Category infraestrutura de TI

Gartner prevê que gastos globais com infraestrutura de Data Center crescerão 6% em 2021

De acordo com a mais recente pesquisa do Gartner, Inc, líder mundial em pesquisa e aconselhamento para empresas, os gastos mundiais com infraestrutura de Data Center devem chegar a 200 bilhões de dólares em 2021, o que representa um aumento de 6% em relação ao número esperado para este ano. Segundo a pesquisa, a expectativa é uma queda de 10,3% nos gastos dessa área em 2020 devido à restrição de fluxo de caixa por causa da crise atual. A previsão indica que, apesar do declínio provocado pela pandemia de Covid-19, o mercado d e Data C enter deve retomar o ritmo de expansão rapidamente, com crescimento contínuo, ano a ano, até 2024.

“A prioridade para a maioria das empresas em 2020 é manter as luzes acesas, o que tem feito com que investimentos em Data Centers sejam postergados até que o mercado entre no período de recuperação”, diz Naveen Mishra, Diretor Sênior de Pesquisa do Gartner. “Nossa projeção é que os maiores centros empresariais pausem temporariamente seus gastos e retomem os planos de expansão ainda este ano ou no início do pr&oa cute;ximo ciclo. No entanto, as empresas de destaque, conhecidas como hiperescaladoras, continuarão com seus planos de expansão global, com investimentos contínuos em Nuvem Pública”.

Os bloqueios provocados pela pandemia de COVID-19 impedirão a construção de mais de 60% das novas instalações planejadas inicialmente para 2020, razão pela qual a receita de infraestrutura do segmento de Data Center diminuirá 10,3% em 2020. Os gastos de usuários finais devem crescer na casa de um dígito a partir de 2021.

Gastos com infraestrutura de Data Center em todo o mundo (em bilhões de dólares)

 201920202021
Gastos de usuários finais (em bilhões de dólares)210188200
Crescimento (%)0,7-10,36,2

Fonte: Gartner (Outubro de 2020)

“Grande parte da redução da demanda deste ano deve retornar em 2021, quando as equipes estarão presentes fisicamente nos escritórios”, avalia Mishra. “Por enquanto, todos os segmentos de infraestrutura de Data Center estarão sujeitos a medidas de contenção de custos e as áreas de compra das empresas devem estender os ciclos de vida dos equipamentos instalados”.

Com a lenta melhora no crescimento econômico, os gerentes de infraestrutura de Data Center deveriam priorizar um conjunto selecionado de clientes novos e existentes. O Gartner recomenda, especificamente, que as empresas:

1) Treinem a força de vendas para que esses vendedores consigam se envolver com o diretor financeiro (Chief Financial Officer – CFO) e o diretor de compras dos clientes em um novo conjunto de iniciativas para otimização de custos, como renegociaç ã o de contratos de TI, redução de custos de Nuvem e consolidação de TI.

2) Elaborem um manual do setor que ajude os fornecedores de tecnologia a entenderem o impacto da COVID-19 em uma gama de setores diferentes para, então, recomendar ações de curto a médio prazo para os fornecedores em cada setor.

3) Invistam em um novo modelo go-to-market, com características que atendam operações nativamente digitais e sejam capazes de impulsionar a inovação. Valorizem as soluções de TI híbrida e com preços baseados em consumo para melhorar o compartilhamento de ideias com os clientes nativos digitais.

Tags, , ,

Gartner identifica as cinco principais tendências para Infraestrutura e Operações em 2019

O Gartner, Inc., líder mundial em pesquisa e aconselhamento para empresas, destaca as principais tendências que os líderes de infraestrutura e operações (I&O) devem começar a preparar para suportar a infraestrutura digital em 2019.

“Mais do que nunca, o departamento de infraestrutura e operações precisa se envolver com o dia a dia das áreas estratégicas das empresas. O foco dos líderes desse setor não é mais entregar apenas engenharia e processos para as operações, mas entregar produtos e serviços que suportem e permitam a estratégia de negócios das organizações”, diz Ross Winser, Diretor de Pesquisa Sênior do Gartner. “A questão é como podemos usar os recursos como inteligência artificial (IA), automação de rede ou computação de ponta para suportar infraestruturas em rápido crescimento e que precisam atender às necessidades das companhias”.

