Tag transações bancárias

Cresce o uso de ferramentas que permitem transações bancárias em redes sociais

Antenada ao comportamento da geração Millennial, que passa cerca de 2,5 horas por dia em aplicativos de mensagens e redes sociais, bancos e empresas de soluções financeiras estão ampliando a oferta de ferramentas para realização de serviços bancários de qualquer plataforma social ou de mensagens, sem ter que abrir o aplicativo do banco.

Agora, o usuário pode fazer transferência de dinheiro pelo celular sem precisar sair do aplicativo que estiver utilizando, como WhatsApp e Facebook, por exemplo. O formato é de um teclado seguro integrado com o aplicativo móvel ou a carteira eletrônica de um banco. Além das transferências, com o recurso é possível acessar uma variedade de serviços financeiros, como consulta de saldos, pagamentos, depósitos, programação de saques e localização de caixas eletrônicos.

Uma das pioneiras deste setor é a multinacional brasileira Valid. Em 2017, em parceria com a start-up israelense Paykey, a companhia desenhou para o Banco Davivienda, banco privado da Colômbia com mais de mais de 6,6 milhões de clientes, uma solução que permite ao usuário gerenciar seu dinheiro facilmente pelo smartphone sem ter uma conta bancária ou cartão de débito. O app oferece ainda a possibilidade de realizar transações bancárias via Facebook Messenger – os valores das operações são creditados diretamente nas contas dos beneficiados – e a transferência para colombianos que estejam no exterior.

De acordo com Pierre Lassus, VP de Software & Serviços da Valid, a solução Valid Social Banking foi pensada exatamente para trazer mais uma inovação para os bancos, migrando as transações bancárias para as redes sociais. “Nosso objetivo é oferecer aos bancos uma solução rápida, fácil e segura para essa exigente da geração Millennial”, explica Pierre.

O potencial para utilização da nova função é significativo. O número de transações bancárias realizadas por aparelhos móveis no Brasil ultrapassou a quantidade de operações feitas em computador. O dado, revelado em pesquisa da Fundação Getúlio Vargas, aponta ainda que o país superou a marca de um smartphone por habitante e hoje conta com 220 milhões de celulares inteligentes ativos. “O mercado financeiro representa um dos principais mercados consumidores de tecnologia da informação, movido por agilidade, segurança e transparência”, pontua o executivo.

Tags, , , , , , ,

Brasileiros usam cada vez mais o celular para transações bancárias. Ida às agências perde espaço

post_varejo (1)

O canal preferido pelos brasileiros para realizar transações bancárias em 2016 foi o computador pessoal, responsável por 33% das operações. Mas as 16,7 bilhões de transações feitas em 2016 por equipamentos móveis, como celulares, mostram que esse canal tem ganhado cada vez mais a preferência dos brasileiros e já responde por 28% das operações. Em 2015, essa participação era de 19%.

“Até o internet banking, que há algum tempo crescia 20% ao ano, tem perdido espaço. Em 2016, cresceu apenas 3%, enquanto a taxa de uso de celulares vem crescendo de 40% a 50% ao ano”, comenta Flávio Tulio Vilela, chefe do Departamento de Operações Bancárias e de Sistema de Pagamentos, do BC. Segundo ele, a justificativa está na facilidade, na comodidade e na praticidade oferecidas pelos aplicativos desenvolvidos para dispositivos móveis. Os números fazem parte das Estatísticas de Pagamentos de Varejo e de Cartões no Brasil referentes a 2016, publicadas na segunda-feira (10) pelo BC.

De acordo com o levantamento, agências e postos de atendimento continuam perdendo espaço. Em 2016, foram realizados 8,1 bilhões de transações bancárias nesses locais, 8% a menos que em 2015.

Também está em queda o uso de cheques no país. Em 2016, 879 milhões de operações foram realizadas por esse meio de pagamento, 14% a menos que em 2015. O valor envolvido nessas transações foi de R$ 2,259 trilhões, queda de 12% em relação ao ano anterior. Ainda assim, o montante transacionado com cheques ainda é bastante alto em relação aos demais meios de pagamento, como os cartões de crédito, cujas transações somaram R$ 674 bilhões.

post_varejo (2)

Segundo Flávio Túlio, o cheque ainda continua sendo mais utilizado quando a negociação envolve grandes valores, como a compra de um imóvel ou de um carro. “Na aquisição de um imóvel, por exemplo, o comprador ainda considera mais seguro pagar com cheque, tendo em conta que é possível associar a concretização da compra à liquidação do cheque”.

