Category aceleradora de startups

Aceleradora canadense seleciona startups brasileiras para programa de internacionalização na América do Norte

Estão abertas as inscrições para o Dream2B Global Acceleration Program, programa de aceleração e internacionalização para startups brasileiras no Canadá. Em sua 5ª edição, o programa irá selecionar 15 startups de todo o país das áreas de inteligência artificial, cidades inteligentes e veículos autônomos. As interessadas em participar têm até o dia 14 de fevereiro para se inscreverem gratuitamente no site https://www.dream2b.com.br/.

“O diferencial do nosso programa de aceleração é ser hands-on. Além de mentoria com profissionais de alto nível do mercado global, fazemos a validação do modelo de negócios e ajudamos em todas as etapas de internacionalização. É uma parceria de longo prazo que já ajudou 40 startups brasileiras, sendo que algumas iniciaram operações globais a partir do Canadá. Uma das mais recentes foi a Safetest, que criou um teste rápido de Covid-19 e foi aprovada pelo FDA, para a comercialização e distribuição nos EUA, assim como na União Europeia, antes mesmo de ter autorização no Brasil”, explica Regina Noppe, founder & CEO da venture builder canadense Dream2B.

As 15 startups selecionadas para esta edição, a primeira a ser realizada virtualmente, participarão do programa que será realizado de 12 de abril a 7 de maio, incluindo desde mentoria com experts e empreendedores canadenses e brasileiros, a workshops com profissionais para validação do modelo de negócios; reuniões com potenciais parceiros e clientes; além de pitches para investidores. As startups selecionadas também terão acesso a uma sessão de mentoria de pré-internacionalização oferecida pela Softex.

Além da oportunidade de participar do projeto de aceleração da Dream2B, as startups que tiverem seu modelo de negócios validado pelo programa e um ótimo fit com o mercado, poderão aplicar para o Startup Visa através do parceiro da Dream2b, que é uma das instituições designadas pelo governo federal Canadense. O Startup Visa é um dos vistos mais cobiçados hoje por empreendedores do mundo todo, pois permite a imigração de até 5 sócios com suas respectivas famílias para o Canadá. O visto concede a residência permanente e as startups que forem aprovadas e passarem pelo programa, ainda poderão utilizar toda a estrutura do Spark Center para conduzir seus negócios no Canadá por até um ano.

A novidade desta edição é que as startups que mais se destacarem terão ainda a chance de receber investimento de até CAD $500.000 diretamente da venture builder canadense após o programa.

Startups brasileiras já aproveitam o mercado internacional

Em suas 4 edições anteriores, o Dream2B Global Acceleration Program ajudou 40 startups, incluindo a Safetest, startup mineira que desenvolveu teste de Covid-19 de resultado rápido e de baixo custo, que após participar do programa de aceleração em 2019, obteve reconhecimento mundial. “A Dream2B nos guiou em nossa jornada de internacionalização, e hoje podemos realizar negócios nos Estados Unidos, Canadá e em vários países na Europa. E continuamos em plena expansão. As oportunidades que surgiram a partir do contato com a Dream2B foram imensas. Bastou que a gente soubesse aproveitá-las da melhor maneira”, explica Felipe Peixoto, CEO da Safetest.

“Mesmo com a crise econômica, as startups continuaram inovando e crescendo. Nossa proposta é abrir as portas do mercado internacional para as que possuem soluções escaláveis, oferecendo todo o conhecimento e experiência necessários para isso”, relata Noppe.

A 5ª edição do Dream2B Global Acceleration Program é realizada pela Dream2B em parceria com a incubadora canadense Spark Centre, com apoio da Softex e Câmara do Comércio Brasil-Canadá.

Atento anuncia as startups selecionadas para o seu programa de aceleração

A Atento Next, aceleradora de startups da Atento, multinacional líder em soluções de customer experience no Brasil e na América Latina, selecionou quatro startups para participarem do seu programa de aceleração. Com o intuito de trazer ainda mais inovação para a companhia, as escolhidas foram Mr. Turing, Inflr, SenseData e NeuralMind – empresas que oferecem soluções de inteligência artificial e big data, ativação das marcas nas redes sociais, modelos de inteligência artificial aplicados em customer sucess e inovação em automação de backoffice, respectivamente.

Das 257 startups que se inscreveram, as escolhidas terão a oportunidade de cocriar projetos relacionados aos desafios mapeados pela Atento, como novas tecnologias e modelos de negócios. Durante 4 meses, elas contarão com o acompanhamento dos especialistas e da alta liderança da Atento, além do apoio e orientação da Liga Ventures, empresa especializada em programas de inovação que conectam grandes empresas e startups. Para isso, serão estabelecidas rotinas e sprints periódicos. O início da fase aceleração está previsto para a última semana de janeiro.

Conheça as startups selecionadas

Mr. Turing: startup de inteligência artificial e big data que nasceu para resolver uma grande dificuldade das corporações: o tempo gasto na busca de informações e a frustração de muitas vezes não conseguir encontrar o que se precisa. “Nossa atuação como assistente corporativo inteligente vai ao encontro com um dos propósitos da Atento que é unir o melhor da tecnologia à sensibilidade humana. É a primeira vez que participamos de um programa de aceleração e estamos muito satisfeitos pela atenção recebida desde o momento das inscrições. A nossa entrada deve nos ajudar a bater a meta mínima de crescimento de 30% para 2021”, ressalta Marcelo Noronha, CEO da Mr. Turing.

Inflr: plataforma que conecta marcas aos seus clientes nas redes sociais, capaz de aumentar a audiência dos conteúdos criados por influenciadores e falar com 100% dos seguidores, enquanto nos modelos tradicionais o número de impactados é bem menor. Além disso, contribui para aumentar a performance e o tempo de exposição destes conteúdos. “Entramos para participar desta seleção, pois entendemos as necessidades e desafios de uma empresa de customer experience. Nosso objetivo, durante o programa de aceleração, é melhorar a performance dos clientes da Atento, oferecer novos modelos de negócios, além do networking incrível que o programa pode nos render”, expõe Thiago Cavalcante, Diretor de Novos Negócios da Inflr.