Nesse contexto, o Gartner encoraja os líderes de infraestrutura e operações a se prepararem para as 10 tecnologias e tendências que apoiarão a infraestrutura digital em 2019. São elas:

Computação sem servidor – A computação sem servidor (Serverless) é um padrão emergente de arquitetura de software que promete eliminar a necessidade local de provisionamento e gerenciamento de infraestrutura. Os líderes de infraestrutura e operações precisam começar a adotar uma abordagem centrada em aplicações para computação sem servidores e com gerenciamento de APIs e SLAs, ao invés de seguirem com infraestruturas físicas criadas em suas empresas. “A verdade é que os servidores continuarão a existir, mas os provedores de serviços é que serão os responsáveis por toda a análise e dimensionamento dos recursos envolvidos no ambiente, o que resultará em mais agilidade às organizações”, explica. Vale lembrar que esse tipo de tecnologia não substituirá a aplicação de contêineres ou máquinas virtuais, sendo fundamental saber como usar melhor o conceito sem servidor antes de aplicá-lo. “O desenvolvimento de recursos de suporte e gerenciamento desse tipo deve ser um foco dentro das equipes de infraestrutura e operações, pois mais de 20% das organizações globais implementarão tecnologias de computação sem servidor até 2020. Hoje, menos de 5% das companhias usam esse formato”, afirma Winser.

Impactos de Inteligência Artificial – A Inteligência Artificial está crescendo em importância para os líderes de infraestrutura e operações que precisam gerenciar infraestruturas em plena expansão e que, ao mesmo tempo, não podem aumentar sua equipe. Os recursos de inteligência artificial têm o potencial de transformar as organizações e estão no centro dos negócios digitais, cujos impactos já são sentidos pelas companhias. De acordo com a Gartner, os negócios derivados de Inteligência Artificial chegarão a US$ 3,9 trilhões até 2022.

Garantir agilidade de rede – A infraestrutura e a capacidade de rede são a base de tudo o que a área de TI faz – soluções em Nuvem, Internet das Coisas (IoT) e serviços de ponta, por exemplo, sendo que continuarão avançando em 2019. “As equipes estão sob constante pressão para garantir a alta disponibilidade de rede. Ainda que a cultura das equipes muitas vezes limite as mudanças, o fato é que a demanda por agilidade na performance dessas operações também aumentou”, diz Winser. O foco dos líderes de I&O para 2019 e nos próximos anos deve ser o de encontrar formas para ajudar suas equipes a aumentarem o ritmo de trabalho, buscando opções para atender à necessidade por mais agilidade. “Parte dessa resposta é a criação de um ambiente com automação e análise, capaz de lidar com a mudança real das empresas”, explica.

O Gartner avalia que as demandas por melhorias de performance de rede deverão crescer com o advento do 5G, da maturidade das soluções em Nuvem e com a explosão no número de dispositivos de IoT. “Essas são apenas algumas das pressões que os líderes devem antecipar. Então, o período crítico para lidar com este desafio é agora”, diz o analista do Gartner.

Morte do Data Center – O Gartner prevê que, em 2025, 80% das organizações migrarão seus dados de Data Centers locais para ambientes no formato de co-location, hospedagem ou Nuvem, levando-as ao gradual encerramento de seus Data Centers tradicionais. “Os líderes de I&O devem se preparar para esse movimento, ajustando as cargas de trabalho com base nas necessidades dos negócios e não se limitando a decisões baseadas em localização física. Desde a hospedagem até a Nuvem Pública, existem muitas alternativas para os Data Centers locais. Os líderes devem identificar se existem razões verdadeiramente estratégicas para persistir com necessidades locais, especialmente quando consideram que a quantidade significativa de investimento envolvida é muitas vezes amortizada ao longo de muitos anos”, afirma o analista. As preparações devem começar agora, pois o prazo crítico para isso será de 2021 a 2025.

Edge Computing – O avanço de dispositivos de Internet das Coisas e de tecnologias imersivas levarão o processamento de informações ao limite, redefinindo e reformulando o que os líderes de I&O precisarão implantar e gerenciar. A borda, nesse caso, é o local físico onde as coisas e as pessoas se conectarão com o mundo digital em rede – espaço que fará a infraestrutura a chegar cada vez mais ao seu limite. A Edge Computing faz parte de uma topologia de computação distribuída em que o processamento de informações está localizado próximo à borda, que é onde as coisas e as pessoas produzem ou consomem essas informações. Edge Computing aborda as leis da física, economia e terra, que são fatores que contribuem para como e quando usar borda. “Essa é outra tendência que não substitui a Nuvem, mas a potencializa”, diz Winser. “O prazo crítico para as organizações adotarem essa tendência é entre 2020 e 2023”.

Pesquisas adicionais sobre o tema serão apresentadas durante a Conferência Gartner Infraestrutura de TI, Operações & Estratégia de Cloud, que acontece nos dias 24 e 25 de abril, em São Paulo. No evento, analistas brasileiros e internacionais vão apresentar conexões vitais entre tecnologias, gestão e cultura com um foco especial na liderança de cada função de Infraestrutura e Operações (I&O).

