Category freelancer

Guia para incorporar freelancers nas empresas

Apenas no último ano, a atividade freelance cresceu 80%, de acordo com dados da Workana , maior plataforma que conecta freelancers a empresas da América Latina. Na plataforma, já são mais de 2,5 milhões de profissionais, e já foram realizados mais de 880 mil projetos. Em um momento em que as empresas estão com escassez de profissionais qualificados, especialmente na área de tecnologia, a contratação de freelancers pode ser uma boa alternativa para realizar projetos.

Além disso, os profissionais também estão buscando trabalhos mais flexíveis: dados da Workana apontam que 56% gostam de manejar seus próprios horários. De acordo com Daniel Schwebel, primeiro country manager da Workana no Brasil, o trabalho já não é tanto um lugar para onde vamos, e sim, algo que escolhemos para fazer. “Esta visão não somente impacta os trabalhadores como também transforma as organizações. As empresas são cada vez mais conscientes de que os recursos são limitados e que os projetos são infinitos. Ao enfrentar novos projetos, há também a contrapartida necessária de não superdimensionar estruturas com projetos que são cada vez mais solucionados baseados em datas e prazos específicos, e que geralmente podem durar até uma semana”, explica Schwebel.

De acordo com um estudo realizado pela Workana, cerca de 58% das empresas que contratam freelancers são multi ou transnacionais. Dos motivos para contratar esses profissionais, 42,5% das empresas apontam que necessitavam de um apoio externo para focar nas prioridades do negócio, 21,7% para realizar projetos pontuais e 16,3% pois acreditam que o freelancer pode somar ideias e experiências próprias que ajudem na realização ou aprimoramento de um projeto.

O executivo aponta que algumas das principais dúvidas que as empresas costumam ter na hora de contratar um freelancer é não saber do que o profissional é capaz e que tipo de perfis podem encontrar, ou ainda de que maneira e em quais projetos eles podem escolher avançar com essa opção.

Quais são os pontos de atenção?

• Ter claro uma data de início e de finalização de projeto (pelo menos estimada);

• Definir que tipo de entregáveis são esperados (aplicadas ao projeto) e em que condições espera-se receber. Exemplos: código fonte, manual de marcas, editáveis, etc;

• Canal de comunicação: é muito importante manter a comunicação de maneira contínua, estabelecendo horários e modalidades preferidas;

• Apresentação de avances: é importante acordar antecipadamente sobre a frequência e horário que se espera para que o profissional apresente os avances. Isto ajuda a fazer correções ao longo do percurso, se for necessário.

• Demanda por horas para o projeto: mínimo de horas requeridas semanais, se é necessário que trabalhe em um horário específico ou ainda ter um horário comum para responder consultas, atender chat de clientes, recepcionar chamadas, reuniões, etc.

O que já deve estar acordado?

Antes de iniciar a pesquisa, a organização deve realizar um exercício de reflexão e tentar cobrir a maioria dos seguintes requisitos.

• É importante ter um breve resumo do projeto que cubra o que é, o que se espera, como serão alcançados os objetivos, quando e com que orçamento. Este resumo deve ser o mais claro possível, não apenas para ajudar a definir quais perfis são indicados para o projeto, mas também como um documento no qual o cliente e o profissional possam começar a trabalhar.

• Definir se prefere que o projeto seja executado como um projeto fixo, com entregas definidas ou se a modalidade de horas é melhor opção, porque é esperado que se cumpram as tarefas especificadas, as quais podem mudar ao longo de um projeto.

• Material de trabalho: deve ser disponibilizado e definido o material que será entregue ao profissional para levar o projeto adiante, otimizar o tempo e a qualidade do trabalho.

Perguntas frequentes que as empresas realizam para a Workana

As perguntas mais frequentes estão sempre relacionadas com os medos e com as preocupações diante da modalidade de trabalho que ainda desconhecem.

1) Como posso controlar o que faz um freelancer que não se encontra trabalhando de maneira presencial no escritório?

As metodologias de controle podem ser várias, dependendo do tipo de projeto. A primeira metodologia é a comunicação, estabelecer um canal claro e direto com o freelancer é um ponto fundamental. Por sua vez, acordar uma reunião semanal ou quinzenal é recomendável sobretudo para projetos grandes. Outra metodologia de controle são as pré entregas. Programar para receber conteúdos que adiantem a entrega final, ajuda a ter visibilidade do trabalho do freelancer. Isso te possibilita a tomar ações corretivas sobre o andamento e evitar desvios na entrega final ou atrasos no projeto.

2) Se os prazos e objetivos do projeto são cumpridos.

É importante discutir esses pontos em uma reunião inicial com o freelancer. Para ter este ponto bem claro é importante que o cliente já tenha identificado para quando precisa do trabalho e qual é o objetivo e necessidade do mesmo, para poder transmitir ao profissional de forma clara. Cruzar estas informações com as entregas ajudam a otimizar a experiência.

3) Se os profissionais são idôneos para assumir seus projetos.

Neste ponto, é importante ter como parceiro uma plataforma de confiança que faça o intermédio desses contatos, como a Workana. Só assim será possível pedir ajuda caso haja algum problema na entrega do projeto.

