Page

Tag Valor Agregado

WAMPS 2018 analisará o impacto das metodologias ágeis e da segurança na qualidade do desenvolvimento de software

Estão abertas as inscrições para a 14ª edição do tradicional Workshop Anual do MPS (WAMPS 2018), que este ano será realizado no dia 24 de agosto em Maringá, no Paraná, como parte da programação do TICNOVA 2018.

O WAMPS 2018 reunirá avaliadores, implementadores e sênior advisors, empreendedores, startups e demais profissionais ligados ao MPS.BR, programa da Softex que conta com o apoio do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC). O MPS.BR tem por objetivo melhorar a capacidade de desenvolvimento de software, serviços e as práticas de gestão de RH na indústria de TIC utilizando um modelo adequado à realidade e às necessidades das empresas nacionais.

Com 143 avaliações MPS Software e MPS Serviços realizadas desde 2004, o Paraná é o estado que ocupa a primeira posição no ranking nacional. A liderança paranaense é resultado do trabalho contínuo realizado pelo setor de Tecnologia da Informação no estado e executado pelos agentes regionais da Softex – Cenetic, Software by Maringá e Senai Londrina – com o apoio da Assespro-Paraná e do Sebrae.

Segundo Rafaela Campos, presidente da Software by Maringá, entidade que reúne mais de 100 empresas de TI, startups e profissionais autônomos e que atua como agente Softex, a realização do Workshop Anual do MPS (WAMPS 2018) durante a 6ª edição do TICNOVA, um dos maiores eventos de tecnologia e inovação do sul do país, é de extrema importância para o ecossistema crescente de TI na região.

“Atualmente Maringá é a segunda cidade com o maior número de certificações MPS.BR do Brasil, só perdendo para São Paulo. Queremos que cada vez mais empresas adotem esses processos e se tornem cada vez mais competitivas, ganhando escala global. Mas, além da certificação, as práticas de gestão que são implantadas permitem que a empresa cresça de forma mais estruturada, previsível e segura”, finaliza Rafaela.

Lançado há 14 anos, o MPS.BR é o único programa brasileiro de avaliações de qualidade voltado para setor de TIC. Contempla hoje três modelos de referência – software, serviços e recursos humanos – e conta com 18 instituições implementadoras. Os três modelos do MPS contabilizam um total de 831 avaliações e mais de 6.400 pessoas capacitadas.

Para Diônes Lima, vice-presidente executivo da Softex, “o Programa MPS.BR tem sido importante na melhoria da capacidade de desenvolvimento de software, serviços e gestão de pessoas nas empresas de TI; e também no fomento da competitividade das empresas do setor”.

“Metodologias Ágeis: Desafios e Lições Aprendidas” é um dos temas em debate durante o evento. Trata-se uma alternativa ao modelo tradicional de construção de aplicações tecnológicas usadas para agilizar o trabalho dos desenvolvedores e proporcionar a melhoria contínua dos processos por meio da aproximação e da maior colaboração entre o time de desenvolvimento com os experts de negócios, gerando benefícios como redução de riscos e erros, melhoria da qualidade do produto final, maior produtividade, agilidade na tomada de decisões e no time-to-market.

Destaque também para a palestra “Não há qualidade sem segurança”. Na oportunidade, serão abordados os principais conceitos do desenvolvimento seguro de software e apresentados números comprovando que cuidar da segurança desde início do processo reduz o custo total de desenvolvimento e manutenção de sistemas.

A grade de palestras inclui ainda uma avaliação sobre a integração de processos de melhoria e gestão com MPS Serviços e ISO 20.000 e uma análise sobre a questão da qualidade em gestão de pessoas, software e serviços como fator de excelência e sucesso.

Para informações adicionais, inscrições e acesso à programação completa do WAMPS 2018 visite http://wamps.softex.br/

Tags, , , , , , ,

AMcom desenvolve projeto de PLM para a Cia. Hering

Até pouco tempo, as empresas iniciavam o controle sistêmico de seus produtos somente quando eles estivessem acabados ou utilizavam controles que nem sempre permitiam medir umas das principais áreas de seu negócio, o ciclo de vida do produto. Neste aspecto, a transformação digital vem revolucionando a forma como o mercado de manufatura gerencia este processo, como é o caso da Cia. Hering.

A gestora das marcas Hering, Hering Kids, PUC e DZARM, precisava de inteligência nas diversas etapas de concepção de suas coleções de roupas e, para isso, contratou a AMcom, empresa especializada em desenvolvimento customizado e sustentação de sistemas, que atuou na automação de seus processos de desenvolvimento de coleções.

A desenvolvedora realizou a digitalização dos processos de desenvolvimento de produtos da Cia. Hering e forneceu soluções eficientes de automação que reduzem o desperdício e o tempo de produção, melhorando a qualidade dos itens fabricados, bem como corroboram para agregar transparência e valor ao negócio.

“A otimização de procedimentos e a redução de custos promovidos com o aumento da automação são iniciativas inevitáveis para redução do Time to Market que, sobretudo, conferem uma programação de produção mais lógica, evitando ter que agir de forma reativa e adotando procedimentos benéficos que favoreçam o alcance dos objetivos e metas da empresa”, explica Rodrigo Strey, diretor de serviços da AMcom.

Com a união de diversos sistemas, como por exemplo, de design e produção, tais como CAD, CAM e CAE, à manufatura digital (DM) e ao gerenciamento colaborativo propostos pelo projeto de PLM, cada etapa de fabricação dos produtos – da sua concepção e produção ao processo produtivo – fica documentada e disponível, no formato e contexto necessários, para os colaboradores responsáveis, que conseguem ter controle de todo o ciclo de vida do produto e do processo.

A ferramenta denominada simulador de custos, por exemplo, otimiza o cálculo de custos estimados para a produção de um produto. Se antes, a simulação era feita de forma manual utilizando dados disponíveis em excel e calculadora, hoje o próprio PLM, com base em bancos de dados, gera automaticamente os custos de confecção dos produtos. Com isso, as coleções podem ser alteradas, adaptadas, avaliadas e, consequentemente, melhoradas nas simulações realizadas.

O projeto de PLM também removeu as barreiras geográficas entre os fornecedores internacionais e a Cia. Hering, além de construir uma rede conectada, integrada e responsiva.

Os parceiros também se beneficiaram com a Ficha de Instrução Operacional. Direcionada para a melhoria do processo de fabricação externo, o formulário on-line traz informações e imagens sobre o padrão de desenvolvimento das peças, como os tipos de aviamento e de tecido, assim como a metragem, entre outros itens que são inseridos pelos profissionais responsáveis.

