Category seguros

Brasilseg lança programa de conexões com startups

A Brasilseg, empresa da BB Seguros, acaba de lançar o seu programa de conexões com startups. Batizado de Impulso Open, a iniciativa visa estabelecer parcerias estratégicas em inovação e transformação digital para os negócios da companhia, aprimorando cada vez mais a jornada do cliente dentro dos canais digitais da BB Seguros.

Rodrigo Caramez, presidente da Brasilseg, conta que a busca por parcerias e soluções inovadoras está no centro das atenções da empresa e o programa intensificará ainda mais os investimentos nesta área. “Queremos acelerar a implantação de soluções disruptivas que suportem nossa estratégia de negócios, totalmente focada em nossos clientes, ao mesmo tempo que incentivamos o empreendedorismo, e firmamos parcerias com startups que desenvolvem soluções aderentes ao nosso modelo de gestão. “

As startups interessadas devem se cadastrar no site e apresentar as soluções de acordo com cada desafio. A curadoria será realizada pela equipe da Brasilseg, com apoio do Distrito, a partir das informações enviadas até 05 de novembro por meio do site http://conteudo.distrito.me/impulso-open-brasilseg. Os projetos aprovados para a segunda fase serão anunciados até 10 de novembro no mesmo site.

Impulso Lab: inovação interna

O Impulso Open é uma extensão do programa interno da Brasilseg chamado Impulso Lab, lançado no mês passado, no qual os funcionários da companhia tiveram a oportunidade de apresentar propostas inovadoras para aumentar as vendas, incluir novos produtos ao portfólio da seguradora e também identificar melhorias em processos internos. “Estamos muito felizes com esta etapa interna, pois tivemos uma alta adesão e propostas simples que incrementam a excelência de nossa operação. Vemos a dedicação e o foco de nossos colaboradores diariamente em cuidar das pessoas e proteger o que é valioso para elas”, comenta Caramez.

Tags, , , ,

SUSEP divulga lista com startups que poderão criar seguros inovadores

A Superintendência de Seguros Privados (SUSEP) divulgou o resultado da seleção de empresas de tecnologia focadas em seguros (insurtechs em inglês) para sua experiência de Sandbox Regulatório. O Sandbox Regulatório é um ambiente controlado para testes de inovações e tem como objetivo flexibilizar os requisitos legais para novas seguradoras. As empresas selecionadas terão uma licença de seguradora, válida por três anos. Neste período elas poderão testar produtos, serviços e modelos de negócios inovadores.

O foco principal da iniciativa são produtos massificados e de curto prazo. Seguros complexos como previdência, resseguros ou grandes riscos não poderão ser criados pelas empresas selecionadas. As onze startups selecionadas foram: 88i.io, Coover, Emotion, Flix, Iza, Komus, Mag, Pier, Split Risk, Stone e ThinkSeg.

Segundo Rodrigo Ventura, fundador da insurtech 88i “antes do sandbox tínhamos que adaptar os produtos de seguradoras tradicionais para oferecer aos nossos clientes. Este processo pode ser muito demorado e caro. Agora poderemos criar seguros de forma mais eficiente e totalmente focado no que os clientes precisam”. A startup que hoje oferece seguros de celular aos clientes de empresas como Picpay, 99 e Allugator se propõe criar produtos para atender a dois mercados. O primeiro são bancos digitais e fintechs que passam a poder oferecer seguros diversos a seus clientes.

O segundo mercado são as empresas de delivery e entregas, que poderão cobrir perda de renda dos seus entregadores parceiros que adoeçam ou fazer a cobertura de danos a aparelhos celulares usado pelos trabalhadores, por exemplo.


A iniciativa da SUSEP é uma das pioneiras no mundo. Hoje poucos países como Cingapura, Austrália e China se utilizam de sandbox para incentivar a inovação no mercado financeiro.

Além da iniciativa em seguros, o Brasil também possui programas para incentivar inovação em investimentos, liderado pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e há também uma iniciativa do Banco Central para fomentar inclusão financeira.