4) Como assegurar a qualidade do produto final entregue pelo freelancer.

A qualidade no produto final é composta pela qualidade durante todo o processo, desde ter claro o objetivo do projeto resumido a um briefing, seguido pela seleção do recurso, conhecer o mesmo em uma entrevista e contar de forma clara o objetivo do trabalho.

Uma vez selecionado o recurso, deve-se implementar metodologias de controle e feedback, instâncias parciais de entrega e revisão de resultados com relação ao freelancer e o cliente por um trabalho de qualidade.

5) Como posso proteger as informações que necessito compartilhar com o profissional.

Dependendo do tipo de projeto que está sendo realizado, o profissional que irá executá-lo pode contar com uma informação parcial, ou ter acesso integral a ela. Se houver esta necessidade num projeto, nós da Workana sugerimos que o cliente faça um contrato NDA (Non Disclosure Agreement) para reforçar ao freelancer a importância da confidencialidade no projeto e em seu conteúdo.

6) Se é possível realizar trabalhos de forma presencial.

O core da Workana é o trabalho remoto, já que acessamos o talento através de qualquer zona geográfica de onde se encontra o escritório do cliente. No momento em que limitamos uma determinada zona, a quantidade de profissionais passa a ser menor. Tendo em conta estes pontos, temos feito alguns projetos de forma presencial, nos quais incorremos em contratar um seguro para o freelancer pelos dias em que o projeto está em andamento, sendo os custos do seguro assumidos pelo cliente.

A Workana tem profissionais de diversas formações e especificações. Os principais perfis vão desde habilidades de TI e Programação, Marketing Digital, Design e Multimídia, Redação e Tradução, etc. Mas também temos outras categorias que já nos solicitaram, como engenheiros, especialistas em comunicação, perfis de finanças, equipe de vendas. Os requerimentos foram vários e nossa base é muito boa.

Mercado freelance: oportunidade acima dos 50 anos

Na atividade freelance, profissionais mais qualificados e experientes ganham mais: é o que aponta um estudo realizado pela Workana , maior plataforma que conecta freelancers a empresas da América Latina. Em meio ao envelhecimento da população, os dados apontam um caminho positivo para profissionais acima dos 50 anos, que representam 13% dentro da plataforma.

Dentre esses profissionais, 60% possuem título de graduação ou pós graduação. Os dados apontam, ainda, que, proporcionalmente, a porcentagem de freelancers acima dos 50 anos que recebem ticket médio superior a 4 mil dólares é maior quando comparado aos mais jovens. Guillermo Bracciaforte, cofundador da Workana, afirma: “Nossos estudos revelam insights positivos entre os freelancers acima dos 50 anos, que já carregam bagagem e maturidade de mercado e ainda são qualificados. Com esses diferenciais, este público está sendo valorizado e percebido pelas empresas”.

Bracciaforte aponta que o principal diferencial da atividade freelance em relação à remuneração é o empoderamento que o trabalhador tem de definir o quanto quer ganhar. “Em um mercado que, muitas vezes, exige muitas habilidades e nem sempre paga o que deveria, a modalidade freelance coloca nas mãos do trabalhador a escolha de quanto cobrar pelo seu trabalho. E quem acha que as empresas não querem pagar, se engana: vemos cada vez mais na Workana empresas buscando profissionais altamente qualificados para desenvolver projetos específicos, o que abre uma excelente oportunidade para quem busca um trabalho mais flexível e que valorize suas habilidades”, analisa.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a população acima de 60 anos no país deve chegar a 25,5% da população brasileira até 2060; o que aponta que haverá escassez de mão de obra caso não haja inserção ou reinserção de profissionais acima de 50 anos gradativamente no mercado. Dados da Workana apontam que as áreas mais exploradas para os projetos freelancers, desta faixa etária, são: 22% em suporte administrativo, 21% em tradução e conteúdos, 13% marketing e vendas e 12% TI e Programação.

O designer Jailton Silva de França, de 55 anos, encontrou na atividade freelance a possibilidade de exercer sua profissão mesmo com os desafios do mercado. “A área de design tem um certo preconceito com profissionais que atingem certa idade, o que não acontece na modalidade freelance. Além disso, tenho a praticidade de definir meu próprio salário e os horários em que vou trabalhar”, conta. O profissional destaca, ainda, que as dificuldades que tinha antes de ser freelancer, como a falta de oportunidades por barreiras físicas e desvalorização do trabalho, não existem mais.

Ainda de acordo com Guillermo, a modalidade freelance é uma tendência que o mercado já está vivenciando. “Para as empresas que contratam profissionais freelancers, o retorno é positivo pela experiência de mercado que o profissional carrega consigo. Outro fator é com relação ao aumento da expectativa de vida, quando comparado a décadas atrás, isso também impacta no período produtivo prolongado das pessoas. Profissionais acima dos cinquenta anos podem agregar muito para as equipes com as quais trabalham, compartilhando conhecimento, inclusive de maneira remota.”, finaliza o cofundador.