Para a AMcom, a jornada da transformação digital não é restrita apenas às mudanças internas das empresas, mas engloba uma cadeia de stakeholders, possibilitando integrar parceiros, clientes e fornecedores de forma colaborativa.

“A eficiência das soluções oferecidas pelo conceito de PLM propõe ações como simulações e gerenciamento on-line que permitem tomadas de decisão adequadas para a construção de melhores produtos, além de um ambiente mais produtivo e sustentável sob a ótica da indústria e mais aproximado das necessidades dos consumidores, permitindo interações e redução de retrabalhos”, finaliza Strey, acrescentando que a maturidade da Cia. Hering em aderir à eficiência das soluções oferecidas pelo conceito de PLM é a prova de que a nova economia dá passos rumo à transformação digital.

Tags, , , , , , ,

Capacitação gratuita do BID prepara pessoas, empresas e instituições para desafios no ambiente digital

O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) lança o curso gratuito “Desafios e oportunidades na economia digital”, para promover e apoiar governos a definir e implementar ações de políticas públicas digitais voltadas para a participação ativa de indivíduos, empresas e instituições no novo ecossistema econômico e social, assim como apoiar empresas e indivíduos a identificar oportunidades no contexto digital. As inscrições estão abertas e as aulas começam em 6 de setembro.

“Estamos vivendo a quarta revolução industrial. Cidadãos, governos e empresas têm de enfrentar essa realidade para aproveitar as novas tecnologias e aprender de fato a gerar valor”, explica o representante do BID no Brasil, Hugo Flórez Timorán. “No curso será possível entender a importância do Big Data e sua utilidade no monitoramento e avaliação de políticas públicas, o impacto da tecnologia em empresas e governos e haverá ainda exemplos práticos de países e empresas do Brasil e da região que conseguiram transformar esse novo contexto tecnológico a seu favor e lições aprendidas a serem levadas em consideração”, complementa.

O curso aberto e massivo (MOOC, na sigla em inglês) é oferecido por meio da plataforma digital edX , uma parceria entre a Universidade de Harvard e o Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT).

A capacitação inclui casos práticos, como o projeto Data Rio, que disponibilizou a base de dados gerados pelo município para estudo e projetos, entre eles, o desenvolvimento de aplicativos que ajudam a facilitar a vida do cidadão e do turista. São 15 mil arquivos com 400 terabytes de informações, como a localização dos ônibus por coordenadas GPS, a sincronização de sinais de trânsito e números da Central 1746.

Entre exemplos de vários países, os participantes também entenderão como está composto o ecossistema de inovação no Brasil, a estratégia brasileira de transformação digital, saberão mais sobre a lei de proteção de dados aprovada recentemente, entre outros.

O curso tem duração de sete semanas com uma média de três a quatro horas semanais – o próprio aluno determina o ritmo de aprendizado, podendo estudar mais horas se assim desejar. Também estarão à disposição dos participantes, leituras selecionadas, vídeos, tutoriais de análises e outros recursos de aprendizagem.

Para os participantes que atingirem a nota mínima é possível obter o Certificado de Identidade Verificada, emitido pelo BID pelo site do curso, ao custo de US$25. Contudo, aqueles que não tiverem interesse, podem escolher a opção Auditar Curso para participar de forma gratuita e obter um certificado de código de honra, caso cumpram as expectativas acadêmicas estabelecidas.

Curso: Desafios e Oportunidades na Economia Digital

Investimento: gratuito

Início das aulas: 6 de setembro

Duração do curso: 7 semanas, 3/4 horas semanais

Inscrições: clique aqui.

Tags, , , , , , ,

A jornada da Transformação Digital

Por Nilton Cruz, diretor de Transformação Digital da Fujitsu no Brasil

Há tempos apontada como tendência e diferencial competitivo, a Transformação Digital tornou-se uma necessidade vital para as empresas – e elas sabem disso. De acordo com o Gartner, a Inteligência Artificial deve movimentar US $ 1,2 trilhão em 2018 – esse número representa aumento de 70% em relação a 2017.

As empresas também já entendem que investir em tecnologias como IA, por exemplo, já não é mais suficiente para transformar a organização. As tecnologias e os projetos precisam estar integrados para serem capazes de trazer insights relevantes para os negócios.

É possível perceber, ainda, que o investimento em tecnologia deixou de ser uma responsabilidade atribuída apenas para o setor de TI e passou a demandar esforços de outras áreas, como marketing, RH e vendas. Essa mudança de cenário está relacionada, principalmente, com o fato de que esses setores passaram a conversar e interagir muito mais para atender a todas as necessidades do negócio e, principalmente, focar no consumidor final.

A ideia da Transformação Digital não é apenas obter uma tecnologia de ponta para inovar processos, mas encontrar, por meio de soluções completas, maneiras de otimizar operações desde o início do negócio. Só assim é possível atingir o resultado esperado de forma assertiva e com riscos minimizados.

Com os usuários cada vez mais conectados, nos deparamos com uma vasta troca de experiência, opiniões e sentimentos que não devem ser ignorados, mas sim, levados em consideração para cada passo que vamos tomar. Chegou a hora de mudar o mindset, estudar a cultura organizacional da empresa e avaliar pontos que podem ser melhorados e comportamentos que já estão ultrapassados. Listo abaixo algumas dicas para as empresas passarem pela Transformação Digital:

1) Tenha em mente o objetivo – Identifique qual o seu principal objetivo e trace metas alinhadas com a real necessidade do seu cliente. Para o sucesso no atendimento, é preciso entender suas necessidades e “escutá-lo” por meio de todos os canais – como está sua área de marketing? O seu time de vendas está alinhado com as estratégias e se apoia em ferramentas que otimizam o tempo permitindo que se dediquem mais à outras tarefas e não apenas em funções operacionais?

2) Dê voz ao colaborador – Escute mais seus colaboradores. Quando as áreas conversam entre si, outras fontes e insights podem vir dos clientes, pesquisas, prospects, entre outros;

3) Vá além de fornecer – As empresas provedoras de tecnologia não se limitam mais em apenas fornecer a solução. Elas precisam se posicionar como verdadeiras consultoras, capazes de auxiliar na escolha da melhor solução para a necessidade das companhias, antes, durante e depois do ciclo de vendas. Encontre uma empresa fornecedora que entenda onde você quer chegar e te mostre como. Projetos de co-criação podem ser uma solução.