SenseData: realiza um trabalho de unificação de dados para compreender o comportamento dos consumidores e utilizar esse conhecimento para facilitar a tomada de decisão, desenvolvendo ações eficientes para o público certo, no momento mais adequado. “Somos especialistas em soluções para customer sucess, gestão da jornada do consumidor e dados acionáveis. Entendemos que a Atento tem grande sinergia com nosso negócio. Esperamos que essa aproximação e parceria se transforme em cooperação na oferta de boas experiências”, destaca Mateus Pestana, CEO e Cofundador da startup.

NeuralMind: startup que ajuda companhias a aumentarem a produtividade dos processos de backoffice por meio de digitalização e automação. “Nos interessamos em participar do programa de aceleração da Atento Next pela familiaridade da nossa empresa em relação ao público-alvo e demandas da Atento. O processo de seleção nos surpreendeu pelo formato, agilidade e transparência. Estamos animados com as novas oportunidades de negócios que irão surgir”, afirma Patricia Tavares, CEO da NeuralMind.

Para o CEO da Atento, Carlos López-Abadía, esse projeto reforça os alicerces da transformação digital pela qual a companhia vem passando. “O programa de aceleração é uma demonstração de como colocamos cada vez mais a inovação no centro das nossas estratégias de negócio. A parceria com as startups nos dá a oportunidade de explorar novas opções ao aprimorar continuamente nosso portfólio de soluções e contribui para que possamos garantir sempre as melhores experiências aos consumidores, além de ampliar nossa competividade no mercado e estimular a cultura de inovação em toda a empresa. Estamos atuando com foco na geração de valor para todos os nossos clientes”, explica o executivo.

“O nosso negócio é orientado pelo cliente, sejam empresas ou cliente final. Quando tratamos desse assunto, entender os anseios e necessidades do público é fundamental. Com o olhar de empresas de fora da Atento, nós conseguimos ampliar o nosso horizonte, além de nos aproximarmos de segmentos que talvez não nos aproximássemos de outra forma. Por isso, queremos garantir que esse programa de aceleração gere novas ofertas e modelos de negócio aos nossos clientes, maximizando resultados e melhorando a experiência dos seus consumidores, além de oportunidades valiosas para a aceleração das startups selecionadas”, avalia Mauricio Castro, Diretor de Inovação da Atento.

Atento Next

Inovação está no centro da estratégia da Atento, tanto que, em 2020, a empresa foi a primeira do setor no mundo a conquistar o selo ISO 56002, de gestão de inovação. Agora, acaba de criar a sua aceleradora de startups, a Atento Next.

O programa é uma das iniciativas do hub de inovação da Atento, que visa alavancar processos disruptivos dentro da companhia, gerando novas linhas de negócio e produtos, além da aproximação com empresas que já nasceram digitais.

Aceleradora recifense seleciona 15 finalistas para o processo de aceleração

A Overdrives, o grupo Ser Educacional e a NE Capital, empresa do Grupo JCPM, acabam de selecionar os 15 melhores projetos para serem acelerados em 2021. Das startups apresentadas nesta edição, cinco irão receber o aporte financeiro total de até R$ 800 mil reais. 

As finalistas estão espalhadas por oito estados do Brasil, 53% são de modelos Business-to-Business (B2B) – empresas para empresas; 30% de soluções em saúde; 73% estão com produtos no mercado; 60% delas com clientes recorrentes; 25% são lideradas por mulheres. O presidente do Ser Educacional, mantenedor do Centro de Inovação – Overdrives, Jânyo Diniz, destacou a qualidade das startups inscritas. “Ficamos muito satisfeitos com a quantidade e o nível das finalistas, todas com grande potencial de crescimento”, afirmou. 

O processo de aceleração dá oportunidade de ter contato com iniciativas de diversas áreas, vindas de todo o Brasil, e é um importante veículo para diversificar os negócios e buscar inovação em diversos setores. Envolver os executivos em processos de colaboração com as aceleradas traz crescimento pessoal e fortalece a cultura de inovação. 

Sediada em Recife, o Centro de Inovação também conta com um sólido e eficiente sistema para mentorias e acompanhamento das startups sendo 100% remota. “Esse modelo remote first tem se mostrado não só oportuno, como muito ágil e eficaz com as empresas que já estão conosco. Para o novo programa, recebemos inscrição de startups de 16 estados diferentes. Dentre as 15 finalistas, temos oito estados representados”, afirmou o head da Overdrives, Luiz Gomes. 

Além do aporte financeiro, as startups aceleradas vão ter acompanhamento com especialistas de mercado, uma rede de empreendedores, mais de 20 áreas de mentoria técnica e o escritório em Recife disponível durante dois anos. 

No dia 21 de dezembro será divulgada a lista das cinco melhores startups selecionadas. O ciclo de aceleração terá duração de seis meses, podendo ser ampliado para dois ciclos, ou seja, um ano dentro do projeto. Durante o processo, executivos do Ser Educacional e do JCPM irão apoiar as startups no desenvolvimento do negócio por meio de mentoria e conexões no mercado.

Grupo Boticário cria uma aceleradora de startups

Daniel Knopfholz, CIO do Grupo Boticário

O Grupo Boticário abre em novembro as inscrições para o GB Ventures, programa de aceleração de startups que tenham soluções para otimizar processos e reinventar a indústria da beleza. Serão selecionadas startups de base tecnológica em fase inicial, mas que já tenham suas soluções sendo testadas no mercado. As empresas selecionadas terão um acompanhamento dos times de inovação do Grupo Boticário para acelerar e escalar o seu negócio.

O GB Ventures vai propor três pilares com vários desafios para os quais as candidatas devem apresentar suas soluções: beautytech (que podem ser desde tecnologia de skincare, produtos customizáveis, até embalagens sustentáveis, entre outros); retailtech (soluções de canais de venda, omnichannel, indústria 4.0, social commerce, processos de crédito, antifraude, entre outros); e trendsetter (novos serviços, inteligência artificial adaptada para experiências sensoriais, ou ideias que ressignifiquem e que tragam disrupção para o mundo da beleza).

As inscrições acontecem de 15 de novembro a 18 de dezembro e estão abertas para startups de todo o Brasil. A partir do dia 21 de dezembro a 8 de janeiro o Comitê de Inovação do Grupo vai avaliar as candidatas, considerando quais soluções apresentadas melhor se encaixam aos desafios propostos. A partir de 11 de janeiro acontecem as entrevistas com os responsáveis pelas startups e a partir de fevereiro, os selecionados já terão a oportunidade de acelerar seus negócios. O programa será 100% online, permitindo a construção da sua startup de qualquer lugar e sem gastos adicionais. As inscrições serão pelo site www.gbventures.com.br.