A Workana, maior plataforma que conecta freelancers a empresas da América Latina,tem à disposição mais de 2,5 milhões de profissionais de toda a América Latina. Na plataforma é possível contratar e oferecer serviços nas áreas de TI e programação, design e multimídia, tradução e conteúdos, marketing e vendas, suporte administrativo, jurídico, finanças e administração e engenharia e manufatura. Para encontrar, basta acessar o site http://www.workana.com.

Tags, , ,

Pessoas que mudaram de vida com a atividade freelance

Cada vez mais, o mercado de trabalho está mudando. Há alguns anos, para um profissional se tornar seu próprio chefe sem um grande investimento, era algo impensável, assim como ser financeiramente independente sem uma carteira assinada e começar uma carreira nova depois dos 40 anos. Felizmente, com a chegada da tecnologia, modalidades de trabalho como a de freelancer se popularizaram, o que permitiu uma nova realidade no mercado

Em 2018, o número de microempreendedores individuais (MEIs) cresceu mais de 50%, de acordo com dados do Portal do Empreendedor, e com isso, a atividade freelance também aumentou: segundo um levantamento realizado pela Workana, plataforma de trabalho freelance com atuação em toda a América Latina, a modalidade cresceu 80% em 2018.

No último ano, áreas como Design e Suporte administrativo vem sendo áreas muito procuradas na plataforma, sendo a última, a área de atuação de Carla Larrossa e Janeh Ribeiro, dois exemplos de como a atividade freelance pode proporcionar tanto um estilo de vida diferente, como oportunidades que não são tão comuns em trabalhos convencionais.

Janeh é freelancer na Workana e trabalha com tradução, conteúdos e Suporte Administrativo. Nos últimos anos, mudou significativamente a sua vida e passou a viajar pelas Américas enquanto trabalha freelance. “Há dois anos e meio decidimos quebrar paradigmas e mudar radicalmente nossa vida. Deixamos empregos, vendemos casa, carro, móveis, compramos um motor home e saímos para um projeto, de um ano, rodando pelas Américas. Fomos do Brasil aos Estados Unidos e voltamos”, diz Janeh.

Já Carla Larrossa é redatora freelance e também trabalha na área de suporte administrativo. Ficou desempregada quando seus empregadores descobriram que estava grávida, por isso precisou buscar uma alternativa para continuar trabalhando. “O trabalho como freelancer proporciona tudo o que sempre desejei: possibilidade de passar mais tempo com minha filha e independência financeira”, conta Carla.

Dentro da plataforma, uma das áreas que mais geram demandas é de TI e Programação, onde atua Raul Galvão, que de freelancer passou a ser empreendedor em pouco tempo. Ele largou o seu emprego e começou a trabalhar como freelancer. Já no primeiro mês, conseguiu ganhar o dobro do que ganhava como funcionário. “Em 6 meses abri a empresa, formalizei e contratei meu primeiro funcionário. Hoje já conto com 5 funcionários internos mais equipe de parceiros freelancers”, diz Raul.

A profissão de freelancer também possibilita que profissionais que não iniciaram as suas carreiras na era digital, iniciem novas carreiras. O trabalho remoto apresentou um novo rumo para Marilia de Mello, que tendo mais de 20 anos de experiência como assistente de diretoria, não conseguia mais recolocação no mercado de trabalho devido a idade. Conheceu a Workana por meio de sua filha, e encontrou no trabalho a distância uma solução para a sua infelicidade que resultou em um infarto. “Ninguém perguntou quantos anos tinha, só viam o tamanho de minha experiência”, conta Marília. E em apenas quatro meses, ela já está vivendo da nova profissão.

Na Workana é possível contratar e oferecer serviços nas áreas de TI e programação, design e multimídia, tradução e conteúdos, marketing e vendas, suporte administrativo, jurídico, finanças e administração e engenharia e manufatura. Para encontrar, basta acessar o site www.workana.com.

Profissionais de TI são os freelancers mais procurados pelas empresas

Um estudo realizado pela Workana, plataforma de trabalho freelance com atuação em toda a América Latina, revela que as categorias mais contratadas para trabalhos freelancers estão relacionadas com o mercado digital, como é o caso de TI e Programação (30%) e Design e Multimídia (28%). De acordo com a consultoria americana IDC, existem cerca de 250 mil postos de trabalho para profissionais de tecnologia no Brasil, um setor que movimentou US$ 38 bilhões só em 2017.

Segundo Guillermo Bracciaforte, cofundador da Workana, os profissionais freelancers são uma alternativa para cobrir essa demanda, já que podem prestar seus serviços para empresas de todo o mundo. “Como não há a preocupação de ser alocado, o mesmo profissional pode trabalhar para mais de uma organização e não necessariamente estar próximo à ela”.

A lista continua com Marketing e Vendas 33%, Tradução e Conteúdos 10%, Finanças e Administração 5%, Suporte Administrativo 3%, Jurídico 2% e Engenharia e Manufatura 2%. A pesquisa ainda mostra o ticket médio de cada categoria, o que representa em sua maioria projetos de curto prazo (68% do total de projetos publicados na Workana). Veja a lista abaixo:

  1. Tradução e conteúdos – R$ 175

  2. Design & Multimídia – R$ 390

  3. TI e Programação – R$ 950

  4. Marketing e Vendas – R$ 460

  5. Suporte Administrativo – R$ 370

  6. Finanças e Administração – R$ 660

  7. Engenharia e manufatura – R$ 980

  8. Jurídico – R$ 720

De acordo com o cofundador da plataforma, a tendência é que a modalidade siga crescendo, já que em 2017 a atividade apresentou um aumento de 80% em comparação com o ano anterior e 2018 deve manter a mesma porcentagem. “Os profissionais vêm encontrando no trabalho freelance uma oportunidade de ampliar sua atuação profissional, além de obter uma renda extra”, explica.

