóvel, é a primeira empresa a integrar a experiência de encontrar a casa dos sonhos com o jogo. Ao fazer uma busca no aplicativo, os consumidores poderão ver se perto do imóvel onde querem morar existem Ginásios Pokémons e PokéStops. Ao encontrar esses locais no Pokémon Go, os jogadores podem batalhar e pegar itens que os ajudarão durante o jogo.

“Na hora de comprar um imóvel é comum as pessoas buscarem por locais como parques, hospitais e escolas na vizinhança. Agora o aplicativo do VivaReal possibilita a busca por outros locais, como Ginásios Pokémons e Pokéstops, trazendo a realidade virtual ao mundo real. Esta tendência já acontece em diversas partes do mundo e pode representar uma mudança comportamental na forma como as pessoas se relacionam com a localização na hora de comprar o imóvel”, afirma Mariana Ferronato, Diretora de Marketing do VivaReal. Para ver se a casa ou apartamento é perto de Ginásios Pokémons ou PokéStops, os consumidores precisam apenas entrar no anúncio do imóvel e clicar no mapa de localização. Junto com pontos de interesse como transporte público, parques, museus, farmácias, hospitais, mercados e padarias, aparecerão os Ginásios Pokémons e PokéStops.

Para os profissionais do mercado imobiliário, a novidade pode ajudar na hora de fechar o negócio. Pesquisas feitas pelo VivaReal indicam que metade das pessoas que buscam imóveis procuram via mobile. A localização é um dos fatores que consideram mais relevantes na hora de escolher uma casa ou apartamento. Só perde para o preço. Imóveis com o endereço completo geram 83% a mais de contatos. “Os corretores e construtoras devem ficar atentos às novidades como o Pokémon Go. O mercado pode usar o jogo para realizar ações de marketing que chamem a atenção dos consumidores e assim atrair mais interesse aos anúncios”, completa Mariana. Com a novidade do VivaReal, profissionais do mercado imobiliário também adicionaram aos anúncios informações de quantas PokéStops e Ginásios Pokémons existem próximos aos imóveis. A atualização do aplicativo do VivaReal com o filtro Pokémon já está disponível na versão para Android e nos próximos dias será lançada para iOS. Pokémon Go estreará em breve no Brasil.

Veja no vídeo como o VivaReal integrou o Pokémon Go no seu app:

Tags, , , , ,

Aumento do limite do financiamento de imóvel: o que muda?

Por falta de verba, a Caixa Econômica Federal havia decidido que só poderia ser financiado no máximo 50% do imóvel usado, no primeiro semestre do ano passado. Com a volta de recursos para a habitação, a instituição aumentou para 70% aos trabalhadores do setor privado e para 80% aos do setor público. A mudança entra em vigor a partir do final de março.

A medida vale para imóveis usados financiados dentro do Sistema Financeiro de Habitação (SFH). O real objetivo é aquecer o mercado imobiliário, que está em uma crise grande já há algum tempo. O próprio presidente do Secovi-SP, Flavio Amary, informou recentemente que os lançamentos e as vendas de imóveis devem cair para patamar ainda menor ao longo deste ano.

Para o presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros, Reinaldo Domingos, a notícia é positiva, porém não tira a obrigação de um bom planejamento. “Antes de qualquer coisa, a pessoa que pensa em comprar sua casa própria precisa ter total ciência da sua vida financeira. É ótimo poder financiar a maior parte, mas é de extrema importância que não se deixe levar pela ansiedade e impulsividade. É preciso analisar minuciosamente as finanças, fazer simulações, etc.”.

Pode parecer óbvio, mas muita gente não tem o controle dos seus ganhos e gastos e não se programa para ver se realmente consegue honrar com um compromisso de alto valor e longo prazo como esse. Somente com esses números em mãos é que é possível avaliar se dá ou não para realizar essa aquisição.

