Tag wi-fi público

Norton: brasileiros acreditam que redes Wi-Fi públicas são seguras e acabam colocando suas informações em risco

De acordo com a Norton, os brasileiros não conseguem resistir a um bom sinal Wi-Fi gratuito e este comportamento no ambiente on-line pode colocar suas informações pessoais em risco.

Esta foi a conclusão do relatório Norton Wi-Fi Risk Report de 2017, que a empresa acaba de lançar. Os dados mostram que 58% dos brasileiros acreditam que suas informações pessoais estão seguras ao usar uma rede Wi-Fi pública – por este motivo, 60% deles não tomam nenhuma medida de prevenção quando estão conectados. A necessidade dos brasileiros de se manterem conectados é outro destaque: ao chegar a um novo lugar, 59% dos entrevistados não esperam mais do que alguns minutos antes de se conectarem em uma Wi-Fi.

“Existe uma profunda diferença entre o que as pessoas pensam que é seguro quando se trata de usar o Wi-Fi público e a realidade”, alerta Nelson Barbosa Jr, engenheiro de segurança da Norton. “O que alguém pensa que é privado em seu dispositivo pessoal pode ser acessado facilmente por cibercriminosos através de redes sem fio não seguras ou mesmo por meio de aplicativos com vulnerabilidades de privacidade”.

O Norton Wi-Fi Risk Report entrevistou mais de 15.000 consumidores em 15 países para aprender sobre suas práticas e percepções ao usar Wi-Fi públicos e concluiu que as pessoas estão conscientes dos riscos ao acessar uma rede pública, mas não estão mudando seu comportamento. Entre os destaques do Brasil incluem:

– Noventa e seis por cento dos brasileiros potencialmente colocam suas informações pessoais em risco enquanto usaram uma rede Wi-Fi pública, incluindo ao verificar suas contas bancárias.

– Um pouco mais que um terço (37%) dos usuários usam VPN em todas as suas conexões Wi-Fi, segunda maior porcentagem entre os países avaliados, atrás apenas da Índia.

– Em caso de roubo de dados, os brasileiros ficariam:

Horrorizados com o acesso indevido a seus dados bancários e informações financeiras (50%);
Preocupados com o roubo de informações relacionadas a seus filhos (47%);
Tranquilos se seu posicionamento político pudesse ser exposto (42%);
Bravos com o acesso não-autorizado ao seu histórico de conversas privadas (33%);
Envergonhados caso seus segredos mais íntimos fossem descobertos (32%);

– Durante uma viagem, uma boa rede Wi-Fi é um serviço cada vez mais importante, tanto que para 83% dos brasileiros este é um fator decisivo na escolher um hotel, enquanto 53% consideram crucial na escolha da companhia aérea. Além disso, mais da metade (53%) das pessoas entrevistadas disse que o motivo mais importante para se manter conectado era usar um aplicativo GPS para se locomover.

Ajude a garantir que suas informações pessoais não caiam em mãos erradas

Apesar da necessidade de acesso a uma conexão Wi-Fi gratuita e de qualidade, é possível proteger suas informações de ciber-xeretas. Abaixo, a Norton lista passos simples que os consumidores podem tomar:

– Verifique se a conexão é segura (sites HTTPS): Muitas empresas usam o protocolo HTTPS (Hypertext Transfer Protocol Secure) para garantir a segurança online. Você pode dizer se um site está seguro se ele tiver “https” no endereço (URL) e tiver um pequeno símbolo de cadeado ao lado dele. No entanto, mesmo que o site esteja seguro, suas informações ainda podem estar vulneráveis se você estiver usando sua conexão insegura.

– Sempre use um software de segurança, principalmente nos dispositivos móveis: para garantir uma navegação protegida em redes abertas ou públicas, utilize uma rede privada virtual (VPN) de um fornecedor confiável, como o Symantec Norton Wi-Fi Privacy. As VPNs fornecem um “túnel seguro” (criptografado) para enviar e receber dados entre seu dispositivo e a internet.