4) Pense em integração – Procure integrar conhecimento dentro da sua empresa. Utilize ferramentas e tecnologias que conectem conhecimento e inovação e funcionem com sinergia. Como por exemplo Inteligência Artificial e outras tecnologias chaves (IoT, nuvem).

5) Invista no conhecimento – Por fim, mas não menos importante, saiba reunir várias perspectivas e conhecimento. Isso permite criar novos insights e provocar mudanças positivas. Como identificar quando algo está errado? Ainda há tempo para mudar? Ainda existem muitas empresas com muito potencial, porém as informações são utilizadas de maneira errada ou ineficaz. Incluir projetos e laboratórios para os novos profissionais é uma aposta na educação dos seus colaboradores e colabora para a evolução da organização como um todo.

Tags, , , ,

O setor de eventos e a tecnologia para gestão

Em 2014, o Brasil foi apontado pela Associação Internacional de Congressos e Convenções (ICCA, sigla em inglês) como um dos dez países que mais sediaram eventos internacionais.

A corretora Aliança Brokers, gestora da plataforma www.SeguroDeEventos.com estima que, por mês, são realizados entre 35 e 50 mil eventos no país, mas, em média, apenas 20% deles são segurados. Feiras, congressos e seminários têm 20% de suas realizações protegidas – mesmo percentual de contratação de seguro para ações de live marketing. Espetáculos teatrais, circos, palestras e treinamentos contratam seguro em apenas 10% dos casos.

Para reverter o cenário de baixa penetração é necessário tornar obrigatória a contratação do seguro de eventos. A contratação do seguro sendo obrigatória e necessária para a liberação dos alvarás das prefeituras e do Corpo de Bombeiros traz mais fôlego e segurança às operações. Hoje, países como os Estados Unidos, Canadá, Inglaterra, Espanha e Itália já são líderes na disseminação de proteções para eventos.

Um outro ponto importante é a certificação para eventos. Para quem organiza cursos, workshops ou palestras provavelmente deve ter sido questionado pelos participantes do evento em relação a emissão de certificados. Os certificados de participação em eventos servem para comprovar que determinada pessoa realizou ou esteve presente em certa atividade, por isso são tão requisitados no país.

A Eventbrite, maior plataforma de tecnologia para ingressos e eventos do mundo desenvolveu uma ferramenta gratuita simples e intuitiva para a geração de certificados para eventos: o EB Certs. O EB Certs permite que o organizador escolha entre utilizar templates pré-prontos de certificados – e, a partir deles, editar como preferir – ou criar um modelo totalmente personalizado.

É possível inserir imagens, assinatura, editar o texto, fonte e cores como quiser, de forma bastante prática. Assim, o certificado fica com a identidade do evento proposto. Além disso, o EB Certs permite enviar os certificados diretamente para o e-mail dos participantes.

Além disso, é muito importante conhecer assuntos relacionados à gestão e legalização de um negócio, como a emissão de notas fiscais eletrônicas de serviço (NFS-e). A plataforma da Eventbrite facilita a vida do organizador ao automatizar a venda de ingressos, ter eventos de alto nível e disponibilizar centenas de extensões. Diante disto é possível automatizar a emissão das NFS-e de ingressos por meio da parceria realizada com o eNotas, que cuida da emissão de suas notas fiscais enquanto você foca nas partes mais estratégicas do seu negócio.

Tags, , ,

Multinacional alemã realiza campeonato de mecatrônica para estudantes de nível superior e técnico

A experiência é um diferencial na carreira de qualquer profissional, especialmente para técnicos, tecnólogos e engenheiros que necessitam aliar conhecimento com aplicação prática em maquinários de alto nível tecnológico na execução de suas tarefas.

Na engenharia mecatrônica, é preciso dominar áreas como mecânica, eletrônica, pneumática, robótica, tecnologia da informação e, baseando-se nesta necessidade de mercado, a Festo, multinacional alemã líder no mercado de automação industrial, organiza anualmente a Competição Festo de Mecatrônica. Neste ano o evento acontece entre os dias 24 e 28 de setembro em São Paulo.

Disputada por equipes compostas de uma dupla de alunos e um professor, a prova é dividida em cinco tarefas que testarão conhecimentos e habilidades em áreas relacionadas à mecatrônica. As duplas devem estar devidamente matriculadas e atuantes em uma instituição de ensino técnico ou de nível superior e o professor contratado pela mesma instituição.

Para participar, as equipes devem preencher a ficha de inscrição no link http://goo.gl/forms/dXUM6w8dDkLMfa352 até o dia 14 de setembro. Para o caso de dúvidas para receber o link da ficha de inscrição, a solicitação pode ser feita através do e-mail treinamento.br@festo.com.

Além de terem suas habilidades técnicas e conhecimentos testados, os estudantes também precisam demonstrar competências valiosas, como planejamento, análise e resolução de problemas e trabalho em equipe. De acordo com Oscar Isayama, coordenador da Festo Didactic, o objetivo da competição é permitir que os estudantes experimentem o ambiente profissional técnico.

‘As provas são baseadas em algumas tarefas comuns no ambiente industrial como realizar a instalação de um equipamento, a documentação técnica de uma inspeção, a montagem de um novo dispositivo dentro de uma máquina, avaliar um equipamento com defeito, fazer um relatório e a correção da falha, entre outras coisas. São provas baseadas na aplicação do conhecimento desses estudantes. A sala de aula é muito teórica e como a indústria é o objetivo da maioria, é preciso mostrar que eles possuem conhecimento prático’, explicou.

A equipe vencedora receberá uma viagem com todas as despesas pagas para a cidade de Stuttgart, na Alemanha, para conhecer a sede da Festo.

‘A competição é um grande investimento para o desenvolvimento da educação técnica. É uma excelente oportunidade de incentivar estudantes a se desenvolverem para o ambiente de trabalho, ganharem experiência e ainda terem a chance de uma experiência internacional’, concluiu Oscar.

O evento funciona também como um processo seletivo para a empresa, já que grandes talentos são descobertos durante a competição. Portanto, os alunos participantes têm chances de sair da competição diretamente para o mercado de trabalho, pois profissionais experientes responsáveis por avaliar a prova observam de perto as habilidades individuais de cada um dos inscritos.

Paralela à competição ainda haverá um ciclo de palestras de profissionais da área preparado para os alunos que forem ao evento torcer pelas equipes de suas respectivas instituições.