Tags, ,

Novo Coronavírus: MAPFRE busca projetos inovadores para mercado segurador

A MAPPFRE Brasil, por meio da plataforma MAPFRE Open Innovation,começou a receber propostas de startups com soluções que apoiem prestadores de serviços e pequenos e médios empresários a enfrentarem a complexa situação econômica imposta pela pandemia do novo coronavírus.

“A inovação é uma importante aliada em tempos de crise, aproximando pessoas, promovendo a colaboração e acelerando a implantação de soluções criativas”, afirma Flávia Varga, gerente de Inovação da MAFPRE. “Nesse momento, queremos associar a força da nossa marca e a solidez da nossa companhia com a agilidade da estrutura de uma startup.”

A empresa busca sugestões de rápida implantação que ajudem a responder problemas, como: apoio as PMES e prestadores de serviços, agilidade e proximidade de clientes, além de aumento de receitas.

Os interessados devem cadastrar as ideias pelo site, http://moibr.mapfre.com.br/#banner-topo, até 30 de abril. A iniciativa também recebe propostas de colaboradores da companhia. Todas as sugestões serão avaliadas e, seaderentes a estratégia do programa de inovação da companhia, serão submetidas à aprovação interna para implantação imediata.

“O objetivo é ativar o ecossistema de inovação para minimizar os impactos desse novo cenário. Estamos em busca de soluções prontas para uma rápida implantação”, finaliza Flávia.

O MOI 

Criado em 2018, o MOI (MAPFRE Open Innovation) é uma é uma plataforma para alavancar inovação e transformação dentro da companhia, com foco no cliente e na rentabilidade do negócio. A iniciativa global atua por meio de uma comunidade formada por escritórios em diversos países, que compartilham projetos, boas práticas e conhecimento.

O Brasil ocupa o oitavo lugar entre os países com maior potencial de seguro, segundo índice da MAPFRE

A atualização do Índice Global de Seguros Potenciais (GIP), elaborado pelo Serviço de Estudos da MAPFRE, mostra o Brasil como uma das nações com maior oportunidade para o setor. No ranking, que analisou 96 mercados, o país ocupa o oitavo no lugar no segmento Vida, subindo uma posição em relação à edição anterior divulgada em março, e também no de Não Vida, em que se manteve estável.

Lançado no começo deste ano, o GIP é a primeira métrica internacional que apresenta os países com mais possibilidades de crescimento para a indústria seguradora em médio e longo prazo. O levantamento teve como base o período de 2008 a 2018 e indica que países da Ásia e da África apresentam o maior potencial para seguros e importância relativa no contexto global.

De acordo com o Serviço de Estudos, o GIP aumentou em comparação com os valores da década 2007-2017, o que é explicado principalmente pelo desenvolvimento ainda incipiente do produto Vida em países emergentes como o Brasil. O estudo conclui que o potencial de seguro é bastante concentrado, independentemente de se tratar de um mercado desenvolvido ou não, e que permanece semelhante nos últimos anos.

O diretor Geral de Serviços de Estudos da MAPFRE, Manuel Aguilera, afirma que as expectativas de reaquecimento econômico colaboraram com o ganho de uma posição no ranking de Vida. “Tempos de crises trazem importantes aprendizados em relação à economia e finanças pessoais. Neste sentido, apresenta-se uma valiosa oportunidade para o mercado segurador brasileiro, que possui um vasto campo a ser explorado pelas companhias que melhor se posicionarem e adaptarem seus produtos à realidade local”, observa.

“Sabemos do enorme potencial do Brasil para o desenvolvimento do negócio de Vida, e também já percebemos que o consumidor tem demonstrado maior preocupação em ter uma proteção para si mesmo e suas famílias, no caso de um evento não programado”, afirma Fernando Pérez-Serrabona, CEO da MAPFRE Regional Brasil e representante da Fundación MAPFRE no país.

Entenda o GIP-MAPFRE

O índice desenvolvido pelo Serviço de Estudos da MAPFRE se baseia em estimativas da Estimativa da Abertura de Proteção do Seguro (BPS), que representa a diferença entre a cobertura de seguro economicamente necessária e benéfica para a sociedade e o valor dessa cobertura realmente adquirida, e modifica-se em função do crescimento econômico e da população de um país, assim como do surgimento de novos riscos. No caso do Brasil, essa diferença alcançou 314,5 bilhões de reais ou o equivalente a 86 bilhões de dólares.