Interessados em participar do evento devem contatar o Gartner pelo e-mail brasil.inscricoes@gartner.com, pelos telefones (11) 5632-3109 e 0800 774 1440, ou pelo site www.gartner.com/pt-br/conferences/la/infrastructure-operations-cloud-brazil.

Tags,

Estádios do futuro: conectados e inteligentes para atrair mais público

Arenas para o entretenimento, como os complexos esportivos, oferecem grandes oportunidades para os fornecedores de infraestrutura tecnológica

Por Melissa Strait

Os estádios e autódromos são estruturas enormes, criadas com o objetivo de oferecer experiências empolgantes para o público. Seja para uma partida de futebol, um grande
show ou uma corrida de automóveis, todas essas arenas ao redor do mundo têm como objetivo oferecer uma experiência inesquecível aos fãs. Em um mundo digital, sempre
conectado, o segredo para que os usuários tenham uma permanência satisfatória incluiuma boa conexão com a internet, segura, estável e rápida, que permita, por exemplo,
fazer o upload de fotos e vídeos para as redes sociais sem gargalos. Embora os estádios tragam grandes desafios estruturais para atingir conectividade
de primeira linha, por outro lado oferecem oportunidades excepcionais quando a infraestrutura de rede está em ordem.

Afinal, as lojas das arenas, câmeras, luzes eaté a área de fast food, tudo demanda uma largura de banda maior para podersuportar a quantidade de dados transmitidos pela Internet durante um evento, emuma praça de esportes conectada.Por isso, cada vez mais os estádios ao redor do mundo funcionarão como pequenas cidades inteligentes. Da mesma forma que as chamadas smart cities, um estádio deve contar com uma infraestrutura que garanta aos usuários a conectividade e disponibilidade de rede necessária para satisfazer cada uma de suas necessidades, em todos os espaços. Um exemplo disso é o Estádio NRG, em Houston Texas, que conta com 783 antenas estrategicamente espalhadas pela CommScope no local, fornecendo maior largura de banda, não só dentro do estádio, mas também na região em torno dessa arena.A conexão de alta velocidade permite também que os fãs encontrem restaurantes próximos, hospedagem, etc. Desta forma, cria-se um ecossistema de hotéis, meios de transporte, restaurantes e outros estabelecimentos, toda uma experiência envolvente para que as pessoas prefiram ir ao estádio que ficar em casa e ver o jogo pela televisão, por exemplo.

Nos Estados Unidos, empresas como a CommScope disponibilizam soluções de cobre e fibra em estádios e autódromos, como o Daytona International Speedway, para
aumentar a capacidade de Wi-Fi. Na América Latina há estádios de futebol como do Monterrey, no México, com avançado sistema para tornar mais eficiente a rede celular,
ampliar a cobertura das conexões sem fio, garantir o correto funcionamento dos sistemas de vídeo e áudio, etc. Seja em estádios de futebol americano, shows ou
autódromos, os service providers precisam estar preparados para atender às expectativas dos torcedores e suportar as exigências futuras.
*Melissa Strait é jornalista, editora e trabalha como assistente executiva da diretoria de tecnologia da CommScope.

Melissa Strait, jornalista, editora e assistente executiva da diretoria de tecnologia da CommScope.

Tags, , , , , , , ,

Aruba potencializa rede Wi-Fi na Assembleia Legislativa do Espírito Santo

A renovação da infraestrutura de TI da Assembleia Legislativa do Espírito Santo (ALES) com a implementação de soluções HPE Aruba conseguiu reverter o quadro frequente de indisponibilidade de rede (em que usuários ficavam sem acesso à internet, aos servidores, ao banco de dados e a aplicações) e viabilizou à instituição agregar mais serviços aos usuários internos e visitantes. “A velocidade da rede também melhorou muito”, relata Jonston Caldeira, superintendente de TI na Assembleia Legislativa do Espírito Santo. “Agregado a isso, a rede sem fio, que é o forte da Aruba, veio dar mobilidade ao serviço que disponibilizamos dentro da casa. Tínhamos essa questão como uma insatisfação muito latente, pois apesar de ser um prédio só, essa falta de flexibilidade para os usuários da Assembleia era uma funcionalidade de TI que só pudemos resolver com a ajuda da Aruba”.

De acordo com Caldeira, a casa possui um cenário de utilização de rede Wi-Fi bem complexo: ao receber um cidadão na ALES precisamos prover acesso sem fio a todos os visitantes, mesmo tendo uma enorme gama de visitação diária. “O dimensionamento da solução Aruba inicialmente me preocupava ser insuficiente, mas tanto a demanda de usuário interno quanto a de visitantes não me preocupa mais. Temos registrado cerca de dois a três mil acessos diários, então só tenho elogios à marca e à tecnologia utilizada”, destaca.

