Page

Tag startups

Stone seleciona startups para competição de Venture Capital entre universitários

A Stone, empresa de tecnologia de pagamentos financeiros e de soluções para PMEs, está com inscrições abertas para a Stone Investment Competition, uma competição que reúne universitários interessados em finanças e investimentos e startups brasileiras reais. A empresa busca startups de todos os modelos de negócios, independentemente de terem recebido investimento. Serão selecionadas três startups para o desafio, em que os times de estudantes representarão investidores, com objetivo de avaliar e escolher apenas uma empresa, em uma experiência on-line completa e interativa de um Venture Capital.

A iniciativa, que terá todas as etapas de forma on-line devido à pandemia, premiará a startup com maior qualidade do negócio e orientada a resolver os problemas de seu cliente com um programa de mentoria com líderes da Stone. Já os times de estudantes vencedores receberão bolsas de estudos de até R$ 30 mil, que poderão ser utilizadas em qualquer instituição de ensino.

“Queremos potencializar o empreendedorismo no Brasil e, por isso, lançamos neste ano a Stone Investment Competition. Além de desenvolver novas habilidades de jovens em formação, a iniciativa tem como objetivo conectar líderes da Stone e startups que tenham sinergia com a nossa cultura. Com o Programa de Mentoria com nossos especialistas, buscamos dar feedbacks estruturados e ajudar a startup vencedora a aprimorar seu negócio”, explica Fernanda Teich, responsável pela área de educação da Stone.

A seleção das três startups será feita antes do início da competição, priorizando negócios que tenham sinergia com a cultura da fintech. Um time de líderes da Stone fará a seleção criteriosa das empresas, a partir dos dados e documentos submetidos na inscrição on-line. A Stone procura startups que sejam soluções baseadas na nuvem. Todas as soluções serão avaliadas pelo time da fintech, e três serão convidadas para o evento de Decisão de Investimento, no dia 27 de setembro, com grandes líderes da Stone e jovens selecionados para o desafio.

Nessa data, as startups apresentarão seus negócios para os grupos de estudantes, que poderão fazer perguntas para os representantes dos negócios. Depois, cada time terá de 2 a 3 horas para decidir em qual startup investir. Ao final do Pitch Day, os universitários escolherão uma startup para investimento. Os vencedores serão anunciados no dia do evento, após a avaliação dos jurados.

As startups interessadas podem realizar a inscrição no site até o dia 15 de setembro

http://innovationawardslatam.com/c/stone.

Os estudantes devem se reunir em times de 3 a 5 estudantes para realizarem a inscrição e a primeira etapa do desafio até 11 de setembro pelo link:

http://www2.stone.com.br/stone-investment-competition/.

Tags, ,

Gerdau Next lança aceleradora de startups

A Gerdau Next, braço de novos negócios da Gerdau, lançou hoje, 25/08, o primeiro processo seletivo da Ventures Gerdau, sua recém-criada aceleradora de startups, com o objetivo de suportar o desenvolvimento e o crescimento, com robustez, de novos negócios. Trata-se de uma iniciativa de inovação aberta da Gerdau, maior empresa brasileira produtora de aço, buscando mais eficiência e produtividade nos segmentos dessas startups, contribuindo para a evolução do Brasil e para a solução de grandes desafios da sociedade.

A primeira edição da iniciativa busca fomentar o empreendedorismo na indústria da construção civil, por meio de soluções que promovam a digitalização e inserção de tecnologia disruptiva no setor, que colaborem com a sustentabilidade e segurança na construção, aumentando a produtividade do segmento e contribuindo para a redução do déficit habitacional do Brasil.

As startups interessadas, independente do estágio em que se encontram, devem se inscrever no programa até 30 de setembro por meio do site http://www2.gerdau.com.br/ventures . Serão selecionadas até 10 startups, que participarão de um pitch day com a diretoria executiva da Gerdau, para avaliação de parcerias e potencial desenvolvimento em conjunto dos negócios.

“Já estávamos conectados com o ecossistema de inovação e empreendedorismo do Vale do Silício, na Califórnia, por meio da nossa Venture Capital. Agora lançamos no Brasil uma aceleradora de startups, que inicialmente suportará o desenvolvimento e o crescimento exponencial de construtechs, buscando o aumento da produtividade do setor de construção do nosso país. Desenvolveremos novos parceiros externos, oferecendo oportunidades de experimentação, mentoria e investimentos”, diz Juliano Prado, vice-presidente da Gerdau.

Cinco eixos balizarão os investimentos da Gerdau em inovação nos próximos anos. Além do setor da construção, a empresa também alocará recursos pensando no futuro da indústria, da mobilidade, bem como no desenvolvimento de novos materiais e modelos de interação com fornecedores e clientes.

“Temos aqui na Gerdau o propósito de empoderar pessoas que constroem o futuro. Por isso, nada mais estratégico do que criarmos essa rede de colaboração com pessoas empreendedoras, que com suas startups, nos ajudarão a moldar o futuro da indústria de construção do nosso país. A Ventures Gerdau é um importante passo, alinhado com a nossa estratégia de novos negócios que venham a representar 20% da receita da empresa em 10 anos”, afirma Gustavo Werneck, CEO da Gerdau.

A Gerdau anunciou, em julho, a criação da Gerdau Next, seu braço de Novos Negócios, focada na estratégia de longo prazo de desenvolvimento de novos produtos e negócios, adjacentes à produção de aço, e alinhada às diretrizes de inovação e disrupção da companhia.

Tags, ,

Green Mining vence Greentech Challenge

Rodrigo Oliveira no Greentech Challenge

Com o objetivo de conectar soluções verdes inovadoras com investidores, organizações governamentais e empresas, a Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Trabalho e a empresa dinamarquesa Green Innovation Group, realizaram pela primeira vez no Brasil o evento Greentech Challenge que, na última quinta-feira, 29, selecionou 3 startups para o programa de aceleração. Dentre elas, a brasileira Green Mining, que por meio da logística reversa inteligente, soluciona um dos problemas relacionados ao descarte de embalagens pós consumo.

O programa, que prevê o acompanhamento das startups escolhidas pelo período de quatro meses, entre janeiro e abril de 2020, consiste em mentorias para acompanhamento dos negócios em oito encontros quinzenais, que totalizarão 24 horas de atividades com cada uma das empresas. Atuando em três eixos: mapeamento de atores locais; acompanhamento e desenvolvimento de startups verdes com desafios de problemáticas da cidade e meetups para integração do setor, a ação foi criada para impulsionar o desenvolvimento de serviços e ações de tecnologias verdes, por meio de uma plataforma online.

“Para nós, que começamos nosso projeto em São Paulo, sermos novamente selecionados para um programa de aceleração é mais uma grande conquista e reconhecimento do nosso compromisso com o meio ambiente. Já coletamos mais de 500 toneladas de resíduos e já evitamos mais de 84 mil quilos de CO2. Seguiremos na missão de reduzir a exploração de recursos naturais e continuaremos dando dignidade ao trabalho de catadores, carroceiros ou cooperados”, afirma Rodrigo Oliveira, presidente da Green Mining que no mês de novembro completou 1 ano.

A base de dados da aceleradora conta com mais de seis mil tecnologias de impacto mapeadas globalmente. Das startups aceleradas pela Greentech, mais de 70% que participaram de edições internacionais do Greentech Challenge aumentaram o capital em aproximadamente 500 mil euros.

