Tag Watson

SulAmérica Saúde redefine a experiência dos clientes de seguros com inteligência artificial

A SulAmérica, maior seguradora independente do País, passou a utilizar a inteligência artificial para tornar o atendimento aos clientes de Saúde mais dinâmico, reduzindo o tempo de espera nas ligações, de resolução das solicitações e o volume de chamados na Central de Atendimento. Com o apoio de um assistente virtual disponível no site da companhia e no aplicativo SulAmérica Saúde, os segurados podem resolver questões de menor complexidade de forma ágil e autônoma.

A implementação do assistente virtual com Watson, plataforma de inteligência artificial da IBM na nuvem para os negócios, no atendimento, tem como objetivo oferecer maior precisão e velocidade para responder às solicitações recorrentes. O assistente virtual tem a capacidade de realizar, de forma rápida, consultas que costumam ser solicitadas frequentemente como dúvidas sobre filiais, cobertura de planos, reembolsos e rede referenciada. Em um piloto de dois meses, a solução já atendeu a 88 mil chamadas, com índice de retenção de 45%, ou seja, resolução das demandas em um primeiro contato, sem a necessidade de transferência para a Central de Atendimento, permitindo que os agentes de atendimento ao cliente se concentrem em consultas mais desafiadoras e demoradas.

O aplicativo SulAmérica Saúde já representa 86% dos atendimentos aos clientes realizados via assistentes virtuais e 14% das interações com os segurados são realizadas pelo website da seguradora. O assistente virtual com Watson está ajudando a transformar o atendimento ao cliente da empresa e já reduziu em 90% o tempo médio de espera para resolução das solicitações.

“Temos investindo fortemente em inovação para transformar a experiência do cliente e a tecnologia é uma ferramenta viabilizadora de nossas estratégias nesse sentido. A utilização dos assistentes virtuais no atendimento aos clientes SulAmérica Saúde traz ganhos relevantes, especialmente em agilidade e assertividade na resolução de questões simples, algo que sem dúvidas agrega ainda mais valor ao relacionamento do segurado com a companhia”, explica o diretor de Estratégia Digital, Inovação e Tecnologia da SulAmérica, Cristiano Barbieri.

Desde 2017, os chatbots inteligentes têm sido utilizados pela seguradora no atendimento a solicitações dos corretores de seguros que trabalham com produtos SulAmérica Auto. Além de esclarecer dúvidas, a solução permite realizar procedimentos operacionais de menor complexidade, como propostas, pagamentos, atualização cadastral e emissão de segunda via de boletos, sem a necessidade de passar por um profissional de SAC.

O sistema foi treinado para que pudesse identificar uma ampla variedade de problemas relatados pelo cliente. Atualmente ele pode reconhecer e abordar mais de 80% de assuntos da Central.

Entre outras iniciativas da SulAmérica para facilitar o cotidiano dos segurados estão o serviço pioneiro de solicitação de reembolso digital de consultas de até R$ 1000,00 no aplicativo SulAmérica Saúde, realizado com envio de imagem do recibo médico feita pela câmera do smartphone do cliente, e a possibilidade de agendamento médico domiciliar para crianças de até 12 anos e segurados acima de 65 anos, em casos de baixa complexidade.

Tags, , , , , , ,

Líder da plataforma Watson da IBM fala sobre os impactos da inteligência artificial na gestão de pessoas em evento gratuito

A Trevisan Escola de Negócios promove no dia 27 de novembro, das 12h às 14h, o Seminário “Impactos da Inteligência Artificial na Gestão de Pessoas”, com a participação de Alexandre Dietrich, líder da plataforma Watson da IBM na América Latina e VanDyck Silveira, CEO da CLA – Corporate Learning Alliance do Financial Times / IE Business School.

Por meio de ferramentas de inteligência artificial, é possível tornar mais assertiva a tomada de decisão, potencializando o aprendizado organizacional e individualizar as interações de forma cada vez mais eficiente. O seminário propõe uma discussão sobre o impacto das novas tecnologias na educação continuada e o futuro do trabalho.

O evento faz parte da programação de inauguração da Arena de Debates da nova sede da Trevisan Escola de Negócios. O espaço tem o propósito de trazer para discussão temas que são relevantes para executivos, empreendedores e estudantes do mundo dos negócios.

