Category curitiba

Startup apresenta aplicativo que ajuda deficientes visuais a se localizar

Foto:Valdecir Galor/SMCS – Prefeitura de Curitiba

Um aplicativo para celular de fácil manuseio, que permite aos deficientes visuais se localizar pela cidade. Este projeto foi apresentado ao prefeito Rafael Greca nesta quarta-feira (30/1) pela Veever, uma startup curitibana que trabalha desde 2015 a ideia de inclusão de deficientes por meio da tecnologia.

De acordo com João Pedro Novochadlo, um dos fundadores da Veever, o projeto nasceu durante um hackathon – competição entre empresas de tecnologia – promovido em Curitiba em 2015. A Veever venceu o certame com o aplicativo para ajudar os deficientes visuais.

“O sistema funciona com beacons, dispositivos de microlocalização que seriam fixados em pontos chave da cidade, cujo sinal é interceptado pelo smartphone do usuário. Trocando em miúdos, é como se fosse um GPS, mas com maior precisão”, resumiu.

João Pedro, publicitário de formação, é fascinado por tecnologia. Ele contou que mandou implantar em sua mão um chip que permite abrir a porta de casa sem chave. Greca ficou impressionado. “Essa eu nunca tinha visto: um guri com chip. Quero ver eles no Paiol Digital, apresentando estas maravilhas”, cobrou o prefeito.

Promovido pelo Vale do Pinhão, o movimento da Prefeitura e do ecossistema para incentivar o ambiente da inovação da cidade, o Paiol Digital busca o engajamento de pessoas conectadas ao mundo do empreendedorismo, da inovação e das novas tecnologias, propiciando networking e fomentando ações voltadas ao desenvolvimento da cidade, das pessoas e dos negócios.

Acessibilidade plena

O prefeito explicou as vantagens da invenção da Veever. “Se tivesse um cego aqui, ele saberia que está no gabinete do prefeito. Além disso, esta tecnologia ajuda a identificar o Interbairros, o Ligeirinho e todo o sistema de transporte”, contou.

O projeto para inclusão de deficientes visuais através da tecnologia já está entre 30 selecionados para participar do HackBrazil, evento que será realizado na Universidade de Harvard, em Boston (EUA), de 4 a 9 de abril. Se o projeto da Veever ficar entre cinco finalistas os integrantes conquistarão o direito de apresentar a ideia à banca de notáveis no evento internacional, tendo entre eles o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e o empresário Jorge Paulo Lehmann, controlador da InBev.

O prêmio para o vencedor da etapa final será de R$ 75 mil. “Nós já estamos comprometidos em aplicar o valor integralmente no desenvolvimento do projeto”, garantiu João Pedro. O prefeito gravou uma mensagem de apoio aos jovens e desejou boa sorte na competição, além de pedir que sejam abertos espaços para disseminação da ideia nos eventos sobre tecnologia na cidade.

Participaram também do encontro os demais integrantes da Veever, Lohann Ferreira (programador), João Guilherme Baglili (engenheiro civil), e Leonardo Garcia Custódio (médico); além de Denise Moraes, da Assessoria dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Ana Paula Guzela Bertolin, do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc), e Mateus Bacila.

Fonte: Prefeitura de Curitiba

Enfraquecido, setor de TI de Curitiba precisa de novas lideranças

2018 marca o possível retorno, na prática, de programas de incentivo ao setor de Tecnologia da Informação de Curitiba. A Prefeitura já anunciou que vai reativar o Tecnoparque, que dá incentivos, entre eles, de redução de impostos, mas que não aceita novas adesões desde a gestão anterior. A Agência Curitiba estuda formas de facilitar a entrada de novas empresas no programa e também deseja ver novamente em ação o ISS Tecnológico, que facilita compra de equipamentos com incentivo fiscal, mas esbarra em burocracia contida na legislação atual e também na exigência de aumento de carga tributária para conceder benefícios.