Tags, , ,

Abstartups anuncia vencedores do Startup Awards 2019

No dia 29 de novembro, durante a Conferência Anual de Startups e Empreendedorismo (CASE), maior evento latino-americano voltado para startups, a Associação Brasileira de Startups (A HYPERLINK “http://abstartups.com.br/”bs HYPERLINK “http://abstartups.com.br/”tartups), entidade que representa o ecossistema, anunciou os vencedores da premiação Startups Awards, o Oscar das startups brasileiras.

Dentre as 13 categorias premiadas estão: Aceleradoras, Comunidade do Ano, Comunidade Revelação, Corporate, Educação, Herói (a), HUB, Impacto Social, Investidor (a) Anjo (a), Mentor (a), Imprensa, Startup do Ano e Startup Revelação, cujo objetivo é reconhecer os profissionais e empresas mais influentes do ecossistema brasileiro de startups.

Confira a relação completa dos vencedores:

– Aceleradora: Darwin Startups
– Comunidade do Ano: Startup SC
– Comunidade Revelação: Rapadura Valley
– Corporate: Accenture
– Educação: Gama Academy
– Herói (a): Dani Junco
– HUB de Inovação: ACATE
– Impacto Social: Programaria
– Investidor (a) Anjo (a): Marco Poli
– Mentor (a): Vinícius Machado
– Imprensa: Beatriz Bevilaqua
– Startup do Ano: Agenda Edu
– Startup Revelação: Apponte./me

Tags, ,

Confira a programação dos principais eventos da SPTW 2019

Entre os dias 23 e 29 de novembro acontece um dos maiores eventos de inovação e tecnologia do mundo, a São Paulo Tech Week 2019 . O festival, que está em sua 5ª edição, terá como tema central a inovação e as transformações sociais em diferentes áreas e promete movimentar a cidade de São Paulo.

Com o patrocínio de SPACES, Regus, ArcelorMittal, TOTVS, Daniel Advogados, Embratel, Sympla, Estação Hack SP from Facebook e Atento, além de dezenas de apoiadores, a programação já conta com mais de 500 eventos e mais de 60 temáticas, incluindo inovação, IoT, internacionalização, sustentabilidade, diversidade, atração de talentos, transformação digital, Indústria 4.0, lawtech, criptomoedas, UX/UI, criatividade e tecnologia.

“O festival se consolidou como um dos maiores do mundo e cada vez mais tem atraído empresas e investidores do Brasil e do exterior com interesse em fazer negócios com a cidade de São Paulo.”, analisa Juan Quirós, presidente da SP Negócios.

A seguir, confira os eventos que serão destaques da São Paulo Tech Week 2019:

CASE 2019

Principal evento de startups da América Latina, o CASE 2019 traz quatro frentes de conteúdos para empreendedores e empresas que querem crescer exponencialmente com as melhores práticas das startups que mais crescem no mundo. O evento irá acontecer nos dias 28 e 29 de novembro, no Transamérica Expo Center e tem expectativa de reunir mais de 10 mil participantes por dia.

CX Summit

O CX Summit é o maior evento de Experiência do Cliente do Brasil e reúne profissionais e empresas de alto nível de conhecimento e networking para discutir o tema. Nos dias 27 e 28 de novembro, serão apresentados os melhores cases, soluções e ferramentas do mundo para serem utilizadas no dia a dia das empresas, com validação de tendências de gestão, usabilidade e resultados dessas estratégias e ferramentas de CX, aprendendo a encantar profissionais com a cultura Customer Centric Hero.

Festival Ninja

Durante os últimos anos a Midia Ninja lutou lado a lado de mulheres, artistas, indígenas, negros e negras, LGBTQI+, hackers, ambientalistas, veganos, cineastas, dançarinos, artistas plásticos, professores, estudantes, metalúrgicos, sem terra, sem teto, moradores de rua, prostitutas, crentes, cientistas, músicos, ciclistas, canabistas, designers e garis. Juntos, nas ruas e nas redes; dividindo sua trajetória com centenas de personagens que ajudaram a Mídia Ninja chegar até aqui. Agora é hora de reunir toda esta inteligência coletiva em um grande evento: a primeira edição do Festival Ninja – Narrativas Independentes, jornalismo e ação. O evento será realizado nos dias 23 e 24 de novembro.

G10 Favelas

G10 Favelas – Slum Summit do Canal Transformadores é um evento que promete ser um encontro de líderes e empreendedores de diversas comunidades brasileiras, para a assinatura de um Protocolo de Cooperação e Diretrizes para um Desenvolvimento Econômico Sustentável dessas áreas urbanas. Criado por Comunidades, em uma comunidade, contará com a participação de entidades governamentais, empresas privadas, ONGs e convidados especiais do Brasil e do exterior e irá acontecer no dia 23 de novembro, em Paraisópolis.

Greentech Challenge

O Green Innovation Group traz para a América do Sul pela primeira vez o Greentech Challenge, evento que acontecerá de 25 a 28 de novembro em São Paulo e contará com competição entre startups verdes, além de palestrantes e painéis da área de negócios sustentáveis. Durante o Greentech Challenge, 12 startups selecionadas de sustentabilidade passarão por um intenso programa de rápido crescimento. Nos primeiros três dias, consultores de várias indústrias treinarão startups para ajudá-las a ter sucesso nos mercados doméstico e internacional. O treinamento se encerra na quinta-feira (28) com o Dia do Investidor, quando as startups apresentarão seus negócios a todos os convidados, incluindo os investidores locais.

HUB SPTW 2019

Uma das grandes novidades para essa edição, a HUB SPTW traz para o público entre os dias 25 e 27 de novembro o melhor e mais relevante conteúdo e experiências oferecidas por diferentes setores que permeiam o dia a dia dos brasileiros. Serão três dias de programação 100% gratuita e contará com palestras, painéis, workshops e experiências de marca, atraindo empreendedores, entusiastas, profissionais e empresas de áreas e setores em sinergia com os temas apresentados.

Hyper Festival Brazil

Único evento brasileiro exclusivo sobre produção e negócios com Realidade Aumentada, Virtual e Experiências Imersivas, a Hyper Festival Brazil acontece no dia 23 de novembro, no Digital House. Painéis com os melhores profissionais do mercado e dezenas de expositores com suas soluções, softwares, hardwares e produtos e muito networking e negócios fazem parte da programação.

Pixel Show

Organizado pela Zupi, o Pixel Show é o maior Festival da América Latina de Criatividade e acontece entre os dias 29 de novembro e 1º de dezembro. Desde 2005, o Pixel Show tem participação de criativos nas áreas de ilustração, motion graphics, design gráfico, UX design, quadrinhos, 3D, artes visuais, graffiti, moda, arquitetura, publicidade, tecnologia, design de produto, FX, make-up, cinema, games e muito mais.

Roadsec São Paulo 2019

Maior festival hacker da América Latina, o Roadsec SP acontece no dia 23 de novembro e traz grandes atrações incluindo keynotes internacionais e mais de 60 palestrantes, 40 oficinas e comunidades, 20 DJs e muito mais. O evento conta com 8 eixos de conteúdo ao longo de suas 24h: hardware, software, ataque e defesa, blockchain e criptoativos, privacidade e sociedade, carreira e empreendedorismo, ciência e engenharia social.

