Category aceleração de startups

Qintess Ignite Startups abre inscrições para 2021

Em 2020 programa de aceleração gerou soluções para oito grandes clientes das Qintess nos setores de Finanças, Seguros, Varejo e Governamental

A Qintess, umas 10 maiores empresas brasileiras de tecnologia, anuncia a segunda edição do Qintess Ignite Startups, programa de aceleração que tem como objetivo alavancar a atuação de startups no ecossistema da companhia, bem como gerar oportunidades de parcerias de negócios entre empreendedores e grandes clientes em diversos setores econômicos. 

O foco em 2021 é inovação baseada em inteligência artificial, aprendizado de máquina, análise avançada de dados, mineração de processos, computação de borda e SAP. No ano passado, o programa gerou soluções para oito grandes clientes da Qintess em setores como Finanças, Seguros, Varejo e Governamental. Ao todo, foram 30 reuniões de trabalho, 54 mentorias, agendas técnicas e 12 webcasts comandados pelas startups.  

“Estamos consolidando algumas startups como nossas parceiras permanentes, com o objetivo de gerar ofertas para os clientes, além de incluir novos pilares relacionados aos projetos internos de inovação da Qintess. Tudo isso para continuar tendo ganhos de produtividade e ampliação de produtos e serviços! ”, comenta Breno Barros, Vice-Presidente de Pessoas, Marketing e Inovação da Qintess.

“Também estamos alavancando nossas academias de talentos. Por exemplo, agora em abril acontecerá nosso primeiro “Hackat-UP”, uma maratona de programação que une 20 pessoas formadas pela nossa academia por um período de tempo de uma semana a fim de explorar dados e códigos, e discutir novas ideias para nossas Startups aceleradas na nossa parceira Vale do Dendê. É uma incrível evidência de nosso propósito: unir a inovação sustentável com pessoas capacitadas e preparadas dentro de casa!.”, finaliza Breno.

Serviço

Qintess Ignite Startups

Quando: inscrições até 30 de abril

Onde: https://qintess.com/ignite-2021

Evento de Lançamento:

Lançamento Qintess Ignite Startups 2021

Quando: 16/04 às 15h

Onde: Transmissão via LinkedIn em https://www.linkedin.com/events/lan-amentoqintessignitestartups6782699849113456640/

Samsung Creative Startups acelera projetos com potencial de contribuir na melhoria da educação

Depois dos desafios em 2020, a área da educação busca consolidar soluções inovadoras, o que coloca as edtechs, como são chamadas as startups voltadas para o setor, como tendência neste ano. Esse movimento do mercado já aparece no Samsung Creative Startups, programa de aceleração de startups da companhia. A atual edição da iniciativa conta com quatro projetos – sendo três de Manaus e um de São Paulo – com potencial de melhorar a forma como professores e estudantes compartilham conhecimento à distância.

O Batch#5 teve seus 14 selecionados em junho de 2020. Os empreendimentos voltados para a educação são projetos que vão desde maneiras de otimizar o ensino remoto, com a oferta de laboratório virtuais, até a utilização de games para auxiliar no aprendizado.

“Temos como propósito no Creative Startups detectar o potencial de transformação da sociedade, buscando startups que forneçam o empoderamento por meio da tecnologia para tornar o mundo melhor. Antes mesmo do distanciamento social que marcou 2020, identificamos a ampliação de ferramentas para digitalização da educação como uma demanda importante que poderia ser atendida com eficiência pelo programa”, declarou Paulo Quirino, Coordenador Nacional do Programa Creative Startups na área de Pesquisa e Desenvolvimento da Samsung. “Em um momento no qual as conexões de internet se tornam mais rápidas e eficientes, as edtechs se tornam fundamentais porque trazem soluções para a educação acompanhar a nova realidade tecnológica”, complementou.

EDTECHS NO BATCH#5 DO CREATIVE STARTUPS


CAEx


A startup de São Paulo está desenvolvendo uma plataforma educacional interativa baseada em Realidade Aumentada, voltada para o Ensino Fundamental. Por meio de um dispositivo mobile, alunos e professores têm acesso a laboratórios de ciências e matemática interativos e imersivos, que estimulam metodologias ativas e geram pensamento crítico, comunicação e colaboração. Por meio de ambientes didáticos e divertidos, são ampliadas a autonomia tanto de estudantes quanto de professores, aumentando a capacidade de resoluções de problemas e aguçando a criatividade.

GAWA


A startup de Manaus está aprimorando a GAWA, uma plataforma no formato de fliperama ou arcade que pode ser jogada a partir da coleta de tampas plásticas. A ideia é promover a sustentabilidade. O processo da coleta por meio de sensores, vinculado a um software para gestão e benefícios ao usuário, conciliando gamificação, logística reversa e educação ambiental. Os estudantes são estimulados de forma divertida a coletar resíduos recicláveis (tampas plásticas) e, com isso, a educação ambiental ultrapassa o período escolar, alcançando todas as idades, pois a coleta das tampas plásticas pode gerar pontuação para descontos na compra de produtos em empresas parceiras. Serão exibidos ao usuário o mapeamento dos locais onde possam encontrar a GAWA e as opções de jogos que se abrem depois que é realizado o descarte na plataforma. Também é possível acompanhar o seu nível de contribuição com os descartes, já que serão acumulados pontos que podem ser trocados por descontos em produtos ou brindes.

LAZU


A startup de Manaus desenvolve uma plataforma de ensino que aproxima aprendizagem e leitura com conversas mais leves e conteúdos adaptados para o desempenho e a região em que o aluno busca vaga em universidades. Em um dispositivo mobile, os estudantes têm acesso a conteúdos atualizados em uma linguagem simples, gráficos que facilitam o entendimento, indicações de organização de estudo e um banco de mais de 5 mil questões de vestibulares e provas de algumas das principais universidades do país, além de criar planejamentos com foco em vestibulares regionais, indo além do ENEM.