A HPE Aruba venceu o processo licitatório para um projeto de substituição de todos os ativos de rede. De acordo com Caldeira, a ALES tinha uma infraestrutura de comunicação interna bem obsoleta com equipamentos de mais de 15 anos e sem garantia. No decorrer do processo, o projeto com a Microware que contemplava recursos do portfólio HPE Aruba foi ganhando corpo, aumentando o número de equipamentos de rede que promovem a comunicação entre os computadores e os recursos de TI na Assembleia, consolidando funcionalidades de rede sem fio ao projeto – carro-chefe da Aruba.

A solução implementada foi composta com os seguintes itens:

– 2 Switches core – HPE FlexFabric 5940
– 58 Switches de acesso – Aruba 2930M 48G PoE+
– Controladora Wi-Fi – Aruba 7205
– 100 APs – Aruba AP-325
– Software de gerenciamento da rede “LAN” – HP IMC
– Software de gerenciamento Wi-Fi – Aruba AirWave

Resultados

“Estamos bastante satisfeitos com a tecnologia HPE Aruba. Nosso conhecimento sobre a empresa era superficial por meio de casos de sucesso, mas na prática nós nunca tínhamos tido muito contato. A Aruba não só atendeu como superou todas as nossas expectativas. Queremos ampliar o projeto agregando outras soluções que a Aruba oferece. Foi uma excelente contratação que fizemos, acho que melhor custo-benefício não encontraríamos no mercado”, reforça o especialista.

Caldeira destaca também que um diferencial importante durante o processo foi o acompanhamento muito próximo do time da Aruba. “Até hoje, apesar do projeto finalizado, eles estão sempre em contato com a gente, trocando ideias e com perspectivas de melhorias. Essa relação com o fabricante é muito bacana e positiva que para mim foi um grande diferencial”, diz Caldeira. Segundo ele, a Aruba não tem só um produto de qualidade, mas uma equipe que fornece todo o amparo necessário. “Adquirimos uma solução de rede cabeada e não cabeada e gostaríamos de continuar agregando valor com atualizações e novas soluções no projeto já para o próximo ano”, conta.

A Assembleia Legislativa do Espírito Santo (ALES) é dividia em três torres, sendo elas: Torre Legislativa, Torre Administrativa e Torre de Conexão. Em cada pavimento de cada torre, há um eixo para suportar a infraestrutura de rede em que os switches de acesso são interligados ao core da rede.

A comunicação da rede legada da ALES (switches de acesso com o switch core) era realizada por fibra, atingindo velocidade de 1Gbps e 100Mbps para os dispositivos do cliente. De acordo com Eduardo Rangel, da integradora Microware responsável pelo projeto, antes a ALES não possuía o gerenciamento de sua rede LAN, tampouco o gerenciamento de redes WiFi, improvisadas por alguns funcionários. “Com a implantação da solução HPE Aruba, os switches proveram acesso a 1Gbps e comunicação de 10Gbps com o switch core, um aumento considerável em qualidade e velocidade de rede. A estrutura WiFi foi importante para manter todos os funcionários e visitantes online, possibilitando a comunicação por meio da internet e facilitando o uso de estações de trabalho móveis por todas as torres”.

A representatividade da marca Aruba é maior e mais consolidada em soluções de rede sem fio. Após a aquisição pela HPE, a empresa também passou a oferecer equipamentos para rede cabeada, que consistia no projeto original com a ALES.

Tags, , , , , , , ,

Empresas têm até 22 de agosto para inscrever seus projetos de data center no DCD>Awards Latin America 2018

O DCD>Awards Latin America, prêmio que reconhece os melhores projetos de empresas em relação à infraestrutura e eficiência de seus data centers, entra na reta final do prazo para a inscrições, que vão até o próximo dia 22 de agosto. Os projetos mais importantes da indústria de data center concorrerão ao prêmio que reconhe liderança, inovação e transformação em toda a América Latina.

A organização já recebeu mais de 80 projetos, tanto de empresas privadas quanto de órgãos públicos. Ao todo, serão 7 categorias, que premiarão desde os conceitos de design, construção e inovação até a adoção de novas tecnologias e os melhores projetos desenvolvidos em equipe.

O anúncio dos finalistas será no dia 3 de outubro. A cerimônia de premiação será realizada no dia 6 de novembro, durante o congresso DCD>Brasil 2018, no Centro de Eventos PRO MAGNO, em São Paulo. O júri do DCD>Awards Latin America terá, mais uma vez, a desafiadora tarefa de avaliar os inscritos, devido ao alto nível técnico e inovador dos projetos apresentados até o momento.