SP Elevator Pitch

O SP Elevator Pitch, realizado em parceria da Câmara de Comércio Brasil-Canadá, SPTW e SP Negócios acontece no dia 24 de novembro e irá promover uma competição em que os representantes das startups pré-selecionadas são desafiados a realizar um pitch para jurados brasileiros e canadenses dentro do elevador do tradicional Edifício Martinelli, um dos mais imponentes prédios do centro da capital.

Startup Weekend Smart Cities São Paulo

Entre os dias 22 e 24 de novembro acontece o Startup Weekend, um evento de imersão e uma experiência única onde empreendedores e aspirantes a empreendedores podem descobrir se suas ideias de startups são viáveis para serem lançadas. Nesta edição, o tema será “Smart Cities”, soluções inovadoras que irão melhorar a conectividade das nossas cidades.

5ª São Paulo Tech Week
Quando: de 23 a 29 de novembro de 2019
Onde: São Paulo/SP
Informações: www.saopaulotechweek.com

Tags, , ,

Empresários e empreendedores terão a oportunidade de imergir no ecossistema de Israel em missão organizada pela ABES e IBI-Tech

Após firmarem parceria em junho deste ano, a ABES (Associação Brasileira das Empresas de Software) e a IBI-Tech, empresa israelense com filial no Brasil, estão organizando uma missão de negócios para Israel, entre 19 a 24 de abril de 2020, passando pelas cidades de Tel Aviv, Haifa e Jerusalém. Com o objetivo de oferecer aos empresários e empreendedores brasileiros o acesso e imersão no ecossistema de inovação e tecnologia israelense e incentivar parcerias entre empresas e startups dos dois países, a agenda da missão inclui visitas a companhias e hubs de inovação; encontros de alto padrão com representantes do governo, pesquisadores, executivos e investidores; e rodada de negócios com empreendedores das áreas de Indústria 4.0 e Iot, Agrotech e Smart Cities. As inscrições para a missão vão até o dia 15 de janeiro ou até esgotarem as vagas. Para mais informações, envie um email para: missão.israel@abes.org.br

Israel é atualmente considerado o segundo maior hub de inovação do mundo, atrás apenas do Vale do Silício, EUA, investindo cerca de 4,5% do PIB em Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) – em 2018, foram investidos mais de US$ 7,2 bilhões por fundos de venture capital no mercado local. Por oferecer condições especiais para empresas internacionais interessadas em investir na instalação de centros de pesquisa e desenvolvimento, Israel abriga mais de 400 centros de P&D multinacionais, sendo que grande parte destes investem ativamente em empreendimentos. Estima-se que o país tenha mais de seis mil startups ativas, mais de 500 delas na área de Agrotech e mais de 300 relacionadas a Smart Cities e Mobilidade.

“A ABES tem trabalhado cada vez mais seu reposicionamento no mercado de tecnologia, realizando parcerias e ações que auxiliem em seu objetivo de incentivar a internacionalização e formas de negócios inovadoras de empresas e startups brasileiras. Alinhada a este propósito está a ideia da missão para Israel, organizada em parceria com a IBI-Tech, uma vez que seu principal objetivo é estimular e transmitir aos empreendedores brasileiros o DNA israelense de disrupção e incentivar parcerias e projetos reais entre empresas e startups dos dois países”, explica Rodolfo Fücher, presidente da ABES.

Tags, , , ,

FGV realiza workshop sobre Private Equity, Venture Capital e Investimentos em Startups

A Fundação Getulio Vargas realizará na segunda-feira (2/12), a partir das 8h30, em São Paulo, um workshop sobre o mercado de private equity, venture capital e investimentos em startups. O objetivo é debater o crescimento e desenvolvimento do país a partir dos investimentos em startups, inovação, venture capital e private equity.

O evento reunirá em um mesmo ambiente investidores, gestores de private equity e venture capital, corporações interessadas em inovação, conselheiros e executivos de fundos de pensão, formuladores de políticas públicas, consultores, advogados, fundadores de startups e demais interessados no tema.

O workshop será dividido em quatro painéis: Alocação pelos LPs em Venture Capital e Private Equity: Desafios e Oportunidades; Investimentos de Private Equity; Inovação, Venture Capital, Private Equity e a Revolução nos Negócios Tradicionais; e Venture Capital e Investimentos em Startups.

Participam grandes nomes do mercado como: Eric Acher, sócio, Monashees; Luís Ricardo Martins, presidente, ABRAPP; Luiz Chrysostomo, sócio, NEO Investimentos e Diretor, ANBIMA; Carlos Garcia, sócio, Itajubá Investimentos; Alexandre Saigh, sócio, Patria Investments; Cristiano Lauretti, sócio, Kinea Private Equity; Mario Malta, sócio, Advent International; Priscila Rodrigues, sócia, Crescera Investimentos; Luiz Maia, sócio, Brookfield; Anderson Thees, sócio, Redpoint eventures; Frederico Pompeu, sócio, BTG Pactual e head, BoostLab; Rafael Padilha, diretor, Bradesco Private Equity & Venture Capital; Cláudio V. Furtado, presidente, INPI; Fernando Wagner da Silva, sócio, Crescera Investimentos; Izabel Gallera, sócia, Canary; Laura Constantini, sócia, Astella Investimentos; Pedro Oliveira, senior investment officer, Kaszek Ventures; e Maria Rita Spina Bueno, diretora executiva, Anjos do Brasil.

Inscrições:http://educacao-executiva.fgv.br/sp/sao-paulo/eventos/workshop-de-lancamento-do-mba-em-private-equity-venture-capital-e-investimentos-em-startups?geo-popup=hide

Workshop Private Equity e Venture Capital

Data: 2 de dezembro de 2019

Horário: 8h30-13h

Local: FGV – Rua Itapeva, 432 – Auditório FGV

Tags, , , ,

Startup australiana é a grande vencedora do Starter Acceleration Program

A startup australiana, LexX Technologies foi eleita a grande vencedora da primeira edição global do Starter Acceleration Program, o programa de aceleração de startups da EDP. A etapa final da competição aconteceu durante o Web Summit, um dos maiores eventos de empreendedorismo e inovação do mundo, realizado em Portugal. A startup vencedora foi premiada com 50 mil euros.

O programa, que neste ano passou a ser global, contou com módulos em três regiões — Europa (em Madri, Espanha), América Latina (em São Paulo, Brasil) e América do Norte (em Houston, Estados Unidos) — recebeu aproximadamente 500 inscrições, sendo 129 delas vindas do Brasil, o recordista de candidaturas neste ano. As startups brasileiras ColabApp e Loud Voices Services ficaram entre as nove finalistas da competição, além da Trato, startup mexicana que se classificou no módulo LATAM.

“O ecossistema de startups contribuirá diretamente para a construção do futuro do setor elétrico. Por isso, queremos fomentar a busca por novas soluções e seguir engajados na geração de novos negócios e no crescimento destas empresas”, destaca Livia Brando, gestora executiva de Estratégia, Inovação e Ventures da EDP no Brasil.

Em linha com as áreas estratégicas da EDP, as startups apresentaram projetos nas seguintes categorias: Energias Limpas, Soluções com Foco no Cliente, Inovação Digital, Armazenamento de Energia, Redes Inteligentes e Inovação em Processos Internos.