MANAÓS TECH


A startup de Manaus desenvolve uma plataforma com atividades utilizando Realidade Aumentada para maior engajamento dos alunos em conteúdos de pensamento computacional, lógica, programação, desenvolvimento de games e apps, atrelando as atividades ao conteúdo estabelecido pela Base Nacional Comum Curricular. Com o objetivo de tornar o aluno protagonista do aprendizado, são oferecidos quatro cursos, para faixas etárias que vão de 5 a 16 anos, sempre adotando a metodologia STEAM (sigla em inglês para Ciências, Tecnologia, Engenharia, Artes e Matemática) para alinhar conhecimentos regulares com tecnologia, gerando uma aprendizagem significativa e habilidades essenciais para o futuro, mas em um ambiente divertido para estimular criatividade e pensamento lógico de uma forma leve e marcante.

Samsung Creative Startups


As 14 startups selecionadas para o Batch#5 do Samsung Creative Startups são de sete cidades diferentes (Manaus/AM, Florianópolis/SC, Londrina/PR, São Paulo/SP, Campinas/SP, São Caetano do Sul/SP e Itajubá/MG) e, além de educação, contemplam áreas como saúde, segurança, Internet das Coisas, Inteligência Artificial e controle parental. Desde a primeira edição, em 2016, 45 startups foram aceleradas.

As empresas selecionadas para participar do Creative Startups contam com um pacote de serviços e conveniências, que inclui acesso a ativos, tecnologias, laboratórios de P&D, treinamentos, assessorias, mentorias, networking e redes de investidores, além da infraestrutura, dos serviços tradicionalmente oferecidos pela Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec) e sua rede de incubadoras, aceleradoras e parques tecnológicos e até R﹩ 200 mil, livres de equity, para serem investidos no desenvolvimento e aprimoramento dos produtos e serviços apresentados, conforme regras previstas pela Lei da Informática.

O programa ampliou seu alcance e investimento da empresa na edição atual, que tem encerramento previsto para o segundo semestre deste ano. Durante o período de isolamento social, as atividades presenciais passaram a ser virtuais, sem nenhum prejuízo para os participantes. Mas a digitalização não foi uma completa novidade, pois a iniciativa já realizava 80% de sua programação online, como uma medida para atender a startups de diversas regiões do Brasil.

Podium labs visa impulsionar a indústria esportiva

O Arena Hub inicia 2021 anunciando Podium Labs – seu Primeiro Programa de Aceleração. O maior centro de inovação e empreendedorismo esportivo da América Latina, com atividades desde Maio de 2020, tem conectado mais de 80 startups e membros associados, mais de 30 entidades esportivas e diversos parceiros nacionais e internacionais. O trabalho é para gerar e desenvolver negócios direcionados ao esporte brasileiro. Para aumentar e impactar ainda mais essa indústria, o Programa Podium Labs é um grande passo para ampliar e fomentar negócios com diferentes empreendedores e startups.

“Em 2020 tivemos o Desafio Like a Player, em parceria com o SEBRAE, evento fundamental para mapearmos o atual momento do ecossistema de startups do esporte, bem como seus níveis de maturidade e entregas”, explica Fernando Patara, executivo e co-fundador do Arena Hub. “Percebemos que os empreendedores, embora com muito empenho e criatividade, ainda precisam se adaptar ao mercado esportivo, entender mais a fundo as necessidades para que, assim, desenvolvam soluções que melhor se aplicarão ao mercado esportivo”.

As inscrições estão abertas pelo site https://www.arenahub.com.br/podium-labs e os critérios incluem que sejam startups com atuação direta ou indireta no segmento de esporte, saúde e bem estar com foco em modelos de negócios B2B, B2B2C, transacional, SaaS e híbrido. Demais regras estão detalhadas no site. É importante ressaltar que, dentro da premissa do Arena Hub, todas as soluções devem ser direcionadas ao fomento e impulsionamento da indústria esportiva.

O Programa Podium é um importante passo para que as startups participem de mentorias e eventos diversos. A iniciativa oportuniza que os empreendedores compartilhem conhecimento entre si, além de contarem com a expertise dos parceiros do Arena Hub, que possuem diferentes níveis de maturidade no segmento. Para os investidores é uma grande oportunidade de investir em startups early stage em troca de equity para desenvolvimento do segmento do esporte, um setor em ascensão em todo o mundo.

“Participar de um Programa de Aceleração é mandatório para uma startup ter sucesso em seus negócios e prosperar. O foco do programa está em conectarmos os projetos ao mercado, gerando tração e escalabilidade às startups participantes”, explica Fernando Patara. “Para isso serão propostos períodos intensos para troca de conhecimento com incentivo de recursos humanos e financeiros que irão acelerar o sucesso do negócio e fazer com que a solução seja desejada e aderida pelo mercado”.

Ao longo do programa, as startups recebem incentivo para desenvolvimento e aperfeiçoamento do seu modelo de negócio, além de ampliarem as possibilidades estratégicas de uma POC ou novo produto ao mercado, caso seja necessário. Os segmentos de negócios podem ser voltados para Engajamento de fãs, Performance Humana e Saúde e Bem Estar, Espaços inteligentes, Conhecimento, Inteligência de negócios, E-Sports e Gamificação, Mídia e conteúdo, Impacto social e sustentabilidade.

Conexão para investimentos em negócios inovadores

A Catarina Capital tem importante papel no programa, sendo a empresa de investimentos responsável pela gestão do veículo financeiro, criação e gestão dos comitês e contribuirá ativamente com estratégias no projeto. A empresa atua em rede, com sede em Santa Catarina,reconhecida como a Ilha do Silício, que possui também a maior concentração de segmentos de tecnologia na representação do seu PIB. Por estar imersa em um cenário favorável, a Catarina Capital visa empoderar e incentivar projetos inovadores e empreendedores, além de preencher lacunas e setores produtivos que ainda são desprivilegiados pelo mercado de capitais e possuem grande potencial.