O seminário é gratuito e as inscrições devem ser feitas exclusivamente pelo e-mail: comunicacao@trevisan.edu.br ou no telefone (11) 3138-5201.

Seminário Impactos da Inteligência Artificial na Gestão de Pessoas
Data: 27 de novembro de 2017
Horário: das 12h às 14h
Local: Trevisan Escola de Negócios – Unidade Brooklin Novo
Endereço: Avenida Padre Antônio José dos Santos, 1530 – Brooklin Novo – São Paulo – SP (próximo à estação Berrini) Inscrições: comunicacao@trevisan.edu.br ou no telefone (11) 3138-5201

Tags, , , , , , ,

Grupo Ángeles Servicios de Salud Implements IBM Watson for Oncology to Help Oncologists Identify Evidence-Based Cancer Treatment Options

Grupo Ángeles Servicios de Salud today announced that it will adopt IBM Watson (NYSE: IBM) for Oncology trained by Memorial Sloan Kettering. This will be the first institution in Latin America to adopt this solution, that will provide oncologists insights to help them make more informed treatment decisions.

In Mexico there are 160 thousand new cases of cancer every year(1). As healthcare providers and systems seek to enable data-driven, evidence-based cancer care, an explosion of medical information has created both challenges and opportunities to help improve quality care. Currently, approximately 50,000 oncology research papers are published annually,(2) and by 2020 medical information is projected to double every 73 days(3), outpacing the ability of humans to keep up with the proliferation of medical knowledge.

Watson for Oncology identifies treatment options with supporting medical evidence for consideration by the treating oncologist, drawing from more than 300 medical journals, more than 200 textbooks, and nearly 15 million pages of text to provide insights about different treatment options and also provides oncologists with information regarding drug treatment options. Watson also ranks the evidence-based treatment options, linking to peer reviewed studies and clinical guidelines.

“Ángeles is the biggest private healthcare institution in Mexico. The introduction of Watson for Oncology will be a game changer for cancer patients in the whole country,” said Florentino Bernardo Pérez, CIO Grupo Empresarial Ángeles. “With Watson, our team of oncologists can make informed treatment decisions for patients based on insights derived from the individuals’ unique health status, medical research and other relevant data.”

A growing body of data suggests the value of Watson for Oncology in cancer care. At ASCO 2017 clinicians presented new evidence about Watson cognitive technology and cancer care, for example:

Watson matched tumor board treatment recommendations in up to 96% of cases; reduced clinical trial screening time by 78%.

By the end of the year, Watson for Oncology will be available to support at least 12 cancer types, representing 80 percent of the global incidence of cancer.

In a qualitative study, oncologists in Mexico found Watson for Oncology to be useful to help them identify potential treatment options for their patients, particularly in clinics that lack subspecialist expertise, and for training medical students and residents.

“Our Vision with Watson for Oncology is to enable physicians to focus on delivering patient-centric cancer care helping Oncologists and institutions to deliver next generation cancer care at scale and reduce unnecessary treatment variability through evidence-based treatment recommendations,” said Juan Hoyos, Watson Health Executive Leader, IBM Latin America. “We are proud to be working with hospitals and health organizations like Ángeles to give access to cognitive computing tool into the hands of physicians worldwide.”

[1] Mexico government health secretary. Accessed at http://www.gob.mx/salud/prensa/160-mil-nuevos-casos-de-cancer-al-ano-en-mexico
[2] PubMed, accessed at pubmed.com
[3] Densen, Peter, Challenges and Opportunities Facing Medical Education 2011. Transactions in the American Clinical and Climatological Association. Accessed at https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3116346/

Tags, , , , , ,

Via Varejo cria novo canal de atendimento ao cliente com inteligência cognitiva da IBM

Como parte de sua estratégia de inovação e pioneirismo tecnológico, a Via Varejo utilizará tecnologias de inteligência artificial para melhorar a experiência e o atendimento ao seu cliente. A companhia passa a contar com um novo canal de comunicação com recursos do Watson, plataforma de computação cognitiva da IBM. Por meio de um chat bot, o consumidor poderá ter acesso a informações sobre seus pedidos, trocas, cancelamento ou devolução de produtos de uma maneira simples, rápida e mais efetiva. A ferramenta contará com tecnologias cognitivas que ajudam o cliente a escolher as melhores opções de smartphones com base em suas preferências e necessidades.