As operações com cartões de débito somaram R$ 430 bilhões, alta de 10%. Já em número de operações, as transações subiram 5% de 2015 para 2016 e atingiram 6,8 bilhões no total. No caso do cartão de crédito, foram 5,9 bilhões de operações, alta de 6%.

Ainda segundo o relatório, a quantidade de ATMs por região permanece praticamente estável desde 2010. Essa era uma tendência esperada, já que o compartilhamento de máquinas pelos bancos é uma política que vem sendo estimulada pelo BC. “Não é eficiente que cada banco gerencie e mantenha uma máquina própria, uma vez que é possível a concentração de vários bancos em um único ATM. Isso acaba por reduzir custos e beneficiar o cliente”, defende.

Divulgadas anualmente, as Estatísticas de Pagamentos de Varejo e de Cartões no Brasil compilam informações enviadas pelos diversos participantes do mercado e incluem números referentes ao uso dos instrumentos de pagamento no país, ao mercado de cartões de pagamento e aos canais de acesso a transações bancárias.

Fonte: Banco Central

Tags, , , ,

NEC participa do Cards PAYMENT & Identification

Líder mundial em tecnologias de reconhecimento facial, a NEC estará presente no Cards PAYMENT & Identification, evento voltado aos setores de meios de pagamento e financeiro, para apresentar ao mercado, entre outras soluções, o sistema da empresa desenvolvido no Brasil, a fim de solucionar a questão da inconsistência no processo de identificação de pessoas, que impacta negativamente o mercado de crédito local e de autenticação de transações eletrônicas. No período de 23 a 25 de maio, tempo de duração da exposição e congresso, que acontecem paralelamente, no Transamérica Expo, em São Paulo (SP), a companhia terá um estande onde os visitantes poderão conhecer as soluções para instituições financeiras, varejistas e governo.

Com a utilização de um conjunto de equipamentos formado por um scanner e uma webcam, ou mesmo por um aplicativo em smartphone, um sistema de OCR (Reconhecimento Óptico de Caracteres) extrai e autentica os dados utilizados na elaboração do documento ou cadastro desejado. O grande diferencial da solução da NEC, entretanto, está na tecnologia de reconhecimento da face, NeoFace Watch, que é reconhecida globalmente como a mais precisa e rápida do mercado e tem a função de identificar se o cliente presente no local é realmente a pessoa dona do documento.

O passo seguinte realizado por meio do sistema é a localização do candidato ao crédito com suporte de algoritmos de inteligência artificial. Segundo Wagner Coppede, diretor de engenharia e soluções da NEC no Brasil, a plataforma desenvolvida pela NEC especialmente para o mercado brasileiro tem a capacidade de comparar as principais variantes que podem apontar uma fraude. “É realizada uma checagem da imagem capturada pela webcam no terminal de cadastro ou smartphone com a que foi extraída do documento e até mesmo com fotos que podem estar em múltiplas listas de busca ou bancos de dados. Desta forma, é feita uma análise em várias camadas, a fim de garantir a eficácia do processo de identificação”, explica o executivo.

Coppede afirma, ainda: “O trunfo de termos a propriedade da tecnologia NeoFace Watch, que é apontada pelo NIST (National Institute of Standards and Technology) como a mais avançada no mundo, permite à NEC oferecer ao mercado uma solução que vem para preencher uma lacuna importante tanto para as empresas de meios de pagamento, bureaus de crédito, entre outras, quanto para o setor do varejo como um todo. Isso porque, hoje, as instituições perdem muito dinheiro devido a fraudes no crediário e na autenticação de transações online”, finaliza o dir

Evento: Cards PAYMENT & Identification

Data: de 23 a 25 de maio
Horário: das 13 às 19h
Local: Transamérica Expo Center
Endereço: Av. Dr. Mário Villas Boas Rodrigues, 387 – Santo Amaro
São Paulo – SP
Mais informações: http://www.cards-expo.com.br/pt/home.html

Tags, , , , ,

Número de usuários do aplicativo do BB mais que dobra em dois anos

O BB divulgou no resultado de 1º trimestre de 2017 que 70% das transações bancárias realizadas pelos clientes foram em canais digitais. 48% via mobile e 22% pela internet. Hoje, 11,1 milhões de clientes do BB são usuários do aplicativo do Banco do Brasil para tablets ou celulares. No primeiro trimestre de 2016, eram 7,6 milhões. E no mesmo período de 2015, eram 5,1 milhões. Ou seja, em dois anos, o número de clientes do BB que utilizam o aplicativo do Banco em dispositivos móveis mais que dobrou, num crescimento de 117%.