O empresariado local foi chamado para contribuir, apresentar sugestões, mas não tem respondido a contento. Em recente evento da associação que representa o setor, não passou de duas dezenas o número de empresas que compareceram a um importante encontro com a direção da Agência Curitiba para tratar do assunto. Foi um evento fechado, apenas par associados, que também tentou manter a imprensa à distância. Tal encontro, enfraquecido pelo número de representantes, mostrou baixa representatividade do setor de TI na capital. Este mesmo setor, anos atrás, já mostrou muita força ao ampliar os benefícios do Tecnoparque para toda a cidade e reuniu centenas de empresários para oficializar a conquista.

Com uma liderança forte e engajada e comunicação eficiente, na época, o grupo do APL de Software de Curitiba, que representa a TI da capital também criou uma Central de Negócios e até uma S/A para desenvolver projetos, compartilhar conhecimento e vender produtos e soluções em conjunto. Mas a liderança atual, que não tem poder de influência entre empresários e políticos, sofre para encher uma sala de reunião ou um auditório e perde espaço, na preferência das autoridades, para startups que têm crescido exponencialmente, gerando milhares de novos empregos, Volta, TI de Curitiba!

ABES apoia o Smart City Expo Curitiba 2018

A Associação Brasileira das Empresas de Software (ABES) apoia o Smart City Expo Curitiba 2018, maior evento de cidades inteligentes do mundo, que acontecerá em Curitiba, no Expo Renault Barigüi, nos dias 28 de fevereiro e 1º de março. A entrada para a área de exposição será gratuita, e associados da ABES terão 20% de desconto na inscrição para o congresso.

Realizada em sedes itinerantes ao redor do mundo, a Smart City Expo chega pela primeira vez no Brasil, com a expectativa de receber 5 mil pessoas nos dois dias de agenda. O evento traz especialistas internacionais em urbanismo, arquitetura e agentes públicos que promoveram transformações em cidades pelo mundo. Para o Congresso, serão 18 palestrantes internacionais e 36 brasileiros para debater temas como Tecnologias Disruptivas, Governança, Inovação Digital e Cidades Sustentáveis do Futuro.

Entre os principais palestrantes convidados estão: o arquiteto e engenheiro Carlos Ratti, diretor do Senseable City Lab do MIT, Jorge Perez Jaramillo, ex-planejador-chefe entre 2012 e 2015 da cidade de Medellín, na Colômbia (referência em transformações urbanas), Frans-Antom Vermast, consultor de estratégias de planejamento urbano do Amsterdam Smart City, Tia Kansara, fundadora da Kansara Hackney, consultoria internacional que desenvolve soluções para problemas urbanos, Pedro Vidal, Gerente do Programa Santiago Smart City, Chile, Agustín Suárez, diretor geral de Gestão Digital da cidade de Buenos Aires, Argentina e Carolina Pozo, ex-secretária geral de Planejamento, Inovação e Governo aberto para a cidade de Quito, no Equador.

O evento tem a chancela da FIRA Barcelona Internacional – consórcio público formado pela Prefeitura de Barcelona, Governo da Catalunha e Câmara de Comércio de Barcelona, e conta com organização do iCities, apoio estratégico do World Trade Center Business Club e participação oficial da Prefeitura de Curitiba como anfitriã. O Smart City Expo World Congress já ocorre anualmente em outras cidades ao redor do mundo como Kyoto (Japão), Montreal (Canadá), Puebla (México), Casablanca (Marrocos), Istambul (Turquia), Bogotá (Colômbia) e recentemente em Buenos Aires (Argentina).

Tags, , , , , , , , , ,

RoboFEI é campeão latino-americano e brasileiro de robótica

A equipe RoboFEI do Centro Universitário FEI participou da Competição Latino-Americana e Brasileira de Robótica, em Curitiba, no Paraná. O projeto foi campeão em duas categorias: o futebol de robôs humanoides e @Home, com a robô Judith. Com este título, Judith tornou-se bicampeã latino-americana e brasileira de robótica. Atualmente, o RoboFEI possui um dos melhores desenvolvimentos em robótica móvel e inteligente do País.