O serviço estará disponível a partir do mês de junho para os clientes nos sites da Casas Bahia e do Pontofrio, tanto nas versões desktop como mobile, e também servirá como ferramenta de apoio para vendedores, que poderão utilizar o sistema para aperfeiçoar o atendimento em lojas físicas.

“Esta tecnologia vai nos ajudar a compreender ainda mais os desejos de consumo dos nossos clientes. Assim como também nos possibilita oferecer um atendimento mais exclusivo, rápido e multicanal, pois poderemos utilizar os dados compartilhados entre nossas lojas online e físicas”, analisa Flavio Dias, diretor de e-commerce da Via Varejo.

Com mais essa opção, a companhia otimiza o tempo de resposta online e offline, aprimora o contato com o cliente e auxilia a equipe de vendas a ter mais informações para oferecer opções de produtos mais adequados ao perfil de cada consumidor.

Os chat bots criados com tecnologia Watson são ferramentas que entendem a linguagem natural humana, processam a informação de maneira inteligente e devolvem aos usuários respostas com alto grau de acurácia e confiabilidade. O grande diferencial da plataforma de computação cognitiva IBM é o fato dela interpretar a intenção de perguntas, extraindo o contexto de cada interação com o cliente e oferecendo retornos próximos ao utilizado em uma conversa entre humanos.

A ferramenta da Via Varejo foi treinada por especialistas em atendimento ao cliente e aprende continuamente a cada interação com seus usuários. Todo o aprendizado do Watson é supervisionado por profissionais que aprovam melhorias na plataforma à medida que forem necessárias. “O projeto com a Via Varejo mostra como a inteligência cognitiva da IBM pode melhorar a eficiência operacional de companhias, ajudar equipes de atendimento e levar ao cliente final uma experiência mais satisfatória e inovadora”, conta Júlia Amado, Executiva de Vendas para Via Varejo na IBM Brasil.

Watson é uma plataforma versátil que tem ajudado diferentes segmentos do mercado no Brasil e no Mundo. A perspectiva da IBM é que 1 bilhão de pessoas tenham contato com a plataforma até 2018, sendo que 500 startups já construíram aplicações baseadas nessas soluções.

Tags, , , , , , , , , ,

SAP Ariba e IBM unem forças para transformar processos de compra usando SAP Leonardo e Watson

A SAP e a IBM anunciam uma aliança global para fornecer soluções para a área de compras baseadas em computação cognitiva que vão redefinir os processos de ponta a ponta, incluindo análise dos custos e sincronização de pagamentos de forma automática e integrada.

Explorando as tecnologias SAP Leonardo, IBM Watson e SAP Ariba, as soluções reunirão inteligência de dados e insights preditivos provenientes de informações não estruturadas para permitir melhor tomada de decisão na gestão de fornecedores, contratos e atividades de provisionamento.

O grupo IBM Global Business Services oferecerá consultoria e serviços para desenvolver, implementar e operar as novas soluções por meio de planejamento sob medida, que ajudarão empresas de todos os tamanhos a reduzir custos e obter melhorias de forma mais rápida. A IBM também vai trabalhar com a SAP Ariba para conquistar novos clientes e levar os usuários da IBM, incluindo os das soluções IBM Emptoris, para a plataforma SAP Ariba, onde poderão contar com os benefícios das atuais versões e da próxima geração de soluções integradas e automatizadas para processos de compra, entre eles análise de custos e sincronização de pagamentos.

Além disso, as empresas vão lançar um novo Centro de Compras baseado em computação cognitiva destinado a promover o desenvolvimento de soluções e serviços inteligentes de aquisição, trabalhando juntas para explorar aplicações de tecnologias emergentes, como a blockchain.

Combinando o melhor do melhor para transformar processos de compra

“Desenvolvemos uma plataforma de compras baseada em computação cognitiva para compreender transações e dados não estruturados. Ao combinar o poder do IBM Watson na nuvem com a solução SAP Ariba, superamos as ofertas existentes no mercado oferecendo aos nossos clientes em comum esse tipo de solução valiosa e sem precedentes”, afirma Jesús Mantas, gerente geral da área de Transformação de Processos Cognitivos do IBM Global Business Services.

“O dia de hoje marca um fato importante na história dos processos de compra”, ressalta Alex Atzberger, presidente da SAP Ariba. “Com recursos da plataforma da SAP Ariba e as capacidades inovadoras do SAP Leonardo e do IBM Watson, as empresas poderão contar com processos ainda mais inteligentes de análise, seleção, compra e pagamento para lidar com todas as categorias de despesas e gerar valor em todos os negócios”, explica Atzberger.