A pesquisa Febraban de Tecnologia Bancária, divulgada no último dia 10, também coloca o mobile como o canal preferido dos clientes pela primeira vez. Uma em cada três operações são feitas por smartphones ou tablets.

O estudo aponta que no ano de 2016, o número de transações no mobile saiu de 11,2 bilhões para 21,9 bilhões, ou seja, quase o dobro se comparado com 2015, um crescimento de 95% considerando todos os bancos. O estudo também indica que pela primeira vez as transações em mobile ultrapassam as transações em internet banking no sistema bancário brasileiro. Já no BB, essa realidade já foi alcançada muito antes: desde agosto de 2014!

Vanguarda

O BB sempre atualiza seu aplicativo – o mais bem avaliado do SFN nas lojas de aplicativos. Na próxima semana, os clientes do Banco já poderão contratar consórcios por mobile. Com os produtos de consórcio em alta no BB, já foram comercializados mais de R$ 2,1 bilhões em cotas no primeiro trimestre deste ano. O crescimento é justamente apoiado por canais alternativos, como correspondentes bancários, internet e a atuação junto a clientes Atacado e Private. A opção no app do BB deve apoiar ainda mais as vendas pela frente digital.

Principais funções de contratação e gestão das cotas de consórcios:

– Simulação e contratação de cotas diretamente no app

– Acesso ao extrato detalhado da cota de consórcios

– Simular e ofertar lances, assim como forma de diluição e troca do bem de referência

– Pagamento de parcelas em dia e atrasadas, assim como antecipação e quitação de prestações

Veja os principais benefícios ao consórcio via mobile:

– Facilita o processo de simulação e contratação de cotas

– possibilita avaliar opções no app

– Otimiza a experiência na interação com o produto por navegação intuitiva e amplo leque de informações

– Concede mais autonomia ao cliente para gerenciar sua cota de consórcio

– Agiliza o processo de gestão e contratação das cotas

– Automatiza o pagamento

– Facilita lançamentos financeiros

Tags,

Ciab FEBRABAN terá mais de 200 palestrantes em 63 painéis

Mais de 200 palestrantes do Brasil e do mundo já estão confirmados para a 26ª edição do Ciab FEBRABAN, principal congresso de tecnologia da informação para o setor financeiro da América Latina, que ocorrerá entre os dias 21 e 23 de junho no Transamerica Expo Center, em São Paulo. Com o tema central Cultura Digital Transformando a Sociedade, o fórum terá 63 painéis que serão divididos em cinco trilhas técnicas: TI e Telecom, Segurança da Informação, Meios de Pagamentos, Seguros, e Bancos Internacionais, de Investimento, Comerciais e Financeiras.

Trilhas técnicas

A trilha TI e Telecom irá abordar os principais desafios das áreas de tecnologia dos bancos, incluindo temas sobre novos comportamentos e novas oportunidades de negócios. A revolução das fintechs – empresas que atuam no setor financeiro com forte apoio da tecnologia -, os desafios do blockchain- tecnologia de contabilidade distribuída -, computação cognitiva na prática, biometria, internet das coisas, cloud computing, entre outros temas. Os assuntos serão debatidos por importantes painelistas como Samir Kapuria, vice-presidente sênior e gerente geral dos Serviços de Cyber Segurança da Symantec; Aldo Mendes, diretor de Política Monetária do Banco Central do Brasil; Sajal B Mukherjee, Bank Transformation Leader da IBM; Vivek Bajaj; vice-presidente de negócios bancários globais e mercados financeiros na IBM; Nitin Gaur, diretor do IBM Blockchain Lab; entre outros especialistas.

Desenvolvida pelos principais executivos das áreas de segurança dos bancos associados à FEBRABAN, a trilha de Segurança da Informação abordará questões relevantes das instituições financeiras. Entre os temas abordados estão cyber security – novas tecnologias com novos riscos ; impacto do projeto de lei de privacidade nos negócios bancários, modelo de gestão de segurança da informação, entre outros assuntos. A trilha contará com as presenças de renomados executivos, como Jeff Crume, diretor técnico da IBM; Thiago Bordini, diretor de Inteligência Cibernética na NS Prevention; Renato Leite Monteiro, privacy and data protection specialist na Cetip; Rubia Maria Ferrão de Araújo, da Opice Blum Advogados, entre outros.