RoboFEI

O projeto RoboFEI existe desde 2003, quando começou a projetar, desenvolver e aprimorar projetos de robótica para competir nas categorias de futebol de robôs da IEEE e RoboCup. Desde então, o projeto cresceu e foi muito além de simplesmente criar um time de robôs que disputa uma partida de futebol. Sua intenção é, e sempre foi contribuir para o avanço científico e tecnológico dos alunos de graduação e pós-graduação do Centro Universitário FEI.

Juntamente com os programas de mestrado e doutorado em Inteligência Artificial Aplicada a Automação (IAAA), o projeto RoboFEI hoje agrupa alunos de graduação dos cursos de Ciência da Computação, Engenharia de Automação e Controle, Engenharia Mecânica, além de alunos de mestrado e doutorado em Engenharia Elétrica, aproximando-os dos avanços mais modernos e atuais em inteligência artificial e robótica.

O aprendizado de quem participa do RoboFEI é enorme e vai muito além do aprendido em sala de aula. Além disso, o contato dos alunos de graduação com os de mestrado e doutorado, e vice-versa, cria um ambiente favorável ao desenvolvimento científico e tecnológico que perdura e gera resultados ao longo de anos. Não à toa que hoje a FEI possui um dos melhores desenvolvimentos em robótica móvel e inteligente do País, e este avanço é cada vez maior a cada ano que passa.

O RoboFEI participa da Competição Brasileira de Robótica (CBR) desde a sua primeira edição, em 2003. Atualmente, as equipes competem nas categorias que demandam os mais avançados robôs, sendo uma das maiores vencedoras das competições que participam.

Judith @Home

Judith foi desenvolvida em 2015 como uma iniciativa da área de Interação Humano-Robô nos projetos de robótica da FEI. O objetivo do projeto é oferecer suporte às pessoas em residências, como por exemplo, ajudar nas tarefas de pessoas com baixa mobilidade. Sendo assim, Judith possui um conjunto de sensores como laser, ultrassons, infravermelhos e câmeras que permitem identificar em qual ambiente ela se encontra, reconhecer pessoas e objetos. Além disso, também é capaz de abrir portas, pegar utensílios e realizar demais movimentos no processo interativo com o ambiente e com as pessoas. Coordenado pelo Prof. Plínio T. Aquino Jr., o projeto conta com o trabalho e pesquisa de alunos de graduação dos cursos de Ciência da Computação, Engenharia Mecânica, Elétrica, Automação e Controle, alunos e professores do mestrado e doutorado em Engenharia Elétrica. Ano passado, a Judith ganhou o primeiro lugar na Competição Latino- Americana e Brasileira de Robótica.

Humanoide

Esta linha de pesquisa foca no desenvolvimento de robôs humanoides, com estudo e desenvolvimento de otimização de passos, métodos de estabilização, visão e localização, raciocínio de alto nível, entre outros. Os humanoides também participam da RoboCup e jogam futebol, além de servirem como excelente plataforma de pesquisas avançadas e de ponta em nível mundial. A equipe RoboFEI é bicampeã latino-americana e brasileira nesta categoria, e figurou entre as melhores equipes de robôs humanoides do mundo, em 2016.

Small Size League

O objetivo principal desta categoria é desenvolver a colaboração entre robôs autônomos e inteligentes. O ambiente aplicado é um jogo de futebol entre robôs. Seu foco é fazer com que os robôs joguem em conjunto executando e desenvolvendo passes e dribles, sistemas de ataque e defesa, estratégias de acordo com os movimentos do oponente. A equipe do RoboFEI, nesta categoria, é hexacampeã brasileira, tetracampeã latino-americana e já figurou entre as oito melhores equipes do mundo na RoboCup internacional, junto com equipes do Japão, Alemanha, EUA, entre outros.

Tags, , , , ,

Maior plataforma de saúde do mundo abre escritório no Brasil e anuncia CEO para o país

Doctoralia, a maior plataforma de saúde do mundo, está abrindo seu escritório no Brasil dentro da estratégia de expansão na América Latina e anuncia Carlos Eduardo Spezin Lopes como CEO para o país. A empresa já conta com escritórios no México e, desde 2007, atua remotamente no Brasil, na Argentina, Peru, Colômbia e no Chile. A cidade escolhida para a sede da empresa foi Curitiba, por ser considerado um hub de inovação e de qualidade de vida pela empresa.