Domingos ressalta que outro ponto que deve ser levado em consideração é a atual instabilidade política e econômica do país. “Estamos passando por um momento complicado; é preciso ter confiança extra nas finanças pessoais, estar bem estruturado, ter dinheiro poupado e segurança de que não perderá a renda – ou que, caso venha a perder, tenha reserva financeira para suportar esse contratempo e não comprometer seriamente o orçamento e os planos”.

Para quem já compreendeu essa situação e minimamente se programou para a realização desse sonho, pode ser sim uma boa ideia buscar um imóvel nesse momento. “A chave do negócio é ter cautela e buscar o máximo de informação possível, não apenas saber sobre a própria situação financeira – respeitando ao máximo o padrão de vida –, como também entender as taxas de juros praticadas no financiamento do SFH, por exemplo. Ter conhecimento geral é o que vai levar a tomar a melhor decisão”, explica o educador financeiro.

Para aqueles que não possuem dinheiro agora ou nem sequer estavam com planos de comprar um imóvel, não adianta querer adquirir um bem desse valor somente porque a situação parece estar favorável. “Não estamos falando de uma peça de roupa em promoção. O momento exige educação financeira, para agir com consciência e sustentabilidade. A melhor alternativa sempre é poupar antes e gastar depois”, finaliza.

Tags, , , , ,

Passos importantes na hora de comprar a casa própria

De acordo com a pesquisa da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), divulgada em maio deste ano, a alta do preço dos imóveis – 2,98% – está abaixo da inflação no acumulado de 2014 – 3,32% –, segundo o índice FipeZap. Mas, antes de sair correndo para fechar negócio, é preciso ter cautela e avaliar bem a situação financeira em que se encontra.

Se a realização do sonho da casa própria já estava nos planos, é preciso pensar em qual a melhor forma de comprar um imóvel. Comprar à vista, sem dúvida nenhuma, é um ótimo negócio, pois não paga juros e também tem a vantagem de conseguir um bom desconto na maioria das vezes.

Mas, ainda assim, é preciso estar ciente de que há gastos extras que representam uma alta quantia, com taxas cartoriais e bancárias, além de itens como mudança, condomínio e mobília, por exemplo. As famílias não pensam nesses aspectos e acabam se endividando.

Entretanto, sabemos bem que pagar à vista é a realidade de uma minoria. Então, uma boa alternativa para quem não tem urgência em mudar e tem disponibilidade de uma verba de investimento mensal é o consórcio. Neste caso, se pagará menos e, se tiver sorte, poderá ser sorteado e ganhar a casa rapidamente, além de também poder economizar para dar um lance.

Depois dessas opções, vem o financiamento, que também é uma opção de compra interessante, mas faço um adendo: ao comprar uma casa financiada, é preciso ter ciência de que se estará firmando um compromisso mensal. A orientação que sempre dou para poupar é fazer uma estimativa dos gastos totais, avaliar quanto falta para atingir o montante e diagnosticar quanto pode ser guardado por mês para dar conta das despesas.

Também é fundamental ter em mente que, escolhendo essa modalidade, se estará contraindo uma dívida de valor, que deverá ser honrada mensalmente. Além disso, é importante saber que existem os juros que, somados ao longo do contrato, podem significar o pagamento de até duas ou três casas.

No caso de pagar aluguel, o financiamento pode ser uma ótima alternativa, deixando de pagar esse valor sem retorno futuro para pagar a prestação de algo que será seu. Se a pessoa não pagar aluguel, uma ótima alternativa é guardar o valor da prestação do financiamento, em qualquer tipo de investimento conservador, assim, em sete ou oito anos poderá comprar a casa à vista e não pagar juros. É preciso entender que, com o dinheiro aplicado, os juros trabalham a seu favor, enquanto que, no financiamento, se paga juros.

Um grande problema enfrentado para a realização do sonho de uma casa própria, são as dívidas sem valor, aquelas contraídas nas compras de produtos e serviços que muitas vezes não agregam valor. Estas acabam desequilibrando o orçamento financeiro mensal e com isso perde o foco no bem de valor que é a casa.