“Para nós é uma grande honra ter representado o Brasil na final do Starter. Contamos com a ajuda da EDP durante todas as fases do programa. O maior prêmio é estar aqui, na final de um grande programa global de aceleração, no maior evento de empreendedorismo do mundo”, destaca Felipe Almeida, CEO da Loud Voices Services.

A startup vencedora desenvolveu uma assistente inteligente, que tem como objetivo trazer experiência, conhecimento e aprender técnicas de manutenção, otimizando a avaliação e eficiência dos ativos das empresas.

Desde 2008, os veículos de Venture Capital do grupo EDP já aplicaram globalmente mais de 35 milhões de euros em 29 startups, que juntas empregam mais de 750 colaboradores e têm mais de 100 milhões de euros de receita por ano. No País, a EDP ventures Brasil é o primeiro instrumento de corporate venture capital voltado ao setor de energia. Lançado em 2018, já investiu em três startups, também oriundas de programas de engajamento com startups da EDP.

Novos parceiros

Três parceiros internacionais se juntaram a esta primeira edição do Starter Acceleration Program: a American Eletric Power, utility que tem mais de cinco milhões de clientes em 11 estados norte-americanos; a Turning Tables, uma empresa de inovação do grupo espanhol Cuerva; e a Verbund, maior fornecedora de eletricidade da Áustria, com quase meio milhão de clientes. O programa conta também com a parceria da ACE e da LMarks, duas especialistas em projetos de inovação e empreendedorismo e presença mundial.

Conheça o perfil da startup vencedora, e das brasileiras selecionadas para a final do programa:

LexX Technologies – Sydney (Inovação Digital): plataforma inovadora que realiza diagnósticos e propõe soluções para técnicos de manutenção. Com base nos conceitos que fomentam a Indústria 4.0, a startup realiza combinações de recentes tecnologias como Inteligência Artificial, Machine Learning e processamentos em linguagem natural para fornecer conhecimento técnico e recursos avançados para diversas indústrias.
https://www.lexxtechnologies.com/
ColabApp – São Paulo (Soluções com Foco no Cliente): plataforma digital que conecta cidadãos à administração pública e/ou empresas privadas, promovendo a melhoria da qualidade dos serviços prestados.
www.colab.re

Loud Voice – São Paulo (Inovação Digital): solução de comunicação de voz que permite uma conversa real entre bots e humanos, gerando uma experiência humanizada e de qualidade.
www.loudvoiceservices.com

Tags,

Oracle abre mais espaço para inovação, cultura e tecnologia em São Paulo

Para promover a transformação digital, inovação, conhecimento e experiências, por meio da tecnologia, acaba de ser inaugurada a Casa Oracle, local para estreitar conexões com clientes, parceiros, estudantes, educadores, startups, desenvolvedores e comunidade. O principal propósito é incentivar a inovação em todos os níveis da sociedade, incluindo a co-criação de soluções baseadas em tecnologias emergentes e nuvem, como Internet das Coisas, Inteligência Artificial, Blockchain, entre outros.

A empresa quer atrair para a Casa Oracle um público variado, como estudantes e professores do programa Oracle for Knowledge; escolas técnicas e ONGs que participam das atividades de Cidadania Corporativa, como AI for Good; startups do programa Oracle for Startups; clientes e parceiros para encontros e sessões de prototipagem e design thinking, bem como favorecer encontros com desenvolvedores no local.

A Casa conta com vários espaços colaborativos como: laboratório de inovação, espaço para design thinking, espaço de coworking para desenvolvedores, estudantes e influenciadores e estúdio audiovisual. Inclui uma área reservada para prototipagem e demonstrações de realidade virtual, análise comportamental e big data.

O espaço nasceu dos resultados do processo de transformação cultural da Oracle no Brasil, principalmente sob a gestão do presidente Rodrigo Galvão. “Estamos muito felizes e orgulhosos em ter uma casa no Brasil para permitir a consolidação da nossa cultura, como empresa de tecnologia, que habilita a transformação dos nossos clientes. Precisamos estar inseridos neste contexto e propiciar aos nossos clientes esta materialização prática de suas ideias”, diz Galvão.

Idealizada por uma equipe multidisciplinar, a Casa Oracle conta com funcionários de diversas áreas da empresa. “Eles formaram um comitê, organizaram a reforma do espaço, criaram as regras de utilização e governança da casa e até elegeram um ‘síndico’. É uma clara demonstração de como a mudança cultural da empresa vem favorecendo o surgimento de projetos ‘bottom up’, propostos pelos próprios funcionários”, explica o executivo.

A Casa Oracle está situada no Co.W. Coworking Berrini, um galpão industrial totalmente reformulado que transborda inovação e autenticidade. São 6 mil metros quadrados de estrutura completa e capacidade para receber até 760 pessoas, em espaço com localização privilegiada.

As startups também estão contempladas na Casa Oracle. O local será usado para fomentar a atração de startups e sua conexão com clientes e colaboradores Oracle. A empresa vem apoiando uma nova onda de empreendedores por meio do Oracle for Startups, programa exclusivo de aceleração que possibilita parcerias de negócios e cria um ciclo virtuoso de inovação.

Recentemente renovado, o Oracle for Startups passa a contemplar empresas de todos os tamanhos e fases em todo o mundo, oferecendo créditos gratuitos e descontos em soluções Oracle Cloud, além de recursos de mentoria on-line e assistência de migração para a nuvem. Lançado há dois anos, recebeu inscrições de centenas de startups. Nesse período, 12 foram aceleradas no Brasil, com diversos projetos construídos em conjunto, clientes Oracle consumindo as soluções e algumas inclusive se tornando fornecedoras da empresa.

Algumas demos disponíveis no OpenSpace da Casa Oracle:

• CarNext: Experiência imersiva com óculos de realidade virtual em que um CFO pode monitorar como estão as suas fábricas, identificar problemas e tomar ações, analisar diversos tipos de número, etc.

• Techshop: A primeira “meshup aplication” do mundo, proporciona uma experiência fluida e intuitiva para um vendedor que tem em seu device todos as aplicações para realizar suas atividades. C (podemos projetar e várias pessoas podem ver ao mesmo tempo)

• Protótipos: São apresentadas jornadas prototipadas de várias indústrias de forma a oferecer uma experiência fluida e conversacional de hiper conveniência e personalização, como o banco do futuro, o shopping do futuro, a seguradora do futuro, etc.

Tags, ,

Eretz.bio completa dois anos de atuação

Com o objetivo de fomentar o ambiente de empreendedorismo e inovação em saúde no Brasil, a Eretz.bio, primeira incubadora de startups voltadas exclusivamente para o mercado de healthtechs, completa, neste mês, dois anos desde sua criação acumulando diversas marcas importantes para o ecossistema brasileiro e se destacando como um importante hub de inovação no país.
“Passamos por uma revolução na área da saúde liderada pela transformação digital que as novas tecnologias proporcionam ao setor. A Eretz.bio nasceu como evolução desta transformação e é, hoje, uma das responsáveis pela mudança cultural de todo o Einstein. Estamos muito satisfeitos com os resultados das startups incubadas aqui e principalmente com as mais maduras que alçam seus próprios voos”, afirma Sidney Klajner, presidente da Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein.

