Tag Axis Communications

Tecnologia detecta drones invasores

As empresas Dedrone e Axis Communications demonstraram nesta quarta-feira, 4 de outubro, em São Paulo (SP), uma tecnologia capaz de evitar o uso de drones para fins criminosos, como a obtenção de segredos industriais, a entrega de objetos para presidiários e a violação da privacidade. A demonstração marcou o uso inovador de câmeras de vigilância para identificar um drone se aproximando de um prédio comercial, complementado a tecnologia DroneTracker.

O software DroneTracker usa uma combinação de sensores de frequência de rádio (RF) e Wi-Fi para detectar a presença de drones nas imediações, além de poder identificar o ponto exato de onde ele está sendo controlado (piloto). Isso permite descobrir quem está controlando o equipamento e quais suas intenções. O software também usa as câmeras de monitoramento da Axis para detectar e visualizar em alta definição o drone e seguir seus movimentos dentro do espaço aéreo, gerando um registro visual de todo o ocorrido.

Na prática, drones podem voar controlados por um piloto, usando radiofrequência detectada pelo sensor da Dedrone, ou de forma autônoma através de coordenadas de GPS. Nesse último caso, as próprias câmeras da Axis detectam a presença e geram alertas que aparecem na hora até mesmo em dispositivos móveis, como o Apple Watch.

Com o tempo, a tecnologia se mantém atualizada. Isso porque o DroneTracker é uma plataforma de aprendizagem de máquinas, permitindo que a Dedrone atualize continuamente o software e assegure que seus recursos de verificação sejam efetivos em encontrar todas as ameaças dos drones. Quando um drone não autorizado entra em espaço aéreo protegido, o DroneTracker envia automaticamente um alerta e pode acionar uma medida de proteção.

“Hoje em dia, não basta proteger com muros e câmeras a área que contorna uma escola, um presídio ou um condomínio, algo que a Axis já faz com excelência. O espaço aéreo se tornou vulnerável à presença de drones, e é preciso expandir a proteção do perímetro para um alcance tridimensional”, explica Paulo Santos, Gerente de Soluções da Axis Communications.

Parcerias

A Dedrone desenvolveu o primeiro software mundial para detectar drones. Explica Robson Augusto, Gerente de Vendas da empresa para América Latina, também comemorou a demonstração da tecnologia numa região desafiadora do ponto de vista técnico pela proximidade com a Avenida Paulista, que sofre interferências de radiofrequência e concentra muitos edifícios. “A Dedrone fez parceria com a Axis para garantir que nossos clientes possam acessar os melhores sensores e combiná-lo com o software que é líder mundial na detecção de drones”.

Na América Latina, a Dedrone é representada pela Techshield, que saiu na frente nesse mercado e participou da demonstração nesta quarta-feira. “A Techshield é pioneira em proteção do espaço aéreo, incluindo a prevenção de ataques cibernéticos (cybersecurity), riscos que aumentam exponencialmente com o crescimento da presença de drones”, alerta Gustavo Vicentini, CEO da TechShield.

Para obter mais informações sobre Dedrone e o sistema de software DroneTracker, visite www.dedrone.com

Tags, , , , ,

Cinco tecnologias que vão impactar o trânsito nas grandes cidades

unnamed (48) Diariamente em uma cidade como São Paulo, por exemplo, perde-se em média, 2h58 minutos no trânsito. A pesquisa, feita pelo Ibope Inteligência entre agosto e setembro do ano passado, mostrou que 52% dos entrevistados gastam pelo menos 2 horas por dia em seus deslocamentos na maior cidade do país. Esse tempo parado provoca impacto na qualidade de vida das pessoas, no nível de poluição e na dinâmica da economia. Em muitas cidades, a demanda por soluções de mobilidade urbana é urgente, e já existem algumas tecnologias inovadoras que prometem tornar mais inteligente a gestão desse trânsito.

A tecnologia pode ser a principal aliada dos governantes. Paulo Santos, gerente de soluções para o setor Enterprise da fabricante sueca Axis Communications, lista as principais apostas do mundo da tecnologia para a melhoria do trânsito nos próximos anos.

Leitura de placas – A leitura ou reconhecimento de placas é uma ferramenta capaz de identificar veículos que não atendam a uma exigência, como carros não-inspecionados que podem quebrar com mais frequência ou poluir o ambiente em níveis fora do padrão. Também é possível criar um cinturão em áreas específicas, como o centro de uma cidade, para que somente os carros de moradores possam circular ali em determinados dias.

Controle de Semáforos – Em um cruzamento, os semáforos podem operar para que o trânsito flua de maneira mais inteligente. Câmeras de videomonitoramento podem, além de registrar a via para fins de segurança, estar conectadas aos semáforos e atuar como sensores que detectam a presença de veículos e controlam o semáforo de acordo com o volume de veículos. Se não há mais carros passando, o sinal fecha nessa via e abre na outra, onde já se acumulam alguns veículos.

Estudos de Tráfego – Qual o fluxo de veículos numa determinada avenida? Passam ali muitos ônibus e caminhões? Haveria melhora se o sentido fosse invertido? Qual o melhor horário para realizar obras numa rua específica? Essas e outras questões dependem do conhecimento sobre o fluxo na região, e esse conhecimento pode ser embasado em dados concretos. As ruas mais estratégicas podem contar com estatísticas detalhadas do número de veículos a cada minuto para ações de curto prazo ou para um planejamento mais estratégico.

Faixas exclusivas – Em algumas avenidas, faz sentido criar faixas dedicadas exclusivamente a ônibus e taxis, ou deixar os caminhões circularem somente nas faixas da direita, ou ainda criar faixas para motos e bicicletas. Toda essa organização pode ser verificada pelas câmeras, em horários determinados pelos gestores de trânsito. A regra, por exemplo, pode ser válida apenas para determinados horários.

Monitoramento remoto – Muitas prefeituras que já possuem câmeras IP de alta resolução para apoiar a segurança estão usando os mesmos equipamentos para verificar o cumprimento de regras de trânsito, como o uso de cinto de segurança ou o uso de vagas para idosos, mesmo sem um agente de trânsito por perto. Caso um veículo estacione em local proibido, como numa rua movimentada atrapalhando o trânsito, o agente na central de controle pode dar zoom, verificar a placa e emitir uma multa. Além disso, as câmeras podem detectar automaticamente a ocorrência de um acidente, e dar um alerta imediato aos gestores. Isso reduz o tempo de interrupção da via.

Tags, ,