Junto ao Arena Hub, a Catarina Capital irá auxiliar os empreendedores a identificarem seu cliente-alvo, como rentabilizar com ele, a desenvolverem um Minimum Viable Product – MVP (produto mínimo viável) e a avançar na esteira de captação de uma nova rodada de investimento. O veículo tem a possibilidade de realizar aportes de até R﹩400 mil, em troca de um teto de 12% de participação nas empresas, dependendo do estágio de cada startup.

“O Podium Labs só vem confirmar os bons resultados do Arena Hub e as conexões que têm sido promovidas para o setor de esporte. Neste momento o hub dá um novo passo com o programa de aceleração conectando estes players com o mercado de capitais e investimentos”, afirma Thiago Lobão, CEO da Catarina Capital. “Essa também é uma oportunidade de unir o ecossistema de São Paulo ao mercado de Santa Catarina, onde startups de bem estar e lazer estão cada vez mais em destaque”.

Parceiros internacionais

Os parceiros internacionais do Arena Hub participarão do Programa de Aceleração Podium Labs prestando apoio, estruturação e validação das etapas do programa, por meio de mentorias e office hours, tanto individuais quanto coletivas, além de terem conhecimento sobre processos de internacionalização dos projetos.

Fases do Programa de Aceleração Podium Labs

Inscrição das startups pelo site https://www.arenahub.com.br/podium-labs, até 30/03/2021
Seleção de 30 startups para entrevistas online a partir de 02/03/2021

Agendamento das entrevistas online a partir de 02/03/2021

Entrevistas online a partir de 02/03/2021

Divulgação dos resultados 02/04/2021

Podium Labs 06/04/2021

Encerramento do Programa 30/07/2021

Grupo Boticário vai acelerar 13 startups com foco no varejo de beleza

Empresa divulga os 13 selecionados para a primeira turma do projeto GB Ventures – o braço do grupo para aceleração e relacionamento com o ecossistema de startups

O Grupo Boticário escolheu 13 startups em early stage para a primeira edição do GB Ventures, sua aceleradora de startups. De novembro a fevereiro, foram 137 inscritas e as eleitas foram aquelas que apresentaram mais alto potencial dentro dos três desafios propostos no anúncio de abertura de inscrições: Beautytech, Retailtech e Trendsetter.

Seis delas são dedicadas ao setor de beleza e apresentaram soluções de tecnologia em beautytech. Foram elas: Beauts, Bergamia, Feel, Hendrik, Meu Q e Pura. Em Retailtech foram duas: Flexsas e Minus. As outras cinco responderam os desafios em Trendsetter: Axondata, Be Beleza Tech, Beegol, Intless e PulpoAr .

Serão seis meses de aceleração, com muito conteúdo, mapeamento, pesquisa e desenvolvimento de soluções em conjunto com o Grupo Boticário. Ao todo, são sete módulos estruturantes que vão garantir uma visão transversal com inputs de branding, compliance, negócios e cultura da empresa, bem como conversas com nomes já consagrados no mercado para troca de experiências. Nas primeiras semanas do programa, as startups estarão focadas na fase de diagnóstico e mapeamento da jornada do consumidor.

“Estamos muito entusiasmados com esse trabalho conjunto e com o potencial de inovação e solução dos problemas que vamos desenvolver em conjunto com essas startups. O Grupo Boticário tem um parque de diversões para dar espaço para essas empresas se desenvolverem. Temos fábricas, armazéns, distribuição, canais próprios, canais terceiros, pontos de venda físicos, online, centro de Pesquisa & Desenvolvimento e etc. Somos 4.000 lojas e milhões de revendedoras e consumidores”, diz Daniel Knopfholz, VP de tecnologia do Grupo Boticário. “A reunião da nossa estrutura, somada à essa energia transformadora dessas startups, tem o potencial de gerar coisas incríveis para os nossos clientes”, continua. “As 13 selecionadas já apresentaram ótimos resultados em suas áreas e teremos muito a aprender com elas também”, conclui.

Conheça melhor as startups escolhidas:

Axondata: A Axondata tem como propósito tornar a Inteligência Artificial (IA) e o Big Data úteis e acessíveis de forma ágil e escalável para o mercado. O principal produto é a SOMMA, a primeira plataforma de IA e Big Data Analytics desenvolvida inteiramente na América Latina.

Be Beleza Tech: É uma escola de beleza de bolso que ajuda os consumidores a fazer makes, rotinas de skincare e beleza utilizando realidade aumentada. A tecnologia ajuda a personalizar a aplicação dos produtos de beleza para as características pessoais dos consumidores.

Beegol: A Beegol desenvolve modelos de machine learning que utilizam as bases de dados de clientes, complementadas por dados externos, com os quais enriquecem a base para fornecer recomendações de ações práticas para atingimento de um objetivo.

Beauts: Marca de clean beauty lançada em 2019. Beauts significa beleza plural, com produtos de skincare e bem-estar para cuidar da beleza fora e dentro. Suas fórmulas trazem ativos naturais e orgânicos do mundo todo.

Bergamia: Seus produtos são desenvolvidos levando em consideração três valores fundamentais: Beleza Limpa e Natural, Beleza Responsável e Beleza Criativa.

Feel: A Feel faz parte do segmento de sexual wellness e cria produtos naturais, veganos e saudáveis que atendem as preocupações e desejos das suas consumidoras. A empresa acredita que o autocuidado íntimo significa respeitar nossos corpos.

Flexsas: Surgiu como uma solução que oferta e interconecta os serviços de armazéns logísticos pelo Brasil, garantindo ocupação de suas estruturas e os conectando no contexto de operações flexíveis de warehousing e fulfillment para e-commerce de varejistas e indústrias.

Hendrik: Focada em produtos de beleza masculinos, cuida do homem que se preocupa e que cuida de si, do próximo e do ambiente em que está. Além de produtos naturais, veganos e sem testes em animais, a Hendrik oferece um espaço de experiência em São Paulo.

