Category treinamentos

Machine Learning e Deep Learning transformam máquinas em aliadas na capacitação profissional

Segundo estudo encomendo pela Fujitsu, multinacional japonesa, divulgado no final do ano passado, até 2025 a inteligência artificial (IA) deverá impactar significativamente o ambiente de trabalho, principalmente, em relação ao ambiente físico (como escritórios, por exemplo), que podem sumir nos próximos oito anos. Ainda de acordo com o levantamento, a tendência é que a IA faça com que os colaboradores dediquem-se cada vez mais a tarefas com alto valor agregado para as empresas e menos em funções técnicas e repetitivas, como. Outra pesquisa, desenvolvida pela IDC Research, aponta que, hoje, aproximadamente, 40% da força de trabalho mundial já é mobile.

“Não há como escapar, vivemos cercados por máquinas e o tempo anda cada vez mais escasso. A soma desses fatores reforça a necessidade de dar ao colaborador a liberdade de realizar seus treinamentos quando e onde puderem e, por que não, com a ajuda do seu celular”, comenta o country manager da Learning Tribes do Brasil, Pierre-Jean Quetant.

Para o especialista, duas tecnologias são aliadas dos treinamentos corporativos mobile: o machine learning e o deep learning. Usando o machine learning, é possível liberar módulos de reforço automaticamente aos que passam mais tempo nos mesmos exercícios ou não alcançam determinadas pontuações, para citar alguns cenários. “Se o obstáculo de aprendizado do colaborador for relacionado à forma como o conteúdo é apresentado, ocorre uma adaptação automática – conteúdos escritos passam a ser representados por meio de recursos visuais, por exemplo”, afirma.

Já os algoritmos de deep learning podem ser usados para adaptações de idiomas ou, até mesmo, diferenças sutis na mesma linguagem que variam entre uma região e outra no mesmo território. “Cada colaborador possui dúvidas e necessidades específicas e, à primeira vista, parece desafiador usar sistemas de inteligência artificial para orientar a trilha de aprendizado de cada um deles. Na prática, a proposta é extremamente vantajosa e simples”, diz Quetant.

No entanto, Pierre lembra que mesmo com a tendência ao Home Office e da mobilidade, figuras como o gestor de comunidade jamais serão substituídos por um autômato. “O fator humano é insubstituível e a capacidade de analisar sutilezas em certos detalhes não pode ser reproduzida por máquinas. Community managers, instrutores, designers instrucionais, entre outros profissionais envolvidos em um programa de T&D, são essenciais para mensurar resultados, aplicar melhorias e avaliar os sentimentos e as opiniões dos colaboradores em relação aos conteúdos, além de verificar se o aprendizado é bem assimilado por eles”, finaliza.

Tags, , , , , ,

Cia Hering junta-se a startup brasileira de chat inteligente para mensurar resultados de treinamento do time comercial

Emmanuel Denaui

Durante o lançamento da coleção Inverno 2017 das marcas da Cia Hering, colaboradores de todo o Brasil tiraram seus smartphones dos bolsos para acelerar seu entendimento sobre os novos produtos que em breve vão estar à venda nas 824 lojas físicas (franquias e lojas próprias) e em mais de 11.000 lojas multimarcas e e-commerce. O time comercial contou com a plataforma Indica, da Hondana, usada para avaliar a compreensão dos colaboradores e garantir que todos estejam devidamente preparados para vender as novas peças.

Os resultados de vendas de uma empresa como a Cia Hering estão diretamente atrelados à capacitação dos seus colaboradores e à visibilidade do entendimento de toda a equipe. A plataforma Indica levou informações sobre as novas campanhas e validou os resultados de maneira igualmente rápida, em tempo real, alcançando uma resposta positiva dos colaboradores de 98% graças ao formato inovador da plataforma, parecido com uma conversa de Whatsapp.

“Foi um prazer ajudar a Cia Hering atingir toda a equipe, não importa onde esteja, e conquistar tamanha adesão voluntária a um projeto como este”, comenta Greg Bateman, Diretor Executivo da Hondana. “Esta tendência de capacitação através de “chat” que trouxemos dos EUA permitiu que a Cia Hering tivesse uma participação e engajamento 450% maior por se tornar um hábito tão comum para os colaboradores quanto checar o celular.”