Por outro lado, seguem abertas as inscrições para as categorias 9 – Provedor de Colocation do Ano na América Latina e 10 – Solução mais Inovadora para Data Center do Ano na América Latina, onde os vencedores serão eleitos por voto popular. Os profissionais da indústria poderão votar de 10 de setembro a 20 de outubro.

DCD>Awards – Mais de 75 vencedores

Muitas organizações e profissionais já foram premiados ao longo desses anos pelo DCD>Awards, o “Oscar” que reconhece as melhores práticas na indústria de data center.

Após o sucesso da premiação DataCenter Leaders, concedida na Europa e no Japão há 10 anos, decidiu-se trazer esses troféus para o Brasil. Na primeira edição, em 2011, foram apresentados 62 projetos em 3 categorias. Um ano depois, em 2012, a primeira edição do DatacenterDynamics Awards foi realizada no México. Nesta ocasião, a premiação foi ampliada para 6 categorias.

Em 2017, os dois eventos foram unificados com a ampliação para 11 categorias e contaram com a opinião da indústria de data center, com o voto popular em 3 delas. A última cerimônia do DCD>Awards Latin America foi realizada no dia 26 de setembro, no Foro Masaryk (Cidade do México).

Empresas como Aceco TI, Afip, Antel, Ascenty, Banco Bradesco, Banco Santander, BT, Dataprev, Embratel, Entel, Epsilon, Equinix, Hewlett Packard Enterprise, Kio, Ministério da Cultura do Perú, Sonda, Telefonica e a Universidade Nacional da Colômbia foram algumas das premiadas.

Tags, , , , ,

Serviceaide e Lenanzotech firmam parceria no Brasil

A Serviceaide, empresa global fornecedora de soluções em gerenciamento de serviços, anuncia sua mais recente parceria, com a Lenanzotech, empresa voltada para soluções de infraestrutura de ponta a ponta, que atendem desde o usuário final até serviços para nuvem privada ou hibrida. Procurando unir o hardware, software e serviços em tecnologias que atendam de forma estratégica as necessidades de seus clientes, a escolha pela Serviceaide deveu-se, em parte, à primeira solução de agente virtual para gestão de serviços com inteligência artificial: a Luma.

Fundada em 2017, em São Paulo e, atualmente, com filiais no Rio de Janeiro e Recife, a Lenanotech conta com uma equipe de profissionais de TI com experiência de quase trinta anos em empresas como Dell, IBM, HP e Tivit. Com uma carteira de clientes que abrange todas as áreas do mercado, além de serviços totalmente focados em ITIL, áreas nas quais a Serviceaide se especializa, a empresa contará com uma equipe comercial e técnica. “Com nossos clientes cada vez mais cientes das vantagens competitivas da inteligência artificial, nossa parceria com a Serviceaide está alinhada diretamente à missão de entregar a melhor forma de automação de TI”, conta Alexandre Hogata, diretor executivo da Lenanotech.

A parceria prevê a venda e utilização das soluções ISM e Luma, da Serviceaide. Focadas em ITIL e inteiramente alinhadas ao gerenciamento de todos os tipos, o ISM é a solução para gestão de serviços completa e robusta, porém de simples administração, que reduz esforços do time de suporte e melhora a experiência do usuário final. Já a Luma, premiada como Inovação do Ano pela Pink Elephant, tem como grande diferencial a compreensão da linguagem natural dos usuários, ou seja, para solicitar ajuda ao agente de TI, não é mais necessário dizer palavras-chave, frases padrão ou acessar um menu telefônico específico. Tudo isso baseado em aprendizado de máquina e recursos de inteligência artificial.

“Iniciamos o desenho da parceria durante o evento do Gartner IODC: Conferência Gartner Infraestrutura de TI e acreditamos fortemente na escolha da Lenanotech como nova parceira. Com soluções movidas pelo core da Serviceaide, ITIL e gerenciamento de soluções de infraestrutura, a Lenanotech vem agregar de forma extremamente positiva nosso portfólio de parceiros”, destaca Daniel Sasajima, diretor para América Latina da Serviceaide.

A Serviceaide, que anunciou a abertura de operação no Brasil e América Latina em junho do ano passado, já conta com uma ampla rede de revendas, com canais parceiros em todo o território, e pretende continuar expandindo sua cobertura ao longo dos próximos meses.

Tags, , , ,

Ascenty anuncia novo data center em Sumaré

A Ascenty, empresa líder no mercado de data center com foco na América Latina, anuncia a construção de um novo data center no município de Sumaré, o 11º da empresa no Brasil. A primeira fase do projeto conta com um aporte de R$ 300 milhões e deve ser concluída até o início de 2019.