Intless: A Intless oferece uma solução de analytics que utiliza notas fiscais para ter uma visão centralizada de clientes. A startup resolve essa dor integrando e centralizando os dados de lojas físicas e canais digitais.

Meu Q: Formula produtos de hair care personalizados, que atendam às necessidades específicas de cada cliente utilizando um algoritmo e Inteligência Artificial. Os produtos são formulados combinando as informações do seu Quiz com os desejos e preferências da cliente.

Minus: O propósito da Minus é reduzir desperdício utilizando uma plataforma de gestão de vencimento e, ao mesmo tempo, para aqueles produtos próximo ao vencimento, escoar de forma inteligente e rápida a custo menor.

PulpoAr: Solução de try-on de produtos que utiliza realidade aumentada. A startup acredita que a realidade aumentada é um dos pilares do futuro e está expandindo seu roadmap para fazer o futuro acontecer mais rápido.

Pura: Glitter Biodegradável. Alternativa sustentável ao glitter plástico, o bioglitter é produzido pela Pura para evitar que milhares de toneladas de plástico sejam jogadas no lixo, poluindo rios e mares.

Movile se junta à Endeavor para terceira edição do programa de aceleração de fintechs

A Movile, empresa que investe e desenvolve negócios de tecnologia e pessoas, se uniu à Endeavor – rede global formada pelos empreendedores e empreendedoras à frente das scale-ups que mais crescem no mundo – para a 3ª edição do Programa Scale-up Endeavor Fintech. O programa busca encontrar 12 scale-ups que estejam preparadas para escalar soluções para acelerar a revolução no setor financeiro. As inscrições devem ser feitas na página do programa até o dia 02 de abril de 2021: https://endeavor.org.br/scaleup/fintech

Os segmentos contemplados para a edição 2021 do programa são: pagamentos, investimentos, trading markets, gestão financeira, eficiência financeira, fintech as a service, bancos digitais, crypto, blockchain, open banking, empréstimos, recebíveis e seguros.

“O programa da Endeavor se encaixa muito bem com a estratégia da Movile, que é de ser uma investidora estratégica capaz de acelerar ainda mais negócios em rápido desenvolvimento. Além disso, o foco em fintechs também tem uma sinergia muito grande com os objetivos do Grupo Movile para 2021”, explica Fábio Massuda, diretor de Fintech e Estratégia da empresa.

O setor de fintechs é um dos mais promissores do mundo, com tamanho de mercado potencial de U﹩ 4,7 trilhões. No Brasil, a receita anual potencial das scale-ups no segmento em 10 anos é de R﹩ 75 bilhões. Atualmente, a Movile já possui em seu ecossistema duas empresas no segmento: a Zoop, que oferece serviços whitelabel para empresas que buscam agregar serviços financeiros ao seu portfólio, e a MovilePay, que oferece soluções de financeiras, tais como crédito, adquirência (POS e QR Code) e serviços bancários (conta e carteira digital), implementadas a partir de parcerias com outras empresas do setor de tecnologia, a começar pelo iFood.

“Para nós é muito importante essa aproximação com o mercado dado que fintech é um grande foco do Grupo Movile para 2021.O Grupo Movile tem como principais pilares auxiliar no crescimento das empresas que estão no ecossistema e investir em novos negócios estratégicos. nossa parceria com a Endeavor busca acelerar ainda mais nossa estratégia em fintech”, adiciona Massuda.

O programa dura cinco meses – de maio a setembro de 2021 – e todas as empresas selecionadas serão acompanhadas por uma mentora madrinha ou um mentor padrinho, que ajudarão nos principais desafios de crescimento do negócio. Além disso, também acontecerão meetups com as maiores referências do setor. Já passaram pelo programa empresas como Creditas, Omie, Neon, BCredi e CredPago.

B2Mamy seleciona startups fundadas por mães para programa de aceleração

Empresa que já capacitou 30 mil mulheres e mais de 260 startups em fase inicial abre seletiva para nona turma

Cerca de 15% das startups brasileiras são fundadas ou lideradas por mulheres. No entanto, apenas 2,3% dos investimentos de risco foram direcionados para as que têm ao menos uma líder. Em 2020, a participação feminina no mercado de trabalho teve o menor índice em 30 anos: menos de 50% dos postos são ocupados por mulheres.

“Embora pesquisas já comprovam que startups lideradas por mulheres geram mais receita e dão maior retorno, o caminho ainda é longo e o investimento nas nossas startups caiu 22% no mundo”, comenta Dani Junco, CEO e fundadora da B2Mamy

Diante do enorme gap de gênero, a B2Mamy , primeira empresa que capacita e conecta mães ao ecossistema de inovação e tecnologia para que elas sejam líderes e livres economicamente, abre seletiva para o seu programa de aceleração. Voltado para mães que querem impulsionar suas startups, aprender os diversos conceitos de empreendedorismo e implementar processos mais ágeis, o B2Mamy Pulse tem o apoio do Google for Startups, oferece 250 horas de capacitação, conexão ao ecossistema e comunidade e já movimentou mais de 4 milhões de reais.

A 9ª edição, assim como as turmas formadas em 2020, será online e o investimento total para a aceleração é de R﹩3.000,00. A Danone Nutricia é parceira do programa e subsidiará 10 vagas com desconto de 50%. Além desse subsídio, a B2Mamy ainda disponibiliza 2 vagas sociais para mães em situação de vulnerabilidade.

As inscrições estão abertas até 26 de fevereiro e as startups interessadas devem preencher os seguintes critérios:

• Liderados ou fundados por mães e mulheres;

• Estar em estágio inicial (early stage);

• Negócios no contexto digital com soluções em tecnologia (marketplace, EAD, APPS e SaaS, por exemplo) podendo estar inserido em qualquer segmento.

O programa tem foco em mães, mas 30% das vagas são reservadas para outros públicos, desde que suas equipes tenham mulheres em cargos de liderança.