Tags, , , ,

E-commerce fatura R$2,1 bilhões no período de compras para o Dia dos Pais, aponta Ebit|Nielsen

O comércio eletrônico faturou R$2,1 bilhões no período de compras para o Dia dos Pais, celebrado neste domingo (12). O resultado aponta uma expansão de 8% com relação ao mesmo período do ano passado. O número de pedidos cresceu 22% para 5,11 milhões, enquanto o tíquete médio foi de R$409, queda de 11,5%. As informações são da Ebit|Nielsen, considerando a expectativa de compra dos consumidores no e-commerce de 28 de julho a 11 de agosto.

De acordo com Pedro Guasti, consultor de Negócios Ebit|Nielsen, houve uma mudança no comportamento do consumidor neste ano. “A queda no tíquete médio foi impactada diretamente pela venda de produtos com menor valor agregado como livros, tênis, suplementos, perfume, camisetas e vinho. Isso mostra que os consumidores virtuais ainda estão bastante receosos em comprar produtos caros e contrair dívidas.”, disse.

Qual o movimento do mercado de Bebidas Alcoólicas?

Por conta das comemorações de Dia dos Pais, o mercado online de Bebidas Alcoólicas também vem registrando aquecimento. Além do vinho, que consta na lista do top 10 como opção para presentear, bebidas como vodka (96%)*, uísque (20%)* e cerveja (11%)* apresentaram crescimento entre os dias 01 e 07 de agosto, na comparação com o mesmo período do ano passado.

*percentual de aumento em comparação ao mesmo período de 2017

De acordo com dados da Nielsen, no mercado off-line- considerando o grande varejo, os feriados como o Final do Ano, Carnaval e Black Friday são highlights de vendas para Bebidas. Contudo, para o Dia dos Pais, Destilados são destaque como ocasião de gift. Em 2017, apenas a semana de comemoração representou para o segmento uma média de vendas em valor 70% acima das demais, com foco principalmente em uísque e gin premium.

Para uísque, houve um incremento de vendas em valor de 20%, em comparação com 2016, enquanto gin cresceu +400% dentro do período. “A ocasião acaba sendo um momento importante para fabricantes de destilados que apostam principalmente em packs com brindes e embalagens diferenciadas”, pontua Thiago Torelli, líder da indústria de Bebidas da Nielsen Brasil.

Tags, , , , ,

Magazine Luiza é a melhor empresa para trabalhar no varejo brasileiro, diz GPTW

O Magazine Luiza foi apontado como a melhor empresa do setor varejista e a segunda no ranking geral, segundo o relatório do Great Place to Work de 2018. A companhia, que hoje conta com mais de 20 000 funcionários, está na lista há mais de duas décadas. Isso mostra o quanto os executivos que estão no comando valorizam as políticas e práticas de recursos humanos e reconhecem a sua importância para a obtenção de resultados.

O ranking é elaborado a partir de um estudo dos especialistas da GPTW sobre a cultura e prática das grandes empresas nacionais. A voz dos funcionários é ouvida em uma pesquisa de clima. “O que queremos é que o Magalu seja realmente um excelente lugar pra trabalhar”, afirma Patrícia Pugas, diretora executiva de gestão de pessoas do Magazine Luiza. “A colocação no ranking é apenas uma consequência dessa vontade.”

Além do destaque na lista geral, o Magazine Luiza também foi apontado como a empresa que melhor conversa com seus funcionários. Essa comunicação é feita com a ajuda de uma rede social própria, um canal de tevê e uma emissora de rádio, que promovem uma interação constante com os “Magalus” – como são chamados os funcionários da empresa, internamente.

O Consórcio Luiza, empresa do Grupo Magazine Luiza, , está, pelo oitavo ano consecutivo, entre as melhores empresas para se trabalhar no Brasil, de acordo com um ranking divulgado pelo instituto Great Place to Work (GPTW), um dos mais conceituados do mundo. Neste ano, a empresas ficou em 3º lugar entre as melhores empresas no segmento de “Médias Nacionais” (100 a 999 funcionários).

Fundado há 25 anos, nos Estados Unidos, o Great Place to Work traz em sua marca o prestígio e o reconhecimento internacional por desenvolver as pesquisas das Melhores Empresas para Trabalhar em 59 países (América do Norte, América Latina, Europa, África, Oceania e Ásia), impactando mais de 12 milhões de funcionários. Em 2018, 2 300 empresas que operam no Brasil se inscreveram para participar do ranking.

Tags, , , , ,

Decifre e Influencie Pessoas: livro ensina técnicas para obter relações mais harmoniosas com as pessoas ao seu redor

Autor de diversos best sellers, como “O Poder da Ação” e “O Poder da Autorresponsabilidade”, o PhD e master coach Paulo Vieira lança ao lado do sócio fundador do CIS Assessment da Febracis, Deibson Silva, o livro “Decifre e Influencie Pessoas – como conhecer a si e aos outros, gerar conexões poderosas e obter resultados extraordinários”.

O livro apresenta uma visão que ajuda os leitores a refletirem sobre como seriam seus resultados pessoais e profissionais caso conseguissem compreender melhor quem está ao seu lado. Para isso, a obra ajuda a entender o que motiva as pessoas a agirem, permitindo uma comunicação mais profunda e eficaz com elas.

“Fato é que todos nós temos algum motivo pelo qual queremos descobrir e entender quais são os mecanismos que motivam os indivíduos a agirem como agem e a fazerem o que fazem. A verdade é que a maior parte das pessoas está perdida, não sabe como gerenciar aqueles que estão sob sua liderança, nem como lidar com as pessoas mais próximas”, explica Paulo Vieira.

Além da análise das pessoas, seja em ambiente de trabalho ou familiar, o livro ensina a olhar para nós mesmos. “A única maneira de contribuir de modo efetivo para o desenvolvimento das pessoas que estão ao seu lado é a partir do próprio autoconhecimento. Quanto mais se conhece, mais você cresce e garante melhores condições para desenvolver as pessoas à sua volta”, completa Vieira.

O lançamento do livro acontecerá no dia 15 de agosto, às 16 horas, na Arena GYM PASS, no Congresso Nacional sobre Gestão de Pessoas (CONARH), um dos maiores eventos de gestão de pessoas do País. No local, além de comprar o livro, os visitantes podem ter acesso à ferramenta de identificação de perfil comportamental CIS Assessment e participar da sessão de autógrafo no estande da empresa.