Carlos Eduardo será responsável por montar a equipe no Brasil, fechar parcerias estratégicas, cuidar de vendas e expandir a empresa no território. O executivo tem mais de 19 anos de experiência na área comercial, tendo sido Diretor Comercial da TIM e da Claro na Região Sul.

“Tornar mais humana a relação entre pacientes e médicos é uma missão nobre e que entendo como um chamado. Há muito que evoluir nesta área e contribuiremos mais fortemente no mercado brasileiro”, comenta Carlos Lopes.

“Queremos crescer cada vez mais no Brasil não só expandindo a nossa base de usuários ativos (hoje em cerca de 5 milhões por mês), mas também fornecer a melhor experiência para pacientes e médicos de forma a conectá-los de um jeito fácil e prático”, comenta Frederic Llordachs, Co-Founder da empresa em visita ao Brasil para conhecer o novo escritório no Paraná.

Doctoralia no Brasil

Além do serviço de conectar rapidamente os melhores médicos aos pacientes e realizar o agendamento online e imediato, a Doctoralia realiza regularmente pesquisas internas que mostram o perfil do usuário e as tendências de suas necessidades no Brasil e no mundo. Quando se fala de uma plataforma com mais de 60 milhões de usuários anuais interessados em conhecer mais sobre saúde, identificar médicos próximos às suas casas ou trabalho e verificar a qualidade dos mesmos com base em mais de 3 milhões de opiniões dos pacientes, percebe-se a importância de analisar estes dados consolidados.

Dos dados apurados por Doctoralia, hoje em dia, no Brasil, a maioria dos usuários da plataforma é formada por mulheres (75% dos usuários) profissionalmente ativas, entre 25 e 34 anos, vivendo em grandes centros urbanos. Segundo Llordachs, a predominância é feminina, pois são as mulheres que normalmente cuidam da saúde da família interagindo com os médicos e sempre buscam informações recentes sobre cuidados com a saúde.

Isso explica por que a maioria dos médicos pesquisados é da área da ginecologia, seguidos pela ortopedia, urologia, pediatria e dermatologia. “Hoje o paciente não quer mais esperar semanas para agendar uma consulta. As pessoas querem ser bem atendidas, a um bom preço e de forma eficiente. Este é o paciente 3.0. Estamos preparados para isso”, finaliza Llordachs.

O uso da Doctoralia é totalmente grátis para pacientes e permite que se faça uma melhor escolha com base nas informações do próprio profissional e de outros pacientes. Além disso, através da plataforma, os pacientes podem agendar consultas e fazer perguntas diretamente e de forma anônima com os médicos especialistas, gratuitamente. Os consultórios e profissionais de saúde tem acesso a ferramentas digitais para melhorar a gestão das consultas, como por exemplo: agendamento online, envio automático de SMS/e mail para lembrar os pacientes e melhor visibilidade.

Tags, , ,

Jornada Digital da Fiep: tecnologia deve focar em soluções relevantes para o consumidor

36569251576_7af7192014_o

O consumidor final como protagonista e como alvo de todas as soluções é o que deve nortear os avanços tecnológicos na era da quarta revolução industrial. O tema foi debatido por especialistas nesta quarta-feira (16), em Curitiba, na Jornada para o Mundo Digital, realizada pelo Sistema Federação das Indústrias do Paraná (Fiep). O evento reuniu cerca de 850 pessoas entre industriais, lideranças empresariais e profissionais da área de tecnologia para mostrar os avanços tecnológicos que já aconteceram nas duas últimas décadas e falar sobre o que está por vir na Indústria 4.0.