As startups selecionadas receberão mentoria do Comitê de Inovação do Grupo Boticário, estrutura para desenvolvimento dos seus produtos com know-how das equipes técnicas, acesso às plantas industriais e aos laboratórios de experimentação, prototipação e design. Tudo para facilitar a construção e testes da sua solução. Ao final do programa, um eventual investimento poderá ser negociado, caso haja interesse do Grupo Boticário e da startup acelerada em continuarem a parceria.

“Por acreditar que a beleza está em todo lugar, o Grupo Boticário busca inovar a maneira que ela está nas nossas vidas de forma responsável e sempre resolvendo as dores dos nossos consumidores e parceiros de negócios. Por isso trazemos o GB Ventures, uma maneira de desenvolver a nova geração da beleza por meio da aceleração de startups”, disse Daniel Knopfholz, CIO do Grupo Boticário.

Liga Ventures promove evento de inovação aberta on-line e gratuito

Liga Ventures , pioneira no mercado de aceleração corporativa focada em conectar grandes corporações e startups para geração de negócios, irá promover nos dias 22, 23 e 24 de setembro, o Liga Open Innovation Summit , um dos principais eventos de inovação aberta no Brasil, que pela primeira vez será 100% online, gratuito e aberto ao público.

Durante os três dias, os participantes terão acesso a mais de 24 horas de conteúdos com mais de 80 executivos de grandes empresas falando sobre os projetos gerados em suas frentes de inovação; sessões exclusivas de cases de sucesso; discussões sobre o Liga Insights ; área virtual com mais de 60 startups expondo suas soluções para os principais players do ecossistema.

Além disso, o Liga Open Innovation Summit contará com a presença do keynote Alexander Osterwalder, empreendedor suíço, conhecido por seu trabalho em modelagem de negócios e autor do best seller Business Model Generation. Na ocasião, Osterwalder apresentará conceitos do seu mais recente livro, Invincible Company. Também estarão presentes executivos da BREX & OYO discutindo cultura e competências exponenciais, além de outros keynotes internacionais.

Segundo, Rogério Tamassia, cofundador da Liga Ventures, o evento será uma oportunidade de grandes empresas que ainda não entraram no movimento de inovação aberta se aprofundarem no tema e nos benefícios do engajamento com startups.

“A Liga Ventures é uma facilitadora da conexão entre esses dois polos, por isso, durante o Liga Open Innovation Summit, o público terá a chance de ouvir das próprias empresas os resultados possíveis de serem alcançados investindo em inovação aberta. É uma oportunidade imperdível de troca de conhecimento e informação que colabora com o avanço da inovação em nosso país, que é cada vez mais destaque no tema”, explica Tamassia.

Serviço:

• Data e horário – 22, 23 e 24 de setembro das 09 h às 18 h

• Custo – gratuito

• Inscrições – ligasummit.com

• Onde acontece – 100% online através do link do evento (disponibilizado mediante cadastro)

Tags,

Circle Aceleradora faz aporte de R$ 2 milhões em fintech

Sempre em busca de soluções inovadoras que unem o marketing à tecnologia, a Circle Aceleradora de Martechs anuncia mais uma novidade no ecossistema: um aporte de R$ 2 milhões na fintech MKT BANK. Lançada por um hub de investidores internacionais focados em martechs, a startup é a única fintech voltada exclusivamente para o mercado de Comunicação e Marketing, por meio de uma plataforma para a realização de operações de adiantamento de recebíveis com conta digital e produtos de crédito.

A facilidade para a antecipação de recebíveis é um grande problema no segmento. Ao efetuar uma venda, as empresas podem demorar até 120 dias para receber seu pagamento, a partir do lançamento da nota fiscal. O objetivo da MKT BANK, que atua com modelo de negócio para públicos B2B e B2C, é contribuir exclusivamente com o fluxo de caixa desses stakeholders – agências, fornecedores, funcionários e freelancers de publicidade, marketing e eventos – para que todo o ecossistema trabalhe de forma saudável e sustentável.

Visando atender esses pequenos e médios fornecedores do mercado de comunicação, com uma burocracia muito menor em relação à encontrada em bancos convencionais, a MKT BANK espera fechar 2021 com R$ 30 milhões em transações e oferecer o benefício inédito a 10 mil clientes. “Pensamos em uma conta digital para atender exclusivamente as necessidades do mundo da Comunicação e Marketing e facilitar as operações bancárias entre todos os seus públicos. Somos a única fintech que fala a língua deles; olhamos cada contrato, job a job, com um sistema friendly e voltado para o formato de trabalho e as dores desse mercado. E a Circle vai agregar ainda mais no nosso expertise, pois é a primeira aceleradora martech a olhar para todas as empresas pensando em tecnologia, criando conteúdo para tecnologia.”, explica Alessandro Lopes, CEO da MKT BANK.

A fintech inédita ajuda no planejamento financeiro e estratégico de service users de todo o Brasil, com uma comunicação rápida, clara e dinâmica, justamente como é esse mercado. O novo “banco” oferece contas digitais individuais, em nome da empresa ou da pessoa física, e possibilita realizar serviços bancários, como TED/DOC, pagamentos, transferências entre contas da fintech, além de recarga de celular. Elas dão direito ainda a um cartão de crédito pré-pago Visa Internacional e saques na Rede Plus e na rede Banco24horas. As operações feitas pela plataforma podem variar de R$ 50 mil a R$ 1 milhão.

Mecânica – Sem a burocracia dos bancos tradicionais, abrir uma conta digital na MKT BANK é bem simples. Para pessoas e empresas, basta acessar a plataforma pelo www.mktbank.com.br e fazer o cadastro; depois de aberta a conta, o usuário deve aguardar a chegada de um cartão físico, mas já pode se beneficiar do virtual. Já para a antecipação de recebíveis, a empresa entra no site, faz o cadastro de interesse e responde a questões básicas. Após aprovado o cadastro, a conta e a antecipação estarão liberadas.