Abordagem inteligente

Ao unir forças, SAP Ariba e IBM usarão insights para capacitar os profissionais da área de compras a tomar decisões mais inteligentes e mais rápidas envolvendo suas cadeias de suprimentos. Novas aplicações poderão dar uma grande contribuição a todo o processo de compras, melhorando a visibilidade sobre os gastos e aprimorando a gestão de conteúdo.

Por exemplo, um assistente digital combinado com os serviços do IBM Watson transformará os eventos de provisionamento, ajudando em tarefas como a definição do tipo correto de solicitação de propostas, a identificação de fornecedores apropriados para participar do processo com base na categoria de produtos, região ou indústria, e o uso de inteligência sobre sinais de mercado e preços para obter melhores resultados.

Com o SAP Leonardo e o IBM Watson, as contratações de fornecedores serão mais inteligentes e mais completas, pois as aplicações identificarão automaticamente termos e condições relevantes alinhados com bibliotecas jurídicas e taxonômicas, descobrirão termos de contrato semelhantes para um produto específico por setor ou região com base em dados de benchmarking e sugerirão preços otimizados baseados no volume esperado e descontos contratuais. A SAP Ariba e a IBM também vão explorar a automação da extração de termos e resumos de contratos para ajudar os clientes a garantir conformidade nos processos de aquisição da nova geração.

Para mais informações sobre a associação entre SAP Ariba e IBM para transformar os processos de compra, clique aqui.

Tags, , , ,

IBM Delivers Watson for Cyber Security to Power Cognitive Security Operations Centers

IBM X-Force Command Centers

IBM Security (NYSE: IBM) today announced the availability of Watson for Cyber Security, the industry’s first augmented intelligence technology designed to power cognitive security operations centers (SOCs). Over the past year, Watson has been trained on the language of cybersecurity, ingesting over 1 million security documents. Watson can now help security analysts parse thousands of natural language research reports that have never before been accessible to modern security tools.

According to IBM research, security teams sift through more than 200,000 security events per day on average, leading to over 20,000 hours per year wasted chasing false positives.1 The need to introduce cognitive technologies into security operations centers will be critical to keep up with the anticipated doubling of security incidents over the next five years and increased regulation globally.2

Watson for Cyber Security will be integrated into IBM’s new Cognitive SOC platform, bringing together advanced cognitive technologies with security operations and providing the ability to respond to threats across endpoints, networks, users and cloud. The centerpiece of this platform is IBM QRadar Advisor with Watson, the first tool that taps into Watson’s corpus of cybersecurity insights. This new app is already being used by Avnet, University of New Brunswick, Sopra Steria and 40 other customers globally to augment security analysts’ investigations into security incidents.

IBM has also invested in research to bring cognitive tools into its global X-Force Command Center network, including a Watson-powered chatbot currently being used to interact with IBM Managed Security Services customers. IBM also revealed a new research project, code-named Havyn, pioneering a voice-powered security assistant that leverages Watson conversation technology to respond to verbal commands and natural language from security analysts.

“Today’s sophisticated cybersecurity threats attack on multiple fronts to conceal their activities, and our security analysts face the difficult task of pinpointing these attacks amongst a massive sea of security-related data,” said Sean Valcamp, Chief Information Security Officer at Avnet. “Watson makes concealment efforts more difficult by quickly analyzing multiple streams of data and comparing them with the latest security attack intelligence to provide a more complete picture of the threat. Watson also generates reports on these threats in a matter of minutes, which greatly speeds the time between detecting a potential event and my security team’s ability to respond accordingly.”

The IBM Cognitive SOC
As security teams evolve their strategies and tactics to thwart cybercriminals, the introduction of cognitive technologies into today’s security operations centers will be critical to keep pace. A recent IBM study found that only 7 percent of security professionals are using cognitive tools today, but that usage is expected to triple over the next 2-3 years.3

The IBM Cognitive SOC platform puts cognitive technologies into security analysts’ hands, enhancing their ability to fill gaps in intelligence and act with speed and accuracy. The IBM QRadar Advisor with Watson app brings cognitive capabilities to aid security analysts in their investigations and remediation through IBM’s QRadar security intelligence platform. The solution assists in the investigation of potential threats by correlating Watson’s natural language processing capabilities across security blogs, websites, research papers along with other sources, with threat intel and security incident data from QRadar, which can shorten cyber security investigations from weeks and days, to minutes.