O evento foi aberto pelo presidente do Sistema Fiep, Edson Campagnolo, que destacou o papel da entidade no apoio ao setor produtivo na adesão à indústria 4.0. “ Especialmente o Senai sempre foi reconhecido pela alta competência na área de educação profissionalizante. Nos últimos anos investimos também em inovação tecnológica com um reposicionamento de sua marca não só fortalecendo sua atuação como principal interlocutor da sociedade em educação profissional, mas também com capacidade de atender a indústria na área da inovação tecnológica”, destacou.

A presidente da Microsoft, Paula Bellizia, trouxe o dilema entre respeitar o legado das indústrias e buscar novas formas de contato com o consumidor. “A indústria de tecnologia não respeita a tradição, respeita, sim, a inovação. É preciso quebrar paradigmas e sempre fazer o melhor para o cliente e sem atalhos, de forma direta. Isso não tem erro”, disse Paula Bellizia. Segundo ela, a tecnologia deve empoderar as pessoas e as organizações para que elas conquistem cada vez mais. Nesta busca, de acordo com ela, a Microsoft mantém mais de 100 data centers em todo o mundo, onde investe US$ 5 bilhões ao ano.

Fazer e pensar diferente

“A transformação digital não pode ser mais do mesmo. Tem que ser algo diferente e deve acontecer em toda a organização e não mais apenas em um setor”, destacou Cassio Dreyfuss, vice-presidente de pesquisa da Gartner Research, organização de pesquisa na área tecnológica. Segundo ele, a tecnologia está disponível. “O problema é a cultura e isso não se muda do dia para a noite”, disse. Para ele, esta transformação deve estar pautada em quatro pilares: tecnologia, gestão, gente e liderança.

Dreyfus diz que a transformação digital vai acontecer num prazo de quatro a cinco anos e deve começar com o engajamento das pessoas. “É preciso engajar as pessoas, depois criar a visão e o plano. Este plano deve ser executado, monitorado e ajustado sempre que necessário”, disse. “A transformação digital prevê a mudança das organizações que trabalham no sistema de comando e controle para passar a trabalhar com liderança e colaboração”, frisou.

O prazo para implementar a digitalização e conexão dos processos pode variar, mas é algo que em breve será realidade. “A jornada digital é um caminho sem volta e sem fim. É permanente. É preciso falhar cedo e aprender rápido. É preciso ser rápido e sair na frente”, disse Rogério Martins, vice-presidente global da Whirlpool – Inovação e Desenvolvimento de Produtos de Refrigeração. Segundo ele, o tempo é o recurso mais valioso para todas as pessoas. Por isso, todas as empresas devem ter o consumidor no centro de suas atenções para promover soluções que facilitem a sua vida. “É preciso conhecer melhor o consumidor. É para ele que devemos fazer a transformação digital. Se focarmos em qualquer outra coisa que não seja o consumidor vamos nos desviar do nosso propósito. “A tecnologia sem propósito é complexidade”, disse.

No setor onde atua, Martins conta que a transformação digital viabiliza, por exemplo, o monitoramento da performance dos eletrodomésticos remotamente e consegue atuar de forma proativa com a prestação de serviços. “Não é um redesenho. É preciso repensar tudo e tudo tem que estar focado em soluções relevantes para o consumidor”, frisou.

Tecnologia e produtividade

O diretor de educação e tecnologia da Confederação Nacional da Indústria (CNI) Rafael Lucchesi informou que a indústria brasileira ainda usa a tecnologia de forma incipiente. “Embora 85% dos executivos brasileiros considerem a indústria 4.0 como algo importante, apenas 48% afirmam que fazem uso das modernas tecnologias de digitalização. “Temos que melhorar o uso da tecnologia, adotar plantas industriais inteligentes e customizadas. Segundo ele, a tecnologia pode contribuir para melhor os níveis de produtividade no Brasil. Hoje o rendimento de quatro trabalhadores brasileiros equivale a um trabalhador norte-americano. “Neste quesito estamos atrás de México e Argentina”, disse.