Previamente um programa fechado para empresas globais, a Hondana abriu sua carteira em 2017 para receber novos clientes. Saiba mais no site www.hondana.com.br.

Tags, , , ,

Por que adotar Mobile Learning para treinamento?

Por Samir Iásbeck de Oliveira

De acordo com uma pesquisa da associação de marketing móvel MMA, feita pela Millward Brown Brasil e NetQuest, o brasileiro passa em média 3h14 por dia usando o aparelho celular. Segundo a pesquisa, que foi divulgada em setembro deste ano, a média sobe um tanto considerável quando são considerados os jovens da geração “millennials”, alcançando 4h diárias. Nota-se que este número vem aumentando ano após ano.

Algumas estatísticas apontam que já existem mais smartphones do que televisores no mundo e, em alguns países, o número de aparelhos já é maior do que a sua população. No Brasil, os smartphones estão entre um dos produtos de consumo mais vendidos. Atualmente, 15% do tráfego global na internet é proveniente de dispositivos móveis, e cerca de 50% das buscas acontecem via mobile. Por ano, são investidos cerca de 22 bilhões de dólares em propagandas para o público mobile, e este número só aumenta, principalmente porque mais de 15% das compras de varejo já são realizadas por meio dos dispositivos móveis. E essas estatísticas são de 2013.

A tecnologia mobile vem recebendo cada vez mais atenção dos mais variados tipos de empresas e organizações, principalmente daquelas que querem continuar na linha de frente da inovação, pois ainda há muitos recursos e ferramentas inexploradas em um mercado que só tende a crescer. Então, porque não aproveitar que os celulares estão sempre à mão para possibilitar novas formas de aprendizado? Você sabia que muitas universidades, cursos e empresas estão apostando no ensino por meio de dispositivos móveis, mais conhecido como o mobile learning?

Se você ainda não dá a devida importância para este assunto, pode ser necessário repensar a sua estratégia, pois, grande parte dos seus consumidores estão utilizando o mobile, e eles desejam uma experiência de aprendizado superior a de estudar a partir de um computador. Acreditamos que a forma mais didática de explicar os principais conceitos relacionados ao mobile learning é abordando as 12 questões-chave sobre o tema. Veja a seguir!

1. O que é mLearning ou Mobile Learning? – também conhecido como mLearning, é derivado do ensino a distância, e pode ser definido como o uso de tecnologias móveis como smartphones e tablets para obter uma experiência de aprendizado. Esse modelo oferece aos usuários a capacidade de aprender utilizando a mobilidade ao seu favor, com acesso imediato e ilimitado à informação, na hora e no local em que necessitam.

2. O que está causando o rápido desenvolvimento do mLearning? Atualmente, a tecnologia móvel tornou-se parte integrante do dia a dia das pessoas. A flexibilidade que ela oferece está sendo amplamente utilizada pelas pessoas para satisfazer suas necessidades variadas e o cenário não é muito diferente quando se trata da aprendizagem.

3. Por que você não deve ignorar o mLearning como parte da sua oferta de treinamento? Do meu ponto de vista, para maximizar o impacto do seu treinamento, é necessário oferecer flexibilidade para as pessoas aprenderem no dispositivo que elas escolherem. Considere alguns dados, como 60% dos trabalhadores consideram que a mobilidade é o seu “mais relevante dispositivo de trabalho”; quase 100% dos alunos são suscetíveis de completar o treinamento no formato móvel; 47% das organizações já estão usando dispositivos móveis para as suas iniciativas de formação.

4. O mLearning pode ser usado em todos os tipos de treinamento corporativo? o mLearning é um ótimo meio para que qualquer treinamento passe do estilo formal para o informal. Ele também pode ser utilizado de forma eficaz para promover a aprendizagem colaborativa ou social.

5. Quais são os benefícios de mLearning? Fornece flexibilidade para os alunos; Oferece maior envolvimento do aluno; Demonstra melhores taxas de conclusão e maior retenção; Facilita a aprendizagem colaborativa; Oferece suporte multidispositivo; Adapta-se ao treinamento formal, bem como ao Suporte de Desempenho; Facilita “a aprendizagem como um continuum”.