Nos últimos anos, mais de 1.700 startups apresentaram suas soluções para serem avaliadas pela equipe da Eretz.bio. Atualmente, a incubadora conta com 33 startups incubadas, em diferentes áreas de atuação, como Digital Health (gestão e assistência), Inteligência Artificial, Biotecnologia, Medtech e Ensino.

Outro marco em 2019 foi a realização do III Encontro Internacional de Empreendedorismo e Inovação em Saúde, considerado o maior evento de empreendedorismo e inovação em Saúde no Brasil e que, nesta edição, reuniu mais de 700 participantes e 27 startups expositoras e cerca de 200 startups presentes. “É um mercado aquecido e em expansão e continuamos atrás de soluções disruptivas capazes de contribuir positivamente e impactar o sistema de saúde como um todo”, afirma Claudio Terra, Diretor de Inovação e Transformação Digital do Einstein.

Inaugurada em novembro de 2017, a Eretz.bio proporciona aos empreendedores incubados um espaço de coworking, laboratórios e equipamentos do Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa Albert Einstein (IIEP), além de acesso às diversas unidades geridas pelo Einstein como a Unidade Morumbi e os hospitais públicos que faz gestão, o Hospital Municipal M’Boi Mirim – Dr. Moysés Deutsch e o Hospital Municipal Vila Santa Catarina – Dr. Gilson de Cássia Marques de Carvalho.

Tão importante quanto os espaços, laboratórios e acessos às unidades assistenciais, são também os vários tipos de apoio aos empreendedores das startups. Foi estabelecido, por exemplo, um Programa de Mentoria com dezenas de executivos do Einstein e também profissionais externos com grande experiência em vários aspectos do empreendedorismo, como funding, estratégias de crescimento acelerado, gestão de pessoas, aspectos jurídicos e de propriedade intelectual, entre outros. Ademais, há um esforço da liderança de toda a organização em desenvolver projetos de várias naturezas com as startups. Atualmente já são quase 50 projetos em curso, envolvendo pesquisa clínica, validação científica, pesquisas e desenvolvimentos em conjunto e acordos também. Além disso, o intercâmbio internacional vem se fortalecendo com vários acordos formais e informais com outros centros de apoio à startups de saúde de vários países.

Este ambiente de inovação e empreendedorismo externo é complementado pelo apoio ao intraemprendedorismo. Neste sentido, vale destacar o desenvolvimento de projetos conjuntos nos últimos meses. São eles a Radsquare, especializada em soluções de automação para diagnóstico clínico e radiológico, o VarStation, plataforma completa para processamento e análise de dados genéticos humanos focados em Sequenciamento de Nova Geração ou NGS (do inglês, Next-Generation Sequencing), e o Escala, desenvolvido no Laboratório de Inovação do Hospital Israelita Albert Einstein, que planeja e gerencia escalas e jornadas de trabalho para a saúde e outras atividades em regime de plantão.

Para 2020, os planos são receber mais startups e promover ainda mais trocas de conhecimento entre o ambiente de inovação e a Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein. “Temos outras seis startups que estão em vias de integrar nosso ecossistema já nas próximas semanas e esperamos contribuir e impactar positivamente a saúde no Brasil”, completa Claudio Terra.

Eretz.bio e inovação em números

33 startups incubadas presencialmente e virtualmente
3 spinoffs
+ de 1.700 startups apresentadas à equipe do Einstein nos últimos 4 anos
+ de 200 eventos gratuitos relacionados à inovação e empreendedorismo em saúde

Tags, ,

Loft adquire Decorati e concretiza 15º exit da ACE

A ACE, empresa de inovação, acaba de anunciar mais um Exit, ou seja, a venda de uma startup do seu portfólio. A Decorati, especializada na reforma e decoração de apartamentos, foi comprada pela Loft, plataforma digital que utiliza a tecnologia para simplificar a compra, reforma e venda de apartamentos de luxo. Com esse novo deal, a ACE já acumula 15 exits em seu portfólio.

A startup chegou à ACE em 2017, ano em que também atingiu seu break even. Em seu primeiro ano de operação, foram realizados 193 projetos com 58 clientes. Hoje, a Decorati tem 115 funcionários e ultrapassou a marca de 300 clientes no último ano. Além de movimentar um ecossistema de mais de 1 mil pessoas, incluindo engenheiros, empreiteiros, marceneiros, arquitetos e demais profissionais envolvidos nas obras.

“A Decorati passou pelo nosso processo de aceleração em 2017, e foi investida ao fim do programa. Desde então, a startup apresentou um crescimento de 600%”, explica Mike Ajnsztajn, cofundador da ACE.

Em outubro de 2018 a Decorati foi responsável por fazer toda a estrutura do escritório da empresa de inovação, tendo em mãos seu primeiro grande projeto a ser finalizado dentro de 60 dias. Apesar do curto prazo, a startup conseguiu entregar, em 53 dias, um ambiente mais sério e maduro, com cores sóbrias e muito uso de madeira. “Foi uma maneira de colocar o produto da Decorati à prova e é satisfatório ver que outras empresas estão valorizando isso também”, afirma Ajnsztajn.

A gestão da empresa permanecerá com seus co-fundadores Rafael Pais e Murillo Morale, e seguirá atuando como uma empresa independente, atendendo a Loft e outros clientes. “A ACE nos ajudou a ser quem somos hoje, eles nos deram todo o suporte necessário, além da oportunidade de reformar o escritório, um grande desafio que nos preparou para os próximos”, conta Rafael Pais, co-fundador da Decorati.

“Já realizamos mais de 2.000 projetos, mais de 18 mil metros quadrados de obras entregues em ciclos de 60 dias e hoje tocamos 150 reformas simultâneas”, conta Rafael Pais.

A ACE, como uma das únicas investidoras da Decorati e tendo acompanhado o processo de crescimento da startup tem muito orgulho dos resultados alcançados. Além dessa startup a ACE já produziu outros 14 exits, como Hiper, InfoPrice, Kaplen, LoveMondays, Venda.la, e Conaz.

Tags, , , ,

ACE apresenta o passo a passo para o RH Moderno e um levantamento exclusivo com 168 HRTechs

O RH está passando por uma nova transformação mais radical, baseada não só em tecnologia, mas também em mudança cultural. Neste cenário, o RH toma o protagonismo como um dos grandes responsáveis pelo sucesso das empresas, especialmente em momentos incertos e cheios de transformações. E mais: além de resolver o problema do presente, o RH precisa se antecipar às tendências do futuro.

Diante disso, a ACE criou um report com os principais pilares dos desafios do RH, divididos em blocos temáticos como Cultura e Propósito, Transformação digital (você sabia que apenas 15% das empresas consideram alta a utilização de tecnologia em seus RH?), o RH ágil e a construção do RH moderno.

A tecnologia está revolucionando mercados cada vez mais tradicionais e com o RH não foi diferente, as HRtechs são startups brasileiras que estão mudando mercado de recursos humanos no Brasil. Com essa realidade se aproximando cada vez mais das grandes empresas brasileiras, a ACE, empresa de inovação, mapeou 168 startups que atuam em toda a jornada do RH, desde plataformas de divulgação de vagas, até acompanhamento de desempenho e engajamento e comunicação.

Diante do desafio, a ACE ainda propõe sete dicas essenciais para a construção do RH moderno.

1. RH protagonista da inovação

O departamento pode ter um papel questionador no modo de operar as empresas. Aproveite o espaço para sugerir novas metodologias, ferramentas e processos. Seja a mudança dentro das companhias.