Para o cálculo do GIP-MAPFRE, além da BPS, outras variáveis ​​são levadas em consideração, como penetração (prêmios / PIB), tamanho da própria economia ou nível populacional, entre outras. Em resumo, oferece uma pontuação que ordena cada país de acordo com sua contribuição para diminuir o déficit global de seguros.

Acesse o estudo completo em inglês: http://www.fundacionmapfre.org/documentacion/publico/i18n/catalogo_imagenes/grupo.cmd?path=1103681

Tags, ,

Veículos autônomos: revolução no mercado de seguro auto?

Por Andre Gregori

Quem me conhece sabe que uma das colocações que faço com frequência, é “não é se, mas quando”. Ainda que não tenham sido lançados por enquanto, os veículos autônomos já fazem parte do sonho de consumo de grande parte dos brasileiros. No entanto, a tecnologia pode ir muito além do que se espera: os carros inteligentes não só trazem extrema praticidade aos seus proprietários como também podem causar uma grande transformação na indústria de seguros. Um estudo americano produzido pela startup de seguros Metromile, inclusive, mostrou que o preço do seguro pode sofrer uma redução de 80% com a chegada dos carros autônomos.

Assim, com seu registro de direção quase sem falhas, este tipo de veículo deve trazer uma economia de US$ 1 mil anualmente – o que representa cerca de R$ 4 mil para o bolso dos brasileiros. Isso porque, de acordo com o Observatório Nacional de Segurança Viária, 90% dos acidentes de trânsito são causados pelo processo de decisão do motorista. Um carro inteligente, neste caso, diminuiria de forma significativa os riscos de acidentes e, consequentemente, os gastos do seguro.

De qualquer forma, os autônomos não devem acabar com a necessidade de seguros tão cedo. Ainda encontramos todo um ecossistema favorável para os acidentes, principalmente no Brasil. Seria necessário renovar a infraestrutura das cidades para que os veículos inteligentes vivessem em perfeita harmonia com o ambiente, sem que nenhum tipo de falha acontecesse.

Diante de um cenário como este, é preciso continuar reforçando também, principalmente ao consumidor brasileiro, a importância da contratação de um seguro. Afinal, 70% dos veículos não têm seguro no país. E a diminuição dos preços por conta do lançamento dos carros autônomos pode ser uma grande aliada nesse movimento. Isso porque o alto custo – junto à entrega de um serviço, em sua maioria, ineficiente -, é um dos principais motivos da não aquisição de um seguro.

Claro que não é só nestes aspectos que a tecnologia irá impactar a indústria de seguros. A partir do momento que os carros autônomos entrarem em comercialização, as seguradoras podem começar a pensar em uma gama ainda maior de proteção, como, por exemplo, contra hackers. Um serviço diferenciado, aliado ao valor mais baixo, pode ser um fator determinante no processo decisório da contratação de uma seguradora.

O fato é: os veículos autônomos devem chegar para revolucionar. E, já está mais do que claro que isso “não é se, mas quando”. Por isso, cabe a nós, que atuamos no setor de seguros, aproveitar este momento para inovar na construção de serviços e produtos, que atendam às necessidades deste futuro breve. Só assim, conseguiremos alcançar o propósito de proteger cada vez mais vidas no trânsito.

Andre Gregori, ex-BTG Pactual e CEO e fundador do Grupo Thinkseg.

SulAmérica promove encontro com startups para ampliar sinergias em Auto e Massificados

A SulAmérica, maior seguradora independente do País, realizou nesta quarta-feira (3), no Rio de Janeiro, um encontro para conhecer startups com características que agregam valor aos produtos de Automóvel e Massificados. Chamado de “Pitch Day”, o evento reuniu desde empresas especializadas em inteligência artificial até companhias voltadas ao desenvolvimento de chatbots e blockchain, e possibilitou à seguradora avaliar potenciais parceiros para as linhas de produtos voltados para veículos, residências e empresas.

O “Pitch Day” ocorre em um contexto de investimento contínuo da SulAmérica em tecnologia e inovação e tem como meta aprimorar as experiências de clientes, corretores e demais parceiros em todas as linhas de negócio, entre elas Automóvel e Massificados.