Já para as empresas, Bracciaforte destaca a vantagem de ter à disposição profissionais qualificados e experientes, que podem desempenhar um papel importante para as empresas em necessidades pontuais. “A contratação freelance atua como mais uma ferramenta para os micro e pequenos empreendedores que buscam crescer e se tornar mais competitivos, pois alia excelentes profissionais de diversas áreas ao mesmo tempo que otimiza os custos”, finaliza.

Tags, , , ,

Cinco passos para estabelecer uma rotina de trabalho freelancer

Que encontrar um emprego fixo está cada vez mais difícil, já ficou mais do que claro. E esse quadro, pelo que parece, ainda está longe de melhorar. Números do IBGE mostram que 24,7% da força de trabalho, ou seja, 27,7 milhões de pessoas estão sem emprego no Brasil, incluindo os desempregados, aqueles que gostariam de trabalhar e os que desistiram de procurar uma posição fixa.

Para driblar essa situação, as empresas recorrem cada vez mais aos profissionais freelancer, como alternativa para a contratação de jobs nas mais diversas áreas, em detrimento a contratos via CLT. Os profissionais, por sua vez, também veem no segmento uma opção de conseguir uma grana extra ou até mesmo de se consolidar na área.

Porém, antes de decidir atuar por conta própria, é preciso estabelecer uma rotina de trabalho, a fim de manter a organização e a produtividade. Para ajudá-lo nesse processo, o Freelancer.com, maior mercado para freelancers e crowdsourcing do mundo pelo número total de usuários e projetos postados, separou em alguns passos, qual a melhor maneira de fazer isso e obter sucesso na jornada como freelancer.

Defina um local de trabalho: antes de mais nada, prepare um canto específico para desenvolver as atividades diárias, de preferência longe do sofá, da televisão, do videogame, das redes sociais ou de qualquer outra distração. Entenda que esse é um trabalho como outro qualquer e que ele exige concentração e disciplina. Além disso, deixe claro para todo mundo que mora com você que esse é o seu ambiente de trabalho e que ele precisa ser respeitado.

Determine um horário: quantas vezes você já se pegou fazendo um job de madrugada ou no final de semana? É até natural que o freelancer tenha horários mais flexíveis, mas isso precisa ser exceção, já que procrastinar as tarefas pode afetar demais a produtividade. Por isso, defina um período diário para trabalhar, de preferência no horário comercial. Afinal, todo mundo tem uma vida pessoal e misturar as duas esferas não é nada bom para a carreira.

Organize a sua agenda: dependendo do número de tarefas que o freelance acumular, é muito difícil fazer um trabalho bem feito sem uma organização eficaz! Seja através de uma agenda física ou online, de um aplicativo – ótimas opções são o Trello e o Todoist – de um quadro, da planilha do Excel, ou até mesmo do Google Calendar, deixe anotado todos os jobs pendentes, crie um cronograma e estabeleça as prioridades diárias. Se achar necessário, faça um checklist! Você vai ver que essa regra simples vai facilitar, e muito, o seu dia a dia.

Separe um tempo para você: assim como costuma acontecer em um trabalho tradicional, é preciso fazer pequenas pausas durante o dia para tomar um café, comer algo, se alongar, entre outros intervalos rápidos. Só que com a vantagem de que você mesmo poderá fazer essa gestão do tempo, definindo o número de pausas e quanto tempo elas terão. Porém, tome cuidado para não extrapolar os limites e acabar deixando tarefas para depois.

Cuide da sua saúde: Com freelancer, é fácil manter uma rotina desregrada, com atitudes que prejudicam à saúde, como dormir pouco ou de madrugada, não ter hora para almoçar ou comer muita ‘besteira’, e até mesmo, por ficar com preguiça de sair de casa, evitar atividades físicas. Ao contrário disso, aproveite o tempo que perderia com deslocamentos para fazer exercícios pela manhã, estabeleça um horário de almoço e saiba a hora de parar. Não deixe, ainda, de planejar consultas médicas, sempre que possível!

Tags, , , , ,

Novo espaço para freelancers mais qualificados é lançado na América Latina

O trabalho freelance é repleto de desafios, mas pode ser muito recompensador para os profissionais que mais se destacam na área. Para reconhecer e unir melhores clientes e freelancers, a Workana, plataforma de trabalho freelance com atuação em toda a América Latina, acaba de lançar a Workana Pro, um novo serviço gratuito desenvolvido especialmente para os profissionais mais experientes e melhor qualificados, que poderão ser encontrados por empresas de toda a região que buscam mais qualidade para os seus projetos.