2. Incentive a cultura do aprendizado

Erros fazem parte do processo de inovação e devem ser tolerados. Mas se for para errar, que seja rápido e que a rota seja corrigida o quanto antes. O erro, no caso, é persistir nele.

3. Dê feedbacks constantes

Não espere avaliações semestrais ou anuais para melhorar o desenvolvimento dos colaboradores. Feedbacks contínuos ajudam melhorias nas rotinas e relacionamentos, antes que o desgaste já esteja instalado.

4. Absorva novas tecnologias

Não tenha medo de adotar novas ferramentas que automatizem o trabalho. Deixe que plataformas façam a parte mais operacional e foque os esforços no estratégico.

5. Trabalhe a marca empregadora

Colaboradores alinhados com o propósito da empresa são mais leais e produtivos. Deixe claro, desde o início do processo de seleção, os valores e objetivos da empresa. Mostre porque é uma boa opção.

6. Repense processos obsoletos

Burocracias, processos, demorados, sistemas… Antes de adotar e seguir em frente, questione se ainda faz sentido e se existiria uma ferramenta mais ágil para ajudar na execução.

7. Monitore dados

RH também deve ser um departamento Data Driven. Crie um dashboard para acompanhamento de contratações, avaliações, treinamentos, desempenho, retenção e monte um escopo de trabalho baseado em dados.

Tags, , ,

Evento debate benefícios da tecnologia para o Legislativo

Responsável por elaborar, discutir e promulgar as leis que regem a nossa vida em sociedade, o Poder Legislativo tem muito a ganhar em eficiência com a ajuda da tecnologia e da inovação. Esse foi o tema que permeou os debates do LegisTech Forum, evento promovido pela Bússola Eleitoral que reuniu especialistas de diversos setores em São Paulo nos últimos dias 31, 1º e 2.

O fórum reuniu 45 palestrantes nacionais e internacionais incluindo nomes como Rolf Rauschenbach, cientista político suíço, Beth Noveck, diretora de inovação do Estado de Nova Jersey, o integrante da bancada ativista Pedro Telles e os deputados estaduais Marina Helou (REDE/SP), Chicão Bulhões (NOVO/RJ). e Sérgio Victor (NOVO/SP).

Fundadora e diretora-executiva do BrazilLAB (hub de inovação GovTech que conecta startups ao poder público), Letícia Piccolotto foi keynote speaker no primeiro dia de evento. De acordo com a executiva, 61% dos quase 108 milhões de usuários de internet no Brasil procuram informações de governo ou serviços públicos online, e a contínua digitalização do atendimento pode representar uma economia de R$ 663 milhões ao ano para o governo brasileiro.

“O Brasil hoje discute a Reforma Administrativa. Temos muitas oportunidades para avançar e melhorar a eficiência do Poder Legislativo. O BrazilLAB quer levar a tecnologia como um grande aliado nesse processo”, afirmou Letícia.

BrazilLAB busca startups para inovar o Legislativo

Chegando à sua 4ª edição este ano, o Programa de Aceleração do BrazilLAB está em busca de startups que tenham soluções capazes de aumentar a eficiência na gestão pública. Pela primeira vez, o organização programa também selecionará soluções que possam ser aplicadas ao Legislativo ou ao Judiciário, além do Executivo.

As inscrições para processo seletivo do programa podem ser realizadas pelo link http://inscricao.brazillab.org.br/ até o dia 18 de novembro. Para se inscrever, não é necessário que a startup tenha desenvolvido a solução especificamente para o setor público, basta que a solução tenha potencial de impacto e se enquadre em um dos três desafios propostos pelo BrazilLAB. Além de “Eficiência na Gestão Pública”, também é possível inscrever soluções nas categorias “Smart Cities e Urban Techs” e “Habilidades na Sociedade 5.0”

No dia 15 de dezembro, o BrazilLAB anunciará as 25 startups selecionadas para participar do programa e, ao final dos três meses da aceleração, os empreendedores serão avaliados por uma banca composta por líderes públicos, parceiros e especialistas, que identificarão as melhores soluções.

Os três primeiros colocados ganharão horas de assessoria jurídica dedicada e poderão participar de eventos com gestores públicos. O grande vencedor ganhará um contrato de investimento de até 250.000 reais e uma missão ao Vale do Silício, nos Estados Unidos.

Tags, , ,

Programa que visa transformar o Centro de São Paulo com inovação de startups tem inscrições prorrogadas até janeiro de 2020

A ISSO!, startup voltada para o desenvolvimento de outras startups e para a criação de um hub de talentos, prorrogou as inscrições para o seu programa HACKEANDO CENTRO até o dia 15 de janeiro de 2020.

O programa, que visa acelerar a transformação urbana e o desenvolvimento social do Centro de São Paulo por meio da construção de um ecossistema de inovação para impulsionar a revitalização da região, levará para o mesmo teto: startups, designers e hackers para desenvolver soluções tecnológicas e desenhar um centro mais:

• Conectado – prédios inteligentes, serviços digitais, internet das coisas, sensores nas ruas e inclusão digital;

• Aberto – o Centro como um ecossistema de inovação aberta, atraindo comunidades de talentos inovadores, colaborando para a criação de um modelo de governança inclusivo, mediante plataformas colaborativas;

• Sustentável e Seguro – inovação para suportar os programas de planejamento urbano, promovendo mobilidade, reciclagem, energias renováveis, economia compartilhada, utilização dos espaços ociosos, valorização do patrimônio histórico e cultural da região central.

De acordo com Alessandro Martineli, CMO da ISSO!, o HACKEANDO CENTRO é uma iniciativa que visa criar um movimento de transformação real, unindo os melhores talentos e recursos. “Temos como objetivo levar o conceito de inovação aberta para além de suas aplicações no mundo corporativo, concentrando-o nos processos complexos de renovação urbana que envolvem uma série de atores públicos, privados e coletivos que devem alinhar suas estratégias e colaborar no que chamamos de Open City Innovation (Inovação em Cidade Aberta). Queremos criar um movimento com a participação da sociedade para ajudar a tornar o Centro em um polo de economia criativa, bem como um local para os millenials morarem e trabalharem”, explica.

Inicialmente, o programa, que conta com inscrições gratuitas e premiação de R$50.000,00 em dinheiro, terá foco nas verticais: SecureTech, UrbanTech e DesignTech. A primeira edição do HACKEANDO CENTRO trabalhará a vertical SecureTech, sob o tema: “Segurança e zeladoria tecnológica para o Vale do Anhangabaú e arredores” e visa atrair startups que têm atuação na área de segurança pública para testar suas tecnologias utilizando dados reais e em um ambiente desafiador, representado pelo Centro de São Paulo.

Os participantes devem ter competências relacionadas ao enfrentamento dos problemas ligados aos desafios propostos pelo programa, por exemplo: profissionais e estudantes das áreas de Arquitetura, Design, Engenharias, Gestão de Projetos e Políticas Públicas, Segurança Pública, Tecnologia da informação e Comunicação.

Para viabilizar o HACKEANDO CENTRO, a ISSO! conta com patrocinadores. Para a primeira edição, que tem duração até maio de 2020, dividido em quatro fases, a startup tem o apoio do Banco Original. “Com os impactos positivos gerados a partir do programa, acreditamos que iremos atrair novos parceiros para as próximas edições”, comenta Martineli.