Sumaré é a segunda maior cidade da Região Metropolitana de Campinas, local estratégico para os planos de expansão da Ascenty. Ainda neste ano, a empresa anunciará as localidades de outros três centros de dados no País e finaliza 2019 com 14 data centers em operação no Brasil.

O novo investimento visa atender a demanda das empresas por infraestrutura de qualidade para alocar seus dados em nuvem. Marcos Siqueira, diretor de serviços da Ascenty, comenta que o crescimento da procura por soluções de cloud híbrida e conectividade também é alto. “Nos últimos anos temos visto uma procura cada vez maior por ambientes múltiplos de nuvem com interconexão entre si. A Ascenty se diferencia nesse aspecto, pois oferece conexão fim a fim, por meio da rede própria de fibra óptica, que conecta o escritório da empresa, os principais cloud providers e pontos de troca de tráfego, operadoras de telecom e data centers (da Ascenty ou de terceiros)”, destaca o executivo.

Tags, , ,

ACOM Sistemas melhora desempenho em cinco vezes com solução de cloud da Winov

Com foco na satisfação dos clientes, a ACOM Sistemas passou a disponibilizar o sistema EVEREST Gestão Empresarial em uma infraestrutura hiperconvergente de data center virtual fornecida pela empresa Winov.

O novo ambiente, resiliente, não fica off-line e garante processamento cinco vezes mais rápido que uma solução de cloud comum. Isso possibilita extração de relatórios, integração contábil e conciliação financeira que, geralmente, envolvem milhares de informações, de maneira muito mais eficiente.

O desempenho superior permite que a ACOM Sistemas entregue mais qualidade com preços mais atrativos em um modelo SaaS, de software como serviço. Os clientes não precisam mais gastar com infraestrutura própria de tecnologia da informação para usar o EVEREST.

“Nosso sistema roda no que há de melhor em soluções de cloud computing. Contamos com equipamentos de missão crítica hiperconvergente com tecnologia Nutanix, que garantem alta performance. Podemos multiplicar o número de clientes sem aumentar o investimento.”, explica Eduardo Ferreira, Diretor Operacional da ACOM Sistemas.

Raul Cesar Costa, Chief Product Officer da Winov, ressalta que também há um grande ganho em segurança: rígidos protocolos garantem total confiabilidade e alta disponibilidade de telecom, com IP próprio, que recupera dados instantaneamente quando, por exemplo, é mudada a rede em que se trafega.

“Outra facilidade está no atendimento. Nossos clientes podem, literalmente, bater na nossa porta, a qualquer momento, em busca de suporte. Para a equipe da ACOM, que fica a poucos metros da Winov, na cidade de Curitiba, a comodidade é ainda maior”, comenta Raul.

Eduardo Ferreira acrescenta que a ACOM Sistemas busca inovação contínua para que possa melhorar o desempenho dos clientes com uso de tecnologia e adianta: “já estamos estudando o que mais pode ser oferecido de benefícios além do ERP na nuvem”. Mais uma vantagem para a ACOM Sistemas foi a de se tornar, também, provedora de nuvem ao participar de um programa de canais oferecido pela Winov.

Tags, , , , , , ,

Ascenty inicia construção de novo data center em Jundiaí

A Ascenty, empresa líder no mercado de data center com foco na América Latina, anuncia a construção de uma segunda unidade no município de Jundiaí, a nona da empresa no Brasil. A primeira fase projeto conta com um aporte de R$150 milhões e deverá ser concluída no primeiro semestre de 2019.

“Jundiaí é um polo de negócios, industrial e logístico de importância nacional, que nos oferece uma excelente infraestrutura e localização, por isso, apostamos na construção de mais uma unidade no município. O data center Jundiaí 2 está estrategicamente localizado ao lado da unidade Jundiaí 1, o que permite uma ampliação das oportunidades aos clientes”, comenta Roberto Rio Branco, diretor institucional e marketing da Ascenty.

O novo investimento da companhia está em linha com o crescimento do mercado e visa atender a demanda das empresas por infraestrutura de qualidade. De acordo com o Gartner, os investimentos com sistemas de data center devem crescer 3,7% em 2018. A Ascenty atua no segmento com o modelo de colocation, que oferece aos clientes a infraestrutura necessária (espaço, refrigeração, energia elétrica, segurança predial etc.) para que eles montem e operem seus centros de dados.

“Neste ano, iniciaremos a construção de seis novas unidades no Brasil. O mercado continua com forte demanda por data centers de classe mundial, com alta conectividade e baixa latência, um dos diferenciais das ofertas da Ascenty”, afirma Roberto.