Veja alguns passos para se adquirir uma casa própria:

1. Reúna a família e converse sobre este tema, definindo o lugar, valor e as reais condições que se encontram.

2. O melhor caminho para adquirir é poupar parte do dinheiro que se ganha, faça uma simulação em qualquer banco de quanto custaria a prestação deste imóvel e comece a guardar um investimento conservador como poupança, CDB ou tesouro direto.

3. Analise o valor do aluguel que está pagando e se for o mesmo valor da prestação de um financiamento, poderá ser uma opção financiar o imóvel.

4. Lembre-se que o financiamento de um imóvel é considerada dívida de valor, por isso deve ser protegida e garantida antes de sair pagando as despesas mensais.

5. Cuidado com o valor do imóvel que comprará e veja se o seu valor se encaixa no seu verdadeiro padrão de vida, muitas vezes não respeitamos nosso padrão.

6. Tenha sempre uma reserva estratégica. Em caso de qualquer eventualidade, não deixará de honrar este importante compromisso.

7. Caso não esteja conseguindo pagar a prestação da casa própria é preciso rever imediatamente os gastos, em especial as pequenas despesas que somadas podem levar uma família ao desequilíbrio financeiro.

8. Nunca se esqueça que um novo imóvel demanda novos custos, como mobiliário novo, condomínio, taxas de transferência, etc.

9. Outro ponto a ser levando em conta é o custo de vida da região em que irá mudar, que pode se elevar. Também se preocupe com gastos com transporte.

Reinaldo Domingos, educador financeiro, presidente da DSOP Educação Financeira e da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin), autor dos livros Terapia Financeira, Eu mereço ter dinheiro, Livre-se das Dívidas, Ter Dinheiro Não Tem Segredo, das coleções infantis O Menino do Dinheiro e O Menino e o Dinheiro, além da coleção didática de educação financeira para o Ensino Básico, adotada em diversas escolas do país.

Tags, , ,

Evite problemas na compra de imóveis na planta

Com o mercado imobiliário em alta, também são numerosos os casos de problemas nas transações de compra e venda de imóveis ainda na planta. Para que o consumidor não enfrente complicações na realização do sonho do imóvel próprio é importante seguir orientações de especialistas.

De acordo com o professor da Faculdade de Direito de São Bernardo do Campo e advogado especializado em direito imobiliário, Pedro Marini Neto, entre os problemas que podem ocorrer na compra de imóveis na planta estão: a não realização do empreendimento, que pode não sair do chão; o custo final pode superar o inicialmente estimado; a construtora pode deixar o empreendimento; o apartamento futuro pode ser utilizado para pagar os pedreiros ou o banco; o apartamento pode ser desvalorizado; o valor do condomínio pode ficar muito alto.

De acordo com o advogado, uma das principais medidas para evitar problemas é conferir se o empreendimento e o vendedor estão em situação regular. “É preciso verificar se quem está vendendo é realmente dono. Se for pessoa jurídica, a análise também deve recair sobre a pessoa dos sócios, principalmente se a data de constituição for recente, bem como proprietários anteriores até pelo menos dez anos. A existência de antecedentes negativos indicam a probabilidade grande de problemas futuros”, explica. O especialista destaca que também é necessário averiguar se o empreendimento está regularizado na prefeitura, no registro de imóveis, na Cetesb e se o memorial descritivo confere com o projeto aprovado (unidades, vagas de garagens, quadro de áreas, etc).

Em relação ao contrato, o professor da FDSBC indica que é preciso sempre ficar atento aos seguintes pontos: prazo de entrega e garantia; itens do projeto (elétrica, hidráulica, metais, armários, revestimentos); termo inicial de despesas propter rem (condomínio e IPTU); responsabilidade e custeio da instituição do condomínio e obras finais de decoração; existência de parcelas intermediárias; exigência para o momento da entrega das chaves; garantias exigidas para o pagamento pós-chaves, entre outros.

“Antes de tudo contrate um bom advogado especializado na área. Caso envolva o financiamento bancário, um matemático financeiro com conhecimento em tabela price e outras modalidades de cálculo de juros será útil”, declara o professor sobre a decisão de comprar um imóvel.