A trilha de Meios de Pagamento, que será realizada em parceria com a Abecs (Associação Brasileira das Empresas de Cartão de Crédito e Serviços), abordará temas sobre as mais atuais tecnologias para o segmento. Entre os temas em destaque estarão inovações em segurança, uso do token, experiência do usuário e novas soluções tecnológicas para o setor. Entre os painelistas, confirmaram presença o diretor executivo da Abecs, Ricardo de Barros Vieira; o CEO Brasil da Verifone, André Petroucic, o vice-presidente de produtos da Visa, Percival Jatobá; o vice-presidente da PCI, Jeremy King; e o diretor executivo de produtos da Visa, Alessandro Rabelo.
Desenvolvida em parceria com a CNseg (Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização), a trilha de seguros terá como foco as principais questões sobre o mercado deste segmento. Entre os assuntos que serão debatidos estão novas aplicações em dispositivos móveis, microsseguro versus canal digital e a transformação digital no canal de vendas. O diretor consultor de serviços financeiros na Deloitte, Carlos Eduardo Figueiredo Filho, e Claudio Pinhanez, líder de pesquisa em Internet do People do IBM Reserach Labs Brasil, estão entre os confirmados.

O Congresso também abordará assuntos sobre bancos internacionais, de investimento, comerciais e financeiras para executivos de corretoras e instituições que atuam no mercado de capitais, bancos internacionais, comerciais e instituições de crédito e financiamento. Temas como melhores práticas de mercado de câmbio e prevenção e combate à corrupção fazem parte da programação.

Outros destaques

Além das trilhas técnicas, o Ciab FEBRABAN receberá em sua abertura Murilo Portugal Filho, presidente da FEBRABAN; Gustavo de Souza Fosse, diretor setorial de Tecnologia e Automação Bancária da FEBRABAN; e Marcelo José Yared, chefe do Departamento de Tecnologia da Informação do Banco Central do Brasil.

O público participante também poderá acompanhar as discussões que serão lideradas por uma série de renomados keynote speakers. Neste ano, o Ciab FEBRABAN receberá Greg Brandeau, ex-diretor vice-presidente e diretor de Tecnologia do The Walt Disney Studios; Tim Harford, economista britânico, autor do best-seller “The Undercover Economist “ (“O Economista Clandestino”) e um painel que reunirá Fernanda Gentil, jornalista e apresentadora de TV, e os esportistas Tande, Lars Grael e Fernando Scherer, o Xuxa. Pela primeira vez, o Ciab FEBRABAN também irá promover o Ciab Fintech Day, um dia dedicado a incentivar negócios entre instituições financeiras e desenvolvedores de soluções disruptivas que resultem em inovação tecnológica. Para conferir a programação completa do congresso de tecnologia, acesse: www.ciab.com.br

Congresso Ciab FEBRABAN

Data: 21 a 23 de junho de 2016
Local: Ciab FEBRABAN – Transamerica Expo Center (Avenida Doutor Mário Vilas Boas Rodrigues, 387 – Santo Amaro)
Site:http://www.ciab.org.br

Tags

Como Instituições financeiras podem se adequar para competir com empresas de tecnologia

As expectativas dos consumidores em relação às suas instituições financeiras mudaram muito nos últimos anos: num mundo em que alguns toques no smartphone permitem a realização de transações e compras online, os bancos e demais empresas voltadas à concessão de crédito passaram a competir tanto entre si quanto com startups que têm reinventado maneiras de atender as necessidades financeiras de clientes que prezam cada vez mais por customização e agilidade. Um levantamento realizado pela Bain & Company revela que 39% das pessoas com 45 anos ou mais e que pretendem mudar de banco levam em conta a qualidade das versões mobile disponíveis no mercado no momento de efetuar a troca; montante que chega a 58% se forem consideradas pessoas com menos de 45 anos.

Muitos executivos do segmento enxergam nessa tendência a oportunidade de conquistar clientes com o oferecimento de serviços diferenciados, como a possibilidade de depositar cheques via câmera de celular ou pagamento remoto de contas. Entretanto, muitas vezes a falta de alinhamento entre os serviços prometidos e a entrega pelos departamentos de T.I acaba gerando frustração e desconfiança de funcionários e clientes. Para versar sobre os fatores responsáveis por esse impasse, e por algumas alternativas, Steve Berez, sócio da Bain & Company e co-fundador da prática de T.I dentro da consultoria, coordenou a elaboração do estudo “Rebooting IT: Why financial institutions need a new technology mode”, apresentado pela primeira vez no Brasil na última semana.