Para mais informações sobre o programa, inscrições e patrocínio, acesse: http://hackeandocentro.com.br/

Tags, , ,

GovTech: 5 áreas que podem ser exploradas pelas startups

A digitalização de serviços públicos vem se tornando cada vez mais relevante na pauta dos governos. E não é à toa: dados do Relatório “Estratégia Brasileira de Transformação Digital” revelam que uma boa estratégia digital pode trazer ao Brasil um aumento de 5,7% do Produto Interno Bruto (PIB) e economizar até 97% dos custos de atendimento e serviços públicos.

Isso mostra uma enorme possibilidade para startups que desejam trabalhar com o governo. Só na esfera federal, as compras em TI movimentaram cerca de cinco bilhões de reais em 2012.

Nesse cenário, o BrazilLAB, principal hub de inovação que conecta startups ao poder público, destaca cinco áreas a serem exploradas por empreendedores e que podem gerar grande impacto nesse contexto de transformação digital.

• Digitalização de processos

O Brasil tem 107,9 milhões de usuários de Internet, dos quais 61% (aproximadamente 65,8 milhões de pessoas) procuraram informações de governo ou realizam serviços públicos online.

A contínua digitalização do atendimento pode representar uma economia para o governo brasileiro de R$ 663 milhões ao ano. Para a sociedade como um todo, a economia alcança a casa de R$ 5,6 bilhões ao ano. Ou seja, uma economia total de R$ 6,3 bilhões ao ano.

A startup “Fábrica de Negócio”, por exemplo, conseguiu, através de sua solução de auditoria em folhas de pagamento, economizar cerca de oito milhões para a prefeitura em despesas com folha.

Dessa forma, soluções que priorizem a automatização e digitalização de processos se fazem necessárias em todas, Executivo, Legislativo e Judiciário, e têm grandes chances de aplicabilidade.

• Transparência

A sociedade está passando por uma grande mudança na sua relação com a Gestão Pública, e as lideranças do setor precisam responder a esses novos de forma eficaz.

Entre as principais necessidades estão a redução da burocracia, aperfeiçoamento de gestão de pessoas e, em especial, a ampliação da transparência das ações do governo.

“O cidadão anseia que a sua interação com o governo seja uma experiência positiva e que a participação na vida pública seja mais simples e rápida, ao mesmo tempo em que quer ter confiança de que os recursos públicos são utilizados com eficiência. Por isso, ações que privilegiem a transparência de dados são fundamentais”, explica Letícia Piccolotto, fundadora do BrazilLAB.

• Smart Cities e Urban Techs

No Brasil, mais de 80% da população brasileira vive em cidades. E, apesar de ocuparem apenas 2% do espaço, elas são responsáveis por consumir entre 60% a 80% da energia e gerar 75% da emissão de carbono.

Um grande exemplo de Smart City é Barcelona, que, por meio de projetos em Internet das Coisas (IoT), conseguiu criar 47 mil empregos, além de economizar 42 milhões de euros em apenas um ano. No Brasil, já vemos alguns exemplos, como Curitiba, considerada a cidade mais inteligente e conectada em 2018.

Dessa forma, tecnologias para apoiar o uso estratégico de recursos, gerar economia, desenvolvimento e qualidade de vida nas cidades são imprescindíveis, e ganham cada vez mais espaço, inclusive, nas esferas públicas.

• Habilidades na Sociedade 5.0

Cerca de 65% das crianças que estão no ensino primário terão empregos que hoje nem sequer existem. Além disso, estima-se que, em 2019, haverá 161 mil vagas abertas e não preenchidas para profissionais de TI, segundo estudo promovido pelo BrazilLAB em conjunto com o Centre for Public Impact, da consultoria BCG.

O desafio da transformação digital no Brasil passa pela educação e formação das competências necessárias para interagir com a tecnologia, tanto para consumi-la, quanto para produzi-la. Pensar em soluções que priorizem habilidades para uma sociedade 5.0 deve ser a tônica da agenda de desenvolvimento do Governo nos próximos anos.

• Gestão de Pessoas

A liderança tem um papel fundamental no que se refere à visão de longo prazo, enquanto a governança determina a capacidade de concretizar tal visão. Do ponto de vista tecnológico, a transformação digital de um país pode ser feita em apenas alguns meses. No entanto, do ponto de vista político, pode levar anos de articulação.

Por isso é necessário que se criem agendas claras e que se determinem as atribuições de cada agente para que seja possível garantir que funcionários públicos sintam-se empoderados, e não ameaçados pelas mudanças.

É necessário incentivar o avanço de ferramentas e métodos que busquem a qualificação e desenvolvimento desses profissionais.

Programa de Aceleração

O BrazilLAB tem como missão fomentar a inovação dentro do setor público, por meio da mobilização, conexão e empoderamento de diferentes atores da sociedade. Para isso, promove um programa de aceleração focado em conectar startups a governos.

As inscrições para a 4ª edição do Programa de Aceleração do BrazilLAB estão abertas e podem ser realizadas pelo link http://inscricao.brazillab.org.br/ até o dia 18 de novembro. Qualquer startup com soluções que possam ser adotadas pelo poder público pode participar – não é necessário que a solução tenha sido desenvolvida especificamente para esse fim. Os 25 empreendedores selecionados serão anunciados no dia 19 de dezembro.

A principal novidade desta edição é que o BrazilLAB considerará projetos capazes de atender, além do executivo, o judiciário e o legislativo – poderes que não costumam ter foco das startups.

Ao final dos três meses da aceleração, os empreendedores serão avaliados por uma banca composta por líderes públicos, parceiros e especialistas, que identificarão as melhores soluções. Os três primeiros colocados ganharão horas de assessoria jurídica dedicada e poderão participar de eventos com gestores públicos. O grande vencedor ganhará um contrato de investimento de até 250 mil reais e uma missão ao Vale do Silício, nos Estados Unidos.

Tags, , ,

Jobecam é selecionada para integrar o Pulse, hub de inovação da Raízen

A Jobecam , plataforma de empregos e entrevistas gravadas que torna os processos de seleção mais eficientes e justos por meio da tecnologia de vídeo e inteligência artificial, acaba de ser selecionada para integrar Pulse, hub de inovação promovido por uma das maiores exportadoras de açúcar do mercado internacional, a Raízen.

Voltado à empreendedores do agronegócio, indústria, logística, varejo, gestão e produtividade, o hub da marca é focado em inovação e promete ser um ponto de encontro entre startups, corporações, investidores, entidades e universidades.

A CEO e fundadora da Jobecam, Cammila Yochabell, acredita que ter a Raízen como aliada do propósito da empresa ajudará a propulsionar o crescimento da marca. “O Pulse, hub de inovação da Raízen vem ajudando muitas startups a se destacarem, e ser uma delas, é gratificante”, pontua a empresária.

Parceria

A Jobecam e a Raízen iniciaram a parceria este ano, quando a startup realizou o processo seletivo às cegas para uma vaga na área administrativa, da unidade da empresa em Piracicaba. A startup ajudou a empresa a encontrar o candidato ideal para a posição, acelerando o processo seletivo em, pelo menos, 70%.