Tags,

Feirão Caixa da Casa Própria movimenta R$ 4,6 bilhões em negócios no primeiro fim de semana

O primeiro fim de semana do 9º Feirão CAIXA da Casa Própria movimentou mais de R$ 4,6 bilhões e registrou 30.250 negócios assinados e encaminhados. Entre os dias 03 e 05 de maio, as cidades de São Paulo e Fortaleza receberam o evento. A capital paulista contabilizou R$ 3,2 bilhões em negócios, e recebeu mais de 52 mil visitantes. Já a capital cearense registrou R$ 1,48 bilhão de contratos e mais de 26 mil visitantes.

O evento deste ano apresenta novidades para quem quer comprar a casa própria. O banco está oferecendo pagamento da primeira prestação somente em janeiro de 2014 para as contratações de financiamento imobiliário realizadas durante o período do Feirão, nos meses de maio e junho.

A condição é válida para financiamentos com recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE), adquiridos no Feirão ou em uma das agências da CAIXA.

Próximos eventos:
De 17 a 19 de maio, será a vez de Curitiba (PR), Uberlândia (MG), Rio de Janeiro (RJ), Salvador (BA) e Brasília (DF) receberem o 9º Feirão CAIXA da Casa Própria. De 24 a 26 de maio, o evento será Belo Horizonte (MG), Porto Alegre (RS) e Florianópolis (SC) e, por fim, de 14 a 16 de junho nas cidades de Belém (PA), Campinas (SP) e Recife (PE). Considerado o maior evento do setor, o Feirão CAIXA da Casa Própria, em sua nona edição, está oferecendo mais de 400 mil imóveis.

Tags, , ,

Dicas para comprar casa própria sem dívidas

A realização do sonho da casa própria nunca foi tão real para milhões de brasileiros, principalmente com facilitadores, como o programa Minha Casa Minha Vida, mesmo com isso, é sabido que o déficit habitacional já era e continua sendo um dos grandes problemas para as famílias brasileiras.

Isto é decorrência de um problema histórico, e dentre os pontos que levaram a ele está a falta de educação financeira. Pois, culturalmente, desde nossos primeiros ganhos sempre aprendemos a consumir e nunca à poupar, e quando poupa somente pensa à curto prazo e não a médio e longo prazo, com isso as alternativas para que este sonho seja uma realidade fica restrita ao financiamento pelo sistema de habitação.

Financiar uma casa própria é uma ótima alternativa, entretanto, é fundamental saber que com ela se estará contraindo uma dívida de valor. Que deverá ser honrada mensalmente. Também é necessário ter em mente que quando se faz um financiamento existem os juros que, somados ao longo do contrato, podem significar o pagamento de duas até três casas.

No caso de pagar aluguel, o financiamento pode ser uma ótima alternativa, deixando de pagar esse valor sem retorno futuro para pagar a prestação de algo que será seu. Se a pessoa não pagar aluguel, uma ótima alternativa é guardar o valor da prestação do financiamento,em qualquer tipo de investimento conservador, assim, em sete ou oito anos poderá comprar a casa à vista e não pagar juros. É preciso entender que o dinheiro aplicado rende juros, enquanto que o financiamento se paga juros.

Um grande problema enfrentado para a realização do sonho de uma casa própria, são as dívidas sem valor, aquelas contraídas nas compras de produtos e serviços que muitas vezes não agregam valor. Estas acabam desequilibrando o orçamento financeiro mensal e com isso perde o foco no bem de valor que é a casa.