Mercado promissor – As fintechs, startups de serviços financeiros, estão entre as que mais crescem no Brasil. De acordo com a 2ª edição do Distrito Fintech Report, levantamento realizado pelo Distrito, empresa de inovação aberta que atua junto a startups, o Brasil já conta com 742 startups e, ao longo de 2019, a área atraiu US$ 910 milhões em aportes, 35% dos incentivos em Venture Capital no Brasil contabilizados no período. E uma pesquisa feita pela Infinicept e o AZ Payments Group estima que o setor deve movimentar US$ 15 bilhões até 2025.

O atual cenário do mercado de comunicação também é bastante otimista. O investimento em publicidade no Brasil chegou a R$ 17,5 bilhões em 2019, segundo o Cenp (Conselho Executivo das Normas-Padrão), entidade que reúne os principais anunciantes, veículos de comunicação e agências de propaganda do país.

InovAtiva Brasil bate recorde em número de aceleradas

O InovAtiva Brasil , maior programa de aceleração de startups da América Latina, chegou ao seu 11º ciclo com um recorde no número de aceleradas em uma única edição. Ao todo, 128 empresas concluíram todas as atividades obrigatórias e puderam apresentar seus negócios para a maior banca de investidores do país.

Esta marca só pôde ser conquistada em virtude da realização totalmente online, por conta da pandemia da COVID-19, que atinge o mundo, conseguindo envolver participantes de todos os cantos do Brasil, tornando o programa ainda mais inclusivo, diverso e abrangente.

Durante quatro meses, as startups participantes receberam capacitação gratuita por meio de mentorias individuais e coletivas, treinamentos e apresentações de pitchs (discurso para investidores) e palestras inspiradoras. Para concluir o processo de aceleração, tiveram a oportunidade de participar do InovAtiva Experience, evento que ocorreu nos dias 18, 25, 26 e 27 de julho e contou com mais de 460 participantes, o que engloba 213 mentores e investidores, mais de 40 membros da comunidade InovAtiva, 174 empreendedores e mais de 60 conteudistas.

“No InovAtiva Experience, os empreendedores passaram por várias mentorias temáticas sobre vendas, marketing, como captar recursos e tudo aquilo que precisam para trilhar um caminho de muito sucesso dentro do ecossistema de startups. A viagem do empreendedorismo é difícil, mas também fascinante para aqueles que a percorrem. Mas no InovAtiva Brasil, eles contam com a maior comunidade de mentores do Brasil que se dedicam de forma voluntária a essa causa tão transformadora, investidores que apostam em cada história e parceiros que confiam nesse programa que vem crescendo em importância e número nos últimos anos”, afirma Carlos Da Costa, Secretário Especial da Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia.

Nesta edição, também foram realizadas 10 atividades abertas com mais de 1,8 mil visualizações, entre elas apresentações de grandes nomes do mercado, como Ariel Patschiki, Partner & Product Director do EBANX, novo unicórnio brasileiro, José Muritiba, Diretor Executivo da Associação Brasileira de Startups (Abstartups) e Rafael Ribeiro, Head de Operação da Bossa Nova Investimentos, fundo mais ativo na América Latina.

“A cada ciclo de aceleração do InovAtiva nunca deixamos de nos impressionar com o nível das startups, com a qualidade de suas soluções e com o crescimento do negócio durante os meses em que estão com a gente. Ter empreendedores tão qualificados e comprometidos é importantíssimo para que todo o apoio e mentoria que eles recebem tenham o máximo de aproveitamento”, destaca o presidente do Sebrae, Carlos Melles.

Ao final do InovAtiva Experience, 14 empresas foram escolhidas como destaque por sua solução inovadora e pitch sublime:

• Banca 1: Agronegócios – PecSmart, que tem a missão de tornar a produção animal mais inteligente a partir da pecuária de precisão;

• Banca 2: Saúde e Educação – Gomining, fornece análise e avaliação de textos de forma automatizada e personalizada;

• Banca 3: Jurídico & Financeiro – Bitfy, primeira carteira de bitcoin multiuso e não custodial;

• Banca 4: Automotivo & Mobilidade – Prakaranga, marketplace com formato inverso do padrão de mercado para busca e negociação de peças novas e usadas para carro, moto ou caminhão;

• Banca 5: Indústria Química, Metais & Combustíveis – Tractian, startup que utiliza as tecnologias de maior destaque na atualidade para analisar a saúde de máquinas e equipamentos e prever qualquer defeito;

• Banca 6: Recursos Humanos – Dialog, plataforma para comunicação interna em médias e grandes empresas em formato de intranet 4.0, mobile e participativa;

• Banca 7: Indústria Tecnologia da Informação & Comunicação – Checklist Fácil, promove eficiência operacional para os clientes por meio de um software de criação e aplicação de checklists e planos de ação, que facilita o gerenciamento e a padronização de processos;

• Banca 8: Entretenimento & Serviços – MultiplierApp, dá voz às causas sociais conectando redes sociais de pessoas e instituições de forma simultânea, orgânica e proativa, promovendo o crescimento humano;

• Banca 9: Logística & Serviços – NexAtlas, entrega informações rápidas que ajudam a planejar até mesmo os voos mais complexos e de última hora;

• Banca 10: E-commerce & Marketing – HubLocal, plataforma que transforma empresas em verdadeiras máquinas de atrair clientes fazendo com que elas sejam encontradas em mais de 50 interfaces;

• Banca 11: Infraestrutura, Construção Civil & Mercado Imobiliário – Obrafit, sistema web de gerenciamento de obras para arquitetos, engenheiros, gerenciadores e construtores, com foco nos proprietários;

• Banca 12: Saúde – Carefy, plataforma de gestão e monitoramento de internações que ajuda operadoras de saúde na tomada de decisão rápida, gerando eficiência e melhores desfechos;

• Banca 13: Jurídico & Financeiro – Akintec, aplicativo que reúne todas as informações financeiras necessárias para fazer saques e depósitos em qualquer lugar;

• Banca 14: Varejo, Comércio Físico & Bens de Consumo – Colher de Chá, aplicativo que faz listas de compras a partir de receitas, oferecendo economia, praticidade e redução de desperdício de alimentos.