No evento, o master coach Paulo Vieira concederá também uma palestra magna sobre o tema “Usando as Emoções ao seu Favor”, abordando como saber comunicar sentimentos positivos é essencial para atingir grandes conquistas.

Tags, , , , ,

Natura anuncia Fernando Mattoso Lemos como novo vice-presidente de Tecnologia e Negócios Digitais

A Natura, líder no setor de venda direta no Brasil, nomeou Fernando Mattoso Lemos como vice-presidente de Tecnologia e Negócios Digitais da empresa. Como membro do Comitê Executivo, Fernando será responsável por manter a evolução da estratégia digital da empresa, impulsionando os negócios em todos os países, além de oferecer experiências diferenciadas nos serviços digitais que geram valor para o modelo de negócio da Natura.

O executivo traz para a empresa a experiência de mais de 20 anos em tecnologia e inovação. Sua posição mais recente foi como vice-presidente de Inovação, Transformação Digital e Cloud para a América Latina na Oracle, empresa em que atuou nos últimos dez anos. Sua trajetória profissional conta com vivências internacionais em países como Estados Unidos, México, Argentina, Chile, Colômbia e Peru.

Fernando é engenheiro elétrico pela Escola de Engenharia Mauá, com MBA em Marketing e especializações em negócios em escolas internacionais, como Incae Business School e Singularity University.

Tags, , , , ,

Fintech leva 2h30min para arrecadar R$ 140 mil em empréstimos para franqueado do China In Box

Obter empréstimos mais baratos para financiar a expansão de suas franquias. Esse objetivo leva grandes grupos de franqueadores a fechar parcerias com a Kavod Lending – fintech de financiamento coletivo (crowdfunding). A primeira operação da Kavod em parceria com o grupo TrendFoods, dono das marcas China In Box e Gendai, foi lançada para levantar R$ 140 mil em empréstimos para uma franquia da China In Box e o valor foi captado em menos de 2h30min. A Kavod Lending, que também tem parceria com o grupo Sterna Café, aproxima pessoas físicas que querem investir melhor o seu dinheiro e empresas que buscam crédito com taxas mais baixas que as praticadas pelo mercado financeiro tradicional. Os juros para o tomador de crédito partem de 1,1% ao mês e o prazo máximo para pagar é de 24 meses.

“O processo é online, por isso a arrecadação pode ser extremamente rápida. Para o franqueador esse tipo de parceria é interessante porque permite que ele apresente uma linha de crédito muito mais condizente com a necessidade de seus franqueados, atuais e futuros, com muito mais agilidade e menor custo do que os bancos tradicionais”, afirma Fábio Neufeld, CEO e cofundador da Kavod Lending. A iniciativa também é relevante para o investidor, que pode emprestar seu dinheiro para empresas que conhece. O investimento mínimo na plataforma é de R$ 5 mil e o retorno varia entre 170% a 250% do CDI.

Todas as operações da Kavod Lending contam com garantias reais, prestadas pelas empresas que buscam o crédito. Essas garantias podem ser recebíveis de cartão de crédito, alienação imóveis, máquinas, investimentos etc. Além disso, ainda é disponibilizado um Relatório de Risco do Serasa, que é imparcial na análise, com uma nota de crédito (rating) de cada empresa. “A Kavod também realiza uma análise técnica antes de lançar qualquer operação. Essas iniciativas, em conjunto, mitigam o risco da operação e permitem que seu custo seja menor”, ressalta Renato Douek, cofundador e CMO da Kavod.

Grupos de franqueadores, franquias e investidores podem obter mais informações sobre as operações no site http://www.kavodlending.com.

Tags, , , ,

Connected Smart Cities apresentará melhores práticas para uma cidade inteligente

Em sua quarta edição, o Connected Smart Cities vem desde 2015 reunindo diferentes segmentos da sociedade para apresentar e debater ações com foco no desenvolvimento de uma cidade inteligente, mais conectada e humana. Os setores participantes do evento se dividem em tecnologia, mobilidade, energia, urbanismo, meio ambiente e segurança. Já estão confirmados como patrocinadores da edição 2018: Aceco TI, Atech, BMPI, Câmara de Comércio Brasil-Canadá (CCBC), Deloitte, Engie, Egis, Fundação Ezute, Fala Cidadão, Geoambiente, Itron, Kido Dynamics, Midiacode, Philips, Prefeitura de Barueri, Ubicquia, Via, além do apoio de mais de 40 entidades.

O Connected Smart Cities será realizado nos dias 04 e 05 de setembro de 2018, em São Paulo, no Centro de Convenções Frei Caneca, apoiador estratégico e que garante ao evento uma infraestrutura diferenciada. No primeiro dia do Fórum, será apresentado o Ranking Connected Smart Cities 2018, desenvolvido em parceria com a Urban Systems e que apresenta os indicadores de desenvolvimento das cidades brasileiras participantes do levantamento. Com expectativa de reunir mais de duas mil pessoas, o Connected Smart Cities abordará os temas Urbanismo Sustentável nas Cidades; Cidades Prósperas; Cidades Conectadas; Mobilidade e Acessibilidade nas Cidades; Cidades Empreendedoras; Cidades Resilientes; e Cidades Participativas e Engajadas.

“Essa edição do evento contará com cerca de 90 painéis e 300 palestrantes que se apresentarão simultaneamente em 9 palcos, superando os números das edições anteriores. Também teremos a Expo, onde as empresas que apoiam o evento apresentam as suas soluções para uma cidade inteligente, além do Prêmio voltado para empresas que estão oferecendo soluções inovadoras para as cidades; as Rodadas de Negócios, reuniões entre organizações que oferecem soluções e cidades que têm interesse em implementar novos modelos, sendo que a nossa expectativa é de organizar mais de 600 reuniões durante o evento; e o lançamento do nosso Manifesto”, cita a idealizadora do Connected Smart Cities e diretora executiva da Sator, Paula Faria.

A executiva enfatiza, ainda, que o evento está sendo oficialmente lançado e muitas novidades serão apresentadas durante o Connected Smart Cities 2018 e que as ações do evento, com foco em uma cidade inteligente, apresentam resultados positivos em várias cidades brasileiras, como em Belo Horizonte, capital que implementou soluções do Connected Smart Cities, por meio do Programa Estratégico “Belo Horizonte Cidade Inteligente”, e São João da Boa Vista/SP, por meio do Plano Estratégico “São João 2050”. “O trabalho desenvolvido por nós já reflete e resultados positivos em cidades do país, como em São João da Boa Vista, Salvador, Florianópolis, Recife, Fortaleza, Belo Horizonte, entre outras cidades que implementaram soluções sugeridas pelo Connected Smart Cities, com o objetivo de oferecer mais qualidade de vida para a população, principal objeto da nossa iniciativa”, ressalta.