“The Cognitive SOC is now a reality for clients looking to find an advantage against the growing legions of cybercriminals and next generation threats,” said Denis Kennelly, Vice President of Development and Technology, IBM Security. “Our investments in Watson for Cyber Security have given birth to several innovations in just under a year. Combining the unique abilities of man and machine intelligence will be critical to the next stage in the fight against advanced cybercrime.”

To extend the ability of the Cognitive SOC to endpoints, IBM Security also is announcing a new endpoint detection and response (EDR) solution called IBM BigFix Detect. The solution helps organizations gain full visibility into the constantly changing endpoint threat landscape while bridging the gap between malicious behavior detection and remediation. BigFix Detect is making EDR accessible and actionable, providing security analysts with the ability to see, understand and act on threats across their endpoints through a single platform, and delivers targeted remediation on impacted endpoints enterprise-wide in minutes.

When paired with the orchestration and automation capabilities of IBM Resilient’s Incident Response Platform (IRP), clients can turn cognitive SOC insight into action across enrichment, remediation, and mitigation functions. The IBM Cognitive SOC also brings together other technologies from IBM Security including i2 for cyber threat hunting and IBM X-Force Exchange.

Cognitive Security Services and Innovations
IBM will also help clients design, build and manage cognitive security operations centers globally through IBM Managed Security Services. Over the past five years, IBM has built over 300 security operations centers for clients in dozens of industries, including consumer packaged goods, retail, banking and education. Clients can choose to have IBM build their cognitive SOC on-premise or manage it virtually via the IBM Cloud as part of the IBM X-Force Command Center network.

IBM’s global network of X-Force Command Centers are using IBM’s cognitive capabilities like QRadar Advisor with Watson to enhance the investigation of security events. Another promising use case is a new research project code-named Havyn, which brings a voice to the cognitive SOC. The goal of Havyn is to create a voice-powered security assistant that can interact with security analysts on topics such as real-time threat updates and information on an organization’s security posture.

The Havyn project uses Watson APIs, BlueMix and IBM Cloud to provide real-time response to verbal requests and commands, accessing data from open source security intelligence, including IBM X-Force Exchange, as well as client-specific historic data and their security tools. For example, Havyn can provide security analysts with updates on new threats that have appeared and recommended remediation steps. Havyn is currently being tested by select researchers and analysts within IBM Managed Security Services.

Watson is also currently engaging with clients daily via a new chatbot tool deployed in IBM’s X-Force Command Center network, which manages over 1 trillion security events per month. Clients can choose to ask Watson questions via instant messaging about their security posture or network configurations. For example, clients can ask Watson questions about a device or ticket status. The tool is also capable of executing commands from IBM MSS customers, such as reassigning a ticket to a new owner.

For more information on Watson for Cyber Security and the IBM Cognitive SOC, visit: http://www-03.ibm.com/security/cognitive/

 



Tags,

FAPESP e IBM financiam pesquisa em computação cognitiva no Brasil

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) e a IBM Brasil firmaram um Acordo de Cooperação para compartilhar investimentos de até US$ 500 mil, ao longo de 10 anos, a serem utilizados em projetos de pesquisa científica e tecnológica na área de computação cognitiva em universidades e institutos de pesquisa. Um comitê conjunto formado po r representantes da FAPESP e da IBM conduzirá a avaliação e seleção de projetos apresentados em resposta a Chamadas de Propostas a serem lançadas periodicamente.

Cada Chamada terá foco em temas específicos da área de computação cognitiva, como teoria e aplicações de inteligência artificial, processamento de linguagem natural, planejamento e raciocínio de bom senso e análise de big data, entre outros. Poderão participar das Chamadas pesquisadores de instituições de ensino superior e pesquisa no Estado de São Paulo. Mais detalhes sobre a apresentação de projetos serão divulgados em edital a ser publicado proximamente.