Com oito anos de mercado, a Ascenty oferece uma infraestrutura segura e totalmente redundante, certificada pelos principais órgãos internacionais. Todas as unidades da empresa possuem sistema de distribuição tri-bus (três linhas de energia estável atendendo cada módulo) e sistemas de diesel que permitem aos geradores uma autonomia de mais de 48 horas sem reabastecimento. No quesito segurança física, existe um monitoramento 24×7 com detecção automática de movimento em alta definição, além de uma equipe de segurança própria altamente capacitada.

Além disso, os data centers da companhia estão interconectados por redes de fibra óptica proprietárias, com mais de 4.500 km de extensão. Todas as unidades possuem certificações Tier III do Uptime Institute e TR3 da TÜV Rheinland, que atestam a qualidade da infraestrutura.

Tags, , , , , ,

Nutanix ajuda UNICURITIBA a reduzir tempo de processamento de dados em mais de 50% e consumo de energia no data center em 90%

A Nutanix (NASDAQ: NTNX), empresa líder em software para nuvem corporativa, anunciou a implantação da solução Enterprise Cloud OS no Centro Universitário Curitiba (UNICURITIBA) na cidade de Curitiba, (PR). Com o apoio da Servix Informática, o UNICURITIBA conheceu os benefícios da infraestrutura de hiperconvergência da Nutanix, que combina recursos de armazenamento e processamento de maneira única em um único dispositivo, usado em data centers de última geração. Desde que migrou para a Nutanix, o Centro Universitário viu uma redução significativa no tempo de processamento de dados, consumo de energia e aumento da produtividade.

Fundada em 1950, o UNICURITIBA, está sempre em busca de um constante aperfeiçoamento, mantendo o compromisso de preservar os avanços científicos e tecnológicos. Ao notar a necessidade de atualizar o data center do Centro Universitário para atender as demandas de negócios projetadas para o futuro tais como a implantação de novos sistemas para o controle acadêmico, soluções de Business Intelligence, automação de fluxo de trabalho e gerenciamento eletrônico de documentos, em 2016 a universidade avaliou a infraestrutura existente e, após uma avaliação detalhada, Almir Lucas Stasievski, Gerente de TI e Planejamento, buscou otimizar ainda mais o controle efetivo das operações da Instituição, considerando uma nova solução, com tecnologia de ponta.

Após uma prova de conceito bem-sucedida, com foco na validação da solução de virtualização AHV da Nutanix, a instituição decidiu implantar a solução em seu ambiente de produção. De acordo com Stasievski, a Nutanix foi selecionada principalmente devido à sua maturidade e liderança em tecnologia. Assim, o Centro Universitário migrou para a solução AHV para ajudar a possibilitar o avanço e a simplificação desejados para sua infraestrutura de TI.

Depois que a decisão foi tomada, todo o processo de migração levou 48 horas e não impactou a rotina do Centro Universitário. Isto é muito diferente do que seria uma migração tradicional do ambiente, estimada entre 5 a 7 dias e que exigiria alguma redução na operação do sistema, tanto para os alunos quanto para os funcionários.

O UNICURITIBA atualizou seu data center substituindo 11 servidores físicos, 112 servidores virtuais e 1 storage de 18 Terabytes por tecnologia hiperconvergente da Nutanix com 4 nós de processamento e 22 terabytes de área de storage com deduplicação, camadas e compactação 2: 1 e ECX. Essa atualização gerou vários benefícios: espaço e consumo de energia reduzidos no data center, ganhos de desempenho aprimorados, segurança física e escalabilidade, devido às facilidades futuras de backup na nuvem. Além dos resultados citados acima, a solução reduziu os custos de licenciamento, simplificou o controle da estrutura do data center e permitiu a redução do número de servidores virtuais para 63 VMs. A mudança para a tecnologia Nutanix melhorou o desempenho da aplicação e aumentou a produtividade em mais de 10%, além de reduzir o tempo de processamento de dados em mais de 50% e o consumo de energia do data center em 90%.

“Agora, todas as aplicações de negócios, como ERP, sistemas de folha de pagamento de funcionários e o banco de dados do SQL Server, estão sendo executados na plataforma Nutanix”, diz Stasievski. “Estamos sempre em busca de melhorias contínuas e muito comprometidos em preservar o progresso científico e tecnológico. Vimos a necessidade de atualizar nosso data center para atender cada vez melhor nossos alunos e funcionários”.

“A implementação no UNICURITIBA é apenas um exemplo do que a Nutanix pode fazer por qualquer empresa. Podemos otimizar a infraestrutura existente e reduzir o desperdício de recursos instantaneamente. Nesse caso, a validação do AHV foi fundamental na decisão de mudança. A equipe de TI do Centro Universitário agora pode se concentrar em seus negócios e a combinação de melhor desempenho e uma interface de usuário mais simples, garantida pela Nutanix possibilitou que a equipe se concentrasse em fornecer um melhor desempenho para os alunos, equipe acadêmica e administrativa, pesquisa e novos serviços para a comunidade”, conclui Leonel Oliveira, gerente geral da Nutanix no Brasil.