Manifesto Connected Smart Cities

Durante o evento será lançado o Manifesto do Connected Smart Cities, com o objetivo de destacar o propósito da iniciativa. “A missão do Connected Smart Cities é desenvolver e participar de ações que tenham como principal objetivo tornar as cidades brasileiras mais desenvolvidas e sustentáveis, onde os projetos implantados reflitam na qualidade de vida dos seus habitantes. A nossa missão é unir forças, por meio da sinergia entre todos os envolvidos, pois acreditamos e trabalhamos para que cada vez mais as nossas ações resultem em resultados efetivos. E o Manifesto do Connected Smart Cities reforça, ainda mais, o nosso objetivo”, Conclui Paula Faria.

Acesse o Manifesto Connected Smart Cities: www.connectedsmartcities.com.br/manifesto/

A edição desse ano também conta com o lançamento do Connected Smart Cities Mapping, ferramenta online de dados abertos que disponibiliza soluções por meio de um software livre para a coleta de informações, visualização e mapeamento interativo de recursos, ou seja, um mapa georreferenciado colaborativo para a inclusão gratuita de soluções. A INCLUSÃO DE SOLUÇÕES está disponível por meio do link: www.connectedsmartcities.com.br/2018/07/31/ferramenta-oferece-mapeamento-gratuito-de-solucoes-para-cidades-inteligentes/

Para mais informações sobre o Programa Estratégico “Belo Horizonte Cidade Inteligente”, acesse o Case de Belo Horizonte: www.connectedsmartcities.com.br/2018/05/25/belo-horizonte-implementa-solucoes-do-connected-smart-cities/

Para mais informações sobre o Plano Estratégico “São João 2050”, acesse o case de São João da Boa Vista/SP: www.connectedsmartcities.com.br/2018/08/08/desenvolvimento-de-sao-joao-da-boa-vista-conta-com-acoes-do-connected-smart-cities/

Connected Smart Cities | Evento Nacional

Data: 04 e 05 de setembro de 2018
Local: Centro de Convenções Frei Caneca, Rua Frei Caneca, 569, Consolação, São Paulo/SP
Mais Informações: www.connectedsmartcities.com.br

Tags, , , ,

5 lições que o Vale do Silício ensina para startups brasileiras

Conhecido por abrigar gigantes da tecnologia, o Vale do Silício, na Califórnia, é também berço de muitas empresas inovadoras, como as startups. Não à toa, a região tornou-se destino desejado por empreendedores de todo o mundo, inclusive os brasileiros.

O objetivo, no entanto, não é tão fácil quanto parece. Para o curitibano Alessio Alionço, fundador e CEO da Pipefy, startup de gerenciamento de processos eficientes, que tem sedes em Curitiba e no Vale do Silício, há uma ideia deturpada em relação à instalação de empresas no local.

“O Vale não torna a caminhada mais fácil, mas oferece mão de obra qualificada e em quantidade que não encontramos no Brasil – lá, cerca de 35% da população trabalha na indústria de software. A taxa de mortalidade das empresas que crescem na região, porém, não está tão longe da nossa, a diferença é que no local existem 10 vezes mais pessoas executando uma determinada função com mais experiência”, analisa Alionço, idealizador empresa global de SaaS (Software as a Service), que hoje está presente em 15.000 empresas e atende clientes em mais de 150 países.

Na visão do empreendedor, os americanos estão inseridos em uma cultura em que erros, além de totalmente aceitáveis, são necessários para formação de qualquer profissional. No Vale do Silício, essa cultura é intensificada principalmente pela maneira como as empresas estão alocadas na região, permitindo um largo fluxo de pessoas com os mesmos objetivos.

Para isso, essas mesmas pessoas têm como meta, desde o início de sua inserção no mercado de trabalho, uma consciência da existência de etapas fundamentais para alcançar resultados precisos.

O Vale pode, sim, impulsionar muitos negócios por combinar conhecimento, mão de obra e capital em um mesmo lugar, mas antes de pensar em transferir sua empresa para lá, confira as 5 lições que o Vale do Silício ensina para startups brasileiras, segundo Alessio Alionço.

1. Pense globalmente desde o primeiro dia

No Brasil, somos instruídos a crescer primeiro no mercado nacional e depois de algum tempo e com bastante solidez, a buscar ares internacionais. Diferentemente do Vale, em que o pensamento quase que obrigatório é pensar na expansão global do negócio no primeiro dia.

2. Errar não é o fim do mundo

Estamos inseridos em uma cultura em que errar é motivo de vergonha e um fator que impede tentativas de colocar uma ideia em ação. Os americanos valorizam a experimentação e, para eles, o erro significa um clico realizado. Independentemente da ideia der certo ou errado, a tentativa sempre resultará em oportunidade e chance de desenvolvimento.

3. Comunicar, comunicar e comunicar

Que a comunicação é um fator imprescindível dentro das empresas todo mundo sabe, mas os americanos, novamente, reforçam a ideia. É preferível pecar pelo excesso de diálogo e ser honesto com aquilo que não anda como deveria, o chamado radical candor, ou franqueza radical, adotado pelos líderes no Vale do Silício.

4. Zona de conforto nunca mais, arrisque

O risco sempre vale a pena na cultura dos americanos. As tentativas nunca são em vão e permitem que um leque de oportunidades seja aberto todas as vezes. Nós pensamos os motivos que podem levar uma ideia a fracassar, enquanto eles enumeram as possibilidades de dar certo.

5. Direto ao ponto

No ambiente do trabalho, os americanos prezam pela objetividade por diferentes razões, mas que sempre convertem para um mesmo ponto: a entrega de atividades de maneira rápida e eficaz. Ao contrário dos brasileiros, eles acreditam que construir laços no ambiente de trabalho é um fator que cria barreiras entre gestores e funcionários, por isso o evitam.