Veja alguns passos para se adquirir uma casa própria:
1. Reúna a família e converse sobre este tema, definindo o lugar, valor e as reais condições que se encontram.
2. O melhor caminho para adquirir é poupar parte do dinheiro que se ganha, faça uma simulação em qualquer banco de quanto custaria a prestação deste imóvel e comece a guardarem um investimento conservador como poupança, CDB ou tesouro direto.
3. Analise o valor do aluguel que está pagando e se for o mesmo valor da prestação de um financiamento, poderá ser uma opção financiar o imóvel.
4. Lembre-se que o financiamento de um imóvel é considerada dívida de valor, por isso deve ser protegida e garantida antes de sair pagando as despesas mensais.
5. Cuidado com o valor do imóvel que comprará e veja se o seu valor adéqua-se a seu verdadeiro padrão de vida, muitas vezes não respeitamos nosso padrão.
6. Tenha sempre uma reserva estratégica, em caso de qualquer eventualidade não deixará de honrar este importante compromisso
7. Caso não esteja conseguindo pagar a prestação da casa própria é preciso rever imediatamente os gastos, em especial as pequenas despesas que somadas podem levar uma família ao desequilíbrio financeiro.

Reinaldo Domingos, Educador e Terapeuta Financeiro, autor dos livros Terapia Financeira, Livre-se das Dívidas, O Menino do Dinheiro – Sonho de família, O Menino do Dinheiro – Vai a escola, Ter Dinheiro não tem segredo, O Menino o dinheiro e os três cofrinhos e da primeira Coleção Didática de Educação Financeira para o Ensino Básico, Presidente do Instituto DSOP de Educação Financeira, www.dsop.com.br

Tags, , , ,

Caixa reduz juros do crédito imobiliário em até 21%

Novas taxas serão praticadas a partir do Feirão da Casa Própria deste ano

A Caixa Econômica Federal reduziu as taxas de juros do financiamento imobiliário para todos os clientes, dentro do Programa CAIXA Melhor Crédito. A redução pode chegar a até 21%, sobre a taxa de juro efetiva, nas condições do Sistema Financeiro de Habitação (SFH). As novas taxas valerão para os novos financiamentos, contratados a partir do início do 8º Feirão.

As taxas caem para todos os clientes, independentemente do relacionamento, e caem ainda mais para aqueles que optarem por ser clientes da CAIXA.

Para imóveis de até R$ 500 mil, dentro do SFH, os juros passam de 10% a. a. para 9% a. a. para todos os clientes. Com relacionamento e conta salário a taxa cai ainda mais, para 7,9% a.a.

Todo cliente, independentemente de relacionamento com o banco, em um financiamento de R$ 200 mil reais, por exemplo, economizará cerca de R$ 1800 na prestação no primeiro ano, e um total de mais de R$ 18 mil em um contrato de 20 anos, por exemplo.

Se o cliente for financiar o imóvel de até R$ 170 mil, nas regras do FGTS, e possuir relacionamento e conta salário na CAIXA, a taxa máxima cai dos atuais 8,4% a.a. para 7,9% a.a. E cairá para 7,4% a.a. se o cliente for também cotista do FGTS, inclusive para os financiamentos enquadrados no Programa Minha Casa Minha Vida (PMCMV), na faixa de renda acima de R$ 3.100.

A economia para um financiamento de R$ 100 mil, por exemplo, dentro das regras do FGTS, será de R$ 450 no primeiro ano e de cerca de R$ 7 mil, em 30 anos.

Para imóveis fora do SFH (valor superior a R$ 500 mil), as taxas também caem, de 11% a.a. para 10% a.a. para todos os clientes. Com relacionamento e conta salário, o juro cai ainda mais, para 9% a.a.

Em um financiamento de R$ 600 mil, feito fora do SFH, o cliente economizará em 20 anos, mais de R$ 5.600 no primeiro ano e mais de R$ 54 mil no total.

Para o vice-presidente de Governo e Habitação da CAIXA, José Urbano Duarte, “o lançamento do Programa Caixa Melhor Crédito e a considerável redução da taxa de juros nos produtos comerciais, geraram forte expectativa do mercado sobre novas taxas também no crédito imobiliário, que não poderia ficar à margem. A redução veio e permitirá que as famílias comprem imóveis ainda melhores e em condições mais vantajosas”, analisou.

As novas condições para financiamento habitacional vigorarão em todas as agências também para os contratos celebrados a partir do dia 4 de maio de 2012, data de abertura do 8º Feirão da CAIXA.

Tags, , , ,