Tags, , , , , , , ,

Data centers da Ascenty recebem certificado PCI-DDS em todas as unidades

A Ascenty, empresa líder no mercado de data center com foco na América Latina, foi certificada com o selo internacional PCI-DSS (AoC – Attestation of Compliance) em todos os oito data centers em operação no Brasil. Organizada pela PCI Security Standards Council, essa certificação garante aos clientes o cumprimento dos pré-requisitos de segurança internacionais necessários ao processamento dos dados de cadastros bancários, sistemas de pagamentos e cartões de crédito que passam pelos data centers da Ascenty.

“Ter a certificação PCI-DSS em todos os nossos data centers é um grande diferencial para a Ascenty”, afirma Roberto Rio Branco, diretor institucional e marketing. O reconhecimento das unidades Campinas, Jundiaí, Fortaleza, Hortolândia, São Paulo 1 e São Paulo 2, Sumaré e Rio de Janeiro garante que a infraestrutura está adequada às normas de segurança de dados estabelecidas no Payment Card Industry Data Security Standard (PCI-DSS), o padrão adotado em todo o mundo pela indústria de cartões de crédito. “Empresas do segmento financeiro podem contar com a nossa infraestrutura já certificada e preparada para hospedar as suas transações financeiras”, ressalta Roberto.

Além dessa nova certificação, a Ascenty oferece uma infraestrutura segura e totalmente redundante, certificada pelos principais órgãos internacionais. A empresa conta com os selos TR3 da TÜV Rheinland, Tier III Design e Tier III Facilities do Uptime Institute, que avaliam equipamentos e estrutura das unidades. Em segurança da informação, a certificação ISO 27001 garante aos clientes da Ascenty confiabilidade, integridade e disponibilidade dos Data Centers. Em relação a serviços, a empresa é certificada pelo ISO/IEC 20000, a primeira norma mundial com foco específico em gerenciamento da qualidade de serviços de TI. Além disso, nos aspectos ambientais, a companhia foi a primeira empresa de Data Centers a receber a certificação ISO 14001, que se baseia no padrão da International Organization for Standardization (ISO) para implantação e operação de sistema de gestão ambiental sustentável.

Tags, , , , , , , ,

Datacenter da CommScope ganha 5 novos membros

A Alliance do datacenter multi-tenant (MTDC) da CommScope dá as boas-vindas a cinco novos membros em sua equipe, enquanto implementa um comitê de assessoria para ajudar a melhorar a experiência para operadores e clientes. O novo comitê inclui os mais influentes líderes dos fornecedores multi-tenant na indústria mundial, como a Digital Realty e a Equinix.

Criada em junho de 2017, a MTDC Alliance – parte da PartnerPRO™ Network da CommScope – foi formada para abordar as atuais mudanças nas quais as empresas optam por terceirizar data centers para ambientes compartilhados, não sendo necessário construir, manter e operar os seus próprios. Alugar espaço em uma MTDC permite aos proprietários de negócios aproveitar a disponibilidade, confiança e controle de custos otimizados de data centers. A Equinix foi o primeiro membro da PartnerPro Network a fazer parte da Alliance do MTDC.

Os novos membros têm vasta experiência:

Digital Realty apoia datacenters e estratégias de colocation de mais de 2.300 empresas ao redor do mundo, e seus entre seus clientes estão companhias nacionais e internacionais de todos os tamanhos.
RagingWire opera cerca de 140 mil metros quadrados de espaço de datacenter, com planos significativos de expansão em trabalhos na América do Norte.
T5 forneceu ou operou mais de 100 instalações de missão crítica contendo cerca de um milhão de metros quadrados de espaço para algumas das empresas líderes mundiais.
Cologix fornece datacenters e soluções de interconexão para 24 locais preferenciais em nove mercados de ponta estratégicos na América do Norte.
Aligned Energy é uma empresa de infraestrutura em tecnologia que oferece colocation e soluções feitas com escala para provedores de serviços gerenciados, nuvens e empresas.

O Comitê de Assessoria MTDC da CommScope ajudará os clientes a entenderem necessidades de produtos e soluções, bem como serviços que podem ser fornecidos por todos os membros. O conselho se reúne a cada semestre.

“Nosso comitê de assessoria MTDC pode ajudar os clientes a encontrarem a locação certa e o espaço que se ajusta a suas necessidades. Há muitas questões e estamos aqui para oferecer as respostas corretas para cada uma delas.”, disse Angela Haneklau, vice-presidente de vendas da CommScope.

Tags, , , , , ,