Para os profissionais, os benefícios envolvem projetos com maior ticket médio, mais chances de conseguir um trabalho e a oportunidade de atuar com os melhores clientes. Guillermo Bracciaforte, cofundador da Workana, conta que a iniciativa de criar a Workana Pro surgiu com o objetivo de valorizar os profissionais mais dedicados. “Como plataforma que une os profissionais aos clientes, buscamos sempre proporcionar oportunidades cada vez melhores para esses trabalhadores freelancers, além de colocar à disposição das empresas pessoas bem qualificadas e experientes”, analisa Bracciaforte.

A plataforma irá selecionar automaticamente os profissionais com avaliação superior a 4.5 estrelas, que não tenham problemas com trabalhos anteriores no sistema e que tenham realizado pelo menos dez projetos bem avaliados. Para Bracciaforte, a expectativa é movimentar ainda mais o mercado freelance, dando a chance para os trabalhadores encontrarem projetos em PMEs de destaque e facilitando a seleção para que as empresas encontrem a pessoa perfeita para cada projeto. “No Brasil, temos uma média de 300 projetos publicados por dia. A Workana Pro vem para trazer uma nova experiência de contratação, levando a atividade freelance a um novo patamar”, finaliza.

Na Workana é possível contratar e oferecer serviços nas áreas de TI e programação, design e multimídia, tradução e conteúdos, marketing e vendas, suporte administrativo, jurídico, finanças e administração e engenharia e manufatura. Para encontrar, basta acessar o site www.workana.com.

Tags, ,

Workana recebe aporte de R$ 23 milhões e expande para Sudeste Asiático

A Workana, plataforma de trabalho freelance com atuação em toda a América Latina, acaba de anunciar o maior investimento desde sua fundação. Por meio da SEEK, acionista de empresas como Brasil Online Holdings – controladora da Catho – e OCC (Centro Online de Carreiras do México), a empresa recebe o aporte de R$ 23 milhões. Com o valor, a Workana, que já conta com mais de um milhão de freelancers cadastrados, busca manter a liderança na América Latina enquanto expande para o Sudeste Asiático.

Guillermo Bracciaforte, cofundador da Workana, conta que é o maior investimento já recebido pela empresa. “Pela primeira vez, não vamos só continuar com o crescimento forte na América Latina, agora temos planos para expandir a Workana para novas regiões onde achamos que vamos ter uma vantagem competitiva com o que temos aprendido nestes primeiros seis anos. São planos muito ambiciosos e estamos ainda em fase de planejamento, mas temos muita certeza que a oportunidade é grande para uma empresa da América Latina dar certo no resto do mundo no mercado de trabalho online”, conta Bracciaforte.

O executivo aponta que a escolha pelo Sudeste Asiático acompanha o forte crescimento do mercado online da região. De acordo com um relatório do Google e Temasek, a região deve alcançar a posição de líder em uso de internet em 2018: os consumidores locais são os que mais gastam tempo na internet mobile do que qualquer outro país, com 3,6 horas por dia, e o número de usuários ativos por mês alcançou 330 milhões em 2017. Bracciaforte analisa que o crescimento do mercado digital demanda profissionais qualificados e atualizados, o que pode ser uma boa oportunidade para fomentar a atividade freelance local.

Esse é o quarto investimento recebido pela Workana, totalizando mais de R$ 35 milhões desde 2012. De acordo com Bracciaforte, a nova conquista da empresa vem para continuar o investimento para oferecer uma plataforma cada vez melhor para as PMEs e freelancers cadastrados, além de alimentar uma forte expansão internacional da empresa, que atualmente possui 75% de market share na América Latina.

Tags, , , , ,

Workana alcança mais de um milhão de freelancers cadastrados

Que a atividade freelance vem crescendo exponencialmente, isso não é novidade: em 2017 a modalidade cresceu 70% na América Latina. Com isso, a Workana, plataforma de trabalho freelance com atuação em toda a América Latina, também cresceu, e atingiu no último ano a marca de mais de um milhão de freelancers cadastrados.

O número de projetos solicitados no site também aumentou. Desde a criação da Workana, já foram publicados mais de 230 mil projetos, desses, 120 mil apenas em 2017, um crescimento de 80% em relação ao ano anterior. Guillermo Bracciaforte, cofundador da Workana, aponta que a tendência é que o número cresça ainda mais em 2018. “O perfil do profissional vem mudando, os trabalhadores vêm buscando novas formas de trabalhar que se adaptem melhor à sua rotina. Na atividade freelance é o profissional que define como quer trabalhar e o quanto quer ganhar, o que acaba conquistando aqueles que prezam por uma rotina flexível”, explica Bracciaforte.

Dentre os projetos publicados na plataforma, 36% são voltados para a área de TI, 28% de design, 20% conteúdos e 10% marketing e vendas. Bracciaforte analisa que as empresas estão se posicionando cada vez mais no meio digital, e que o crescimento de profissões nessas áreas é decorrente da necessidade do mercado. “Na Workana já foram realizados mais de 20 mil projetos de aplicativos e mais de 65 mil sites. As empresas procuram o trabalho freelance pois é possível contratar um profissional para realizar uma atividade específica e negociar o prazo ideal de maneira simples e rápida, o que ajuda principalmente pequenas e médias empresas”, explica.