Além do programa de aceleração, as startups selecionadas também recebem benefícios como o acesso facilitado a eventos e cursos produzidos pela B2Mamy e o uso da Casa B2Mamy, primeiro Hub de inovação Family Friendly do Brasil, durante a jornada.

B2Mamy Pulse – 9ª turma

Seletiva até: 26 de fevereiro

Início das aulas: 04 de março

Final das aulas: 25 de junho

Site/Inscrição:

https://www.b2mamy.com.br/to-no-pulse

Saiba por que Florianópolis tem o melhor ambiente de inovação e capital humano para empreender

Florianópolis é a segunda melhor cidade para se empreender no Brasil, é o que aponta o Índice de Cidades Empreendedoras realizado pela Endeavor em parceria com a  Escola Nacional de Administração Pública (Enap) – lançado nesta quinta-feira (28). A capital catarinense ficou somente atrás de São Paulo, que tem população 20 vezes maior. As condições de inovação e capital humano foram os destaques da cidade, que ocupou a primeira posição nos dois pilares. Santa Catarina ainda conta com mais dois representantes no top 20 do ranking geral: Joinville, em 16º, e Blumenau, em 17º.

Um conjunto de ações contribuem para o desenvolvimento de Florianópolis e do estado como um ecossistema empreendedor. No pilar inovação – em que a cidade ocupa o primeiro lugar e Joinville, no norte catarinense, o quarto – foram examinados os indicadores como proporção de mestres e doutores em ciência e tecnologia, assim como de funcionários nessa área, investimentos do BNDES e da Finep, número de patentes registradas, representatividade da indústria inovadora e da economia criativa, entre outros.

 O movimento empreendedor ganhou expressão na capital desde a década de 90, quando houve um aumento do número de empresas de tecnologia e inovação se instalando e sendo criadas, o que rendeu, mais recentemente, o apelido de  “Ilha do Silício”. Segundo dados do ACATE Tech Report 2020, a região metropolitana possui 3,9 mil empresas do setor, com faturamento de R$ 9,9 bilhões. São mais de 7 mil empreendedores e cerca de 28 mil colaboradores. 

Há dois anos, uma parceria entre a Prefeitura de Florianópolis e a Associação Catarinense de Tecnologia (ACATE) criou a Rede de Inovação, uma iniciativa pioneira no país que reúne quatro centros de inovação com o objetivo de estimular a cultura de inovação e empreendedorismo, ativar o ecossistema de inovação e gerar e escalar negócios inovadores no município. 

“O Índice vai ao encontro do que constatamos no Tech Report, e demonstra o quanto o setor de tecnologia e inovação são fundamentais para o desenvolvimento de uma cidade. Hoje é a principal atividade econômica do município, e Florianópolis também tem a maior taxa de empresas de tecnologia por habitante do país, com cinco empresas para cada mil habitantes”, explica Iomani Engelmann, presidente da ACATE. 

Capital Humano de qualidade, mas ainda escasso

Conectado diretamente a isso, Florianópolis também ficou em primeiro lugar na dimensão capital humano. Fatores como alto desempenho dos alunos no Enem, alta proporção de adultos com ensino médio completo, de matriculados no ensino técnico e profissionalizante, de adultos com ensino superior completo e de alunos com formação superior em cursos avaliados como sendo de alta qualidade compõem  o resultado. “Certamente o setor de tecnologia e inovação impulsionou este resultado, pois as empresas de tecnologia atraem um grande número de profissionais altamente qualificados”, observa Engelmann.

A startup de biotecnologia BiomeHub exemplifica bem esta realidade. Fundada em 2019 na capital catarinense, é uma das únicas healthtechs a desenvolver soluções tecnológicas baseadas no microbioma humano no Brasil e, com menos de dois anos no mercado, já é reconhecida nacionalmente como referência em tecnologia e conhecimento sobre o tema para a promoção da medicina preventiva e de precisão. Também foi pioneira no país ao desenvolver uma metodologia de testagem em massa para a Covid-19. “Um dos pontos que fazem com que tenhamos uma alta capacidade de inovação é a qualidade e quantidade de colaboradores com mestrado e doutorado na nossa equipe”, explica o CEO da startup, Luiz Felipe Valter de Oliveira, que também é doutor em Genética e Biologia Molecular.

Apesar da boa colocação no ranking, assim como o restante do país, o estado também enfrenta um gargalo para contratação de profissionais altamente qualificados no setor.  Entidades e a iniciativa privada estão se mobilizando para capacitar mais pessoas para a área, mapeando uma jornada e sensibilizando os jovens desde a escola para que tenham interesse pela tecnologia. “Projetos como o DevinHouse, que vai formar desenvolvedores em nove meses, e o Entra21, que capacita jovens e encaminha para o mercado de trabalho, são essenciais para que o ecossistema continue crescendo de forma sustentável”, explica o presidente da ACATE. 

Acesso a capital 

Outro pilar que a capital catarinense  ocupa uma boa colocação no ranking é o Acesso a capital. O diretor do grupo de investimento da ACATE, Marcelo Wolowski, comenta que no setor de tecnologia e inovação a oferta aumentou muito no último ano, mesmo em meio a pandemia. “Foram quase R$ 100 milhões de investimento em 2020. Atualmente, existem dois fundos na cidade para investimentos em empresas inovadoras, e a ACATE também está apoiando um fundo de R$ 100 milhões da Invisto. Além disso, a Rede de Investidores Anjo t se fortaleceu muito nos últimos anos”, aponta Engelmann. 

Ainda que tenha obtido um bom resultado geral, a 23ª posição no pilar Ambiente Regulatório; 15ª em Infraestrutura; 42º em Mercado; e 87º em cultura empreendedora mostram que os desafios são inúmeros. Ao menos no ambiente regulatório, a cidade já vê alguns avanços. O projeto Floripa Simples, lançado em 2020, permite a abertura de uma empresa de baixo risco em  quatro horas, tempo mais rápido do país entre as capitais.   “Existem algumas particularidades por se tratar de uma ilha, que impede a construção de grandes indústrias, mas precisamos avançar muito na questão da conectividade, que precisa ser ampliada, assim como na infraestrutura. O levantamento é um bom parâmetro para toda a sociedade avaliar e elencar as prioridades para o desenvolvimento”, finaliza Engelmann.  