A computação cognitiva é considerada a Terceira Era Computacional, pois seus sistemas se aproximam da forma humana de pensar, interagir e aprender, extraindo conhecimento de dados não-estruturados com origem em fontes distintas em formato de texto, imagem e vídeos. Com a computação cognitiva é possível extrair conhecimento de um vasto volume de dados que pode contribuir para a solução de problemas complexos da humanidade, como o esgotamento de recursos ambientais, a prevenção e o controle de doenças, além da pobreza. A plataforma de computação cognitiva da IBM, o Watson, tem liderado as experiênci as em escala comercial desta tecnologia com diversas companhias no mundo.

“A parceria para selecionarmos propostas de pesquisa a serem cofinanciadas pela IBM e FAPESP abre grandes possibilidades para a comunidade científica de São Paulo interagir com pesquisadores de uma das empresas mais avançadas em ciência e tecnologia na área de sistemas cognitivos. O Laboratório de Pesquisa da IBM em São Paulo vai contribuir para o aumento da abrangência em pesquisa desta tecnologia no Estado”, diz Carlos Henrique de Brito Cruz, diretor científico da FAPESP.

Para Ulisses Mello, diretor do Laboratório de Pesquisa da IBM Brasil, o acordo com a FAPESP consolida a missão da multinacional de incentivo e fomento para desenvolvimento da ciência e tecnologia no País, onde há cinco anos a empresa instalou seu centro local de pesquisa. “Queremos desenvolver um ecossistema de inovação em computação cognitiva no Brasil pela relevância e impacto do assunto na sociedade, tanto que os projetos selecionados estarão desprendidos de qualquer compromisso com propriedade intelectual com a IBM”, afirma.

Tags, , , , ,

IBM Brasil anuncia o THINKLab, um novo ambiente de pesquisa e inovação para clientes da América Latina

No ano em que completa 5 anos de operação no País, o Laboratório de Pesquisa da IBM Brasil inaugura o THINKLab, um ambiente de inovação aberta e colaborativa em que as empresas clientes irão trabalhar diretamente com os cientistas da IBM para resolver problemas complexos, identificar necessidades específicas de seu segmento e desenvolver novas tecnologias ou novos modelos de negócios.

Localizado na sede da IBM, em São Paulo, o THINKLab do Brasil é o primeiro na América Latina. As soluções geradas utilizam abordagens e tecnologias criadas pelos laboratórios de pesquisa da IBM ao redor do mundo, incluindo o Brasil. Grande parte delas, à medida em que é testada no mercado com sucesso, será disponibilizada no Bluemix – a plataforma de desenvolvimento na nuvem da IBM com acesso livre e gratuito a desenvolvedores.

A metodologia do THINKLab foi projetada para acelerar a criação de inovações que atendam às necessidades específicas das companhias – como otimização de logística e operações, transformação digital, entre outras. Equipes multidisciplinares trabalham lado a lado para analisar conjuntos de dados, conduzir pesquisas, traçar abordagens e testá-las no mercado. O feedback do mercado em tempo real permite que as equipes explorem e combinem novas tecnologias em uma única solução integrada para superar desafios e, assim, atingir os objetivos do seu negócio.

“O THINKLab será um espaço para as empresas terem uma experiência única, com pesquisadores especializados e focados em resolver problemas ou identificar novas possibilidades para inovar. Sempre atuamos alinhados às necessidades do mercado e da sociedade, mas, agora iremos acelerar expressivamente o processo de desenvolvimento de novas tecnologias e modelos de negócio junto às empresas da região”, afirma Ulisses Mello, diretor do Laboratório de Pesquisa da IBM Brasil.

Mundialmente, nos últimos três anos, a IBM investiu US$ 19 bilhões em Pesquisa e Desenvolvimento, uma média US$ 6 bilhões por ano. Em 2014, o negócio de venda e licenciamento de propriedade intelectual, principalmente em patentes, gerou US$ 742 milhões de lucro para a IBM. Há 22 anos consecutivos, a companhia é líder em registro de patentes nos Estados Unidos. Em 2014, teve 7.534 patentes concedidas – média de 20 conquistas por dia.

Balanço: cinco anos de Pesquisa da IBM no Brasil

Em 2015, o Laboratório de Pesquisa da IBM Brasil completa cinco anos de operação no País. Além de contribuírem para o desenvolvimento da inovação, os trabalhos dos pesquisadores brasileiros têm sido fundamentais para gerar uma nova experiência aos clientes da IBM em todo o mundo. Já são mais de 140 solicitações de patentes desenvolvidas localmente e submetidas ao United States Patent and Trademark Office (USPTO), mais de 260 artigos científicos publicados e 20 prêmios conquistados.