Na Workana é possível contratar e oferecer serviços nas áreas de TI e programação, design e multimídia, tradução e conteúdos, marketing e vendas, suporte administrativo, jurídico, finanças e administração e engenharia e manufatura. Para encontrar, basta acessar o site www.workana.com.

Tags, , , , , , , ,

Como um empreendedor expandiu seu negócio para oito países com o trabalho de freelancers

Quando se tem vontade de empreender, é preciso ter, além de força de vontade e conhecimento, profissionais qualificados para tornar esse sonho realidade. E foi por meio da Workana, plataforma de trabalho freelance com atuação em toda a América Latina, que o empreendedor Gustavo Silva, fundador do aplicativo NutriSoft Brazil, encontrou os profissionais que precisava e expandiu seu negócio para oito países.

Com uma ideia e quase nenhum dinheiro para investir inicialmente, Gustavo apostou em seu sonho e correu atrás de tudo o que era necessário para tirar seu projeto do papel. O desafio era grande: um estudante de Sistemas de Informação criando um app de nutrição e saúde, tema do qual não tinha nenhum conhecimento. “Fiz uma pesquisa, baixei todos os apps que seriam meus principais concorrentes, listei os pontos positivos e negativos de cada um. Meu aplicativo não poderia ter nenhum dos negativos, mas deveria unir todos os positivos em um só”, conta Gustavo.

Pesquisando sobre o mercado de aplicativos, Gustavo percebeu também que precisava traduzir seu software para entrar em novos mercados. Mas como fazer isso com qualidade quando o orçamento ainda é apertado? Nesse momento, Gustavo foi atrás de freelancers e encontrou na Workana a possibilidade de contratar profissionais de tradução para cada etapa que precisava executar. O empreendedor ressalta que esse foi o ponto essencial para a expansão da empresa. “O primeiro projeto que contratei pela Workana foi em 2014, e continuo fazendo vários projetos desde então, nas áreas de tradução, desenvolvimento, design e vendas”, afirma.

O cofundador da Workana, Guillermo Bracciaforte, conta que o trabalho freelance vem crescendo exponencialmente e oferecendo mais oportunidades tanto para profissionais quanto para empreendedores. “Quando uma empresa está começando, é necessário desenvolver projetos em diversas áreas, seja produção de conteúdo, marketing ou TI. Porém, nem sempre é possível contratar profissionais de todas as áreas logo no início. Os profissionais freelancers podem oferecer um trabalho qualificado para atender a cada demanda de uma empresa e ajudá-la a crescer”, diz Bracciaforte. Só em 2017, foram publicados mais de 120 mil projetos de empresas brasileiras na Workana, um crescimento de 71% em relação ao ano anterior, o que mostra que os empreendedores vêm buscando cada vez mais os profissionais freelancers.

A Workana tem à disposição profissionais de toda a América Latina para desenvolver projetos das mais variadas categorias, além de oferecer oportunidades para profissionais freelancers. Para encontrar, basta acessar o site www.workana.com.

Tags, , , , , , , , ,

Freelancer.com lança desafio mundial de crowdsourcing, com prêmios que somam US$ 25 mil

O Freelancer.com, maior plataforma do mundo de freelancer e crowdsourcing do mercado em número de usuários e trabalhos publicados, atingiu a marca de 25 milhões de usuários, ultrapassando a população da Austrália, país onde a empresa foi criada. E para comemorar a conquista, o site lança o desafio “Expose the Freelancer.com Logo”, com premios que somam US$ 25 mil.

Durante o próximo mês, os usuários dos 247 países, regiões e territórios em que o Freelancer.com está presente, serão convidados a participar de uma simples tarefa de crowdsourcing – fazer o download do logotipo da empresa e promovê-lo. O objetivo é mostrar o logo do Freelancer ao maior número possível de pessoas e documentar em vídeo. Os vídeos mais impressionantes terão a chance de ganhar um total de US$ 25 mil, em 10 categorias. Os valores dos prêmios variam de US$ 1mil, a US$ 10 mil. Confira as regras de participação no link.

Em anos anteriores, houve participantes que organizaram seus próprios eventos Freelancer, estamparam o logo em outdoors, ônibus. Outros, realizaram atividades extremas, como saltos de paraquedas e bungee jumping, por exemplo.

A Índia continua a ser a maior nacionalidade presente na plataforma, com 4,8 milhões de usuários cadastrados. Seguida por Estados Unidos, com 3,2 milhões de usuários, Brasil, Reino Unido, Paquistão, Indonésia, Filipinas, Austrália, Bangladesh e Canadá. EUA, Reino Unido, Canadá e Austrália são os principais empregadores no site.

Em um dia típico, o Freelancer.com registra, aproximadamente, 12 mil novos usuários e mais de 8 mil novos projetos. Com 94 ofertas de freelancers e 360 mensagens enviadas, muito acontece em um minuto Freelancer.

O Freelancer, hoje, suporta 34 idiomas, incluindo espanhol, russo, tailandês, húngaro e Bahasa indonésio. Juntamente com 28 moedas do mais comum, como dólar australiano, dólar americano, libra britânica e euro, até curtimentos do dólar de Cingapura, real, coroa dinamarquesa e yen japonês.