Tags, , , ,

Startup brasileira apresenta projeto sustentável em Nova York e União Europeia

O Brasil ainda está longe de se tornar um dos primeiros no ranking dos países mais sustentáveis — Suíça, França e Dinamarca lideram no quesito ações ambientais. Mas, uma startup brasileira acelerada pela Cervejaria Ambev tem ganhado olhares e admiração nacional e internacional, além de gerar resultados significativamente positivos ao meio ambiente. A Green Mining, que surgiu para solucionar um dos problemas quanto ao descarte de embalagens pós consumo, nas últimas três semanas, apresentou seu projeto de logística reversa em Nova York (Estados Unidos), Sardenha (Itália) e em Bruxelas (Bélgica), durante a Conferência Internacional de Cooperação Urbana (International Urban Cooperation — IUC), promovida pela União Europeia.

“Realizamos uma apresentação para cerca de 100 representantes de regiões da Europa e da América Latina, vindos de mais de 28 países diferentes. Para nós, é uma grande satisfação poder falar para pessoas de todo o mundo o que fazemos e o potencial que nossa solução tem para ser desenvolvida em larga escala” diz Rodrigo Oliveira, presidente da Green Mining que contou que, durante o evento IUC, na Bélgica, foi assinada uma carta de intenções com uma agência de desenvolvimento regional da Polônia, que já é a parceira do Consórcio Intermunicipal da Região Oeste Metropolitana de São Paulo (CIOESTE) no programa.

O projeto da startup consiste no processo de coleta de embalagens em bares e restaurantes feito de maneira ambientalmente correta, por meio de triciclos, sem emissão de gás carbônico. Em parceria com a Cervejaria Ambev, o vidro recolhido é levado direto à fábrica da própria cervejaria, devolvendo o material à cadeia produtiva da empresa. Atualmente, a Green Mining possui HUBs em São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília e já encaminhou para reciclagem mais de 350 toneladas de vidro, evitando a emissão de mais de 58 toneladas de CO2 desde o início da ação, em dezembro do ano passado.
De acordo com o CEO do CIOESTE, Francisco Maciel, a escolha da Green Mining fez todo sentindo para alavancar com soluções na cooperativa da União Europeia. “Queremos alavancar pequenas e médias empresas que proporcionam o desenvolvimento econômico e sustentável, tudo o que encontramos na Green Mining”, afirma Francisco.

Em Nova York, o evento Super Demo Day ocorreu na sede global da AB InBev e proporcionou a apresentação de resultados da startup para investidores, organizações e associações de alto impacto. O evento marcou uma nova etapa da Aceleradora 100+, programa de aceleração de startups com soluções socioambientais da Cervejaria Ambev. A Green Mining participou da primeira edição do programa e, quando se inscreveu, estava começando a criar a sua tecnologia de logística reversa. A startup foi uma das selecionadas para a aceleração global e, desde então, tem participado de eventos e fechado diversos acordos e parcerias nacionais e internacionais. “Ver como a Green Mining cresceu e continua aumentando seu impacto positivo pelo mundo é sensacional. Esse é o nosso objetivo com a Aceleradora 100+: encontrar startups que compartilhem do nosso sonho de construir um mundo melhor”, celebra Rodrigo Figueiredo, vice-presidente de Sustentabilidade e Suprimentos da Cervejaria Ambev.

Já na Sardenha, Rodrigo Oliveira apresentou os resultados da Green Mining no 17º Simpósio Internacional de Gestão de Resíduos — um dos principais fóruns de resíduos sólidos da Europa.
“Tivemos a oportunidade de apresentar um estudo de caso de recolha de vidros em São Paulo. O simpósio reuniu profissionais de muitos países que todos ficaram bastante entusiasmados com os resultados obtidos até o momento”, conta Rodrigo.

A Green Mining já fechou 10 parcerias e acordos nacionais e internacionais e, este mês, venceu a maior competição de ideias em negócios verdes do país e em novembro, vai representar o Brasil na final global que acontece em Amsterdã. Segundo o presidente da startup, após estas apresentações, o projeto tende a crescer a nível mundial.

Como funciona o sistema de logística reversa da Green Mining
A eficiência dessa economia circular colocada em prática pela startup é baseada em um sistema de certificação que é feito em todas as fases do processo, garantindo que todo o material coletado chegue ao seu destino de maneira correta. “Todas as informações são registradas no aplicativo da Green Mining por cada coletor, que recebe um smartphone para realizar o trabalho. Com informações como data e local da coleta, quilos e destinação dos recicláveis, o sistema permite, também, rastrear o percurso de cada triciclo, garantindo a transparência da informação”, finaliza o presidente da Green Mining.

 

 

Tags,

Empresa curitibana Ebanx é o primeiro unicórnio do Vale do Pinhão

Na imagem, Os cofundadores do Ebanx, Alphonse Voigt, Wagner Ruiz e João Del Valle. Foto: Divulgação

A startup curitibana Ebanx é o primeiro unicórnio – denominação dada às empresas de tecnologia avaliadas em US$ 1 bilhão ou mais – do Vale do Pinhão e da Região Sul. Até o momento, todas as empresas que chegaram à marca eram de São Paulo e do Rio de Janeiro.

O feito acontece após a Ebanx, líder em serviços de processamento de pagamentos, receber recursos do FTV Capital, fundo de investimento do Vale do Silício (EUA). O valor do aporte não é revelado, mas parte do montante será usada na contratação de novos funcionários para a sede de Curitiba, que atualmente conta com 500 empregados.

“Alcançar o status de unicórnio é um reflexo das soluções únicas que criamos para atender às demandas de algumas das maiores marcas do mundo, desde que fundamos o Ebanx, em 2012”, destaca Alphonse Voigt, cofundador e CEO da startup curitibana.

Com previsão de dobrar o volume de processamento este ano em relação a 2017, para mais de US$ 2 bilhões, o Ebanx decidiu tomar o aporte para acelerar seu crescimento, reforçando o time em Curitiba e outros escritórios, nas áreas de vendas, marketing e TI, e a expansão pela América Latina.

Amadurecimento

“O Ebanx é o primeiro unicórnio do Vale do Pinhão e da Região Sul, uma amostra do amadurecimento do ecossistema de Curitiba”, comemora o prefeito Rafael Greca.

Greca lembra que, desde o início de sua gestão, o município vem desenvolvendo ações para que Curitiba volte a ter um ambiente mais favorável a investimentos.

Além de agilizar a abertura de empresas com a adesão da cidade ao sistema Empresa Fácil (Redesim), a Prefeitura relançou, em 2018, o Curitiba Tecnoparque, programa de fomento municipal que oferece desconto de 5% para 2% no Imposto Sobre Serviços (ISS) a empresas que investem em tecnologia e inovação na capital.

Como resultado, no primeiro trimestre de 2019, a arrecadação de Imposto sobre Serviço (ISS) cresceu 20%. As empresas do Tecnoparque juntas faturam R$ 4,1 bilhões e geram 8,1 mil empregos diretos na capital.

Curitiba criou ainda 17.632 vagas com carteira assinada de janeiro a agosto, o melhor resultado para o período desde 2012, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério da Economia. Em oito meses, o volume de vagas geradas na capital já supera o de todo o ano passado, quando foram criados 13.681 empregos.

Curitiba foi a terceira cidade que mais gerou empregos no País, atrás apenas de São Paulo (63.920) e Belo Horizonte (18.194).

Fonte: Prefeitura de Curitiba

Tags, , , ,