O IBM Research Brasil conta com duas unidades, uma na cidade do Rio de Janeiro e outra em São Paulo, que trabalham com foco em três áreas:

• Gestão Inteligente de Recursos Naturais: petróleo & gás, mineração e agricultura;

• Computação Cognitiva: ênfase em análise de dados sociais, big-data e visual analytics & insights;

• Ciência & Tecnologia para Aplicações Industriais: foco em recursos naturais, ciências da vida e analytics para Internet das Coisas.

Outra importante missão do Laboratório é ajudar e colaborar com o desenvolvimento acadêmico local. Nestes cinco anos, foram concedidas bolsas de estudo para universidades do País realizarem pesquisas locais independentes. O Laboratório também possui parceria com o Laboratório Nacional de Computação Científica (LNCC) para desenvolvimento de códigos abertos em softwares, por meio do programa Open Collaborative Research, e com a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) para desenvolvimento de tecnologias por meio do programa Shared University Research.

O time brasileiro trabalha em cooperação com projetos de pesquisa da IBM ao redor do mundo. Tanto as tecnologias quanto os cientistas do Brasil podem ser alocados em projetos de outras localidades. É o caso do Jefferson Project. Pesquisadores da IBM Brasil ajudaram a criar um modelo matemático para medir a quantidade e o trajeto do sal que é despejado no inverno em estradas ao redor de um importante lago turístico no Estado de Nova York, o George Lake. O projeto visa criar um modelo tecnológico de Internet das Coisas para entender o impacto de agentes poluentes e atuar com medidas para preservação e recuperação de águas doces.

Cases brasileiros do Laboratório

• Watson em português – O sistema de computação cognitiva da IBM, o Watson, está aprendendo o idioma brasileiro. Ele é capaz de processar grandes quantidades de dados e, quanto mais interage e recebe informações, mais aprende e é capaz de gerar hipóteses. O Watson já oferece 28 serviços na nuvem.

• Computação Cognitiva em recursos naturais – O Laboratório trabalha em uma plataforma de software capaz de integrar múltiplos sistemas cognitivos para a descoberta, exploração e produção de recursos naturais. Para isso, a IBM recebeu 10 bolsas de estudo do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) para pós-doutores, além de projetos com parceiros da indústria de Óleo & Gás.

• Social Trending Analytics – Os pesquisadores da IBM Brasil desenvolveram sofisticados algoritmos para analisar, em tempo real, grandes volumes de postagens nas redes sociais sobre um determinado tema. Ele foi testado na Copa do Mundo – ocasião em que foram analisados 58 milhões de posts durante os 64 jogos do mundial.

• Plataforma de Aplicação móvel MAF – A tecnologia Mobile Aplication Fabric (MAF) é uma plataforma de desenvolvimento de aplicações de georeferenciamento baseada no IBM Worklight Foundation. Permite a criação rápida de aplicações móveis para crowdsourcing. O MAF já foi utilizado para dois projetos: o Rota Acessível, com a AACD, e o Água Viva, com o Instituto Cidade Democrática.

• Simulador de Nanotecnologia na Recuperação de Petróleo Aprimorada (EOR) – Uma das áreas foco do Laboratório é utilizar a nanotecnologia nos desafios das indústrias de petróleo&gás e saúde. A pesquisa pode ajudar a aumentar as taxas de recuperação de petróleo, que atualmente são de apenas 30%.

• Computação na Nuvem – A IBM Brasil foi selecionada pela FINEP (Financiadora de Estudos e Projetos do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação) para desenvolver dentro do Brasil uma tecnologia pioneira para oferecer serviços de computação de alto desempenho na nuvem. O objetivo é criar um software para auxiliar empresas de diversos portes e setores a executar suas aplicações e serviços que demandam alto poder computacional de uma maneira mais automatizada e barata que as soluções existentes.

• Tecnologia para saúde – A detecção de uma doença e seu monitoramento, muitas vezes, requer uma análise em diferentes laboratórios e com sofisticados equipamentos. As amostras são processadas longe do local de tratamento, o que torna a sua análise cara e demorada. O Laboratório atua no desenvolvimento de sistemas de diagnóstico com chips de microfluidos descartáveis que permitem um simples e rápido diagnóstico e análise de contaminação.

Tags, , ,