Tags, , , ,

DB1 Global Software está entre as 30 melhores médias empresas para se trabalhar no Brasil

Entre as 2.288 empresas que participaram do ranking “Melhores empresas para trabalhar – GPTW Brasil”, realizada pela Great Place to Work, a DB1 Global Software, multinacional de tecnologia sediada em Maringá – PR, está entre 30 melhores médias empresas para se trabalhar no Brasil. A empresa entrou pela segunda vez no ranking nacional das 150 organizações brasileiras selecionadas na lista que avalia as organizações com as melhores práticas relacionadas a gestão de pessoas. O estudo leva em conta a avaliação do índice de confiança dos funcionários com o ambiente de trabalho e análise das melhores práticas de gestão de pessoas, entre outros quesitos.

Em 2017, a DB1 também recebeu as melhores avaliações do Instituto Great Place to Work: ficou entre as melhores médias empresas para se trabalhar no Brasil, foi classificada como a 11ª melhor média empresa de TI para se trabalhar e eleita a 6ª melhor empresa para se trabalhar no Paraná e com a melhor colocação no setor de TI do estado. Já a revista Você S/A classificou a empresa entre as 45 melhores para se começar carreira no país e entre as 150 melhores empresas para se trabalhar.

“Sair de uma lista das melhores empresas de TI, passar para um ranking geral pelo segundo ano consecutivo e estar entre as 30 melhores médias empresas para se trabalhar no Brasil, mostra nosso foco na valorização das pessoas com prosperidade para todos e nossos esforços para nos tornarmos um competidor global. A visão da DB1 é estar entre os 10 maiores grupos de TI do Brasil até 2032 – temos metas muito fortes – e esse prêmio vem reconhecer que estamos na direção correta e que estamos cumprindo nosso propósito”, conta Ilson Rezende, presidente da DB1 Global Software.

A DB1 vem liderando o movimento empresarial do setor de tecnologia em Maringá e se tornou referência para muitas outras empresas, que começaram a participar da premiação “Melhores empresas para trabalhar – GPTW Brasil”. Atualmente outras cinco empresas da cidade figuram na lista e a DB1 pretende trazer outros empresários para a certificação GPTW.

“Alguns clientes nos perguntam como conseguimos contratar, ter e manter nosso alto nível de entrega. Eu costumo dizer que investimos muito em pessoas, em processos e em como trabalhar com essas novas gerações. Isso reflete em uma entrega de primeira, com alta qualidade, baixo índice de retrabalho e prazos mais curtos, além do reconhecimento como uma das melhores empresas para se trabalhar”, finaliza Rezende.

Atualmente, Maringá vem sendo considerada como um dos melhores lugares do Brasil para se trabalhar. Maringá já se transformou na segunda cidade com mais expressão no setor de desenvolvimento de software do Paraná, atrás apenas de Curitiba, segundo o panorama realizado pelo Sebrae. Para se ter uma ideia, Maringá é a segunda cidade com o maior número de certificações MPS.BR do Brasil – que reconhece a Melhoria de Processo do Software Brasileiro – só perdendo para São Paulo.

Tags, , , , , ,

Belo Horizonte sediará evento da CI&T para pessoas com deficiência.

A CI&T, multinacional brasileira especialista em transformação digital de grandes empresas com presença global, realizará em 25 de agosto a 8a edição do Include Day — evento de tecnologia exclusivo para pessoas com deficiência. Desta vez, o Include Day da CI&T terá o formato de um boot camp, que abordará o aprendizado de tecnologias avançadas combinado com exercícios práticos. O conteúdo contempla desenvolvimento, processos, qualidade e automação de testes de softwares. Os interessados podem obter mais informações e se inscrever até o dia 14 de agosto em: http://includeday.ciandt.com.

O objetivo do evento da CI&T é engajar os participantes em um dia de interação, aprendizado e compartilhamento de conhecimentos. Além disso, as pessoas que mais se destacarem no evento terão a chance de ingressar na CI&T e ocupar algumas das mais de 100 vagas abertas na multinacional brasileira.

“Nossa proposta é reunir pessoas com deficiência que tenham interesse na área de tecnologia para um evento onde poderão compartilhar conhecimento e terão a oportunidade de construir soluções criativas de acessibilidade, unindo tecnologia e diversidade em um ambiente descontraído e amigável”, disse Patricia Delsoto, Gerente de Recursos Humanos da CI&T. “Também estamos em busca de talentos para as diversas vagas abertas de trabalho na CI&T, que podem ser ocupadas por todas as pessoas, inclusive as que têm deficiência. Oferecemos um ambiente de trabalho multicultural, que respeita a diversidade seja de gênero, orientação sexual, idade, deficiência, raça ou religião”, completou.

A seriedade, comprometimento e boas práticas da CI&T para a inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho foram reconhecidas na premiação das Melhores Empresas para Trabalhadores com Deficiência da Secretaria de Estado dos Direitos da PCD de São Paulo.

O que é boot camp?

O boot camp é uma modalidade de treinamento intensivo, que pode ser aplicado em um dia. Na área de tecnologia, a expressão é usada para programas de imersão com ênfase na prática, ou seja, aprender fazendo. Este formato proporciona ao participante um pacote básico de conhecimentos, contribuindo para um novo mindset, de forma que aprende-se muito em um curto espaço de tempo. Quem participar do treinamento pode aproveitar a oportunidade para adquirir habilidades de gestão de tempo e de suas emoções pessoais diante de desafios de trabalho em equipe, com prazos curtos e conhecimentos recém obtidos.

8o Include Day da CI&T

Data: 25 de agosto

Horário: 8h30 às 16h
Local: Escritório da CI&T em Belo Horizonte – Av. dos Andradas, 3000 – Santa Efigênia – Boulevard Corporate Tower – Telefone: (31) 3029-2600

Quem pode participar: Pessoas com deficiência, maiores de 18 anos, ensino médio completo, formação técnica ou superior (completa ou em andamento) na área de tecnologia e que tenham interesse em testes ou programação de software – é importante ter noções de lógica de programação e vontade de aprender.

Inscrições até 14 de agosto pelo http://includeday.ciandt.com

Tags, , , , , ,

Cuponeria recebe aporte do inovaBra ventures

A Cuponeria, plataforma com versão web e mobile para Android e iOS que oferece cupons de descontos de diversos estabelecimentos comerciais do Brasil, acaba de anunciar o aporte do FIP InovaBra, fundo de investimento do inovaBra ventures, parte do ecossistema de co-inovação do Grupo Bradesco.

Com mais de 22 milhões de cupons distribuídos nas capitais brasileiras em diversos segmentos, a empresa pretende aumentar em 40% a emissão de cupons em um ano e investir no aperfeiçoamento de sua tecnologia de geolocalização, proporcionando mais benefícios aos usuários e clientes.

