Tag Sorocaba

Telefónica Open Future_ e Facens criam espaço para desenvolvimento de startups

O Telefónica Open Future_, programa global de inovação aberta e empreendedorismo do Grupo Telefónica (controlador da Vivo), fechou parceria com o FACE – Centro de Empreendedorismo da Facens (Faculdade de Engenharia de Sorocaba) para a criação de um espaço de crowdworking para empreendedores digitais. O Crowd Facens é a primeira iniciativa do Open Future no Interior de São Paulo e já está com inscrições abertas para a seleção de startups de base tecnológica da primeira turma.

O Crowd funcionará nas dependências da Facens e buscará projetos inovadores em diversas áreas como Cidades Inteligentes, Internet das Coisas, Big Data, Soluções B2C, B2B, Vídeo, Machine Learning, Segurança, Fintech e Agtech, entre outras. As inscrições estarão abertas até 28 de abril por meio da plataforma global Openfuture.org, que possui também conteúdos de empreendedorismo e eventos da rede abertos a qualquer pessoa interessada. Nessa chamada, serão selecionadas 10 startups criadas por alunos, ex-alunos, professores, empreendedores e pesquisadores associados à Facens. O período de pré-aceleração será de 12 meses.

Trata-se do sexto Crowd implantado pelo Open Future no País, com o objetivo de apoiar o talento empreendedor local e ajudar a converter ideias inovadoras em negócios de sucesso. Por meio de parcerias com instituições públicas ou privadas, o programa oferece infraestrutura de espaço, suporte técnico e mentoria para o desenvolvimento das startups.

Caso o projeto avance, terá a oportunidade de continuar a ser apoiado pelo Open Future por meio da Wayra, uma das iniciativas de investimento do programa, onde poderá receber aporte de capital financeiro e toda infraestrutura necessária para sua evolução. “Temos uma metodologia de desenvolvimento de negócios moderna e já testada, além de podermos ampliar os contatos dos empreendedores de Sorocaba com um ecossistema mundial de inovação, com crowds espalhados por 17 países”, afirma Renato Valente, Country Manager do Open Future e diretor da Wayra Brasil.

Para Andréia Leles, coordenadora do Centro de Empreendedorismo da Facens, a parceria oferece aos alunos a possibilidade de ampliar a visão empreendedora e aplicar o que é desenvolvido em sala da aula. “Estamos muito otimistas e acreditando que o mercado ganhará profissionais ainda mais qualificados e produtos e soluções inovadores. Só o fato de ter uma ideia acelerada por uma empresa do porte da Telefónica já é um grande diferencial para o currículo dos nossos alunos”, afirma.

Parcerias com a Vivo

O Open Future_ atua com o conceito de inovação aberta e um de seus propósitos é promover parcerias entre a Vivo e as startups apoiadas por seus programas na oferta de serviços ao cliente ou de processos inovadores para a gestão da própria empresa. Hoje, 20% das startups investidas pelo Open Future_ fazem negócio com a operadora.

Dentre os seis espaços de crowdworking, o primeiro, chamado Crowd Vale da Eletrônica,foi lançado no início de 2016 junto ao Inatel – Instituto Nacional de Telecomunicações, de Santa Rita do Sapucaí (MG) e em parceria com a Ericsson. Em maio, foi anunciada a criação do Crowd Londrina, em parceria com a UEL – Universidade Estadual de Londrina e o Sebrae Paraná. Em São Paulo, a parceria com o Senac Santo Amaro deu origem ao Crowd Senac e, em Curitiba, foi anunciado em dezembro o Crowd Hotmilk Curitiba, em conjunto com a Pontifícia Universidade Católica – PUCPR. Mais recentemente, em fevereiro, foi criado o Crowd Rio, em parceria com a Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Tags, , , , ,

Investe SP capta investimento de R$ 12,8 bilhões para data center hubs em Campinas e Sorocaba

Foto:Luiz Granzotto/PMC

Foto:Luiz Granzotto/PMC

O presidente da Investe São Paulo, Juan Quirós, atendeu nesta terça-feira (12/01), em Campinas, a empresa americana TechxAct, com sede em Washington, que tem projetos de implantação de data centers hubs de abrangência internacional para armazenamento e administração de dados de clientes mundiais.
A empresa deve investir, em Campinas e Sorocaba, cerca de R$ 12,8 bilhões, gerando aproximadamente 20 mil empregos diretos em cada município e 43 mil indiretos ao longo da execução total do programa.

A pedido do prefeito de Campinas, Jonas Donizette, Quirós mostrou aos dirigentes da empresa os serviços da Investe São Paulo. O chairman G.H. Paryavi e o vice-presidente da TechxAct, Carlos Tavares, explicaram que, em 2030, o mundo terá 250 bilhões de equipamentos conectados na internet.

“Todos dependerão do armazenamento e gerenciamento de dados em nuvens. Os data centers já se apresentam como o maior prestador de serviços do mundo. É um setor que garante estabilidade, rentabilidade e crescimento únicos. E nossa intenção é criar um Silicon Valey em Campinas”, afirmou o vice-presidente da empresa, que tem um hub em operação na cidade norte-americana Loundoun Count, Virgínia.

O projeto é também conhecido como Universal Clouds, a primeira nuvem global de administração de dados. “Não existirá indústria que não vai estar no nosso negócio num futuro muito breve. Campinas tem mão de obra capacitada para treinarmos para este empreendimento, que vai armazenar, por exemplo, dados essenciais de países do Oriente Médio, da Europa, e da Ásia. Isso porque o Brasil tem boas relações com todos os países do mundo, não tem rejeição, o que é um grande fator que favorece a instalação de data centers hubs”, ressaltou Carlos Tavares.

Dentre os serviços dos data center hubs a serem instalados em Campinas e Sorocaba está também a recuperação de problemas nos sistemas de armazenamento de dados mundiais. “Para se ter uma ideia, um segundo de paralização nesses sistemas representa um prejuízo de US$ 80 milhões (Cerca de R$ 320 milhões)”, afirmou o chairman H.G. Paryavi, lembrando ainda que o retorno do investimento supera as expectativas.

O prefeito de Campinas disse que a cidade tem todas as condições para abrigar o investimento e que há uma conjugação de forças inéditas no momento, entre a Prefeitura, o Governo do Estado e demais órgãos envolvidos, como os fornecedores de água e energia (presentes à reunião), que os investidores não encontrarão em outras unidades da federação.

Após reunião de trabalho, Juan Quirós imediatamente convocou equipe de especialistas e dois diretores da Investe SP para se deslocarem a Campinas e iniciar, na mesma noite, as reuniões técnicas para conhecer as necessidades dos investidores e detalharem o projeto. “Sabemos que a empresa tem intenção de criar um triângulo na América do Sul. Vamos assinar um memorando de entendimentos e nos esforçar para que a base do triângulo fique em duas cidades paulistas: Campinas e Sorocaba. A outra ponta deve ser, provavelmente, em Recife. O que importa é que São Paulo quer e terá estes 40 mil empregos diretos”, finaliza.

Fonte: Investe São Paulo

Tags, , , ,