Lucchesi destacou a importância de formar o trabalhador para atuar na Indústria 4.0. “Hoje 78% do emprego no Brasil é desempenhado por pessoas com qualificação técnica e apenas 3% por profissionais com ensino superior”, informou. Ele lembrou que o Senai teve papel decisivo na terceira revolução industrial formando mão de obra e agora terá também papel decisivo na quarta revolução”, disse, acrescentando que cerca de 95% das vagas abertas pelo setor industrial demandam profissionais formados pelo Senai. Segundo Lucchesi, o desafio é grande porque estima-se que 65% das crianças de hoje atuarão no futuro em profissões que ainda não existem.

O diretor da CNI citou o programa Lean Manufacturing (Manufatura Enxuta), do Senai. O programa começou com a meta de buscar um ganho de 20% de produtividade e nas 2.300 indústrias que estão sendo atendidas já conseguimos alcançar um aumento médio de 52% em cerca de dois anos do programa.

Lucchesi falou também das soluções tecnológicas que estão em desenvolvimento na rede de institutos de tecnologia e de inovação do Senai, como robôs autônomos para trabalhos em poços de alta profundidade e tintas automotivas regenerativas.

Fonte: Fiep

Tags, , , , , ,

Curitiba é eleita a primeira Fab City brasileira

00204424

Curitiba foi eleita na última semana, em Santiago, no Chile, a primeira Fab City do Brasil pelo Instituto de Arquitetura Avançada da Catalunha, Centro MIT para Bits e Átomos e a Fundação Fab, instituições que formam o Grupo Fab City. Ser Fab City é pertencer a um novo modelo urbano que prestigie o desenvolvimento da produção local para transformar as cidade em autossuficiente e conectada. Barcelona (Espanha), Boston e Detroit (Estados Unidos), Cambridge (Inglaterra), Amsterdam (Holanda), Paris (França) e Santiago (Chile) já são Fab Cities.

A Fab City é um projeto global lançado em 2011 para desenvolver cidades auto-suficientes localmente produtivas e globalmente conectadas. É um projeto de formato descentralizado e aberto com ações propostas para que as cidades se tornem auto-suficientes até 2054, conseguindo produzir 50% da energia, dos alimentos e dos produtos que consome, além de gerar relevante tecnologia para os cidadãos.

“Ser uma Fab City é mais um importante passo que Curitiba dá na área da inovação. Essa conquista é mérito do Vale do Pinhão e da visão de futuro do prefeito Rafael Greca e em breve se desdobrará em várias ações e projetos para Curitiba”, comentou Frederico Lacerda, presidente da Agência Curitiba de Desenvolvimento.

Fonte: Prefeitura de Curitiba

Tags, , , , ,

GFT Curitiba procura 50 profissionais brasileiros de TI para trabalhar na Espanha

Para atender a crescente demanda de projetos de Tecnologia da Informação oriundos de instituições financeiras internacionais, a GFT Espanha está contratando 100 profissionais a partir de suas unidades de negócios latino-americanas, localizadas no Brasil, Costa Rica e México.

Desse montante, 50 oportunidades são específicas para profissionais brasileiros especialistas em desenvolvimento front-end e back-end, Big Data e arquitetos com bons conhecimentos em tecnologias como Java, Spring, Hibernate, HTML5, JavaScript, Angular, React, Python, Hadoop, Spark ou com experiência em desenvolvimento de API’s.

Os requisitos para concorrer às vagas da GFT Espanha são inglês fluente e formação na área da Tecnologia da Informação, Computação ou áreas correlatas. Para se candidatar, os profissionais devem se cadastrar na página www.gft.com/empleo ou enviar o currículo para careerIberia@gft.com até o dia 30 de agosto de 2017.

“Hoje, o Brasil gera um grande número de profissionais de Tecnologia da Informação altamente qualificados e que almejam uma experiência internacional, o que vai ao encontro da cultura global da GFT, que é ampliar e enriquecer a experiência de seus funcionários por meio de oportunidades que incentivam o desenvolvimento de uma carreira internacional. Somente em 2016, expatriamos 70 colaboradores brasileiros para trabalhar no exterior”, explica o managing director Latam do Grupo GFT, Marco Santos.