Mercado em crescimento

Segundo a Associação Brasileira de Startups (Abstartups), o País já conta com mais de 10 mil startups – quase metade das empresas está sediada na região Sudeste. Especificamente no setor de seguros, o número das chamadas insurtechs (startups do mercado segurador) chega a 80. Em setembro de 2017, o País tinha apenas 25 empresas neste ramo, um avanço de 316%.

CQCS Insurtech & Inovação 2019 reuniu 1.400 pessoas em dois dias de debates sobre a evolução de mercado de seguros

O mais relevante evento de inovação e tecnologia do setor de seguros da América Latina, promovido pelo CQCS – Centro de Qualificação do Corretor de Seguros e realizado pela Q’erus Expansão e Conhecimento reuniu 1.400 participantes e 54 apoiadores no Centro de Evento Pro Magno nos dias 12 e 13 de junho.

Com painéis que debateram temas como riscos cibernéticos, a atuação das startups, regulação, tecnologia, metodologia e muitas outros, que permeiam o mercado de seguros, o evento reuniu nomes internacionais como Jonh Drzik, presidente da Marsh Global Risks and Digital, Jonathan Kalman, sócio e fundador da EOS Venture Partners e Dra. Leena Johns, vice presidente global de Healthcare da MetLife.

Gustavo Doria, idealizador do evento, lançou uma grande novidade ao público: a criação da CQCS SegLab. “Vamos executar a ideia de um hub físico de inovação, mais precisamente um prédio. Queremos reunir em um só lugar seguradoras, resseguradoras, insuretechs e escritórios de advocacia,todos trabalhando em um mesmo edifício, como espaços de trabalho compartilhado”, conta Gustavo. O objetivo é ser a primeira no mundo em multimarcas que reúna esse segmento de mercado.

Entre os executivos internacionais, John Drzik, presidente da Marsh Global Risk and Digital, trouxe um debate pautado em gerenciamento de riscos e mudanças no capital de organizações.

Um dos grandes momentos registrados foi a participação da Doutora Leena Johns, vice presidente global de Healthcare da MetLife e também palestrou e pontou sobre a necessidade de uma análise de dados coerente e a unificação dessas informações para um mapeamento que diagnostique com veracidade a real situação das empresas. “Com uma boa análise dos dados conseguimos, por exemplo, mapear todas as doenças clínicas do quadro de funcionários de um escritório e propor soluções ou caminhos a serem seguidos”, finalizou.

Completando o quadro de palestrantes internacionais estava Jonathan Kalman, sócio e fundador da EOS Venture Partners. Para o executivo “A tecnologia está criando uma transformação inédita que vai impactar todo o mercado de seguros. Se olharmos para daqui a 10 anos a indústria terá que ter se reinventado. É importante que as empresas tenham consciência de que essas mudanças são necessárias. A inovação e a tecnologia não vão desaparecer. Isso é importante frisar” afirma Kalman.

As tendências do setor ressaltadas pelo especialista são a Inteligência Artificial e APIs que possuem a capacidade que conectar serviços e os seguros On Demand, ou seja, apenas demandas rápidas. “Esses produtos são parte da história daqui para frente e é assim que precisamos pensar na distribuição de apólices”, finaliza Kalman.

Sobre o panorama geral do setor Gustavo Dória reforçou que “hoje o mundo atua em modo de coworking, onde todos os setores se complementam para a criação de novos serviços que atendam às demandas atuais dos consumidores. Nós somos guardiões dos sonhos e conquistas da sociedade. O seguro é um aliado das pessoas e não um mal necessário queremos reforçar isso. Qual o futuro dessa proteção é a grande questão a ser discutida nesse evento”, completou Dória.

Tags, ,

SulAmérica Saúde inova com acesso por biometria facial em aplicativo

A SulAmérica, maior seguradora independente do País, apresenta uma funcionalidade inovadora no aplicativo SulAmérica Saúde: a biometria facial para acesso à plataforma. A companhia é a primeira operadora do mercado a adotar a tecnologia para essa finalidade e, com isso, pretende garantir conveniência e segurança ao cliente.