6. Em quais aspectos você precisa ser cuidadoso quando começa a adotar o mLearning? a. Mobile Learning não é eLearning; b. Uma regra não serve para todos; c. O mesmo conteúdo e estratégia de aprendizagem funcionaria em todos os dispositivos; d. tablets e smartphones suportam HTML5, mas a mesma estratégia de aprendizagem não funciona em ambos os dispositivos; e. Foque na estratégia de oferecer uma completa experiência de aprendizagem em smartphones primeiro; f. Para implementar o mLearning precisamos considerar todos os aspectos do universo mobile

7. Pode mLearning ser usado para atender as diferentes expectativas da sua força de trabalho “Millennial”? Para ser capaz de resolver isso, você precisa primeiro estar ciente das características da geração “millennial”, suas preferências, modos de acesso à informação, e os seus vícios. Então você pode projetar sua estratégia nesse sentido, usando elementos da forma como eles buscam suprir suas diversas necessidades de informação e entretenimento.

8. Quais são os outros aspectos que você pode usar para aumentar o impacto da mLearning? Microlearning e Social learning.

9. O que está em destaque em mLearning? Enquanto mLearning usa vários formatos envolventes, as tendências que você deve adotar são os vídeos interativos ou aplicativos móveis.

10. Quais outras abordagens você pode adotar para aumentar o impacto do seu mLearning? Para multiplicar o impacto, você pode alavancar na combinação de microlearning e aprendizagem social; proporcionar um caminho de aprendizagem baseado na abordagem dos alunos; e oferecer aprendizagem personalizada.

11. Por que microlearning e Mobile Learning formam uma combinação perfeita? O microlearning consiste em um método de ensino focado na aprendizagem de forma rápida e prática, por meio de pequenos blocos de informações. Através de materiais que explicam conceitos em termos simples e com uma linguagem de fácil acesso, o conteúdo é apresentado para usuário de forma específica e direta. Quando entregue a partir de dispositivos móveis, como smartphones, no entanto, seu potencial é amplificado. Nessas circunstâncias, a tendência é que os usuários não só aprendam mais rapidamente como também se tornem capazes de reter as informações durante um maior período de tempo.

12. Por que combinar gamificação e Mobile Learning? Gamification ou Gamificação consiste em fazer o uso de desafios e pensamentos lógicos para sua estratégia de ensino, treinamento, motivação e até mesmo vendas. Ela parece um processo de difícil aplicação, mas esta não é a realidade. Implantando medidas simples, como: barras de progresso, recompensa para usuários com as melhores notas nos cursos, ou ganhar uma medalha após completar uma etapa, já significa que estamos aplicando o gamification e incentivando, de forma sadia, a competição e o desafio.

Espero que este artigo forneça algumas dicas que você pode aplicar em sua organização, independentemente se você é novo para mLearning ou está procurando abordagens que podem aumentar o impacto do seu mLearning.

Samir Iásbeck, CEO e Fundador do Qranio, plataforma mobile de aprendizagem que usa a gamificação para recompensar os usuários e estimulá-los a se envolver com conteúdos educacionais em todos os momentos.

Tags, , , ,

Formação de Analista de Negócio 3.0

04, 05 e 06/10/12 – Horário: 08:30 às 17:30- Carga Horária 24 horas
Objetivo:
Preparar os participantes para atuarem como Analista de Negócio utilizando as melhores práticas de análise de negócio.

Público Alvo:
Product Owner, Administradores, Gerente de Projetos, Analista de Sistemas, Analista de Requisitos, Consultores, Gestores, Lideres, Analista de Processo, Analista de O&M, Gerente de Produto, Analista de Produto e qualquer profissional que tenha interesse em aprender novas habilidades, práticas e técnicas de Análise de Negócio

Pré-Requisito:
Conhecimentos básicos de gestão de empresas.
Obs. Levar notebook

Investimento: R$ 910,00 – número de vagas: 15
Inscrições: com Maria José (41) 3025-9659
Endereço: SEBRAE – Rua Caeté, 150 – Curitiba

Tags,