A operação espanhola contratou quase 100 profissionais estrangeiros para atuação na Espanha e a meta deste ano é repetir o sucesso da campanha. “Tivemos um aumento global na demanda por projetos relacionados à transformação digital no setor financeiro, que gerou um crescimento em projetos de longo prazo em diferentes áreas, envolvendo diversas tecnologias de ponta, e por isso precisamos incorporar novos profissionais à nossa estrutura. A GFT Espanha oferece muitas oportunidades de carreira e programas de incentivo para todos os seus colaboradores, pois faz parte da nossa cultura corporativa proporcionar o melhor ambiente de trabalho e que incentive nossos colaboradores a crescer. A campanha do ano passado foi bem-sucedida e muitos profissionais talentosos, interessantes e internacionais se juntaram a nossa equipe na Espanha”, pontua Carlos Eres, managing director da GFT Espanha.

Tags, , , , , ,

Mais de 80% dos colaboradores da multinacional Sage praticam ações voluntárias

De cada dez brasileiros, três já realizaram alguma ação voluntária na vida, segundo pesquisa do Datafolha. Inseridos nessa estatística, estão os mais de mil funcionários da Sage Brasil, que, por meio de um modelo pioneiro de filantropia corporativa, adotaram o costume genuíno de ajudar o próximo.

Presente em 23 países e líder mundial em software de gestão para pequenas e médias empresas, a britânica Sage trouxe ao país desde outubro de 2015 a instituição Sage Foundation, com o modelo de filantropia “2 + 2 + 2”.

O modelo que vem transformando a vida dos funcionários da Sage no Brasil e das comunidades por onde a empresa atua, baseia-se em disponibilizar 5 dias úteis por ano para os funcionários praticarem o voluntariado, o que significa 2% do tempo de trabalho, além de disponibilizar 2% de seu caixa e conceder duas licenças de produtos às instituições beneficiadas, organizações não-governamentais e iniciativas sociais. Concluindo, portanto, o “2 + 2 + 2” – tempo, recursos e tecnologia por um futuro sustentável.

Desde doação coletiva de sangue até aulas de administração de empresas para entidades carentes, passando por reformas em comunidades e ações com jovens e idosos, a Sage Foundation já apoiou mais de 100 instituições e conquistou mais de 23 mil horas de voluntariado. “O trabalho voluntário que faço em um orfanato é gratificante! Tem um papel importante no resgate de uma forma de ajudar as pessoas. São cidadãos que, lá na frente, reconhecerão a ajuda recebida. Isso não tem preço, tanto para quem pratica quanto para quem recebe”, conta o funcionário Alex Cervino de 34 anos.

Os colaboradores da Sage engajam com uma programação frequente de ações nas regiões de Porto Alegre, Curitiba, Americana (SP), São Paulo, Rio de Janeiro e Recife, e sempre com histórias emocionantes a serem contadas. Nesta sexta-feira (14), por exemplo, em comemoração ao Dia da Caridade, alguns colaboradores, em parceria com a instituição Habitat for Humanity, reformarão casas na comunidade de Heliópolis, em São Paulo.

“No início, implantar o trabalho voluntário no Brasil foi um desafio. Grande parte dos nossos colaboradores não estava acostumada a realizar atividades de voluntariado e não se sentia confortável em sair do trabalho para realizar qualquer ação fora dali” conta Jorge Santos Carneiro, Presidente da Sage Brasil e América Latina, que afirma que hoje em dia a prática do voluntariado estendeu-se para além do ambiente corporativo. “Muitos colaboradores passaram a atuar nas entidades também durante fins de semana e envolveram suas famílias. Agora, posso afirmar que a prática de voluntariado se tornou um processo endêmico na Sage Brasil”, ressalta Jorge

Promover sustentabilidade social, econômica e oportunidades de empreendedorismo nas comunidades onde atua são princípios que norteiam a atuação da Sage, tanto em nível global quanto nacional.