Desde a sua criação, em 2009, o Freelancer.com tornou-se a maior plataforma de freelancer e crowdsourcing online do mundo, em número total de usuários e trabalhos publicados. São mais de 12,28 milhões de projetos postados, que vão desde o desenvolvimento de um óculos de realidade virtual até a construção de um novo mercado. Algumas das últimas adições nas habilidades foram nos campos em crescimento de Bitcoin e realidades mistas. (Esclarecimento: Freelancer.com não aceita Bitcoin como método de pagamento).

Não são apenas empreendedores ambiciosos se aproveitando a experiência global no site, já que 70% das empresas da Fortune 500 (lista que classifica as 500 maiores corporações em todo o mundo, medido por sua receita; a lista é compilada e publicada anualmente pela revista Fortune) usam a plataforma para contratar freelancers. Alguns dos desafios de crowdsourcing mais inspiradores vieram da NASA, que tem usado freelancers para resolver problemas complexos enfrentados pelos astronautas durante as missões espaciais, na Estação Espacial Internacional. Para mais informações acesse o link.

“Sabemos que muitas pessoas confiam na plataforma como sua principal fonte de renda ou como ferramenta para impulsionar sua ideia de negócio. E é, por isso, que estamos, constantemente, procurando melhorar essa experiência. Nos motiva ler alguns dos comentários de nossos usuários sobre como o Freelancer mudou as suas vidas, isso deve servir como um lembrete para todos sobre o poder da tecnologia quando conectada à engenhosidade humana “, diz Matt Barrie, CEO do Freelancer.com.

Tags,

Qual é o melhor modelo de precificação para trabalho como freelancer?

Por Cristiano Mendes, Diretor de Produtos da GoDaddy para América Latina, maior plataforma de cloud dedicada a pequenos negócios e empreendimentos independentes

Essa é provavelmente a maior pergunta que qualquer freelancer: qual a melhor forma de precificar meus serviços? Qual o melhor modelo para o meu negócio?

Normalmente, é o departamento de recursos humanos que decide o valor de um funcionário numa empresa e muitos tendem a subestimar as habilidades do profissional fora da organização, desconsiderando os conhecimentos e habilidades que ele não necessariamente aplica na companhia. Por isso, uma vez que contamos as horas e salários da maioria dos desenvolvedores e web designers que trabalham em tempo integral, a desvalorização é ainda mais pronunciada, já que existem fatores que não foram inicialmente considerados.

Portanto, para ter uma boa ideia do seu valor, considere o que você traz de benefícios para um cliente que precisa de um novo site e não tem tempo, habilidades ou ambos para fazê-lo sozinho.

De acordo com Cody Landefeld, consultor web da Mode Effect com experiência no mercado, para decidir sobre um modelo de precificação, considere esses quatro fatores:

1. Determine o verdadeiro valor do seu negócio

Como qualquer negócio, o design e desenvolvimento de sites requer ferramentas que custam dinheiro. Esses são os investimentos que devem ser contabilizados na hora de pensar no seu modelo de precificação. Portanto, a primeira coisa que deve ser feita é listar esses custos, por exemplo:

Equipamentos: computadores, monitores, softwares e manutenção.
Licenças e assinaturas: hospedagem, domínios, add-ons premium para softwares, como Shutterstock, ThemeFoster, plataformas para gerenciamento e etc.
Despesas gerais: Internet, telefone, aluguel (mesmo se você trabalha de casa), utilidades.
Tudo isso é o quanto você investe no seu negócio simplesmente para ele existir. Mesmo parecendo que você não gasta nada trabalhando de casa, você está usando mais coisas do que você usaria se trabalhasse numa empresa. Por exemplo, eletricidade que estará ligada por longos períodos de tempo.

Em segundo lugar, pense nos gastos direcionados para o desenvolvimento e manutenção de suas habilidades técnicas necessárias para o projeto. Isso pode incluir:

Treinamento e cursos: valores e gastos relacionados a aulas e transporte.
Marketing: custos com publicidade, ingressos e viagens para eventos do setor, blog sobre seu negócio (ou se você contrata alguém para a produção desse conteúdo), tempo gasto em mídias sociais (promovendo seus serviços).
Tudo isso deve ser adicionado aos seus custos operacionais.

2. Eduque seus clientes sobre seus custos

“É melhor para web designers me cobrar por hora trabalhada ou por projeto?”

Essa é a pergunta que seus clientes vão fazer quando visualizarem seu portfólio. No entanto, não é uma forma justa de encarar o valor do seu trabalho como profissional web. Talvez uma conversa mais ampla sobre custos de criação de sites para o cliente e para o provedor, por exemplo, pode ser esclarecedora para o cliente entender o valor real de cada processo.

Modelos e guias prontos de precificação são excelentes exemplos para mostrar o básico sobre custos de desenvolvimento necessários para construir um site simples e eficiente. Um bom manual de diretrizes pode ajudar a educar os clientes sobre os gastos reais para eles e para o desenvolvedor que ele contratar.