De acordo com o estudo, as frustrações que acontecem nesse ambiente de negócios decorrem da falta de alinhamento entre as expectativas dos gestores de entregarem experiências tecnológicas excelentes e a dificuldade do departamento de T.I de alcançar tais expectativas. “Por vezes os gestores simplesmente não se dão conta de que sistemas em operação atualmente não foram desenvolvidos para oferecer atualizações diárias ou para permitir mudanças constantes no aplicativo. O modelo atual foi concebido para proporcionar a estabilidade, previsibilidade, mitigação de riscos e eficiência, e a maioria dos bancos e instituições financeiras tem entregado tudo isso, e muito bem. Entretanto, nosso trabalho com bancos, seguradoras e empresas de gestão de riquezas mostra que é necessário ir além disso para conquistar os clientes” completa Berez.

Entretanto, muitas vezes a transformação necessária em termos de cultura organizacional e modelo de negócio para que as empresas consigam dar esse salto tecnológico é tão grande que exige que os líderes repensem toda a sua estrutura corporativa, passando a contratar, operar e elaborar estratégias mais como uma empresa de tecnologia do que como uma instituição financeira. Obviamente, grandes instituições financeiras não podem se dar ao luxo de jogar toda sua estrutura no lixo e recomeçar do zero, por isso, o estudo liderado por Berez, traz cinco ajustes adotados por grandes empresas que permitiram a otimização de seus serviços financeiros mobile e a obtenção de resultados, como o aumento de 100% das vendas digitais e o crescimento de receita três vezes superior à média da concorrência, são eles: Alinhamento de prioridades; Capacidade de entrega; Capacidade Operacional; Organização e Tecnologia.

“O grande desafio dos primeiros meses consiste na construção de uma rede de suporte e o objetivo do período restante é fazer com que as mudanças adotadas nesses cinco pilares sejam sustentáveis. Nesse sentido, o papel da liderança sênior é fundamental, na medida em que a manutenção de seu compromisso com a transformação permitirá que a mesma seja endossada pelos demais níveis. É importante lembrar que a mudança é, em última análise, sobre as pessoas, que devem sentir que são peças fundamentais do processo e que, mesmo que as transformações sejam por vezes complicadas, os resultados finais farão com que a adaptação valha a pena”, analisa Berez.

Tags, ,

Mobile impulsiona transações bancárias nos canais digitais

Facilidade de uso, praticidade e conveniência praticamente duplicaram a quantidade de clientes adeptos do mobile banking no Brasil. Levantamento feito pela FEBRABAN, junto a sete das principais instituições financeiras do País (Banco do Brasil, Banrisul, Bradesco, Caixa, HSBC, Itaú e Santander), revela que o total de operações realizadas por mobile atingiu 4,9 bilhões no primeiro semestre de 2015, montante equivalente a 93% dos 5,3 bilhões registrados em todo o ano de 2014, conforme dados da Pesquisa FEBRABAN de Tecnologia Bancária, que incluiu um universo maior de instituições pesquisadas (20 bancos).

Com isso, a participação do mobile entre os canais de atendimento, que chegou a 11% em 2014, sobe para 21% do total das operações, passando ao segundo lugar na preferência do consumidor. Fica atrás somente do internet banking, que registrou 8,8 bilhões operações bancárias no primeiro semestre de 2015, correspondendo a uma participação de 37,5% das operações bancárias. Ou seja, internet e mobile já respondem por 58,5% das operações realizadas no sistema. A popularização do uso de celular para transações bancárias contribui para o aumento da bancarização do País.

“O uso do mobile nas operações bancárias se consolida a cada dia. Atingir 21% das transações em um período de seis meses é extraordinário”, destaca o diretor setorial de Tecnologia e Automação Bancária da FEBRABAN, Gustavo Fosse. “Nenhum canal registrou um salto tão grande em tão pouco tempo.” De acordo com o executivo, os bancos têm feito investimentos expressivos para garantir comodidade e segurança ao cliente na realização das operações por mobile.

O levantamento da FEBRABAN sobre canais digitais e as novidades dos bancos em mobile são o principal assunto da próxima edição da revista CiabFEBRABAN, que traz mais detalhes sobre a mudança tecnológica nos bancos brasileiros. A revista poderá ser acessada no www.ciab.com.br/publicações a partir do dia 10.