Tags, , , , , , , ,

Furukawa apresenta soluções para smart cities em evento em Curitiba

A Furukawa participa, como patrocinadora, do evento Smart City Business America Congress & Expo 2017, que acontece nesta semana – entre os dias 22 e 24 de maio -, em Curitiba (PR). Promovido pelo Instituto SmartCity Business America, o evento é um dos mais importantes da América Latina na área de cidades inteligentes, com foco voltado principalmente para oportunidades de negócios.

Daniel Blanco, responsável por Vendas de Smart Solutions na Furukawa, será um dos debatedores do painel IoT e Redes, programado para quarta-feira (24), às 9 horas, que discutirá o tema Casos de Sucesso de IoT nas Smart Cities. “A tendência, em uma cidade inteligente, é a convergência das redes de comunicação em uma só, sendo que a automação dos serviços públicos deve estar em uma rede privada, separada da rede mundial”, afirma Blanco. “Nossa proposta é que essa rede de fibra óptica seja em topologia Mesh, seguindo a arquitetura em malha das cidades, e com capacidade para segmentação e criação de rotas redundantes, de modo a garantir segurança e alta disponibilidade aos serviços”, acrescenta.

Com base nessa visão, a Furukawa apresenta no Smart City Business America sua solução FiberMesh, que permite criar até quatro rotas redundantes, com roteamento automático do tráfego, no caso de rompimento da fibra óptica, em tempo de latência (comutação) inferior a 3 milissegundos. Além disso, a Furukawa oferece toda a infraestrutura de rede convergente para atender às necessidades das smart cities.

Mais informações sobre o Smart City Business America Congress & Expo 2017 estão disponíveis no site http://smartcitybusiness.com.br/2017.

Tags, ,

Escritório com estação de trem marca investimento de R$ 3 milhões da GFT Brasil em Curitiba

A GFT Brasil, empresa especializada em tecnologia para o setor financeiro, abre escritório em Curitiba para atender o sul do Brasil e exportar serviços. O novo escritório tem layout inspirado em uma histórica estação de trem da cidade, que fica ao lado do prédio em que está a GFT. Veja os detalhes na reportagem em vídeo do valoragregado.com .

[embedyt] http://www.youtube.com/watch?v=-G7nDexvybA[/embedyt]

Tags,

Com investimento da Bossa Nova, Pet Booking prevê expansão para todo país

Criada há menos de um ano com investimento inicial de R$ 3,5 milhões, o marketplace que conecta tutores a prestadores de serviços pets quer expandir para todo Brasil por meio de novo aporte financeiro

O Pet Booking – marketplace que conecta tutores a prestadores de serviços pets – surgiu como uma alternativa para localizar pela internet petshops e outros profissionais do setor. Para o negócio sair do papel, o fundador e CEO Robert Dannenberg e outros sócios investiram 3,5 milhões – com foco principal na tecnologia de ponta. Devido a acelerada expansão do setor pet no Brasil e com a programação de aumentar o número de cidades atendidas, o Pet Booking recebe um novo aporte financeiro vindo da Bossa Nova – empresa de investimento semente liderada pelos empresários Pierre Schurmann e João Kepler -, que soma mais de 150 startups aceleradas em seu portfólio. Em 2016, a Bossa Nova realizou mais de 40 investimentos diretos em startups no Brasil e nos Estados Unidos.

Crescimento e expansão

Atualmente o Pet Booking atende as cidades de São Paulo e Curitiba, e pretende continuar expandindo para locais com grande presença de petshops como o Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre e demais capitais. Nos primeiros seis meses de atuação o marketplace realizou 11 mil agendamentos de serviços e cadastrou mais de 16 mil estabelecimentos em sua base. “Mesmo em meio a recessão que o país vive, o segmento de produtos e serviços para os animais de estimação não parou de crescer. O Pet Booking nasceu há menos de um ano para facilitar a vida dos tutores e ser um forte aliado dos estabelecimentos na gestão do seu negócio. Em pouco tempo crescemos bastante e contamos cada vez mais com investidores que acreditam na força desse setor”, explica Robert Dannenberg.

Ainda de acordo com Dannenberg, receber investimentos externos consolida o plano de expansão do Pet Booking e demostra a confiança no potencial desse mercado.

Tags, , , , ,