Em um processo rápido, a biometria facial consegue reconhecer o rosto do segurado, independentemente de expressões faciais, uso de óculos ou barba, por exemplo. Para utilizá-la, é necessário contar com a versão mais recente do app. A novidade já está disponível para parte dos clientes e em breve será expandida para todos os segurados da SulAmérica Saúde.

“Pensamos na tecnologia como uma aliada para surpreender o cliente e facilitar seu cotidiano. Temos disponibilizado soluções pioneiras em nossos aplicativos e hoje podemos dizer que os segurados de Saúde contam com um dos apps mais completos e inovadores do mercado”, afirma o vice-presidente de Estratégia Digital, Inovação e Tecnologia da SulAmérica, Cristiano Barbieri.

O aplicativo SulAmérica Saúde combina tecnologias disruptivas de inteligência artificial e cognitiva para oferecer serviços de atendimento ao cliente via chat e de solicitação de reembolso para consultas de até R$ 1 mil por meio do envio de uma foto do recibo, que pode ser feita com a câmera do smartphone. Além disso, com o serviço Médico em Casa, o app permite agendar atendimento médico em domicílio para crianças de até 12 anos e beneficiários a partir de 65 anos em 19 cidades brasileiras.

“Com o acesso por biometria facial, nosso aplicativo transforma a experiência do usuário, tornando o processo de acesso a informações sobre os produtos da SulAmérica ainda mais fácil e dinâmico. Isso, sem dúvidas, agrega valor aos nossos serviços, algo que se reflete na satisfação dos clientes em relação à companhia”, explica o vice-presidente de Operações e Tecnologia da SulAmérica, Marco Antunes.

Camara-e.net cria programa que aproxima insurtechs de investidores

A Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico (camara-e.net) vai promover uma aproximação entre insurtechs, hubs de inovação, aceleradoras e investidores. A ação faz parte do Programa de Cadastro de Insurtechs, versão ampliada do Mapeamento do Ecossistema de Insurtechs que a entidade criou há um ano.

“O mapa se tornou um organismo vivo, com a qualificação das empresas cadastradas e com a promoção de eventos, rodadas de negócios e chamadas de startups para estimular esse segmento de mercado”, diz Beatriz Rocha Pinto, coordenadora do Comitê de Insurtechs. “Por isso, foi reposicionado como Programa de Cadastro de Insurtechs e vai ter como um de seus objetivos gerar conexões de negócios”.

Até o final de julho, o comitê tinha mapeado 78 insurtechs no país, sendo que das insurtechs cadastradas, 64% atuam no mercado B2B, 28% no B2C e 8% no B2B2C. As categorias em que se enquadram essas insurtechs são Produtos (40%), Data & Analytics (28%), Jornada do usuário (12%), Internet das Coisas (8%), Regulação & Leis (4%), Segurança da Informação (4%) e Investimentos (4%).

Com as evoluções do programa, além desses dados será possível saber, por exemplo, que dores essas insurtechs resolvem, como elas fazem isso, que tecnologias utilizam para desenvolver o seu negócio e quais são suas necessidades e principais desafios. “A próxima fase do comitê será pautada nos dados levantados, direcionando melhor as ações para as carências do ecossistema”, afirma Beatriz.

No dia 24/10, o comitê, que é fechado para associados da camara-e.net, irá realizar um novo encontro aberto no inovaBra, coworking do Bradesco. Assim como nas edições anteriores, o encontro contará com a participação de seguradoras, executivos, aceleradoras, investidores e insurtechs e terá um painel de debates com especialistas. Algumas startups cadastradas serão escolhidas para apresentar seus negócios, e novos dados sobre o mapeamento das insurtechs serão divulgados.

“Será uma oportunidade para as empresas do mercado segurador debaterem e conhecerem os desafios do ecossistema, trocarem experiências e gerarem novas conexões”, diz Beatriz.

Uma das ações do programa em andamento são as parcerias com aceleradoras, fundos e hubs de inovação que atuam com insurtechs. O comitê já fechou parceria com a ACE Startups, uma das principais aceleradoras da América Latina e um dos mais importantes hubs de inovação do país. “A ideia é convidar as insurtechs cadastradas a participar dos processos de chamadas de startups conduzidos pelos nossos parceiros e, com isso, colocá-las em contato com programas de aceleração e corporate venturing”.