12 fintechs foram selecionadas para participar da aceleradora Village Capital Finance Forward América Latina 2020

Village Capital, com o apoio da MetLife Foundation, PayPal Moody’s, anunciou hoje as 12 startups de fintech selecionadas para participar do Finance Forward América Latina 2020. Como aceleradora, a Finance Forward América Latina 2020 dará às fintechs cinco semanas de treinamento focadas na melhoria dos modelos de negócios e na disponibilização de suas soluções para aqueles que mais precisam delas no atual cenário econômico.

As fintechs selecionadas trabalharão em estreita colaboração com mentores, clientes e parceiros em potencial, além de investidores, com o objetivo de aumentar seu impacto, usando ferramentas desenvolvidas para auxiliar na autoavaliação, como a Abaca, da Village Capital. As duas principais empresas selecionadas por seus pares serão elegíveis para receber 50 mil dólares em fundos da MetLife Foundation, e a terceira, a quarta e a quinta melhores classificadas receberão 16 mil dólares, para apoiar suas operações neste período desafiador.

“A pandemia do coronavírus causou efeitos financeiros devastadores em populações de baixa renda na América Latina. Agora, mais do que nunca, a inovação aliada à tecnologia pode estar à frente para auxiliar as pequenas empresas a se manterem nos negócios, as famílias a gerenciarem sua renda, e a economia a superar o que está prestes a ser uma recuperação desafiadora”, comentou Daniel Cossío, gerente regional da Village Capital América Latina. “Estamos entusiasmados em apoiar essas 12 fintechs que têm soluções inovadoras para alguns dos desafios mais importantes da região em cinco países diferentes”.

O Finance Forward América Latina 2020 faz parte de uma coalizão global liderada há alguns anos pelos sócios fundadores MetLife Foundation e PayPal, com o apoio regional da Moody’s, para apoiar empreendedores na criação de soluções de tecnologia para desafios relacionados à saúde financeira.

Mais de 140 empresários de 11 países da América Latina se inscreveram para fazer parte da aceleradora. A etapa final é composta pelas 12 principais empresas de cinco países diferentes (Colômbia, México, Chile, Brasil e Argentina). Mais de 80% das empresas selecionadas possuem uma ou mais fundadoras mulheres, e mais de 40% estão trabalhando fora dos principais centros de tecnologia da informação em quatro setores financeiros diferentes: gerenciamento financeiro, finanças alternativas, comércio eletrônico e pagamentos.

Conheça as 12 startups selecionadas para o programa na América Latina:

• Akredito (Brasil) paga, consolida e refinancia todas as dívidas de um inadimplente cujo registro em agências de crédito o impede de conseguir emprego, solicitando outro crédito e muito mais.

• Aplazo (México) permite que os consumidores do México parcelem as compras de comércio eletrônico em prestações iguais quinzenais, sem precisar de um cartão de crédito, evitando o endividamento.

• CIGE Mexico (México) oferece uma solução de Inteligência Artificial que garante que os empresários tenham consultoria para gerenciar seus negócios, pois 80% das pequenas empresas da América Latina entram em falência nos primeiros dois anos de operações.

• Creci (Colômbia) é uma plataforma de investimento e empréstimo de impacto social.

 Imix (Colômbia) permite que pequenas empresas locais se tornem correspondentes bancários, transformando seus proprietários em prestadores de serviços bancários e permitindo que as instituições financeiras tenham um alcance mais amplo por um menor custo.

• ZIZU (Argentina) é um serviço de remessa de cartão para famílias argentinas que as permite controlar as remessas emitidas em outros países, e proporcionar às famílias a segurança de uma renda, usando o menor número possível de transações em dinheiro.

• Factcil (Colômbia) procura fornecer liquidez com serviços de factoring (fomento mercantil) a todos os trabalhadores independentes ou freelancers. Por conta da instabilidade no emprego dessas pessoas, muitas vezes é difícil encontrar entidades que forneçam os recursos necessários para que sejam financeiramente saudáveis.

• Finerio (México) ajuda fintechs, bancos e instituições financeiras a atualizar seus serviços e processar dados em informações relevantes para acelerar o bem-estar financeiro de seus clientes.

• Fundefir (Colômbia) dá a oportunidade para pessoas que não possuem contas em banco acessarem créditos, seguros e outros serviços financeiros em segmentos ligados a instrumentos como os ROSCAs (Associações Rotativas de Poupança e Crédito), proporcionando um benefício em sua digitalização.

• Nilus (Argentina) resgata alimentos saudáveis que seriam jogados no lixo e os entregam a vizinhos de baixa renda, a preços mais acessíveis.

• Quipu Market (Colômbia) é um marketplace para microempresas informais comprarem e venderem localmente sem dinheiro, usando um sistema de token comunitário.

• U-Zave (Chile) ajuda a América Latina a economizar para o futuro (como 56% das pessoas não o fazem), por meio de uma plataforma em que uma porcentagem de cada compra feita é coletada em um fundo mútuo.

CASE e Startup Summit se unem e consolidam o maior evento de empreendedorismo online da América Latina

Promover ações de incentivo, pulverizar o conhecimento sobre crescimento e performance e alcançar o maior número de pessoas na América Latina. É com base nessas premissas que o CASE, Conferência Anual de Empreendedorismo e Startups, e o Startup Summit, principal evento do ecossistema de inovação do Sul do país, se unem, e em ação inédita, consolidam a maior reunião digital de empreendedorismo em continente latino americano.

Após inúmeros encontros, os dirigentes da Associação Brasileira de Startups (Abstartups), do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e da Associação Catarinense de Tecnologia (ACATE) entenderam o momento em que o mundo passa e se certificaram da missão que tinham: ajudar empreendedores de todo o continente a alavancar seus negócios. Desses encontros surgiu a primeira edição totalmente online e gratuita do CASE + Startup Summit, que será realizada entre os dias 19 e 23 de outubro.

“Neste momento de crise, precisamos apoiar de todas as formas os empreendedores e empresas do ecossistema brasileiro e internacional. Por isso, decidimos em uníssono realizar o maior evento do setor, de forma online e gratuita, com toda a expertise de duas das entidades mais atuantes no Brasil”, comenta José Muritiba, diretor executivo da Abstartups.

Em 2020, os visitantes digitais contarão com uma série de palestras, workshops e debates sobre empreendedorismo, investimentos, tendências, marketing, vendas, diversidade, entre outras discussões compartilhadas por grandes nomes nacionais e internacionais. Ao todo são esperados mais de 20 mil participantes.