Aceleradora canadense seleciona startups brasileiras para programa de internacionalização na América do Norte

Estão abertas as inscrições para o Dream2B Global Acceleration Program, programa de aceleração e internacionalização para startups brasileiras no Canadá. Em sua 5ª edição, o programa irá selecionar 15 startups de todo o país das áreas de inteligência artificial, cidades inteligentes e veículos autônomos. As interessadas em participar têm até o dia 14 de fevereiro para se inscreverem gratuitamente no site https://www.dream2b.com.br/.

“O diferencial do nosso programa de aceleração é ser hands-on. Além de mentoria com profissionais de alto nível do mercado global, fazemos a validação do modelo de negócios e ajudamos em todas as etapas de internacionalização. É uma parceria de longo prazo que já ajudou 40 startups brasileiras, sendo que algumas iniciaram operações globais a partir do Canadá. Uma das mais recentes foi a Safetest, que criou um teste rápido de Covid-19 e foi aprovada pelo FDA, para a comercialização e distribuição nos EUA, assim como na União Europeia, antes mesmo de ter autorização no Brasil”, explica Regina Noppe, founder & CEO da venture builder canadense Dream2B.

As 15 startups selecionadas para esta edição, a primeira a ser realizada virtualmente, participarão do programa que será realizado de 12 de abril a 7 de maio, incluindo desde mentoria com experts e empreendedores canadenses e brasileiros, a workshops com profissionais para validação do modelo de negócios; reuniões com potenciais parceiros e clientes; além de pitches para investidores. As startups selecionadas também terão acesso a uma sessão de mentoria de pré-internacionalização oferecida pela Softex.

Além da oportunidade de participar do projeto de aceleração da Dream2B, as startups que tiverem seu modelo de negócios validado pelo programa e um ótimo fit com o mercado, poderão aplicar para o Startup Visa através do parceiro da Dream2b, que é uma das instituições designadas pelo governo federal Canadense. O Startup Visa é um dos vistos mais cobiçados hoje por empreendedores do mundo todo, pois permite a imigração de até 5 sócios com suas respectivas famílias para o Canadá. O visto concede a residência permanente e as startups que forem aprovadas e passarem pelo programa, ainda poderão utilizar toda a estrutura do Spark Center para conduzir seus negócios no Canadá por até um ano.

A novidade desta edição é que as startups que mais se destacarem terão ainda a chance de receber investimento de até CAD $500.000 diretamente da venture builder canadense após o programa.

Startups brasileiras já aproveitam o mercado internacional

Em suas 4 edições anteriores, o Dream2B Global Acceleration Program ajudou 40 startups, incluindo a Safetest, startup mineira que desenvolveu teste de Covid-19 de resultado rápido e de baixo custo, que após participar do programa de aceleração em 2019, obteve reconhecimento mundial. “A Dream2B nos guiou em nossa jornada de internacionalização, e hoje podemos realizar negócios nos Estados Unidos, Canadá e em vários países na Europa. E continuamos em plena expansão. As oportunidades que surgiram a partir do contato com a Dream2B foram imensas. Bastou que a gente soubesse aproveitá-las da melhor maneira”, explica Felipe Peixoto, CEO da Safetest.

“Mesmo com a crise econômica, as startups continuaram inovando e crescendo. Nossa proposta é abrir as portas do mercado internacional para as que possuem soluções escaláveis, oferecendo todo o conhecimento e experiência necessários para isso”, relata Noppe.

A 5ª edição do Dream2B Global Acceleration Program é realizada pela Dream2B em parceria com a incubadora canadense Spark Centre, com apoio da Softex e Câmara do Comércio Brasil-Canadá.

Atento anuncia as startups selecionadas para o seu programa de aceleração

A Atento Next, aceleradora de startups da Atento, multinacional líder em soluções de customer experience no Brasil e na América Latina, selecionou quatro startups para participarem do seu programa de aceleração. Com o intuito de trazer ainda mais inovação para a companhia, as escolhidas foram Mr. Turing, Inflr, SenseData e NeuralMind – empresas que oferecem soluções de inteligência artificial e big data, ativação das marcas nas redes sociais, modelos de inteligência artificial aplicados em customer sucess e inovação em automação de backoffice, respectivamente.

Das 257 startups que se inscreveram, as escolhidas terão a oportunidade de cocriar projetos relacionados aos desafios mapeados pela Atento, como novas tecnologias e modelos de negócios. Durante 4 meses, elas contarão com o acompanhamento dos especialistas e da alta liderança da Atento, além do apoio e orientação da Liga Ventures, empresa especializada em programas de inovação que conectam grandes empresas e startups. Para isso, serão estabelecidas rotinas e sprints periódicos. O início da fase aceleração está previsto para a última semana de janeiro.

Conheça as startups selecionadas

Mr. Turing: startup de inteligência artificial e big data que nasceu para resolver uma grande dificuldade das corporações: o tempo gasto na busca de informações e a frustração de muitas vezes não conseguir encontrar o que se precisa. “Nossa atuação como assistente corporativo inteligente vai ao encontro com um dos propósitos da Atento que é unir o melhor da tecnologia à sensibilidade humana. É a primeira vez que participamos de um programa de aceleração e estamos muito satisfeitos pela atenção recebida desde o momento das inscrições. A nossa entrada deve nos ajudar a bater a meta mínima de crescimento de 30% para 2021”, ressalta Marcelo Noronha, CEO da Mr. Turing.