As empresas que quiserem entrar no Programa de Cadastro de Insurtechs da camara-e.net devem acessar o link: http://pt.surveymonkey.com/r/cadastro-nacional-de-insurtechs-brasileiras-menu-site-camaraenet. O cadastro é gratuito.

O Comitê de Insurtechs da camara-e.net é uma iniciativa inovadora no Brasil e tem como missão ser o hub de referência colaborativo para impulsionar o desenvolvimento das insurtechs brasileiras. Criado em junho de 2017, ele tem, entre seus associados, várias empresas que compõem o ecossistema do setor, o que dá à equipe um leque maior de conhecimento e de atuação.

Tags, , , ,

SulAmérica leva Garantia de Aluguel ao Conecta Imobi

A SulAmérica, maior seguradora independente do Brasil, segue acompanhando as inovações do mercado imobiliário e participa, nos dias 11 e 12 de setembro, do Conecta Imobi, em São Paulo. Na ocasião, a companhia apresentará aos profissionais do setor o SulAmérica Garantia de Aluguel, solução completa de garantia locatícia oferecida pela seguradora.

Realizado pelo Grupo ZAP, parceiro da SulAmérica há dois anos, o evento contará com mais de 100 palestrantes que abordarão temas voltados para tendências do mercado imobiliário por meio de painéis e apresentações de cases.

O Conecta Imobi também é uma oportunidade para integração entre profissionais e prospecção de novos negócios. “Participar de um evento tão importante para o mercado imobiliário é uma honra para nós. São dois dias de muita troca de experiência e aprendizado, que promove discussões fundamentais para o setor. Além disso, reforça o compromisso da SulAmérica de estar cada vez mais próxima de seus parceiros”, afirma o superintendente de Negócios de Capitalização da SulAmérica, Natanael Castro.

A companhia será representada pelo diretor da regional São Paulo Capital, Luciano Lima, e pela equipe de especialistas do SulAmérica Garantia de Aluguel, que receberão os parceiros no estande da seguradora.

O SulAmérica Garantia de Aluguel está disponível para contratos de locação de imóveis residenciais e comerciais. Com o serviço, o locatário deposita uma quantia como garantia e este montante fica automaticamente vinculado ao contrato de aluguel, sem burocracia e de forma ágil e segura. Entre outras vantagens, ele oferece a devolução de 100% do valor depositado, além de assistências residencial para locatário e locatícia para proprietário.

Tags, , , , , , ,

SulAmérica Saúde redefine a experiência dos clientes de seguros com inteligência artificial

A SulAmérica, maior seguradora independente do País, passou a utilizar a inteligência artificial para tornar o atendimento aos clientes de Saúde mais dinâmico, reduzindo o tempo de espera nas ligações, de resolução das solicitações e o volume de chamados na Central de Atendimento. Com o apoio de um assistente virtual disponível no site da companhia e no aplicativo SulAmérica Saúde, os segurados podem resolver questões de menor complexidade de forma ágil e autônoma.

A implementação do assistente virtual com Watson, plataforma de inteligência artificial da IBM na nuvem para os negócios, no atendimento, tem como objetivo oferecer maior precisão e velocidade para responder às solicitações recorrentes. O assistente virtual tem a capacidade de realizar, de forma rápida, consultas que costumam ser solicitadas frequentemente como dúvidas sobre filiais, cobertura de planos, reembolsos e rede referenciada. Em um piloto de dois meses, a solução já atendeu a 88 mil chamadas, com índice de retenção de 45%, ou seja, resolução das demandas em um primeiro contato, sem a necessidade de transferência para a Central de Atendimento, permitindo que os agentes de atendimento ao cliente se concentrem em consultas mais desafiadoras e demoradas.

O aplicativo SulAmérica Saúde já representa 86% dos atendimentos aos clientes realizados via assistentes virtuais e 14% das interações com os segurados são realizadas pelo website da seguradora. O assistente virtual com Watson está ajudando a transformar o atendimento ao cliente da empresa e já reduziu em 90% o tempo médio de espera para resolução das solicitações.