Segundo Luc Pinheiro, diretor técnico do Sebrae Santa Catarina a expectativa para essa primeira edição online é atrair participantes que nunca puderam acompanhar o CASE ou o Startup Summit. “Entendemos que o momento que vivemos é delicado e repleto de restrições. Mas conseguimos enxergar a atual situação com uma chance para ampliar nosso leque de atuação e levar toda a atmosfera de inovação para pessoas que ainda não tiveram essa oportunidade no mundo físico. Por meio da tecnologia, conseguiremos atingir um número ainda maior de empreendedores”, pontua.

Para gerar tração e engajamento do público de todo o país, o CASE + Startup Summit apresentará conteúdos 24h por dia. Pela manhã, o público poderá acompanhar conteúdos administrados pelos patrocinadores e, à tarde, terão a oportunidade de participar dos painéis principais em quatro palcos simultâneos.

“Diferente das edições anteriores, o CASE + Startup Summit terá cinco dias de duração, com conteúdos ininterruptos. Com isso desejamos atingir o maior número de interessados em mergulhar no mundo do empreendedorismo e, seguindo uma tendência mundial, nos encaixarmos na rotina de cada um. Ou seja, uma grande oportunidade para se aprimorar e poder ter o conselho de grandes nomes do mercado ao alcance de um clique”, explica Iomani Engelmann, presidente da ACATE

Tanto o CASE quanto o Startup Summit já possuem uma trajetória de sucesso consolidada. Em seis edições, o CASE já reuniu mais de 20 mil participantes na cidade de São Paulo e levou ao público grandes nomes como Neil Patel, Daniel Hoe (Salesforce), Gustavo Caetano (Samba Tech), Paul Walsh (Visa), Geoff Ralston (Y Combinator), Morten Primdahl (Zendesk), Chris O’Neill (Evernote) e Paula Belizia (Microsoft).

Já o Startup Summit, em duas edições (2018 e 2019) reuniu mais de sete mil empreendedores em Florianópolis/SC, onde o evento ocorre. No palco do Summit já passaram nomes como: Uri Levine (Waze), Ragnar Sass (Pipedrive), Eric Santos (RD), Leandro Caldeira (Gympass), Vinicius Roveda (ContaAzul), Renata Centurion (Winning By Design), Camilla Junqueira (Endeavor), Diego Gomes (Rock Content) e Camila Farani (Shark Tank Brasil).

Para a edição de união e consolidação do ecossistema de startups e empreendedorismo, em 2020, são esperados mais de 300 palestrantes. Entre os confirmados estão Alphonse Voigt (cofundador e CEO da EBANX); Brad Feld (cofundador da aceleradora Techstars); Brian Requarth (cofundador da Viva Real); Camilla Junqueira (Diretora da Endeavor); Florian Hagenbuch (cofundador e CEO da LOFT); Eric Santos (cofundador e CEO da Resultados Digitais); e Thais Suzuki (head de customer experience da iFood).

“Pela primeira vez conseguimos reunir os esforços de duas grandes forças que são esses eventos em prol de levar conhecimento, expertise e, mais do que isso, esperança a todos os empreendedores brasileiros. Sabemos da luta de todos para manter suas empresas abertas e nossa missão é ser o alicerce nesse momento”, ressalta Bruno Quick, diretor técnico do Sebrae Nacional.

Além dos painéis e debates de conteúdos, o evento contará ainda com o já renomado Startup Awards, o Oscar das startups brasileiras. Assim como nas edições anteriores, serão contempladas 13 categorias, como: Aceleradoras, Comunidade do Ano, Comunidade Revelação, Corporate, Educação, Herói (a), HUB, Impacto Social, Investidor (a) Anjo (a), Mentor (a), Imprensa, Startup do Ano e Startup Revelação.

CASE + Startup Summit 2020

Data: 19 a 23 de outubro

Acesso: http://www.casestartupsummit.com.br/

ACE e Amazon Web Services se unem para ajudar startups por meio da tecnologia

Pensando em auxiliar no desenvolvimento e consolidação das startups por meio da tecnologia, a ACE, empresa de inovação, conhecida por ajudar empreendedores a transformarem suas startups em negócios de classe mundial, e a Amazon Web Services (AWS), plataforma de computação em nuvem, se uniram para levar informação em tempos de crise do coronavírus no setor e patrocinar o acesso e execução das soluções do Growthaholics for Startups, plataforma de aceleração online gratuita.

“A gente fala muito que tecnologia não é um fim, é um meio. Então, isso quer dizer que tudo passa por ela de alguma forma, tanto pra entregar resultados de eficiência operacional, quanto os nossos produtos aos clientes finais”, afirma Sulivan Santiago, CTO da ACE. Para ele, o uso da tecnologia deve observar com muita atenção os processos internos das startups, mas principalmente, as pessoas envolvidas neles.

Nesse sentido, a ajuda oferecida pelas empresas pretende fazer com que os empreendedores saiam dessa crise mais fortes e estruturados, remodelando suas estratégias, gerenciamento de infraestruturas e uso da tecnologia na inovação de serviços. No webinar de lançamento da plataforma, Sulivan Santiago e Vinicius Senger, Senior Developer Advocate da AWS, conversaram sobre o assunto em um papo descontraído e a conversa será retomada em outros webinars, com foco em tecnologia.

Em menos de dois meses no mercado, a plataforma já conta com mais de mil startups consumindo seu conteúdo e acompanhando a jornada de aceleração online.

Para ter acesso às novidades da plataforma, é preciso somente fazer o seu cadastro na Growthaholics for Startups e ficar de olho. A próxima grande novidade será um bloco inteiro de tecnologia para ajudar a empresa, em temas como desenvolvimento, programação, engenharia e tecnologia. A ACE e a AWS querem reduzir o gap entre CEOs – CTOs e ajudar os CTOs a terem claro as melhores práticas de todo esse universo.

Além disso, será produzida uma série de conteúdos sobre tecnologia, com o objetivo de democratizar o acesso a conhecimentos sobre programação, desenvolvimento e engenharia para todos empreendedores e tornar isso algo simples e acessível para todos.

Serão produzidos 8 episódios gratuitos com os temas:

• Tech Stack 101
• Roadmap de tecnologia
• Experimentos
• Boas práticas de desenvolvimento
• Arquitetura de Produto
• DevOps
• APIs
• Como escolher um CTO?