– Quanto menos compartilhar melhor: Pense duas vezes antes de enviar qualquer tipo de informação pessoal – de senhas e detalhes financeiros a fotos – em redes Wi-Fi públicas. Mesmo se você não estiver compartilhando ativamente uma informação, seu dispositivo pode estar fazendo isso por você. Muitos dispositivos são programados para buscar automaticamente conexões com outros dispositivos na mesma rede, o que pode fazer com que seus arquivos fiquem vulneráveis. Desative o compartilhamento de informações em seu dispositivo e tenha maior controle de suas informações.

Tags, , ,

Pesquisa revela que o uso de redes públicas Wi-Fi coloca brasileiros desprotegidos em risco de roubo de identidade e perda de privacidade

Setenta e três por cento dos brasileiros estão em risco de perda de privacidade e roubo de identidade por meio de redes Wi-Fi públicas, de acordo com um recente estudo da Avast Software, fabricante do sistema de segurança para computadores e celulares mais confiável do mundo. O risco de usar Wi-Fi público sem uma conexão de Internet protegida deixa as informações pessoais dos usuários vulneráveis a ladrões cibernéticos. No entanto, o simples ato de instalar uma proteção nos aparelhos, que garanta uma conexão de Internet segura, torna os ataques via Wi-Fi público inofensivos.

A Avast recentemente realizou uma pesquisa com mais de 23 mil brasileiros e constatou que os consumidores preferem utilizar redes Wi-Fi públicas gratuitas, muitas das quais não necessitam de registro ou senha, para evitar o compartilhamento de seus dados ou simplesmente por conveniência. Além disso, 55% dos pesquisados nunca ou só às vezes desligam seus transmissores de Wi-Fi e ainda permitem que seus celulares ou tablets se conectem automaticamente a redes públicas de Wi-Fi, deixando uma grande janela para hackers acessarem facilmente informações pessoais. A pesquisa aponta que apenas 7% dos brasileiros usam uma rede virtual privada (VPN, em inglês) para proteger seus dispositivos móveis, quando conectados a uma rede pública. No geral, oito em cada dez pesquisados acessam redes públicas mensalmente, e quase metade de todos os usuários se conecta diariamente ou várias vezes por semana (48%).

“Com a popularização do armazenamento em nuvem e a crescente busca por acesso Wi-Fi, as redes abertas que não necessitam de senhas tornam-se um grande risco para consumidores desprotegidos”, afirma Vince Steckler, CEO da Avast. “A maioria dos brasileiros não percebe que todas as informações pessoais em seus dispositivos móveis ficam indefesas em redes Wi-Fi públicas, se usadas sem proteção. Estas redes facilitam o acesso para ataques de hackers a milhões de consumidores brasileiros diariamente”, completa.

A pesquisa também apontou que, quando conectados a uma rede Wi-Fi aberta, 28% dos entrevistados preocupam-se em ter informações de login (nomes de usuário e senhas) roubadas. Quase um quinto deles se preocupa com ataques a suas fotos privadas, conteúdo de salas de bate-papo e e-mails pessoais (17%). Apenas 26% estão preocupados em ter suas informações financeiras roubadas e somente 13% temem que e-mails e documentos relacionados ao trabalho sejam acessados por um terceiro. Por outro lado, 16% dos pesquisados afirmaram “que não têm nada a esconder”.

A fim de ajudar a proteger essas importantes informações pessoais, a Avast criou o Avast SecureLine VPN, que garante uma conexão segura ao navegar na Internet via Wi-Fi pública. O Avast SecureLine VPN age na proteção das conexões de Internet do usuário com criptografia em padrão de nível militar, escondendo seu endereço IP, tornando-o invisível para os hackers. Ele também esconde o histórico de navegação, como forma a evitar que alguém possa controlar o comportamento online do usuário. Este sistema é indicado tanto para o sistema Androide, disponível no Google Play, quanto para dispositivos iOS, na App Store da Apple.

Tags,