“Temos investindo fortemente em inovação para transformar a experiência do cliente e a tecnologia é uma ferramenta viabilizadora de nossas estratégias nesse sentido. A utilização dos assistentes virtuais no atendimento aos clientes SulAmérica Saúde traz ganhos relevantes, especialmente em agilidade e assertividade na resolução de questões simples, algo que sem dúvidas agrega ainda mais valor ao relacionamento do segurado com a companhia”, explica o diretor de Estratégia Digital, Inovação e Tecnologia da SulAmérica, Cristiano Barbieri.

Desde 2017, os chatbots inteligentes têm sido utilizados pela seguradora no atendimento a solicitações dos corretores de seguros que trabalham com produtos SulAmérica Auto. Além de esclarecer dúvidas, a solução permite realizar procedimentos operacionais de menor complexidade, como propostas, pagamentos, atualização cadastral e emissão de segunda via de boletos, sem a necessidade de passar por um profissional de SAC.

O sistema foi treinado para que pudesse identificar uma ampla variedade de problemas relatados pelo cliente. Atualmente ele pode reconhecer e abordar mais de 80% de assuntos da Central.

Entre outras iniciativas da SulAmérica para facilitar o cotidiano dos segurados estão o serviço pioneiro de solicitação de reembolso digital de consultas de até R$ 1000,00 no aplicativo SulAmérica Saúde, realizado com envio de imagem do recibo médico feita pela câmera do smartphone do cliente, e a possibilidade de agendamento médico domiciliar para crianças de até 12 anos e segurados acima de 65 anos, em casos de baixa complexidade.

Tags, , , , , , ,

Startup brasiliense é destaque em evento do InovAtiva, maior programa de incubação de empresas do Brasil

As redes sociais têm participação cada vez mais ativa na vida das pessoas. Você já pode, inclusive, fazer o seguro do seu carro usando o Facebook. Essa é a proposta da Onsurance, startup brasiliense, que ficou entre os 12 destaques do Demo Day, evento da InovAtiva, maior programa de aceleração e incubação de startups do Brasil, promovido pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC) e pelo Sebrae. Em Brasília, a startup funciona, desde novembro de 2017, no IESBLab, a incubadora de projetos do Centro Universitário IESB.

O Onsurance nasceu em 2017, da iniciativa de Ricardo Bernardes e Adilair Silva, dois ex-alunos do IESB e é, segundo Bernardes, a evolução do seguro sob demanda. “Nós usamos inteligência artificial para que o cliente possa acionar o seguro pelo Messenger do Facebook só quando ele precisa. Por exemplo, quando sai à rua, pois você não precisa pagar pelo seguro quando o carro está na garagem da sua casa ou do seu prédio”, informa.

O Messenger do Facebook é o principal meio de comunicação com a empresa. É possível contratar o seguro pela mídia social, acionar e interromper o serviço e, também, avisar sobre algum sinistro. “O usuário faz um aporte inicial a partir R$ 999 e cada minuto custa R$ 0,0004 (quatro milésimos de real), que vai sendo debitado à medida do uso”, conta Bernardes. Os créditos não têm prazo para expirar e, quando acabam, a recarrega pode ser feita com valor mínimo de R$ 299. A economia, segundo o empresário, é de 50 a 80% se comparado ao que se paga em seguradoras tradicionais.

A empresa já atendeu mais de 1000 usuários e está expandindo suas áreas de atuação. “Estamos ampliando o Onsurance para produtos de luxo, como bolsas, situações do dia-a-dia como entregas de compras virtuais e até para a sua viagem de carro com aplicativos” conta Bernardes.

Nesta edição do InovAtiva, foram inscritas 1200 startups. Dessas, foram selecionadas 300 para a segunda fase e apenas 100 foram escolhidas para participar do Demo Day. Durante o evento, bancas com investidores, mentores de organizações como Google, Braskem, entre outras, selecionaram 12 projetos destaques. A Onsurance foi destaque no segmento fintech.

Mais informações sobre o Onsurance podem ser conferidas na página da empresa no Facebook e no site da empresa.

Tags, , , , ,