Os conteúdos irão ao ar todas as segundas de junho e julho, às 19h30, transmitidos pelas redes sociais e Youtube da ACE. Para se inscrever, basta se cadastrar na Growthaholics for Startups (http://app.acestartups.com.br/go).

Microsoft Reactor: nova iniciativa de apoio ao ecossistema de startups e desenvolvedores é lançada no Brasil

A Microsoft lançou hoje o primeiro Microsoft Reactor da América Latina. São Paulo foi a cidade escolhida para abrigar o centro de aprendizado e compartilhamento técnico, onde desenvolvedores e profissionais de tecnologia podem se conectar com a comunidade local e desenvolver novas habilidades para impulsionar a inovação em suas organizações. Inicialmente e até que seja seguro reunir grupos, todas as atividades do novo Microsoft Reactor acontecerão online.

O Microsoft Reactor São Paulo nasce em uma parceria com o hub da Distrito, a maior comunidade independente de inovação e startups da América Latina, composta por 5 centros de tecnologia. Futuramente, quando as atividades presenciais forem retomadas, o Reactor terá como casa um dos espaços da Distrito, o prédio Distrito Adtech, que fica localizado no bairro dos Jardins, em São Paulo.

“Vivemos um momento em que a recapacitação tecnológica e a oferta de treinamento para o ecossistema de desenvolvedores e startups será ainda mais crucial para apoiarmos o desenvolvimento de inovações relevantes e geração de novos negócios no Brasil”, afirma Franklin Luzes, vice-presidente de operações da Microsoft Participações.

A companhia realizou uma transmissão ao vivo para a imprensa para apresentar as novidades da nova iniciativa de apoio à inovação. O evento online contou com a participação de Tânia Cosentino, presidente da Microsoft Brasil; Franklin Luzes, vice-presidente de operações da Microsoft Participações; Gustavo Araújo, CEO da Distrito; Camila Achutti, CEO e Fundadora da MasterTech; e Licia Souza, CEO da WE Impact.

“O Microsoft Reactor já é um programa com presença global consolidada e o lançamento da iniciativa no Brasil reforça o compromisso da Microsoft com a inovação no país e com o ecossistema de empreendedores e startups brasileiros para a criação de soluções colaborativas”, afirma Tânia Cosentino, presidente da Microsoft Brasil.

“Como Distrito, vemos grande valor em termos o Microsoft Reactor São Paulo em um dos nossos Hubs de Inovação. É um projeto internacional e de alto nível para a capacitação de startups e grandes empresas em tecnologias chave para a transformação digital, como inteligência artificial e cloud. A Microsoft notadamente se destaca no domínio dessas tecnologias e, ao capacitar o ecossistema com o que existe de mais avançado nessas áreas, impulsionará o desenvolvimento de empreendedores, startups e corporações brasileiras”, diz Gustavo Araújo, CEO da Distrito.

De acordo com Franklin Luzes, enquanto os eventos presenciais não são recomendados, os interessados podem acessar online os diversos cursos, treinamentos e paineis disponíveis, inclusive os ministrados pelos desenvolvedores e startups localizados nos demais Microsoft Reactors espalhados pelo mundo nas cidades de: Redmond, São Francisco, Nova York, Toronto, Londres, Estocolmo, Sidney, TelAviv, Abu Dhabi, Bangalore e Shangai.

Em suas dez semanas iniciais, o Reactor oferecerá cursos sobre ciência de dados, aprendizado de máquina, serviços de IA, blockchain e desenvolvimento web. Todo o conteúdo será gratuito e trará o que há de mais significativo nos principais tópicos de tecnologia, do nível introdutório ao avançado, para que os participantes construam a sua base de conhecimento. Confira o calendário de eventos: https://developer.microsoft.com/en-us/reactor/

O lançamento do Microsoft Reactor São Paulo se conecta às demais iniciativas que a empresa já possui para apoiar o ecossistema de inovação de empreendedorismo. Em novembro de 2019, a Microsoft lançou o Women Entrepreneurship (WE), um programa que tem como proposta estimular o empreendedorismo feminino no país. A primeira grande iniciativa do WE partiu da Microsoft Participações que, em parceria com Sebrae Nacional e M8 Partners, estruturou o fundo WE Ventures, que tem como foco o investimento em startups lideradas por mulheres e que estejam no chamado estágio do “vale da morte”. Os aportes vão de R$ 1 milhão a R$ 5 milhões. O WE Ventures já recebeu apoio de mais duas empresas investidoras – Flex e Grupo Sabin – e pretende captar R$ 100 milhões em cinco anos, já tendo levantado R$ 30 milhões.

Duas startups foram beneficiadas com aporte do Fundo WE Ventures, são elas: Pack ID, que possui uma tecnologia para monitoramento de temperatura e umidade em tempo real para qualquer ambiente; e a We Impact, um ecossistema digital desenvolvido para acelerar o sucesso de mulheres fundadoras de startups em todo o país. A We Impact acompanha as fundadoras de startups ao longo de toda sua jornada empreendedora, investindo capital estratégico e financeiro (pré-seed) para remover as mais importantes barreiras que distanciam mulheres dos negócios tecnológicos, escaláveis e inovadores. Esta última também é parceira do Fundo para originação, desenvolvimento e acompanhamento das startups investidas.

O programa WE como um todo – incluindo WE Ventures e WE Impact – já tem 19 startups lideradas por mulheres sendo apoiadas e elas também poderão se beneficiar das ofertas do Microsoft Reactor São Paulo.

O Microsoft for Startups é outro apoio importante oferecido ao ecossistema de empreendedorismo. Por meio da oferta de créditos na plataforma de nuvem Azure, oportunidades de desenvolvimento e eventos exclusivos, o programa Microsoft for Startups foca no fortalecimento de startups para ajudá-las a expandir e escalar seus negócios.

Desde maio de 2020, todas as startups afiliadas ao Microsoft for Startups também passaram a ter acesso gratuito por até 12 meses à Power Platform, um grupo de aplicativos e serviços projetados pela Microsoft para ajudá-las a criar aplicativos comerciais personalizados, de nível profissional, voltados à automatização de fluxos de trabalho e visualização dinâmica de dados. No Brasil, a Microsoft já disponibilizou mais de US$ 205 milhões em créditos de nuvem Azure para startups. Desde 2011, aproximadamente 7,1 mil startups já foram apoiadas pela empresa em todo o país.