Em adição a isso, atualmente existe uma demanda sobre transparência. Se você utiliza ferramentas conhecidas e bem avaliadas no mercado, não tem porque não abrir a informação de valores de registro de domínios, hospedagem, templates, plug-ins, e suporte ao conteúdo para seus clientes.

3. Entenda os pros e os contras da cobrança por hora vs por projeto

Se você considera estabelecer uma taxa fixa uma tarefa difícil, decidir como cobrar seus serviços pode ser igualmente desafiador. Opiniões e preferências sobre precificação por hora ou projeto variam de pessoa para pessoa (tanto profissionais quanto clientes).

Cobrança por hora

A maioria dos freelancers começam cobrando por hora, pois não sabem exatamente quanto deveriam cobrar. Muitos usarão como base os salários de experiências antigas, muitas vezes de regime tradicional. No entanto, seguindo essa lógica, se você for realmente cobrar por hora, você deve pesquisar o valor pago para funcionários com seu nível de expertise e então adicionar os custos listados acima.

Alguns dos benefícios da cobrança por hora são que te dá uma ideia mais concreta sobre quanto tempo leva para concluir diferentes projetos, o que pode te ajudar no planejamento de seu cronograma, ajuda o cliente a ter mais noção do valor do seu tempo e torna a cobrança mais prática caso você ofereça serviços adicionais, fora do pacote (como a criação de um logo ou animação).

Cobrança por projeto

Muitos clientes pedem pelo valor do projeto como um todo porque é mais fácil de calcular em seus orçamentos de marketing. Existem diversas vantagens para os freelancers nesse modelo de cobrança, como te ajudar a obter lucro mais rápido, já que você vai aprimorar suas habilidades e pode terminar o projeto com mais agilidade; os clientes tendem a ver mais valor, pois eles estão acompanhando o mesmo relógio que o seu durante a etapa de criação do design; você pode cobrar por serviços pequenos e simples separadamente de forma que o cliente consiga pagar por cada um, um de cada vez, conforme necessário.

Além disso, passar a cobrar por projeto pode ser um indicativo de que você está a um passo da cobrança por hora.

Uma vez que você identifica o uso do seu tempo em diferentes tipos de projetos, você pode prever com mais precisão quanta horas são necessárias para cada atividade. Converta essas horas em honorários do projeto e calcule também nas interrupções e gastos extras que podem surgir e adicionar custos.

4. Considere misturar as duas opções e ofereça um modelo híbrido de precificação

Alguns designers cobram um valor fechado para o desenvolvimento do site e depois por hora trabalhada para serviços adicionais que não fazem parte do escopo do projeto. Como por exemplo, manutenção do site, atualização de software e conteúdo e mudanças depois do término do site.

Esse modelo misturado pode ser favorável, pois permite certa flexibilidade, evitando renegociações demoradas caso o cliente peça por algum serviço que não estava considerado no projeto inicial.

De qualquer forma, utilize seu modelo de precificação para lembrar os clientes de que a cobrança é principalmente pela criação do design e desenvolvimento, que são as etapas mais trabalhosas. Nem todos os clientes entenderão o valor verdadeiro necessário para criar um site e colocá-lo no ar, mas mostrando tudo de forma clara e transparente, será mais fácil de ajuda-los a perceber.

Pode levar um tempo até que você ajuste o modelo e adote o melhor para seu trabalho, equilibrando seus gastos, o valor entregue ao cliente e o tempo que você leva para criar um site, mas com tempo e experiência, você vai encontrar o correto e que funcione melhor para você. Dessa forma, você poderá se manter competitivo enquanto gera uma renda sustentável e faz o que ama.

Tags, , ,

Com mercado freelancer em crescimento, Workana anuncia nova rodada de investimento do Grupo SEEK

A Workana, plataforma de trabalho freelance com atuação em toda a América Latina, anunciou mais uma rodada de investimento de R$ 8 milhões realizada pelo grupo SEEK e acionistas existentes. Com a quantia, a Workana pretende manter o ritmo saudável de crescimento que apresentou em 2016, investindo principalmente na área de marketing para consolidar a Workana como líder do mercado latino-americano.

Há um ano, o grupo, que é acionista de empresas como a Brazil Online Holdings, controladora da Catho no Brasil e da OCC no México, já havia realizado a primeira rodada do investimento na empresa, com o mesmo valor. Na época, o valor foi investido para contratar profissionais de TI, realizar melhorias na plataforma e, principalmente, no desenvolvimento da versão mobile.

De acordo com Tomas O’Farrell, co-fundador da companhia, o novo investimento irá ajudar a Workana a cumprir as suas metas de crescimento. “A cada ano, nós estamos duplicando em volume em quase todas as métricas relevantes. Já atingimos 70% de participação do mercado da América Latina, e continuaremos crescendo”, completa o executivo.

Com uma equipe de 35 profissionais em dois escritórios localizados no Brasil e na Argentina, a empresa atrai usuários de toda a América Latina e conecta mais de 500 mil freelancers com quem precisa de serviços freelance, como desenvolvedores de sistemas web e aplicativos, profissionais de marketing, designers gráficos, tradutores, gerentes de conteúdos, assistentes virtuais, entre outros.

Tags, ,