Segundo Nara Iachan, CMO e sócia-fundadora da Cuponeria, o objetivo é reforçar a presença da empresa no Brasil. “Ao longo da nossa trajetória, percebemos o quanto o brasileiro gosta de descontos. Por isso, nossa meta é oferecer o melhor serviço dentro da plataforma, ampliando a atuação da empresa em todo o território nacional. Esse aporte vem para reforçar esse propósito”, explica.

Desde sua fundação em 2011, a Cuponeria recebeu aportes do Buscapé, ACE, Verus Group e Google, que colaboraram com o crescimento exponencial da empresa. Essa transação marca o início de uma nova fase e a saída do Verus Group. “Nosso papel como investidores early stage foi cumprido com êxito e temos orgulho de ter feito parte da história da Cuponeria”, conta Fernanda Gottardi, membro do Verus Group.

A Cuponeria foi selecionada pelo programa inovaBra startups, que estabelece parcerias entre startups e o Grupo Bradesco, para acelerar o processo de entrega de experiências inovadoras aos clientes e oferecer como contrapartida a possibilidade dessas startups escalarem seus negócios rapidamente. Após se destacar nesse programa, foi contratada pelo Bradesco para desenvolver ações promocionais de descontos exclusivos aos clientes do banco. “A sinergia entre as empresas é muito clara: enquanto uma utiliza tecnologia e distribui cupons de desconto de forma segmentada, a outra foca em trazer vantagens e diferenciais a seus clientes. Isso faz com que os laços sejam cada vez mais estreitos e as possibilidades de negócios sejam inúmeras”, explica Nara.

Com o sucesso da parceria comercial com o Bradesco e as perspectivas de crescimento do segmento de cupons de descontos no Brasil, o inovaBra ventures se interessou pela oportunidade de investir na companhia. “A capacidade criativa e empreendedora dos fundadores da Cuponeria, aliada a um sólido plano de negócios, fortaleceram nossa convicção sobre o potencial de retorno para o investimento do FIP InovaBra”, comenta Maurício Machado de Minas, vice-presidente do Bradesco.

Tags, , , ,

CEO da People+Strategy participa de debate sobre a Indústria 4.0

Acontece no dia 17 de agosto, das 09 às 17h, o Fórum Líder RH 2018, na Vila Olímpia (SP). O evento organizado pelo Grupo Gestão e RH tem como tema, “Inovação em tempos de mudança: Gestão de pessoas versus os novos processos e as novas gerações nas organizações”. O CEO da People+Strategy, João Roncati, participará do debate no painel “A indústria 4.0: do trabalho ao novo – a inteligência artificial e o impacto da digitalização de processos”, às 09h30.

Além do diretor geral da People Strategy, o debate conta com a participação de dois outros consultores organizacionais, Márcia Lourenço e Júlio Fernandes. Nessa conversa, João irá mostrar como a transformação digital vem provocando mudanças importantes que contribuem para a evolução dos processos e o aprimoramento dos serviços.

“O Fórum é uma ótima oportunidade para debatermos e pensarmos no papel do RH com as mudanças ocasionadas pela transformação digital. Hoje os departamentos de RH estão se deparando com essa questão e precisam saber como devem agir”, explica João Roncati.

Serviço:
Fórum Líder RH 2018- “Inovação em tempos de mudanças: Gestão de Pessoas versus os novos processos e as novas gerações nas organizações”
Data: 17 de agosto
Horário: 9h às 17h
Local: Digital House
Endereço: Av Dr Cardoso de Melo, 90 – Vila Olímpia
Inscrições: eventos@grupogrh.com.br
Informações:http://www.gestaoerh.com.br/pt_br/eventos-e-treinamentos/7035-forum-lider-rh

Tags, , , , , , ,

Grupo Movile promove Hackathon com proposta diferenciada

Um Hackathon diferenciado, como tudo que o grupo Movile faz. Assim será o Movile Hack, evento que líderes globais em marketplaces móveis organizam no próximo mês em Campinas, no novo escritório do iFood. Durante 24h, entre os dias 18 e 19 de agosto, os participantes serão imersos em um ambiente tecnológico e rodeados de mentes inspiradoras da área! Eles deverão usar seus conhecimentos em tecnologia para oferecer soluções aos desafios propostos pela empresa, mas com uma diferença importante em relação aos demais Hackathons normalmente apresentados por companhias de diversos segmentos.

“As empresas ou instituições organizadoras têm geralmente como foco principal encontrar uma solução para um problema interno e acabam apropriando-se das ideias geradas no evento. No Mobile Hack, teremos problemas reais que já foram solucionados pelos nossos times, para que assim possamos mostrar aos participantes como encontramos a resposta para determinado desafio e também entender as novas e diferentes soluções encontradas no desenvolvimento geral”, explica Barbara Camargo, Gerente de Gente da Movile.

Outro grande diferencial do Mobile Hack, que está em sua primeira edição, é a proposta de oferecer treinamentos técnicos prévios, via plataforma online, para garantir uma base de competição justa entre os participantes. “Nosso intuito é estimular a troca de conhecimento e o trabalho em equipe. Então preparar previamente os participantes faz muito sentido para nós, afinal todas as ideias e descobertas são válidas, mesmo se a princípio não derem certo. O mais importante é estimular a ousadia e o pensamento realmente original, assim como fazemos com nossos funcionários. Às vezes, um mesmo problema tem várias soluções, desde as mais simples, que podem ser as mais efetivas, até às mais complexas.”, acrescenta Barbara.

O Hackathon terá premiação para os grupos que ficarem em primeiro, segundo e terceiro lugares, sendo que o vencedor ganhará prêmio em dinheiro, cursos de capacitação e almoço com os CTOs. Ao longo do desafio, os participantes serão auxiliados por mentores do grupo Movile e professores da Unicamp. À noite, o evento terá ares de baladas ao som de Superplayer e com a presença de dois DJs, além de surpresas envolvendo as empresas do grupo.

“Dentro do grupo Movile, estimulamos o ecossistema de troca de conhecimentos entre as empresas e é por isso que nosso foco é incentivar o trabalho colaborativo e nos aproximar das comunidades tecnológicas para compartilhar um pouco do conhecimento que temos adquirido e com qual esperamos melhorar vida de 1 bilhão de pessoas”, finaliza Barbara.

Para saber mais sobre o MovileHack, acesse: http://movile.com/hack/

Tags, , , , ,