Além do WE, a Jornada Empreendedora já teve também o Fundo BR Startups, criado em 2014 pela Microsoft Participações. Ele fomentava o ecossistema de startups com investimentos entre R$ 500 mil e R$ 3 milhões em empresas nacionais. Além da Microsoft, era formado pelo Banco do Brasil Seguros, Banco Votorantim, Algar, Bayer, e Agência de Fomento do Estado do Rio de Janeiro (AgeRio). Em 5 anos de operação, o Fundo BR Startups captou R$ 32 milhões e investiu em 15 startups.

Aceleradora mapeia startups que podem auxiliar setores impactados pelo coronavírus

A crise causada pela pandemia do coronavírus afetou a economia de forma incalculável e alguns setores estão sofrendo consequências graves, como o de transporte, turismo e gastronomia. Na contramão, outras áreas do mercado têm tido picos de demanda neste período conturbado, principalmente serviços que podem ser feitos a distância, como aplicativos de videochamada, como o próprio Zoom.

Neste cenário, existem as startups, empresas que possuem a disrupção em seu DNA. Por terem este perfil mais ligado à inovação, algumas estão conseguindo atravessar a fase atual de forma positiva ou, inclusive, propondo algum tipo de avanço para todo seu segmento. Para mostrar isso, a Troposlab – aceleradora de negócios, projetos e pessoas – fez um mapeamento de negócios que foram acelerados por ela, e que podem ajudar outras empresas a reinventarem-se e a superarem a crise do coronavírus.

“Existem efeitos de curto, médio e longo prazo e já começamos a ver um desenho de setores que estão sendo e serão mais afetados, seja pela doença em si, seja pelos efeitos econômicos do confinamento que estamos vivendo. Por isso, mapeamos alguns dos principais setores que estão sofrendo com as atuais medidas e as principais startups aceleradas que podem ajudar na reinvenção destes negócios”, explica Pedro Teixeira, cofundador e diretor de aceleração da Troposlab.

Varejo

Uma área que foi muito impactada e está precisando se reinventar e reformular seu modelo de negócios é a de varejo. Inúmeras empresas têm tido queda nas vendas porque não podem abrir e ainda não possuem uma plataforma online.

• eMercado e Domusca : duas startups que atuam no setor de varejo supermercadista. Mesmo com o confinamento, as pessoas precisam comprar itens essenciais de alimentação. Para evitar que elas se arrisquem e saiam de casa, as duas plataformas funcionam como deliverys para quem deseja fazer as compras do mês.

• N2N Virtual: Para os microempreendedores que precisaram fechar as portas de seus pequenos negócios, essa startup é uma boa opção de migração para o online. É um marketplace que permite que qualquer um crie sua loja virtual, uma oportunidade para novas ideias.

• Take Now: Sente falta das outlets e de promoções como “Compre Agora” ou “Veja Agora”? A Take Now trazer este conceito para o online e qualquer pessoa pode vender pela plataforma. Funciona como um marketplace de moda que lança promoções que ficam disponíveis na tela por 1 minuto e meio. Se a pessoa não se interessar pela oferta, o produto não aparece mais. Se ela gostar, ele fica disponível por 5 minutos para fechar a compra. Algumas vezes, há produtos por R﹩ 1.

• Rectrix , Simbio e Shelfpix : Startups B2B que oferecem soluções tecnológicas com softwares de gestão de vendas e caixa. Um segmento para ficar atento, pois com o aumento de demandas no online, é preciso ter um sistema de operação eficiente e que controle o fluxo de informações das operações de uma empresa de varejo.

Turismo

A área de turismo e viagens foi a que sofreu instantaneamente com a crise do coronavírus. Em tempos de isolamento social, as viagens de férias e as hospedagens em hotéis são as primeiras a pararem. Como as empresas estão lidando com o momento atual e se planejando para o futuro é que vai determinar se vão sobreviver ou não.

• Mevow e Mibusca : são plataformas de busca e comparação de preços de passagens aéreas. Nos dois exemplos, elas podem funcionar de forma integrada com outros players do setor que precisam se reinventar, como no caso de agências de viagem e turismo.

Alimentação

Categorias de mercado que necessitam da presença física e trabalham com a ideia de interação social ficaram de mãos atadas com a quarentena, especialmente os pequenos bares e restaurantes de bairro, que tinham uma clientela fixa da região. Muitos já trabalhavam com plataformas de delivery, como iFood e Uber Eats, e outros precisaram utilizar estes sistemas às pressas para não perder espaço.

• Menyoo: é uma plataforma que funciona de forma complementar com aplicativos de delivery, possibilitando a chegada de cardápio de um determinado estabelecimento a mais lugares e, consequentemente, trazendo mais vendas.

• Bom de copo : os happy hours tiveram uma pausa, mas mesmo assim é possível reconectar a comunidade cervejeira por meio da tecnologia. A startup liga produtores, estabelecimentos e clientes para estabelecer relacionamentos entre esses grupos.

• Sacola de Minas: funciona como um marketplace de produtos artesanais onde fabricantes podem comercializar seus produtos que antes eram vendidos em pequenas quitandas e mercearias. Há uma grande gama de produtos, desde queijos e doces mineiros a artesanatos.

Entretenimento

Assim como a área de gastronomia sofreu pelo distanciamento social, o setor de entretenimento, cultura e lazer está vendo os impactos com seus pontos de portas fechadas. O jeito de se entreter mudou. Milhares de músicos estão fazendo lives de show e os serviços de streaming estão mais fortes do que nunca.

• Cennarium: uma espécie de Netflix de peças de teatro e musicais, a startup tem o objetivo de levar a experiência dos palcos para o ambiente digital com apresentações musicais, circo, performances de dança e muito mais, além de democratizar o acesso à cultura.

• HOLOBOX: startup que reproduz personagens, objetos e pessoas em hologramas. No momento atual, as lives se tornaram parte da rotina. Mas em breve, é possível que as transmissões em holografia possam se tornar realidade em um mundo pós Covid-19.

• ampyou e Eshows : as duas startups atuam como portais para conectar artistas com clientes para contratação de shows particulares, enquanto as aglomerações precisam ser evitadas.