Inflr: plataforma que conecta marcas aos seus clientes nas redes sociais, capaz de aumentar a audiência dos conteúdos criados por influenciadores e falar com 100% dos seguidores, enquanto nos modelos tradicionais o número de impactados é bem menor. Além disso, contribui para aumentar a performance e o tempo de exposição destes conteúdos. “Entramos para participar desta seleção, pois entendemos as necessidades e desafios de uma empresa de customer experience. Nosso objetivo, durante o programa de aceleração, é melhorar a performance dos clientes da Atento, oferecer novos modelos de negócios, além do networking incrível que o programa pode nos render”, expõe Thiago Cavalcante, Diretor de Novos Negócios da Inflr.

SenseData: realiza um trabalho de unificação de dados para compreender o comportamento dos consumidores e utilizar esse conhecimento para facilitar a tomada de decisão, desenvolvendo ações eficientes para o público certo, no momento mais adequado. “Somos especialistas em soluções para customer sucess, gestão da jornada do consumidor e dados acionáveis. Entendemos que a Atento tem grande sinergia com nosso negócio. Esperamos que essa aproximação e parceria se transforme em cooperação na oferta de boas experiências”, destaca Mateus Pestana, CEO e Cofundador da startup.

NeuralMind: startup que ajuda companhias a aumentarem a produtividade dos processos de backoffice por meio de digitalização e automação. “Nos interessamos em participar do programa de aceleração da Atento Next pela familiaridade da nossa empresa em relação ao público-alvo e demandas da Atento. O processo de seleção nos surpreendeu pelo formato, agilidade e transparência. Estamos animados com as novas oportunidades de negócios que irão surgir”, afirma Patricia Tavares, CEO da NeuralMind.

Para o CEO da Atento, Carlos López-Abadía, esse projeto reforça os alicerces da transformação digital pela qual a companhia vem passando. “O programa de aceleração é uma demonstração de como colocamos cada vez mais a inovação no centro das nossas estratégias de negócio. A parceria com as startups nos dá a oportunidade de explorar novas opções ao aprimorar continuamente nosso portfólio de soluções e contribui para que possamos garantir sempre as melhores experiências aos consumidores, além de ampliar nossa competividade no mercado e estimular a cultura de inovação em toda a empresa. Estamos atuando com foco na geração de valor para todos os nossos clientes”, explica o executivo.

“O nosso negócio é orientado pelo cliente, sejam empresas ou cliente final. Quando tratamos desse assunto, entender os anseios e necessidades do público é fundamental. Com o olhar de empresas de fora da Atento, nós conseguimos ampliar o nosso horizonte, além de nos aproximarmos de segmentos que talvez não nos aproximássemos de outra forma. Por isso, queremos garantir que esse programa de aceleração gere novas ofertas e modelos de negócio aos nossos clientes, maximizando resultados e melhorando a experiência dos seus consumidores, além de oportunidades valiosas para a aceleração das startups selecionadas”, avalia Mauricio Castro, Diretor de Inovação da Atento.

Atento Next

Inovação está no centro da estratégia da Atento, tanto que, em 2020, a empresa foi a primeira do setor no mundo a conquistar o selo ISO 56002, de gestão de inovação. Agora, acaba de criar a sua aceleradora de startups, a Atento Next.

O programa é uma das iniciativas do hub de inovação da Atento, que visa alavancar processos disruptivos dentro da companhia, gerando novas linhas de negócio e produtos, além da aproximação com empresas que já nasceram digitais.

InovAtiva Brasil acelerou 252 startups em 2020

Contribuindo com o ecossistema de inovação do país, o programa InovAtiva Brasil acelerou 252 startups em 2020. Esse número foi alcançado no ano em que a marca se reposicionou como um hub de aceleração, conexão e capacitação de startups e, pela segunda vez consecutiva, recebeu o prêmio Top Ecossistema no 100 Open Startups.

“No Governo Federal, nós não cansamos de dedicar os nossos melhores esforços para que o empreendedorismo cresça e possa ser desenvolvido em todas as regiões do país. Nosso objetivo, por meio de várias ações, é chegar a mais de dez mil startups aceleradas”, enfatizou Carlos Da Costa, Secretário Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia (SDIC/SEPEC/ME).

No primeiro semestre de 2020, o programa InovAtiva Brasil recebeu inscrições de todos os estados brasileiros e obteve a marca inédita de 128 startups aceleradas em um único ciclo. Além disso, neste ano o InovAtiva de Impacto obteve 335 candidaturas, número recorde dentre todas as edições deste programa.

Em dezembro, o hub concluiu os ciclos dos programas InovAtiva Brasil 2020.2 e InovAtiva de Impacto 2020 . O encerramento aconteceu no evento InovAtiva Experience, realizado nos dias 05, 12, 13 e 14 de forma totalmente online. Na ocasião, os participantes receberam orientação e capacitação para otimizar as práticas de gestão, administração, marketing e investimentos para o futuro. Além disso, também apresentaram suas soluções para a maior banca de mentores e investidores do país.

Em sua 12ª edição, o Experience promoveu painéis sobre investimentos, mentorias coletivas, palestra sobre o ecossistema de inovação brasileiro ministrada pela unicórnio EBANX e entrevistas sobre o ambiente regulatório de startups e inovação aberta. Além disso, foi realizada a ação Domingo da Comunidade, que reuniu Líderes de Comunidade InovAtiva Brasil para falarem sobre as oportunidades de empreendedorismo existentes nacionalmente.