Confira as dicas de segurança

Os bancos brasileiros investem anualmente cerca de R$ 2 bilhões em sistemas de segurança eletrônica para garantir a tranquilidade de seus clientes e colaboradores. Também atuam em estreita parceria com governos, polícias e com o Poder Judiciário, para combater os crimes e propor novos padrões de proteção.

Para operar em um ambiente virtual seguro, os próprios usuários também devem ficar atentos e redobrar os cuidados, especialmente nesta época de fim de ano. O internet banking do sistema financeiro brasileiro, reconhecidamente, é um dos mais avançados em termos da oferta de serviços bancários. Talvez por isso a internet brasileira seja tão explorada por malwares (trojan, vírus, phishing, páginas falsas etc).
Os fraudadores usam uma série de recursos para induzir o consumidor a “abrir a guarda” no quesito de segurança. São comuns os roubos de senha por meio de engenharia social, pelo qual o fraudador envia e-mails ou faz chamadas se fazendo passar por um funcionário do banco. Em muitas vezes, o fraudador possui até mesmo alguns dados pessoais do cliente.

Dica importante: o banco nunca solicita a senha do cliente por e-mail ou telefone. Somente informe seus dados de acesso, como número de conta e senha, no site seguro do banco. Não empreste, alugue ou informe seus dados a outras pessoas ou sites que não sejam do seu banco. Lembre-se que sua senha é pessoal e intransferível.

Veja a seguir um roteiro com orientações de segurança elaboradas pela FEBRABAN. São procedimentos simples, mas que garantem sua tranquilidade, seja na hora de acessar o internet banking ou mobile banking.

– Mantenha os antivírus originais instalados no computador atualizados para ter acesso aos serviços bancários;

– Troque periodicamente sua senha de acesso ao banco na internet e utilize sempre senhas de bloqueio de uso do seu smartphone;

– Só utilize equipamentos efetivamente confiáveis. Nunca realize operações em equipamentos públicos, desconhecidos ou que não tenham programas antivírus atualizados;

– Não utilize telefones de estranhos e de origem desconhecida para efetuar transações ou fazer ligações;

– Evite emprestar ou perder de vista seu smartphone;

– Ao ter seu telefone roubado, furtado ou perdido, informe imediatamente ao seu banco;

– Procure informar-se com o fabricante de seu smartphone quais os softwares e opções de segurança disponíveis para o aparelho;

– Fique atento ao acessar sua loja de aplicativos. Evite obter aplicativos de origem desconhecida;

– Não execute aplicações nem abra arquivos de origem desconhecida. Eles podem conter vírus, que ficam ocultos para o usuário e permitem a ação de fraudadores sobre sua conta, a partir de informações capturadas após a digitação no teclado;

– Use somente provedores confiáveis. A escolha de um provedor deve levar em conta também seus mecanismos, políticas de segurança e a confiabilidade da empresa;

– Não use redes wireless (wifi) desconhecidas ou em locais públicos para efetuar transações bancárias;

– Em sua residência, mantenha sempre sua rede wifi protegida por senha;

– Evite navegar em sites arriscados ou de conteúdo suspeito, e só faça downloads (transferência de arquivos para o seu computador) de sites que conheça e saiba que são confiáveis;

– Utilize sempre as versões de sistemas operacionais e browsers (programas de navegação) originais e atualizados, pois geralmente incorporam melhores mecanismos de segurança;

– Evite acessar o site dos bancos redirecionado por outros sites, como os de pesquisa. Sempre acesse o site do banco diretamente pelo endereço do banco;

– Quando for efetuar pagamentos ou realizar outras operações financeiras, você deve certificar-se que está no site desejado, seja do banco ou outro qualquer, “clicando” sobre o cadeado e/ou a chave de segurança que aparece quando se entra na área de segurança do site. O certificado de habilitação do site, concedido por um certificador internacional, aparecerá na tela, confirmando sua autenticidade, juntamente com informações sobre o nível de criptografia utilizada naquela área pelo responsável pelo site (SSL). Não insira novos certificadores no browser (programa de navegação), a menos que conheça todas as implicações decorrentes desse procedimento;

– Acompanhe periodicamente os lançamentos em suas contas. Caso constate qualquer movimentação irregular, entre imediatamente em contato com seu banco;

– Em caso de dúvida sobre algum procedimento de segurança que executou, ou sobre quais medidas de proteção estão sendo tomadas quanto à segurança das transações on-line, procure seu banco.

Os meios de comunicação estão permanentemente divulgando dicas de segurança aos usuários da internet. Mantenha-se informado.

Tags, , ,