Ao final do evento, 14 startups foram eleitas como destaques em suas áreas de atuação, de acordo com os critérios grau de inovação, potencial de mercado, maturidade da solução e equipe:

• Agronegócios: Quiron Digital (SC), especializada no monitoramento remoto da qualidade da produção florestal, a startup utiliza tecnologias de visão computacional para dar aos gestores maior assertividade em suas tomadas de decisão em operações no campo;

• Educação & Saúde: Nick Saúde (SP), plataforma (aplicativo e site) que integra coleta de dados no atendimento médico de ambulatórios e pronto atendimento;

• Jurídico & Financeiro: Dados Legais (RJ), plataforma para identificar os fluxos de informações pessoais dentro de uma companhia;

• Mobilidade & Serviços: Ayo – Mobilidade Intermunicipal (PE), empresa focada em mobilidade intermunicipal que conecta passageiros e motoristas por meio do seu aplicativo;

• Impacto: Neuroganho (MG), oferece ferramentas, orientação e acompanhamento para pais estimularem o desenvolvimento de crianças e jovens com deficiências intelectuais;

• Recursos Humanos: Medei (SP), plataforma voltada a realização de homologação de rescisão contratual por meio de videoconferência e assinatura eletrônica de documentos;

• Tecnologia da Informação & Comunicação: NeuralMind (SP), ajuda empresas a reduzir riscos, erros e aumentar a produtividade em transações de alto impacto;

• Entretenimento & Marketing: GamerApp (MS), aplicativo voltado para gamers que permite a troca, compra e venda de jogos;

• Comércio – Logística & Serviços: iFeira (RN), startup que conecta pequenos e médios comerciantes de redes de supermercado e lojas locais de produtos para o lar com o consumidor final;

• Saúde: Benditas Mães (RS), plataforma de conexão e serviços do segmento materno-infantil;

• Infraestrutura, Construção Civil & Mercado Imobiliário: ConnectData (SP), solução de rastreamentos de ativos para o contexto industrial;

• Comércio – Varejo & Serviços: Total Strategy (GO), plataforma que monitora a quantidade de produtos perecíveis que vencem antes de chegar aos consumidores;

• Tecnologia da Informação & Comunicação: AZpop (SP), aplicativo que funciona como um catálogo de números de WhatsApp;

• Impacto: NetWord Agro (PR), startup de monitoramento digital de solos e lavouras para culturas de extensão e pastagens.

“Ao contribuirmos para o crescimento dessas startups e podermos ajudá-las à se conectarem com o mercado, estamos consequentemente contribuindo para posicionarmos o Brasil como um país que estimula o empreendedorismo inovador e com um dos maiores programas de aceleração do mundo”, afirma o presidente do Sebrae, Carlos Melles.

Aceleradora recifense seleciona 15 finalistas para o processo de aceleração

A Overdrives, o grupo Ser Educacional e a NE Capital, empresa do Grupo JCPM, acabam de selecionar os 15 melhores projetos para serem acelerados em 2021. Das startups apresentadas nesta edição, cinco irão receber o aporte financeiro total de até R$ 800 mil reais. 

As finalistas estão espalhadas por oito estados do Brasil, 53% são de modelos Business-to-Business (B2B) – empresas para empresas; 30% de soluções em saúde; 73% estão com produtos no mercado; 60% delas com clientes recorrentes; 25% são lideradas por mulheres. O presidente do Ser Educacional, mantenedor do Centro de Inovação – Overdrives, Jânyo Diniz, destacou a qualidade das startups inscritas. “Ficamos muito satisfeitos com a quantidade e o nível das finalistas, todas com grande potencial de crescimento”, afirmou. 

O processo de aceleração dá oportunidade de ter contato com iniciativas de diversas áreas, vindas de todo o Brasil, e é um importante veículo para diversificar os negócios e buscar inovação em diversos setores. Envolver os executivos em processos de colaboração com as aceleradas traz crescimento pessoal e fortalece a cultura de inovação. 

Sediada em Recife, o Centro de Inovação também conta com um sólido e eficiente sistema para mentorias e acompanhamento das startups sendo 100% remota. “Esse modelo remote first tem se mostrado não só oportuno, como muito ágil e eficaz com as empresas que já estão conosco. Para o novo programa, recebemos inscrição de startups de 16 estados diferentes. Dentre as 15 finalistas, temos oito estados representados”, afirmou o head da Overdrives, Luiz Gomes. 

Além do aporte financeiro, as startups aceleradas vão ter acompanhamento com especialistas de mercado, uma rede de empreendedores, mais de 20 áreas de mentoria técnica e o escritório em Recife disponível durante dois anos. 

No dia 21 de dezembro será divulgada a lista das cinco melhores startups selecionadas. O ciclo de aceleração terá duração de seis meses, podendo ser ampliado para dois ciclos, ou seja, um ano dentro do projeto. Durante o processo, executivos do Ser Educacional e do JCPM irão apoiar as startups no desenvolvimento do negócio por meio de mentoria e conexões no mercado.

FIAMG Lab anuncia 50 startups selecionadas para terceira jornada do programa de aceleração

Foram anunciadas as 50 startups que serão aceleradas na terceira jornada do FIEMG Lab 4.0, maior programa de aceleração de startups B2B com soluções industriais do Brasil. O Programa é dividido em três fases, com um ano de duração, e acontece dentro de uma lógica evolutiva, fortalecendo a conexão e a geração de negócios entre startups e indtechs. As startups terão acesso a um fundo para realização de provas de conceito – metodologia exclusiva que combina aceleração do negócio e da tecnologia, e mentorias com especialistas.

Para Gabriella Sant’Anna, coordenadora do FIEMG Lab, a metodologia é o que garante o sucesso do processo. “Criamos um programa pioneiro no Brasil que mescla um modelo de aceleração tanto tecnológica quanto de negócios, inspirado nos grandes polos industriais que são referência no mercado internacional. Vamos garantir maior aderência das startups na realidade do mercado, pois buscamos sempre por novas soluções e geração de negócios para startups e indústrias”, explica.

O Programa possibilita ainda a conexão das startups participantes com grandes players do setor. Os empreendedores terão a oportunidade de receber orientação de indústrias-madrinhas, como Usiminas, Anglo American, Vale, Gerdau, RHI Magnesita, Fiat Chrysler (FCA), além de possibilitar o acesso à rede da FIEMG, que conta com mais de 15 mil indústrias.

Para conhecer as selecionadas do FIEMG Lab 4.0, basta acessar fiemglab.com.br